Você está na página 1de 4

UD IV - Técnicas de ensino (Distinguir e aplicar técnicas de ensino)

Metodologia de ensino - Diretrizes que orientam os processos de ensino e


aprendizagem

Técninas de ensino/instrução - Procedimentos de que dispõe o instrutor para tratar


de um assunto

Metodologia de ensino utilizada pelo EB - Ensino por Competências

Conhecimentos - Saber
Habilidades - Saber fazer
Atitudes - Saber ser

Metodologias ativas - estratégias de ensino centradas na participação efetiva dos


estudantes

-=-

Grupo de oposição - Os alunos são dividios em dois grupos, o primeiro encarregado


de defender uma ideia e suas vantagens
e o outro de criticar e apresentar as desvantagens

Vantagens - Efeito de competição que leva os alunos a se aprofundarem em assuntos


selecionados

Execução - 1) Um grupo apresenta seus argumentos


2) O outro grupo contra-argumenta
3) O instrutor realiza uma síntese/conclusão da atividade
Obs.: Não há debate ou discussão entre os grupos

Júri Simulado

Execução - 1) Os defensores e os acusadores debatem internamente o assunto


2) Depois, debatem o assunto em pauta
3) Após, o instrutor encerra o debate e convida os observadores a
fazerem perguntas aos defensores e aos acusadores
4) Por fim, os juizes avaliam as ideias surgidas, para extrair
conclusões
5) Fecha a atividade com as principais ideias levantadas

Tempestade de ideias

Técnica "informal" para levantar ideias


Abordagem inicial
Exige flexibilidade, rapidez de raciocínio, capacidade de ouvir e conhecimento
prévio
Indicada para desenvolver a criatividade
No fim da instrução, deve-se ligar a conclusão com a introdução

Interrogatório - O instrutor por meio de perguntas, estimula a participação dos


instruendos

Vantagens - 1) Mantém o interesse dos instruendos


2) Desperta a atenção dos instruendos
3) Contribuição com experiências pessoais
Desvantagens - 1) Pode criar um desânimo no instruendo que responder errado
2) Exige a preparação pelo instrutor de um questionário adequado e
ajustado à sessão ou aula

Palestra - Exposição oral na qual o instrutor apresenta, define, analisa e explica


os assuntos de uma sessão de instrução ou aula

O Planejamento e praparação de uma palestra exige

1. Identificar seus objetivos


2. Selecionar boas fontes de consulta
3. Elaborar um roteiro contendo uma sequência lógica da exposição
4. Selecionar uma situação que trate de um caso real
5. Dosar o tempo
6. Preparar os meios auxiliares
7. Preparar os possíveis auxiliares
8. Ensaiar a apresentação

Eficaz p/

Iniciar a aprendizagem
Introduzir informações fundamentais
Introduzir temas para reflexão e discussão

Vantagens - 1) Permite ministrar muitos ensinamentos em pouco tempo


2) Pode ser feita para turmas numerosas

Desvantagens - 1) Pequena participação ativa dos instruendos


2) Riscos de tédio ou desatenção
3) Provável pouco rendimento da atividade

Exercício Individual - Repetição intensa e regular de determinada operação ou


raciocínio até que o instruendo adquira a habilidade necessária

Tipos de exercícios -

1) Prática controlada: Todos os instruendos executam determinada operação a um só


tempo e com a mesma velocidade, sob controle do instrutor
2) Prática individual: Os instruendos trabalham individualmente com suas próprias
velocidades
3) Prática tipo instrutor/instruendo - Os intruendos serão reunidos aos pares e
cada um deles atuará alternadamente, ora como instrutor, ora como instruendo

Vantagens - Intensificação do interesse pela instrução


- Observação pelo monitor do DESEMPENHO do instruendo

Desvantagens - Necessidade de meios auxiliares


- Tempo disponível pra que cada um possa praticar
- Quantidade de instrutores e monitores para acompanhar os instruendos

Demonstração - Técnica que o instruendo aprende mediante o dizer, mostrar e fazer

Planejamento e preparação

1) Definir os objetivos
2) Verificar a complexidade
3) Identificar os aspectos que serão enfatizados
4) Providenciar todos os recursos e condições necessárias
5) Prever quantidade de monitores e auxiliares necessários
6) Preparar o local onde será realizada a demostração

Vantagens - Participação ativa do instruendo


- Prática dos conhecimentos teóricos ministrados
- Intensificação pelo interesse do instruendo
- Observação pelo monitor do DESEMPENHO do instruendo

Desvantagens - Necessidade de meios auxiliares


- Tempo disponível pra que cada um possa praticar
- Quantidade de instrutores e monitores para acompanhar
individualmente os instruendos

UD V - SIMEB

Finalidade - Orientar e coordenar o planejamento, a execução e o controle das


atividades relacionadas ao preparo da F Ter

Objetivos - Regular o desenvolvimento da Instrução Militar

Planejamento da Instrução - Plano de Sessão

Fatores a serem observados:

1) Objetivos da Instrução/Aula
2) Características dos instruendos
3) Tempo disponível
4) Técnicas de instrução
5) Meios auxiliares
6) Fontes de consulta
7) Monitores e auxiliares disponíveis
8) Segurança

Plano de sessão

Características fundamentais - Realista - Planejar a sua instrução com base nas


reais possibilidades existentes
- Contínuo e progressivo (os assuntos devem ser
dispostos em uma sequência lógica, do simples ao complexo
- Flexível - Deve admitir eventuais reajustes no
desenvolvimento da instrução
- Analítico - Desenvolver o plano de sessão de forma
analítica

Estrutura

= Cabeçalho - Ficam registradas as informações sobre a matéria, o assunto, o curso,


o local
= Plano propriamente dito - Contém a sequência da sessão, incluindo introdução,
desenvolvimento e conclusão

Meios auxiliares - Recursos utilizados pelo instrutor e pelos instruendos:


= Estimular os sentidos dos instruendos
= Fornecer elementos para percepção dos instruendos
= Favorecer a compreensão e a retenção dos conteúdps
= Acelerar a aprendizagem
= Atender a múltiplas inteligências

Classificação dos meios auxiliares


1) Recursos visuais - visão
2) Recursos auditivos - audição
3) Recursos audiovisuais - abrange os dois sentidos
4) Recursos múltiplos - demais sentidos

Medidas de Segurança - Qualquer aspecto relacionado com a segurança do pessoal,


material e das instalações deverá ser previamente avaliado
- E deve ser dada especial atenção às atividades próximas de
massa d'água, deslocamentos de viaturas, atividades que envolvam esforços físicos
prolongados e manuseio com armamento

@| O acidente é resultado de uma sequência de eventos chamados "fatores


contribuintes"
que se somam até atingirem o ponto de irreversibilidade do mesmo

Instrução com emprego de armamento leve

- Durante o transporte, deverá estar descarregado


- Realizar inspeção de armas, munições e equipamentos relacionados com a atividade
- Todos os participantes de atividade que incluam execução de tiro real, devem usar
capacete balístico

Emprego de granadas de mão e de bocal

1) Área de lançamento deve ser delimitada e isolada


2) O lançamento exige o uso de capacete balístico para todos os participantes e
assistentes
3) O dispositivo de segurança da granada só deve ser removido no momento do
lançamento
4) Granadas reais não devem ser manuseadas ou manipuladas em ambientes fechados

Marchas e estacionamentos

1) Evitar vias de tráfego intenso ou difícil


2) Ligações devem ser estabelecidas entre todos integrantes da coluna de marcha
3) Em qualquer estacionamento deve ser mantida uma equipe de primeiros socorros

Patrulhas

Você também pode gostar