Você está na página 1de 34

PERÍCIA CRIMINAL EM INCÊNDIOS

• Professor Temístocles Macedo Netto

• Formação na área de Engenharia Mecânica pela Universidade Federal da


Bahia.

• Experiência na área da indústria naval, atuando com projetos e manutenção


de máquinas, equipamentos e estruturas utilizadas na extração e
processamento de petróleo.

• Perito Oficial Criminal do estado do Espírito Santo localizado na Seção de


Engenharia Forense. Experiência de cerca de 8 anos como Perito da área de
engenharia forense.

• Responsável por Perícias de máquinas; equipamentos mecânicos, elétricos,


eletrônicos, eletromecânicos; sistemas mecânicos automotivos; acidentes de
trabalho; acidentes de trânsito; locais de furto de energia elétrica; exames em
materiais de engenharia; LOCAIS DE INCÊNDIO.
PERÍCIA CRIMINAL EM INCÊNDIOS
• OBJETIVOS

Apresentação das técnicas e procedimentos utilizados pelos Peritos


Oficiais Criminais da PCES (Polícia Civil do estado do Espírito Santo)
em incêndios criminosos:

- Cadeia de custódia.

- Processamento do local.

- Coleta de vestígio.

- Análise laboratorial.
PERÍCIA CRIMINAL EM INCÊNDIOS
1 Código de Processo Civil: Da Prova Pericial.

2 Código de Processo Penal: Do Exame de Corpo de Delito e das Perícias em Geral.

3 Criminalística aplicada à Perícia em Locais de Incêndio.

4 Exames Periciais realizados em Locais de Incêndio.

4.1 Cadeia de Custódia.

4.2 Processamento de Local.

4.3 Coleta de Vestígio.

4.4 Exame Laboratorial.

5 Laudo Pericial Criminal de Local de Incêndio.


CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL:
DA PROVA PERICIAL
• Exame, vistoria ou avaliação.

• A PROVA PERICIAL depende de conhecimento ESPECIAL DE


TÉCNICO.

• O especialista deverá ter FORMAÇÃO ACADÊMICA


ESPECÍFICA.

• O PERITO JUDICIAL e o ASSISTENTE TÉCNICO, o qual é de


confiança da parte e não está sujeito a IMPEDIMENTO OU
SUSPEIÇÃO.

• Formulação de QUESITOS para esclarecimento da causa.


CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL:
DA PROVA PERICIAL
ELEMENTOS DO LAUDO PERICIAL.

• OBJETO DA PERÍCIA.

• Análise TÉCNICA ou CIENTÍFICA realizada pelo PERITO, conforme o dicionário


MICHAELIS.

• Conjunto dos métodos e pormenores práticos essenciais à execução


de uma arte ou profissão.

• Conhecimento prático; prática.

• modo como algo é realizado; meio, método.

• Grande habilidade; destreza, perícia.


CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL:
DA PROVA PERICIAL
ELEMENTOS DO LAUDO PERICIAL.

• Análise CIENTÍFICA realizada pelo PERITO, conforme o dicionário MICHAELIS:

• Conhecimento sistematizado como campo de estudo.

• Observação e classificação dos fatos inerentes a um determinado grupo de fenômenos e


formulação das leis gerais que o regem.

• O saber adquirido pela leitura e meditação.

• Sistema racional usado pelo ser humano para se relacionar com a natureza a fim de obter
resultados favoráveis.

• Ramo específico do conhecimento, caracterizado por seu princípio empírico e lógico, com base
em provas concretas, que legitima sua validade.
CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL:
DA PROVA PERICIAL
ELEMENTOS DO LAUDO PERICIAL.

• MÉTODO UTILIZADO – ESCLARECIDO, DEMONSTRADO, ACEITO por


ESPECIALISTAS da área do conhecimento que o originou.

• RESPOSTA CONCLUSIVA AOS QUESITOS.

• LINGUAGEM SIMPLES, COERÊNCIA LÓGICA, CONCLUSÃO bem fundamentada.

• OPINIÕES PESSOAIS somente podem ser emitidas com FUNDAMENTAÇÃO


TÉCNICA e CIENTÍFICA.

• Todos os meios podem necessários podem ser utilizados: TESTEMUNHAS;


DOCUMENTOS EM PODER DA PARTE, DE TERCEIROS ou em REPARTIÇÕES
PÚBLICAS; PLANILHAS; MAPAS; PLANTAS; DESENHOS; FOTOGRAFIAS; dentre
outros.
CÓDIGO DE PROCESSO PENAL:
DO EXAME DE CORPO DE DELITO E DAS
PERÍCIAS EM GERAL

• Quando a infração deixar VESTÍGIOS, será indispensável o exame de corpo de delito,


direto ou indireto, não podendo supri-lo a confissão do acusado.

• LAUDO PERICIAL atesta a MATERIALIDADE DO DELITO.

• O EXAME DE CORPO DE DELITO INDIRETO permite a constituição do CORPO DE


DELITO DIRETO por meio das análises realizadas pelo PERITO.

• O EXAME DE CORPO DE DELITO INDIRETO constitui-se pela análise pericial


realizada em outros meios de prova, sem a verificação pessoal.

• Não sendo possível a realização de exames de corpo de delito direto nem indireto, a
PROVA DA EXISTÊNCIA DO CRIME pode ser realizada apenas por TESTEMUNHAS
e sem o EXAME PERICIAL.
CÓDIGO DE PROCESSO PENAL:
DO EXAME DE CORPO DE DELITO E DAS
PERÍCIAS EM GERAL
• Para o efeito de exame do local onde houver sido praticada a
infração, A AUTORIDADE PROVIDENCIARÁ IMEDIATAMENTE
PARA QUE NÃO SE ALTERE O ESTADO DAS COISAS ATÉ A
CHEGADA DOS PERITOS, que poderão instruir seus laudos
com fotografias, desenhos ou esquemas elucidativos.

• Os peritos registrarão, no laudo, as ALTERAÇÕES DO


ESTADO DAS COISAS e discutirão, no relatório, as
CONSEQUÊNCIAS DESSAS ALTERAÇÕES NA DINÂMICA
DOS FATOS.
CÓDIGO DE PROCESSO PENAL:
DO EXAME DE CORPO DE DELITO E DAS
PERÍCIAS EM GERAL
• Nas PERÍCIAS DE LABORATÓRIO, os peritos GUARDARÃO MATERIAL
SUFICIENTE para a eventualidade de nova perícia. Sempre que conveniente, os
laudos serão ilustrados com PROVAS FOTOGRÁFICAS, OU
MICROFOTOGRÁFICAS, DESENHOS OU ESQUEMAS.

• Nos CRIMES cometidos com DESTRUIÇÃO OU ROMPIMENTO DE


OBSTÁCULO A SUBTRAÇÃO DA COISA, OU POR MEIO DE ESCALADA, os
PERITOS, ALÉM DE DESCREVER OS VESTÍGIOS, indicarão com que
INSTRUMENTOS, por que MEIOS e em que ÉPOCA presumem ter sido o fato
praticado.

• Proceder-se-á, quando necessário, à AVALIAÇÃO de coisas destruídas,


deterioradas ou que constituam produto do crime.
CÓDIGO DE PROCESSO PENAL:
DO EXAME DE CORPO DE DELITO E DAS
PERÍCIAS EM GERAL
• Se impossível a avaliação direta, os peritos procederão à avaliação por meio dos
elementos existentes nos autos e dos que resultarem de diligências.

• No caso de INCÊNDIO, os PERITOS verificarão a CAUSA e o LUGAR EM QUE


HOUVER COMEÇADO, o PERIGO QUE DELE TIVER RESULTADO para a VIDA
ou para o PATRIMÔNIO ALHEIO, a EXTENSÃO DO DANO e o seu VALOR e as
demais circunstâncias que interessarem à elucidação do fato.

Art. 250 - Causar incêndio, expondo a perigo a vida, a integridade física ou o


patrimônio de outrem:

Pena - reclusão, de três a seis anos, e multa.


CÓDIGO DE PROCESSO PENAL:
DO EXAME DE CORPO DE DELITO E DAS
PERÍCIAS EM GERAL
Art. 250, CPP - Causar incêndio, expondo a perigo a vida, a integridade física ou o
patrimônio de outrem:

Pena - reclusão, de três a seis anos, e multa.

Art. 41, Lei nº 9.605/98 - Provocar incêndio em mata ou floresta:

Pena - reclusão, de dois a quatro anos, e multa.

Parágrafo único. Se o crime é culposo, a pena é de detenção de seis meses a um ano, e


multa.

Art. 42, Lei nº 9.605/98 - Fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam
provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou
qualquer tipo de assentamento humano:

Pena - detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente.


CRIMINALÍSTICA APLICADA À
PERÍCIA EM LOCAIS DE INCÊNDIO
• Ética, moral, ciência e tecnologia na atividade do PERITO OFICIAL CRIMINAL com o fim de
garantir PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS dos DIREITOS HUMANOS: vida, liberdade,
segurança, propriedade.

• Falsa Perícia e fraude processual.

• Erros periciais e limites na atuação do Perito Oficial.

• Tautologia.

• Paradigmas.

• Raciocínio obscuro.

• Omissão na análise de fatos relevantes.

• A importância da AUTONOMIA na atuação do PERITO OFICIAL CRIMINAL (isenção,


neutralidade, imparcialidade).

• TESTE DE ATENÇÃO E PERCEPÇÃO


CRIMINALÍSTICA APLICADA À
PERÍCIA EM LOCAIS DE INCÊNDIO
• Criminalística Estática – Observa e Descrever – PURAMENTE
OBJETIVA.

• Criminalística Dinâmica – Art. 169, CPP (a dinâmica dos fatos é


aludida) – ELEMENTOS MATERIAIS E INFORMATIVOS, sua
INTERELAÇÃO e a DINÂMICA QUE DELES pode ser TRAÇADA
– maior nível de SUBJETIVIDADE.

• Criminalística Pós-Moderna – MATERIALIDADE ESCASSA,


INSUFICIENTE, INEXISTENTE; IDEAL versus POSSÍVEL –
PARECER TÉCNICO versus LAUDO PERICIAL.
EXAMES PERICIAS REALIZADOS EM
LOCAL DE INCÊNDIO
CADEIA DE CUSTÓDIA
• Exame de CORPO DE DELITO: DIRETO e INDIRETO.

• Coleta realizada DIRETAMENTE PELO PERITO, PRIORITARIAMENTE.

• Perícia realizada em VESTÍGIOS coletados por outros indivíduos,


verossímeis, tais como FOTOS, VÍDEOS, DOCUMENTOS.

• Ocorre nas fases INVESTIGATÓRIA e também na DE INSTRUÇÃO DO


PROCESSO CRIMINAL – em qualquer dia e horário.

• Prioridade deve ser dada quando se trata de VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E


FAMILIAR CONTRA A MULHER.

• Prioridade deve ser dada quando se trata de VIOLÊNCIA CONTRA


CRIANÇA, ADOLESCENTE, IDOSO OU PESSOA COM DEFICIÊNCIA.
EXAMES PERICIAIS REALIZADOS EM
LOCAL DE INCÊNDIO
CADEIA DE CUSTÓDIA
• A quebra da cadeia de custódia pode causar a nulidade do processo penal.

• Todo o procedimento citado nos artigos da Lei Anticrime devem ser respeitados.

• Considera-se CADEIA DE CUSTÓDIA o CONJUNTO DE TODOS OS


PROCEDIMENTOS utilizados para MANTER E DOCUMENTAR A HISTÓRIA
CRONOLÓGICA DO VESTÍGIO COLETADO em locais ou em vítimas de crimes,
para RASTREAR SUA POSSE e MANUSEIO a partir de seu RECONHECIMENTO
ATÉ O DESCARTE.

• O início da cadeia de custódia dá-se com a PRESERVAÇÃO DO LOCAL DE


CRIME ou com procedimentos policiais ou periciais nos quais seja detectada a
EXISTÊNCIA DE VESTÍGIO.
EXAMES PERICIAIS REALIZADOS EM
LOCAL DE INCÊNDIO
CADEIA DE CUSTÓDIA
• O AGENTE PÚBLICO que reconhecer um elemento como de potencial interesse
para a produção da prova pericial fica RESPONSÁVEL POR SUA
PRESERVAÇÃO.

• VESTÍGIO é todo objeto ou material bruto, VISÍVEL OU LATENTE, CONSTATADO


OU RECOLHIDO, que se relaciona à infração penal.

• RECONHECIMENTO do VESTÍGIO potencialmente interessante para a PROVA


PERICIAL.

• ISOLAMENTO: ato de evitar que se altere o estado das coisas, devendo ISOLAR
E PRESERVAR o ambiente IMEDIATO, MEDIATO (adjacente) E RELACIONADO
(sem relação geográfica) aos vestígios e local de crime
EXAMES PERICIAIS REALIZADOS EM
LOCAL DE INCÊNDIO
CADEIA DE CUSTÓDIA
• FIXAÇÃO: descrição detalhada do vestígio conforme se encontra no local de crime ou no corpo de
delito, e a sua POSIÇÃO na área de exames, podendo ser ilustrada por FOTOGRAFIAS,
FILMAGENS ou CROQUI, sendo indispensável a sua descrição no laudo pericial produzido pelo
perito responsável pelo atendimento.

• COLETA: ato de recolher o vestígio que será submetido à análise pericial, respeitando suas
características e natureza.

• ACONDICIONAMENTO: procedimento por meio do qual cada vestígio coletado é embalado de forma
individualizada, de acordo com suas características físicas, químicas e biológicas, para posterior
análise, com anotação da DATA, HORA e NOME de quem realizou a coleta e o acondicionamento.

• TRANSPORTE: ato de transferir o vestígio de um local para o outro, utilizando as condições


adequadas (embalagens, veículos, temperatura, entre outras), de modo a garantir a manutenção de
suas características originais, bem como o controle de sua posse.
EXAMES PERICIAIS REALIZADOS EM
LOCAL DE INCÊNDIO
CADEIA DE CUSTÓDIA
• RECEBIMENTO: ato formal de TRANSFERÊNCIA DA POSSE DO VESTÍGIO, que deve ser DOCUMENTADO
com, no mínimo, informações referentes ao número de procedimento e unidade de polícia judiciária
relacionada, local de origem, nome de quem transportou o vestígio, código de rastreamento, natureza do
exame, tipo do vestígio, protocolo, assinatura e identificação de quem o recebeu.

• PROCESSAMENTO: EXAME PERICIAL EM SI, manipulação do vestígio de acordo com a METODOLOGIA


adequada às suas características biológicas, físicas e químicas, a fim de se obter o RESULTADO
DESEJADO, que deverá ser formalizado em LAUDO PRODUZIDO POR PERITO.

• MATERIAL BIOLÓGICO, como sangue, esperma, pelos, tecido celular.

• FLUIDOS ACELERANTES.

• RECIPIENTES.

• INSTRUMENTOS, como ferramentas.

• PEÇAS COMPONENTES DE MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS E ESTRUTURAS.

• VEÍCULOS.

• MATERIAIS DE ENGENHARIA.
EXAMES PERICIAIS REALIZADOS EM
LOCAL DE INCÊNDIO
CADEIA DE CUSTÓDIA
• ARMAZENAMENTO: procedimento referente à guarda, em condições adequadas, do material
a ser processado, guardado para realização de contraperícia, descartado ou transportado,
com vinculação ao número do laudo correspondente.

• DESCARTE: procedimento referente à liberação do vestígio, respeitando a legislação vigente


e, quando pertinente, mediante autorização judicial.

• A COLETA DOS VESTÍGIOS deverá ser realizada PREFERENCIALMENTE POR PERITO


OFICIAL, que dará o encaminhamento necessário para a central de custódia, mesmo quando
for necessária a realização de exames complementares.

• É proibida a entrada em locais isolados bem como a remoção de quaisquer vestígios de locais
de crime antes da liberação por parte do perito responsável, sendo tipificada como FRAUDE
PROCESSUAL a sua realização.
EXAMES PERICIAIS REALIZADOS EM
LOCAL DE INCÊNDIO
CADEIA DE CUSTÓDIA
• O recipiente para acondicionamento do vestígio será determinado pela natureza do material.

• RESÍDUO DE INCÊNDIO - POTE DE VIDRO, LATA METÁLICA.

• Todos os recipientes deverão ser selados com LACRES, com numeração


individualizada, de forma a garantir a INVIOLABILIDADE E A IDONEIDADE DO
VESTÍGIO durante o transporte.

• O recipiente deverá INDIVIDUALIZAR o vestígio, PRESERVAR suas características,


IMPEDIR CONTAMINAÇÃO E VAZAMENTO, ter GRAU DE RESISTÊNCIA ADEQUADO
e espaço para REGISTRO DE INFORMAÇÕES SOBRE SEU CONTEÚDO.

• O recipiente só poderá ser aberto pelo perito que vai proceder à análise e,
motivadamente, por pessoa autorizada.

• O lacre rompido deverá ser acondicionado no interior do novo recipiente.


EXAMES PERICIAIS REALIZADOS EM
LOCAL DE INCÊNDIO
CADEIA DE CUSTÓDIA
• Todos os Institutos de Criminalística deverão ter uma CENTRAL DE

CUSTÓDIA destinada à guarda e controle dos vestígios, e sua gestão

deve ser vinculada diretamente ao órgão central de perícia oficial de

natureza criminal.

• Após a realização da perícia, o material deverá ser devolvido à central de

custódia, DEVENDO NELA PERMANECER.


EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
EXAME LABORATORIAL
LAUDO PERICIAL
• INTRODUÇÃO

• HISTÓRICO

• OBJETIVO PERICIAL

• DA PRESERVAÇÃO E DO ISOLAMENTO

• DOS INFORMES

• DOS EXAMES PERICIAIS

• DESCRIÇÃO DAS PEÇAS

• TÉCNICAS OU MÉTODOS EMPREGADOS

• CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS

• DA ANÁLISE DOS DOCUMENTOS ELABORADOS, OBTIDOS OU CONSTANTE NOS AUTOS (ESPECIALMENTE EM


EXAMES INDIRETOS)

• RESPOSTA AOS QUESITOS

• ENCERRAMENTO

• ANEXOS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ARAGÃO, R. F. Incêndios e Explosivos: uma introdução à engenharia forense. Campinas, SP: Millennium, 2010.

Código de Processo Civil. Lei N. 13.105, de março de 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-
2018/2015/lei/l13105.htm. Acesso em 22/10/2021, 18:00:00.

Código de Processo Penal. Decreto lei nº 3689, de 03 de outubro de 1941. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del3689.htm. Acesso em 21 out 2021, 08:00:00.

NUCCI, GUILHERME DE SOUZA. Manual de processo penal e execução penal. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013.

Lei Anticrime. Lei nº 13.964, de 24 de dezembro de 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-


2022/2019/lei/L13964.htm. Acesso em 21 out 2021, 08:30:00.

REIS, A. B. Metodologia científica e Perícia Criminal. 3ª ed. Campinas, Millenium Editora. 2015.

STAUFFER, ERIC; DOLAN, JULIA A.; NEWMAN, RETA. Fire Debris Analysis. Elsevier, 2008.

TOCCHETTO, DOMINGOS; ESPINDULA, ALBERI. Criminalística: procedimentos e metodologias. Campinas, SP:


Millennium, 2019.

Você também pode gostar