Você está na página 1de 3

ROTEIRO SUGESTIVO PARA PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO

Sumário – Constar o nome de todos os capítulos, títulos e subtítulos, e números de páginas.

Identificação – A escola apresenta seus dados de identificação (nome, endereço...)

Introdução - A escola/instituição apresenta seu projeto político pedagógico, explicitando suas


concepções quanto a esta matéria e relata aspectos que julgar importantes do processo de
elaboração do documento, incluindo envolvimento com as famílias, comunidade, conforme
aponta a letra “c”, do artigo 10 da Resolução 003/01 do CME. A redação desta parte deve ser
feita ao final do processo.

Histórico – Apresentar a história da escola; como surgiu, por quê, em que ano teve origem,
como é mantida, para qual comunidade, houve mudanças de sede, qual a influência do trabalho
realizado pela escola na comunidade.

Diagnóstico - Descrever como é a comunidade e a situação do entorno da escola, características


da comunidade (culturais e sociais), situação socioeconômica das famílias atendidas, como
acontece a inserção da escola nesta comunidade (relações), diagnóstico da realidade global na
qual a instituição está inserida (cidade, bairro), explicitar como a instituição “vê” o mundo ao
seu redor.

Fundamentos - A escola/instituição apresenta as concepções/visões/princípios que norteiam seu


projeto político pedagógico, detalha como embasa suas concepções no que se refere a: criança,
infância, desenvolvimento infantil, aprendizagem, escola e educadores; como prevê e pensa a
educação inclusiva, o acolhimento às diferenças de gênero, etnia, raça e religião. Definir sua
linha pedagógica e quais teóricos utilizados para embasar sua prática pedagógica diária. Levar
em conta os princípíos:

• Filosóficos: Visão de mundo, sociedade, homem, conhecimento, criança, infância, instituição


de Educação Infantil, educador/a.

• Socioantropológicos: Visão do contexto sociocultural das crianças e de suas famílias,


concepções sobre as relações com as famílias, com a comunidade, com outras entidades,
movimentos sociais, órgãos da cidade.

• Psicopedagógicos: Visão de desenvolvimento infantil, de ensino-aprendizagem, de construção


do conhecimento.

Planejamento – Explicitar a concepção de planejamento e a organização interna (espaços e


tempos), fundamentando com base em referencial teórico. Como planeja sua ação educativa,
como organiza os espaços e tempos, como faz as reuniões, com que periodicidade, quem
participa, quem planeja, como documenta e registra o planejamento.
Organização da ação educativa - Explicitar como a escola/instituição planeja a ação didático-
pedagógica, qual metodologia é utilizada (pedagogia de projetos, rede temática, tema gerador,
linguagens geradoras...), bem como a fundamentação teórica que a sustenta. Explicitar quais
eixos de trabalho são priorizados e como garantem acesso às diferentes manifestações culturais,
respeitando as diversas linguagens e expressões, como promove a integração entre elas, como
integra as diversas áreas do conhecimento e os aspectos da vida cidadã numa abordagem
interdisciplinar. Resolução 003/01, artigo 10, do CME.

Acompanhamento e registro – Explicitar concepções e critérios sobre a avaliação. Explicar


como avaliam, para quê, quem participa do processo, como documentam, qual a periodicidade.
Esclarecer o que compõe o documento final (relatório, ficha, produções das crianças,
portfólio...), de que maneira é entregue e para quem. Informar que é avaliado: crianças,
profissionais, escola, comunidade, família.

Organização dos grupos etários – Definir como estão organizados os grupos e quais os
critérios utilizados para esta classificação, nome dos grupos e se há diferença na organização
entre os turnos. Citar a legislação referente ao número de crianças e adultos que as atendem, e
também a relação criança/m².
Citar a Resolução 003/01 – CME e a Lei Complementar nº544/06 – SMOV.

Organização do Ambiente Físico - Apresentar o espaço físico destacando a funcionalidade dos


ambientes relacionando com a fundamentação pedagógica de opção da escola. Não são
necessários o detalhamento do ambiente e a descrição do mobiliário. Preferencialmente, utilizar
seu referencial teórico.

Equipe Multiprofissional – Apresentar toda a equipe que trabalha na escola, não colocando as
suas atribuições, mas sim a inserção destes profissionais no currículo da escola. Informar se há
atividades/oficinas extras, definindo por que são oferecidas e como acontecem. No caso de
serem opcionais, explicitar como é o atendimento às crianças que não participam destas. Citar a
formação dos profissionais e se está em conformidade com a Resolução 003/01-CME, nos
artigos 12, 13, 14, 17.

Referências - Item no qual a escola coloca as referências bibliográficas e/ou virtuais que foram
utilizadas na construção do Projeto Político-Pedagógico.

Dicas
- Evitar nomes próprios, ano e números que possam ser alterados anualmente;
- Entregar cópia sem encadernar;
- Fazer correção ortográfica geral do texto;
- Não fazer cópias de sites da Internet, a não ser que sejam mencionados nas referências;
- Na edição final utilizar as normas da ABNT;
- Não ilustrar com fotos e outros anexos.
Referências deste roteiro:
ARROYO, Miguel. Construção da proposta político-pedagógica da rede municipal de Belo
Horizonte. In: Espaços da escola. Ano 4, n. 13. Ijuí, Unijuí, 1994.
KLINGELFUS, Nora Lúcia. A rede dos saberes que se entrelaçam. (xerox)
SANTIAGO, Anna Rosa F. Projeto político-pedagógico da escola: desafio à organização dos
educadores. In: VEIGA, Ilma P. A. (org.) Projeto político-pedagógico da escola: uma
construção possível. Campinas: Papirus, 1996.
SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses
sobre educação e política. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1983.
TENTOR, Sônia Bastos. Projeto político – pedagógico: pressupostos básicos que devem nortear
a estruturação da proposta. In: Revista do Professor. POA, 16 (62), p. 43-44, abr/jun 2000.
VEIGA, Ilma P. A. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção coletiva. In: VEIGA,
Ilma P. A. (org.). Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. Campinas:
Papirus, 1996.