Você está na página 1de 15

Escola de Comunicação e Artes

Curso de licenciatura em Música

Cadeira: Etnomusicologia IV II Ano II semestre

Projeto de Pesquisa

Tema: Importância da Música nas Celebrações Eucarística da Igreja Católicas


Apostólica Romana em Moçambique:
Caso, Paróquia Santo Antônio de Malhangalene na Cidade de Maputo

Grupo III
Nomes dos elementos:. Docente:
1.Príscila Carmen Mondlane. Pedro Júlio Sitoe
2.Arlindo Raul Manhicea
3.Fermino Moisés Macuácua
4.Edson Massangae
5.Eliseu Antônio da Cunha

Maputo 21 de Outubro
CAPÍTULO I: Introdução

A presente projecto de pesquisa enquadra-se no âmbito da disciplina de


Etnomusicologia IV, o mesmo apresenta o seguinte tema: : Importância da música nas
celebrações eucarística da igreja Católicas apostólica Romana em Moçambique: Caso,
paróquia Santo Antônio de Malhangalene na cidade de Maputo. O interesse pelo tema
surge após vitrificado em algumas vezes que se visitou algumas comunidades da igreja
Católica do domínio da música nas celebrações das missas. E é um trabalho de
conclusão da cadeira de Etnomusicologia IV, regido por Mestre Pedro Júlio Sitoe.

A pesquisa será de natureza qualitativa realizada com recurso a duas técnicas de recolha
de dados, nomeadamente: a entrevista dirigida aos crentes, missionário, incluindo o
Padre da Paróquia Santo Antônio de Malhangalene e a observação directa, pela
participação nas celebrações Eucarísticas da Igreja.

O trabalho obedecerá a seguinte sequência: Capítulo I, formula-se o problema da


pesquisa, as hipóteses, os objectivos e a justificativa. No segundo capítulo, quadro
teórico e conceitual, é feita a definição de conceitos básicos e apresentam-se algumas
discussões teóricas sobre a música e a fé. No capítulo III, a metodologia, é feita a
apresentação do tipo de pesquisa, o método de estudo, os instrumentos e as técnicas de
recolha de dados, a população e a amostra, as técnicas de análise de dados, a viabilidade
e fiabilidade do estudo, as questões éticas, o cronograma e a orçamentação das
atividades da pesquisa.

1.1 Problema:

Problema, segundo Kerlinger ( 1980:35), “(…), é uma questão que mostra umas
situação necessitada de discussão, investigação ou solução”, portanto, resume que
problema é uma questão que a pesquisa pretende responder. Segundo Gomides refere
que o problema consiste em dizer "qual a dificuldade com a qual nos defrontamos e
que pretendemos resolver. Mas nem sempre o problema é dificuldade. Por isso (GIL,
1999: 49) citado por Bogorny, diz que o problema é " qualquer questão não resolvida
e que é objeto de discussão, em qualquer domínio do conhecimento”. E para Bogorny,
o problema "é a pergunta que a pesquisa pretende responder. De acordo com estes
últimos autores, podemos definir problema como sendo a necessidade de dar resposta
a uma questão que careça de uma discussão. E Segundo a frase celebre do Santo
Agostinho citada por Batista (2018), “ quem canta reza duas vezes”, enquanto as
escrituras biblicas no livro dos Colossesses ( 3:16 ), segundo a qual “(….) ensinai-vos e
admoestai-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, louvando a
Deus com gratidão em vossos corações.

Ao frequentarmos a igreja já citada, percebemos o uso da música durante as suas


celebrações independentemente do número dos crentes, eles tem infantizado a música
de uma forma extraordinária, sabendo que a música é usada para rezas, para louvores,
para adoração, para ensinar ou mesmo para articular vários momentos na igreja, surge a
seguinte questão: de que modo a Igreja Católica usa a música como elo de ligação entre
os diferentes momentos da celebração eucarística na paróquia Santo Antônio de
Malhangalene?

1.2 Hiipóteses

As hipóteses são suposições provisórias que antecedem a constatação dos factos e que
devem ser testadas

Hipóteses, segundo (Gil, 1991) “…quando analisado os instrumentos adotados para


coleta de dados é possível reconhecer as hipóteses subjacentes( implícitas) que
conduziram a pesquisa”, e por outro lado, Jung (2009) define hipóteses como sendo
"um conjunto estruturado de argumentos e explicações que possivelmente justificam
dados e informações, mas, que ainda não foram confirmados por observação ou
experimentação."

Portanto, nesta pesquisa esperamos uma das seguintes constatações como resposta
ao problema da nossa pesquisa:

H+: A Igreja Católica usa a música como elo de ligação entre os diferentes momentos
da celebração eucarística na paróquia Santo Antônio de Mahlangalene como
instrumento de preparação espiritual para a participação unânime da assembleia nos
momentos da celebração e de instauração do ambiente de oração.

H-: A Igreja Católica não usa a música como elo de ligação entre os diferentes
momentos da celebração eucarística na paróquia Santo Antônio de Mahlangalene como
instrumento de preparação espiritual para a participação unânime da assembleia nos
momentos da celebração nem de instauração do ambiente de oração.

1.3 Objectivos

O termo objetivo diz respeito ao fim que se pretende alcançar com uma pesquisa.
Também esclarecem o que é pretendido com a pesquisa e indica as metas que
almejamos alcançar no final da investigação. E são divididos em gerais e específicos

1.3.1 Objectivos gerais

• Perceber a importância da música nas celebrações eucarísticas da Igreja


Católica em Moçambique.
• Compreender a maneira que a Igreja catolica usa a música como elo de ligacao
entre os diferentes momentos da celebração eucarística na paróquia Santo
Antonio de Malhangalene.

1.3.2 Objectivos Específicos

 Identificar os momentos da celebração Eucarística da Igreja Católica;


 Descrever o conteúdo das canções usadas nos diferentes momentos da
celebração eucarística na Paróquia Santo António de Mahlangalene;
 Descrever as percepções dos crentes sobre importância da música nas
celebrações eucarísticas na paróquia Santo António de Mahlangalene.

1.4 Justificativa

A justificativa é a explicação que o proponente de uma tese da sobre a sua escolha e tem
como meta convencer o leitor sobre a importância da pesquisa. De acordo com Petry, é
na justificativa que se explica o porquê da escolha do tema.

A realização do presente estudo poderá ser importante para a comunidade religiosa.


Poderá contribuir para uma maior reflexão sobre as músicas e sua relação com a oração
durante uma celebração eucarística na Igreja Católica em Moçambique.
CAPÍTULO II: QUADRO TEÓRICO E CONCEPTUAL

O quadro teórico é entendido como o conjunto de ideias, procedimentos e teorias que


servem a um pesquisador realizar sua atividade.

2.1 Quadro Teórico

Neste capítulo é onde iremos trazer definições das teorias básicas sobre o tema, e
vamos trazer a parte teórica do trabalho.

2.1.1 Música

A música está presente em várias partes do mundo em diferentes situações. A música


tem várias definições, de acordo com o contexto cultural de cada região.Actualmente
não se conhece civilização alguma ou agrupamento que não possui música. Diversos
autores definem a música como uma práctica cultural humana.

A palavra música tem origem na expressão grega _musiké téchne_ , que significa a arte
das musas.

Através da música as pessoas expressam os seus sentimentos como tristezas, alegrias,


decepções, dentre outros. Segundo a definição de Clinfton, traduzido por
Freitas(199:24):

" Música é um arranjo ordenado de sons e silêncios cujo


sentido é presentativo ao invés de donativo. (...) Música é a
realização da possibilidade de qualquer som apresentar a algum
ser humano um sentido que ele experimente em seu corpo"

Segundo PASSOS (2016:14), música é a arte do som que manifesta as diversas


emoções do ser humano.

2.1.2 Música sacra

A música sacra pode ser compreendida em sentido mais limitado, denotando a música
de natureza erudita inerente à tradição judaico-cristã.
2.1.3 Celebração Eucarística

Celebração Eucarística é um acto solene com que os católicos ( Romanos, Coptas e


Ortodoxo ) celebram o sacrifício de Jesus Cristo na cruz e a sua ressurreição.

A Celebração Eucarística, é um evento importante ou sagrado, da Igreja Católica


Apostólica Romana, em que os crentes comungam em unanimidade. Durante a
caminhada para buscar a Eucaristia ou enquanto o padre destribui a eucaristia, entoam-
se cânticos, ou tocam-se instrumento musicais.

2.2 Quadro Conceptual

Neste campo vamos trazer os aspectos conceptuais sobre a Importância da Música na


Igreja Católica.

2.2.1 Celebração Eucarística

Celebração da Eucaristia, é a principal celebração religiosa da Igreja Católica e da Igreja


Ortodoxa, também realizada, com algumas variáveis, nas tradições Reformadas,
Anglicanas e Luteranas.

2.2. 2 Etapas da celebração eucarística

i. Ritos iniciais

Chegados à igreja, os fiéis se preparam para celebrar o maior mistério da fé Durante este
rito, os fiéis ficam em pé.

a) Canto e procissão de entrada: entoa-se um canto apropriado, com muita alegria.


A procissão simboliza o caminho percorrido pela Igreja peregrina rumo à
Jerusalém celeste. O sacerdote chega ao altar, o beija e, conforme o caso, o
incensa enquanto se canta. Incensar é um símbolo de honra, purificação e
santificação.
b) Saudação do sacerdote que preside: recorda as saudações que São Paulo fazia às
primeiras comunidades cristãs em suas cartas.
c) Acto penitencial: a assembleia se reconhece pecadora e fraca diante de Deus. É
um ato de humildade. E se pede perdão por todas as faltas. Este momento não
substitui a confissão em caso de pecado mortal.
d) Glória (nas festas – sejam ou não de preceito – e solenidades). O Glória é um
hino antiquíssimo e venerável com o qual a Igreja glorifica Deus Pai e faz sua
súplica ao Cordeiro cantando e tocando instrumentos.
e) Oração coleta (exclusiva do sacerdote): é uma oração que expressa o caráter da
celebração. É a oração que o padre, em nome de todos, faz ao Pai. Nela, são
agrupadas ou recolhidas as necessidades de toda a assembleia.

ii. Liturgia da Palavra

Nas leituras (que também são um alimento espiritual), Deus fala ao seu povo, mostra-
lhe os mistérios da redenção e da salvação.

Segundo a tradição, o serviço de proclamar as leituras não é presidencial, mas


ministerial.

As leituras da missa variam ao longo do ano, conforme os tempos litúrgicos (advento,


natal, quaresma, páscoa, tempo comum) e se dividem em três ciclos, um por ano: A, B e
C. Portanto, o fiel que for à missa diariamente, após 3 anos, terá escutado a Bíblia quase
completa.

Como são feitas as leituras?

O leitor vai até o ambão e os fiéis se sentam. No final de cada leitura, o leitor diz:
“Palavra do Senhor”, que não é um esclarecimento, mas uma confissão de fé.

a) Primeira leitura: sempre é tirada do Antigo Testamento. Nele, Deus fala por
meio da história do povo de Israel e dos seus profetas.
b) Salmo responsorial: é uma resposta à Palavra de Deus, relacionada com a
primeira leitura. O Senhor também fala ao seu povo por meio dos salmos.
c) Segunda leitura: é sempre tirada do Novo Testamento, e está presente nas
solenidades e em algumas festas).
d) Aleluia: é mais um momento musical em que os fiéis ficam em pé e cantam o
Aleluia, exceto na Quaresma.
e) Proclamação do Evangelho: segundo o caso, incensa-se o evangeliário.
f) Homilia: nesse momento da missa, o sacerdote explica o significado das leituras,
bem como sua aplicação às nossas vidas.
g) Credo: os fiéis proclamam sua fé em pé. O Credo (ou Símbolo ou Profissão de
Fé) é uma confissão pública da fé, feita também como resposta à Palavra de
Deus. É recitado em algumas festas e nas solenidades.
h) Oração dos fiéis: em geral, as intenções são pelas necessidades da Igreja; pelos
que governam e pela salvação do mundo; pelos que sofrem e por qualquer
dificuldade; e pela comunidade local. Nas celebrações especiais, como crisma,
casamento, exéquias, a ordem as intenções pode levar mais em consideração a
ocasião particular.

iii. Liturgia eucarística

a) Canto do ofertório: é um momento musical que separa o momento da liturgia da


palavra com o da liturgia eucarística. É com o ritmo do canter deste que se
procede a oferta.
b) Apresentação do pão e do vinho, da água e da oferenda dos fiéis: nesta parte da
Missa, o sacerdote apresenta o pão e o vinho a Deus, oferecendo-lhe estes dons
para que se convertam no Corpo e Sangue de Cristo. Os fiéis, aproveitam este
momento para oferecer a Deus a própria vida, seus propósitos e intenções, para
que Ele as santifique e sirvam para o bem da Igreja. É o momento de oferecer-
lhe interiormente um novo esforço por alcançar aquilo que se propõe espiritual e
humanamente.
c) Prefácio: ação de graças na qual o sacerdote, em nome de todo o povo santo,
glorifica Deus Pai e lhe dá graças por toda a obra de salvação.
d) Aclamação: com ela, toda a assembleia, unindo-se aos coros celestiais, canta o
Santo com muita alegria. Esta aclamação é muito maiium momento musical
proclamada por todo o povo, juntamente com o sacerdote.
e) Epiclese: invocação do Espírito Santo para a consagração das espécies
eucarísticas.
f) Narração da instituição da Eucaristia e consagração: os fiéis se ajoelham,
pois este é o momento central da Missa, no qual o pão e o vinho se transformam
em Corpo e Sangue de Cristo. Quem não puder se ajoelhar, pode fazer uma
inclinação profunda nos momentos em que o sacerdote faz a genuflexão.

iv. Rito da comunhão


Nesta etapa se verifica um momento musical que acompanha o momento da distribuição
da eucaristia.

v. Acção de graças.

É um momento de agradecimento a Deus professado pelo sacerdote, seguido de um


cântico de agradecimento acompanhado de instrumentos e um coro animado.

vi. Saída

O sacerdote despede a assembleia e se entoa um cântico de saída que acompanha o


sacerdote à porta de saída e todos presentes se retiram cantando

2.2.3 Importância das Celebração Eucarística

Para estas igrejas, a missa é o cumprimento do mandamento de Cristo de fazer o que Ele
mesmo fez na Última Ceia e é o sacramento em que se recebe o Corpo e o Sangue de
Cristo sob a matéria do pão e do vinho, atualizando, de acordo com a Igreja Católica
Romana o supremo sacrifício de Cristo na cruz (o Mistério Pascal) e tornando assim
presente a salvação, renovando a Santa Ceia ou comemorando um banquete festivo em
memória da salvação efetuada por Cristo.

Na Igreja Católica, a missa pode ser celebrada todos os dias, excepto na Sexta-feira
Santa. Os fiéis católicos participam da missa aos Domingos e nas festas de guarda.
Teologicamente, a missa mais importante é a dominical, pois, na liturgia da igreja, é
nesse dia que Jesus Cristo ressuscita.
3. CAPÍTULO III: Metodologia

O termo metodologia significa estudo do método.

Zanella (2013) divide e define a metodologia em ramos diferentes:

 "Ramo da pedagogia, cuja preocupação é o estudo dos métodos mais adequados


para a transmissão do conhecimento; e
 Ramo da metodologia científica e da pesquisa, que se ocupa do estudo analítico
e crítico dos métodos de investigação."

Segundo a definição do Leville (1999), metodologia representa mais do que uma


descrição formados métodos e técnicas, indica a leitura operacional que o pesquisador
fez do quadro teórico. Portanto a a metodologia especifica como os objetivos
estabelecidos serão alcançados.

3.1 Tipo de Pesquisa

O tipo de pesquisa pode ser definido pelo pasquisador, de acordo com o que busca,
quanto aos objetivos, quanto à abordagem e quanto aos procedimentos adotados na
coleta de dados.

Esta pesquisa será, quanto aos objetivos, explicativa. Este tipo de pesquisa, visa,
segundo Zanilla (2013) "explicar a razão pela qual se dá uma ocorrência social ou
natural."

Quanto à abordagem, a pesquisa será qualitativa, que segundo Zanilla (2013)


"caracteriza-se, pela não utilização de instrumental estatístico na análise dos dados."
Pois neste tipo de pesquisa, prevalece a opinião, sentimentos, argumentos dos
entrevistados.

Quanto aos procedimentos adotados na coleta de dados a pesquisa será documental, pois
irá se sustentar com documentos usados pela Igreja Católica para a orientação do uso da
música nas celebrações.

3.2 Método de Estudo

O método de estudo é, segundo Zanilla (2013) o caminho escolhido para "ampliar o


conhecimento sobre determinado objeto, fato ou fenômeno." para o presente trabalho
será usado o método etnográfico. O método etnográfico é definido como sendo o
caminho utilizado para compreender tradições, crenças, e até mesmo costumes de um
determinado povo.

3.3 Instrumentos e técnicas de recolha de dados.

Em pesquisas de natureza qualitativa Canastra, Haanstra e Vilanculos consideram o


pesquisador como o principal instrumento de recolha de dados. Nesta pesquisa, iremos
usar duas técnicas de recolha de dados, nomeadamente: a entrevista dirigida aos crentes,
missionário, incluindo o Pároco da Paróquia Santo Antônio de Malhangalene e a
observação directa, pela participação nas celebrações Eucarísticas da Igreja.
3.3.1 Entrevista semi-estruturada
"Entrevista é uma técnica de recolha de dados que permite o relacionamento entre o
entrevistador e o entrevistado na busca de informações e dados para a pesquisa através
do interrogatório" (Martins, 2007:11).

Para o presente trabalho, a entrevista será com recurso a um instrumento de pesquisa ou


roteiro de entrevista semi-estruturado constituída por questões previamente formuladas
dirigidas aos crentes e missionários da Paroquia Santo Antonio de Malhangalene

3.3.2 Observação directa


"Observação é um processo em que a presença do observador, numa situação social, é
mantida para fins de investigação científica" (Martins, 2007:12)

3.4 População e Amostra

A população é um conjunto definido de elementos que possuem determinadas


características. Exemplo: todos os estudantes moçambicanos que possuem um
computador portátil.

A amostra, por seu lado, é o subconjunto do universo do qual se estabelecem ou se


estimam as características desse universo.

3.5 Técnicas de Análise de Dados


No presente trabalho, a análise e a interpretação dos dados será feita por meio da análise
de conteúdo com recurso ao modelo de análise de dados qualitativos de Laville e
Dionne (1999), e obedecerá as seguintes fases: leitura, descrição, classificação e
interpretação.
Segundo os autores, neste modelo, a leitura é feita para a familiarização com os dados
enquanto a descrição serve para o exame profundo dos dados. Por sua vez, a
classificação é feita para o agrupamento dos dados por assuntos enquanto a
interpretação é para obter a síntese dos dados, organizada em forma de conclusões
gerais, com recurso a tabelas de resumo.
4. Conclusão

Neste campo serão apresentadas as conclusões do grupo sobre os resultados obtidos


após a pesquisa.
5. Bibliográficas:

GIL, Antônio Carlos. 1991. Como Elaborar Projecto de Pesquisa. 3. Ed.São Paulo:
Atlas.

KERLINGER, Fred Nichols. 1980. Metodologia da Pesquisa em Ciências Sociais: Um


Trabalho Conceitual. São Paulo: EPU.

JOUNE, Pierre. A Missa ontem e hoje, trad. José de Leão Cordeiro, Coimbra: Gráf. de
Coimbra, D.L. 1988. Explicação acessível a todos sobre cada um dos momentos da
missa, o seu significado e a sua história.

BATISTA, Percy Marques.2018."Quem Canta Reza Duas Vezes": uma análise de


canções marianas de Lindbergh Pires. Dissertação de mestrado, Universidade Católica
De Pernambuco.

BENNETT, Roy. 1986. Uma breve história da Música. Rio de Janeiro. Jorge Xahar Ed.

PASSOS, Hélio. 2016. " Musicaricando Descobrindo a Teoria Musical". 1 edição.


Editora In Pauta. Ipatinga-MG-Brasil.

ZANELLA, Liane Carly Hermes. 2013. Metodologia de pesquisa. Universidade Federal


Santa Catarina 2ª Esticão reimoressa

DE ARAGÃO, José Wellington Marinho e NETA, Maria Adelina Hayne Mendes.


2017. Metodologia científica. Universidade Federal Da Bahiano

Moura, Graziella Ribeiro S. 2015. Manual Técnico De Metodologia Científica: como


desenvolver pesquisas e redigir trabalhos em cursos de graduação e pós-graduação.
BAURU

Você também pode gostar