Você está na página 1de 2

Nome do aluno: Leonardo dos Santos Lima

Resumo da apresentação:

Fiquei responsável por abordar e apresentar as instituições definidas por


Morgan tidas como fundamentais para as sócio-evoluções as quais nós, a raça
humana, viemos passando ao decorrer dos tempos, sendo elas separadas em
sete divisões, cada uma delas de importante papel nas formações das
sociedades ao redor do mundo.

A primeira: Subsistência, foi ao decorrer da história sendo modificada, sendo


conectada com invenções de determinadas épocas e se modificando ao
decorrer da história com cada grupo social ao qual necessitava-se fazer a
manutenção de suas vidas

A segunda: O governo, onde pode-se observar que sua primeira organização


foi no estágio de selvageria, definido por Morgan como o primeiro período da
humanidade, e foi se moldando de acordo com os costumes e culturas ao qual
as formas de governo eram inseridas, chegando nos dias atuais sendo
estabelecida assim uma sociedade política.

A terceira: A fala humana, na obra o autor discorre que a fala pode ter sido
desenvolvida das formas mais rudes e simples de expressão, visto que no
princípio da humanidade não se existia uma maneira correta e coesa de
dialogar, mas mesmo diante disso a comunicação foi sendo exercida pelos
primeiros homens que se conectaram. Em seu livro, ele também aborda um
ponto muito importante onde destaca que o pensamento precede a fala, o
monossilábico precedeu o silábico, questões essas, que às vezes, por estarem
tão inseridas em nosso dia a dia não percebemos.

A quarta: A família, essa instituição ao qual desde sua gênese acompanha a


humanidade, tendo sempre fortes laços de consanguinidade e costumes tais
quais os casamentos – arranjados ou não – formam novos laços familiares,
perpetuando assim famílias e ramificando as características do ser humano ao
decorrer dos tempos.

A quinta: A religião, ao decorrer da história podemos notar sempre um vínculo


entre o homem enquanto sociedade e seus conceitos metafísicos, porém é
uma ideia que está sempre cercada de muitas dificuldades e especulações. É
possível que nunca tenhamos de fato uma explicação satisfatória pois cada
cultura tem seus costumes religiosos e seus conceitos sobre “Deus”, devido à
isso fica complicado definirmos de fato o que é, tendo em vista que a religião
trata a natureza imaginativa do homem e também seu emocional.

A sexta: A arquitetura de habitação, tem ligação direta com a quarta instituição


– a família – pois aborda o convívio em um mesmo espaço por determinado
grupo de pessoas, sendo esses grupos familiares ou não, inseridas em um
contexto doméstico, onde os espaços ali colocados pela natureza não eram
suficientes, gerando o homem a criar seus “novos espaços” para o convívio em
sociedade, essa instituição é uma das únicas que é possível se traçar uma
linha desde seu início até os dias atuais, sendo o início as cabanas do homem
selvagem até as habitações atuais, prédios hiper conectados com porteiros
digitais.

A sétima: A propriedade, esse conceito de algo pertencente única e


exclusivamente a determinado indivíduo foi sendo formado de forma lenta e
gradual na mente do homem, surgindo na selvageria e adquirindo toda
experiência daquele período prolongou-se durante a barbárie onde a ideia
continuava sendo amadurecida, chegando na civilização onde a influência da
propriedade é controladora, onde quem detém mais propriedade detém mais
poder e influência em cima das demais pessoas. Mas de certa forma essa ideia
de propriedade não levou apenas a humanidade a superar seus obstáculos que
atrasavam de certa forma a civilização, mas toda essa mudança e ideologia
formada a partir do conceito de propriedade transformou nossa civilização em
uma civilização mais política baseada no território e na propriedade.

Você também pode gostar