Você está na página 1de 3

- Ligação Ferroviária Sines – Elvas -

Modernização do troço Bombel / Vidigal – Évora

Troço Bombel – Évora: Peça Fundamental da Ligação


Ferroviária Sines – Elvas

O troço Bombel – Évora faz parte da ligação ferroviária Sines – Elvas, que
tem como objectivo estabelecer uma ligação ferroviária para o tráfego de
mercadorias entre o Porto de Sines e Espanha e daí para o resto da Europa.

A ligação ferroviária Sines – Elvas, de importância estratégica para Portugal,


é uma das intervenções prioritárias previstas nas Orientações Estratégicas
para o Sector Ferroviário e faz parte da lista dos 30 projectos prioritários
abrangidos pela Rede Transeuropeia de Transportes.

Além de promover a competitividade do sistema portuário (composto pelo


arco Sines-Setúbal-Lisboa), esta ligação serve directamente as plataformas
logísticas de Sines, Poceirão e Elvas/Caia, localizadas estrategicamente no
corredor, promovendo a intermodalidade e organizando o transporte de
forma mais racional e sustentável.

Além da modernização do troço Bombel / Vidigal – Évora, as intervenções da


REFER na ligação ferroviária Sines/Elvas compreendem:

• Modernização da Estação da Raquete;

• Construção da Variante de Alcácer à Linha do Sul entre Grândola e


Pinheiro;

• Modernização da Estação de Évora; e

• Construção do troço Évora/Elvas.

Estas intervenções visam harmonizar e adequar os parâmetros de projecto –


tais como carga/eixo, velocidade de projecto, comprimento das linhas de
cruzamento e declive máximo – aos requisitos exigidos para um corredor
internacional de mercadorias.

Com a concretização destas intervenções até 2013, o tempo de percurso da


ligação entre o porto de Sines e a fronteira em Elvas é reduzido em cerca de
3 horas, em resultado da redução de 137 km em relação ao trajecto actual
(o trajecto actual tem 452 km e o futuro terá 315 km), melhorando assim as
condições de exploração ferroviária e reforçando a competitividade dos
portos de Sines, Setúbal e Lisboa.

Modernização do troço Bombel / Vidigal – Évora: Intervenções


Principais

A empreitada de modernização do troço Bombel e Vidigal a Évora prevê a


realização das seguintes intervenções principais:

• Renovação integral da Linha do Alentejo entre Bombel e Casa Branca,


numa extensão de cerca de 37,4 km (excluindo estações);

• Renovação integral da Linha de Vendas Novas entre Vidigal e Vendas


Novas, numa extensão de cerca de 3,1 km (excluindo estações);

• Alteração do layout das estações de Vendas Novas, Torre da Gadanha


e Casa Branca;

• Substituição dos tabuleiros das pontes metálicas da Capela, ao km


83,827 e da Prata, ao km 88,153, por tabuleiros em betão armado;

• Electrificação do traçado;

• Supressão de passagens de nível mediante a construção de obra de


arte e respectivos restabelecimentos de acesso; e

• Substituição das passagens superiores rodoviárias ao km 57,307 na


Estação de Vendas Novas, ao km 74,584 na Estação de Torre da
Gadanha e ao km 90,206 na Linha de Évora.

Interrupção Temporária da Circulação: Minimizar Desconforto


e Garantir Qualidade

A interrupção temporária da circulação na Linha do Alentejo entre Vendas


Novas e Casa Branca, durante cerca de um ano, é necessária para viabilizar
as obras de modernização naquele troço, designadamente, a profunda
reabilitação da plataforma ferroviária nos cerca de 37,4 km de via que serão
objecto de intervenção.

A realização destes trabalhos com interrupção da circulação visa, por um


lado, minimizar o período de desconforto para os passageiros e, por outro,
assegurar a qualidade pretendida pela intervenção, ao nível da plataforma
ferroviária.

Qualquer alternativa a esta opção, tais como interdições da via aos fins-de-
semana e em períodos nocturnos, implicaria um maior prazo de execução
da empreitada, com reflexos na pontualidade dos comboios mas,
principalmente, não permitiria adequar este troço aos requisitos exigidos
para a ligação ferroviária Sines – Elvas, dentro do calendário previsto
(2013), ao não possibilitar uma intervenção de fundo na plataforma
ferroviária.

Lisboa, 10 de Maio de 2010

REFER – Comunicação e Imagem

Telf. + 351 21 1022000; ci@refer.pt

Interesses relacionados