Você está na página 1de 5

MERCADO DE CAPITAIS

Roberto Neves da Silva¹


Denir Bonin Junior²

1. INTRODUÇÃO
Mercado de capitais é um conjunto de divisão de valores proporcionando o fluxo
de títulos que viabiliza a técnica de capitalização, é formado pelas bolsas de valores,
corretoras e instituições financeiras permitidas a exercer tal função.
O mercado de capitais como dito acima trabalha com os seguintes tipos de
investimentos, produtos de renda fixa que são: CDB (certificado de depósito bancário),
LCI (letras de crédito imobiliário), letras de crédito do agronegócio, debêntures e títulos
públicos federais e os produtos de renda variável que são: as ações e mercado de
derivativos.
Existe uma grande diferença entre renda fixa e renda variável, renda fixa se tem
uma previsibilidade de retorno da pra calcular quanto seu investimento vai render, tem
pouca exposição a riscos, as aplicações são bem mais simples e um retorno bem menor.
Na renda variável não tem como prever a rentabilidade, em um dia você pode
ganhar muito e no outro você pode perder muito, o investidor fica muito mais exposto aos
riscos, investimentos são mais complicados mas com um retorno bem maior.
Com a globalização que definiu um aumento nas negociações entre os países o
mercado acionário vem aumentando cada vez mais no cenário financeiro internacional, a
essa inclinação mundial os países que estão em desenvolvimento buscam abrir suas
economias para os investidores, porquê uma economia bem desenvolvida, mais atuante é
o seu mercado de capitais.
Com isso abriu caminho para as pessoas físicas também investirem no mercado de
capitais, os mais jovens estão cada vez menos inclinados a seguir o ciclo de trabalhar,
contribuir rigorosamente com o INSS por anos para poder se aposentar, a bolsa de valores
é uma alternativa de conseguir bons investimentos, mas tem uma grande chance de se
perder tudo o que se tem fazendo investimentos arriscados.

Neste paper irei falar um pouco sobre o mercado de ações, embora tenha feito
uma breve explanação de outra formas de investimentos, na fundamentação teórica me
detive somente em investimentos em ações.

1 - Roberto Neves da Silva – acadêmico Curso Bacharel de Administração


2 - Denir Bonin Junior
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI - Curso 2198ADG – Prática do Módulo III 01/06/2021
2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Empresários buscando capitalizações para suas empresas em busca de um
financiamento para seus projetos, colocam partes dos seus títulos ativos à venda, títulos esse
que são negociados por meio de ações na bolsa de valores, a pessoa que comprar determinada
ação torna-se sócio ou dono de parte de uma empresa, sendo assim esse acionário poderá ter
voz ativa em um conselho de acionistas dependendo da forma que adquirir e número de ações
compradas.
De acordo com Famá, Machado (2011 p,5) “A Governança Corporativa, por sua
vez, reduz o risco e gera melhor precificação das ações, motivando novas aberturas de capital
por parte das empresas. Se é correto afirmar que quanto mais rígida a regulamentação de um
país quanto a proteção aos direitos dos acionistas, mais forte é o seu mercado [...]”
Apesar de embrionário, o ambiente de investimentos, assim como em outros países
em desenvolvimento está em ebulição, com empresas focadas em analises de
ações, indicações de carteiras e fundos, sugerindo não só nas grandes capitais, mas
inclusive em cidade do interior. Diante de uma profusão de ofertas e expostos a
campanhas de marketing, é comum que o cidadão ainda inexperiente se sinta
perdido e confie seu dinheiro a esses profissionais ao fazer o primeiro
investimento fora da poupança, acreditando na promessa de lucros milagrosos. A
verdade, entretanto, é que não existe assessoria isenta no mercado de capitais.
Saber escolher por si só onde é melhor aplicar seu dinheiro garante um retorno de
capital sempre muito mais atrativo. (NIGRO 2018 p,14)
Para se conseguir a independência financeira é simples, refere-se ao mecanismo
continuo em que os valores dos rendimentos das aplicações consigam cobrir todos os gastos
fixos e variáveis de todo o período das aplicações, acontecendo isso pode se dizer que
determinada pessoa conseguiu atingir a independência financeira porquê nesta fase o próprio
capital investido fara todo o trabalho gerando renda mensal suficiente para não precisar
trabalhar por um período ou para sempre.
De acordo com o site BLOG.RICO (2017). Com a valorização da bolsa de valores
de São Paulo investidores viram grandes oportunidades que adotam tácticas distintas, desde
investidores que operam nos day trade, até os investidores conservadores que adquirem ações
para ter rentabilidade a longo prazo longo prazo.

1 - Roberto Neves da Silva – acadêmico Curso Bacharel de Administração


2 - Denir Bonin Junior
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI - Curso 2198ADG – Prática do Módulo III 01/06/2021
O gráfico acima mostra um aumento das pessoas físicas investindo em ações de
2006 a 2009, após a crise financeira mundial iniciada nos EUA em 2008 precipitada pela
falência do tradicional banco de investimento norte-americano Lehman Brothers teve uma
queda significativa destes investimentos e só em 2016 quase dez anos após a falência o
mercado financeiro volto a dar um ar de um pequeno crescimento novamente.

Os perfis destes investidores são: moderados e agressivos, os moderados são


investidores que gostam de se ariscar um pouco mais, esse tipo de investidor quer ter uma
rentabilidade maior, mas sempre fica com um pé atrás pra fazer grandes investimentos, já os
agressivos estão sempre dispostos a correr grandes riscos estão sempre buscando grandes
investimentos, aplicando em ações e fundos de ações, fazendo assim o retorno pode ser bem
compensatório.

Visando suprir a necessidade de aplicação de melhores práticas de governança, a


bolsa de valores de São Paulo criou, em dezembro de 2000, os níveis diferenciados
de governança, proporcionando um ambiente de negociação que estimulasse o
interesse dos investidores e a valorização das companhias. As diferenças entre os
seguimentos elencadas no quadro 2. Resumidamente, pode-se dizer que as empresas
que aderem aos níveis 1 e 2 devem evitar a concentração acionaria. O nível 2 busca
oferecer ao acionista minoritário direitos adicionais como forma de incentivar a
participação de pequenos investidores. (Fáma, Machado 2011 p, 9,10)

1 - Roberto Neves da Silva – acadêmico Curso Bacharel de Administração


2 - Denir Bonin Junior
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI - Curso 2198ADG – Prática do Módulo III 01/06/2021
De acordo com Fáma e Machado (2011) Com a abertura dos capitais ambas as
parte tem benefícios tanto o empresário quando o investidor as empresas vão ser mais vistas,
vão ter um credibilidade no mercado, suas ações vão se valorizar ainda mais, o investidor vai
ter uma maior segurança, vai ter uma redução dos riscos em seus investimentos, investimentos
vão ser mais rentáveis.

3. RESULTADOS E DISCUSSÕES
Fonte: BM & FBOVESPA
Com a leitura de vários textos de diferentes autores percebi que todos focam num
mesmo ponto, investir dinheiro para não precisar trabalhar mais, ou ter pelo menos uma
renda extra bem mais atrativa, mas para tais investimentos precisa-se ter um bom e
tradicional pé-de-meia e consciência do que se está fazendo, porquê uma pessoa leiga não
poderia se ariscar desta forma sem um determinado conhecimento ou um especialista para
ajudá-la.
Li sobre jovens que estão querendo entrar no mercado financeiro para não
trabalhar mais, é valido também mas não sei se pra esses jovens não trabalhar mais seria
bom, por não ter uma vida profissional ativa, já alguns aposentado que trabalharam toda
vida e juntou dinheiro e agora queira disfrutar de uma vida mais cômoda e tranquila e
sabendo como aplicar ou tendo uma boa acessória para tais investimentos seria muito
bom.
Estas empresas que abrem seus capitais para novos investidores fazem um ótimo
serviço dão oportunidades e se desenvolvem, com estes financiamentos proporcionam
produtos e pesquisas novas, proporcionando uma economia próspera para a sociedade
quando trabalham com seriedade.
Se as pequenas empresas conseguissem abrir seus capitais desta forma elas iriam
se desenvolver, fazendo isso conseguiriam abrir postos de trabalho e com isso diminuiria a
taxa de desemprego em grande parte, com isso ajudariam no desenvolvimento do pais
com arrecadação de impostos, mas num pais sem corrupção onde o dinheiro arrecadado
iria voltar para a população na forma de serviços bem prestados.
Mas para muitos de nós, nos resta trabalhar economizar algum dinheiro e investir
e continuar trabalhando e desfrutando dos rendimentos dos investimentos, assim o
investidor contribui com ele e com o próximo não ficando obsoleto no mercado de
trabalho.

1 - Roberto Neves da Silva – acadêmico Curso Bacharel de Administração


2 - Denir Bonin Junior
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI - Curso 2198ADG – Prática do Módulo III 01/06/2021
4. REFERÊNCIAS
BLOG.RICO. O Que é o Mercado de Capitais, Como Funciona, Dicas Para Investir.
[S. l.], 18 jan. 2017. Disponível em: <https://blog.rico.com.vc/mercado-de-capitais-guia-
completo>. Acesso em: 13 maio 2021.
CAPITALNOW. O que é mercado de capitais e como ele funciona. [S. l.], 15 maio
2020. Disponível em: <https://www.capitalresearch.com.br/blog/investimentos/o-que-e-
mercado-de-capitais/>. Acesso em: 13 maio 2021.
FAMÁ, Rubens; MACHADO, Julio Henrique. Ativos intangíveis e governança
corporativa no mercado de capitais brasileiro. [s. l.], v. 8, ed. 16, 1 nov. 2011
NIGRO, Tiago. Do Mil a Um Milhão: Sem Cortar o Cafezinho. 1. ed. rev. Rio de
Janeiro: Harper Collins, 2018. 224 p. ISBN 9788595084421.

1 - Roberto Neves da Silva – acadêmico Curso Bacharel de Administração


2 - Denir Bonin Junior
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI - Curso 2198ADG – Prática do Módulo III 01/06/2021

Você também pode gostar