Você está na página 1de 2
GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED DEPARTAMENTAMENTO DE APOIO AO SISTEMA

GOVERNO DE SERGIPE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO - SEED DEPARTAMENTAMENTO DE APOIO AO SISTEMA EDUCACIONAL – DASE POLO DE LAGARTO HISTÓRIA Prof. Ivan Paulo

ROMA (resumo esquemático)

I

MEIO FÍSICO-GEOGRÁFICO:

-

Localização: Península Itálica.

-

Solo fértil e litoral pouco recortado.

II

POVOAMENTO DA PENÍNSULA ITÁLICA:

-

Gauleses: norte.

-

Etruscos: centro, na antiga Etrúria. (atual Toscana)

-

Latinos: centro.

-

Gregos: sul (Magna Grécia).

III

ORIGEM DE ROMA:

-

Lendária: Rômulo e Remo (753 a.C.)

-

Histórica: Roma foi fundada como um forte (fortaleza) pelos latinos para se defenderem dos ataques etruscos (1000 a.C.):

região do Lácio.

-

Os povos mais significativos na formação de Roma são os latinos, os sabinos e os etruscos.

-

Foram os etruscos os responsáveis pela transformação da aldeia romana em cidade: na fase final da realeza, Roma foi dominada pelos etruscos.

IV

EVOLUCÃO POLÍTICA DE ROMA:

-

Monarquia (753 a 509 a.C.).

-

República (509 a 27 a.C.).

-

Império (27 a.C. a 476 d.C.).

V

A MONARQUIA ROMANA:

-

Órgãos políticos:

Realeza: Rômulo, Numa Pompílio, Túlio Hostílio, Anco Márcio, Tarquínio Prisco (o Antigo), Sérvio Túlio e Tarquínio (o Soberbo). Conselho dos Anciãos ou Senado. Assembléia ou Cúria (divisão das tribos romanas).

-

Sociedade: Estamental.

-

Patrícios: cidadãos aristocracia.

-

Plebeus: livres, sem direitos políticos, pequenos proprietários, artesãos e comerciantes representavam a maioria da população.

-

Clientes: plebeus que viviam agregados as famílias patrícias.

-

Escravos: prisioneiros de guerra, instrumentos de trabalho nessa fase ainda não eram os responsáveis pela produção do excedente.

-

O Golpe dos Patrícios (509 a.C.):

-

Os patrícios, através do Senado, derrubaram o último rei de Roma, o etrusco Tarqüínio, o Soberbo.

-

Motivo: o absolutismo real.

-

Objetivo: controlar diretamente o poder.

-

Conseqüências: deposição do rei, extinção da monarquia e implantação da República.

VI

A REPÚBLICA:

Estrutura Administrativa: Instituições republicanas.

A)

Senado: órgão máximo controlava toda a administração, as finanças e decidia pela guerra ou pela paz.

B)

Magistraturas:

-

Cônsules: chefia da república.

-

Pretor: justiça.

-

Censor: censo da população.

-

Edil: conservação das construções públicas.

-

Questor: tesouro público.

-

Ditador: governava com plenos poderes, 6 meses, em caso de graves crises.

C)

Assembléias

-

Assembléias: patrícios e plebeus.

-

Assembléia Centurial: voto.

-

Assembléia Curial: assuntos religiosos.

-

Assembléia Tribal: escolhia questores e edis.

Lutas Sociais: conflitos entre plebeus e patrícios.

A)

Motivo: a marginalização política dos plebeus.

B)

Importância social: integravam o exército, pagavam impostos, garantiam a segurança de Roma, participação na economia.

C)

Protesto: greve e abandonaram Roma. (greves do Monte Sagrado).

D)

Conquistas plebéias:

-

Tribuno da Plebe (comício da plebe plebiscito): vetar leis que prejudicassem os plebeus assembléia centuriata.

-

Lei das Doze Tábuas: leis escritas limitaram as arbitrariedades.

-

Lei Canuléia: casamento entre plebeus e patrícios.

-

Eleição dos magistrados plebeus: inclusive cônsul.

-

Lei Licínia-Sêxtia: proibição da escravidão por dívida:

depois, a escravidão de romanos foi proibida.

O Expansionismo Romano:

Etapas:

A)

Conquista da Península Itálica: obter alimentos e defesa.

B)

Conquista do Mediterrâneo Ocidental:

-

Guerras Púnicas.

-

Roma X Cartago (antiga colônia fenícia, agora uma potência marítima e comercial).

-

Motivos: o avanço imperialista romano, a disputa pela Sicília e o controle comercial do Mediterrâneo.

-

Vitória de Roma: abriu as portas do Mediterrâneo a Roma.

C)

Conquista do Mediterrâneo Oriental: Macedônia, Grécia, Egito, Ásia Menor, Síria.

D)

Conseqüências:

-

grande afluxo de riquezas.

-

Formação de latifúndios e ruína dos pequenos proprietários.

-

Aumento da escravidão: modo de produção escravista.

-

Êxodo rural.

-

Empobrecimento da plebe.

-

Formação de uma nova classe social: os cavaleiros (comerciantes) homens novos.

-

Crise da República: instabilidade política e social.

As Lutas Civis

A)

As Reformas dos Irmãos Graco: em favor da plebe.

Tibério Graco: Tribuno da Plebe.

- Reforma agrária.

- Foi assassinado.

Caio Graco: Tribuno da Plebe.

- Lei Frumentária: venda de trigo mais barato para a plebe.

- Reforma agrária.

- Foi eliminado.

Obs: As propostas foram aprovadas pela Assembléia Popular e obstaculizadas pelo Senado.

B) As Ditaduras dos Generais Políticos: disputa entre facções do exército pelo controle do poder em benefício próprio.

- Lei do Colonato: obrigatoriedade de fixação do colono à terra (vila) que trabalhava.

Teodósio:

Mário (Cônsul): governo popular.

-

Edito de Tessalônica: oficializou o cristianismo.

 

-

instituição do soldo para os soldados (profissionalização do exército).

-

Divisão do Império Romano: Império Romano do Ocidente (capital Roma) e Império Romano de Oriente (capital Constantinopla ou Bizâncio).

Sila (Cônsul): governo conservador.

atual Istambul, Turquia.

 

-

governo violento, antipopular e agravamento da situação social.

C)

Decadência do Império Romano:

-

Os Triunviratos: acordos entre políticos e generais para

 

controlar o poder (controle do Estado) acentuaram a

Fatores:

instabilidade política republicana.

- o imperialismo romano.

 

- as guerras civis.

C)

1º Triunvirato: Pompeu, Júlio César e Crasso (Cônsules).

- a ascensão do cristianismo.

 

-

Crasso morre.

- a crise econômica.

-

Rivalidade entre os cônsules (triunviros).

- a volta para uma economia rural de subsistência.

-

Pompeu é proclamado cônsul único, destituindo Júlio César.

- a anarquia militar.

-

Júlio César derrota Pompeu.

- a crise do escravismo.

-

Ditadura de Júlio César:

- as invasões bárbaras.

-

apoio do exército e da plebe.

-

Oposição do Senado que não aceitava nem o despotismo nem

Queda de Roma:

 

aproximação do “Tirano” com a plebe e temia a restauração da monarquia.

a

-

em 476, os hérulos, invadiram a cidade de Roma e derrubaram o último imperador romano, Rômulo Augusto.

 

-

Foi assassinado por uma conspiração promovida pelo Senado provocou uma revolta na população.

VIII

CULTURA:

 

-

o Direito Romano visava regulamentar a vida do cidadão

D)

2º Triunvirato: Marco Antônio, Otávio e Lépido (Cônsules).

romano estabelecendo seus direitos e deveres diante do

 

-

Otávio afastou Lépido e declarou guerra a Marco Antônio,

Otávio conquistou os soldados com presentes e o povo com

Estado.

 

vencendo-o no Egito.

-

práticas participativas de poder e instituições republicanas de

 

-

governo.

 

distribuição de trigo.

-

literatura: Virgílio, Tito Lívio, Ovídio.

 

-

Recebeu do Senado vários títulos: princepe ( primeiro

-

arquitetura: aquedutos, estradas e muralhas.

 

cidadão), imperatore (o supremo) e augustu (o divino, o magnífico).

-

religião politeísta.

 

-

Centralização do poder: mesmo assim, consentiu que as instituições republicanas continuassem existindo.

IX

REFERÊNCIA:

-

Sufocou a anarquia e as rebeliões de escravos.

FIGUEIRA, Divalte Garcia. História. Ática: São Paulo, 2000. www.vestivularseriado.com.br (com adaptações).

E)

O Principado de Otávio Augusto

 

-

obras públicas.

-

Guarda pretoriana diretamente controlada pelo Estado e com função de realizar a segurança do Imperador.

-

Novo sistema de cobrança de impostos.

-

Divisão censitária da sociedade imperial: cidadãos (ordem senatorial, ordem eqüestre e ordem plebéia.) e provinciais.

-

Pax romana: período de paz (tranqüilidade) e prosperidade econômica e cultural.

-

Política do pão e circo (pane et circu): distribuição de trigo e promoção de diversão para as massas populares alienação da plebe.

 

VII

O IMPÉRIO:

A)

O Alto Império Romano

 

-

A

perseguição aos cristãos (martírio):

-

motivos: os cristãos não aceitavam o politeísmo nem o caráter divino do imperador.

-

O caráter pacifista e universalista do cristianismo chocou-se

 

com o militarismo e o escravismo do Império romano.

 

-

Nero iniciou as perseguições.

B)

O Baixo Império Romano: início da crise do Império Romano

Tentativas de Reformas: Diocleciano:

- Edito do Máximo: tabelava os preços máximos para produtos

e salários. (não funcionou).

- Tetrarquia: dividiu o governo do império entre quatro pessoas para facilitar a administração.

Constantino:

- fundação de Constantinopla: proteção do Oriente.

- Edito de Milão: legalizou o cristianismo.