Você está na página 1de 38

Faculdade Dom Luiz de Orleans e

Bragança
Farmacologia II
Farmacologia

Farmacologia do Sistema Cardiovascular


Parte 1
Prof. Me. Alex José Silveira Filho
alex.silveira@unidompedro.com

Ribeira do Pombal/BA
2021 1
Introdução

• O sistema cardiovascular ou circulatório é o


sistema responsável por garantir o transporte
nutrientes e oxigênio pelo corpo, por meio do
sangue. Esse sistema é formado pelo coração e
pelos vasos sanguíneos;
• Perfusão tecidual;
Componentes do sistema:
coração (bomba)
vasos (sistema de dutos - fechado):
artérias: coração  tecidos
veias: tecidos  coração sangue
rim  composição e volume do líquido
2
circulante
Introdução

3
Introdução

• O sistema cardiovascular também participa de diversas funções


homeostáticas:
• Regulação da pressão arterial;
• Carrega hormônios reguladores de seus locais de secreção para seus
locais de ação;
• Regulação da temperatura corporal;
• Ajustes homeostáticos em estados fisiológicos como por ex;
hemorragia e exercício.

4
Circuito Cardiovascular

Retorno Débito
venoso cardíaco

5
Circuito Cardiovascular

débito cardíaco(DC): é a intensidade ou velocidade/min pela qual o


sangue é bombeado por qualquer dos ventrículos.
DCVE = DCVD

retorno venoso(RV): é a intensidade ou velocidade pela qual o sangue


retorna aos átrios através das veias.
RVE=RVD

Circuito pequeno ou pulmonar: VD AE


Circuito grande ou sistêmico: VE AD
6
Circuito Cardiovascular

Hemodinâmica
• O termo hemodinâmica designa os princípios que governam o fluxo
sanguíneo no sistema cardiovascular;
• Conceitos de fluxo, pressão, resistência e capacitância ao fluxo
sanguíneo para o coração e do coração aos vasos sanguíneos;
• É que um conjunto de componentes físicos que constituem o
bombeamento de sangue no sistema cardiovascular em específico.
Nesse sentido, diz respeito à pressão arterial, frequência cardíaca,
fluxo sanguíneo, entre outros.

7
Hemodinâmica

Tipos e características dos vasos sanguíneos:


• Artérias: paredes grossas
tecido elástico
volume de sangue pressão
• Arteríolas: desenvolvimento de músculo liso
resistência
inervado por fibras nervosas simpáticas

8
Hemodinâmica

 Circulação:
- Lei da pressão: é máxima nas artérias, cai bruscamente nos capilares
e diminui mais nas veias, é mínima nos átrios.

- Lei da velocidade: a velocidade com a qual o sangue se desloca no


interior dos vasos depende da amplitude do leito vascular.

- o leito vascular aumenta à medida que se afasta do coração:


- é máximo ao nível dos capilares;
- diminui nas veias.

9
Hemodinâmica
 Complacência dos vasos sanguíneos:
A complacência ou capacitância de um vaso sanguíneo descreve
o volume de sangue que este vaso pode conter sob determinada
pressão.

 Pressões no sistema cardiovascular:


- as pressões não são iguais em todo o sistema;
- para o sangue fluir deve existir uma força propulsora.

10
Hemodinâmica
Pressão arterial na circulação sistêmica:
Embora a pressão arterial média seja alta e constante existem oscilações
ou pulsações.
pulsações

atividade pulsátil do coração

sístole diástole

Pressão sistólica: é a pressão arterial mais alta que pode ser medida durante
um ciclo cardíaco. É a pressão na artéria após o sangue ter sido ejetado
pelo ventrículo esquerdo.
11
Hemodinâmica

• Pressão diastólica: é a mais baixa pressão arterial que pode ser medida
durante um ciclo cardíaco. É a pressão na artéria durante o relaxamento.
• Pressão de pulso: é a diferença entre as pressões sistólicas e diastólicas.
Pode ser usada com indicador do débito sistólico.
• Pressão arterial média: é a média das pressões durante o ciclo cardíaco

12
Hemodinâmica
• Arteriosclerose: doença caracterizada pelo espessamento da parede
das artérias tornando-as mais rígidas e menos complacente.
- pressão diastólica inalterada
- pressão de pulso
- pressão arterial média

• Estenose aórtica: se a válvula aórtica sofrer uma estenose o sangue a


ser ejetado pelo ventrículo esquerdo será menor.
- débito sistólico
- pressão sistólica
- pressão de pulso
- pressão arterial média
13
Doenças Cardiovasculares

• As doenças cardiovasculares são um conjunto de problemas que atingem o


coração e os vasos sanguíneos, afetando, geralmente, mais homens do que
mulheres, em idades acima dos 50 anos. As doenças cardiovasculares estão
associadas a um conjunto de fatores, que se designam habitualmente por fatores de
risco;
• Estima-se que 17,7 milhões de pessoas morreram por doenças cardiovasculares em
2015, representando 31% de todas as mortes em nível global. Desses óbitos,
estima-se que 7,4 milhões ocorrem devido às doenças cardiovasculares e 6,7
milhões devido a acidentes vasculares cerebrais (AVCs) (PAHO/WHO, 2017);
• A maioria das doenças cardiovasculares pode ser prevenida por meio da abordagem
de fatores comportamentais de risco – como o uso de tabaco, dietas não saudáveis e
obesidade, falta de atividade física e uso nocivo do álcool –, utilizando estratégias
para a população em geral.
14
Doenças Cardiovasculares

• Os principais fatores de risco, sobre os quais pode agir e deve controlar


são:
• Sedentarismo;
• Tabagismo;
• Stress;
• Obesidade;
• Hipertensão;
• Diabetes;
• Colesterol elevado (Dislipidemia).

15
Doenças Cardiovasculares

16
Hipertensão

• A hipertensão é definida como uma pressão arterial sistólica contínua


maior do que 140 mmHg e/ou uma pressão sanguínea diastólica
contínua maior do que 90 mmHg. A hipertensão resulta do aumento do
tônus do músculo liso arteriolar vascular periférico, que leva ao
aumento da resistência arteriolar e à redução da capacitância do sistema
venoso.
• A hipertensão é uma doença amplamente prevalente, que representa um
importante fator de risco para eventos cardiovasculares adversos, como
acidente vascular cerebral, coronariopatia, doença vascular
periférica, insuficiência cardíaca e doença renal crônica.

17
Hipertensão

A HAS é uma doença crônica, que se caracteriza pela elevação constante


da pressão sanguínea nas artérias;
Clinicamente não apresenta sinais e sintomas claros;
Constantemente associada a alterações metabólicas, funcionais e
estruturais nos órgãos–alvo;
Agravada pela presença de fatores de risco;
Alta prevalência e baixas taxas de controle.

18
Hipertensão

19
Hipertensão
Etiologia da Hipertensão Arterial Sistêmica

• Mais de 90% dos casos pode ocorrer sem causas definidas ou associadas
ao surgimento e agravo de outra doenças (multifatorial);
• Hereditariedade;
• Alta prevalência com o aumento da idade;
• Negros e hispânicos tem maior incidência.

Hipertensão primária Hipertensão secundária


•Teoria do mosaico; • Doenças preexistentes;
•Disfunção nas bombas iônicas; • Doença renovascular;
•Arteríolas aferentes; • Doenças no parênquima renal;
•Aumento do tônus vascular; • Apneia do sono;
•Fatores ambientais e hereditários. • Uso de medicamentos;
• Álcool e contraceptivos. 20
Hipertensão

• Fatores que predispõem a Hipertensão Arterial


• Diabetes;
• Obesidade;
• Sedentarismo;
• Estresse;
• Tabagismo;
• Dislipidemia;
Hereditariedade
• Excesso de sal.
Idade
Gênero e Etnia
Hormônios (estrógeno)

21
Controle da Pressão Arterial

• arteríolas – resistência
SN • vênulas – capacitância
Simpático • coração - débito (fluxo)
• rins - volume

22
Controle da Pressão Arterial

23
Controle da Pressão Arterial

24
Controle da Pressão Arterial

25
Controle da Pressão Arterial

26
Hipertensão

Mecanismos de regulação da HAS:


- Sistema Renina – Angiotensina -
Aldosterona
- Sistema Nervoso Simpático
- Barorreceptores.

27
Hipertensão

28
Hipertensão- Tratamentos

29
Hipertensão- Tratamentos

30
Hipertensão- Tratamentos

31
Hipertensão- Tratamentos

32
Hipertensão- Tratamentos

33
Hipertensão- Tratamentos

34
Hipertensão- Tratamentos

35
Hipertensão- Tratamentos

36
Dúvidas?

37
Obrigado!!
Prof. Me. Alex José Silveira Filho
alex.silveira@unidompedro.com

38

Você também pode gostar