Você está na página 1de 6

Cardiomegalia:

sintomas, classificação,
causas e tratamento
A cardiomegalia é o crescimento anormal do coração. Não é
considerada uma patologia como tal, mas a manifestação clínica de
alguma doença local ou generalizada. Dependendo da entidade
que a causa, a cardiomegalia pode ser transitória ou permanente e
leve ou grave.
Aumentar o tamanho do coração nem sempre produz sintomas
nos pacientes. Mesmo alguns não têm conhecimento de sua
doença e são diagnosticados apenas acidentalmente. Outros
apresentam sinais clínicos importantes, associados a danos
irreversíveis ao coração.

As doenças que causam cardiomegalia são muito variadas. A


maioria destes está concentrada na esfera cardiovascular, mas
alguns outros sistêmicos ou infecciosos também podem causar
cardiomegalia. Como esperado, o tratamento dependerá da causa
e só poderá ser por meio de medicamentos ou mesmo
intervencionista.

Sintomas
A cardiomegalia leve ou transitória nem sempre apresenta
sintomas importantes. As manifestações clínicas geralmente
aparecem quando o coração atinge um tamanho muito grande e
sua capacidade funcional está seriamente comprometida.

Ritmo cardíaco anormal


Palpitações ou batimentos cardíacos irregulares são as primeiras
alterações causadas pela cardiomegalia. O alongamento das fibras
musculares e da rede nervosa cardíaca pode ser a causa. O
paciente refere-se a sentir o coração “descontrolado” ou com
batimentos que mudam de ritmo ocasionalmente.

Dor no peito
Não é muito intenso, mas irritante. Sua etiologia está associada a
pequenos eventos isquêmicos devido à incapacidade do coração
de irrigar seus próprios vasos sanguíneos.

Está freqüentemente presente após um esforço de intensidade


variável, mas quando ocorre em repouso, é um sinal de lesão
cardíaca grave.

Falta de ar
É um sintoma típico de insuficiência cardíaca associada à
cardiomegalia. Como a dor, ocorre após alguma atividade física.

É comum encontrar o paciente ofegante, curvado sobre si mesmo,


com a mão no peito e manifestando que não recebe ar. A dispnéia
em repouso é comum em pacientes muito doentes.

Tosse
Também está diretamente relacionado à insuficiência cardíaca. O
manuseio inadequado dos fluidos que entram no coração faz com
que eles vazem e entrem nos pulmões, irritando-os e causando
tosse. Em casos muito graves, pode ser acompanhado por
expectorações avermelhadas devido à presença de sangue.

Edema
O aumento de volume ou edema é outra consequência do mau
gerenciamento de líquidos pelo coração aumentado. A disfunção
cardíaca causa uma diminuição do retorno venoso e vazamento de
plasma através das paredes vasculares. Começa com o inchaço dos
tornozelos e pode progredir para o abdômen.
Cansaço
Além da falta de ar, a fadiga é um sintoma diário em pacientes com
cardiomegalia. Irrigação inadequada dos tecidos envolvidos no
movimento parece ser a causa. É acompanhado por dores nas
pernas ocasionais e claudicação.

Classificação
Existem duas classificações básicas para cardiomegalia. A primeira
é uma classificação radiológica, na qual o tamanho do coração está
relacionado ao restante das estruturas observadas em uma placa
torácica. O segundo é baseado nas características das paredes do
coração e em seus sintomas.

É calculado com a seguinte fórmula, usando as medidas em


centímetros que aparecem na imagem anterior:
Índice Cardiotorácico (IC) = A + B / C

Os valores normais sempre estarão abaixo de 0,5 centímetros.

Grau I
Compreende qualquer valor de IC acima de 0,5, mas menor que 0,6
centímetros. Geralmente é um achado radiológico ocasional.

Grau II
Inclui qualquer valor de IC acima de 0,6 e menor que 0,7
centímetros em adultos. Pode haver sintomas de insuficiência
cardíaca leve.

Grau III
Valores acima de 0,7 centímetros, mas sem o coração tocando a
parede costal.

Grau IV
Qualquer tamanho do coração acima de 0,7 centímetros, mas com
a condição de que a silhueta cardíaca faça contato com a parede
costal.

Classificação patológica
Baseia-se na espessura das paredes do coração, embora dependa
principalmente da causa, do tempo de evolução e da clínica do
paciente. O ecocardiograma é essencial para o diagnóstico “in vivo”
e também para o eletrocardiograma.

Cardiomegalia hipertrófica
Como o nome indica, nesse tipo de cardiomegalia as paredes do
coração são mais espessas que o normal, comprometendo o
tamanho interno das câmaras cardíacas e seu funcionamento.

Cardiomegalia dilatada
Nesse caso, as paredes do coração são anormalmente diluídas.
Quando o músculo cardíaco não consegue mais suportar as
pressões e volumes habituais, ele se estende e aumenta o
tamanho de suas câmaras. Geralmente ocorre em doenças
crônicas.

Causas
Embora a maioria das causas da cardiomegalia seja da própria
esfera cardiovascular, existem muitas doenças que podem causar,
incluindo as seguintes:

Hipertensão arterial
Quando a pressão nas artérias aumenta, o coração deve trabalhar
mais para bombear o sangue. Isso faz com que, como todo
músculo que faz um esforço repetido, fique maior. Inicialmente, ele
tem cardiomegalia hipertrófica, mas quando se torna crônico, o
coração acaba cedendo e dilatando.

Valvulopatias
Quando uma das quatro válvulas do coração falha, ela não realiza
um bom gerenciamento do fluxo sanguíneo e pode acabar
aumentando.

As válvulas podem ser danificadas desde o nascimento devido a


doenças cardíacas congênitas ou como resultado de infecções,
ataques cardíacos, febre reumática, alguns medicamentos ou
radioterapia para câncer.

Pericardite e derrame pericárdico


Quando o saco ao redor do coração (pericárdio) fica inflamado ou
cheio de líquido, ele não permite contração normal e, quando
exercido excessivamente, hipertrofia.

Anemia e hemoglobinopatias
A diminuição da hemoglobina ou de seus defeitos causa aumento
no trabalho cardíaco e, portanto, seu crescimento anormal.

Infecções
A doença de Chagas ou a tripanossomíase americana é uma
infecção parasitária causada pelo Trypanosoma cruzi . Esse parasita
viaja em certos insetos, como percevejos ou chipos, que quando
mordem o ser humano inoculam o tripanossomo e se aloja nas
células cardíacas, danificando-as com o tempo e causando
cardiomegalia irreversível.

Outras causas de cardiomegalia são anormalidades da tireóide,


doenças do tecido conjuntivo, hemocromatose e algumas doenças
consideradas raras.

Tratamento
Embora seja verdade que a cardiomegalia não é uma doença como
tal, existem tratamentos usuais para alívio ao gerenciar a causa
que a desencadeia.

Medicamentos
Anti-hipertensivos são os mais comuns. Diuréticos, antagonistas do
cálcio, betabloqueadores, digoxina, anticoagulantes e
antiarrítmicos também podem ser indicados.

Dispositivos médicos
O marcapasso, equipamento tecnológico que fornece um ritmo
adequado aos batimentos cardíacos, é instalado em pacientes cujo
coração não funciona mais devido à cardiomegalia.

Cirurgia
Indicado para reparar um dano físico do coração, como algumas
anormalidades congênitas, valvulopatias, circulação extracorpórea
e até transplante de coração.

Você também pode gostar