Você está na página 1de 7

Semáforos Inteligentes

Bernardo Lucas de Souza Maria Laura da Silva Marília de Araújo Cardoso


UDF - Engenharia Mecatrônica UDF - Engenharia Mecatrônica UDF - Engenharia Mecatrônica
RGM 23108568 RGM 23432217 RGM 24630373
Samambaia-DF, Brasil Brazlândia-DF, Brasil Sobradinho-DF, Brasil
bernardosaopaulino@gmail.com marylaura0205@gmail.com dearaujomarilia@gmail.com

Pedro Henrique S. Franco Wilton Magalhães Bertoldo


UDF - Engenharia Mecatrônica UDF - Engenharia Mecatrônica
RGM 23320541 RGM 24160202
Vicente Pires-DF, Brasil São Sebastião-DF, Brasil
pedro_saamp@outlook.com wiltonmb@gmail.com

pode ser acionado pelo próprio pedestre através de um


Resumo — Esse projeto foi desenvolvido para projetar botão. Neste caso o sinal verde fica por tempo
um sistema de semáforo inteligente que consiga ser mais indeterminado até ser acionado pelo pedestre em questão.
eficiente e rápido do que o semáforo convencional, e claro,
Já o do cruzamento, todos os sinais têm um tempo
mantendo a organização e a segurança do trânsito para todos
os motoristas que passarem por essas vias. determinado para ficarem, esta situação muda nos feriados
onde em ambas situações elas ficam piscando no sinal
Palavras chave — Engenharia. Semáforo Inteligente. amarelo.
Sistema Digital. Máquina de Estados. Mobilidade Urbana.
A. Evolução da Tecnologia Semafórica
I. INTRODUÇÃO
Dia 10 de dezembro de 1868 foi instalado o primeiro
O Semáforo inteligente tem como proposta otimizar o semáforo em Londres. Foi concebido por J. P. Knight,
fluxo do trânsito, ou seja, evitar paralisar um fluxo engenheiro especialista em assuntos ferroviários. Este por
desnecessariamente ou ficar mais tempo do que o sua vez tinha dois braços móveis que se acionam
necessário com um sentido desse fluxo de automóveis movendo cabos a partir de uma torre. O sistema era
parado. Diferentemente do semáforo "convencional", o parecido com o dos sinais que regulavam o trânsito
semáforo inteligente garante um trânsito mais fluido ao ferroviário (que já existiam para controlar o tráfego dos
mesmo tempo que seguro. Esse tipo de semáforo tem trens à vapor). Continha duas lâmpadas a gás com uma luz
grande utilidade em cidades metropolitanas, as quais têm vermelha e outra verde. Em 2 de janeiro de 1869, foi
um grande número de veículos e podem contribuir desabilitado por conta de uma explosão acidental que
diminuindo alguns problemas de trânsito como o provocou a morte de um agente policial.
engarrafamento, por exemplo.
Até agosto de 1914 não se voltou a instalar um
semáforo, o que aconteceu em Cleveland, no que é
II. A LÓGICA DOS SEMÁFOROS considerado o primeiro semáforo com o aspecto atual. A
invenção do semáforo bicolor elétrico é atribuída a Lester
Primeiramente é preciso entender o que é um semáforo Wire, um policial e inventor de Salt Lake City. Deve-se
e qual é a sua utilidade. Um semáforo basicamente constar que Garret Morgan, um afro-americano (nascido
controla o tráfego de automóveis e pedestres. O seu intuito em Kentucky, EUA, em 4 de março de 1877), inventou o
é basicamente evitar acidentes. O seu controle é através de sistema automático de sinais de trânsito em 1923, e depois
três LEDs das seguintes cores: vermelho, verde e amarelo. vendeu os direitos à corporação GE (General Electric).
O vermelho simboliza que é para que o carro ou pedestre Trazendo isso para a realidade brasileira, foi no centro
pararem, ou seja, não atravessarem. Já o verde é o de Brás, em 1935, que foi instalado o primeiro semáforo
contrário, significa que pode continuar a travessia. O em solo brasileiro e os automóveis começaram a parar na
amarelo, é apenas para os automóveis, significa que é para chamada Esquina da Porteira, obedecendo ao comando
reduzir a velocidade, como se fosse um aviso de que virá o das luzes. Foi definitivamente o primeiro semáforo de São
sinal vermelho. Paulo, instalado pelo Departamento de Serviço de
Os semáforos são usados geralmente em cidades Trânsito. A instalação do equipamento – aparato de última
grandes e comumente nos centros. Existem dois tipos de geração na época – tinha o objetivo principal de garantir
sinais: os para condutores de veículos e para os pedestres. mais segurança nos cruzamentos e de dividir o trânsito
Os semáforos dos condutores têm três luzes de LEDs: segundo o volume do tráfego de veículos e de pedestres.
vermelho, verde e amarelo. Já os dos pedestres tem apenas Hoje, mesmo que existam semáforos novos, faixas
o vermelho e o verde. exclusivas para ônibus, fechamento de retornos, mudanças
Vale ressaltar que são necessários dois semáforos para nos sentidos das vias, nada mais parece dar resultado no
estes dois tipos de situações: a primeira é para faixa de trânsito de grandes metrópoles. Os “gargalos” se
pedestres e a segunda para vias encruzilhadas. O primeiro multiplicam e alcançam todas as regiões. O motivo mais
simples é visível nas ruas e deve-se ao aumento quase
C. Lógica da atuação tradicional VS atuação inteligente
exponencial da frota de veículos e do apelo comercial
automobilístico que não são acompanhados por novas Um sinal de trânsito como padrão, tem o objetivo de
vias, fazendo assim com que os engarrafamentos sejam controlar o tráfego de carros na via onde está instalado,
parte da rotina dos motoristas brasileiros. porém de alguns anos pra cá tem uma incrível diferença
entre as lógicas de atuação dos mesmos.
Os semáforos automobilísticos fazem parte das vidas
urbanas há mais de um século e, nesse período, No início da década de 2000 havia sinais de trânsito
praticamente não mudaram essencialmente: contam com que funcionavam à base de controladores semafóricos, os
luzes vermelhas, amarelas e verdes para organizar o fluxo quais ficavam em total sincronia, isto é, enquanto um abre
de veículos, controlar cruzamentos e travessias de outro o outro fecha e assim por diante. Logo, estes
pedestres para evitar acidentes. Mas, atualmente, este vem controladores faziam tudo funcionar através de uma
passando por melhorias, as quais levam aos semáforos programação com três estágios, que são progressivos,
inteligentes. simultâneos e alternados, ocorre em vias de mão única
normalmente os semáforos sinalizam. O verde de forma
sequencial progressiva, o primeiro semáforo sinaliza o
B. Semáforos Inteligentes verde e os seguintes sinalizarão o verde alguns segundos
Mas, afinal, o que um semáforo precisa fazer para ser depois (normalmente o tempo de percurso entre os
considerado inteligente e como isso o diferencia de um cruzamentos, calculado de acordo com o Manual
modelo comum? Na parte mais básica, um semáforo Brasieliro De Sinalização De Trânsito [3]). Enquanto em
inteligente funciona como um modelo tradicional. Estão lá vias com canteiro central e em sentido duplo, de modo
as luzes vermelhas, amarelas e verdes, composta por simultâneo mas em alguns casos priorizando um sentido
LEDs em modelos mais atuais. Esses modelos tradicionais de tráfego na forma progressiva (maior fluxo), que em
têm um controle que permite estabelecer temporização – contrapartida pode prejudicar a fluidez no sentido oposto
ou seja, quanto tempo cada luz ficará acesa – programada (menor fluxo). Tudo isso aplicado de forma temporal do
com antecedência que varia ao longo do dia. Para dia a dia, então setados os feitos na via de horas onde
determinar essa programação, os órgãos operadores de possuem maior fluxo ou baixo fluxo, porém ainda havia
tráfego analisam questões como a variação do fluxo de seus problemas, pois a leitura não era perfeita e o
carros da via, congestionamentos e outros fenômenos que sincronismo por suas vezes não tornava mais fluído o
interferem na circulação. O que um semáforo inteligente trânsito.
tem de diferente é que ele é capaz de se adaptar às A lógica de atuação dos semáforos inteligentes
condições de trânsito em tempo real. diferencia-se, pois lida de forma automática com as
informações do sistema de sensoriamento que pode incluir
Logo, os semáforos inteligentes tem como diferencial a
câmeras de processamento de imagem e/ou sensores para
automação que otimiza o controle do tráfego através de
a coleta de dados. Esses dados são analisados por um
câmeras e/ou sensores. Se, por exemplo, na situação de
sistema de controle computadorizado e, a partir daí, há
cruzamento existirem, num dado momento, carros na via
uma variação na temporização das luzes, para que o
horizontal e nenhum na via vertical não fará sentido ficar
semáforo as mude de forma sincronizada com outros da
abrindo o sinal na vertical pois iria desnecessariamente
região.
atrasar o tráfego em questão.
A adoção de semáforos inteligentes, de maneira geral,
O objetivo é melhorar os engarrafamentos e ter assim promove maior qualidade na circulação viária. Há estudos
um trânsito mais tranquilo e seguro para os condutores. feitos no Brasil que apontam melhorias em torno de 20%
Sabendo disso, no caso dos semáforos inteligentes, o sinal a 30% no fluxo de tráfego [12; 14]. Mas isso depende de
verde ficará igual na situação dos pedestres, ou seja, ficará diversos fatores, já que a adoção de semáforos do tipo em
por tempo indeterminado até que seja acionado pelas uma pequena área pode melhorar o trânsito naquela região
câmeras e os sensores que estão vendo o trânsito das vias em detrimento da fluidez em vias adjacentes. A adoção de
em questão. semáforos ditos “inteligentes” tem que ser algo linear e
proporcional ao desenvolvimento das estradas para que
não haja impactos negativos na sua implementação.
Outros benefícios que podem ser pontuados na
implementação de semáforos inteligentes, são: auxílio na
circulação de carros durante os horários de pico;
diminuição considerável da emissão de poluentes e, ainda,
um menor desgaste das peças causado por frenagens e
arranques. Estas vantagens foram observadas no estudo
feito em São Paulo, pela Companhia de Engenharia de
Trânsito (CET).

Fig 1. Imagem ilustrativa de um cruzamento com semáforo inteligente [13]


III. MATERIAIS IV. ANÁLISE DO CIRCUITO
As características do cruzamento considerado para a Nesta seção, pretende-se apresentar os circuitos de
implementação do circuito seguem o ilustrado na seguinte semáforos inteligentes instalados no cruzamento de duas
figura: vias de mão única e do temporizador ligado a sinalização
intermediária.
Para tanto, nesta são apontadas as equações lógicas
dos circuitos e, por consequência, a devida demonstração
de todo o caminho percorrido para determiná-las (mais
detalhada no apêndice 1) e a verificação de sua veracidade
e funcionamento com auxílio de programas de simulação.

A. Desempenho dos Semáforos Inteligentes


As cores de sinalização dos semáforos de ambas as
vias são definidas pelas saídas G, Y ou R que as
representam como na figura a seguir:

Fig. 2 Ilustração do cruzamento considerado (autoria própria)

Como ilustrado na Figura 2, trata-se de cruzamento de


duas vias de mão única, no qual a via principal é
representada na vertical enquanto a via secundária está na
horizontal. Em cada via, há um semáforo veicular e um
Fig. 3 Ilustração da relação de cores (autoria própria)
sensor capaz de detectar os veículos automotores que por
ele passarem. Os semáforos inteligentes funcionarão regidos de
Existem diferentes tecnologias que podem ser acordo com as seguintes propriedades:
utilizadas para estes sensores detectores de tráfego que 1. O sensor S1 (que detecta o tráfego na via principal)
são escolhidas de acordo com a necessidade funcional e é um sinal que indica que um carro foi detectado
com as características de cada local. De acordo com o como desejando passagem no último período de
Manual Brasileiro De Sinalização De Trânsito [3], estes clock, assim como S2 (que detecta o tráfego na via
sensores podem ser laços detectores indutivos, laços secundária);
virtuais por tratamento de imagem, os detectores por
microondas, por detecção magnética, por radiação 2. Se não houver tráfego na via secundária (S2=0), o
infravermelha ou ainda detecção ultrassônica. sinal verde na via principal estará ativo (V1=G);

Quanto ao restante do circuito e olhando de forma que 3. Se no último período de clock for detectado tráfego
fosse feito em um protoboard para afins de prototipagem, apenas na via contrária à que está verde, o sinal
e que fosse aplicado apenas circuitos lógicos e algumas mudará no próximo clock;
partes eletrônicas. Pretende-se utilizar as portas lógicas 4. Se houver tráfego nas duas vias, mantém ou força a
AND, OR, NOT, XOR etc. Além de Flip-flops do tipo d, mudança para o verde na via principal, mas a saída
leds, resistores, capacitores e jumpers. V1=G poderá permanecer até um máximo de 4
As portas lógicas ajudam na dissolução de clocks consecutivos após detecção de tráfego na via
informações que são pegas pelo sistema, chamadas bits, e secundária (S2=1). A via secundária poderá ficar
para comunicação uma com as outras usamos os jumpers com o sinal verde por um período máximo de 2
que fazem a ligação entre elas, sendo assim a propriedade clocks se o sensor do tráfego na via principal
delas pode trazer o resultado programado. estiver ativo (S1=1).

Com as ligações devidamente feitas, podemos fazer 5. O tempo de sinalização amarela, para ambos os
com que todas as informações captadas em bits, possam semáforos, deve ser de 10 segundos.
sair em um único resultado, que nesse caso seriam as
luzes vermelha, amarela e verde reproduzidas por Leds de
cor igual. Para que isso aconteça é necessário aplicar
resistores que possibilitem a chegada da tensão correta
para que o tempo de vida do produto seja maximizado.
temporizador de 10 segundos, Ty, este iniciará sempre que
a ) Diagrama de Estados: o valor lógico de t for 1.
A fim de auxiliar na compreensão do comportamento
desejado dos semáforos inteligentes, segue o diagrama de Dito isso, a tabela de estados destes estados em
transição de estados: particular segue a seguinte lógica:

TABELA 2. Tabela dos Estados E e H

𝑇𝑦 𝑠1 𝑠2

000 001 010 011 100 101 110 111 V1 V2 t

E F F F F E E E E Y R 1

H x x A B H H H H R Y 1

Verifica-se, na tabela 1, que existem 8 estados


possíveis, e com isso, são necessários 3 bits para definir
cada um dos estados. Para definir os valores dos bits de
saída, deve-se primeiramente notar que cada uma das
sub-saídas deverá ser composta por três entradas , b as
quais são as entradas para o sinal vermelho, amarelo e
Fig. 4 Diagrama de Estados dos Semáforos Inteligentes verde, tanto do semáforo da via principal (V1) como da
(autoria própria) via secundária (V2). Logo, tem-se três bits para definir
estes valores, 𝐿11, 𝐿12 e 𝐿13, além dos sinais da via
b ) Tabela de Estados
secundária, 𝐿21, 𝐿22 e 𝐿23.
No presente passo, desenvolve-se o circuito
responsável pelo funcionamento do semáforo inteligente.
O ponto de partida para este desenvolvimento foi o Para isso, vamos atribuir às cores de saída os seguintes
diagrama de estados da figura 1. valores:
G » 001
Faz-se uma análise do estado atual em que se encontra Y » 010
o semáforo e verificam-se os estados subsequentes através R » 100
das entradas possíveis, as quais vêm dos sensores que
detectam a presença de veículo nos cruzamentos. Dadas as considerações acima, constrói-se as tabelas
Com isso, chega-se à tabela abaixo: verdade que se seguem.
TABELA 1. Tabela de Estados dos Semáforos
TABELA 3. Tabela de Atribuições de Estados dos Semáforos
pr_state nx_state saídas start_Ty (Ty = 0)

𝑠1𝑠2 (𝑠1 = 𝑆1 e 𝑠2 = 𝑆2) pr_state nx_state saídas

V1 V2 t 𝑇𝑦 𝑠1 𝑠2 V1 V2
00 01 10 11
𝑦3𝑦2𝑦1 000 001 010 011 𝐿13 𝐿23 𝑡
A A E A B G R 0 𝐿12 𝐿22
𝑑3𝑑2𝑑1 𝑑3𝑑2𝑑1 𝑑3𝑑2𝑑1 𝑑3𝑑2𝑑1 𝐿11 𝐿21
B x E x C G R 0
0 1
C x E x D G R 0 A = 000 000 100 000 001 0 0 0
1 0
D x x x E G R 0
0 1
E - - - - Y R 1 B = 001 x 100 x 010 0 0 0
1 0
F x F H G R G 0
0 1
G x x x H R G 0 C = 010 x 100 x 011 0 0 0
1 0
H - - - - R Y 1
0 1
D = 011 x x x 100 0 0 0
Perceba, na tabela 1, que as colunas do nx_state 1 0
(próximo estado) correspondentes aos pr_state (estados
0 1
atuais) E e H não estão preenchidas. Acontece que, para E = 100 101 101 101 101 1 0 1
que se cumpra a propriedade 5 estabelecida anteriormente, 0 0
estes estados não devem depender unicamente das
entradas dos sensores S1 e S2, mas também de um F = 101 x 101 111 110 1 0 0
0 0
(𝐿11, 𝐿12 , 𝐿13, 𝐿21, 𝐿22 e 𝐿23), além do bit 𝑡 que inicia o
0 1 temporizador do sinal amarelo.
1 0 c ) Expressões lógicas de estados, das saídas e de
G = 110 x x x 111 0 0 0
0 1
excitação:

1 0 O mapa de Karnaugh é um método gráfico usado para


H = 111 x x 000 001 0 1 1 simplificar uma equação lógica ou para converter a tabela
0 0 verdade em um circuito lógico. Através dos mapas de seis
variáveis, apresentados no apêndice 1 deste projeto,
define-se as expressões simplificadas resultantes.
TABELA 4. Tabela de Atribuições de Estados dos Semáforos
(Ty = 1) Seguem as simplificações das equações encontradas:

pr_state nx_state saídas 𝑑1 = 𝑦3(𝑠1𝑦1 + 𝑠2𝑦2 + 𝑇𝑦𝑦2 + 𝑇𝑦𝑦1) + 𝑠1𝑠2𝑦3𝑦1 + 𝑠2𝑦2𝑦1

𝑇𝑦 𝑠1 𝑠2
𝑑2 = 𝑦2𝑦3(𝑦1 + 𝑇𝑦) + 𝑠1(𝑦1 ⊕ 𝑦2)
V1 V2
𝑑3 = 𝑦2(𝑦1 ⊕ 𝑦3) + 𝑠1𝑠2 + 𝑦3(𝑦2 + 𝑦1𝑇𝑦)
𝑦3𝑦2𝑦1 100 101 110 111 𝐿13 𝐿23 t
𝐿12 𝐿22 𝐿11 = 𝑦3
𝑑3𝑑2𝑑1 𝑑3𝑑2𝑑1 𝑑3𝑑2𝑑1 𝑑3𝑑2𝑑1 𝐿11 𝐿21
𝐿12 = 𝑦3𝑦2𝑦1

0 1 𝐿13 = 𝑦3(𝑦1 + 𝑦2)


A = 000 000 100 000 001 0 0 0
1 0 𝐿21 = 𝑦3(𝑦1 ⊕ 𝑦2)

𝐿22 = 𝑦3𝑦2𝑦1
0 1
B = 001 x 100 x 010 0 0 0 𝐿23 = 𝑦3 + 𝑦2𝑦1
1 0
𝑡 = 𝑦3(𝑦1 ⊙ 𝑦2)
0 1
C = 010 x 100 x 011 0 0 0 Nas equações acima, os símbolos ⊕ 𝑒 ⊙
1 0 representam, respectivamente, as portas lógicas XOR e
XNOR.
0 1
D = 011 x x x 100 0 0 0
1 0 B. Desempenho do temporizador da sinalização amarela

0 1 Como mostrado no diagrama de estados (figura 3),


E = 100 100 100 100 100 1 0 1 para que os semáforos cumpram a propriedade 5, estes
0 0 devem permanecer por 10 segundos nos estados em que
haja sinalização amarela (estados E e H).
1 0
Uma forma de desenvolver esta propriedade é
F = 101 x 101 111 110 0 0 0
0 1 construindo um temporizador com um circuito integrado
555 na configuração monoestável.
1 0 O circuito 555 é comumente utilizado no “mercado”
G = 110 x x x 111 0 0 0 pois oferece muitas possibilidades, é de fácil acesso
0 1
comercial além de ter uma implementação prática e fácil
1 0
usando poucos componentes externos. Operando na
H = 111 111 111 111 111 0 1 1 configuração monoestável, é possível construir inúmeros
0 0 circuitos úteis em eletrônica, como por exemplo geradores
de pulso, filtros de debounce para chaves e, claro,
As tabelas 3 e 4 formam na verdade uma única tabela temporizadores.
(apresentada no apêndice 1) que pode ser usada É de suma importância observar que o 555 na
diretamente como tabela verdade para as saídas V1 e V2 e configuração monoestável necessita de um pulso para ser
as entradas 𝑦1, 𝑦2 e 𝑦3. Embora as colunas do nx_state ativado. Ao observar o comportamento da variável lógica
(próximo estado) não tenham a aparência usual de uma t, percebe-se que esta não pode ser utilizada como o pulso
tabela verdade, devido às colunas que separam cada do 555. Para tal, cria-se uma nova variável, disp, que
combinação de 𝑇𝑦, 𝑠1 e 𝑠2 , a tabela inclui todas as segue a lógica apresentada no diagrama de tempo a seguir:

informações que definem os estados seguintes em função


dos valores dos 𝑠 e 𝑦.
Decompõe-se então a tabela de atribuição de estados
para definir as equações lógicas booleanas de cada bit que
compõem os próximos estados (𝑑1, 𝑑2 e 𝑑3) e as saídas
CLK 1 0 1 0 1 0 1 0 1 0
a ) Proteus:

t 0 0 0 1 1 1 1 1 0 0

disp 1 1 1 1 0 1 1 1 1

Ty 0 0 0 0 |------------------tw---------------| 0 0

Fig. 5 Diagrama de Tempo disp do 555 (autoria própria)


Fig. 6 Simulação dos Semáforos Inteligentes no Proteus
(autoria própria)
A variável disp funciona como um detector de
sequências, que tem o valor lógico 0 ao detectar a
b) TinkerCad:
sequência 01 na variável t. Assim, o disp será o disparador
do temporizador Ty (de tw segundos) e a variável t
mudará de valor lógico ao passar para o próximo estado,
como ilustrado no diagrama de estados dos semáforos
(figura 4). Para melhor compreensão, veja o que se
apresenta no apêndice 2.
Ao aplicar este temporizador ao circuito dos
semáforos, deve-se levar em consideração a seguinte
equação:
𝑡𝑤 = 1, 1 · 𝑅1 · 𝐶1
Fig. 7 Simulação dos Semáforos Inteligentes Tinkercad
Note que o tempo de sinalização amarela, deve-se aos (autoria própria, link no apêndice 3)
valores de RC da malha externa.
Neste caso, deseja-se que o tempo seja de 10 segundos
IV. CONCLUSÃO
e adotando-se o valor usual e comercial dos capacitores
(𝐶1 = 100µ𝐹). Logo da equação anterior, obtém-se que Devido à natureza aleatória do tráfego, utilizar um
controlador de tráfego de tempo fixo, como o dos
𝑅1 = 91𝑘Ω. semáforos tradicionais, pode não ser a melhor opção, uma
Segue a esquemática da montagem do temporizador vez que é necessário fazer todo um estudo estatístico
com 555 na configuração monoestável, ainda separado do prévio e então aplicar os valores obtidos na temporização
circuito do semáforo: do semáforo. Neste contexto, o controlador de um
semáforo inteligente mostra-se superior na capacidade de
vazão do tráfego, pois sua proposta é lidar de forma
automática com as informações do sistema de
sensoriamento. Esses dados são analisados por um sistema
de controle computadorizado e, a partir daí, há uma
variação na temporização das luzes, para que o semáforo
as mude de forma sincronizada com outros da região.
O estudo realizado em engenharia de tráfego permitiu
a implementação de um sistema que simulasse um
controlador de tráfego totalmente automatizado e com
inteligência para tomar algumas decisões, como conceder
permissão de passagem apenas àquelas vias que possuem
alguma demanda.
Portanto, as simulações e todos os testes realizados
demonstraram que, aplicando os conhecimentos da
Fig. 5 Temporizador com 555 no Proteus (autoria própria) engenharia de computação na engenharia de tráfego,
pode-se elaborar um semáforo inteligente capaz de
C. Implementação do Circuito controlar o tráfego de forma eficiente.
Aqui, utiliza-se de prints de circuitos no Proteus (um Porém pela ausência do uso de alguma linguagem de
software para criação de projetos eletrônicos) e no programação, como VHDL, a tarefa simples de realizar os
Tinkercad (uma ferramenta online de design de modelos testes do projeto torna-se demasiada complexa.
3D em CAD e também de simulação de circuitos elétricos Acredita-se também que, com o uso de VHDL, seria
analógicos e digitais, desenvolvida pela Autodesk) para possível comparar o exemplo de circuito apresentado
comprovar que todos os passos foram seguidos neste projeto com os de outros semáforos inteligentes já
corretamente. implementados por empresas, como por exemplo a Semint
Semáforos [17].
Como sugestão para trabalhos futuros, seria de sumo [16] FONSECA, GUSTAVO. 17 Sinais de Trânsito Que Todo
interesse e importância realizar uma simulação do circuito Mundo Precisa Conhecer. 29 jan. 2018. Disponível em:
por este apresentado numa maquete, a fim de aprender na <https://doutormultas.com.br/sinais-transito-conhecer>
prática o manuseio e aferir as ligações dos componentes
[17] Semint Semáforos. SEMINT: Como funciona nosso
utilizados. semáforo inteligente? Youtube, 30 ago. 2013. Disponível em:
<https://youtu.be/_rs_j1qnkmQ>.

V. APÊNDICES [18] Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial.


Semáforos Inteligentes | Explica aí! ABDI. Youtube, 18 mar. 2021.
Disponível em: <https://youtu.be/IlF1AGrlpdk>.
1. Apêndice01_Semáforos Inteligentes
2. Apêndice02_Semáforos Inteligentes [19] ROGÉRIO, Lúcio. Temporizador com 555 - Simulação no
3. simulacao_tinkercad Proteus. Youtube, 1 jun. 2021. Disponível em:
<https://youtu.be/wkiE7UKgacI>.

[20] CHOFARD, Amanda C. SINALEIRO, Semáforo ou Sinal:


REFERÊNCIAS a Variação Lexical Com Os Dados Do Projeto ALiB, 2001. Disponível
em:
[1] TOCCI, R. J.; WIDMER, N. S.; MOSS, G. L; (tradução <http://www.uel.br/eventos/sepech/arqtxt/ARTIGOSANAIS_SEPECH/a
Sérgio Nascimento), “Sistemas digitais: princípios e aplicações” Pearson mandachofard.pdf>.
Education do Brasil. 12ª ed. São Paulo, 2018.
[21] Interativa Soluções, História do Semáforo. Disponível em:
[2] FLOYD, Thomas L. (tradução José Lucimar do <https://www.interativasolucoes.com.br/curiosidades/historia.html>.
Nascimento), “Sistemas digitais [recurso eletrônico] : fundamentos e
aplicações”: Bookman. Dados eletrônicos, 9ª ed. Porto Alegre, 2007. [22] ESTADÃO. Primeiro semáforo de SP foi instalado no Brás,
8 mar. 2013. Disponível em:
[3] Câmara Temática de Engenharia de Tráfego, da Sinalização <https://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,primeiro-semaforo-de-s
e da Via, gestão 2007/2009 e 2009/2011. “Manual Brasieliro De p-foi-instalado-no-bras-imp-,1005848>.
Sinalização De Trânsito – Sinalização Semafórica”, vol. V.
[23] Tecnologias para o Trânsito Seguro, ITTS. Como
[4] FELIPE, A. et al. Implantação De Semáforo Inteligente funcionam os semáforos inteligentes, 10 ago. 2020. Disponível em:
Como Solução Na Mobilidade Urbana. Jaboatão dos Guararapes: IFPE, <http://transitolivre.org.br/como-funcionam-os-semaforos-inteligentes/>.
2020.

[5] SABURO, Helio. Projeto de Controlador Inteligente para


Semáforo. Campinas: UNICAMP, 2008.

[6] RODRIGUES, A. et al Desenvolvimento de um Semáforo


Inteligente Utilizando um Arduino. Feira de Santana: Universidade de
Feira de Santana, 2019.

[7] FERNANDO, Luiz. Desenvolvimento de Um Sistema


Controlador De Semáforos Sem Fio, com monitoramento e progressão
semafórica em tempo real aplicado a cidades inteligentes. Campinas:
UNICAMP, 2020.

[8] CIRINEU, Saulo. CONTROLADOR DE TRÁFEGO:


SEMÁFORO INTELIGENTE. Brasília: UNICEUB, 2006.

[9] LUDOVICO, J. et al. Semáforos de automóveis e pedestres


utilizando Arduino. Uberlândia: UFU e UEMG, 2013.

[10] EMILLY, A. et al.Semáforo Digital com


Temporizador.Belo Horizonte: CEFET, 2016.

[11] Dorta, David. Simulacion de semáforo Inteligente. La


Laguna: Universidad de La Laguna, 2019.

[12] ITAIPU BINACIONAL. Tire As Suas Dúvidas Sobre Os


Semáforos Inteligentes Da Vila A. 21 jan. 2021. Disponível em:
<https://www.itaipu.gov.br/sala-de-imprensa/noticia/tire-suas-duvidas-so
bre-os-semaforos-inteligentes-da-vila>

[13] RODRÍGUEZ, E. Semáforos Inteligentes, la idea de


Londres para agilizar el tráfico. EL ESPAÑOL, 2018. Disponível em:
<https://www.google.com/amp/s/www.elespanol.com/omicrono/2018080
5/semaforos-inteligentes-idea-londres-agilizar-trafico/327967886_0.amp.
html>. Acesso em : 02 dez. 2021.

[14] USP, Escola Politécnica - Formando Engenheiros Líderes .


Semáforos Inteligentes. Disponível em:
<https://www.poli.usp.br/noticias/1450-semaforos-inteligentes.html>

[15] AZEREDO, Luiz Ernesto. Seis Fatores Essenciais Para O


Sincronismo Entre Semáforos. maio. 2014. Disponível em:
<https://www.sinaldetransito.com.br/artigos/seis_fatores.pdf>

Você também pode gostar