Você está na página 1de 7

1.

Para produzir sentido, dentro de uma determinada


situação comunicativa, as palavras se organizam de
diferentes maneiras. Leia o trecho a seguir.
Bebeu leite morno, aproximou-se da vaca e passou-lhe a mão pelo
lombo, dizendo:
- Mimosa velha... Mimosa valente...

VERÍSSIMO, Érico. O continente. São Paulo: Cia das Letras, 2004.

a) Aprendemos que frase é uma unidade comunicativa com sentido completo.


Com base nessa informação, responda: quantas frases há na segunda linha do
trecho lido?

b) As frases que não possuem verbo, a gramática deu o nome de frases


nominais. Quais são as frases nominais que aparecem no trecho lido?

c) Uma frase verbal se organiza em torno de um ou mais verbos. Que verbos


foram usados na frase verbal do trecho lido?

d) Além do conceito de frase, você já estudou em anos anteriores o conceito


de oração – a unidade comunicativa ou parte de uma unidade comunicativa
que se organiza em torno de um verbo. Sendo assim, quantas orações
compõem a frase verbal do trecho lido?

2. Leia mais um trecho a seguir.

Ana sentia-se animada, com vontade de viver. Sabia que, por piores
que fossem as coisas que estavam por vir, não podiam ser tão horríveis
como as que já tinha sofrido. Esse pensamento dava-lhe uma grande
coragem.

VERÍSSIMO, Érico. O continente. São Paulo: Cia das Letras, 2004.

a) Quantos períodos há nesse trecho?

b) Quais períodos são compostos por apenas um verbo?

c) Quantas e quais orações compõem o primeiro período do texto?

Importante saber:

Nem toda frase é uma oração, pois é necessário que o enunciado seja
construído em torno de um verbo ou locução verbal para que seja
considerado uma oração.
Exemplo: “- Mas e o outro?” (frase sem nenhum verbo, nenhuma oração)

A frase formada por uma ou mais orações, ou seja, o enunciado com


sentido completo formado por um ou mais verbos ou locuções verbais
chama-se período.

Observe: “Pela madrugada Ana acordou e ouviu o choro da cunhada.”

O período é formado em torno de dois verbos, ou seja, tem duas orações.

3. Em relação aos períodos a seguir, localize os verbos e as locuções verbais;


em seguida, responda: por quantas orações é formado cada um deles?

a) “No momento em que cravara a última cruz, Ana teve uma dúvida que a
deixou apreensiva.”

b) “Ela estava tão cansada, tão tonta e confusa que nem tivera a ideia de
verificar se o pobre do negro estava morto ou não”.

c) “Tinham empurrado o corpo para dentro da cova e atirado terra em cima.”

d) “Ana olhava, sombria, para as sepulturas.”

4. Leia o trecho a seguir.

Neruda soltou o trinco do portão e acariciou o queixo.

a) Quantas e quais orações há nesse período?

b) Que elemento estabelece uma ligação entre as duas orações do período?

5. Agora, observe outro período e identifique que elemento estabelece uma


relação entre as duas orações.

- Eu me senti estranho, porque com tanto movimento fiquei enjoado.

6. Leia o texto a seguir.

- Claro!
- Sabe o que você fez, Mário?
- O quê?
- Uma metáfora.
- Mas não vale porque saiu só por puro acaso.
- Não há imagem que não seja casual, filho.

Trecho do livro “O Carteiro e o poeta” de Pablo Neruda .


a) Reescreva os verbos que aparecem no texto.

b) Informe quantas e quais orações de cada período do texto lido.

Importante saber:

Damos o nome de conjunção à palavra ou expressão que relaciona duas


orações em um período.

Exemplo: “Mário retorceu o pescoço e procurou os olhos do poeta.”

Uma conjunção também pode ligar dois termos que tenham a mesma função
sintática na oração.

Exemplo: “É indigno que você fique me submetendo a todo tipo de


comparações e metáforas.”

7. Informe se a conjunção liga orações ou liga termos que exercem a mesma


função sintática dentro da oração.

a) Você precisa escolher: é tudo ou nada.

b) Você precisa escolher: é pegar ou largar.

c) Vida e morte são dois lados da mesma moeda.

d) Viver e morrer são dois lados da mesma moeda.

8. Sublinhe as conjunções que estão ligando orações.

a) “- Mas não vale porque saiu por acaso.”


b) “- [...] Estranho é como eu me sentia quando o senhor recitava o poema.”
c) “- Querido Mário, vamos ver se você desenreda um pouco, porque eu não
posso passar toda a manhã desfrutando o papo.”

Importante saber:

Damos o nome de período simples ao período formado por uma única


oração, ou seja, por um único verbo ou locução verbal.

Exemplo: “- Você ficou enjoado [...]”

O período formado por duas ou mais orações, ou seja, por dois ou mais
verbos ou locuções verbais, damos o nome de período composto.

Exemplo: “Estranho é/ como eu me sentia / quando o senhor recitava o


poema.”
9. Leia o trecho a seguir e escreva o que se pede.

- Rapaz! Todos são poetas no Chile. É mais original que você continue
sendo carteiro. Pelo menos caminha bastante e não engorda. Todos os
poetas aqui no Chile são gorduchos.

Trecho do livro “O Carteiro e o poeta” de Pablo Neruda .


a) A única frase que não pode ser considerada um período.

b) Dois períodos simples.

c) Dois períodos compostos.

d) Uma conjunção.

10. Leia o trecho a seguir.

A televisão daquela época era mágica. Embora transmitisse em branco e


preto programas sem profissionalismo, com imagens tecnicamente ruins, ela
possuía um fascínio único.
MARCONDES FILHO, Ciro. Televisão: a vida pelo vídeo. São Paulo: Moderna, 1988. (Adaptado)

a) Quantos verbos existem nesse trecho? Quantas orações existem em cada


período?

b) Os períodos são simples ou compostos? Por quê?

11. Leia o trecho a seguir.

[...] as pessoas sentavam juntas, conversavam e trocavam ideias na


hora das refeições.

a) Quantas orações há no período lido?

b) Qual é o sujeito de cada uma das orações?

12. Leia os dois períodos a seguir e informe em qual deles as orações podem
ser separadas e formar novo período sem prejudicar a ideia expressa.

         É óbvio que o aparelho de televisão não é por si só fascinante.


         Conversavam sobre muitos assuntos, mas o motivo de tão frequente
visita era a televisão.

Importante saber:

Quando as orações são colocadas em ordem, (ordenadas) sem depender


sintaticamente umas das outras, são chamadas de orações coordenadas.
Uma oração coordenada expressa uma ideia completa em si mesma e
um período composto por coordenação pode facilmente ser fragmentado,
de modo que suas orações se transformem em períodos simples.

Exemplo: As pessoas vinham, cumprimentavam-se, sentavam-se e assistiam


ao programa.

Esse período poderia ser fragmentado da seguinte forma:

As pessoas vinham. Cumprimentavam-se. Sentavam-se. E assistiam ao


programa.

As orações coordenadas podem ser ligadas por vírgulas ou conjunções e se


dividem em sindéticas (com conjunção) e assindética (sem conjunção).

Oração coordenada assindética. Exemplo: Uns chegavam em cima da hora,


outros já estavam lá esperando desde cedo.

Orações coordenadas sindéticas. Exemplos:


Aditiva: Eu lia Machado de Assis e ela Eça de Queirós.
Adversativa: Maria é uma grande cozinheira, mas desta vez errou na mão.
Alternativa: A TV voltaria logo, ou todo mundo ia pirar de vez.
Explicativa: A confusão era geral, pois ninguém mais sabe viver sem TV.
Conclusiva: Penso, logo existo.

13. Para ampliar seus conhecimentos, faça uma pesquisa a respeito das
orações coordenadas assindéticas e sindéticas. (Copie sua pesquisa no
caderno).
Sugestão de site: http://superletrados.blogspot.com.br/2017/12/oracoes-
coordenadas-assindeticas-e.html

14. Todos os períodos a seguir são compostos por coordenação. Leia-os e


destaque a conjunção que estabelece a relação entre as orações. A seguir,
indique se a ideia introduzida pela conjunção acrescenta uma informação
(aditiva), contraria a anterior (adversativa), indica uma alternância
(alternativa), explica algo (explicativa) ou leva a alguma conclusão
(conclusiva).

a) O filme é um manual irônico e uma deliciosa amostra desse gênero


cinematográfico.
b) A brincadeira é feita com muita intencionalidade e pouca sutileza, portanto
parece um projeto de estudante.

c) A trama ficou recheada de lugares-comuns, mas o resultado final é


surpreendente.

d) O filme ou critica ou ri dos muitos clichês.

e) O resultado é muito divertido, pois os atores são fantásticos.


GABARITO

1. a) Há duas frases.
b) As frases “Mimosa velha...” e “Mimosa valente...”
c) bebeu (beber); aproximou (aproximar); passou (passar); e dizendo (dizer).
d) Quatro orações.

2. a) Três.
b) Apenas a frase: “esse pensamento dava-lhe uma grande coragem.”
c) Duas orações: “Ana sentia-se animada...” / “...com vontade de viver”.

3. a) cravara; teve; deixou: 3 orações.


b) estava; tivera; verificar; estava: 4 orações.
c) tinham empurrado; ativado: 2 orações.
d) olhava: 1 oração.

4. a) Há duas orações. Neruda soltou o trinco do portão. /


(Neruda) acariciou o queixo.
b) A palavra e.

5. A palavra porque.

6.  a) sabe, fez, vale, saiu, há, seja.


b) Sabe o que você fez, Mário? / duas orações. / - Mas
não vale porque saiu só por puro acaso. / duas orações. / - Não há imagens
que não seja casual, filho. / duas orações.

7. a) Liga palavras de mesma função sintática dentro da oração.


b) Liga duas orações.
c) Liga palavras de mesma função sintática dentro da oração.
d) Liga duas orações.

8. a) porque; b) como / quando; c) se / porque.

9. a) Rapaz!
b) Todos são poetas no Chile. / Todos os poetas aqui no Chile são gorduchos.
c) É mais original que você continue sendo carteiro. / Pelo menos caminha
bastante e não engorda.
d) Conjunção e.

10. a) Existem três verbos. Há uma oração no primeiro período e duas, no


segundo.
b) O primeiro período é simples, porque é formado por uma só oração. O
segundo período é composto, porque é formado por duas orações.

11. a) Há três orações.


b) Em todas elas, o sujeito é “as pessoas”.

12. No 2º período, podem-se separar orações sem alterar o sentido, a ideia.

13. Pesquisar sobre as Orações Coordenadas assindéticas e sindéticas.

14. a) Conjunção e: aditiva; b) Conjunção portanto: conclusiva; c) Conjunção


mas: adversativa; d) Conjunção ou: alternativa; e) Conjunção pois:
explicativa.

Você também pode gostar