Você está na página 1de 9

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE COTIA

GESTÃO EMPRESARIAL

CARLOS HENRIQUE GOMES RIBEIRO


LARISSA SOUZA PEREIRA
TAYANE CORDEIRO DE BRITO

SCRUM: A METODOLOGIA ÁGIL

COTIA
2021
SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO ..................................................................................................3
2.CARACTERÍSTICAS DO SCRUM ....................................................................4
2.1.COMO IMPLEMENTAR O SCRUM EM SEU PROJETO? .....................5
2.2.PONTOS POSITIVOS ............................................................................6
2.3.PONTOS NEGATIVOS...........................................................................6
3.ESTUDO DE CASO...........................................................................................7
4.CONCLUSÃO ....................................................................................................8
5.BIBLIOGRAFRIA ..............................................................................................9
1. INTRODUÇÃO
Atualmente, devido à necessidade de novos métodos para desenvolver
projetos com rapidez e eficácia, gestores buscam alternativas para resoluções de
problemas, chegando assim, no método Scrum.
Sabemos que as metodologias tradicionais contam com um planejamento
rígido, com pouca flexibilidade de trabalho e desfavorece a inovação e melhorias no
produto, deixando todo o processo centrado no gerente de projeto.
Levando em consideração que a metodologia tradicional segue um modelo
sequencial, também conhecido como modelo cascata, com base nisso e visando
flexibilizar e melhorar esse processo foi desenvolvido a metodologia ágil – Scrum –
com a premissa de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo.
Também será apresentado um estudo de caso da empresa Reconlog que
utilizou o Scrum em seu projeto Megafone, para ampliar de maneira rápida e positiva
seu número de cliente.
2. CARACTERÍSTICAS DO SCRUM
O Scrum foi visto pela primeira vez em um artigo da Harvard Business
Review, em 1986 e nomeado como “The New New Product Development Game",
com a tradução em português "O Novo Jogo de Desenvolvimento de Novos
Produtos".
A palavra “jogo” foi colocada estrategicamente porque eles baseavam seu
estudo em uma partida de Rugby, nele contém uma jogada conhecida como Scrum,
que consiste em reiniciar o jogo, com isso cada integrante da equipe utiliza suas
competências para conquistar um objetivo em comum. E assim, novas etapas
seriam iniciadas, como em um passo de Rugby.
Em 1995, Jeff Sutherland e J.J. Sutherland publicaram o livro "Scrum
Development Process", conhecido no Brasil como “A Arte De Fazer O Dobro Do
Trabalho Na Metade Do tempo”, dividido em nove capítulos que cada um narra uma
etapa para implementação do Scrum.
O livro apresenta alguns termos para a melhor compreensão do Scrum:

• Backlog: É a lista de tarefas que demonstra as prioridades do produto


que será produzido e é também considerado o mapa do produto,
criado pelo Product Owner, e precisa ser atualizado nas Sprints pelo
time.

• Product Owner: É o dono do produto, o responsável pelas


especificações, criação da Backlog e é o único com a visão do que a
equipe irá produzir. Escreve os cases em conjunto ao Scrum Master.

• Scrum Master: Denominado como o líder, e tem o maior conhecimento


sobre o projeto, por isso é o responsável por fortalecer o trabalho da
equipe e garantir que todos entendam sua importância no projeto. E
uma de suas habilidades é a comunicação e a facilitação.
• Time: O Time Scrum é composto pelo Product Owner, o Time de
Desenvolvimento e o Scrum Master. O número ideal são sete
pessoas, e eles possuem a característica de serem auto-organizáveis
e multidisciplinar.

• Daily Scrum: reuniões diárias em que os indivíduos permanecem em


pé para a agilizar o tempo que não pode ultrapassar de quinze
minutos e deve ter as três perguntas para serem discutidas: “O que
eu fiz ontem? O que eu planejo fazer hoje? Há algum obstáculo?” e
deve ser acompanhada pelo time de Sprint.

• Sprint: Utilizada para limitar o tempo que pode sofrer a variação de


uma a quatro semanas, de acordo com a produtividade do time, na
sprint também é medido a velocidade que o time trabalha, e uma vez
estabelecida não pode ser alterada até o fim do projeto. Com essa
definição a Sprint pode ser considerada um projeto, uma vez que tem
cronograma, plano de execução e uma expectativa de resultado.

2.1. COMO IMPLEMENTAR O SCRUM EM SEU PROJETO?


O primeiro passo é definir um objetivo, algo que se encaixe em seu projeto e
que possa ser executado por um time em um determinado período, conhecida como
Sprint, esse objetivo entra em vários segmentos, por exemplo: projeto de reforma
residencial, o primeiro passo é estabelecer o tempo de entrega e já montar o
cronograma, e assim define-se as etapas do projeto e o que será executado em
cada uma.
O passo seguinte é escolher o Product Ower, montar o Time – que deve ter
sete pessoas – podendo acrescentar ou retirar duas, quanto mais pessoas no
projeto mais demorado, caro e ineficaz ele se torna, segundo o autor de “A arte de
fazer o dobro do trabalho com a metade do tempo”. O time precisa também ser
diversificado e multidisciplinar, tendo autonomia para tomada de decisão
independente do cargo com o foco no resultado. Com o time estabelecido, podemos
definir quem será o Scrum Master para liderar e planejar de acordo com as
prioridades do Backlog e definir o Sprint.
Com o projeto iniciado, adota-se o Daily Scrum, que são as reuniões diárias
com a equipe, com notas adesivas e adotam a revisão e retrospectiva do projeto
para opinar e analisar o que foi realizado durante o projeto.

2.2. PONTOS POSITIVOS


• Alterar ou reordenar as prioridades: o Scrum Master consegue modificar o
Backlog de acordo com a necessidade do projeto;
• Redução das falhas: O foco da metodologia na qualidade faz com que ocorra
redução de retrabalho após as revisões efetuadas;
• Transparência: O Scrum permite que o projeto seja observado e
acompanhado por todos os membros do time, algo em que gestões
tradicionais não ocorrem;
• Gestão de tempo: Com o Sprint e o Daily Scrum as datas e cronogramas são
organizados de forma mais efetiva, e logo entrega-se o trabalho em tempo
hábil;
• Trabalho mais colaborativo: O Daily faz com que a equipe se motivem uns
aos outros, compartilhando as dificuldades e colaborando com ideias para
sanar os erros;
• Daily Scrum: o quadro de tarefas “To Do”, “Doing” e “Done” estimula os
colaboradores a finalizarem as tarefas para que atualizem o status para
“Done” (finalizado).

2.3. PONTOS NEGATIVOS


• Desordem nas funções: Sem os cargos do time definidos podem gerar
problemas de comunicação e execução do projeto;
• Todos possuem autonomia para a tomada de decisões, o que pode causar
atraso na entrega e conflito de poder;
• Ausência de documentação: Por não registrarem a execução do projeto e
sempre estar aberto a mudanças não existe um padrão a ser seguido, e sem
histórico não é possível analisar o começo e meio do projeto;
• Visão segmentada: A segmentação e a tentativa de ser rápido e ágil pode
levar a equipe a ter perdas de perspectiva do projeto e assim causando falhas
para concluir o cronograma do projeto.
• Alterações de prazos: As modificações contínuas no projeto geram acréscimo
de prazo para entrega, causando desgastes com os clientes e em novas
negociações;
• Dificuldade para encontrar um Scrum Master: por existir muitas metodologias
ágeis no mercado, é difícil encontram um especialista em Scrum que tenha as
habilidades para liderar o projeto.

3. ESTUDO DE CASO
Empresa Reconlog, projeto Megafone:
O que é a empresa, qual a necessidade
Há mais de 10 anos no mercado, a RECONLOG focou em revolucionar o
mercado de estruturas modulares, investindo em tecnologia avançada de maneira
disruptiva. Isso também se aplica ao seu polo fabril (que possui 43 mil m²),
profissionais e equipe altamente capacitados para atender as demandas
mercadológicas.
Com a visão de ser referência nacional e internacional para o mercado de
armazenagem, investindo de maneira constante em recursos tecnológicos para
alcançar a liderança no setor, houve a necessidade de realizar uma estratégia de
marca, para ampliar seu mercado.
Pensando neste novo projeto e na rapidez que o Ceo desejava foi escolhido
como estratégia a utilização da metodologia Scrum.
O Product Owner elaborou um projeto com o intuito de realizar uma
estratégia de Marketing, a qual foi desenvolvida para o fortalecimento da marca e
consequentemente abranger uma nova segmentação de mercado.
O projeto Megafone trata-se de enviar uma carta timbrada do Presidente da
Reconlog junto com um catálogo para os Presidentes/Ceo’s de grandes companhias
afim de gerar interesse e curiosidade dos produtos e valores da empresa.
Para encaminhar a carta é necessário a atualização de dados, que será
realizada por um dos integrantes do time, para buscar o endereço, e-mail e nome
completo dos destinatários.
Foi criado a Backlog que contempla o cronograma detalhado das ações, a
duração do projeto, o número de pessoas no time e como será realizado a operação
para essa estratégia.
O Scrum Master quem efetuou as contratações da equipe, focou na
multidisciplinariedade de cada pessoa, e montou um time com quatro colaboradores.
Com o objetivo de cada integrante atuar em pontos específicos para chegar no
resultado esperado.
A integração foi realizada no primeiro dia, o Scrum Master apresentou o
Backlog do projeto para o time, explicando o objetivo (fortalecimento da marca),
cronograma (três meses para toda a execução do projeto) e metas a serem
alcançadas (número desejado de prospecções).
A operação começa com o Daily, que é uma reunião do “bom dia” de quinze
minutos para demonstrar onde estão, o que planejam e onde pretendem chegar. E
finaliza com o Daily de encerramento, que o time apresenta para o Scrum Master
seus resultados, e já discutem o que será trabalhado no dia seguinte.
Com o projeto em andamento, entra em ação o Sprint, que contabiliza as
metas diárias de cada componente do time, ou seja, número de atualizações diárias,
quantidade de cartas enviadas e quantas prospecções devem ser feitas dentro do
tempo determinado pelo Product Owner.

4. CONCLUSÃO
Baseado no trabalho apresentado podemos concluir que muitas empresas
de médio e grande porte utilizam o método Scrum para seus projetos e processos
devido a rapidez nos resultados, garantindo assim que pessoas de diferentes
habilidades possam trabalhar juntas para atingir o mesmo objetivo, porém com a
autonomia fornecida a todo o time, perde-se o histórico de mudanças do projeto,
ocasionando assim mudanças frequentes nos prazos de entregas dos
produtos/serviços. E isso pode acarretar problemas com clientes atuais e futuros.
Como observado no estudo de caso o Scrum é frequentemente utilizado
para novos projetos, tem um ciclo e é todo desenvolvido antes de ser executado,
assim consegue-se prevenir algumas falhas durante o processo, e com o objetivo
final estabelecido, cada membro do time segue o seu objetivo para alcançar o
resultado esperado.
5. BIBLIOGRAFRIA

Disponível em:
https://www.voitto.com.br/blog/artigo/surgimento-do-scrum;
https://www.treinaweb.com.br/blog/metodologias-agil-x-tradicional-quais-as-
diferencas;
https://www.bibliothinking.com/post/resenha-scrum-a-arte-de-fazer-o-dobro-do-
trabalho-na-metade-do-tempo;
https://artia.com/blog/sprint/;
https://mindmaster.com.br/como-implantar-scrum/;
https://www.reconlog.com.br/institucional.

Sutherland, J. (2016). A Arte De Fazer O Dobro Do Trabalho Na Metade Do Tempo.


São Paulo: Leya Brasil.

Você também pode gostar