Você está na página 1de 3

Aplica¸c˜oes de Autovalores e Autovetores

1. Dinamicaˆ

de Populac¸oes˜

1.1. Teoria. Considere a matriz A =

0, 95

0, 05

0, 03 0, 97 .

(1) Mostre que 1 e 0, 92 s˜ao os autovalores de A.

(2) Calcule os autoespa¸cos associados aos autovalores de A.

(3) Mostre que existe uma base de M 2×1 (R) formada por autovetores de A?

(4) Seja B = {v 1 , v 2 } a base que vocˆe encontrou em (c). Se u 0 M 2×1 (R), mostre que existem

n´umeros reais c 1 , c 2 tais que

A k u 0 = c 1 v 1 + c 2 (0, 92) k v 2 para todo k N.

(5) Se u 0 = 0, 4

0,

6 , encontre A k u 0 para todo k N.

Defina u k+1 = A k u 0 . O que vocˆe pode

“conjecturar” sobre o comportamento dos vetores u k quando k → ∞, isto ´e vocˆe poderia dizer

quando ´e “lim k u k ”?

(6) Qual foi a importˆancia da escolha do particular vetor u 0 em (5)? Se u 0 ´e um vetor qualquer em

M 2×1 (R), apresente o vetor que representa o compartamento de u k+1 = A k u 0 quando k → ∞.

(7) Qual a rela¸c˜ao entre as respostas encontradas em (5) e (6) e os autovalores/autovetores da

matriz A?

Observa¸c˜ao 1.1. Os “limites” encontrados em (e) e (f) s˜ao chamados estados de equil´ıbrio de A. Um

estado de equil´ıbrio de uma matriz M ´e v tal que Mv = v.

Observa¸c˜ao 1.2. A matriz A do exerc´ıcio ´e um exemplo de uma matriz estoc´astica e a seq¨uˆencia de

vetores u 0 , u 1 ,

., u k ,

´e um exemplo de uma cadeia de Markov.

1.2. Aplica¸c˜ao. Suponha que um estudo demogr´afico mostre que a cada ano cerca de 5% da pop-

ula¸c˜ao do centro de uma cidade muda-se para a periferia (e 95% permanece no centro), enquanto que

3% da popula¸c˜ao da perifeira muda-se para o centro (e 97% permanece na periferia).

(i) Que fatos devemos ignorar para que a seguinte equa¸c˜ao matricial

x 1 =

0, 95

0, 05

0, 03 0, 97 x 0 .

descreva a mudan¸ca na popula¸c˜ao de um ano para outro? Supondo esses fatos, interprete a equa¸c˜ao

acima. A matrix A = 0, 95 0, 05

0, 03

0,

97 ´e chamada matriz de migra¸c˜ao.

(ii) Se x 0 = r 0 0 , onde r 0 ´e o n´umero de pessoas que vivem no centro e s 0 ´e o n´umero de pessoas

s

que vivem na periferia num determinado ano, o que representa a f´ormula x k+1 = A k x 0 , onde k ´e um

1

2

n´umero natural?

(iii) Interprete a resposta encontrada na Subse¸c˜ao 1.1 para o contexto descrito acima.

Exerc´ıcio 1.3. Com base no problema resolvido acima, responda as quest˜oes do Exemplo I da Se¸c˜ao

´

2 do material Problemas em Algebra Linear.

2. Circuitos Eletricos´

Um transformador envolve dois circuitos el´etricos, sendo que um deles induz uma corrente no outro

por indu¸c˜ao magn´etica.

 

I 1 (t)

R

1

 
 

✎☞

✍✌

E 1 (t)

L

1

 

C

1

 

I 2 (t)

R

2

 
 

✎☞

✍✌

E 2 (t)

L

2

 

C

2

O correspondente sistema de equa¸c˜oes (diferenciais) para as correntes I 1 e I 2 num instante t ´e dado

por:

( )

    M d 2 I 2 + R 1 I 1 =

dt 2

L 1 d 2 I 1

dt 2

L 2 d 2 I 2

dt 2

+

E

1

      M d 2 I 1 + R 2 I 2 = E 2 ,

+

dt 2

onde M ´e o coeficiente de indu¸c˜ao m´utua.

(a)

Se x(t) = I I 2 (t) , t R, e M 2 = L 1 L 2 , ent˜ao existem uma matriz A M 4 (R) e, para cada

1

(t)

t R, uma matriz f (t) M 4×1 (R) tal que o sistema de equa¸c˜oes ( ), pode ser reescrito na forma

d

dt x = Ax + f.

d

Mostre que x = e λt v ´e uma solu¸c˜ao para a equa¸c˜ao dt x = Ax se, e somente se, v ´e um autovetor

(b)

de A associado ao autovalor λ.

Observa¸c˜ao 2.1. O caso f = 0 ser´a estudado na disciplina Equa¸c˜oes Diferenciais Ordin´arias. Observa-

d

mos que as solu¸c˜oes encontradas em (b) ser˜ao importantes para a resolu¸c˜ao da equa¸c˜ao dt x = Ax + f.

3. Numeros´

de Fibonacci

A seq¨uˆencia de Fibonacci ´e dada pela seguinte f´ormula

F k+2 = F k+1 + F k , onde k N,

Assim alguns n´umeros de Fibonacci s˜ao:

0, 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13,

F 0 = 0 e F 1 = 1.

Estes n´umeros possuem importantes aplica¸c˜oes. Por exemplo, plantas e ´arvores crescem num determi-

nado padr˜ao que lembra tal seq¨eˆencia. Nosso problema ´e como utilizar autovalores/autovetores para

3

determinar um determinado n´umero de Fibonacci.

(a)

Dado

k N, defina u k =

Dado

k N, mostre que u k

F

k+1

F

k

. Mostre que para cada k N, u k+1 = 1

1

= A k u 0 , onde A := 1

1

1

0 .

(b)

(c)

Se λ 1 , λ 2 s˜ao os autovalores de A, mostre que para todo k N,

u k = (λ 1 ) k x 1 (λ 2 ) k x 2 λ 1 λ 2

,

onde x 1 = λ 1

1

e x 2 = λ 2 .

1

(d) Mostre que para cada k N,

F k =

1

5

1 + 5 k 1 5

2

2

k

.

1

0 u k .

Note que a express˜ao acima ´e sempre um n´umero inteiro!!! (Por quˆe?)

(e)

Uma aproxima¸c˜ao para F k ´e o inteiro mais pr´oximo de

(f)

Mostre que para todo k N,

5 1 + 5

1

2

k

. Justifique essa afirmativa.

(λ 1 ) k+2 = (λ 1 ) k+1 + (λ 1 ) k e (λ 2 ) k+2 = (λ 2 ) k+1 + (λ 2 ) k .