Você está na página 1de 32

• Quanto ao material utilizado

As barragens são separadas em dois tipos principais pela escolha de


material usada para sua construção:

Enrrocamento (diques)

Ex.

Barragens de betão.

Ex.

1. As barragens de enrrocamento (diques) são feitas de material


não orgânico escavados da superfície do local onde será
construída a barragem. São subdivididas em barragens de terra
e de enrrocamento (partículas de maior dimensão), embora
muitas barragens de enrrocamento contenham ambos os tipos.
Podem ser feitas subdivisões adicionais, de acordo com o
material usado, quanto ao elemento impermeável, por exemplo
núcleo central da argila, núcleo inclinando-se da argila ou
membrana de asfalto ou reforço de betão.

2. As barragens do betão são feitas de betão cuidadosamente


seleccionado. São subdivididas de acordo com seu mecanismo
de estabilidade.

(a) Barragens por gravidade: estas são os mais simples porque


confiam na força gravitacional para opor o momento virador
causado pela pressão da água do reservatório. Há também
barragens ocas por gravidade, estas requerem menos betão e
consequentemente menos custos para a construir. As
exigências da fundação são mais críticas. As barragens de
contrafortes requerem também mais menos betão do que
barragens da gravidade. Os contrafortes suportam a carga do
reservatório.

(b) Barragens em arco: estes podem ser construídos todo num só


arco grande, medindo os lados do vale e confiando neles para
carregar as pressões muito grandes causadas pela pressão da
água do reservatório. Este tipo é o mais sofisticado de
barragens.

(c) Barragens em arco-gravidade: este tipo de barragem utiliza


uma combinação dos dois tipos anteriormente apresentados
(gravidade e em arco)

• Quanto à geometria
Existem três grandes tipos de barragens quanto à sua
geometria, barragens por gravidade, arco e em arco-gravidade.

Normalmente considera-se vários tipos de barragens como


sendo tipos independentes, mas no entanto agrupam-se num, como
por exemplo terra e enrrocamento, estes dois tipos agrupam-se no
“grande” tipo das barragens por gravidade.

Aqui assume-se que esses tipos acabam por ser


“independentes” devido ao tipo de material utilizado e geometria de
construção. Assim aparecem variados tipos, Arco, Gravidade, Terra,
Enrrocamento, Arco-gravidade, etc, consoante as características do
terreno onde é construída a barragem e assim se opta pelo melhor
compromisso de conjugação dos vários tipos.

De seguida são apresentados os principais tipos de barragens em


mais pormenor.

- Tiram proveito da propriedade de as estruturas em arco


resistirem com facilidade a cargas uniformemente distribuídas sobre
seu dorso, transmitindo-as para as suas ombreiras. Nessas condições,
as forças decorrentes do impulso hidrostático são transferidas para as
margens e fundo do rio. Dai, para a sua construção, ser necessárias
condições naturais especiais, ou sejam: margens altas constituídas
por rocha resistente e sã, fundo do rio igualmente em rocha
resistente e sã. A relação entre a largura do rio no local e a altura da
barragem não pode ser maior que 3 a 4. Dadas as suas pequenas
secções transversais, empregam pouco material, de forma que seu
peso desempenha papel secundário no equilíbrio estático. Podem ser
construídas em betão e/ou betão armado.
As figuras seguintes exemplificam este tipo de barragens,

Corte de uma barragem em arco


Panorâmica de uma barragem em arco
Planta de uma barragem em arco
Método de transmissão de forças às fundações de uma barragem em
arco

- São aquelas em que o equilíbrio estático da construção,


sob a acção das forças externas (impulso hidrostático), realiza-se pelo
próprio peso da estrutura, com o auxilio eventual da componente
vertical do impulso que atua sobre seus paramentos. A resultante de
todas as forças actuantes é transmitida, através de sua base, ao solo
do leito do rio sobre o qual se apoia.

Os seguintes tipos podem ser considerados neste grupo: barragens


maciças; barragens aliviadas a contrafortes e barragens de placas
planas ou em arco. Podem ser executadas com os seguintes
materiais: alvenaria de pedra, betão ciclopico e betão armado.
Incluem-se nesse grupo também as barragens de terra e
enrrocamento (pedras soltas).

As figuras seguintes exemplificam este tipo de barragens,


Corte de uma barragem por gravidade

Panorâmica de uma Barragem por gravidade


Planta de uma barragem por gravidade

Método de transmissão de forças às fundações de uma barragem por


gravidade
- São barragens que tem a sua planimetria em forma de
arco mas que, por outro lado, funcionam num misto de barragens em
arco e por gravidade. As suas secções transversais apresentam-se
bem mais espessas que as das barragens em arco, porem mais
esbeltas que as das barragens a gravidade. São menos exigentes
quanto ao substracto da sua construção e construídas em betão
ciclopico.

As figuras seguintes exemplificam este tipo de barragens,

Corte de uma barragem em arco-gravidade


Panorâmica de uma barragem em arco-gravidade

Planta de uma barragem em arco-gravidade


Método de transmissão de forças às fundações de uma barragem em
arco-gravidade

Fotos ilustrativas do processo de construção


de uma barragem de arco abóbada.
Esquemas de cofragens
Fotos ilustrativas do processo de construção
de uma barragem por gravidade
Esquemas de cofragens
Imagens várias de processos de construção
A barragem do Alqueva provocará o maior lago artificial da Europa,
com áreas inundadas até Espanha, mais de 1100 kms de margens (o
litoral da costa portuguesa tem cerca de 800 kms de margens). Serão
errigados mais de 110 000 ha de terras
Serão gastos mais de 1 milhão de metros cúbicos de betão, estão
envolvidos mais de 1100 trabalhadores só na construção da
barragem.

Com esta construção será necessário que se construa uma aldeia


nova para alojar os habitantes da aldeia da Luz que ficará
submergida. Num total de 368 pessoas e 209 habitações. Serão
reabilitados e construídos novas vias viárias num total de 134 kms, 2
pontes, uma com 365 m (sobre o rio Degebe) e outra com 290m
(sobre a ribeira de Amieira)

Características
Barragem Descarregador
Tipo de Controlad
Distrito Beja
Descarregador o
Nº e tipo de
Rio Guadiana
comportas
Capacidade de
Bacia
Guadiana descarga max. 6300
Hidrográfica
(m3/s)
Rega; Abastecimento de água;
Finalidade Hidroeléctrica Regularização Albufeira
de caudais.
Ano em construção Área (ha) 25 000
Tipo Arco Abóbada Capacidade (hm3) 4150
Fundações
Altura (m) 96 Entidades
Comprimento
458 Proprietário EDIA
coroamento (m)
Volume (m3) Projecto
Construção
Para que uma barragem esteja em segurança há que ter em
conta diversos aspecto. Ainda na fase de projecto temos que ter em
conta o Regulamento de segurança em barragem (RSB) (contido neste
trabalho)para uma boa execução de projecto. Há ainda a Portaria
nº346/93 que não é mais que as “normas de projecto de barragens” e
a portaria nº847/93 que é “as normas de observação e inspecção de
barragens. (ambas contidas neste trabalho).

Aqui apresenta-se uma forma de calcular as forças que actuam sobre


uma barragem, além do próprio peso.

A barragem terá sempre que ter um acompanhamento permanente


do seu estado. Este acompanhamento faz-se com observação dos
processos construtivos, e depois de entrar ao serviço, com
observações do seu comportamento ao longo do tempo. Este tipo de
trabalho é muito importante visto estar a precaver situações de
verdadeira catástrofe.

Essas observações consistem em leituras "topográficas" e de


deflectometros do coroamento, ver se há movimentos, leituras no
interior da própria barragem e no exterior com pontos relacionados.
Lendo os movimentos do coroamento da barragem

Lendo os movimentos através de prumos instalados no interior e a


toda a altura da barragem

Diagrama de esforços de uma barragem em arco


Forças Sobre Barragens

A água permanece numa altura H atrás da face vertical


(montante) de uma barragem (Fig. 1), onde exerce uma certa força
horizontal resultante, tendendo a fazê-la escorregar ao longo de suas
fundações, e também um momento que tende a girá-la em torno do
ponto O.
Essa força horizontal pode ser calculada por:

L é largura da barragem.

sendo a densidade do agua e g a gravidade.

Fig. 1 Forças sobre uma barragem.

A pressão atmosférica pode ser omitida, pois também atua


contra a outra face da barragem. A força sobre a faixa sombreada é

A força total é

O momento da força em relação a um eixo passando por é

sendo o total dado por


Se fosse a altura acima de na qual a força total devesse
ser aplicada para produzir este Momento, então,

Assim, a linha de acção da força resultante está a 1/3 da


profundidade acima de , ou a 2/3 da profundidade abaixo da
superfície da água.

Você também pode gostar