Você está na página 1de 4

“LIDERANÇA PARA O EMPREENDEDORISMO SUSTENTÁVEL”

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO

I. Caracterização do Projeto

Objetivo geral:
Potencializar em jovens estudantes do Ensino Médio residentes no bairro de Fazenda
Coutos a Liderança para o Empreendedorismo Sustentável, de forma que trabalhem na
promoção do bem-estar social e econômico da comunidade.

Objetivos específicos:
1. Capacitar recursos humanos locais em equipes de empreendedores/líderes para o
serviço à sua comunidade;
2. Promover a criação e realização de iniciativas de empreendedorismo
comunitários pelos participantes;
3. Constituir Grupos Cooperativos de Aprendizagem focados no desenvolvimento
de iniciativas sócio-econômicas;
4. Favorecer o processo de investigação, geração e aplicação de conhecimentos e
trabalho conjunto pelos Grupos Cooperativos de Aprendizagem;
5. Assegurar que cada participante ganhe experiência prática no desenvolvimento
de um projeto em equipe em prol do desenvolvimento sócio-econômico.

Resultados esperados:
1. Capacitação de empreendedores em novos conceitos e práticas de liderança
orientadas ao empreendedorismo sustentável;
2. Desenvolvimento de cinco iniciativas experimentais de Empreendedorismo
comunitário;
3. Elaboração de materiais didáticos a serem utilizados no presente projeto e em
futuras capacitações comunitárias.

Indicadores de resultados:
1. Capacitação de 70% dos alunos que começaram o curso;
2. Estabelecimento de 5 projetos de Empreendedorismo desenvolvidos pelos
Grupos Cooperativos de Aprendizagem (GCA) para serem executados ao final
do curso;
3. Habilidades de trabalho em equipe dos participantes desenvolvidas durante o
curso através dos seus trabalhos como parte dos GCAs.

II. Plano de Avaliação

Com o objetivo de se verificar os resultados alcançados pelo Projeto “Liderança para o


Empreendedorismo Sustentável”, foi realizado, durante o período de agosto a novembro
de 2010, um processo avaliativo com base na aplicação das seguintes ferramentas:
• Questionário de avaliação (em anexo), aplicado junto a 23 participantes do Projeto,
com vistas ao levantamento de informações quantitativas e qualitativas sobre a
organização e metodologia do curso, o funcionamento dos GCAs e o processo de
aprendizagem dos participantes.
• Entrevistas com o facilitador e os monitores do Projeto, bem como com alguns
participantes.

III. Resultado do Processo Avaliativo

Foi solicitado aos participantes que avaliassem o Projeto sobre vários aspectos. A partir
desta avaliação global, o Projeto foi avaliado com nota 9,2 (em escala de 0 a 10). Os
itens que tiveram maior pontuação foram a aplicabilidade do que aprenderam em suas
vidas (9,7) e o preparo e a competência do facilitador (9,7). A avaliação de cada
participante sobre sua própria participação e empenho nas atividades da capacitação
bem como a dos outros participantes foi a que obteve a menor média (8,5).

Quando perguntados sobre o que mais lhes agradou na capacitação, os jovens


ressaltaram a união que se estabeleceu entre os participantes, o relacionamento com o
facilitador e com os monitores e os novos conceitos discutidos. Quanto aos aspectos que
causaram maior desagrado, destacam-se a desistência de alguns participantes, que
trouxe desânimo ao grupo, o espaçamento de um mês entre cada encontro e o ruído
externo em algumas ocasiões. A desistência de alguns participantes foi resultado de
uma série de fatores: a instabilidade nas condições de vida dos alunos, a falta de
persistência ou interesse, e a gravidez, no caso de três alunas.

Quanto ao tema de Liderança, os participantes destacaram que foi importante aprender


este novo conceito de liderança em contraponto como os modelos tradicionais de
liderança, que a verdadeira liderança é aquela que é orientada ao servir e que um líder
deve ser persistente e honrar seus compromissos.

Sobre a sua aprendizagem sobre Empreendedorismo, ressaltaram como foi importante


para eles entenderem sobre como se elabora um projeto e que as suas atividades
precisam ser planejadas. O tema de valores também foi mencionado neste tema, pois o
líder precisa ter ética em suas ações.

Vários deles destacaram como este curso ajudou-os a perceber as capacidades que
possuem e como são capazes de atingir os seus objetivos se tiverem persistência.
Conscientizaram-se, também, da importância de ouvir mais as pessoas e de
constantemente se auto-avaliarem para que possam desenvolver melhor as suas próprias
potencialidades.

Os participantes elogiaram bastante a atuação do facilitador e dos monitores. A sua


postura receptiva contribuiu para que os participantes desenvolvessem suas capacidades.
Ter monitores da própria comunidade de Fazenda Coutos foi importante para
aproximação dos participantes e também para um melhor acompanhamento das tarefas
dos GCAs, principalmente, quando da elaboração dos projetos de empreendedorismo.

Os GCAs ofereceram um espaço de aprendizado em grupo, onde os integrantes


precisaram aprender a ouvir os outros participantes, a ser responsáveis com os seus
compromissos, a superar desafios e a trabalhar em equipe para o desenvolvimento de
várias tarefas, destacando-se o projeto sócio-econômico de cada grupo. A aquisição
destas habilidades teve os seus próprios desafios, pois os participantes, ao mesmo tempo
que destacaram que gostaram muito das novas amizades que adquiriram com o grupo,
do trabalho em equipe, da união e do cumprimento das tarefas solicitadas, eles tiveram
vários desafios como as discussões entre os participantes, a sobrecarga em alguns e a
falta de comprometimento de outros com as tarefas assumidas.

Ressaltou-se como a metodologia dos Grupos Cooperativos de Aprendizagem propiciou


um espaço para amadurecer os conteúdos que vinham sendo trabalhos e para
vivenciarem na prática os temas que estavam sendo discutidos durante os encontros. Os
participantes ressaltaram que nos encontros iniciais, principalmente, tiveram o desafio
da falta de participação de alguns membros, a sobrecarga em outros e a dificuldade no
processo de tomada de decisões grupal, mas reconhecem que estas questões foram
muito importantes para que pudessem crescer como indivíduos e como grupo. O
acompanhamento do facilitador durante os encontros semanais e, principalmente, dos
monitores durante os encontros dos GCAs foram fundamentais para superação destas
questões e para que os cinco grupos alcançassem o objetivo de elaborar o seu projeto.

O fato de a capacitação contemplar uma apresentação dos projetos dos Grupos


Cooperativos de Aprendizagem na faculdade, também ajudou a fortalecer a auto-estima
e compromisso dos participantes. Os ensaios e os feedbacks recebidos do facilitador e
dos monitores ajudaram os alunos a desenvolver confiança, tanto em suas capacidades
quanto no próprio projeto que elaboraram. Para muitos deles, esta foi a primeira vez que
fizeram uma apresentação pública de um trabalho.

Dos 51 jovens selecionados para o Projeto, 42 iniciaram e 28 concluíram, superando


assim a meta numérica de 70% dos participantes concluírem o curso. Tanto para os
participantes, quanto para o facilitador e os monitores, a maior vitória do Projeto é a
transformação da maioria dos participantes que passaram a perceber como são capazes
de atingir os seus objetivos e que devem sempre envidar esforços para alcançar a
transformação pessoal e a transformação da sociedade. Todos enfatizaram que
pretendem compartilhar os novos conceitos que aprenderam, e alguns já o estão
fazendo, com seus amigos, familiares e nas suas atividades profissionais.

IV. Recomendações

O Projeto foi estruturado em 8 módulos mensais. Este formato, por um lado, contribuiu
para que os participantes tivessem tempo hábil para refletir sobre os conteúdos
discutidos bem como para fazer as tarefas entre encontros, mas por outro, causou
desestímulo em alguns participantes, uma vez que os GCAs tinham dificuldade de se
organizarem para se reunirem. Poderia definir-se no encontro presencial a data de dois
encontros dos GCAs bem como planejar um acompanhamento mais regular dos
monitores a fim de garantir o melhor cumprimento das tarefas e um maior compromisso
dos participantes.

Recomenda-se que os monitores continuem sendo residentes da Comunidade onde o


Projeto for realizado pois isto ajuda a fortalecer os laços de confiança entre participante
e monitor, facilita a realização de encontros (mesmo que informais) e o
acompanhamento de forma geral. A diversidade de gênero dos monitores foi positiva e
deve ser mantida, pois este fator favoreceu a que alguns participantes pudessem superar
sua timidez inicial.

Em uma das semanas iniciais, o grupo sentiu-se desestimulado, pois o conteúdo era
muito denso e foi apresentado de forma expositiva pelo facilitador. Os participantes
reconhecem que o facilitador percebeu a falta de participação dos alunos naquela
semana e mudou sua metodologia, tornando os próximos encontros mais participativos
e voltando a gerar entusiasmo entre os participantes. Recomenda-se manter o cuidado
na escolha da metodologia a ser utilizada em futuras capacitação, privilegiando-se que
os aprendizados sejam realizados de forma coletiva e participativa.

Para aumentar o compromisso dos participantes, tanto em sua participação na


Capacitação como um todo bem como nos Grupos Cooperativos de Aprendizagem seria
importante trabalhar o tema de perseverança, superação de desafios e de inteligência
emocional desde os primeiros encontros.

Um diferencial deste Projeto que deve ser mantido é o fato de trabalhar a questão do
empreendedorismo através de equipes (Grupos Cooperativos de Aprendizagem), uma
vez que, ao combinarem suas qualidades e fortalezas, os participantes podem conceber e
implementar projetos mais elaborados e complexos, do que provavelmente fariam
sozinhos. Para um melhor desempenho dos GCAs, seria importante desenvolver nos
participantes suas habilidades de consulta e tomada de decisões. Também será
fundamental ter um acompanhamento mais próximo dos monitores durante os encontros
dos Grupos bem como com alguns indivíduos que sejam percebidos como menos
engajados ou com dificuldades de trabalhar em grupo.

Seria enriquecedor para os Grupos realizarem visitas de campo a projetos ou indivíduos


que realizam atividades similares às do seu projeto, para intercâmbio de experiências.
Tais visitas ilustrariam de uma maneira concreta os conceitos que estivessem sendo
aprendidos durante os encontros mensais, unindo teoria e prática.

V. Conclusão

A partir do processo avaliativo realizado, conclui-se que o Projeto alcançou os


objetivos propostos de maneira satisfatória e gerou elementos de aprendizagem
relevantes para uma futura replicação da experiência.

_________________________ _______________________
Faezeh Santos Eduardo Santos
Avaliador Externo Avaliador Externo
20/11/2010 20/11/2010