Você está na página 1de 5

Conceitos

Conforme (Dictionnaire de Psychologie , 2001, p. 739), “Tendência é a disposição


interna de um organismo para efectuar certas acções ou para facilitar a execução. As
tendências são o substrato1 das condutas”.

Como descrito em (Tendencias e intençoes, 2012) “As tendências são mecanismos


biológicos universais, que orientam o nosso comportamento para a satisfação de
necessidades. É um impulso que tem por objectivo um determinado fim ou meta, como por
exemplo a necessidade de dormir. Esta necessidade por intermédio da vontade, pode ser
adiada em função de outros objectivos ou projectos pessoais. O adiamento desta necessidade,
ou seja, manter-se acordado, contraria o impulso natural para dormir, sendo uma conduta
motivada que implica esforço e vontade”.

Segundo (Tavares, p. 415) a “motivação é o acto de motivar”. Porém, em Psicologia


“A motivação inscreve-se na função de relação do comportamento: graças a ela, as
necessidades transformam-se em objectivos, planos e projectos: o sujeito procura activamente
formas de interacções de modo que certas relações com certos objectos são exigidas ou
indispensáveis ao funcionamento”. (Dictionnaire de Psychologie , 2001, p. 508).

Em poucas palavras podemos dizer que motivação é o motivo que leva os indivíduos
a praticarem uma acção; o que leva um indivíduo a fazer uma determinada coisa.

Classificação
A motivação envolve factores intrínsecos e extrínsecos.

Factores Intrínsecos:

- “Está centrada no próprio indivíduo e refere-se à realização de um comportamento,


porque este é interessante ou agradável para a pessoa. Dessa forma, a atividade é realizada
por uma satisfação inerente, em vez de pressões ou recompensas externas. As forças que
geralmente movem as pessoas nesse tipo de motivação são a novidade, o sentimento de
desafio ou desafio, ou o valor estético para essa pessoa” no dizer de (Os 9 tipos de motivaçao
de acordo com a psicologia com exemplos, s.d.).

1
O que existe nos seres, independentemente das suas qualidades
“Geralmente é mais duradoura e implica melhor aprendizado e um aumento
significativo da criatividade. Tradicionalmente, os educadores consideram esse tipo de
motivação mais desejável e dão melhores resultados de aprendizagem do que a motivação
extrínseca” (Os 9 tipos de motivaçao de acordo com a psicologia com exemplos, s.d.).

Podemos dizer que são factores internos, ou seja, que eu tenho que me pode levar a
realizar uma actividade. Exemplo: determinação, objectivo ou sonho.

Factores Extrínsecos: “é um tipo de motivação transitória que se refere à energia que


parece desempenhar um determinado comportamento com o objetivo de obter algum
benefício externo, embora essa atividade não seja experimentada como intrinsecamente
interessante. Esse tipo de motivação é mais frequente após a primeira infância, quando essa
liberdade fornecida pela motivação intrínseca precisa ser modulada para começar a se adaptar
às demandas do ambiente” (Os 9 tipos de motivaçao de acordo com a psicologia com
exemplos, s.d.)

Muitas vezes fazemos coisas que não são do nosso agrado, mas, se as fizermos,
sabemos que uma recompensa importante virá para nós. Isso seria basicamente uma
motivação extrínseca” (Os 9 tipos de motivaçao de acordo com a psicologia com exemplos,
s.d.)

-São Exemplo: possibilidade de uma promoção no emprego.

De ressaltar que outros indivíduos inseridos na sociedade não fazem parte de factores
extrínsecos, ou seja, as outras pessoas não me podem motivar, o que pode acontecer é elas
levarem-me a uma reflexão e a partir desta minha reflexão eu sentir-me motivado para querer
agir ou não.

De acordo com (Pimenta, 2017, p. 157) argumenta que o desenvolvimento da


motivação implica quatro factores:
 A canalização das necessidades (aprendizagem);
 A elaboração cognitiva (alvos e projectos);
 A Motivação instrumental (meios e fins);
 A personalização (autonomia funcional);

Enquadramento teórico:
A motivação ramifica-se em dois perfis de teorias:
 Motivação de Conteúdo;
 Motivação de Processo.

Motivação de Conteúdo:

Fala de que elementos motivam os indivíduos; que elementos interpessoais existem


nas organizações que levam as pessoas a agirem.

Dentro desta motivação, encontramos diversas teorias para justificar tal afirmação.
Estas são:

 Teoria das Necessidade de Abraham Maslow: diz que as necessidades dos seres
humanos obedecem a uma hierarquia, a uma escala de valores. No momento em que o
indivíduo realiza uma necessidade, surge outra, exigindo que as pessoas procurem meios para
satisfazê-la. Mostra as necessidades as quais todos os indivíduos devem satisfazer. Estas que
acabam sendo factores motivacionais; ou seja, as satisfações destes elementos levam a
motivação.

 Teoria dos dois factores de Hersberg: esta pode ser trabalhada de forma paralela com
a pirâmide de Maslow, nela, existem duas classes distintas de factores que condicionam o
comportamento e o grau de satisfação dos funcionários de uma empresa, onde a primeira
classe é composta por factores higiénicos (como o individuo se sente com relação a sua
empresa; factores que não geram motivação, apenas evitam que a pessoa fique insatisfeita.
Como por exemplo: as condições de trabalho, administração da empresa, salário, benefícios e
serviços sociais) e a segunda por factores motivacionais (tem a ver com a forma como o
individuo se sente com relação ao seu cargo; envolve: o trabalho em si, a realização, o
reconhecimento, o progresso profissional e a responsabilidade).

 Teoria de Enriquecimento do cargo de Job Enrichment: ela pretende ampliar o leque


de responsabilidades de uma atribuição ou função. Ou seja, atribuir responsabilidades para
que a pessoa tenha sentimentos de pertença o que lhe vai gerar uma motivação.

 Teoria X e Y de Douglas Mcgregor: nela, é necessário entender o perfil de cada


pessoa dentro da organização, onde constam indivíduos categorizados como x que são
indivíduos geralmente preguiçosos e que não são auto-motivados; e os indivíduos de
categoria Y que são auto-motivadas.

Motivação de Processo:

Mostra-nos de que forma acontece o processo de motivação.

Dentro da teoria de processo temos:

 Modelo de comportamento: diz que o comportamento é sempre motivado e não é algo


aleatório, ou seja, tudo que a pessoa faz tem um motivo. As barreiras causadas neste modelo
podem gerar: frustração, ansiedade e dúvida.

 Teoria da Expectância ou da expectativa de Victor Vroom: onde o comportamento


humano é orientado sempre por um tipo de resultado, ou seja, a expectativa de receber
alguma coisa é que me levará a agir; para me motivar penso na recompensa primeiro; o meu
desempenho dependerá do meu esforço, o que depende da minha recompensa.

 Behaviorismo de Skinner: “para ele o indivíduo que experimenta o sucesso após um


comportamento tende a repetir esse comportamento visando novamente obter sucesso
(comportamento recompensado tende a ser repetido). Em oposição, um comportamento que
leva ao insucesso ou fracasso tende a ser abandonado (comportamento punido tende a ser
extinto). Behavioristas vêem a motivação como combinação de motivos e reforços. Exemplo:
(motivos: fome, sede, desejo sexual, etc; e reforços: comida, bebida, sexo, etc)” (Tipos de
Motivaçao , 2021).
Estes motivos podem ser:
Primários: quando estes motivos são inatos e baseados em necessidades biológicas,
necessários a sobrevivência;
Secundários: quando os motivos ou necessidades são aprendidas.
Com isso podemos ver que o comportamento depende das suas consequências, ou
seja, se fizer uma coisa que me gera satisfação ou resultados positivos, a tendência é que eu
faça novamente; se fizer uma coisa que não me gera satisfação ou tenha resultados negativos,
terei uma interrupção no meu comportamento não voltando a fazer a mesma coisa. Então na
óptica do behaviorismo vem o que chamamos de lei da causa e efeito. Concluindo, para esta
teoria, “A motivação é uma variável interveniente inferida no comportamento que apresenta
características como ligação à um estímulo e à resposta” (Tipos de Motivaçao , 2021).

 Teoria da Equidade de Adams: diz que a proporção é um factor motivacional


determinante para um determinado comportamento. Isto quer dizer que para me motivar devo
equiparar-me às pessoas do nosso grupo social.

Bibliography
Dictionnaire de Psychologie . (2001). In R. D. Parot, & CLIMEPSI (Ed.), Dicionário de Psicologia (G. d.
Editores, Trans., 1 ed., p. 737). Lisboa: Outubro de 2001. Retrieved Dezembro 02, 2021

Os 9 tipos de motivaçao de acordo com a psicologia com exemplos. (n.d.). Retrieved from Maestro
virtuale: https://maestrovirtuale.com/os-9-tipos-de-motivacao-de-acordo-com-a-psicologia-
com-exemplos/#:~:text=Os%209%20tipos%20de%20motiva%C3%A7%C3%A3o%20de
%20acordo%20com,e%20possuir%20as%20habilidades%2C%20ativa%C3%A7%C3%A3o%20e
%20energia%20necess%C3%A1rias.

Pimenta, M. d. (2017). Fuga à Paternidade e à Maternidade em África do Berço Negro. Em M. d.


Pimenta, & Dikaion (Ed.), Fuga à Paternidade e à Maternidade em África do Berço Negro
(Vol. Modelos de Delinquencia, p. 157). Luanda: 2017.

Tavares, A. C. (s.d.). O Nosso Dicionário. Em A. C. Tavares, & P. Editora (Ed.), O Nosso Dicionário (1
ed., p. 712). Luanda, Angola.

Tendencias e intençoes. (2021, Dezembro 02). Retrieved from Portfoliopsi:


https://portfoliopsi12.blogspot.com/2012/06/tendencias-e-intencoes.html

Tipos de Motivaçao . (2021, Dezembro 01). Retrieved from Psicoativo:


https://psicoativo.com/2015/11/tipos-de-motivacao-psicologia.html

Você também pode gostar