Você está na página 1de 6

Fundação CECIERJ – Vice Presidência de Educação Superior a Distância

EDUCAÇÃO E SAÚDE – AD2 – 2021/2


Coordenador – Curso de Ciências Biológicas
Prof. Dr. Marcelo Aguiar Costa Lima (IBRAG-UERJ)
Coordenadora – Curso de Pedagogia
Profª Drª Jemima Fuentes (IBRAG-UERJ)

Nome:
Matrícula:
Pólo: Três Rios

Responda às perguntas abaixo de acordo com o filme - (4 pontos)

1) Segundo o documentário são muitos os motivos ou causas que levaram à crise do


abastecimento de água em São Paulo. Vocês conseguem se lembrar de alguns
exemplos? É possível listar uma causa como a mais importante? Para vocês, quais
seriam os principais motivadores da crise?

R: Um dos exemplos trazidos pelo documentário diz respeito a falta de


planejamento urbano no que se refere a infraestrutura para a rede de esgoto, bem
como o crescimento acelerado da cidade e o consequente aumento da demanda.
Acredito que a causa mais importante da crise esteja relacionada a falta de medidas
de prevenção e a falta de informação dos governos e da população no que diz
respeito a água não ser um recurso inesgotável. Nesse sentido é imprescindível a
gestão adequada desse recurso, bem como o seu consumo consciente. A crise
hídrica, contudo, veio como como um alerta de urgência para essas questões.

2) O filme também aborda que a questão da água, não apenas na cidade de São Paulo,
mas em todo o país e até no globo é uma questão urgente e muito complexa - e que
não existe apenas uma solução, e sim que deve haver um conjunto de ações para
garantir o abastecimento de água e o saneamento para todos. O que vocês acham
dessa afirmação? Que soluções são necessárias? Por que os governos não investem
de forma efetiva em saneamento? Vocês conseguem se lembrar de exemplos citados
no filme?
R: A questão da crise hídrica é muito complexa e por isso não é possível mencionar
apenas uma solução. Um conjunto de ações deve ser proposto levando em conta
cada contexto específico e cada realidade. O investimento em políticas públicas
voltadas a conscientização do uso racional da água, o investimento de larga escala
em obras de infra-estrutura para o tratamento do esgoto podem ser algumas das
medidas a serem adotadas. Os exemplos citados no filme apelam para a mudança de
paradigma relativo a gestão dos recursos hídricos, porém é mostrado que muitos
governos não investem no saneamento por se tratar de obras caras e que não
possuem muito impacto político. Ou seja, são obras “invisíveis” por se tratarem de
intervenções realizadas no subsolo e que geram incômodos na dinâmica da cidade,
não sendo valorizadas e reconhecidas pela população.

3) Em 2010, os países que compõem a Assembleia Geral da Organização das Nações


Unidas (ONU) decidiram incluir o direito à água potável como direito humano
fundamental. Para vocês, por que é importante compreender a água como direito
fundamental? O que isso quer dizer, e como vocês veem o papel das organizações
inter-governamentais como a ONU, por exemplo, neste debate?

R: A compreensão da água como direito fundamental é importante porque é através


de seu acesso que se torna possível garantir as condições básicas de existência do ser
humano como a manutenção de sua saúde, hábitos de higiene e os meios de prevenir
doenças. Além disso, a água é fundamental para o desenvolvimento
socioeconômico, para a produção de alimentos e energia. Nesse sentido, o papel da
ONU é garantir a cooperação dos Estados-membros nos programas relacionados a
água através da administração sustentável de seus recursos hídricos.

4) Cerca de 884 milhões de pessoas não possuem acesso à água potável, mais de 2,6
bilhões de pessoas não têm acesso a saneamento básico e estudos indicam que em
torno de 1,5 milhão de crianças de até cinco anos de idade morrem a cada ano
devido a doenças decorrentes de problemas com água e saneamento. O filme
apresenta várias situações em que a falta de acesso à água de qualidade e tratamento
de esgoto afetam profundamente a saúde das pessoas. Que exemplos de doenças
estão associadas a estas questões? O acesso à água e ao esgoto poderia minimizar os
gastos estatais com a saúde? Por que?

R: Algumas das doenças relacionadas a falta de tratamento adequado ao esgoto e a


falta d’água são a hepatite A, diarreia, cólera, giardíase, ancilostomíase (amarelão),
esquistossomose, ascaridíase (lombriga), leptospirose, febre tifoide e paratifoide,
amebíase, dentre outras. Acredito que o acesso a água de qualidade e o tratamento
adequado do esgoto pode minimizar os gastos do Estado com a saúde, bem como
melhorar a qualidade de vida das populações ao proporcionar condições básicas a
higiene. Nesse sentido é possível dizer que saúde e higiene estão diretamente
ligadas, pois para prevenir e combater muitas doenças é necessário manter hábitos
de higiene regulares com o próprio corpo, na preparação dos alimentos, na limpeza e
manutenção do ambiente em que vive.

Entrevista com familiares e amigos (3,5 pontos)

Por fim, entre outros temas muito importantes, o filme discute que nós, brasileiros,
tendemos a ver a água como recurso infinito, sem compreender nosso papel em relação
à preservação do recurso. Vamos então verificar as práticas diárias quanto ao consumo
da água? Pesquise com três familiares ou amigos (em três casas diferentes) por telefone,
videoconferência, ou e-mail as seguintes questões:

1) Ao escovar seus dentes:

( ) fecha a torneira ( ) mantém a torneira aberta ( ) às vezes fecha a torneira

2) Qual é o tempo gasta durante o banho;

( ) 10 minutos ( ) 5 minutos ( ) apenas abre o chuveiro para se molhar e para se enxaguar

3) Para irrigar as plantas em sua casa (horta, jardim, floreiras etc.) usa:

( ) água que vem da rede de tratamento ( ) água quem vem diretamente do rio, de poço
comum ou artesiano ( ) água de cisternas

4) Você costuma verificar a conta de água juntamente com seus familiares?

( ) sim ( ) não

5) Qual é a taxa mínima de consumo de água por residência?

( ) 10m³ ou 10.000 litros ( ) não existe taxa mínima ( ) 15m³ ou 15.000 litros

6) A água utilizada em sua casa costuma ser reutilizada, como por exemplo a água da
máquina de lavar, para lavar passeios, pisos e tapetes?

( ) sim ( ) não

7) A água que abastece sua casa é captada:

( ) do rio ( ) poço artesiano ( ) poço comum

Em seguida, coloque os dados em uma tabela ou quadro e insira estes dados na sua
AD2.

Resultados e análise dos dados das entrevistas:


Foram pesquisadas três pessoas de residências diferentes, sendo duas localizadas
no município de Juiz de Fora/MG e uma com localização no município de Matias
Barbosa/MG. São residências com composições familiares diferentes quanto ao número
de pessoas, mas com hábitos semelhantes no que diz respeito ao consumo de água.
Na primeira questão sobre escovar os dentes, apenas um dos entrevistados disse
que às vezes mantém a torneira fechada, enquanto os outros dois disseram que a deixam
fechada durante a escovação. Na segunda questão relativa ao banho ficou dividida entre
a duração de 5 e 10 minutos e todos os entrevistados disseram que ficam no banho
dentro dessa variação temporal. Uma entrevistada, ainda relatou que quando faz algum
tratamento no cabelo como hidratação e tintura, fica mais que 10 minutos, mas não é
diariamente. Na terceira questão sobre a irrigação de plantas, dois dos entrevistados
relataram usar a água da própria rede de tratamento, enquanto um deles disse que utiliza
água armazenada em uma de suas caixas d’água que é proveniente de uma mina
localizada no bairro.
A quarta questão foi unânime quanto aos entrevistados que disseram fazer a
conferência mensal dos gastos na conta de água juntamente com os seus familiares.
Totalidade também compreendida sobre a quinta questão em que mencionaram a não
existência de uma taxa mínima para os gastos com água. Na sexta questão, mais
específica quanto a reutilização de água da máquina de lavar, um dos entrevistados disse
fazer essa reutilização e também o uso de água da mina como relatado acima, enquanto
os demais mencionaram que a água da máquina cai direto em um cano para a rede de
esgoto. Por fim, na oitava e última questão, os entrevistados disseram que a água que
abastece suas residências são provenientes do rio. Com a especificidade do entrevistado
que possui uma caixa d’água captada da mina que existe no seu bairro, ele disse usar
somente para lavar o quintal e regar as plantas, pois não é uma água própria para o
consumo.

Pesquisa de dados (2,5 pontos)

Pesquise na internet em fontes confiáveis: (sites da prefeitura do município, do


Ministério da Saúde, do posto de saúde, agências reguladoras e etc...) as seguintes
questões sobre seu município, estado ou pais:

1) Tem rede de tratamento de esgoto em seu município?


R: Sim, possui. Existe um plano de saneamento que menciona a necessidade de
tratamento adequado ao esgoto produzido em Juiz de Fora/MG. Segundo informações
disponibilizadas no site: https://planodesaneamento.pjf.mg.gov.br, cerca de 10% do
esgoto do município recebe o tratamento adequado, enquanto o restante é lançado nos
cursos d’água. Como objetivos principais, o tratamento do esgoto visa a preservação do
meio ambiente e evitar problemas relacionados à saúde pública como as doenças
advindas das águas contaminadas e impróprias ao consumo.

2) Se não, onde o esgoto é liberado?

R: O município onde moro, Juiz de Fora/MG, possui rede de tratamento de esgoto.


Contudo, como mencionado na questão anterior, uma pequena parte possui tratamento
adequado, enquanto grande parte do esgoto produzido é lançado nos rios e em cursos
d’água. Além disso, a cidade possui muitos córregos e canais que deságuam no Rio
Paraibuna, o principal rio que corta a cidade.

3) O que é escassez qualitativa?

R: Escassez qualitativa no que se refere a água, especificamente, diz respeito a não


possibilidade de uso em virtude de alguma alteração de suas características biológicas e
físico-químicas. Dito em outras palavras, se refere a impossibilidade de utilizar a água
para o próprio consumo devido a poluição ou outro agente que altera sua qualidade e
que a torna nociva à saúde.

4) Quais são os estados brasileiros que mais sofrem com a escassez qualitativa?

R: Os Estados brasileiros que mais sofrem com a escassez qualitativa são o Estado de
São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília (na Região Sudeste e Centro-Oeste), Bahia, Piauí,
Ceará, Rio Grande do Norte (na Região Nordeste). Esses dados estão de acordo com o
levantamento realizado pelo Arqueduct Water Risk Atlas produzido pelo World
Ressources Institute (WRI) que avalia o estresse hídrico, riscos de seca e enchentes, em
cidades e regiões de 189 países. A ferramenta mencionada se fundamenta em uma
metodologia sólida a qual se baseia em revisão de pares e dados de acesso a água e
estresse hídrico em todo o mundo. São avaliados, contudo, a demanda por água em
regiões, incluindo para o uso industrial, doméstico, irrigação, consumo destinado a
pecuária, com dados que vão desde a década de 1960 a 2014, revelando a criação de um
relevante panorama para a segurança hídrica mundial.
5) Faça um levantamento sobre os casos em seu município ou estado de uma das
doenças a seguir: cólera, hepatite, giardíase (escolha apenas uma das doenças listadas
para fazer o levantamento).

R: Foi realizado um levantamento sobre as hepatites virais no município de Juiz de


Fora/MG, onde resido. Nos dados disponibilizados entre os anos de 1999 a 2020,
contabilizou-se o total de 1.421 casos de hepatites virais, sendo 188 casos de hepatite A,
328 de hepatite B, 904 de hepatite C e 1 caso de hepatite D. De acordo com a
distribuição dos dados nos gráficos e tabelas, a maior incidência de casos se deu entre
homens e com relação ao período descrito, o ano de 2015 foi o ano com a taxa mais alta
de detecção da doença do tipo C. Com relação a hepatite A, os anos com mais casos
registrados foram 2008 e 2018. Sobre a hepatite B, contudo, foi registrada alta no ano
de 2009 e o único caso de hepatite D foi registrado em 2008. Os dados mencionados
foram encontrados no seguinte endereço: http://indicadoreshepatites.aids.gov.br/
utilizando os filtros relativos ao Estado e ao município.

Referências Bibliográficas:

“Ranking mostra onde há maior risco de faltar água no Brasil e no mundo”. WRI
BRASIL, 2019. Disponível em: https://wribrasil.org.br/pt/blog/2019/08/ranking-mostra-
onde-ha-maior-risco-de-faltar-agua-no-brasil-e-no-mundo. Acesso em 23 de Outubro de
2021.

Canal FILMISTAS VIDEO AGENCY . “Água mole, pedra dura”. YouTube.


Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Wk_ibhyxEWc&t=1559s . Acesso
em 23 de outubro de 2021.

Sites consultados:

http://indicadoreshepatites.aids.gov.br/

https://planodesaneamento.pjf.mg.gov.br

https://wribrasil.org.br/pt

Você também pode gostar