Você está na página 1de 21

HISTOLOGIA

SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

LÂMINA: 30

COLORAÇÃO: TRICRÔMICO DE MASSON

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO

ESTRUTURAS:

1- CORDAS TENDÍNEAS

HISTOLOGIA: TECIDO CONJUNTIVO DENSO MODELADO E REVESTIDA POR


ENDOCARDIO

CARACTERÍSTICAS: ENCONTRAM-SE ENTRE O ENDOCARDIO E O MIOCARDIO,


SÃO CORDÕES TENDINEOS ESTREITOS QUE PRENDEM OS FOLHETOS
VALVULARES ATRIVENTRICULARES À PAREDE DO VENTRICULO SOB ELAS. ESTÃO
INSERIDAS NOS MUSCULOS PAPILARES.

AS CORDAS IMPEDEM O REFLUXO DO SANGUE.

2- MIOCARDIO

3- VALVA – PARTE

1
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

2
1

LÂMINA: 30

COLORAÇÃO: TRICRÔMICO DE MASSON

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO

ESTRUTURAS:

1- MIOCARDIO – TUNICA MUSCULAR

HISTOLOGIA: TECIDO MUSCULAR ESTRIADO CARDÍACO E ENDOMISIO.

CARACTERÍSTICAS: RESPONSÁVEL PELA EJEÇÃO DO SANGUE, OU SEJA, É O


COMPOMENTE CONTRATIL DO CORAÇÃO, COMPOSTO POR CELULAS MUSCULARES
CARDÍACAS ESTRIADAS E LIGADAS POR DISCOS INTERCALARES (PONTO DE
JUNÇÃO ENTRE AS CÉLULAS CARDÁIACAS)

MUSCULO CARDÍACO – FIBRAS NEVOSAS.

ENCONTRAMOS NO MIOCARDIO VASOS, CAPILARES E TECIDO


CONJUNTIVO QUE NUTRE O MUSCULO.

2- ENDOCARDIO

2
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

LÂMINA: 30

COLORAÇÃO: TRICRÔMICO DE MASSON

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO

ESTRUTURAS:

MIOCARDIO – TUNICA MUSCULAR

1- ENDOMISIO
SEPARA AS FIBRAS MUSCULARES – AS FIBRAS SÃO SEPARADAS POR
TECIDO CONJUNTIVO FROUXO.

2- PERIMÍSIO
SEPARA OS FEIXES DE FIBRAS MUSCULARES

NUM CORTE LONGITUDINAL É POSSIVEL ENCONTRAR OS DISCOS


INTERCALARES.

3
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

2 3

LÂMINA: 30

COLORAÇÃO: TRICRÔMICO DE MASSON

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO

ESTRUTURAS:

1- ESQUELETO FIBROSO

HISTOLOGIA: TECIDO CONJUNTIVO DENSO NÃO MODELADO.

CARACTERÍSTICAS: SERVE DE PONTO DE ANCORAGEM PARA AS FIBRAS (AS


CÚSPIDES SE INSEREM NESSE ANEL FIBROSO). É RESISTENTE AS FORÇAS DE
TRAÇÃO (TEM MUITO COLÁGENO).

É UM ISOLANTE TÉRMICO. PERMITEM A PASSAGEM DE ÍONS NA CÉLULA


GAP.

MAIS ACIMA ESTARIAM AS CUSPIDES – QUE SÃO O PONTO DE TRANSIÇÃO


DO ÁTRIO E O VENTRÍCULO. AS CUSPIDES SÃO PROJEÇÕES DO ENDOCÁRDIO.

4
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

2- ATRIO

CARACTERÍSTICAS: ENDOCARDIO MAIS DESDENVOLVIDO E MIOCARDIO MENOS


DESENVOLVIDOS. APRESENTA SUBEPICÁRDIO, MIOCARDIO E ENDOCÁRDIO. O
SUBENDOTÉLIO ABAIXO DO ENDOTÉLIO FICA JUNTO AO ENDOCÁRDIO.

POSSUI TECIDO CONJUNTIVO FROUXO COM FIBRAS ELASTICAS. O


DIÂMETRO DAS FIBRAS SÃO MENORES.

MIOCÁRDIO MENOR, POIS NÃO PRECISA EJETAR O SANGUE, O FLUXO VAI


DE ACORDO COM A GRAVIDADE.

3- VENTRICULO

CARACTERÍSTICAS: ENDOCARDIO MENOS DESENVOLVIDO, MIOCARDIO


BASTANTE DESENVOLVIDO, POIS PRECISA EJETAR O SANGUE.

CONSTITUIÇÃO DO COMPLEXO VALVAR

VÁLVULAS CARDÍACAS SÃO COMPOSTAS DE TECIDO CONJUNTIVO DENSO


NÃO MODELADO CONTENDO FIBRAS COLÁGENAS E ELASTICAS, REVESTIDAS
POR UMA CAMADA ENDOTELIAL. VÁLVULA É UMA DAS CÚPIDES, O EIXO CENTRAL
É UMA EXTENSÃO DO ANEL FIBROSO (TECIDO FIBROELÁTICO). O COMPLEXO
VALVAR É COMPOSTO PELO MUSCULO PAPILAR, CORDA TENDÍNEA E VALVAS.

AS BASES SE PRENDEM AOS ANÉIS FIBROSOS DO ESQUELETO CARDÍADO.

DURANTE A CONTRAÇÃO DOS VENTRICULOS (SISTOLE) O SANGUE É


IMPEDIDO DE VOLTAR PARA OS ÁTRIOS ATRAVÉS DAS VALVULAS:

1. VÁLVULA ÁTRIO-VENTRICULAR DIREITA – TRICUSPIDE


2. VÁLVULA ÁTRIO-VENTRICULAR ESQUERDA – BICUSPIDE
3. VÁLVULA PULMONAR – VENTRICULO DIREITO E A. PULMONAR
4. VÁLVULA AÓRTICA – VENTRICULO ESQUERDO E AORTA

VALVA ÁTRIO-VENTRICULAR TEM CORDAS TENDÍNEAS.

AS SEMI-LUNARES (3 E 4) SÓ A PRESSÃO CONTROLA O FLUXO.

5
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

LÂMINA: 25

COLORAÇÃO: HE

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO

ESTRUTURAS:

1- ENDOCÁRDIO

HISTOLOGIA: TECIDO EPITELIAL PAVIMENTOSO SIMPLES (ENDOTÉLIO), TECIDO


CONJUNTIVO FROUXO (PODE SER PEQUENO MAIS EXISTE) E PODE TER TAMBÉM
FIBRAS ELASTICAS.

CARACTERÍSTICAS: É O REVESTIMENTO INTERNO DE TODAS AS 4 CÂMARAS.


AUSÊNCIA DE VASOS. POSSUI 3 CAMADAS.

1. EXTERNA (SUBENDOCÁRDIO) – COM CONTATO DIREITO COM O


MIOCÁRDIO. COMPOSTA DE FIBRAS COLÁGENAS E POSSUI CELULAS DE
PURKINJE.
2. MÉDIA – MAIS ESPESSA. COMPOSTA DE FIBRAS COLÁGENAS MAIS
ORGANIZADAS E TAMBÉM FIBRAS ELÁSTICAS.
3. INTERNA – CÉLULAS ENDOTELIAIS ACHATADAS.
6
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

2- CÉLULAS DE PURKINJE

CARACTERÍSTICAS: SE DIFERENCIAM, POIS TEM O NÚCLEO AO REDOR DE UMA


ÁREA BRANCA (SÃO BRANCAS, POIS ACUMULAM GLICOGÊNIO). SÃO FIBRAS
MUSCULARES ALTERADAS COM FUNCÃO DE PROPAGAÇÃO DE IMPULSOS
NERVOSOS. SÃO ENCONTRADAS NO SUB ENDOCÁRDIO.

FEIXE DE HISS – CONJUNTO DE CÉLULAS DE PURKINJE.

O MÚSCULO CARDÍACO TEM CELULAS ESPECIALIZADAS CAPAZES DE


PRODUZIR SEU PRÓPRIO IMPULSO.

AS FIBRAS NERVOSASDO CORAÇÃO SÃO NECESSÁRIAS PARA MODULAR E


NÃO ESTIMULAR.

EXISTEM OUTRAS CÉLULAS, MAS PURKINJE PREVALECE. EXISTEM CÉLULAS


DE TRABALHO MECÂNICO, DE TRABALHO ELÉTRICO (MUSCULARES
MODIFICADAS) E CÉLULAS ENDÓCRINAS (PRODUZEM HORMÔNIOS – FNA – FATOR
NATRIURÍDICO ATRIAL).

O RETÍCULO SARCOPLÁSMÁTICO LISO PROMOVE A PRODUÇÃO DE CÁLCIO E


O SEU ARMAZENAMENTO. SEM CÁLCIO E ATP NÃO OCORRE A CONTRAÇÃO.
IMPULSO ELÉTRICO/NERVOSO É NECESSÁRIO PARA A CONTRAÇÃO.

NUCLEOS DAS FIBRAS DO MIOCARDIO


PURKINJE
NUCLEOS DO ENDOMÍSIO

CORTE TRANSVERSAL
7
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

1
1

LÂMINA: 29

COLORAÇÃO: HE a

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO c b

ESTRUTURAS:

1-C0RDAS TENDÍNEAS

2 – MÚSCULO PAPILAR

CARACTERÍSTICAS: PROJEÇÕES DOS MÚSCULOS CARDÍACOS PARA O INTERIOR


DA LUZ DOS VENTRÍCULOS E APONTAM NA DIREÇÃO DAS VÁLVULAS ÁTRIO-
VENTRICULARES.

3- COMPLEXO VALVAR
a. CORDA TENDÍNEA
b. MÚSCULO PAPILAR
c. VALVA

8
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

4
1

LÂMINA: 27 / 26

COLORAÇÃO: TRICRÔMIO DE MASSON / HE

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO

ESTRUTURAS:

1 - CÚSPIDE

2 – TECIDO CONJUNTIVO

3 – MIOCÁRCIO

4 - CORDAS TENDÍNEAS – APENAS UMA PARTE

9
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

LÂMINA: 29

COLORAÇÃO: HE

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO

ESTRUTURAS:

1- PERICÁRDIO

HISTOLOGIA: EPITÉLIO PAVIMENTOSO SIMPLES (MESOTÉLIO) E TECIDO


CONJUNTIVO FROUXO.

CARACTERÍSTICAS: BOLSA MEMBRANOSA QUE ENVOLVE O CORAÇÃO, COMPOSTO


POR TECIDO FIBROCOLÁGENOSO COMPACTO E ELÁSTICO. É VASCULARIZADO
COM NERVOS E TECIDO ADIPOSO.

DIVIDEM-SE EM PERICÁDIO PARIETAL, MAIS INTERNO E PERICÁRDIO


VISCERAL, TAMBÉM CONHECIDO COMO EPICÁRDIO, MAIS EXTERNO.

10
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

CIRCULAÇÃO SISTÊMICA

AS ARTÉRIAS TRANSPOSTAM O SANGUE DO CORAÇÃO COM UMA PRESSÃO


RELATIVAMENE ALTA. POSSUEM UMA RICA CAMADA DE FIBRAS ELÁSTICAS. AS
VEIAS TRANSPORTAM O SANGUE PARA O CORAÇÃO COM UMA PRESSÃO MAIS
BAIXA.

A CIRCULAÇÃO SISTÊMICA TRANSFERE SANGUE OXIGENADO DE UMA


BOMBA CENTRAL (O CORAÇÃO) PARA TODOS OS TECIDOS CORPORAIS (SISTEMA
ARTERIAL SISTÊMICO) E RETORNA SANGUE DESOXIGENADO E COM UM TEOR
ELEVADO DE CO2 DOS TECIDOS PARA O CORAÇÃO (SISTEMA VENOSO
SISTÊMICO).

TODOS OS VASOS POSSUEM 3 CAMADAS:

1. TÚNICA INTIMA – COMPOSTO POR CELS ENDOTELIAIS ACHATADAS


(ENDOTÉLIO), ASSENTA-SE SOBRE A LÂMINA BASAL. POSSUI TECIDO
CONJUNTIVO FROUXO SUBENDOTELIAL (ESCASSO) E APRESENTA LÂMINA
ELÁSTICA INTERNA NAS MAIORES ARTÉRIAS.

ENDOTÉLIO – COMPOSTO POR CELS ENDOTELIAIS ACHATADAS COM


DIVERSOS PAPÉIS FUNCIONAIS. AS CELS SÃO UNIDAS POR PROCESSOS
JUNCIONAIS E POSSUEM MUITAS VESÍCULAS PINOCÍTICAS (ENVOLVIDAS
NO PROCESSO DE TRANSPORTE DE SUBSTÂNCIAS PARA UM LADO E PARA O
OUTRO LADO DA CEL. NORMALMENTE SECRETA FATORES QUE IMPEDEM A
COAGULAÇÃO SANGUÍNEA E MANTÊM O TÔNUS DO MÚSCULO LISO
VASCULAR.
RESUMINDO: REGULA A SAÍDA, PRODUZ SUBST. VASO-ATIVAS E ATUA NA
COAGULAÇÃO SANGÚINEA.

2. TÚNICA MÉDIA – APRESENTA TECIDO MUSCULAR LISO, REFORÇADO POR


CAMADAS ORGANIZADAS DE TECIDO ELÁSTICO, QUE FORMA AS LÂMINAS
ELÁSTICAS, PROEMINENTE NAS ARTÉRIAS. PRÓXIMO AO CORAÇÃO, O
TECIDO ELÁSTICO É MUITO DESENVOLVIDO. NAS ARTÉRIAS MUSCULARES
E ARTÉRIOLAS A LÂMINA ELÁSTICA PROEMINENTE LOGO ABAIXO DA
INTIMA É A LÂMINA ELÁSTICA INTERNA.

3. TÚNICA ADVENTÍCIA – É A CAMADA ONDE CHEGAM OS NERVOS,


AUMENTAM A CONTRAÇÃO. COMPOSTA POR COLÁGENO, MAS MUSCULARES
LISAS PODEM ESTAR PRESENTES, PRINCIPALMENTE NAS VEIAS. É A MAIS
PROEMINENTE NAS PAREDES DAS VEIAS. TECIDO CONJUNTIVO FROUXO.

11
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

3
LÂMINA: 23

COLORAÇÃO: HE

DIAGNÓSTICO: ARTÉRIA ELÁSTICA – ARTÉRIA DE GRANDE CALIBRE - AORTA

ESTRUTURAS:

1. TÚNICA INTIMA – TECIDO EPITELIAL PAVIMENTOSO SIMPLES


(ENDOTÉLIO DO VASO). ESTE ENDOTÉLIO SE APÓIA NA CAMADA
SUBENDOTELIAL, QUE CONSISTE EM TECIDO CONJUNTIVO FROUXO,
MUITO DELICADO, E PODE OCASIONALMENTE APRESENTAR CEL,
MUSCULARES LISAS ESPARSAS. É MÍNIMA, VOLTADA PARA A LUZ..

2. TÚNICA MÉDIA – ONDE EXISTEM AS FIBRAS, BASTANTE


PROEMINENTE. AS CELS MUSCULARES LISAS (CML), DISPOSTAS
CIRCULARMENTE, SE AGREGAM A QUANTIDADES VARIÁVEIS DE FIBRAS
ELÁSTICAS, FIBRAS RETICULARES (COLÁGENO TIPO III) E
PROTEOGLICANAS. NESTE LOCAL AS CML SÃO RESPOSNÁVEIS PELA
SÍNTESE DO MATERIAL EXTRA-CELULAR (COLÁGENO, ELASTINA E
PROTEOGLICANAS).

3. TUNICA ADVENTÍCIA – TECIDO CONJUNTIVO FROUXO, COM FIBRAS


COLÁGENAS (TIPO I) E ELÁSTICAS, ONDE ENCONTRAMOS OS VASOS.
CONTINUA-SE GRADATIVAMENTE COM OS TECIDOS DOS ÓRGÃOS
VIZINHOS.
12
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

3
2

LÂMINA: 23
1
COLORAÇÃO: HE

DIAGNÓSTICO: CORAÇÃO

ESTRUTURAS:

1- TÚNICA ADVENTÍCIA
2- TÚNICA MÉDIA
a. LÂMINA LIMITANTE ELÁSTICA EXTERNA – PRESENTE NAS
ARTÉRIAS SEPARA MÉDIA DA ADVENTÍCIA.

ESSA TÚNICA TEM A IMPORTANTE FUNÇÃO DE REGULAR O FLUXO


SANGÚINEO. NA SÍSTOLE O TECIDO ELÁSTICO SE DISTENDE SOB O IMPACTO
DA CONTRAÇÃO CARDÍACA. NA DIÁSTOLE VOLTAM AO CALIBRE NORMAL,
IMPULSIONANDO O SANGUE.

3- TÚNICA ÍNTIMA
a. LÂMINA LIMITANTE ELÁSTICA INTERNA – PRESENTE NAS
ARTÉRIAS SEPARA A ÍNTIMA DA MÉDIA. É PERFURADA, O QUE
PERMITE A DIFUSÃO DE NUTRIENTES DO SANGUE PELOS
ORIFICIOS, PARA NUTRIR AS CELS DA PAREDE ARTERIAL. ASSIM,
PODEMOS DIZER QUE NAS ARTÉRIAS MÉDIAS E GRANDES, A
ÍNTIMA E A PARTE MAIS EXTERNA DA MÉDIA SÃO AVASCULARES,
RECEBENDO OXIGÊNIO E NUTRIENTES POR DIFUSÃO DO SANGUE
CONTIDO NA LUZ DO PRÓPRIO VASO.

13
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

LÂMINA: 23

COLORAÇÃO: HE

DIAGNÓSTICO: ARTÉRIA ELÁSTICA – TÚNICA ADVENTÍCIA

ESTRUTURAS:

1- VASA VASORUM – VASOS DOS VASOS

HISTOLOGIA: TECIDO CONJUNTIVO

CARACTERÍSTICAS: SÃO ARTERÍOLAS, CAPILARES E VÊNULAS QUE SE


RAMIFICAM PROTUSAMENTE E DESEMPENHAM FUNÇÃO NUTRIDORA DAS
TÚNICAS ADVENTÍCIA E MÉDIA, ONDE OS NUTRIENTES E O OXIGÊNIO NÃO
CHEGARIAM POR DIFUSÃO A PARTIR DA LUZ DO VASO, DEVIDO A GRANDE
ESPESSURA DA PAREDE.

NAS ARTÉRIAS OS VASA VASORUM SÃO MENOS FREQUENTES E ATINGEM A


ADVENTÍCIA E APENAS PARTE DA MÉDIA, ENQUANTO NAS VEIAS SÃO MAIS
NUMEROSOS E ATINGEM TODA A MÉDIA. A MAIOR ABUNDÂNCIA NAS VEIAS SE
DEVE À POBREZA DO SANGUE VENOSO EM OXIGÊNIO E NUTRIENTES.

14
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

LÂMINA: 25 /26

COLORAÇÃO: HE

DIAGNÓSTICO: ARTÉRIA DE MÉDIO CALIBRE – ARTÉRIA MUSCULAR

HISTOLOGIA: TECIDO MUSCULAR LISO

CARACTERÍSTICAS: ÍNTIMA MAIS ESPESSA QUE NAS ARTERÍOLAS COM


LIMITANTE ELÁSTICA INTERNA BEM DESENVOLVIDA, COM PRESENÇA DE
NÚCLEOS ACHATADOS.

MÉDIA COM QUANTIDADE VARIÁVEL DE FIBRAS ELÁSTCAS, RETICULARES E


PROTEOGLICANAS, TUDO SINTETIZADO PELAS FIBRAS MUSCULARES LISAS.
DEVIDO À QUEDA DA PRESSÃO ARTERIAL E À COTRAÇÃO DA MUSCULATURA LISA
NO MOMENTO DA MORTE, AS LIMITANTES ELÁSTICAS E A ÍNTIMA
GERALEMENTE APARECEM PREGUEADAS NOS CORTES HISTOLÓGICOS.

ADVENTÍCIA, DE TECIDO CONJUNTIVO FROUXO, RICO EM FIBRAS COLÁGENAS E


COM ALGUMAS FIBRAS ELÁSTICAS. APRESENTA CAPILARES LINFÁTICOS, VASA
VASORUM E NERVOS, QUE PODEM PENETRAR ATÉ A PARTE EXTERNA DA MÉDIA.

A CAMADA MUSCULAR DAS ARTÉRIAS MÉDIAS PODE POR MEIO DE SEU GRAU DE
CONTRAÇÃO OU RELAXAMENTO, CONTROLAR O AFLUXO DE SANGUE AOS VÁRIOS
ORGÃOS.

15
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

LÂMINA: 21 / 29

COLORAÇÃO: HE

DIAGNÓSTICO: ARTERÍOLA

CARACTERÍSTICAS: CONTROLAM EFETIVAMENTE AS TROCAS ENTRE O TECIDO E


SANGUE. DÃO ORIGEM AOS CAPILARES E AS METARTERÍOLAS. SÃO MUITO
RESPONSIVAS AOS ESTÍMULOS VASOATIVOS E TÊM UMA CONTRIBUIÇÃO
IMPORTANTE NA RESISTÊNCIA VASCULAR. ÍNTIMA COM CAMADA
SUBENDOTELIAL MUITO DELGADA E NÃO EXISTE A MEMBRANA LIMITANTE
ELÁSTICA INTERNA, EXCETO NAS ARTÉRIOLAS MAIS GROSSAS. MÉDIA
GERALMENTE FORMADA POR UMA OU DUAS CAMADAS DE CELS MUSCULARES
LISAS. NÃO EXISTE LIMITANTE EXTERNA. ADVENTÍCIA POUCO DESENVOLVIDA.

METARTERÍOLAS – PODEM CAPILARIZAR OU DESAGUAR EM VÊNULAS.

CAPILARES – PRINCIPAL LOCAL DE TROCA GASOSA. SUA PAREDE É COMPOSTA POR


CELS ENDOTELIAIS, MEMBRANA BASAL E CELS CONTRATÉIS CHAMADAS DE
PERICITOS. PODEM SE ORIGINAR DE ARTERÍOLAS E DE METARTERÍOLAS. TIPOS:

1. CONTINUO – AS CELS ENDOTELIAIS FORMAM UM REVESTIMENTO


COMPLETO, MAIS COMUM, REALIZA A TRANSCITOSE (APENAS
ENCAMINHA, NÃO DIGERE). TRANSPORTE REALIZADO TRANS-
MEMBRANA (ATIVO/PASSIVO/FACILITADO). TEM VESÍCULAS
PINOCÍTICAS.
2. FENESTRADO – POROS PARA FACILITAR A PASSAGEM DE SUBST. PARA
OS LOCAIS ONDE O METABOLISMO É MAIS ALTO.
3. SINUSÓIDE – PAREDE DESCONTÍNUA, PRESENTE NO BAÇO E NO
FIGADO.
16
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

RESUMINDO:

PARA DIFERENCIAR OS TIPOS DE ARTÉRIAS DEVEMOS CONTAR AS CAMADAS:

- MAIS DE 10 CAMADAS – MÉDIO CALIBRE

- ENTRE 6-10 CAMADAS – PEQUENO CALIBRE

- MENOS DE 6 CAMADAS – ARTERÍOLA

ARTÉRIAS APRESENTAM FIBRAS ELÁSTICAS. ARÉRIA MUSCULAR TEM FIBRAS


(VEMOS RISCOS EM DIVERSAS DIREÇÕES). AS ARTÉRIAS ELÁSTICAS
APRESENTAM FIBRAS CONTÍNUAS.

17
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

2 3

5 4 8
5

5 6

7
5

5
LÂMINA: 30 / 25 / 29 / 21 / 21 / 21 / 29 / 21 / 21

1. MIOCÁRDIO
2. EPICÁRDIO
3. SUBEPICÁRDIO
4. TECIDO ADIPOSO
5. VEIA
6. GÂNGLIO
7. ARTÉRIA
8. VASO PERTO DO CORAÇÃO – CORONÁRIA OU AORTA
18
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

VEIAS

A MAIORIA DAS VEIAS É DE PEQUENO OU MÉDIO CALIBRE. APRESENTAM


UMA TÚNICA ÍNTIMA COM CAMADA SUBENDOTELIAL DELGADA, ÀS VEZES
AUSENTE. A MÉDIA É CONSTITUIDA PRINCIPALMENTE POR PEQUENOS FEIXES
DE MUSUCULO LISO ENTREMEADOS DE FIBRAS RETICULARES E DE UMA
DELICADA CAMADA DE FIBRA ELÁSTICA. ADVENTÍCIA DE NATUREZA COLÁGENA
É BASTANTE DESENVOLVIDA.
OS GRANDES TRONCOS VENOSOS, PRÓXIMO AO CORAÇÃO, SÃO AS VEIAS
DE GRANDE CALIBRE. ÍNTIMA BEM DESENVOLVIDA, MÉDIA É MUITO REDUZIDA
(POUCO MUSCULO E POUCO CONJUNTIVO) E ADVENTÍCIA MAIS EVIDENTE,
CONTENDO FEIXES DE MUSCULO LISO DISPOSTOS LONGIDUTINALMENTE AOS
VASOS.
AS VEIAS, PRINCIPALMENTE AS DE CALIBRE PEQUENO OU MÉDIO,
APRESENTAM VÁLVULAS NO SEU INTERIOR, QUE SÃO PARES DE DOBRAS DA
CAMADA ÍNTIMA, EM FORMA DE SEMILUA E QUE FAZEM SALIÊNCIA COM A LUZ
DO VASO. SÃO FORMADA DE TECIDO CONJUNTIVO COM FIBRAS ELÁSTICAS E
SÃO REVESTIDAS POR ENDOTÉLIO.
AS VÁLVULAS SÃO ENCONTRADAS PRINCIPALMENTE NAS VEIAS DOS
MEMBROS SUPERIORES E INFERIORES. A CONTRAÇÃO DOS MUSCULOS
ESTRIADOS ESQUELÉTICOS COMPRIME AS VEIAS, IMPULSIONANDO O SANGUE
NELAS CONTIDO, E AS VÁLVULAS DIRECIONAM O FLUXO SANGUINEO NO
SENTIDO DO CORAÇÃO, IMPENDINDO ASSIM O REFLUXO.

1. VÊNULAS
POSSUEM MAIS PERICITOS, RECEBEM OS CAPILARES.
a. VÊNULAS PÓS CAPILARES – NÃO APRESENTAM TECIDO LISO,
DRENAM PARA AS VÊNULAS PROPRIAMENTE DITA (COLETORAS).
b. VÊNULAS COLETORAS – CAMADA DE PERICITOS CONTINUA, FIBRAS
COLÁGENAS. TECIDO MUSCULAR LISO.

À MEDIDA QUE ADQUIREM MAIOR CALIBRE, OS PERICITOS VÃO SENDO


SUSBSTITUÍDOS POR CELS MUSCULARES LISA, TORNANDO-SE
IDENTIFICÁVEL UMA ADVENTÍCIA FIBROCOLAGENOSA FORMANDO AS
VÊNULAS MUSCULARES QUE DRENAM PARA AS VEIAS PEQUENAS.

2. VEIAS PEQUENAS

19
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

CONTINUAÇÃO DAS VÊNULAS MUSCULARES COM CELS MUSCULARES E


CAMADAS FIBROCOLAGENOSAS EXTERNAS MAIS DEFINIDAS.
3. VEIAS DE MÉDIO CALIBRE
POSSUEM LÂMINA ELÁSTICA INTERNA DELGADA E DESCONTÍNUA, FIBRAS
COLÁGENAS E FIBRAS ELÁSTICAS.

4. VEIAS DE GRANDE CALIBRE


POSSUEM MAIS COLÁGENO E MAIS FIBRAS ELÁSTICAS DO QUE AS DE
MÉDIO CALIBRE NA TÚNICA ÍNTIMA (MAIS DESENVOLVIDA).
ÚNICO VASO QUE TEM CAMADA MUSCULAR LONGITUDINAL NA
ADVENTÍCIA (BOLINHAS ESCURAS NA CAMADA).

A CIRCULAÇÃO VENOSA DO SANGUE É MANTIDA PELA CONTRAÇÃO DO


MÚSCULO LISO DAS VEIAS. EXISTEM ANASTOMOSES ARTERIOVENOSAS QUE
PERMITE QUE O SANGUE DESVIE DOS LEITOS CAPILARES.

CORAÇÃO ARTÉRIA CAPILARES VEIAS (SISTÊMICA)

CORAÇÃO ARTÉRIAS CAPILARES VEIAS (PULMONAR)

20
Thais Monteiro Silva
HISTOLOGIA
SISTEMA CARDIOVASCULAR – M2

VE A. ELASTICAS GRANDES A. MUSCULARES ARTERÍOLAS


METARTERÍOLAS CAPILARES VÊNULAS VEIAS PEQUENAS VEIAS GRD

21
Thais Monteiro Silva

Você também pode gostar