Você está na página 1de 15

Universidade Católica de Moçambique

Instituto de Educação à Distancia

Tema do Trabalho

Processo de Ensino e Aprendizagem

Nome: Isaura Tomás conforme ; Código: 708211150

Curso: Licenciatura em Ensino de Língua Portuguesa

Cadeira: Didáctica Geral

Ano de Frequência: 1º Ano

Nome do docente: Otelo Agostinho Joaquim

Tete, Janeiro de 2022


Índice
1. Introdução ................................................................................................................................................. 3

2.Desenvolvimento ....................................................................................................................................... 4

2.1.Meios de ensino-aprendizagem .......................................................................................................... 4

2.1.1.Definição dos meios de ensino-aprendizagem ............................................................................. 4

2.1.2.Classificação dos meios de ensino-aprendizagem ....................................................................... 4

2.1.3.Critérios de utilização dos meios de ensino-aprendizagem ......................................................... 5

2.1.4.A importância do uso dos meios de ensino-aprendizagem .......................................................... 6

2.2.Planificação do processo de ensino-aprendizagem ............................................................................. 7

2.2.1.Definiçãoda planificação do PEA ................................................................................................ 7

2.2.2.Importância da planificação do PEA ........................................................................................... 8

2.3.Níveis de Planificação do processo de ensino-aprendizagem............................................................. 9

2.3.1.Os elementos de plano de aula que são utilizados pelos professores........................................... 9

2.3.2.Definição dos níveis de planificação no PEA ............................................................................ 10

2.4.Componentes de planificação do processo de ensino-aprendizagem ............................................... 11

2.4.1.Os componentes que se devem ter em conta para a planificação do PEA ................................. 11

2.4.2.Explicar, em que medida, é útil se ter em conta cada um desses componentes. ........................ 11

2.5.Etapas do processo de planificação .................................................................................................. 12

2.5.1.As etapas do processo de Planificação....................................................................................... 12

2.5.2.A essência de cada etapa no processo de planificação............................................................... 12

2.5.3.Diferençado plano com a planificação ....................................................................................... 13

3. Conclusão ............................................................................................................................................... 14

4. Referências Bibliográficas ...................................................................................................................... 15

2
1. Introdução
O presente trabalho é de campo na cadeira de didáctica geral, a base essencial dos conteúdos que
iremos tratar nesse trabalho é o ensino e aprendizagem. O ensino é uma actividade que tem como
uma das suas principais características o facto de ter carácter planificado. Isso faz com que a
prática do professor se oriente por uma adequada planificação, englobando os aspectos fulcrais
do plano, tais como, os conteúdos, os objectivos/competências a desenvolver, os meios de
ensino-aprendizagem, etc.

No trabalho iremos falar dos seguintes conteúdos: Meios de ensino-aprendizagem sua definição,
classificação, importância e os critérios de utilização dos meios de ensino-aprendizagem; Da
Planificação do processo de ensino-aprendizagem sua definição e importância; Dos níveis de
Planificação do processo de ensino-aprendizagem; sua definição e Identificaçãodos elementos
bem como as etapas do processo de planificação.

Para o desenvolvimento do trabalho iremos usar a metodologia de revisão bibliográfica e a


Internet, obedecendo a seguinte estrutura: 1-Introdução, 2-desenvolvimento, 3-conclusão e 4-
bibliografia, o mesmo será desenvolvido para atingir os seguintes objetivos:

Objectivo geral:

• Analisar o processo de ensino e aprendizagem.

Objetivos específicos:

• Definir e classificar os meios de ensino e aprendizagem;


• Explicar a planificação no processo de ensino e aprendizagem;
• Identificar as etapas do processo de Planificação;
• Explicar a essência de cada etapa no processo de planificação;
• Diferenciar o plano da planificação
• Mencionar os Componentes de planificação do processo deensino-aprendizagem
• Identificar as etapas do processo de Planificação

3
2.Desenvolvimento

2.1.Meios de ensino-aprendizagem
Qualquer ensino, mesmo o mais tradicional queseja, apoia em meios ou recursos, alias, esta é
uma particulridade inerente todas actividades humana que, para sua realização, um mínimo de
recursos materiais e humanos (para alem de financeiros, em certos casos ) se torna indispensável.

No caso do ensino trata-se sobre tudo de meios que se devem utilizar para despertar a motivar a
actividade dos alunos, ao mesmo tempo que poderão representar forma através da qual os
conteúdos são representados e concretizados, tornando-os reais e palpáveis, próximos dos alunos.

2.1.1.Definição dos meios de ensino-aprendizagem


Os «meios ou recursos de ensino (também podendo ser designados recursos didácticos) são todos
os meios e recursos materiais e humanos utilizados pelo professor e pelos alunos para a
organização e condução metódica do processo de ensino e aprendizagem». O ideal seria que toda
aprendizagem se efectuasse em situação real de vida. Não sendo isso possível, os materiais/meios
ou recursos de ensino tem por fim substituir a realidade, representando-a da melhor forma
possível, de maneira a facilitar a sua intuição por parte do aluno.

Por outras palavras, os recursos de ensino são componentes do ambiente da aprendizagem que
dão origem à estimulação para o aluno. Esses componentes podem ser o professor, os livros, os
mapas, os objectos físicos, as fotografias, as fitas gravadas, as gravuras, os filmes, os recursos da
comunidade, os recursos naturais e assim por diante.

O material didáctico é uma exigência daquilo que está sendo estudado por meio de palavras, a
fim de torná-lo concreto e intuitivo.

2.1.2.Classificação dos meios de ensino-aprendizagem


Tradicionalmente os meios de ensino são classificados em: visuais (projecções, cartazes,
gravuras), auditivos (rádio, gravações) e audiovisuais (cinema, televisão), apesar de se
reconhecer que, na pratica, as expressões verbais, sonoras e visuais se complementam, fazendo
com que os recursos/meios visuais, auditivos e audiovisuais muitas vezes sejam funcionais
quando se utilizam de forma complementar.

Uma outra classificação de meios de ensino considera existirem:


4
a) Meios/recursos humanos

• Professor
• Alunos
• Pessoal escolar
• Comunidade.

b) Meios/recursos materiais

Do ambiente

• Natural (água, folha, pedra, etc.)


• Escolar (quadro, giz, carteiras, etc.

Da comunidade

• Bibliotecas, indústrias, lojas, repartições publicas, etc.

2.1.3.Critérios de utilização dos meios de ensino-aprendizagem


A utilização dos recursos de ensino deve ter em conta alguns critérios e princípios,
nomeadamente:

• Ao seleccionar um recurso de ensino deve-se ter em vista os objectivos a serem


alcançados. Nunca se deve utilizar um recurso de ensino só porque está na moda;
• Nunca se deve utilizar um recurso que não seja conhecido suficientemente de forma a
poder empregar correctamente;
• A eficácia dos recursos dependerá da interacção entre eles e os alunos. Por isso, devemos
estimular nos alunos certos comportamentos que aumentam a sua receptividade, tais
como a atenção, a percepção, o interesse, a sua participação activa, etc.
• As condições ambientais podem facilitar ou, ao contrário, dificultar a utilização de certos
recursos. A inexistência de tomadas de energia eléctrica, por exemplo, exclui a
possibilidade de utilização de retroprojector, projector de slides ou de filmes.
• O tempo disponível é outro elemento importante que deve ser considerado. A preparação
e utilização dos recursos exige determinado tempo e, muitas vezes, o professor não
dispõe desse tempo. Então deverá buscar outras alternativas, tais como: utilizar recursos
5
que exigem menos tempo, solicitar a ajuda dos alunos para preparar os recursos, solicitar
a ajuda de outros profissionais, etc

2.1.4.A importância do uso dos meios de ensino-aprendizagem


os meios de ensino-aprendizagem são usados com vista a determinadas finalidades, dentre as
quais, você deve ter mencionado as seguintes:

• Aproximar o aluno da realidade do que se quer ensinar, dando-lhe noção mais exacta dos
factos e fenómenos estudados;
• Motivar e despertar o interesse dos alunos na aula;
• Facilitar a percepção e compreensão dos factos e conceitos;
• Concretizar e ilustrar o que está sendo exposto verbalmente (isto é, visualizar ou
concretizar os conteúdos da aprendizagem);
• Aproximar o aluno da realidade;
• Desenvolver a capacidade de observação;
• Desenvolver a experimentação concreta;
• Economizar esforços para levar os alunos à compreensão de factos e conceitos;
• Auxiliar a fixação da aprendizagem pela impressão mais viva e sugestiva que o material
pode provocar;
• Dar oportunidade de manifestação de aptidões e desenvolvimento de habilidades com o
manuseio ou construção de aparelhos por parte dos alunos.

Em resumo, pode dizer-se que, na escola actual, o material didáctico, mais do que ilustrar, tem
por fim levar o aluno a trabalhar, a investigar, a descobrir e a construir. Assume, assim, aspecto
funcional e dinâmico, propiciando oportunidade de enriquecer a experiência do aluno,
aproximando-o da realidade e oferendo-lhe oportunidade de actuação.

6
2.2.Planificação do processo de ensino-aprendizagem

2.2.1.Definiçãoda planificação do PEA


A planificação é um processo de racionalização, organização e coordenação da acção docente,
articulando a actividade. ... Central, este nivel consiste em prever acções relacionadas com o
processo de Ensino-Aprendizagem numa perpectiva Nacional e é da responsabilidade do
Ministerio da Educação e Desenvolvimento Humano.

Segundo Bento (2003) “a planificação é o elo de ligação entre as pretensões, imanentes ao


sistema de ensino e aos programas das respectivas disciplinas, e a sua realização prática”.

É uma actividade prospectiva, diretamente situada e empenhada na realização do ensino que se


consumana sequência: “Elaboração do plano, realização do plano, controlo do plano confirmação
ou alteração do plano, etc.” (Bento 2003, pp. 15-16) Este autor refere ainda que a planificação,“ é
também ligar a própria qualificação e formação permanente do professor ao processo de ensino,
a procura de melhores resultados no ensino como resultante do confronto diário com problemas
teóricos e práticos” BENTO 2003, p.16)

Em outra vertente a planificação é um processo de racionalização, organização e coordenação da


acção docente, articulando a actividade escolar e a problemática do contexto social.

Segundo LIBÂNEO(1997), a planificação apresenta três tipos: Plano da Escola, Plano de Ensino
e o Plano de Aula.

De acordo com PILLETTI (2004): a planificação apresenta os seguintes tipos: Plano educacional,
Plano de currículo e o Plano de ensino.

Para MATTOS (1971), os tipos de planificação são três: Plano do curso, Plano da unidade e o
Plano da aula.

7
2.2.2.Importância da planificação do PEA
No processo de ensino-aprendizagem, a planificação do PEA é importante devido ao facto de que:

• Assegura a racionalização, organização e coordenação do trabalho docente, de modo que


a previsão das acções docentes possibilite ao professor a realização de um ensino de
qualidade e evite a improvisação e a rotina.
• Permite a previsão dos objectivos, dos conteúdos e dos métodos, a partir da consideração
das exigências postas pela realidade social, do nível de preparação e das condições sócio-
culturais e individuais dos alunos.
• Assegura a unidade e coerência do trabalho docente, ou seja, inter-relacionar os
elementos que compõem o processo de ensino: os objectivos (o que ensinar); os alunos e
suas possibilidades (a quem ensinar); os métodos e técnicas (como ensinar); e a avaliação,
o que permite verificar em que medida as actividades inicialmente propostas estão a ser
bem sucedidas ou não.
• Facilita a preparação das aulas, através da selecção do material didáctico em tempo útil;
saber que tarefas o professor e os alunos devem executar; replanificar o trabalho perante
novas situações que aparecem no decorrer do Processo de Ensino-Aprendizagem (PEA),
em geral e, das aulas, em particular.
• Contribui para a realização dos objectivos visados.
• Promove a eficiência do ensino.
• Garante maior segurança na direcção do ensino e também na economia do tempo e
energia.

Segundo PILETTI, a planificação do ensino é importante pelos seguintes motivos: assegurar a


racionalização, organização e coordenação do trabalho docente de modo que a previsão das
acções docentes possibilite ao professor a realização de um ensino de qualidade e evita a
improvisação e a rotina; explicitar princípios, directrizes e procedimentos do trabalho docente
que assegurem a articulação entre as tarefas da escola e as exigências do contexto social e de
processo de participação democrática; contribui para aconcretização dos objectivos previstos;
garante a economia do tempo e energia.

8
2.3.Níveis de Planificação do processo de ensino-aprendizagem
A planificação pode ser feita em três niveis, nomeadamemente:

- Nivel Central;

- Nível Provincial e;

- Nível Local.

2.3.1.Os elementos de plano de aula que são utilizados pelos professores


O plano de aula possui certas formalidades, elementos que devem estar presentes na sua
organização. São eles:

Cabeçalho é um espaço de apresentação, no qual se identifica a escola (nome da instituição de


ensino - também do centro e do departamento se for o caso), o professor, a área do conhecimento,
o tema ou assunto da aula, o nível de escolarização em que a aula será aplicada, o período
(matutino, vespertino, noturno) e a carga horária (quantos minutos serão dedicados à aula).

Objetizvos a serem alcançados com as aulas que serão ministradas. Algumas palavras-chave
ajudam a organizar os objetivos, como: capacitar os alunos para..., instrumentalizar, ampliar o
conhecimento sobre..., conhecer as relações do..., aprender a/sobre....

Conteúdos são os meios pelos quais se espera alcançar os objetivos. Atividades propostas
(esportes, jogos, brincadeiras, manifestações culturais) explicitadas e explicadas em relação ao
sentido de estarem sendo utilizadas, sua adequação ao nível de escolarização dos alunos e nível
de desenvolvimentos motor e cognitivo, sem deixar de dar atenção às relações culturais e afetivas
que os alunos possuem com as práticas que estão sendo compartilhadas nas aulas.

Procedimentos metodológicos também são os meios pelos quais se espera alcançar os objetivos,
mas nesse caso é nesta seção em que se apresentará a lógica estabelecida ou a seqüência didática
em que o conteúdo será trabalhado/exposto no decorrer da aula, considerando que toda aula tem
abertura, desenvolvimento e encerramento (início, meio e fim). Desse modo, ele deve prever a
adequação dos estímulos/atividades para a operacionalização do aprendizado, com uma estrutura
flexível, mas com ordenação lógica. Quais são os procedimentos didáticos/estratégicos utilizados
para a aprendizagem dos alunos (procedimentos adotados para facilitar o processo de
9
aprendizagem), como: aulas expositivas, dinâmicas, debates, seminários, exercícios, análises,
situações-problemas e outros que o professor julgue necessário para alcançar os objetivos.

Recursos didáticos como materiais que serão necessários para o desenvolvimento da aula. Os
recursos didáticos devem ser previstos, pois são eles que impõem os desafios e facilitam o
processo de apropriação de um saber que se quer compartilhar na aula, ou competências de
ordem física/cognitiva/ética/estética que se quer desenvolver. Os recursos devem ser adequar aos
objetivos que se quer alcançar no ensino.

Metodologias de avaliação são as técnicas que o professor utilizará para avaliar o ensino-
aprendizagem, que variam de acordo com a proposta metodológica empregada para o ensino.
Pode ser a participação dos alunos nas atividades propostas, desenvolvendo competências sociais
(socialização), nos níveis que são alcançados na resolução de problemas postos pelo professor,
em uma concepção mais tradicional de ensino. No desenvolvimento de capacidades para problem

2.3.2.Definição dos níveis de planificação no PEA


A planificação pode ser feita em três niveis, nomeadamemente:

-Central, este nível consiste em prever acções relacionadas como processo de Ensino-
Aprendizagem numa perpectiva Nacional e é da responsabilidade do Ministerio da Educação e
Desenvolvimento Humano.

-Provincial, confome a disignação, este nível consiste em programar actividades educacionais


anível da província, tendo em conta as suas características e necessidades específicas. Esta
subordina-se à planificação central.

-Local, para tornar cada vez mais especifica e adequada ao contexto da escola e aos alunos, surge
a necessisdade de uma planificação local que contempla a previsão das actividades anível
Distrital e Escolar, à luz dos anteriores níveis. Aluno recebe serviços de educação especial em
instituições especializadas (ex: hospitais, lares....com programa elaborado pelo especialista).

10
2.4.Componentes de planificação do processo de ensino-aprendizagem

2.4.1.Os componentes que se devem ter em conta para a planificação do PEA


Os componentes pessoais são os seguintes: O Professor e o Aluno. E os componentes não
pessoais são os seguintes: problema, objecto, objectivo, conteúdo, método, meios, formas
organizativas e avaliação.

2.4.2.Explicar, em que medida, é útil se ter em conta cada um desses componentes.


Objectivo:

SAVIANI (1997), sustenta que é a descrição clara do que se pretende alcançar como resultado da
nossa actividade. Os objectivos nascem da própria situação: da comunidade, da família, da
disciplina, do professor e principalmente do aluno. Os objectivos educacionais são metas e os
valores mais amplos que uma escola procura atingir, e os objectivos intencionais são proposições
mais específicas referentes as mudanças comportamentais especificadas para um determinado
grupo-classe.

Conteúdo:

Refere-se a organização do conhecimento em si, com base nas suas próprias regras. Abrange
também as experiencias educativas no campo do conhecimento, devidamente seleccionadas e
organizadas pela escola. O conteúdo é o instrumento básico para poder atingir os objectivos.

Procedimentos de ensino:

Os procedimentos de ensino são acções, processos ou comportamentos planificados pelo


professor para colocar o aluno em contacto directo com coisas, fatos ou fenómenos que lhes
possibilitem modificar sua conduta, em função dos objectivos previstos. O professor, ao
organizar as condições externas favoráveis a aprendizagem, utiliza meios ou modos organizados
de acção, conhecidos como técnicas de ensino. O professor, ao organizar as condições externas
favoráveis a aprendizagem, utiliza meios ou modos organizados de acção, conhecidos como
técnicas de ensino.

11
Avaliação:

É o processo pelo qual se determinam o grau e a qualidade de resultados alcançados em relação


aos objectivos, considerando o contexto das condições em que o trabalho foi desenvolvido.

2.5.Etapas do processo de planificação

2.5.1.As etapas do processo de Planificação


As Fases e Etapas do processo de planificação foram se desenvolvendo simultaneamente com a
difusão e prática da Ideia de planificação no âmbito educacional.

O conhecimento da realidade, a elaboração do plano, a execução do plano e a avaliação e


aperfeiçoamento do plano.

De acordo com LIBÂNEO (1997), as etapas de planificação são seis: apre-planificação, o


diagnóstico, aprogramação, a execução, a avaliação e a decisão.

Introduziu-se uma fase de replanificação como meio de preparar melhor o público em geral e os
atingidos para que participem.

2.5.2.A essência de cada etapa no processo de planificação


Conhecimento da realidade:

O Professor deve fazer uma sondagem, conhecer o aluno e o seu ambiente, saber quais as
necessidades, aspirações, frustrações e possibilidades. Após a sondagem, é preciso estudar
cuidadosamente os dados recolhidos, para formar a Conclusão, que seria então o diagnóstico.
Sem o diagnóstico e a sondagem, corre-se o risco de propor o que é impossível alcançar, o que
não interessa ou, ainda, o que já foi alcançado.

Elaboração do Plano:

Na perspectiva do LIBÂNEO, apartir do diagnóstico, temos condições de estabelecer o que é


possível alcançar, como fazer para alcançar e como avaliar os resultados. E para tal, existem
alguns a passos seguir na elaboração do plano: a identificação do tema, a determinação dos
objectivos, a selecção e organização dos conteúdos de ensino, a selecção de métodos de ensino, a

12
selecção de recursos materiais, os procedimentos ou actividades e a estruturação do plano de
ensino.

Execução do plano:

Consiste no desenvolvimento das actividades previstas. Na execução poderá haver elementos não
plenamente previstos. As vezes, a reacção dos alunos ou circunstâncias do ambiente exigirão
adaptações e alterações do plano, isto é normal e não dispensa o plano, pois, uma das
características de um bom plano, é que deve ser flexível.

Avaliação e Aperfeiçoamento do Plano:

Feita a execução do que foi planificado, passamos a etapa de avaliação do nosso trabalho, com
vista a melhoria. Nesta etapa, para além de avaliar os resultados de Ensino e Aprendizagem,
avalia-se também a qualidade do plano, a nossa eficiência como professor.

2.5.3.Diferençado plano com a planificação


Planificação : O "processo" mental que supõe "análise", "reflexão" e "previsão". Visto que é um
Processo, a planificação não é algo que acontece num dado momento, mas num período de
tempo. Já o Plano é "um dos resultados" possíveis do processo de planificação. Os outros seriam
os programas e os projectos.

Planificação é um processo mental que envolve analise, reflexão e previsão. E uma actividade
humana e está presente na vida de todos os indivíduos nos mais variados momentos.

A planificação contribui para a elevação do docente da sua auto estima e capacidade de decidir
mas sobretudo, garantia de uma melhor distribuição das suas actividades lectivas em função dos
objectivos preconizados a um melhoramento de tempo enquanto tempo de aprendizagem.

13
3. Conclusão
Chegando o fim deste trabalho, conclui-se que, a planificação é um fenómeno de planear, de
algum modo as nossas previsões, desejos, aspirações e metas num projectoque seja capaz de
representar, dentro do possível, as nossas ideias. Na verdade, a planificação assume-se assim
como o modo mais eficaz que cada docente tem de preparar o seu trabalho, organizar o tempo
das suas aulas e garantir uma melhoraprendizagem por parte dos seus alunos.

Nenhum projecto será bem sucedido se não for devidamente planificado e delineado, assumindo-
se assim a planificação como o “embrião” ou “semente” do projecto, o pontode partida para o
mesmo. Julgo que as planificações que apresento têm como preocupação base motivar os alunos,
através da selecção de temas do seu agrado eatravés da selecção de actividades que possibilitarão
a sua participação activa e a emissão de opiniões e sugestões.

Todavia, a planificação “deve contribuir para a optimização, maximização e melhoriada


qualidade do processo educativo. É um guião de acção que ajuda o professor no seu
desempenho” e nesta óptica, considero que a realização deste trabalho assumiu-se como uma
mais-valia para mim, pois apesar de já ter uma ideia do que iria fazer em cada aula.

14
4. Referências Bibliográficas
Nivagara, D. D. Didáctica Geral – Aprender a Ensinar. Módulo de Ensino à distância,
Universidade Pedagógica.

Pilete, C. (2004) Didática Geral. 23ª Edição, editora ática. São Paulo.

Libâneo, J. C. (1994) Didática. São Paulo: Cortez

Silva, D. B. (2013). A importância da planificação do processo ensino-aprendizagem. Porto:


Porto Editora.6.

Zabalza, M. (2000). Como educar em valores na escola. Revista PátioPedagógica. Ano 4, 13,
mai/jul.

15

Você também pode gostar