Você está na página 1de 4

PARTES DA FLOR

• Pedúnculo ou pedicelo
• Receptáculo
• Verticilos estéreis:
o Cálice (conjunto de sépalas)
o Corola (conjunto de pétalas)
• Verticilos férteis:
o Androceu (conjunto de estames)
o Gineceu (conjunto de carpelos)

FÓRMULA FLORAL

Conjunto de letras, números e símbolos que indicam a estrutura fundamental da flor

• K = cálice
• C = corola (conjunto de pétalas)
• A = androceu
• G = gineceu
• P = perigônio (quando a flor apresentar tépalas Ex.: P3+3 A 6 G(3)
• Posição do ovário: ínfero G, súpero G, semi-ínfero G –
• Números: expressam a quantidade de peças em cada verticilo, são colocados do lado
direito inferior da letra (o símbolo “∞” é usado quando o número de peças é muito
grande)
• Parênteses: quando as peças são soldadas coloca-se o número entre parênteses
(conação).
• Colchetes: indicam o concrescimento entre dois verticilos diferentes. Ex. epipetalia
(adnação).
• Disposição das peças florais: cíclica acíclica
• Simetria: Actinomorfa, Zigomorfa , assimétrica
Ex.: * K5 [C(5) A5+5] G(5)

DIAGRAMA FLORAL

Representa os verticilos da flor em corte transversal

• Sépalas e pétalas: arcos que podem ser diferenciados


pela forma ou pela coloração,
• Estames: cortes transversais das anteras
• Pistilos: cortes transversais do ovário (número de
lóculos e disposição dos óvulos)
• Brácteas: triângulo alongado no lado inferior do
diagrama
• Conação ou Adnação: traços ligando peças iguais
(conação) ou diferentes (adnação).
• Peças abortadas total ou parcialmente: pontos ou
círculos

1
INFLORESCÊNCIA

Conjunto de flores agrupadas num mesmo ramo

1. Posição
• Axilares: inflorescências localizadas na axila de folhas;
• Terminais: inflorescências localizadas na porção terminal de um ramo

2. Número
• Unifloras: uma flor na extremidade do pedúnculo ou eixo (não confundir com flor
solitária)
• Plurifloras: várias flores no mesmo pedúnculo ou eixo

3. Tipo de Crescimento
• Monopodiais (indefinidas, racemosas, centrípetas): o eixo principal apresenta
crescimento indeterminado (indefinido); o ápice não termina em flor; a abertura das
flores ocorre da base para o ápice ou da periferia para o centro da inflorescência.

• Simpodiais (definidas, cimas, cimeiras, centrífugas): o eixo principal apresenta


crescimento determinado (definido); o ápice termina em flor que é a primeira a se abrir;
a abertura das flores ocorre do ápice para a base ou do centro para a periferia da
inflorescência.

4. Tipos de inflorescências plurifloras


• Simples
o Monopodiais: cacho (racemo), espiga, espigueta, amento, espádice, corimbo,
capítulo, umbela.

o Simpodiais: monocásio (cima unípara), dicásio (cima bípara), pleiocásio (cima


multípara), glomérulo, ciátio, sicônio, etc.

Monocásio: Pleiocásio Glomérulo Sicônio


escorpióide Monocásio: Ciátio
helicóide Dicásio

• Compostas
o Homogêneas: ramificação de inflorescência
monopodial, porém do mesmo tipo. Ex.: umbela
de umbelas, cacho de cachos (panícula)

2
o Heterogêneas: ramificação de inflorescência monopodial ou simpodial, porém
de diferentes tipos Ex.: Dicásio de ciátios

o Mistas: Ramificação de inflorescência quando há mistura dos tipos


monopodiais e simpodiais. Ex.: Dicásio de capítulos

POLINIZAÇÃO

É o transporte de grãos de pólen da antera até a superfície do estigma

• Autopolinização: transporte de grãos de pólen da antera até o estigma da mesma flor


• Polinização cruzada: transporte de grãos de pólen da antera de uma flor até o estigma
de outra flor.
• Mecanismos que favorecem a polinização cruzada
o Monoicia
o Dioicia
o Dicogamia (Protandria e Protoginia)
o Hercogamia
o Heterostilia
• Mecanismo que impede a autofecundação:
o Auto-incompatibilidade
• Polinização por agentes abióticos
o Água (hidrofilia)
o Vento (anemofilia)
• Polinização por agentes bióticos:
o Animais (zoofilia)
• Diferenças entre flores polinizadas por agentes bióticos e abióticos
• Diferença entre visitante floral e polinizador
• Atrativos
o Primário (recurso): pólen, néctar, óleo, etc.
o Secundário: cor, odor, etc.

Características florais
Polinizador
Horário de
Cor Odor Corola Recurso
florescimento
Néctar e/ou
Abelha (melitofilia) Azul, amarelo, roxo Forte, fresco Dia Bilateral, plataforma de pouso
pólen
Brilhante, frequentemente Fraco, Plataforma de pouso, néctar
Borboleta (psicofilia) Dia Néctar
vermelho fresco em esporas
Mariposa (falenofilia) Branco ou cor pálida Doce, forte Noite ou crepúsculo Livre, néctar em esporas Néctar
Néctar e/ou
Mosca (miofilia) Clara Fraco Dia Radial, rasa
pólen
Mosca (sapromiofilia) Acastanhada ou arroxeada Forte, podre Dia ou noite Fechada ou aberta Nenhum

Néctar e/ou
Besouro (cantarofilia) Verde ou branco Forte Dia ou Noite Fechada ou aberta
pólen
Brilhante, frequentemente Tubular, ovário
Ave (ornitofilia) Nenhum Dia Néctar
vermelho frequentemente ínfero
Morcego Flores ou inflorescências Néctar e/ou
Esbranquiçada Forte Noite
(quiropterofilia) vistosas pólen

Mamíferos não Nenhum a Robusta, estiletes e estames Néctar e/ou


Cor opaca Noite
voadores forte excertos pólen

3
MICROESPOROGÊNESE MICROGAMETOGÊNESE

meiose
mitoses

Microesporocito Micró
Micrósporo (n) Microgametofito (grão
Tétrade de de pó
(2n) pólen)
micró
micrósporos (n)

Microesporângio (saco polínico) – 1 microesporocito – 4 micrósporos - 4 microgametofitos (grãos de pólen)

MEGAESPOROGÊNESE MEGAGAMETOGÊNESE

meiose mitoses

Megaesporocito Megá
Megásporo Megagametofito (saco
Tétrade de
(2n) megá
megásporos (n) funcional (n) embrioná
embrionário)

Megaesporângio (Nucelo) – 1 megasporocito – 1 megásporo funcional - 1 megagametofito (saco embrionário)

FECUNDAÇÃO

É a fusão dos gametas

Dupla fecundação: exclusiva das Angisopermas

Microgameta (n) + oosfera (n) = zigoto embrionário (2n)


Microgameta (n) + célula média (2n) = endosperma (3n)