Você está na página 1de 73

DAPE DAC

HA
Dermatite Atópica Canina (DAC)
Hipersensibilidade a Alérgenos Ambientais
• 2ª dermatopatia alérgica + comum

• Sem predisposição por sexo

• Predisposição racial
• Shihtzu; Buldogue; Lhasa apso; Poodle; Pug; Sharpei;
Schnauzzer; Yorkshire terrier; etc
Disfunção lipídica
Defeitos nas
proteínas de adesão
Barreira
cutânea Desidratação
S. pseudointermedius

Malassezia Disbiose HS tipo I


pachydermatis
Mediadas por IgE
Imunidade
Alérgenos
ambientais,
microbianos e
alimentares
Prurido

• Primeiro sinal

Lesões

• Áreas mais acometidas

Infecções

• Disbiose/oportunistas
Prurido primário em orelhas e
porção distal de membros

Lesões em quadros agudos:


Eritema, escoriações

Lesões crônicas:
Seborreia, xerose,
hiperpigmentação e hiperplasia.
• Orelhas
• Região periocular
• Membros
• Eritema
• Escoriações
• Edema
• Xerose
• Hiperqueratose
• Hiperpigmentação
• Seborreia
Complexo granuloma Alopecia simétrica
eosinofílico bilateral

Dermatite miliar
• Anamnese
• Sinais clínicos
• Exclusão das demais causas de dermatites
pruriginosas – testes básicos.
• Resposta à terapia
• Testes intradérmicos
• Prik test
• Dosagens de IgE’s específicas
1. Início dos sinais antes dos 3 anos de idade
2. Cães que habitam ambientes internos
• Testes Básicos 3. Prurido responsivo à corticoterapia
4. Prurido como sinal primário
• Indispensáveis 5. Porção distal dos membros torácicos afetada
6. Pavilhões auriculares afetados
• Testes de Exclusão 7. Bordos das orelhas não afetados
8. Área dorso-lombar não afetada

• Critérios de Favrot 5 critérios:


85% de sensibilidade e 79% de especificidade
Adição de um 6º critério:
89% especificidade e 58% de sensibilidade
• Teste alérgico intradérmico (TAID) – se as
tentativas de tratamento não tem sucesso e
se a doença progride;

• A terapia pode influenciar o resultado


(CUIDADO!)
• Teste alérgico in vitro
• Detecção de IgE de grupos específicos circulantes;
• Realizados quando o TAID não puder ser realizado ou não estiver disponível
ou se a retirada da terapia não puder ser feita.
• ELISA/RAST (teste radioalergoabsorvente)

Anticorpos anti-IgE
Disco com os
radiomarcados
alérgenos a serem
testados
Leitura da
radiolucência
• DAPE
• Hipersensibilidade alimentar
• Dermatite de contato
• Piodermite superficial bacteriana primária
• Malasseziose primária
• Sarna sarcóptica
• Demodicose
• Dermatofitose
• Hipersensibilidade a parasitas intestinais.
Reposição

Hidratação
Barreira
cutânea
ATB

Disbiose
Antifúngicos Imunossupressão

Imunidade Controle do prurido

Evitar contato com o


alérgeno

Hipossensibilização
• Diminuição da exposição aos alérgenos;

• Eliminação de outros fatores que possam baixar o limiar


pruriginoso;

• Reforçar a barreira cutânea;

• Tratar infecções secundárias;

• Tratar a hipersensibilidade.
• Terapia farmacológica:

• Anti-histamínicos
• Hidroxizina: 1 a 5mg/kg TID Eficácia
• Cetirizina: 0,5 a 1mg/kg SID ou BID limitada
• Clemastina: 0,05 – 0,1mg/kg BID

• Imunssupressores não-esteroidais
• Ciclosporina: 5 mg/kg SID podendo-se aumentar o intervalo para a cada 2/3 dias.
• Oclacitinib (Apoquel®) : Inibidor de IL-31 - 0,4 a 0,6 mg/kg BID 7 dias e SID por
período variável
• Maleato de oclacitinib => imunomodulador seletivo que
bloqueia a função de JAK

• JAK => sinalização e na transdução de sinais de citocinas


próinflamatórias, pró-alérgicas e pruridogênicas => IL-2, IL-3,
IL-4, IL-6 e IL-13 10 envolvidas em processos alérgicos,
inclusos os processos de DAC.
• Corticosteróides:

• Prednisolona: 0,5 a 1 mg/kg SID por 7 a 10 dias,


com desmame

• Deflazacort: 0,2 a 0,6mg/kg SID : VO buscando


aumentar o intervalo entre doses para próximo
de 72 horas.
Imunoterapia
• Hipossensibilização (vacina)
• Prevenção e tratamento
• Pull de antígenos
• Vários meses para obter resposta

• Cytopoint®
• Ac monoclonal anti-IL 31
 Ácidos graxos essenciais
 Óleo de peixe
Omega 3: 40mg/kg SID : VO
 Óleo de Borragem Omega 6: 60 a 140mg/kg SID :VO
 Óleo de Prímula
 Suplementos veterinários para pelagem.

 AINES
 AAS nos interrupções da corticoterapia
(somente cães e quando necessário).
 Terapia tópica de suporte

 Shampoos e loções
 Hidratantes
 Hidroviton
 Aveia coloidal
 Aloe vera  Manejo da infecção secundária
 Glicerina  Clorexidine
 Miconazol
 Cetoconazol
 Mupirocina
 Terapia tópica de suporte

 Antipruruginosos

 Farelo Coloidal de Aveia, Alantoína, Gel de Aloe Vera,


Extrato de Camomila – VetriDerm Bayer®
 Spray contendo Aceponato de Hidrocortisona* –
Cortavance Virbac® : SID na área afetada por uma
semana

 Tacrolimus 0,1% tópico (Protopic®)


 Mecanismo de ação semelhante à ciclosporina
(inibição da resposta dos linfócitos T à antígenos.
Corrigir barreira cutânea e
desidratação

Reduzir exposição ao
alérgeno

Controlar disbiose

Desinflamação/imunos-
supressão

Bloquear prurido
Dermatite Alérgica a Picada de
Ectoparasitas (DAPE)
• Hipersensibilidade a um ou mais proteínas da
saliva de pulgas e carrapatos
• + ou – 40 tipos diferentes;

• Início: em média com 2 a 6 anos de idade

• Reações de HS do tipo I (imediata) e do tipo IV


(tardia),
• CÃES • GATOS
• alopecia, • Prurido (frequência de auto-
• pápulas, limpeza)
• eritema, • Alopecia simétrica bilateral
• crostas hemorrágicas • Alopecia lombo-sacra
• prurido intenso, • Dermatite miliar (+região cervical)
• + localizados em região lombo- • complexo granuloma eosinofílico
sacra, cauda e face interna de
membros pélvicos;

Mais raramente otite eczematosa recidivante,


Complicadas por infecções secundárias.
CGE
• Erradicar ectoparasitas => melhora =>DAPE

• => A presença de pulgas e carrapatos podem piorar a


intensidade do prurido de qualquer causa.
• Teste intradérmico com Ag de saliva de parasitos =>
eficazes

• Testes in vitro => pouco eficazes


• Ectoparasiticidas de longa ação:
• Spot on
• Frontline Plus ® - 1 mês para
carrapatos e até 3 meses p/
pulgas
• Activyl ® - 1 mês p/ pulgas

• Tratamento oral (coadjuvante)


• Bravecto ® – 3 meses
• Nexgard ® - 1 mês

• Erradicação e manejo ambiental.


• Anti-histamínicos – pouco eficazes

• Glicocorticóides (resposta ótima)


• Prednisolona: 1 a 2mg/kg SID por 7 a 10
dias, com “desmame”
Hipersensibilidade Alimentar (HA)
• Material antigênico presente na dieta

• Em geral proteínas e peptídeos

• Diferenciar da DAIA

NASCENTE et al., 2006.


• Ainda não se sabem os mecanismos exatos da HA
nos cães e gatos (WHITE, 2003).

• Reações “imediatas” (tipo I) e “retardadas” (tipo IV)


• Alérgenos já conhecidos e confirmados:
• Carne bovina (+++)
• Carne suína
Levar em conta a vasta variedade
• Leite bovino
de ingredientes e métodos de
• Carne equina
processamento das dietas
• Ovos
animais disponíveis.
• Trigo
• Aveia
• Carne de peixe (ofensor em 50% dos gatos com HA)
• Carne de baleia
• Produtos de soja
• Contaminantes fúngicos na água de beber
• Prurido é o mais evidente;

• Distribuição das lesões


semelhante às da ATOPIA

• LESÕES:
• Dermatite de dobras
• Pápulas, eritema, colaretes
epidérmicos, seborreia
• pododermatite,
• otite externa.
Maria Vitória Farias
• Gatos:

• Prurido generalizado,
• Predominante na cabeça
• Eritema
• Dermatite miliar,
• Complexo granuloma eosinofílico
• Urticária e angioedema podem ser observados
• Podem ser observados sinais
gastrointestinais => + comuns em gatos

• Colite linfocítica-plasmocítica em felinos

• Podem ser observados (raramente) sinais


neurológicos e respiratórios
• Anamnese
• Ocorrência não-sazonal
• Ausência ou baixa resposta à corticoterapia

• Achados laboratoriais
 Não há achados típicos

• Teste cutâneo intradérmico/ Testes sorológicos


• Não recompensadores
• Processamento e digestão modificam o alimento.
• Dieta teste RESTRITIVA (Hipoalergênica)

• Maneira mais eficaz de diagnosticar

• Ração: proteína hidrolisada com menos de 4000 Daltons

• Dieta caseira: Poucos ingredientes, de preferência com


pouca ou nenhuma exposição anterior (proteínas de
cordeiro, rã ou coelho – tem se usado porco)

• Sem corantes, conservantes e aromatizantes.


• Dieta teste RESTRITIVA (Hipoalergênica)

• Água de beber mineral ou purificada

• Bebedouros e comedouros de louça ou inox.


Escolher uma opção apenas e manter por 2 meses!
•Desafio com dieta anterior

• Confirmatório

• Para testar mais de um potencial alérgeno,


provocar com um item a cada 7 a 10 dias.
• Dieta hipoalergênica
exclusiva ad
eternum

• Manter vigilância
• Em casos muito graves, podem ser necessários
corticosteroides (resposta média a baixa):
 Prednisolona 1 mg/kg SID por 10 dias.

• Tratar infecções secundárias

• Eliminar condições que baixem o limiar pruriginoso


Esquema diagnóstico das alergias Testes básicos

Fase de avaliação
Dermatites
Alérgicas


ectoparasitas?
Sim Não
Eliminar Não Dieta
Fase de testes

ectoparasitas hipoalergênic
cura? a cura?
Não Sim

DAPE Atopia HA
Achou
alguma
coisa?

Você também pode gostar