Escola Estadual Prof° Orlando Mendes de Moraes

As Civilizações E suas Diferenças

Rosilda Soares Pereira

São Paulo, 14 de Abril de 2011

1

Escola Estadual Prof° Orlando Mendes de Moraes As Civilizações E suas Diferenças Projeto de pesquisa apresentado a Escola Estadual Pro° Orlando Mendes de Moraes SP. como requisito para avaliação bimestral de Geografia. Rosilda Soares Pereira São Paulo. 14 de Abril de 2011 2 .

Divisões regionais .Introdução . 01 02 03 04 04 05 05 05 05 05 07 07 07 08 08 08 08 08 08 09 09 09 10 10 12 13 3 .Sumário Capa Contra Capa Sumário Civilização Árabe .Definições de Governos Civilização Ortodoxa .Definição Clássica .Línguas .Introdução Civilização Subsaariana .Países capitalistas durante a guerra fria .Diversidade étnica . o Profeta .Divisão por Línguas .Origem .Divisão Cultural Civilização Ocidental .História Conclusão Bibliografia Pág.Culturas dominantes desde a época colonial .A Expansão Muçulmana Civilização Latino-Americana .História .Maomé.

o livro sagrado dos muçulmanos e primeiro texto escrito em árabe.Civilização Árabe A civilização árabe ou islâmica surgiu no Oriente Médio. a mais destacada. que ocorreu em 622. sem que houvesse um Estado centralizado. o número de crentes em Alá foi aumentando e. Embora fossem politeístas e adorassem diversas divindades. todas na confluência das rotas das caravanas que atingiram o Mar Vermelho. a expansão do islamismo. é chamada de héregia e indica o início do calendário muçulmano. como centro religioso de todos os árabes. Também era comum o ataque a caravanas que levavam artigos do Oriente para serem comercializados no Mar mediterrâneo ou no Mar Vermelho. É área de aproximadamente um milhão de quilômetros quadrados. a submissão total a Alá. caso morressem em luta. Os habitantes de Meca. assim como a administração da cidade. caso sobrevivessem. jejuar regularmente. o mesmo significado que o nascimento de Cristo tem para os cristãos. para esse povo. temerosos de perder o comércio as caravanas de fiéis que se dirigiam à Caaba. passaram a perseguir Maomé. dar esmolas. Maomé. como a proibição de consumir carne de porco. tendo. divulgou que tivera uma visão do anjo Gabriel . entre as quais as mais importantes localizavam-se a oeste. de praticar jogos de azar e de reproduzir a figura humana. que viviam basicamente do pastoreio e do comercio. a todos os povos "infiéis". na poderosa tribo dos coraixitas. ou com a partilha do saque das cidades conquistadas. O grande estímulo era dado pela crença de que os guerreiros de Alá seriam recompensados com o paraíso. A palavra deus. ficava sob os cuidados da tribo dos coraixitas.entidade da religião cristã . em árabe. Eram elas: latribe. assemelha-se a um cubo e. além da defesa da autoridade do pai na família e da permissão da poligamia masculina. Apesar de dispersos num grande território os árabes edificaram algumas cidades. nome que significa a "cidade do profeta". e a maioria da população árabe da cidade não aderiu ao seu monoteísmo. se diz Alá. Tendo sido por muito tempo guia de caravanas. os árabes viviam em tribos. A grande transformação de sua vida teve lugar quando. numa península desértica situada entre a Ásia e a África. pontilhados por alguns oásis e por uma cadeia montanhosa. os ídolos de todas as tribos estavam reunidas num templo. o Corão registra as seguintes regras fundamentais para os muçulmanos: orar cinco vezes por dia com o rosto voltado para Meca. a oeste. ali se reuniam milhares de crentes. chamado Caaba. No interior da península havia tribos nômades de beduínos. apoiado nessa força.em que este lhe revelara a existência de um deus único. Maomé foi obrigado. como o judaísmo e o cristianismo. situado no centro de Meca. A Guerra Santa serviu para unificar as tribos árabes e tornou-se um dos principais fatores e permitir a expansão posterior do islamismo. Maomé começou a pregar a Guerra Santa. Os crentes na nova religião eram chamados muçulmanos ou maometanos. através da força. nasceu por volta de 570. então. a Palestina e a Pérsia. Gradualmente. já bem estabelecido economicamente. que existe até hoje. ou seja. Maomé percorreu o Egito. Essa fuga. sem dúvida. na parte montanhosa da Península Arábica. a fugir para latribe. com a conseqüente eliminação de todos os outros ídolos. que passou a chamar-se Medina. pois. A construção. 4 . Somente uma estreita faixa no litoral sul da península possui terras aproveitáveis para a agricultura. o Profeta Maomé. ou seja. A cidade de Meca era. que iria causar enormes transformações em seu povo e no mundo. Às vezes entravam em luta pela posse de um oásis ou pela liderança de uma rota comercial. Com os ensinamentos de Maomé se instalaram também outras regras de comportamento individual e social. com centenas de milhares recobertos por um enorme deserto. o que tornava seu comércio ainda mais intenso. Até o século VI. peregrinar ao menos uma vez na vida para Meca. Começou então a pregar o islamismo. Taife e Meca. Além da submissão total a Alá. conhecendo novas religiões. A revelação feita a Maomé e todas as suas pregações estão reunidas no Corão.

Formada pela conquista do continente americano pelos exploradores portugueses e espanhóis em sua expansão ultramarina. com muitas contribuições à Álgebra. Divisão Cultural Necessária apenas para destacar as manifestações hegemônicas e diferenciar as regiões industrializadas daquelas que ainda tem na agricultura sua maior fonte de divisas.os "sucessores do profeta" . Civilização Latino-Americana A Civilização Latino-Americana é a mais recente e misógina civilização contemporânea. estendendo-se em direção ao Mar Mediterrâneo. por razões didáticas. Séculos mais tarde. Uruguai e região sul/sudeste Brasileiro. No campo das ciências desenvolveram a Matemática. conquistaram o norte da África e parte da Península Ibérica.A Expansão Muçulmana Após a morte. depois de várias tentativas. aprendidos com os chineses e introduzidos no Ocidente. É um pólo industrial do continente. enquanto que os demais países do continente formam a América Hispânica. com a tomada de Constantinopla em 1453. os árabes ainda conseguiram conquistar as ilhas Baleares. conquistaram grande parte dos domínios muçulmanos. os muçulmanos dominaram toda a Península Arábica. Até mesmo a palavra algarismo deriva da língua árabe. Com os califas iniciou-se a expansão da civilização muçulmana. é importante lembrar que a enorme diversidade de sub variedades culturais e a ausência de fronteiras específicas entre elas torna impossível uma divisão tecnicista destas multiplicidades. Este foi um dos fatores que contribuíram para o isolamento dos reinos bárbaros cristãos que voltaram mais ainda para uma economia agrícola e rural. Expandindo-se para leste. Em virtude da enorme extensão de seu império. Caracterizando-se. pelo respeito aos costumes dos povos vencidos. Trigonometria e Astronomia. em geral. que englobou esses domínios e acabou. em 732. o que contribuiu para a formação do feudalismo. Foi o caso do uso da bússola e da fabricação do papel e da pólvora. Divisão por Línguas Em tese existe uma América espanhola e outra América portuguesa. motivada principalmente pela necessidade de terra fértil que o aumento populacional da Península Arábica após a unificação das tribos exigia. pois. o conjunto formado pelo então Reino de Espanha e suas colônias (a principal era a América Latina) formavam o maior império do mundo em sua época. avançaram rapidamente. daí serem chamados arábicos. Divisões regionais Embora seja necessário a divisão do subcontinente latino-americano em características regionais. o algodão. a Sicília. a laranja e o limão. o arroz. Geometria. pelo franco Carlos Martel. A Medicina que desenvolveram baseou-se nos conhecimentos dos gregos. desenvolveram conhecimentos e técnicas valiosas até hoje.que eram chefes religiosos e políticos. Eles formaram no século XIV o Império Turco. Apesar do avanço muçulmano na Europa ter sido freado na Batalha de Poitiers. Assim sendo temos: O Cone Sul. utilizando elementos próprios e de outras culturas. originários da Ásia Central e seguidores do islamismo. entre 1580 e 1640. impulsionados pela crença no paraíso após a morte e pelas recompensas terrenas. aproveitando-se da fraqueza de seus vizinhos persas e bizantinos. Paraguai. conquistando o Império Bizantino. com forte influência da cultura inglesa e 5 . A tolerância dos muçulmanos para com os povos conquistados permitiu-lhes atingir grande progresso econômico e cultural. alcançaram a Índia e. os turcos. Quando Espanha e Portugal unificaram coroas. Maomé foi substituído pelos califas . É o centro europeu do continente. os árabes difundiram o cultivo de produtos agrícolas. Os guerreiros islâmicos. como a cana-de-açúcar. Os algarismos que usamos atualmente são uma herança indiana transformada e transmitida aos ocidentais pelos árabes. que é formado pela Argentina. A extensão dos domínios muçulmanos pelo Mediterrâneo prejudicou o comércio da Europa Ocidental com o Oriente. esta última é representada unicamente pelo Brasil. a Córsega e a Sardenha.

Especialmente a região conhecida como Agreste e Zona da Mata. O líder Chico Mendes é um dos principais ícones de auto-afirmação desta cultura. sofre forte influência indígena. café e outros. uma resistência bastante nítida de culturas ancestrais. Canções como Índia e Galopeira tem elementos musicais de fusão dos estilos caipiras brasileiros com a polca e o guarânico paraguaios. o México tem a mais purista influência. de forte presença européia. Culturalmente é a região dos Maias. É uma região que tem muitas interações com a cultura sertaneja brasileira. ao mesmo tempo que os habitantes do Cone Sul se consideram latino-americanos. ou América Central é o nome atribuído aos países localizados entre o México e a Colômbia. muitos nobres se refugiaram no México e os principais assuntos relativos à Coroa Espanhola eram tratados neste país. especialmente a Guarani e tem sua formação étnica como sendo resultado das incursões dos bandeirantes europeus pelo continente na busca do ouro. contudo há ilhas de desenvolvimento nas capitais. A parte brasileira do cone sul é ao mesmo tempo a mais européia e a mais misógina de todo o continente latino-americano. indígenas e europeus se fundem e ganham aspectos locais de forte influência da estética barroca. A região do Chaco boliviano que também engloba o Paraguai é uma região de agropecuária extensiva.norte-americana nos dias atuais. quanto na literatura popular e na tradição oral do povo. Ali. uma vez que não sofreu levas migratórias de outros grupos europeus como seus vizinhos do sul. Constituem este conjunto ilhas como a Jamaica (a mãe do Reggae) e outras ilhas de domínio histórico britânico como as Bahamas. Ditaduras apoiadas pelos Estados Unidos esmagaram as economias locais por décadas. O Sertão brasileiro é o centro geográfico da América do Sul. De fato. Tem uma forte identidade cultural e está fortemente integrada economicamente ao cone sul. amazonense. A Venezuela é a mais européias das nações que formam este conjunto que merece ser destacado dos demais por sua pequena separação geográfica do restante do continente. Apesar de ser região basicamente agrícola. inglês. que enche o folclore da região de elementos pré-colombianos. em parte. seja ele índio. francês ao indiano. já que os ingleses não se miscigenaram com os habitantes locais. México: pode quase ser considerada uma civilização autônoma. a espanhola e a italiana (esta última devido a levas migratórias). A identidade cabocla se define pelo homem que vive da selva. Bolívia e Peru. Interessante ressaltar que o Estado da Bahia. mas há inúmeras características regionais que o tornam diferente de qualquer outra parte do conjunto latino-americano. tanto nas inúmeras variedades musicais. onde atividades agrícolas formam a maior fonte de divisas e forte a presença indígena nativa. o México influencia diretamente a cultura local. seringueiro. em sua maioria negros africanos. como ligado ao sertão. Istmo Central. embora não desfrute dos mesmos índices de IDH deste. É notável que. O povo que habita o norte do país tem maior descendência indígena do que sul. com exceção do Chile. A identidade mexicana é marcada pela imposição de alguns costumes espanhóis a elementos Astecas. No Brasil ainda houve forte presença de africanos. 6 . elementos africanos. A região mais rica em termos de culturas locais ainda não colonizadas. Muitos mexicanos consideram o país o centro da cultura hispânica no mundo. consideram-se também integralmente parte da Civilização Ocidental. laranja. pescador ou caçador. As influências variam do holandês. É o homem que precisa da selva de para continuar sobrevivendo. Venezuela. a miscigenação dos homens brancos com os nativos deu origem e uma cultura que tem recebido diversas denominações ao longo da história: ribeirinha. Mas. tendo como principal herança étnica a portuguesa. tem aspectos em comum com o restante do Nordeste. Em termos europeus. Por esta causa. os EUA precisavam dela para obter produtos agrícolas tropicais tais como banana. o estilo de vida caboclo é estimulado a resistir à ocupação predatória da região. Esta última é a mais difundida atualmente. A Amazônia é região que compreende o norte do Brasil e partes de Colômbia. Nos aspectos culturais o Pantanal Mato Grossense também se insere neste contexto. A força da música regional se impõe aos ritmos e estilos internacionais e existe até mesmo na moda. cabocla. durante a ocupação napoleônica na Espanha. em especial o Paraguai. que foram usados como mão-de-obra escrava até 1888. Caribe Anglo-Saxão: somente a língua tem influência britânica. O conjunto Andino. A região mais violentada pela política externa norte-americana até o fim do século XX. Guianas: conjunto tão isolado e diferente do restante do continente que nem pode ser considerado como parte desta civilização. mas pode ser considerada uma região particular dentro do Brasil. Norte da Venezuela e Antilhas: estas formam um conjunto marcado pelo mambo e por uma inestimável riqueza de culturas. É uma região pobre. Celeiro da Nação Inca. O Nordeste brasileiro pode ser considerado.

Canadá. tais como o Renascimento. conquistando e absorvendo muitas grandes civilizações mais antigas. o Ocidente experimentou um período de declínio considerável. o Protestantismo. como o Japão. no domínio das tecnologias aplicadas e desenvolvimento econômico. muitas vezes inclui os países desenvolvidos da Ásia. Austrália e Nova Zelândia são consideradas parte da cultura ocidental devido ao seu estatuto anterior de colônias de impérios da Europa Ocidental. 7 . deixando um vácuo para o florescimento de novas idéias que eram impossíveis nas sociedades clássicas. à expansão dos povos cristãos dos impérios da Europa Ocidental e particularmente. entre as culturas e povos da Europa. a Rússia e a Bulgária foram convertidas a partir de Constantinopla e fazem parte do Oriente. a OTAN e Estados Unidos.. Com a expansão do cristianismo na Europa. No entanto. Depois da Idade Média. o consenso atual seria localizar o Ocidente. Austrália e Nova Zelândia. o Humanismo. A diferença entre o Ocidente e a sua contrapartida o Oriente é mais velha: no Império Romano já havia diferença entre a parte ocidental latina e o parte oriental. nas formas dominantes." Desde a Renascença. O conhecimento do mundo antigo ocidental foi parcialmente preservado durante este período devido à sobrevivência do Império Romano do Oriente. a maioria dos países na América do Sul. embora grande parte das Américas tenham tido uma considerável influência pré-cultural ocidental. que inclui a Idade das Trevas e as Cruzadas. principalmente por causa da sua localização geográfica e pelos laços culturais com o restante da Europa. a diferença foi levada às outras partes da Europa. Em geral. pelo menos. na arquitetura. nas finas artes e no vestuário. dominada pelos gregos. entre a queda do Império Romano do Ocidente e o Renascimento. Em qualquer ponto de vista. A maioria dos países da América Latina. com a Grécia antiga e a Roma antiga. depois. o Iluminismo. Com o tempo. Culturalmente o Leste Europeu é geralmente aceito como parte do "Ocidente". a expressão indicava as áreas da Europa tradicionalmente católicas ou protestantes. Há um debate entre alguns se a Europa Oriental poderia ser colocada em uma categoria própria. após o colapso total do Império Romano do Ocidente. enquanto os irlandeses e os neerlandeses pertencem ao Ocidente. cresceu para o norte e para o oeste incluindo a Europa Central e Ocidental.C. seus impérios associados cresceram primeiro para o leste e para o sul. o Ocidente foi caracterizado por um grande número de correntes de desenvolvimento. Por exemplo. Através dos séculos. políticos e militares com a Europa Ocidental. idiomas. A importação árabe. etc. O mapa representa o Oriente Ortodoxo e o Ocidente cristão (católico-protestante) do Ocidente. o Ocidente evoluiu além da influência dos antigos gregos. Taiwan e Coréia do Sul. sustentam que a civilização ocidental nasceu por volta de 400 d. que têm fortes laços econômicos. Outros historiadores. na filosofia e na ética.Civilização Ocidental Origem De origem. conhecido como a Idade Média. a região não preenche os critérios econômicos tradicionais de padrão de vida que se associa com "o Ocidente". Singapura. o termo "mundo ocidental". Desde a Era dos Descobrimentos e de Colombo. romanos e muçulmanos devido às revoluções Comercial. eles ainda mantêm tradições muito distintas do Ocidente em religião (embora o Cristianismo seja uma religião importante na Coréia do Sul). Quando se refere a acontecimentos atuais. O território ocidental da Europa de acordo com Huntington. como Carroll Quigley (Evolução das Civilizações). à abrangência dos impérios europeus dos séculos XVIII e XIX. A separação do Império Romano em uma parte Ocidental e uma parte Oriental em 395 e o cisma de 1054 também reforçaram esta diferença. e principalmente pela ascendência concorrente da Era de Ouro do Islamismo. América do Norte (ou seja. Científica e Industrial. que também foi expandido pelo Mundo Árabe. tanto de antigas quanto de novas tecnologias a partir do Oriente Médio e do Oriente para a Europa renascentista representou "uma das maiores transferências tecnológicas na história do mundo. Introdução É consenso que o Ocidente teve origem no norte e leste do Mediterrâneo. Estados Unidos e México). Embora esses países tenham considerável influência e semelhanças com a cultura ocidental. o Grande Cisma causou diferenças determinantes na estrutura social. a noção do Ocidente se expandiu para incluir as Américas.

a Austrália. o "mundo oriental"). os Estados Unidos e o Canadá. e a seus líderes. constituída principalmente pela Rússia e pelo Leste Europeu. O Primeiro Concílio de Niceia. elas têm pouca relação com definições que foram apresentados acima. e os que têm suas raízes históricas e culturais ligadas à Europa. é uma das principais Igrejas cristãs da atualidade. Seus fiéis são chamados de cristãos ortodoxos. e também o Japão e Israel. organizacionais e de espiritualidade não desprezáveis. Constantinopla e Roma. também as Américas e a Oceania e. História Até o século XI. a Nova Zelândia. Definição clássica A definição clássica para o "Mundo Ocidental" compreende os países da Europa (por oposição a Ásia. Às vezes. Civilização Ortodoxa Seria a civilização de países que têm como religião predominante a doutrina ortodoxa do Cristianismo. Por exemplo. que começa com a instituição da Igreja por Jesus Cristo e sua difusão pelos apóstolos. Culturas dominantes desde a época colonial A expressão Mundo Ocidental às vezes refere-se ao grupo de países que alcançaram a hegemonia desde a segunda parte do segundo milênio. em parte. além da própria Europa. preserva os sete sacramentos. estabeleceu a Pentarquia. Países capitalistas durante a guerra fria Durante a Guerra Fria. em 325. Definições de governos Definições de governos servem um alvo legal e administrativo. o respeito a ícones e o uso de vestes litúrgicas nos seus cultos (denominados de divina liturgia). 8 . em que a Igreja foi organizada sob cinco patriarcas: os bispos de Jerusalém. Nesta definição se incluem. no todo sua doutrina é semelhante à da Igreja Católica.costumes e visões de mundo que são produtos do seu próprio desenvolvimento indígena. A Igreja Ortodoxa e a Igreja Católica Apostólica Romana separaram-se no século XI. Por essa razão os ortodoxos não reconhecem a autoridade do Papa. tendo um alto padrão de vida e um elevado nível de desenvolvimento humano. também a África do Sul. o governo dos Países Baixos considera os imigrantes da Indonésia (uma ex-colônia holandesa) como imigrantes ocidentais. o Bispo de Roma perdeu influência em favor do Bispo de Constantinopla em relação às igrejas orientais. e não consideram válidos os sacramentos ministrados por outras confissões cristãs. Ainda assim Roma continuou tendo uma autoridade especial devido à sua ligação com São Pedro. tais como o da Imaculada Conceição e o da infalibilidade papal. a expressão "Mundo Ocidental" se referia de maneira muito genérica aos países capitalistas desenvolvidos. Alexandria. sucessores dos apóstolos. o Canadá. Nesta definição estão incluídos a Europa Ocidental. não aceitam os dogmas proclamados pela Igreja Católica Romana em séculos recentes. também conhecida como Igreja Católica Apostólica Ortodoxa ou Igreja Ortodoxa Oriental. a Europa Ocidental. são os únicos membros asiáticos da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e são as duas principais democracias plenas na Ásia. A Igreja Ortodoxa vê a si mesma como a verdadeira igreja instituída por Jesus Cristo. embora muitos interpretem esse título como o primus inter pares (primeiro entre iguais). Japão e Coréia do Sul. Esta definição inclui os Estados Unidos. A Igreja Ortodoxa. em particular. sendo o Bispo de Roma considerado o primus (primeiro) entre os patriarcas.C). Em que pesem diferenças teológicas. Antioquia. católicos romanos e ortodoxos têm uma história comum. ao invés de apenas serem frutos das influências ocidentais. Porém. quando a residência do Imperador e do Senado foi transferida para Constantinopla (em 330 d.

acentuou-se a pretensão. Rússia e muitas das terras eslavas. por parte de Roma. representantes ou legatários. e a oriental. enquanto que Constantinopla aceitava somente que Roma tivesse uma posição de honra. fortes e auto-suficientes. que se reúnem por chamada do Patriarca Ecumênico de Constantinopla. todas elas em comunhão umas com as outras. cada qual com sua própria tradição e cultura. de exercer uma autoridade inconteste sobre todo o mundo cristão. com a ascensão do Islã. de língua latina. assim denominada pela predominância nessa região de povos de pele escura. a culinária e a indumentária dos diferentes povos do continente. Introdução A Igreja Ortodoxa é formada por diversas jurisdições eclesiásticas (como por exemplo. Para os ortodoxos. usam o rito bizantino. a Igreja Ortodoxa Grega. com os seus cerca de 9 milhões de quilômetros quadrados. Egito. e a unidade cultural entre os dois mundos deixou paulatinamente de existir. A esta divisão a historiografia ocidental chama Cisma do Oriente. Calcedônia. Síria. que se compõe de todos os patriarcas chefes das igrejas autocéfalas e os arcebispos-primazes das igrejas autônomas. A maior parte das Igrejas ortodoxas. se tornaram mais difíceis. tendo também o direito a remover seus próprios bispos. ao mesmo tempo. Com a divisão do Império Romano (em 395). No século VIII. incluindo as línguas. Constantinopla II. A grande maioria da população pertence a etnias anteriormente classificadas na "raça negra". Mais tarde. Essa situação ensejou uma escalada de divergências doutrinárias entre Oriente e Ocidente (em particular a inclusão no Credo Niceno-Constantinopolitano. etc. da cláusula filioque. Uma igreja autocéfala possui o direito a resolver todos os seus problemas internos em base a sua própria autoridade. O chefe espiritual das Igrejas Ortodoxas é o Patriarca de Constantinopla. Constantinopla. Primeiro veio a quebra da unidade política. formando um mundo islamizado. a música. A Igreja Ortodoxa reconhece sete Concílios Ecumênicos: Niceia. considerada herética pelos ortodoxos) e a adoção gradativa de rituais diferentes. a arquitetura. em 1054. Éfeso. incluindo o próprio patriarca. Constantinopla III e Niceia II. uma vez que os patriarcas de cada uma dessas igrejas são independentes.). é o próprio Jesus Cristo. com algumas variantes culturais. Ao norte encontramos uma organização sócio-econômica muito semelhante à do Oriente Médio. Ao sul temos a chamada África Negra. 9 . Igreja Ortodoxa Russa) que professam a mesma fé e. forma uma espécie de barreira natural que divide o continente africano em duas partes muito distintas quanto ao quadro humano e econômico. Roma colocou-se sob a proteção do Império Carolíngio. que dividiu a Igreja entre a Igreja Católica no Ocidente e a Igreja Ortodoxa no Leste (Grécia. de língua grega. e sem intermediários. o chefe único da Igreja.Uma série de dificuldades complexas ocasionou um progressivo distanciamento entre Roma e os demais patriarcados. a queda do Império Romano do Ocidente (em 476) e o fracasso da tentativa de Justiniano de reunificar o império (a partir de 535). Civilização Subsaariana Efetivamente. Anatólia. embora este seja um título mais honorífico. pelo Ocidente. a religião. Criou-se assim uma situação em que as Igrejas em Roma e em Constantinopla estavam no seio de dois impérios distintos. Diversidade étnica A diversidade étnica desta região de África é patente nas diferentes formas de cultura. Oriente e Ocidente deixaram de estar sob o mesmo império. A autoridade suprema na Igreja Ortodoxa é o Santo Sínodo Ecumênico. praticam basicamente os mesmos ritos. Grande Cisma. e o Ocidente. A autoridade suprema regional em todos os patriarcados autocéfalos e igrejas ortodoxas autônomas são da competência do Santo Sínodo Local. o Deserto do Saara. arcebispo ou metropolitana que presida esta Igreja. as trocas econômicas e os contatos por via marítima entre o Império Bizantino. Tais disputas levaram à ruptura.

História A teoria mais aceite entre os antropólogos e arqueólogos diz que a "África é o berço da humanidade". Do século VII ao XX. etíope e outras). o egípcio. O Islã deu origem também à reinos teocráticos. O golpe final do império de Mali foi dado pelo Reino de Segu. islamizados superficialmente. onde ocorreram conversões massa no século XIX. hebraico. em breve seguido pelo de outras nações européias como os Países Baixos. o da Etiópia. Finalmente. o bambara (Mali. essencialmente constituído pelas línguas bantas. A classificação estabelecida por Joseph Harold Greenberg. se estendeu por uma zona bastante extensa no Sudão ocidental. A chegada dos portugueses no século XV trouxe grandes mudanças. por volta de 1670. diola). com suas particularidades bem definidas. A família nilo-saariana. no século XVI. o koma. faladas como segundas línguas nos conjuntos geográficos mais vastos: o árabe. este dividido em sudanês central (sara. o fur e o nilo-chadiano. como Achanti e Daomé. Seu território controlado no início do século XIII pelo Reino de Sosso passou em 1240 à dominação do Império de Mali. foram desenvolvidas línguas de relação. muito centralizados. Madagascar povoou-se de indonésios desde uma data desconhecida até perto do século XIII. Dessa maneira. A eles se devem somar os que. que cresceu às suas custas a partir de então. um famoso lingüista norte-americano. ewe. que se estende sobre uma zona descontínua do Chade ao Sudão e ao Zaire. o cuchítico e o chadiano (haúça). A família nígero-congolesa. o grupo de Adamaua Oriental e o grupo benuê-congolês. sucederam-se ou coexistiram diferentes reinos: Baguirni. durante muito tempo atingiu somente as classes dirigentes. de uma organização social tribal. constituída essencialmente pelas línguas de cliques dos bosquímanos e dos hotentotes. por intermédio de companhias autorizadas. iba. kru). foram para a América: de 15 a 20 milhões. que se mantêm enquanto não são expostas a culturas externas. O império de Gana.até a sua reorganização. Essa imensa diversidade cultural é. Bornu. os Estados sudaneses sofreram a influência dos muçulmanos e tornaram-se fortemente islamizados. Ao leste do deserto da Líbia. o mandé ou mandinga (bambara. que ocupa a maior parte da África Negra. até tempos recentes. Para fazer face a essa diversidade lingüística. Ao redor do Chade.C. o haúça (norte da Nigéria) e outras. primeira língua banta a utilizar a forma escrita. e compreende o songai. desenvolveu-se a partir do século IX e foi destruído em 1076-1077 pelos almorávidas. sendo caracterizada pela presença de um território comunitário e pela unidade da língua e das tradições.Línguas A África é provavelmente a região do mundo onde a situação lingüística é a mais diversificada (com 1000 línguas) e a menos conhecida. baseava-se essencialmente no tráfego de escravos. o maban. o lingala (oeste do Zaire). 10 . o reino cristão da Núbia passou. porém. em 1955.apesar de uma história tumultuada . a partir do III milênio a. Existiram grandes impérios: Gana. O islamismo. malinque. Esse império entrou em lento declínio a partir do século XV e foi perdendo terreno para o império Songai. e passou lentamente do Neolítico à Idade do Ferro. Uadai e KanenBornu. no vale do Senegal e no Futa-Djalon. francês. refugiado nas montanhas após a ruína de Aksum por volta do século VI. distingue quatro grandes conjuntos: A família khoin ao sul. entre o Senegal e o Níger. cerca de 14 milhões de escravos foram levados para o mundo árabe pelo Saara e pelos portos da costa oriental. na segunda metade do século XIX. Dinamarca. português) são faladas pelas classes cultas e continuam a ser o alicerce lingüístico de numerosos países. Na costa oriental surgiu uma série de sultanatos fundados pelos árabes. akan. sobreviveu .. as línguas européias herdadas da colonização (inglês. que ocupam todo o sul do continente. Na Antigüidade. o kwa (iorubá. sob uma dinastia igualmente abissínia. mende). Na costa do golfo de Benin formaram-se reinos animistas. O território a oeste do Chade permaneceu mal conhecido. menores. é dividida em seis grupos: o oeste-atlântico (peul. principalmente egípcias. A família camito-semítica (dita também afro-asiática) ao norte. constituída pelo semítico (árabe. que herdeiro de sua riqueza. explicada pela preservação. Grã-Bretanha e França. que prosperaram até a chegada dos portugueses. o berbere. cada tribo é um verdadeiro universo cultural. A partir do século VIII. o voltaico ou gur (mossi). Guiné. mas o "homem negro" talvez tenha sido o último a surgir entre os representantes das grandes etnias. pouco a pouco ao controle do Islã. o suaíle (a leste da África). Mali. pois o comércio português. a língua mais falada do continente. introduzido pelos almorávidas. mangbetu) e sudanês oriental (línguas núbias). Songai. A tribo é uma das mais antigas e elementares formas de organização social. do século XV ao XIX. em parte. Costa do Marfim). uolof. a Núbia e a Abissínia foram as primeiras regiões a receber influências externas.

11 . da densidade das populações e da urbanização. rivalidade franco-inglesa). ou sob forma multilateral. com a queda das matérias-primas e o aumento da dívida externa e do desemprego num continente onde a população cresce num ritmo inédito na história. a França tentou lentamente extrair recursos do Senegal. Os chefes das regiões costeiras foram. Para superar suas fraquezas os países africanos formaram a Organização da Unidade Africana (OUA). em 1990 a África negra passou por mudanças políticas fundamentais. A África tornou-se. Apesar disso continuaram com graves problemas econômicos e políticos. e a revolta da União das populações de Camarões (1955-1958). holandês. dos organismos internacionais como a ONU ou a Comunidade Econômica Européia. belga e alemão. O Benim renunciou ao marxismo-leninismo. Após a Segunda Guerra Mundial o prestígio da etnia branca diminuiu (derrota de 1940.mais os que morreram durante a viagem. lutas intestinas entre franceses. China. em função do meio e dos recursos. e a formação de elites letradas desenvolveram a consciência da identidade africana. A partir de 1815. no decorrer do século XIX. A Grã-Bretanha se instalou na Costa do Ouro (Golden Coast) a partir de 1875 e na Nigéria desde 1880. Entretanto a urbanização. que ocupou em 1658. Estados Unidos. O processo de descolonização iniciado em 1944 (Conferência de Brazzaville). Até o final dos anos 80. que já existiam desde antes da guerra. que eram trocados por tecidos e armas. Desde o início dos anos 80 a recessão vem se ampliando. adotando o pluripartidarismo. Zâmbia e Congo por sua vez. a Costa do Marfim legalizou os partidos de oposição após 3 anos de autoritarismo e Gabão. junto aos restos do império espanhol e português. fato acentuado com a propaganda dos movimentos panafricanistas. Tanzânia. podem transformar-se profundamente com a evolução da Aids: em 1991. GrãBretanha. Zaire. A Conferência de Berlim (novembro de 1884-fevereiro de 1885) não decidiu a partilha da África. das potências que apoiaram os novos governos pós-independência. Nesse contexto. Tais dados demográficos. a despeito do apoio das antigas metrópoles. A fragilidade econômica de muitos países africanos levou-os a buscar ajuda nas antigas metrópoles. ano em que a França desencadeou a "corrida do ouro". novas constituições e eleições livres. ano em que muitos países africanos conquistaram a independência. mas acelerou a instalação territorial das potências européias e a constituição de grandes impérios coloniais: inglês. salvo a rebelião malgaxe de 1947. de 1952 a 1956. com a Marcha do Níger. Na África do Sul as leis que regiam o Apartheid foram abolidas em 1991. caracterizadas pela implosão dos sistemas vigentes: pluripartidarismo e democracia tornaram-se as palavras de ordem. por outro lado. acelerou-se após 1960. Por toda parte a massa camponesa (90% da população) sofreu com o domínio colonial. criada em 1963 em Adis-Abeba. A crescente pressão dos direitos humanos. no entanto. território de disputa entre os dois blocos então dominantes na política mundial. Essa evolução foi geralmente pacífica. na esperança de atingir a estabilidade política indispensável ao desenvolvimento econômico. tem obrigado vários países a se justificarem perante a comunidade internacional. as sublevações kikuyus (mau-mau) do Quênia. se abriram ao pluripartidarismo. Cuba. pelo aumento das tensões tribais e por um desastre econômico sem precedentes. substituindo a "mercadoria humana" por produtos tropicais (óleo de coco). apoiada na corrupção generalizada. A África negra hoje atravessa uma crise política e econômica que se caracteriza pela rejeição aos partidos únicos. italiano. a África subsaariana evoluiu em ritmos diversos. no entanto. acentuada após a Segunda Guerra Mundial. Camarões. metade dos 5 a 8 milhões de indivíduos portadores do vírus eram africanos. e a maioria dos países da África austral caminha para a democratização. da precariedade das vias de comunicação. acentuada pela assistência militar que a União Soviética. França e outras potências forneciam a governos africanos sob sua influência. Até a Segunda Guerra Mundial. a maioria dos dirigentes se manteve no poder graças a partidos únicos que garantiam os privilégios de uma minoria.

Conclusão _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ _______________________________________________________ 12 .

Editora: OBJETIVA 13 .com O Choque das Civilizações e a Mudança na Ordem Mundial Autor: HUNTINGTON.screbd.Bibliografia http://www. SAMUEL P.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful