Você está na página 1de 6

1.

Concreto ou Betão:

O Concreto ou Betão, é um material da construção civil composto por uma


mistura de cimento portland, areia, pedra e água, além de outros materiais,
aditivos e as adições. Historicamente os romanos foram os primeiro a utilizar uma
versão desse material conhecida por pozzolana.
Existem vários tipos de materiais cujo tratamento se assemelha, e que
podem ser utilizados como um tipo de betão. Podem ser mencionados:
• betão armado, utilizado em estruturas normais;
• betão pré-esforçado, utilizado em grandes estruturas;
• argamassa armada;
• betão pré-moldado ou pré-fabricado;
• betão de alto desempenho ou alta resistência;
• estruturas mistas aço-betão;

1.1. O surgimento do betão

O surgimento do betão foi condicionado pela descoberta de um agente


aglomerante. Podemos assim considerar como o início do betão o século II AC,
quando surgiu o primeiro aglomerante conhecido. Era um tipo especial de areia
vulcânica chamada pozzolana, encontrada apenas na região sul da Itália, na baía
de Nápoles. Foi bastante usada pelos romanos, dando origem a diversas
construções. A pozzolana é na verdade uma “areia” especial, que reage
quimicamente com a cal e água, para endurecer formando uma pedra artificial,
resistente mesmo quando submersa. Esse material era usado com pedras de
diferentes tamanhos, mantendo-as unidas e formando um tipo rudimentar de
betão.
Talvez o exemplo mais conhecido dessa técnica construtiva seja o Panteão,
estrutura do século II DC, onde o betão ficava inteiramente coberto por tijolos. A
construção desse edifício progrediu de forma a reduzir o peso total da estrutura e
melhorar o seu comportamento, tirando proveito da pozzolana.

1.2. Constituição:

Materiais constituintes do concreto:

• Aglomerante — cimento portland;


• Agregado Miúdo — areia natural ou artificial (pó de pedra beneficiado), pó
de pedra;
• Agregado Graúdo — pedra britada ou seixo natural;
• Água — pode ter parte ou totalidade substituída por gelo;
• Aditivo — plastificante, retardador de pega;

Adições — metacaulim, cinza volante, pozolanas, cal, pó de pedra.


O betão, devido às suas inúmeras vantagens, tem sido o material mais
usado na construção de prédios residenciais, comerciais, industriais e públicos,
pontes, viadutos, barragens, túneis, silos, reservatórios, etc. Entre as vantagens
deste material de construção podem ser citadas:
• Baixo custo relativo;
• Disponibilidade dos seus materiais componentes em quase todos os lugares;
• Versatilidade, adaptabilidade, durabilidade e possibilidade de incorporar com
vantagens restos industriais poluentes.

1.3. Betão pré- esforçado :

O Betão pré- esforçado (no brasil chamado de concreto protendido),


começou a ser desenvolvido no século XVIII, porém, só obteve sucesso quando o
francês Eugène Freyssinet em 1928 desenvolveu um método de ultrapassar a
fraca resistência à tração que o betão (concreto) possui.
A sua aplicação permite a construção de pavimentos e pontes com vãos
mais extensos do que aqueles obtidos com o uso do betão armado, possibilitando
ainda o desenho de elementos estruturais com seções transversais de menor
dimensão. Ao pré-esforçar o aço dos varões cria-se uma carga de aperto que faz
com que se crie uma força de compressão que compensa a tensão que o betão
exibiria face à carga.
As resistências de betão, utilizadas no betão pré-esforçado, são duas a três
vezes maiores que as utilizadas no betão armado. Os aços utilizados nos cabos
de pré-esforço têm resistência três a cinco vezes superiores às dos aços usuais
do betão armado.
O sentido econômico do betão pré-esforçado consiste no fato de que os
aumentos percentuais de preço são muito inferiores aos acréscimos de resistência
utilizáveis.

1.3.1. Em relação ao betão armado, o betão pré-esforçado apresenta as seguintes


vantagens:
• . Reduz as tensões de tracção provocadas pela flexão e pelos
esforços cortantes;
• . Reduz a incidência de fissuras;
• . Reduz as quantidades necessárias de betão e de aço, devido ao
emprego eficiente de materiais de maior resistência;
• . Permite vencer vãos maiores que o betão armado convencional
sendo que para o mesmo vão, permite reduzir a altura necessária da
viga (esta é uma das vantagens mais importantes do betão pré-
esforçado. Para ilustrá-la pode-se criar o facto de que as pontes com
vigas rectas de betão armado têm o seu vão livre limitado a 30 m ou
40 m, enquanto as pontes com vigas pré esforçadas atingem vãos de
250 m).
Um marco histórico para a Construção Civil Brasileira, o Palácio projetado por Niemeyer apresenta
o maior vão livre flutuante do mundo em concreto protendido.
Localizado ao sul do terreno de 804 mil m2 do antigo hipódromo Serra Verde, a 18 km do Centro
de Belo Horizonte, o Palácio Tiradentes destaca-se por seu grande vão livre, [...]

1.4. Concreto Armado:

O concreto armado ou betão armado é um material da construção civil, que


se tornou um dos mais importantes elementos da arquitetura no século XX. É
usado nas estruturas dos edifícios. Diferencia-se do concreto (ou betão) devido ao
fato de receber uma armadura metálica responsável por resistir aos esforços de
tração, enquanto que o concreto em si resiste à compressão.

1.4.1. O betão armado apresenta as seguintes propriedades:

• . Elevada resistência à compressão por parte do betão e elevada


resistência à tracção por parte do aço;
• . Trabalho conjunto do betão e do aço, assegurado pela aderência
entre os dois materiais;
• . Praticamente não existem tensões internas entre o aço e o betão;
• . O betão protege a armadura da oxidação, garantindo a durabilidade
da estrutura;
• . Protecção física (recobrimento) e química.
O princípio básico das peças de betão armado é combinar o betão e o aço
de maneira tal que, em uma mesma peça, os esforços de tracção sejam
absorvidos pelo aço e os esforços de compressão pelo betão. As barras da
armadura devem absorver os esforços de tracção que surgem nas peças
submetidas à flexão ou à tracção, já que o betão possui alta resistência à
compressão, porém pequena resistência à tracção. Devido à aderência, as
deformações das barras de aço e a do betão que as envolve devem ser iguais.
Tendo em vista que o betão submetido à tracção não pode acompanhar as
grandes deformações do aço, o betão pode fissurar na zona de tracção; estes
esforços são então, absorvidos apenas pelo aço. A armadura deve, portanto, ser
colocada na zona de tracção das peças estruturais.

1.4.2. Algumas vantagens e desvantagens do betão armado:

Vantagens:

• Economia - mais econômico que estruturas de aço;


• Maleabilidade - adaptação a qualquer tipo de forma e facilidade de
execução;
• Estruturas monolíticas (sem ligações), hiperestáticas – segurança;
• Manutenção e conservação quase nulas e grande durabilidade;
• Boa resistência à compressão variável;
• Resistência a efeitos térmicos, atmosféricos e a desgastes
mecânicos;

Desvantagens:

• Peso próprio alto;


• Dificuldades de reformas e demolições;
• Transmissão de calor e som;

1.4.3. É constituído por:

• agregados graúdos: pedras britadas, seixos rolados; etc.


• agregados miúdos: areia, pedregulhos;
• aglomerantes: cimento ou cal;
• água;
• aditivos: corantes, aceleradores, fibras; etc.
Maior estádio do mundo, Capacidade para 150.000 expectadores.
A sua arquitetura lembra a flor de magnólia. Inaugurado em 1989
Pyonyand / Coréia do Norte.

Arranha-céu de 101 andares, Altura=509m (com antena)


inaugurado em 2004, em Taipei/ Taiwan
1.5. Betão de alta resistência:
O surgimento dos aços de alta resistência, nos anos 30, desencadeou a
pesquisa para a obtenção de betões mais resistentes o que juntamente com a
cinza volante, um material que quando adicionado ao betão com uma baixa
relação água/cimento dá-lhe a consistência necessária para funcionar como uma
espécie de lubrificante, levou ao surgimento do betão de alta resistência.
A utilização deste betão em edifícios projetados para serem altos fez surgir
construções no mundo inteiro cada vez mais altas e resistentes.

1.6. Técnicas de fabricação :

• Betão pré-esforçado (Concreto Protendido com pré-tração): o betão é


colocado sobre varões tensionados previamente (normalmente pré-
fabricados / pista de protensão);

• Betão pós-tensionado fixo (Concreto Protendido com pós-tração /


Cordoalha aderida): a tensão é aplicada só após o betão ter atingido uma
dada consolidação, através do uso de macacos hidráulicos que tracionam
os varões (as cordoalhas) sendo estes depois fixados à extremidade da
estrutura com detentores adequados (NICHOS DE ANCORAGEM);

• Betão pós-tensionado livre (Concreto Protendido com pós-tração /


Cordoalha Engraxada): cada cordoalha é acondicionada dentro de uma
bainha metálica recebendo uma cobertura de graxa especial, sendo assim
possível tencionar cada varão independentemente.