Você está na página 1de 11

0

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA


Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia
Disciplina: Fund. e Metod. do Ensino de Geografia
Docente: Francinete Soares da Silva
Discente: Amanda Marcos Coelho

Análise do livro didático de Geografia para o Ensino Fundamental

São Luís – MA
2016
1

AMANDA MARCOS COELHO

Análise do livro didático de Geografia para o Ensino Fundamental

Análise do livro didático de Geografia para o


Ensino Fundamental apresentada à Disciplina de
Fundamentos e Metodologias do Ensino de
Geografia do Curso de Pedagogia da
Universidade Federal do Maranhão ministrada
pela Profª. Msª. Francinete Soares da Silva para
obtenção de nota.

São Luís – MA
2016
2

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO 03
2. IDENTIFICAÇÃO DA OBRA 05
3. CONTEÚDOS E EIXOS TEMÁTICOS 05
4. REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS E CARTOGRÁFICAS, RELAÇÃO TEXTO E
IMAGEM 06
5. INCENTIVO AO USO DE OUTROS TIPOS DE TEXTOS 06
6. SUGESTÃO DE TRABALHO COM LINGUAGENS NÃO DIDÁTICAS 06
7. CONTEÚDOS QUE ABORDAM REALIDADES DE CULTURAS DIFERENTES 06
8. RELAÇÃO ENTRE AS IMAGENS, OS CONTEÚDOS E O COTIDIANO 06
9. A PROPOSTA TEÓRICO-METODOLÓGICA 07
10. LINGUAGEM ADOTADA ADEQUADA À IDADE DOS ALUNOS 07
11. OS CONTEÚDOS E ATIVIDADES PROPOSTAS SE ARTICULAM À
TRANSVERSALIDADE E À INTERDISCIPLINARIDADE DA GEOGRAFIA 07
12. TRABALHO COM OS CONTEÚDOS DA GEOGRAFIA FÍSICA, HUMANA E
POLÍTICA 07
13. PROBLEMATIZAÇÃO DAS RELAÇÕES DA SOCIEDADE E NATUREZA 08
14. OS CONTEÚDOS CONTEMPLAM OS OBJETIVOS PREVISTOS PELOS PCN’S 08
15. CONSIDERAÇÕES FINAIS 09
REFERÊNCIAS 10

1. INTRODUÇÃO
3

O ensino de Geografia deve permitir aos educandos uma análise crítica da


realidade, pois estes devem se colocar de forma propositiva diante dos problemas
enfrentados na família, na comunidade, no trabalho, na escola e nas instituições das
quais participam. Dessa forma, tem-se uma tomada de consciência sobre as
responsabilidades, os direitos e deveres sociais, com o intuito de efetivamente tornar o
aluno agente de mudanças desejáveis para a sociedade. De acordo com os Parâmetros
Curriculares Nacionais de Geografia, no que se refere à formação da identidade
individual e coletiva, é salientado que:
O ensino de Geografia muito pode contribuir para a formação ética, na
medida em que se direcione a aprendizagem ao desenvolvimento de atitudes,
como a confiança dos alunos na própria capacidade e na dos outros para
construir conhecimentos sobre os lugares e paisagens, explicando e
compreendendo a sua história e o seu presente (BRASIL, 1998, p. 43).

No que se refere ao ensino de Geografia enquanto uma disciplina escolar é


essencial ressaltar sua importância para a formação do sujeito crítico, atuante e que
busca construir sua identidade. Essa formação dentro do ensino de Geografia, não
ocorrerá de forma plausível se os conteúdos escolares não estiverem aglutinados a
realidade dos sujeitos.
Tradicionalmente, os conteúdos ensinados na Geografia escolar são marcados
pela fragmentação do saber e pelo distanciamento da realidade cotidiana dos educandos.
Por isso não é estranho afirmar que esta postura tem contribuído para uma
aprendizagem mecânica, que em nada ajuda o aluno a dar sentido aos saberes
geográficos. Infelizmente, essa é uma realidade que persiste na maioria das escolas
brasileiras. Sobre esse assunto Callai (2001, p.139) faz a seguinte observação:
São aspectos naturais e humanos do espaço geográfico, traduzidos em aulas
sobre relevo, vegetação, clima, população, êxodo rural e migrações, estrutura
urbana e vida nas cidades, industrialização e agricultura, estudados como
conceitos abstratos, neutros, sem ligação com a realidade concreta da vida
dos alunos.

Conforme orientam Azambuja; Callai (1999, p.189), os conteúdos não deverão


ser estudados apenas no seu caráter informativo, mas principalmente como meio
formativo da capacidade de raciocínio geográfico, de interpretação dos fenômenos
socioespaciais.
Atualmente, um elemento muito utilizado para o ensino da Geografia, é o livro
didático. Este é bastante manuseado em sala de aula, sendo uma fonte segura de
conhecimentos científicos e um forte membro na ação educativa.
4

Desta forma, o presente trabalho tem como objetivo analisar o livro didático
Projeto Pitanguá Geografia, a partir das discussões, leituras dos textos e conhecimentos
construídos na disciplina de Fundamentos e Metodologias do Ensino de Geografia de
forma a verificar se o livro analisado proporciona uma aprendizagem significativa aos
alunos, no sentido de atender as questões de interesse social e pessoal para que este se
aproprie da melhor forma possível dos conteúdos apresentados no livro e sinta-se
inserido em seu contexto.
Esta análise está dividida em treze itens, sendo eles: identificação da obra;
conteúdos e eixos temáticos; representações gráficas e cartográficas, relação entre textos
e imagens; o incentivo ao uso de outros tipos de textos; sugestão de trabalho com
linguagens não didáticas; conteúdos que abordam realidades de culturas diferentes;
relação entre as imagens, os conteúdos e o cotidiano; a proposta teórico-metodológica;
linguagem adotada adequada à idade dos alunos; os conteúdos e atividades propostas se
articulam à transversalidade e à interdisciplinaridade da geografia; trabalho com os
conteúdos da geografia física, humana e política; problematização das relações da
sociedade e natureza; os conteúdos contemplam os objetivos previstos pelos PCNS.

2. IDENTIFICAÇÃO DA OBRA
5

O livro de História analisado foi o Projeto Pitanguá Geografia que tem como
referência: DANELLI, S. C. S. Projeto Pitanguá: geografia: 2° ano. 2. Ed. São Paulo.
Moderna, 2008.
Este livro foi elaborado para o ensino dos conteúdos de 2° ano do Ensino
Fundamental.

3. CONTEÚDOS E EIXOS TEMÁTICOS

A partir do contato com o livro didático Projeto Pitanguá, pode-se perceber que
em geral os seus conteúdos e eixos temáticos são sobre A moradia; A escola e A rua.
Os mesmos apresentam adequação ao contexto político e a realidade geográfica
atual. Contempla ainda elementos como a variedade e particularidade dos indivíduos,
das famílias e escolas, bem como o conhecimento e reflexão de diversos espaços,
inclusive o qual estão inseridos.
Todos os conteúdos abordados relacionam-se com assuntos voltados a realidade
dos alunos, sobre sua identidade, local em que vive abrangendo a residência, a escola,
bairro e outros locais do mundo. Identifica-se ainda a concepção do aluno entendido
como participante e produtor da transformação desse espaço, por meio dos textos e das
atividades.

4. REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS E CARTOGRÁFICAS, RELAÇÃO


TEXTO E IMAGEM

Quanto às representações gráficos o livro apresenta trabalhos com mapas,


plantas e fotografias, mostrando a função, construção e transformação de espaços
geográficos. As imagens são seguidas de textos que apresentam relação, provocam
questionamentos, no intuito de levar as crianças a pensar, comparar, analisar e discutir
sobre sua realidade e os diferentes espaços.

5. INCENTIVO AO USO DE OUTROS TIPOS DE TEXTOS


6

O livro didático do Projeto Pitanguá incentiva os alunos e professores a


utilizarem jornais, revistas, obras literárias, músicas, poesias e glossário por meio de
atividades de pesquisa, leituras, questionamento, discussões e reflexões acerca dos
aspectos geográficos.

6. SUGESTÃO DE TRABALHO COM LINGUAGENS NÃO DIDÁTICAS

Em geral, as linguagens utilizadas no livro são a oral, a escrita e visual, sendo


todas elas claras, explícitas e adequadas aos conteúdos e a faixa etária dos alunos.
Há uma diversidade de linguagens a fim de proporcionar a apropriação do aluno
ao conteúdo, apresentando e sugerindo vários tipos de textos, como relatos pessoais,
trechos de músicas, poemas, documentos pessoais, versos e prosas, histórias, uso de
leitura de imagens, fotos, espaços geográficos e cartográficos. O livro ainda propõe
sugestões de leituras e estimula a construção de desenhos.

7. CONTEÚDOS QUE ABORDAM REALIDADES DE CULTURAS


DIFERENTES

Os conteúdos abordados no livro inserem diferentes tipos de realidades culturais.


Apresenta ainda dados e espaços geográficos como população, escolas, ruas,
municípios, estados e países com suas diversidades por meio de imagens, facilitando
assim o conhecimento dos alunos e comparação de novos espaços.

8. RELAÇÃO ENTRE AS IMAGENS, OS CONTEÚDOS E O COTIDIANO

O livro apresenta bastante relação entre as imagens, os conteúdos e o cotidiano.


Os mesmos são de fácil reconhecimento, pois são condizentes a comunidade, a
realidade dos alunos. O livro busca fazer com que o aluno sinta-se integrado diante de
seu meio.
Vale ressaltar que o uso dos textos e das imagens constitui algo imprescindível.
As imagens e textos utilizados no livro estão totalmente interligados ao cotidiano.
Observa-se que as imagens são utilizadas para que os educandos consigam relacionar a
temática, os textos e a realidade, introduzindo assim o conteúdo.
7

9. A PROPOSTA TEÓRICO-METODOLÓGICA

O livro adota uma metodologia crítica de reflexão e problematização, possui


diversas atividades e questões que propõe ao aluno o pensar, refletir, opinar, participar e
agir, bem como interagir com outras pessoas e conhecer novas ideias e opiniões.

10. LINGUAGEM ADOTADA ADEQUADA À IDADE DOS ALUNOS

O livro apresenta uma linguagem bem didática, com textos e imagens de fácil
relação e compreensão, sendo coerentes à faixa etária dos alunos. Os textos e as
imagens são ainda condizentes com os conteúdos, diversificados e integrativos,
contendo pessoas com e sem deficiências e abrange as questões étnico-raciais.

11. OS CONTEÚDOS E ATIVIDADES PROPOSTAS SE ARTICULAM À


TRANSVERSALIDADE E À INTERDISCIPLINARIDADE DA GEOGRAFIA

A transversalidade e a interdisciplinaridade estão presentes no livro, em meio


aos conteúdos e atividades propostas sobre o espaço, a moradia, a escola e a rua,
assuntos como cuidado, preservação, direitos e deveres, e organização se fazem
presente. É possível ainda se trabalhar outras disciplinas com os conteúdos
programáticos, como por exemplo: português, história, ciências e etc.
O livro auxilia o aluno a relacionar os conteúdos com a sua realidade com o que
está a sua volta, sendo possível a inserção de novos assuntos, conteúdos e temáticas.

12. TRABALHO COM OS CONTEÚDOS DA GEOGRAFIA FÍSICA,


HUMANA E POLÍTICA

A partir do contato com o livro didático Projeto Pitanguá, pode-se perceber que
os seus conteúdos possuem adequação a geografia física, humana e política, pois o
mesmo apresenta elementos como à variedade de espaços, realidades, diversidades e
particularidade de diferentes espaços. No âmbito político, apresenta os direitos e
deveres das crianças e suas responsabilidades sociais diante do espaço em que está
inserido.
8

Todos os conteúdos abordados relacionam-se com assuntos voltados as


características e realidade geográfica dos alunos, principalmente sobre sua identidade,
abrangendo os tipos de residências, escolas, bairros, municípios, estados e países.

13. PROBLEMATIZAÇÃO DAS RELAÇÕES DA SOCIEDADE E NATUREZA

O livro apresenta textos e atividades com problematizações e questionamentos


acerca da atuação do homem diante da sociedade, dos espaços geográficos e da
natureza, no intuito de levar as crianças a conhecer, pensar, comparar, analisar, discutir
e agir da melhor forma sobre sua realidade.

14. OS CONTEÚDOS CONTEMPLAM OS OBJETIVOS PREVISTOS PELOS


PCN’S

Quando comparado aos Parâmetros Curriculares Nacionais, o livro contempla os


objetivos direcionados ao primeiro ciclo do Ensino Fundamental, os quais incluem:
reconhecimento, na paisagem local e no lugar nos quais os alunos se encontram
inseridos, as diferentes manifestações da natureza e a apropriação e transformação dela
pela ação de sua coletividade, de seu grupo social; o conhecimento e utilização de
fontes de informação escritas e imagéticas; o saber utilizar a observação e a descrição na
leitura direta ou indireta da paisagem, sobretudo por meio de ilustrações e da linguagem
oral; o reconhecimento, no seu cotidiano, os referenciais espaciais de localização,
orientação e distância de modo a deslocar-se com autonomia e representar os lugares
onde vivem e se relacionam; o reconhecimento da importância de uma atitude
responsável de cuidado com o meio em que vivem, evitando o desperdício e percebendo
os cuidados que se deve ter na preservação e na manutenção da natureza.
Observa-se ainda a valorização do patrimônio sociocultural e o respeito à
sociodiversidade, reconhecendo-a como um direito dos povos e indivíduos e um
elemento de fortalecimento da democracia.

15. CONSIDERAÇÕES FINAIS


9

A realização deste trabalho pôde sintetizar algumas análises acerca do livro


didático de História que precisam ser sempre repensadas, como por exemplo, a sua
utilização em sala de aula com influências na formação para a cidadania, além do
trabalho de professores e alunos, em que este não deve ser a única forma de material
didático, mas a pesquisa, o contato e a criação de novos saberes se faz de extrema
importância para o crescimento dos indivíduos.
A respeito do Livro Didático de História analisado, um ponto que sintetiza
grande parte do que se apresentou neste trabalho é de que, quanto mais os docentes e
discentes iniciarem uma reflexão sobre as funções que possuem “dentro e fora” do
universo escolar, concomitantemente com as modificações apresentadas pela sociedade
em que vivemos, mais estarão preparados para um confronto com muitas ideologias
existentes e impostas pelas classes dominantes, não somente do saber, mas também do
ter e querer. Do contrário, o livro didático será somente mais um material de trabalho.
Estudarmos a História com apoio do livro didático não se constitui em uma mera
descrição. Ela é uma elaboração, uma versão da realidade e se bem utilizado é um forte
elemento para a transformação social.
Deste modo, foi perceptível que o livro didático analisado propicia uma
autonomia e uma visão crítica ao propor leituras diferentes e questões desafiadoras.
Observou-se ainda uma relação próxima entre realidade e os conteúdos
propostos, as imagens são utilizadas de maneira significativas, instigando as crianças a
pensar, propõe comparações e análises, exigindo a reflexão sobre os acontecimentos
sociais, enfoca as questões entre passado e presente, as transformações sociais ao longo
do tempo, propiciando ao aluno a apropriação dos acontecimentos históricos,
enfatizando a importância dos mesmos se perceberem como seres participantes e
atuantes na sociedade.

REFERÊNCIAS
10

AZAMBUJA, Leonardo Dirceu & CALLAI, Helena Copetti. A Licenciatura de


Geografia e a Articulação com a Educação Básica. In: CASTROGIOVANNI, Antonio
Carlos; CALLAI, Helena Copetti; SCÄFFER, Neiva Otero & KAERCHER, Nestor
André.(orgs.). Geografia em sala de aula: práticas e reflexões. Rio Grande do Sul:
Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1999.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: História e Geografia/ Secretaria De


Educação Fundamental.– Brasília: MEC/SEF, 1998. 166p.

CALLAI, Helena Copetti. A Geografia e a Escola: Muda a Geografia? Muda o Ensino?


Revista Terra Livre, n. 16. (p. 133-152). São Paulo, 2001

Você também pode gostar