Você está na página 1de 24

10

MISSAO URBANA
ANOVA FRONTEIRA

ARVIE CONN prevê que, se "quisermos alcançar o mundo do século 21,


devemos alcançar as cidades do mundo'' Da mesma forma, James Scherer prevé
ue missão no século 21 será ganha ou perdida na batalha pela alma
a das
grandes cidades"e exortam
Roger Greenway Timothy
e Monsma chamam as cidades de
nc
Oleira a igreja a reconhecer a importância da missão urbana.

Danização das missões crists é uma necessidade séria e urgente. Ascidades


cotidianos dos
LCTminam o destino das nacões, e sua influência nos assuntos tamanho
crescem em número,
S e incalculável. À medida que as cidades focar nas
uencia, cabe aos responsáveis pela evangelização mundial |..|
estudantes de missões |...|
s . | Da mesma forma, nos próximos anos, para o
precisarão encarar as questões urbanas se quiserem estar preparados
ministério no mundo de
amanh.
Essa razão, pois há muitas coisas que
a anrmações fortes, de fato. E com
sugerem que as cidades são, de fato, a n o v a fronteira da
missão. Este capitulo

Tesponde
esponde a esses foca brevemente sua
na importante
atenção
questão da missãoapelos rgentes e

urbana.
300 A MISSÃO DA IGREJA HOJE

PRESENTE URBANO
NOSSO FUTURO
-

E
de Missões Estudantis Urbanac r
Um video mais antigo da Conferência Deus
está construindo uma cidade, encerra sua apresentação sobre missão urhana
"Vocë tem um futuro urbano, quer goste ou náam
abruptamente com as palavras:
mudam para as cidades todos os dias, 65 milhoes
E, de fato, 180 mil pessoas se
futuro urbano - e esse futuro está rapidamente
por ano. Na verdade, temos um
tornando o presente - , gostemos
se
podemos caracterizar nossa
ou não. Como

mundo urbano? As estatísticas são notoriamente enganosas porque as definições


diferem, mas talvez algumas estatisticas urbanas possam começar a apresentar

alguns aspectos da situação. Quando observamos as estatísticas de nosso


o crescimento fenomenal das cidades
presente urbano, três coisas emergem:
tanto em termos de numeros quanto de tamanho, o crescimento das cidades
no hemistério sul e a enorme necessidade socioeconômica nessas cidades.
Crescimento fenomenal. O notável crescimento das cidades pode ser
observado quando vemos o crescimento exponencial desde 1800. Quando o
movimento missionário moderno começou, no início do século 19, apenas
3% da população vivia nas cidades. Cem anos mais tarde, em 1900, subiu para
14%. Por volta de 1980, era de até 40% e, quando entramos no novo milenio,
metade da população mundial vive em cidades. Espera-se que, em 2050, 80%
e, por volta de 2100, 90% da população
urbana. Na atual taxa de
mundial seja
De fato, temos um futuro crescimento, a população urbana do-
urbano e esse futuro está
brará em menos de duas décadas. Em
rapidamente se tornando o
presente- gostemos ou não. 1950, havia 69 cidades com mais deum
milhão de habitantes - já um fenðme

notável na história da humanidade


no

naquela época -, mas, em 2012, esse número se expandiu para 486. Na segu
finida
metade do século 20, surgiu um novo fenômeno urbano: a megacidade, denn
como uma cidade com mais de dez milhões de habitantes. Em 1950, havid
apenas duas megacidades, mas, por volta de 2012, havia 27 delas, comou
que a
dez a ponto de chegar a esse patamar. O sociólogo J. John Palen ahrma q
den
rapida transtormação de um mundo basicamente rural em um mundo
vida
samente urbanizado e o desenvolvimento do urbanismo como modo ae
tem sido muito mais drásticos e explosão

espetaculares do que qualquer outra cr


demográficaconhecida'"

representa um

espetacular crescimento das grandes cidades do planeta repe e n t e s

desatio impressionante para a igreja de Jesus Cristo em todos s sei


osso
-Seconsiderarmos o impacto da urbanizacão e do urbanismo f i c a t i v o .

dO,podemos ver que o crescimento da cidade é ainda mals >E


MISSÃO URBANA 301
cão «entendemos
Porurbanização o desenvolvimento de cidades como lugares onde o
a densidade e a heterogeneidade são medidos. Podemos chamar isso de
tamanho, a

omognética cidades, atraindo a humanidade para grandes complexos


agnética das cid
função.

fu litanos. Por urbanismo entendemos o desenvolvimento da cidade como


o u seja, a função ampliadora das cidades, transformando valores,
odutos e estilo de vida urbanos em um mundo conectado pela midia, mesmo
lugares
des
rurais e em cidades pequenas [..] Desculpe, mas você tem um futuro
em
goste ou nåo."
urbano, quer

Ray Bakke, A Theology as Big as the City. p. 12.

Crescimento das cidades no hemisfério sul. A revolução urbana original


na século 19 e inicio do século 20 ocorreu nas naçôes ocidentais do mundo.
Mas o crescimento urbano no Ocidente se estabilizou. E, a partir da segunda
metade do século 20, o crescimento tem ocorrido nos paiíses pobres do Sul.
Em 1950, seis das dez maiores cidades do mundo estavam no hemisfério norte;
em 2012, apenas uma dessas cidades, Nova York, estava entre as dez maiores, e
as demais estavam no hemisfério sul. Em 1950, Nova York era a maior cidade
do mundo, mas, em 2012, era a oitava. Hoje, os Estados Unidos têm 73 cida-
des com mais de quinhentos mil habitantes e a Europa Ocidental, 62 cidades,
enquanto a China sozinha tem 145 cidades; a India, 93 cidades e os demais
paises da Asia, 168 cidades. Da mesma forma, a América Latina tornou-se cada
vez mais urbana ao longo do século 20, com mais de 75% de sua população
Vivendo nas cidades e com 114 cidades com mais de meio milhão de pessoas.
A Africa, embora tenha entrado no jogo um pouco mais tarde, é agora a parte
do mundo que mais rapidamente se torna urbana. Naquele continente existem

4gora91 cidades com mais de quinhentos mil habitantes, e projeta-se queo


Crescimento urbano continuará em ritmo galopante. As únicas megacidades
c 1950estavam localizadas no hemisfério norte (Nova Yorke Londres), mas
das 27 megacidades do mundo estão no hemisfério sul. E essas taxas
udOdiminuirão. Segundo as Nações Unidas, espera-se que a maior parte d0
re cidades do
n t o da população no próximo quarto de século ocorra em
hem Sul. A população urbana dobrará nos próximos 38 anos, mas nos
mais trinta e 93% de
todoo pobres do processo levará apenas
Sul, esse
anos;

Scimento da população ocorrerá nas cidades do


hemisfério sul, com
R00
ESse crescimento ocorrendo na Asia e na Africa.
maioria dos
e necessidade socioeconômica. No início do século 20,
a

pobres vivia em rurais. Hoje os pobres são encontrados principal


men nae sambientes
Mente cidades de muitos países do hemisfério
sul, ades. Por toda a parte nas

espantoso de pessoas vive na


miséria das tavelas. Mais de u
bilhà ero
bilhão de de 75% delas favelas
pessoas vivem na pobreza absoluta, mais
em
302 A MISSÃO DA IGREJA HOJE

saneamento basico ou serviços publicos essenciaic


urbanas sem água,
trinta paises mais ricos do mundo, cerca de 20 da populaç o vive em velas.
urbana dos paises mais pobres d
contrapartida, mais de 80% populaçao
da s do
Em
mundo vive nelas. Como exemplo, talvez 90% dos cidadãos de Adis Abehaa,
na

vivam em favelas, cerca de 2,5 milhoes de pessoas. Mais de 15 milhäec


Etiópia,
l4 milhoes em Calcutá vivem em
de pessoas na Cidade do México e mais de
estatisticas são encontradas na África
nas favelas. As piores
péssimas condições
Subsaariana, onde 72% da população urbana vive em favelas, enquanto no sul
da Asia o número é de cerca de 60o. E projeçoes futuras para essas áreas não
os nümeros aumentem drasticamente em todas
parecenm boas. Espera-se que
as partes do Terceiro Mundo,
com uma perspectiva especialmente dificil na

Africa Subsaariana, onde o número de pessoas vivendo em favelas subirá de

250 milhðes para quase 400 milhòes.

A IMPORT DAS CIDADES PARA A MISSÃO0


Esse breve passeio por algumas estatisticas urbanas começa a revelar a impor-
tância da cidade para a missão da igreja. Uma série de razões para a importância

missäo urbana pode ser identificada.


estratégica da
Números absolutos. Muito simplesmente, as cidades são onde as pessoas
estão. O rápido crescimento urbano, e nada mais, exige que a igreja preste
explosão urbana.
atenção na cidade. Estamos no meio de uma revolução ou

cidades ultrapassa
Hoje, observa Palen, "o número de pessoas que vivem nas
5
toda a população que havia no mundo há apenas cem
cidades,
Como diz Keller, pastor na cidade de Nova York, "nas
Timothy
você tem mais 'imagem de Deus' por centímetro quadrado do que em qualquer
a uma
outro lugar do mundo." A do mundo continua a crescer
populaço
taxa exponencial. Mas o que é importante neste capítulo
é reconhecer que
a maior parte desse crescimento populacional
está ocorrendo e continuara
de
a o c o r r e r nas cidades, especialmente do
hemisfério sul. Um comunicado
declarou: "Praticamente
imprensa de 2001, divulgado pelas Nações Unidas,
todo o crescimento populacional espe
rado em nível mundial durante os pro
Se quiser alcançar as pessoas
do mundo, a igreja deve estar Ximos trinta anos estará concentrado
nas cidades onde elas moram. em áreas urbanas"; além disso, "quase
todo o aumento populacional prev1sto
-
para 2000-2030 será absorvido pelas áreas urbanas das regiðes menos de
ões
volvidas. Durante esse periodo, estima-se que a população urbana das reg
que

menos desenvolvidas aumente em dois bilhoes de pessoas, quase o mesi çar


Sera adicionado à população mundial, 2,2 bilhões'.7 Ento, se quiser alcay
as pessoas do mundo, a igreja deve estar nas cidades onde elas moran
MISSÃO URBANA 303

Opodere
a influència cultural. Cidades são os centros de poder e de influência
sociólogo
Manuel Castells observa que o "destino da humanidade
desenrolando em áreas urbanas, em particular, as grandes metrópoles"
c u l t u r a l .

i s ed e s e n r o l a n d

que. abrigam as instituiç culturais mais


do mundo, as poderosas
vez
Uma
cidades exerce
evercem uma intluência enorme no resto do país e, quando conectadas,
mundo global. As cidades são onde encontramos concentrações
impactam nosso mun
governamental, instituições de ensino superior, negocios
litico e
de poder
er e entretenimento, comunidades de artes e centros
locais de lazer
finanças,
e
de midia. A importància estratégica da missão urbana é perceptivel quando
emos que existem quatro tipos de pessoas nas cidades: a próxima geração, os
ain alcançados, os pobres e os tormadores de cultura. Sobre o último grupo,
Keller diz: "As pessoas que tendem a fazer filmes, escrever os livros, fazer ne-
agios - elas estào aqui. As pessoas que têm o maior impacto nas culturas do
mundo estão neste grupo. Dessa forma, os centros urbanos de grandes regiões
metropolitanas são "centros nervosos que impactam o mundo de maneira
desproporcional. " Certamente é verdade que, como caminha a cidade, assim

caminha o resto da cultura.


Mas e mais do que isso. Não só as cidades estão moldando poderosamente
sua própria cultura e sua nação, mas também, assim como caminham as cidades
globais mais influentes de nosso mundo, assim caminha o mundo todo. Há
um constante debate sobre até que ponto a globalização está enfraquecendo
o Estado-nação. Certamente, o aumento da comunicação e da tecnologia de
V1agens e de informação têm mudado a face do mundo moderno. Computadores
tornam possível, apertando apenas uma tecla, transferir milhöes de dólares de
um lugar para outro. Os Estados-nação não podem controlar o fluxo de dinheiro

paz de manter ou destruir seu bem-estar econômico. Além disso, com as


OVas formas de tecnologia de comunicação e de acesso à rede mundial, os

OveTnos de Estados-nação não podem controlar as informações nem moldar

talidade de seus cidadãos. Assim, mesmo que a previso da queda dos


Esta
Snaçao seja prematura, certamente é verdade que eles perderam certo
dpoder por causa da rápidae generalizada revolução tecnológica. A perda
de p de para o Estado-nação significou um aumento de poder para a cidade
ol.L Que um mundo globalizado de Estados-nação se tornou uma rede
global de cIdades
as
cidades conectadas de várias maneiras. Essas cidades, especialmente
globais, tèm agora
afetar agora um grande poder para influenciar os assuntos globais que
todas as essoas no mundo. A igreja cristâ não pode dar as costas para
esses
centros de poder e influência.
0
ponto ocal
focal de
de um
um encontro missionário global. A fim de compreender
que dequadament
exercem
e: Iente a influência cultural da cidade, devemos ir além das instituições

poder neg
as profundamente egócios, finanças, academia, mídia, política
-
ir -

e n t e ao núcleo religioso que não só molda essas instituições


turais, mas a f também. No passado, a análise das cidades
a população urbana
304 AMISSÃO DA IGREJA HOJE

dependia da sociologia e da antropologia seculares, que estão cegas Dara a


crenças religiosas fundamentais que moldam as cidades. Precisamos entender
a cidade como uma plataforma comunal e modelo de vida em que a religião
se torna visivel de diferentes maneiras Os compromissos religiosos criam e
moldam a paisagem urbana, integram e unificam a vida da cidade e direcionam

institucionais em ação na cidade.


os poderes
Podemos metaforicamente descrever a cidade como o espaço geográfico
posicionado logo acima das principais placas tectónicas "religiosas que estão
moldandoo mundo global. A medida que essas placas tectónicas se deslocam,
as cidades são afetadas e reconfiguradas. Duas placas tectónicas religiosas
logo abaixo da cidade são a coexisténcia pluralista das religiðes do mundo, a
modernidade económica e a globalização com sua outra face no consumismo.
E precisamente na cidade que o confronto missionário com o pluralismo e
as grandes religiões do mundo - assim como com os ídolos do humanismo
ocidental - está, sobretudo, ocorrendo.
Enquanto as religióes do mundo antes viviam em isolamento em paises
que hoje são defínidos por essa identidade religiosa, é nas cidades que vemos
o encontro de todas as religiðes. Essa é uma razo importante para a igreja
concentrar sua atenção na cidade. "A cidade se tornou o palco global, diz
Conn, "no qual as religióes do mundo, antes isoladas por local de origem ou

etnicidade, agora dialogam cada vez mais' Se a igreja quiser ser um dos pro-
tagonistas no diälogo sobre as religiöes, sustentando a verdade do evangelho
de Jesus Cristo, ela não pode abandonar a cidade.
o
Mas talvez seja na cidade que
confronto missionário mais importante
E precisamente na cidade que
o confronto missionário com o esteja ocorrendo com a religião global
Em um
pluralismo e as grandes religiões mais poderosa de nosso tempo.
uma
capitulo anterior, argumentei que
do mundo - assim como com os

idolos do humanismo ocidental ocidental e uma


missiologia da cultura
-

esta, sobretudo, ocorrendo. as


prioridade para nossos dias, porque
são agora a cultura
crenças do Ocidente
Compartilhada, pelo menos, dos centros urbanizados do mundo. A revo

çao urbana começou na cultura ocidental enquanto era impulsionada p


Revolução Industrial. Grande parte da explosão urbana no hemisterio s
ima
impulsionada pela dinámica da globalização. A Revolução Industrial c
io é a

parte da história religiosa que moldou a cultura ocidental, eaglobaliza especialmente

Propagaçaão contínua dessa história religiosa em todo o mundo, especla


luminismo

nos centros urbanos. O confronto missionário com a cultura pos-ilu


é a realidade da vida crist na cidade.
MISSÃO URBANA 305

setrata de cruzar Oceanos, selvas e desertos, mas de


não se trata
"Missão jå cruzar as ruas
mundo. De agora em diante,
iades do quase todo ministério será
das intercultural
em meio aopluralismo urbano causado pela maior migração da história humana do
nicfêrio Sul para o norte, do leste para o oeste e, sobretudo, do rural para o urbano."

Ray Bakke, A Theology as Big as the City. p. 13.

Precisamos reconhecer que "o que esta em jogo aqui são alianças funda-
mentais-lealdade a diferentes deusesQuais deuses moldarão os padrões de
vida nas cidades do mundo? Se a igreja quiser estar na vanguarda do confronto
missionário conm a religião global mais poderosa de nossos dias, ela deve estar
nas cidades do mundo.
A pobrezae a necessidade socioeconômica. Observamos brevemente as
estatisticas da crescente pobreza urbana. Nos centros urbanos do mundo são
encontrados cada vez mais fome, doenças, desemprego e violência. Greenway
t Monsma afirmam que os "pobres urbanos constituem a maior fronteira não

eVmdicada que as missões crists já encontraram" Muitos não ouviram o


sangelho nem puderam v-lo demonstrado. Eles vivem fora do alcance da
OT1a das igrejas, e pouquíssimos tentam alcançá-los. As causas de sua
reza raramente são compreendidas. Greenway e Monsma listam dez causas
breza urbana no mundo do Sul: falta de oportunidades deemprego
almente entre aqueles que não têm habilidades e capital; escassez
de
aa decente e acessível; milhões de crianças de rua abandonadas;
amparo dos idosos em cidades sem sistemas de apoio; colapso das estruturas
famil
tamiliares;
O corrupçac de autoridades governamentais ecruel indiferença para
Com os
da igreiapobres; infraestrutura: e serviços publicos inadequados;
o tracasso

greja tanto em
e m termos da distância em relação aos pobres quanto de
negação da sponsabilidade pelas necessidades deles; uma mentalidade de
Ckaltacin
exaltad muito útil
mundo do Sul. Essa lista é
para identid em muitas igrejas
Para identifica no
entrentar quando
Varas necessidades que as igrejas podem
4S
zam com essa grande fronteira não reivindicada.

entanto, eles nào tratam daquilo que ONU vè


da pobreza a
como a principal causa

econômicas injustas
em nivel global
aia no Sul: as estruturas
internacion
pratica acei politicas econômicas
ica
**
neoliberais do Ocidente se tornaram

embora a
aceita internacional para o
mercado global. E,
mplementa
e o

ons
padrao
ESSe
padrau
sistema econômico
internacionalmente
tenha trazido

mundo.
Tesultados,
Paises do terceirnão é necessaSariamente da mesma
torma em

no
todoo

mercado global,
desvantagem
estão em e n o r m e T.
mundo o preço. N.

Wri"ghtPTi
i ncipalmente os
l ado
OS pobres urbanos das favelas que pagam

econômico do
mundo' c o m o "a principal
Tme desequilibrio
306 A MISSÄO DA IGREJA HOJE

tarefa que enfrentamos em nossa geração" e 'a principal questão moral de nosse
sSos
dias" Com indignação profética, ele continua a denuncia-lo de modo enfático.

O atual sistema de endividamento global é o verdadeiro escândalo imoral, a

ou melhor, o enorme segredo sujo


-do deslunmbrante
pequeno segredo sujo
e reluzente capitalismo ocidental. Seja o que for preciso, devemos mudar essa
condição ou ficaremos condenados pela subsequente história ao lado daqueles

que apoiaram a escravidão há dois séculos e daqueles que apoiaram os nazistas


ha setenta anos. sso é muito sério.

Se Wright estiver pelo menos perto de estar correto, isso constitui uma im

portante oportunidade, até mesmo uma prioridade, para a igreja em missão.


A igreja deve encontrar maneiras de estar presente com o evangelho no meio
das cidades do mundo, especialmente entre os pobres urbanos.
A diminuição da presença de cristãos. Nos parágratos anteriores, notamos
mantido a certa distância dos pobres. Em
que a igreja tem frequentemente se

1900. quase 70% da população da cidade era crist. Isso diminuiu gradual-
mente. e hoje o número é de cerca de 40%. Sem dúvida, parte disso se deu
da crescente cidades do mundo
pobreza urbana em
simplesmente por causa
onde a porcentagem de cristâos é baixa - na Asia, por exemplo. Mas isso não
conta a história toda. Muitas vezes, há a
debandada de cristos da cidade, espe-
A 1greja deve encontrar maneiras
cialmente no Ocidente, que é o resultado
de estar presente com o
evangelho no meio das cidades do desejo de um estilo de vida mais con-
do mudo, especialmente entree fortável nos lugares afastados do centro.
0S pobres urbanos.
Estereótipos negativos e palavras de
desaprovação pela cidade são abundan-
tes em circulos cristãos: "Cheia de crime. Agitada. Assustadora.
Intestada de

drogas. Liberal. Superlotada. Sem esperança" Conn acredita que igreja


na

ocidental os estereótipos e mitos negativos sobre a cidade "paralisama iniciativa


cristà de alcançar cidades para Cristo, |...J såo pedras de tropeço no caminno
cristos
da implantação urbana de igrejas |...] lel fazem o fermento e o sal
corTeren para a segurança nas prateleiras das cozinhas nos lugares atastados
em sud
do centro. Ele passa a nomeare contestar vários estereótipos que,
rural/urband
opinião, são responsaveis por essa fuga crist da cidade: o mito
CE a cidade, o que voce espera ); o mal entendido da despersonalizaçao
crie
Na cidade, sou um numero, nao uma pess0a"); a generalizaço do
Eu tenho medo da cidade"); o mito da secularização (Qualquer
té morte
na cidade); a generalizaçào da privatizaçào ("E maior do que qualquer u
de nos"); o mal entendido do poder ("Você nào pode lutar contra o gover
municipal);a generalizaçào da classe única ("Nåo há ninguém na cidadealetnt
de gente pobre"). Fle reconhece "certa verdade nas generalizaçöes,
mas descja
MISSÃO URBANA 307

aute se acumulou nelas" que tem prejudicado a missão urbana.20


r e m e

que haja mais do que um grão de verdade em tais mitos


ioreia é chamada a estar em lugares difíceis onde há necessidade
N o e n t a n t o ,

a igreja é c
Lá na cidade "é precisamente onde colidem a maior ruína do
urbanos,

evangelho
do oportunidade"21
maior
a
mundo e

que está completamente interessado pelas


com clareza um Deus
A Riblia descreve
ctruturas e pelos
individuos que compõem a sociedade e envolvido com eles.
colocou Os ministerios social e pessoal um contra o outro na
O cisma na igreja que
da controv rsia modernista-fundamentalista no início do
cidade, um trágico legado
ministério da igreja no mundo em desenvolvimento
seculo 20, ainda marginaliza
o

em rápida urbanização. A igreja deve aprender a ir com igual integridade até as

pessoas urbanas poderosas e também até as pessoas que não possuem poder."

Ray Bakke, A Theology as Big as the City. p. 14.

UMA AGENDA PARA A MISSÃO URBANA


Conn apresenta uma agenda de ação e reflexão para a missäo urbana que, de
maneira útil, destaca uma série de questôes urgentes. Três delas são especial-
mente importantes: missão holística, o chamado da igreja na esfera pública
t a implantação de igrejas urbanas.22 Esses mesmos très pontos p o d e m ser

ccontrados nas "frentes ministeriais" de Keller para as igrejas urbanas: servir


LSticamente à cidade, sobretudo os pobres, com palavras e ações; produzir
liden urais que integrem fé e trabalho na sociedade; multiplicar-se pe-
dmente em novas igrejas com a mesma visão. Mas Keller acrescenta dois

u e são igualmente importantes: acolher, atrair e envolver pessoas não


ma dnstormar o caráter e estabelecer uma comunidade contracultural por
hei Comunidades fortes e pequenos grupos.23 Esses cinco itens devem ser
prioridades na agenda da igreja urbana fiel.
Envolver pessoas não crists. No mundo ocidental, onde a cultura é cada
Vez mais secularizada
envolver não
eCularizada,
cristãs. lsso significar: é essencial aprender como acolher pessoas e
cará várias coisas. Incluirá aprender como acolher céticos e
lidar com
suas intensas qu
Tespeitosa .
e ensas questões intelectuais e religiosas com uma apologética
humilde,
u m i l d e , porém inteligente. Keller lista, por exemplo, os seguintes
vencede
evangelho - que
que devem serODJeçoes da maioria à fé cristâ que são barreiras à crença no

ntinuamente tratados.
As outras compreensão sobre
Deus é religiões.
de inguém deve insistir que sua

demais. Todas religiðes são


gualmente válidas.do que
al me
melhor a de todos os as
308 A MISSÃO DA IGREJA HOJE
não permitiria omal
"Um Deus bome todo-poderoso
O mal eo sofrimento.
existe ou não pode ser contiável
e o sofrimento.
Portanto, esse Deus não
livres para escolher por nós
ética. "Devemos ser
A camisa-de-força da Essa é a única vida
viver -
impor isso a nos.
ninguém pode
mesmos como

verdadeiramente autêntica."

Ohistórico dos cristãos. "Se o cristianismo


ea religiaO verdadeira, porque
na história com o apoio da igreja?"
aconteceu tanta opressão
cristianismo é construído em torno de uma divindade
O Deus irado. "O
sacrificios de sangue até mesmo para
que condena, que julga, que exige
perdoar. evolução, na não
.A questão da ciência. "Comopessoa queacredita
uma

aceitar os relatos pré-cientificos


da Biblia sobre a origem da vida"
posso
Biblia não pode ser confiável histórica ou
A Biblia não é confiável. "A
cientificamente, e de seu ensino é socialmente regressivo."
grande parte
certamente afastarão os
Respostas defensivas,
moralistas e polêmicas
respeito, sem sacrificar respostas rigorosamente
incrédulos. Humildade e

ponderadas, podem ajudar a dissipar


a incredulidade. Lembro-me de mi-
Humildade e respeito, sem
no centro de uma
sacrificar respostas rigorosamente nistrar uma palestra
ponderadas, podem ajudar a grande cidade asiática. Um professor
dissipara incredulidade. de uma universidade pública daquela
presente e, durante
o
cidade estava

do histórico violento dos cristãos


período de perguntas, levantou o problema muitas
e de dor porque,
com palavras de arrependimento
na história. Respondi Disseram-me
vezes, c o m o cristãos, não vivemos de acordo com o evangelho.
nâão foi tanto o conteúdo de minha
que no domingo seguinte ele foi batizado;
foi convincente, mas sim o tom dela.
resposta que
Acolher e engajar os incrédulos próximos a nós também significará aprende
liturgia que seja compreensível para aqueles
uma linguagem na pregaçãoe na
ou
artificiais, empobrecendo
sem nos tornarnmos
sem um passad0 cristão
DeGroat e Rachael
abandonando a história e a tradição. Nesse sentido, Chuck
em São FrancIscO:
Butler comentam sobre sua própria igreja, a City Church,

no sentiao
Na City Church, você verá adoração e pregação que sâo litúrgicas
intelectuas
nistorico, mas eminentemente quais questöes
compreensíveis, nas
e espirituais signifhicativas são tratadas com respeito. Visitantes e céticos sabe
Suas au
bem-vindos e respeitados.
u e estao em uma igreja, mas se sentem
das não são ignoradas. Na verdade, faça o download de alguns sernmoes e voe
esa
notará um lema: a City Church espera que os céticos venham, porquc
loi preparada para eles. Membros e frequentadores regulares sentem-se
a d e para convidar seus amigos céticos, não porque a adoração seja, de aig

TOTma, empobrecida" ou feita para agradar ao visitante, mas precid


MISSÃO URBANA 309

éticos encontrarão oculto cristão nas formas históricas eirão vê-lo


porque os céti
maneira convidati e compreensível. Artificios não funcionarão,
ado de 26
explica
crises e dificuldades
em mei0 a
esDecialmente

nao cristaos tambem signihcará que tornamos o


Envolver nossos amigos
boas-novas para a vida deles como um todo. Um
relevante como
ngelho
evangelho
fora de nossa realidade não tem força com uma geração justamente
questões dejustiça, meio ambiente e paz ou que deseja
entender
preocupada com
auie a fé crist
diz sobre os lugares onde esses profissionais movidos pela carreira
0que
a maior parte
da semana. N. T. Wright acredita que o anseio religioso das
passam anseio
nesoas que vivem no Ocidente hoje gira em torno de quatro questões: o

a fome por relacionamentos e o prazer


Dor justiça, a busca pela espiritualidade,
o evangelho diz sobre essas questões?
na beleza." O que
Acabamos de observar que a City Church, em São Francisco, é uma igreja que
trabalha para acolher e envolver os incrédulos da cidade. Quando perguntado
sobre as questões importantes para o ministério urbano, o pastor sênior Fred
Harrell apresentou a lista a seguir. O que chama a atenção é a sensibilidade
com respeito à comunidade incrédula e no que tange à atitude de encontrar
maneiras de recebé-la na comunidade do povo de Deus. Quais são as questões
mportantes para formar uma congregaç o missional em uma cidade altamente

secularizada como é São Francisco?

Criar uma comunidade que tente lembrar como é não crer.


Ciar uma cultura que espera que fiéis, céticos e os que estão entre eles

estejam presentes em todas as reuniðes e ajuntamentos.

Comunicar um
evangelho integral que busque o crescimento de todose
todos.
d Cxpresso com o compromisso de ser compreensível para
0mar natural o quebrantamento e criar uma cultura de humildade
e

autenticidade.
econhecer e lembrar que vivemos em um mundo pós-cristandade.
sua visao
que você deve ser um lider forte que não permitirá que
e recrie a
Oplada por cristãos que esperam que você simplesmente8
utura cristà da terra deles (seja lá onde ela
for).
A lista de Harrell
certamente levanta
questões importantes. Lembro-me de
A igreja é chamada a ser uma

antecipaçao do
Ouvir Lesslie previa e uma

VOCabul Newbigin defender um


VOcabulário cristão
reino vindouro de Deus.

distinto um
Junto de práticas eclesiais e con-

baseadas
evangell
incoompatíveis.
no
eles não são necessariamente
ti ue incrédulo é socializado. Mas
O

A Harrell capta isso -é corretamente


palav
Ospitaelidaoade".mComo ordem aqui -

e
hospitalidade
amigo o comunidade crist pode oferecer
aos
a

próximo no. cristãos?


HOJE
310 A MISSÃO DA IGREJA

identidade
contracultural por meio da comunidad
dade.
Estabelecer uma
e uma antecipaçao
vindour de
do reino
a ser uma prévia
A igreja é chamada
" c o n t r a c u l t u r a l é usada,
é importante deixarclaro .
palavra que
Deus. Quando a
cultura. Nao se trata apenas de se.
não a po-
um s o n o r o
ela não significa apenas ser uma comunidade contracultural
cultura. Há dois lados em
sicionar contra a molda O contexto urbano.
contra a idolatria que mas
alternativa: colocar-se
ou
das correntes da criaçao. Em outras palavras
também viver em cumprimento fluem de uma aceitação das boas
correntes de vida que
vida urbana manifesta
como correntes
de morte que surgem porque os seres
dimensoes da criação, bem comunidade contracultural
dádivas de Deus. Uma
humanos distorcem as boas
comunidade contracultural
celebra e aceita todo o
bem da cidade; uma
procura,
idolatria.
também procura, lamenta e rejeita toda a
todos os aspectos da vida urbana terão o que é bom em
O problema é que
da criaçãoeo que é distorcido
em termos Por exemplo:a
idólatras.
termos
bondade da sexualidade humana, mas também a
revolução sexual celebrou a
vitalicio e de um relacionamento altruísta.
tirou dos limites do compromisso
sexualidade humana de modo a afirmá-la
Como a igreja celebra a bondade da
a distorce? Uma
como dadiva de Deus e, ao m e s m o tempo, opor-se àquilo que
comunidade contracultural atraente aprenderá a dizer sim uma sonora afir
é descoberto e desfrutado na
deu na criação e
mação para tudo o que Deus
cidade; ela também aprenderá a dizer
não uma rejeição -

igualmente hrme de
humana no sentido da idolatria.
tudo o deprecia e degrada a dignidade
que
refletirmos sobre o que essa comunidade
Aqui estão algumas questões para de trabalhar
celebrar e incorporar o compromisso
pode ser: como podemos ou consumista
e
o espírito economicista
entre jovens prohssionais, mas desafiar
celebrar
o acompanha? Como podemos
o vicio em trabalho que frequentemente

e incorporar o multiculturalismo e a
diversidade étnica das cidades sem permitir
e
se torne um poder ideológico opressivo?
Como podemos celebrar
que ele de
da boa criaçao
incorporar alegria de consumir as coisas e as experiências
a
a VIdd
consumismo que domina
Deus ao mesmo tempo em que nos opomos ao
a preocupação
com a jusuiya
na cidade? Como podemos celebrar e incorporar

e a paz de muitos na cidade, unindo-nos a


eles em seus esforços, ao mesi
do evangelho, nao o
tempo em que tratamos dessa questão com a integridade reconcillayao
as formas do humanismo? Como podemos buscar
a unidade e a

centro relativista e pluralista qu


que as cidades anseiam enquanto rejeitamos o orar

e oferecido para cumprir esse objetivo? Como podemos celebrar e incorpo


a liberdade que a tecnologia moderna nos dá e, ainda assim, nos po>

Contra o descompromisso que acompanha essa liberdade?


Keller aponta para cinco áreas nas quais nossa identidade contracu tada

Se tornar uma realidade na cidade: sexualidade (nem puritana, ne modo de


a idolatria do sexo em nossa cultura), dinheiro (promovendO u oder e

vET radicalmente generoso), poder (compromisso com a divisao


MISSÃO URBANA 311
ac edificantes entre classes e raças), unidade (encontrando maneiras
com r
com ar a unidade com irmaos e irmas em Cristo ao atentarmos para a
de expres
de não para detalhes teológicos divisivos),"
a do evangelho, comunidade
8essidade de pequenos grupos e da vida comunal em um ambiente urba-
( an e c e s s i d a d e

vezes falta apoio da família


onde muitas
nizado
nizado
estendida).
Draticar a missão holistica. Duas coisas são claras o suficiente a partir
, hreve análise estatistica apresentada neste capitulo: há muitas pessoas que
da
m em cidades que n0 conhecem Jesus Cristo, e há uma enorme pobreza
VIVem

enecessidade social. A questo da missão holistica se torna mais do que uma


auestão teórica. E um problema concreto e vital de necessidade humana.
Onde a igreja urbana deveria concentrar seus recursos financeiros e humanos?
"A igreja deveria concentrar sua atenção estritamente no evangelismo pessoal e
esperar para ver a transformação urbana por meio de indivíduos transformados?
Qual é a relaço entre evangelismo e responsabilidade social na cidade, onde a
vastidão da necessidade enfatiza tal relação?"30

"Esses pobres urbanos agora constituem um bloco de povos não alcançados que é
erceiro maior do mundo, o mais receptivo ao evangelho e o que estaà dobrando de
tamanho a cada década. Os clamores desses pobres nos chamam a dedicar todos
Os esforços a uma tarefa: encontrar homens e mulheres que iniciem movimentos
do reino entre esses pobres. Mas precisam ser criadas estruturas para servir a tais
rabalhadores. Eles precisam aprender uma teologia que lhes permita entender
paaroes desses movimentos do reino, e precisam de uma demonstração das

necessidades básicas entre os


pobres.
Viv Grigg, Cry of the Urban Poor. p. 2. [O Grito dos Pobres na Cidade]

Talve: nenhum lugar essa questão seja mais urgente


do que nas cidades
do h
cenário onde mais de 75%
das pessoas vivem na

Su. Em um
pobreza, evangélica estorça se com

ochamadoFraternidade Teológica
a Latino-Americana
-
ha
mandato evangelistico
cha social da igreja.
lal i Sem esquivar de se seu
um chamado para missão holística que inclui
uma
proclamação, discipulado,
para
adoração eservoesse grupo assuma sua
igreja urbana para que
exorta a
tarefa social em
relasocial
uma melhor varlas
compreen frentes, incluindo pelo
seguintes:
menos os sete elementos
sociais e econômicas
à luz das
e s t r u t u r a s urbanas
Preensão das realidade da cidade;
igreja responder à complexa
rica eclesiologia de
a para
ncarnação *parecultural cidade com uma
perACOSegri e oprim quee desafie o i
da igreja na

individualismo; u m a ação
concreta em direção a

econômicosepolíticos; a cooperação
ecumènica p r o g r a m a s sociais,
8rejas que demonstre,
diante dos não
cristãos, uma frente
312 A MISSÃO DA IGREJA HOJE

mutuamente as igrejas
n a m i s s a o urbana; o
papel prafési co
unida e que fortaleça
da igreja que desafie com sensibilidade os centros de poder; a recuperacão.da

comunidade de compaixao que seja empática e


sensia à
igreja c o m o u m a
do sacerdoCio universal de todos os ctistäd
tragédia humana; a recuperação
ter uma influència positiva
por meio de suas várias profissöes ae
que podem
oficios.1 Essas sete pontos de ação desafiam a um estudo cuidadoso por arte
chamado social
em a s s u m i r ielmente seu
de todas as igrejas comprometidas
chamado no setor püblico. A principal m a .
Treinar cristãos para seu
buscar justiça no nivel estrutural não é Dor se
neira pela qual a igreja pode
institucional, m a s sim por meio de cada cristão
ministério c o m o uma igreja
esfera crist os, exercendo sua
pública. Conn diz: "Os
assumindo sua tarefa na

sacerdócio de cristãos fora das estruturas institu-


responsabilidade c o m o u m
de u m a nova forma dos problemas urbanos da
cionais da igreja, participam
favelas urbanas? Existem
da falta de moradia, do desemprego e das
pobreza,
outras maneiras pelas quais os cristãospodem suprir as necessidades da cidade
CEBs sugerem essa
sem que seja por meio
da igreja o m o instituição? As
c
global eclesiais de base) na
possibilidade"3" Faz-se referência às CEBs (comunidades
anterior. São pequenos
América Latina, as quais discutimos em um capítulo
contexto da pobreza
urbana que
muitas v e z e s existentes n o
grupos eclesiais buscarjustiça
seus membros para
o treinamento de
priorizam a preparaçãoe
na esfera pública. muitas
da missão urbana também porque
Esse é um aspecto importante
cidade por causa de trabalho. Esse é o contexto primário
pessoas foram para a de suas ocupaçoes.
principalmente em termos
delas; elas estão vivendo a vida muito
da cidade não têm
pessoas do centro
Keller observa: "Uma quevez as
envolver a integraçao da ie
em termos de vida particular,
o discipulado deve
distintanmente crist
e do trabalho. O discipulado
deve demonstrar c o m o ser
incluindo c o m o lidar c o m tentações
peculiares e dilemas etict
n o trabalho, e
de u m a visão de
mundo crist distinta co
c o m o produzir o trabalho a partir nte'
trabalho de maneira excelc
fazerem seu
ajudar outros cristãos do setor a
mos

duas razões importantes, que


observa
Em termos da missão da igreja, há
chamado
seu
as pessoas a cumpriret gelho
em um capitulo anterior, para encorajar do evange
testemunho

primeiro lugar onde


um stiça e
urbano. A primeira é: este é o
como agentes da
pode acontecer na vida e napalavra. A segunda razão: pública,
podenm
trabalho n a esfera
do amor do reino, os cristãos, por meio de seu comentas
Bavinck
Herman
ser um instrumento da graça comum de Deus. destrut
ao poder ativa;

comum, "se opõe poderosamente está ati


eus, por sua graça de Deus

pecado. Não é apenas na vida dos indivíduos que


a graça
arte e
aà graça
antes, a "totalidade da vida rica da natureza e da sociedade existe olitica, a ar

de Deus...] O amor à familia e aos parentes, a vida social e Po* Todos


Deus . .|
istência na
vontade de
da boa
a
Ciencia s o todos em si mesmos objetos
eies juntos constituem [...] a ordem original que Deus cla
MISSÃO URBANA 313

e mantem, apesar do pecado"" A fidelidade


e ele ainda preserva
os cristãos trabalham
criaçad
nas árias ocupações e profissoes nas quais
vári

a0
evangelho

s e m a n a

pode
po ser u m modo pelo qual Deus exerce seu poder e sua

durante
a aindo pessoas para si mesmo, mas também sustentando
atraindo
apenas
nao
a vida humana e preservando a vida
humana da
graça, para
sua criação
criação
dem de e s u a

totais.
alienaçao
e da
injustiça igrejas
e raro e n c o n t r a r
Infelizmente, Como agentes da justiça e do
missão a sério.
aspecto da amor do reino, o trabalho dos
aue levem esse
v e r iniciativas cristãos na esfera pública pode
isso, é encorajador
Por e n c a r a n d o a tarefa. ser um instrumento da graça
estao
urbanas que Comum de Deus.
Francisco, o programa
Newbigin
Em São
um
Studies esta treinando
House of
de jovens profissionais por
todo o espectro da vida cultural para
número
em seus vários chamados.35 Em Phoenix, o Surge School
viver o evangelho treinar lideres a
Center reuniu vårias igrejas para
of Missional Training da vida,
todos os aspectos
descobrirem como o evangelho poderia moldar
Presbiteriana
ocupações." Na cidade de Nova York, Igreja
a
incluindo suas
Trabalho que está fazendo várias
Centro de Fé e
Redeemer estabeleceu um
chamado no mercado." A igreja
coisas para moldar o cristão urbano para seu
trabalha nessa tarefa em três níveis: teórico (educação teológica para
preparar
orientador
as pessoas a de forma cristä sobre o chamado delas),
pensarem
maneiras
(oferecendo educadores e mentores que capacitem as pessoas de várias
dentro da
a
Cumprirem o chamado delas) e comunal (encontrando maneiras
congregação de apoiar todos em seu trabalho).
as cidades do
mplantar igrejas urbanas.39 "o dia de implantar igrejas
para
invisíveis e não alcançadas
nundo ainda há de despontar" diz Conn. "As pessoas trabalhadores
os pobres, os
Cdades do mundo devem ser encontradas
-

étnicose tribais que


strlais, Os funcionários do governo, os novos grupos 21,
o mundo do século
dDelecem em áreas urbanas. Se quisermos alcançar de implan-
nova campanha
S alcançar suas cidades. E isso exigirá uma
tação de igrejas"
está claro em Antioquia.
Certamente,
e , esse era esse o modelo no livro de Atos, como

Paulo impla urbanas que são chamadas na época para ser

tect td 1grejas em áreas ações no lugar onde


munho do evangel na vida, n a s palavras do
e nas

foram estabelecida especialmente às favelas das cidades


Isso se aplica
rceiro oecidas.
mundo. determinada megacidade
asiática e diz que
Viv Grigg descreve
%
pobres
bres nas favelas "nunca viram u m
movimento de pobres
ou suas pro daquela cidade Jesus. Nenhum
Suasprón lhes havia proclamado
Sgrejas. Ninguém jamais mostrar Jesus em palavrase
lhes
açoes, em amais viveu entre eles para isolado.
essa cidade não é um caso
A
Iriste de misericórdia de poder"E
Ste notícia,
e
pesquisa
minuciosa e m oito

idades, encontreidiz Grig8


uma
88 "é que, após movimentos
embrionários. Conclusão:
dois rel apenas
314 A MISsÃO DA IGREJA HOJE
maior migra
maior surto de missões
da história perdeu completamente a ração
o
do lerceiro Mundo para grandes
da história, migração de camponeses
a
lacuna na missão da
megacidades. Grigg propôs-se
a preencher
essa
igreja
Foundation."
com a Urban Leadership

importantes para mudar a pobreza urbana


Viv Grigg cita três posições espirituais
em uma cidade do terceiro mundo:
transformar o ambiente
entre os pobres podem
I. "Os movimentos de igrejas
microeconómico e politico local."
holistico e
2. "Os profissionais da
classe média, praticando um discipulado
efetuar mudanças
um conhecimento intimo dos pobres, podem
possuindo
cidades em relação ao planejamento
na implementação e governança das

urbano."
mudar os sistemas
elite mundial podem
3. "Os cristãos inseridos na crescente
do comércio injusto e da
macroeconómicos de dívida externa,

multinacionais irresponsáveis."
monopolização de
Pobres na Cidade]l
Poor. p. 257. [0 Grito dos
Viv Grigg, Cry of the Urban

hemisfério norte ou no
Mas a implementação de igrejas urbanas, seja no verda-
será ütil a missão de Deus se as igrejas
implantadas forem
sul, só para sao

deiras congregações missionais. Se implantarmos


igrejas introvertidas que
domesticadas ídolos da cultura
pelos
local, então, nossos esforços evangelis-
A necessidade n0 e c o m o colher o trigo
apenas
ticos serão
Simplesmente de mais igrejas, a celeiro em chamas.
para levá-lo a um
necessidade é de congregaçóes
missionais fieis arraigadas em Oque é
necessário são igrejas implan
uma
consciência missiona
Jesus Cristo, cujas presença, tadas com
missional
identidade
açoes e palavras tornem o
que vivam uma
devem ser
meio da cidade. Igrejas
evangelho conhecido.
no
como
congregações ni
implantadas
nutrenm uma con
Sionais que acolhem e engajam não cristãos, que e t r e i n a m

alternativa na vida coletiva, que se engajam na missão holistica e qu


A neces
estera pública.
cristãos para o chamado deles em vários setores da
e s

é de congrega
sidade não ésimplesmente de mais igrejas; a necessidade lavras

missionais fieis arraigadas em Jesus Cristo, cujas presença, açoes


tornem o evangelho conhecido.
MISSÄO URBANA 315
TEOLOGIA
DA MISSÃO PARA A CIDADE
UMA

Se a igreja quiser cumprir essa agenda, uma teologia da missão para a cidade
se a
g volvida como intuito de preparar a
igreja para sua vocação urbana.
Em várias nassagens, Conn nos aconselha sobre como isso
passage
deveria ocorrer.
a7 distinção
Ele f
entre uma teologia da misså0 na cidade e
cidade. A
uma teologia da
missao ia Dara a primeira simplesmente vë a cidade como o cenárioo
localinconsequente onde missäo é operativa. Uma
a

rOsseguir isolada da cidade; a cidade é, de fato,


teologia da missão
real O segundo cenario ao
marginal à teologização
qual Conn nos
-

convida - vê a cidade
Omponente fundamental no
como umn
projeto de uma
teologia da missão, uma
categoria
detinitiva importante o
suficiente para criar uma nova
logia urbana." Nesse caso, a teologia da missão
subdisciplina missio-
da
urbana, para Conn, enfrentaa o
desafio de integrar teologia, estudos urbanos e
Outra maneira de articular os trs contextualização.
pontos dessa teologia urbana é falar sobre
retletir no evangelho, no contexto urbano e na
separadas, isoladas ou independentescontextualização.
très tarefas Essas não são
umas das outras;
cada uma
implica um foco particular com a tarefa como um todo pelo contrário,
em vista.
Anecessidade de refletir no
evangelho. Com muita frequência, elaboramos
pragmaticamente estratégias sobre como
assim, construir uma alcançar as cidades
para Cristo e,
missiologia da cidade. Discutimos a
evangelização e a
enovação e expansão da igreja. Esses não
são assuntos sem
que precisamos é de uma reflexão teológica mais importância, mas
Sa em sua missão urbana uma "visão profunda que acompanhe a
Ser uma visão teológica da cidade.44missiológica
-

para a cidade tambem


A igreja, para ser autêntica, deve
DUar em numerosos assuntos
a
missão teológicos, muitos deles
dada missão,daquigreja: a natureza do evangelho, a natureza da comuns
a toda

guestões de contextualização, uma teologia das religiöes igreja, a fim de


a natureza

preparar a igreja para um


espostas confronto com o pluralisnmo religioso,
as
questões urgentes das massas urbanas, eclesiologiaapologeticae
easformaparaque uma missionária
individ
individuaise ecun igreja missional deve assumir (tanto como congregações
gelismo e cumenicamente
Bclismo como a igreja reunida), a relação entre evan-
eassim questões
assim por diante. de justiça e misericóórdia, questões de liturgia e adoração,
Por Outras que
embora talvez não
es,
exemplo
algum
:
Se,dede al Oensino
en o
da Bíblia sobre
óbvias,
principados
tão
os
são
e
igualmente importantes.
potestades e signihcativo.
10; 6.12;modo, Paulo, quando fala de "principados e potestades" (Rm8.38;
moldam asas ininstituições
Cl
2.15), está se referindo às realidades e forças espirituais que
Tbana trate içoes humanas da cultura, será essencial que uma teologia
alcance ea assuanto. Ou, por outro exemplo, temos reduzido o poder,
do
pecado ée ente a
gravidade do peca
d
cado de várias maneiras, mas trequentemente
como idolatria nas Escrituras - não apenas idolos
316 A MISSÃO DA IGREJA HOJE

individuais, mas ídolos comunais que moldam culturas inteiras (cf. Rm 1.21-23
25). Que tipo de idolatria está atuando na formação da cultura da cidade?
Como esses ídolos se tornam visíveis nas instituições e padrões da vida urbana?
A reflexão no evangelho deve ir além de assuntos estritamente "teológicos"
e fazer perguntas que, por tradição, estão associadas aos estudos de visão do
mundo. A própria natureza do evangelho e da salvaçao de Cristo exige isso.
fundamental:
Herman Bavinck faz este lembrete

Cristo não veio apenas para restaurar a vida ético-religiosa do homem e deixar
todo o restante da vida intacto, como se esse restante não tivesse sido corrompido
Näo,
graça o amor do Pai, a do Filho
pelo pecado e não precisasse de restauração.
ea comunhão do Espírito Santo seestendem até onde o pecado corrompeu |...]
Portanto, Cristo também tem uma mensagem para a familia e para a sociedade,

a arte e para a ciência.45


para

E ainda acrescentar música e literatura, midia e entretenimento,


podemos
lazer e trabalho, tecnologia e sexualidade, dinheiro e finanças, negócios e po-

amizade, coisas assim. Para


esportes, trabalho social e e
litica, meio ambiente e
uma população urbana que deseja entender a relevância do evangelho e precisa
ser desafiada com o evangelho do reino, essa será uma tarefa importante.
Mas nossa reflexão teológica não será apenas uma questão de nos debruçar-
envolverá
mos sobre a Escritura para que ela lance luz sobre as questões atuais;
também o estudo da igreja-em-missão ao longo da história a fim de aprender

como estorçou para se manter fiel às Escrituras. Pensemos, por


ela se
exemplo, na
urbano no império romano. Foi nesse
igreja primitiva, nascida em um ambiente contra forma resistente
contexto que os"primeiros cristãos urbanos viveram de e
oferecendo hospitalidade
a cultura do império, satisfazendo necessidades,
comunidade. Eles criaram assembleias
apresentando novas possibilidades de direto
eram um desafio
alternativas (ekklësia) e grupos familiares (oikos), que
deles." Ou,
aos elementos estruturais da vida
cívica r o m a n a e uma imitação
metodismo que se
muito mais tarde, observamos o estudo de John Wesleyeo
estabeleceu em meio a cidades industriais, formando comunidades compro
outros
metidas com a vida santa e se identificando com os pobres." Muitos
nao

poderiam ser dúvida, mas


mencionados, sem a teologia urbana de hoje
deve ignorar as lutas da igreja no passado.
cidades
Precisaremos de um estudo das
A necessidade de estudos urbanos. xto

pesquisa sobre conte


o
A
que seja profundamente moldado pelo evangelho. ana.

frequente em
é tema textos sobre missao urba
urbano e essencial, e esse um rões

Compreender a história das cidades, a visão original que


as formou,
os
pau
instituiçõBes
de vida característicos da cidade, o layout demográfico, as várias inst
culturais dentro da cidade e muito mais exigirá uma análise crista y talvez
a muitas das ciências sociais. Mas o perigo é que as ciências SOclaid
MISSÃO URBANA 317
artemais
secular.
academia hoje. O usO que a
clar da
apare igreja faz das disciplinas
cial que preparará a igreja não deve ser refém
da ciência social
Js do viés secular
sOCiológicas e antropologicas de hoje. Em vez disso, o estudo
disciplinas sociol das
cristão
da idade levará
a sério a categoria da
religião como um poder fundamental,
rante e diretivo.
integrante
diretivo. Con
onn observa que a
pesquisa para a missão urbana tem
ado fre
estado frequentemente no cronível da demografia urbana e,
portanto,
agora
ww
deve ocorrer uma mudança na qual "nos voltamos também
para a questão do
urbanismo, par< cidade como um modo de vida e para a conexão
e urbanismo'8
adequada
entre 'religião
A história será uma parte importante dessa pesquisa. Quatro exemplos
nodem ilustrar como a pesquisa histórica é importante para a missão urbana
hoie. Primeiro: análise histórica nos permitirá ver como as cidades
a
começaram
ase formar na Europa e nos Estados Unidos durante a Revolução Industrial. Isso
permitirá ver a história da visão de mundo cultural que moldou a estruturação
da cidade e, assim, reconhecer as dificuldades enfrentadas por ela, bem como
por que tantos cristãos abandonaram o ambiente urbano.

NOS paises mais ricos do Ocidente, as cidades sobreviveram ao tumultuado

d a era industrial e agora s o mais ricas, mais saudáveise mais atraentes do


0e nunca. Nos lugares mais pobres do mundo, as cidades estão se expandindo

ensamente porque a densidade urbana oferece o caminho mais claro da

pob a prosperidade. Apesar dos avanços tecnológicos que causaram o


para
fim dStancia, o mundo não é plano; ele está pavimentado. A cidade triunfou.
Mas, Como muitos de nós sabem por experiència própria, às vezes as estradas da
Cidade são pavimentadas para o inferno. A cidade pode ganhar,
mas com muita

quència seus cidadãos parecem perder ..] Para cada Quinta Avenida, ha uma

favels
favela em protegida
escola de ensino médio
Mumbai, para
,Dal, p cada Sorbonne, há uma

detectores de metal em Washington, D.C."


Triunfo do Cidode]
the City. p. 1-2. [O
Edward Glaeser, Triumph of

dilerenças
Segundo:dnalise
a histórica também nos permitirá discerniras urbano no
entre hemisfério sul eo
crescimento

orte eno o das cidades no


ocorreu
muito mais rapi
urbano no Sul

dament e.
aSSmilar ocrescime AOU
Crescimento

Isso deixou as
as cidades do Terceiro
infraestruturas
Mundo com

necessarias
menos

para
tempo para
o
aumento

da população. Tamben
imento e criar
ar as foi impactado
recentemente e, portanto, Esses
pelkos v ocorreu
mais
religiosas
fundamentais.

processos
nos
d8100alização
e s u a s crenças

cidades do sul.
Podemos
entender, por
vivem

exemplo, por ma percepção

a cidade eé um
das
símbolo de esperança
para
muitos que
IGREJA HOJE
318 A MISSÃO DA
dao-nos uma percepçao da pobreza .
Além disso,
no Terceiro Mundo.
dessas cidades. de cidades especificas noc .

análise histórica
terceiro exemplo
é que a
O elas foram formadas. Nem.
várias formas pelas quais
tirá compreender as Diferentes fatores e
imicas
cidades são
moldadas pelos
mesmos
molides.
as
modo unico. E inmportante entender os váriost tipos
várias cidades de
moldaram
distinguiu sete tipos diferentes de cidada
um urbanista
de cidade. Em 1982, vizinhas, cidades internacionais, cidades inter
cidades
incluindo, por exenmplo, Sem dúvida, muita coisa mudou
e cidades de lazer."
ligadas, cidades regionais existem diferentes tipos de
alerta para o fato de que
mas isso nos
desde então, análise histórica é
diferentes histórias.
Esse tipo de es.

cidades moldadas por


correta da demograha de determinada cidade
sencial para uma compreensão
necessidades e dinâmica.
bem de suas
como
análise histórica nos permitirà ver os tipos de
a
E, u m quarto exemplo,
Há uma revitalização das cidades norte-
urbana que ocorrem hoje.
mudança reconsiderar os beneficios
de viverem
americanas. "As pessoas começaram a
em vez de ter gastos
andar de bicicleta,
das outras, de caminhar
e
umas
próximas existe quando pessoas
de experimentar a energia que
altos com combustível, sensibilidade esclarecida
em
visão comum. Certa
unem com uma
vitais se
e as preocupações
compromisso com os pobres
questões globais,
um
relação a
multid o diversificada de novos
trouxeram uma
ambientais, entre outras coisas, de
revitalizar a cidade [...] A grande revitalização
habitantes urbanos para de indivíduos
certas cidades |...] deve-se, em grande parte, à força conjunta' da vitalidade
criatividade e
se alimentar da energia, da
unicos que parecem
uns dos outros50 cidades
megarregiðes ou
as
Uma segunda mudança
está voltada para
econômica mundial, terçOs
dois
metade da atividade al
regionais, que "produzem N
de todas as invençôes globais.
atividade científica e três quartos
lades,
da sao clua
metropolitanas que n o-

Peirce diz que essas "grandes regiões as mo

emerg
estão começando
a
têm
Estados-naç o
-

nem estados, nem


cidades regiona
influentes do mundo'52 Essas grandes
protagonistas mais central. Lá estão
reunido
sistema nervoso
um centro urbano que « u coraça0 e
financeiros, importantes il
profissionais, grandes centros industriais e
no centro da cidade são profissionais,
bem co
culturais. Os residentes
e também inciue vida,
em negócios, finanças, meios acadêmicos e artes,
estilos alternatuvo
pessoas com
dias de imigrantes, estudantes e
mbém
Como a comunidade de homossexuais."
pesquisa historica
igreja

não apenas a
Essetipo de análise que usa
capacit. car as

todas moldadas pelo evangelho


-,
bu
Jtras ciências sociais e
-

c o r r e t a s

questões
para entender seu contexto urbano, levantar as
abordagens corretas para ser uma igreja para a cidade
MISSÅO URBANA 319

A
dade de contextualizaçao. A contextualizaçåo lida com a fusão de
necessidade

rontes. lamos de missão urbana, temos em vista o horizonte


ontes. Quando fala
doisho
jois
h i b l i c o n
ivo e o horizonte urbano contemporâneo. A contextualização
o r m a t i v e

iDi mundo urbano dentro do contexto da história bíblica de tal forma que
detine eritica esse mundo. Requer, é claro, uma compreensão mais profunda

biblico e do contexto urbano.


A contextualização que tenta relacionar
texto
do
-evangelh e cultura é abstrata. De fato, é precisamente na igreja
-

duas coisas

como
u m a comun nidade encarnada chamada para viver o evangelho no contexto
urbano-cultural qu essas duas histórias se encontram. A congregação urbana

ea lugar
onde o evangelho ganha vida em sua at1rmação e no desafio à cidade.
igreja para a ci-
O desejo de ser uma
A congregação urbana é o
dade pode gerar as seguintes perguntas:
lugar onde o evangelho ganha
Onde estamos localizados? Quem são
os
vida em sua afirnmação e nno
homens e mulheres nesta regio realmente desafio à cidade.
sedentos? O que iss0 signiicará para nosso
ministério local? Que mudanças precisa-
da missão da
remos fazer? Essas são perguntas úteis para certos aspectos
homense mulheres tèm fome será
Igreja. Por exemplo: entender aquilo de que
aos individuos formas de ministrar
as
mportante para o evangelismo ou para
na congregação local. Que mudanças precisamos fazer que serão importantes
u m ambiente acolhedor?
O da igreja local no sentido de criar
ministerio
ard fomes e os desejos religiosos
o podemos relacionar o evangelho com as
da população urbana?
uma vVisao
missão urbana também apresenta
manifesto" de Keller sobre evange- de
em termos
a Contextualização, mas também, e principalmente,Ele mostra, de m a n e i r a
indivíduos.
Cnistério congregacional para os das tormas
os vårios de habitante urbano se apropriaram tipos
T moldam a cultura
ocidental,
Ou pôs-modernas do humanismo que
e e uma seçao particuaicte
oe as implicacões de ministrar a eles. Em em cidades
vivem
inspiradora, ele
ele .discute
d, das pessoas que as características sexualmente
globais pragmåticos
profissionalmente
CS
motivados,

s e m raizes,
COmprometi e socialmente
orientados ao c o n s u m o ,
geográfica
dos, diversos, com
mentalidade civica
etnicamente
e 1 e desconfiados, características trazem
essas
e s ministeriais que além do evangelismo

doPrecisamos reconhecer,
a missão vai
n o entanto, que esses
e sejam
mais importante que
ministério da
a
congre
congregação local, por notar pelo
aspectos da mis Levando e m c o n t a
a última seção,
podemos
nosso
menos mais odo. comunidade
contracultural, cumprir
Cada
chamado na entos:
era pública da
ser uma

cultura e
realizar u m
ministério

estará
holistico.

r e l a c i o n a d o ao

Contexles urbano
trará
rará diferentes O evangelho
erentes tipos de questão. igreja quiser
ser uma
h em diferente Por exemplo:
se a
diferentes pontos.
omunidade cont Cm

racultural, ela precisará refletir profundamente


nas crenças
320 A MISsÃO DA IGREJA HOJE

uma cidade e, certamente, identificar os idolaa


moldam
macrorreligiosas que é sempre um
a contextualização Sim
Sem dúvida, uma vez que
quea dominam.
exaltar também os aspectos vitais da
e um não para a cultura, isso signiicarà
incorpore LDeus as correntes de
o povo de
vida urbana. Isso possibilitará que
correntes de morte e, assim, ofereça
uma comuni.
vida na cidade e renuncie às Deus quiser cumprir
fazer parte. Se o povo de
dade alternativa atraente da qual visaão de mundo
como a cultural
seu chamado na cultura, é preciso perguntar
que em vivemos.
politico, artistico tecnologico
e
molda o mundo económico,
aceito e celebrado? Contra
como criação e, portanto,
O que pode ser afirmado
se posicionar?
oque a 1greja precisa é uma constante
Na verdade, a contextualização
Isso só atinge a superficie.
mentalidade e um modo de vida.
E uma luta continua com a forma de viver
ser fiel,
ambiente cultural específico. Se a igreja quiser
o evangelho em um

evangelho e em suas implicações, em seu


ela deve refletir profundamente no

nesse contexto.
contexto urbano e em como
viver esse evangelho
de missão a cidade, pre-
Educação teológica. Além de uma teologia
para
líderes pastores para o mi-
e
cisamos de uma educação teológica que prepare
das cidades também surgem
nistério na cidade. "Com a crescente importância
desenvolvimento de líderes das igrejas
o treinamentoe
novos requisitos para
tradicionais enfatizam a missão em
urbanas. No entanto, poucos seminários
ministério urbano é o futuro da missäo
da igreja
um contexto urbano |...] O
ministério
no século 21.36 Além disso, exigências e a complexidade do
as
Uma ampla
urbano exigem que a educação seja muito mais do que teológica.
oferecerá aos lideres das
educação em artes liberais, enraizada no evangelho,
urbanas ferramentas para o ministério fiel.
igrejas

ELEMENTOS DE CONGREGAÇÕES MISSIONAIS FIÉIS


O testemunho mais poderoso do evangelho na cidade serão congregaçoes q
incorporem o evangelho no contexto da vida urbana. Isso acarreta não apena
uma retlexão teológica sobre como deveria tal igreja parecer-se, mas tambcm
ade.
estudos empiricos de igrejas que manifestaram uma presença fiel na cidd I$as
E claro que a reflex o teológica e o estudo empírico não precisam ser duas o
ão e
distintas -na verdade, elas não deveriam ser! Conn fala de uma agenda deaça
de um con
reflexão; ou seja, é no contexto
Deus
de viver a missão de
O testemunho mais poderoso promisso ativo
sobre a
do evangelho na cidade serão na cidade que precisamos refletir t e s t e m u n h o .

Congregações que incorporem luz do evangelho para nosso


o evangelho no contexto da
gregações
especith
vida urbana. Como são as
ado
chamad
seu
prindo
cas que estão
MISSÃO URBANA 321
idade? Recorrerei dois estudos de
a

elementos que encontramoscongregações urbanas e


issiona

a hrevemente os
nessas igrejas.
observarei

áise de seis congregaçoes em trës


Una análise

seis igrejas urbanas


continentes." Greenway e Monsma
diferentes em très continentes:
e x a m i n a m

duas da Asia, duas


érica Latinaeduas da Africa. Observando a análise de
da
ma respeito das histórias dessas igrejas,
a
Greenway e Monsma
elendo
ita de caracteristicas que fizeram delas "grandes modelos": compilar
podemos a
seguinte
Compromisso comoevangelho
a tentativa de entender a cultura e a dinâmica da cidade
Oraçao
identificação e preocupação com os
pobres
grande prioridade na comunhão, em pequenos grupos e células
forte ênfase no treinamento de bons líderes
contextualização
alta demanda de envolvimento de "leigos
fortes programas de
discipulado para novos cristãos
a igreja totalmente mobilizada para o evangelismo e a missão
Um estudo de 28 congregações. Da ala mais
SE importante da igreja, Nile Harper
propoe a contar a história das
um
congregações urbanas que estão engajadas em
ministério transformador na cidade. Ele procurou igrejas que acreditavam
a vida
uC congregacional e a responsabilidade social eram interdependentes.
grejas variavam de 135 a 15 mil membros. O livro de Harper abrange 28
8rejas em quinze cidades
norte-americanas.
Depois de listar os principais sinais nas igrejas urbanas, ele conta a história
edgreja e conclui com uma seção chamada "O que podemos aprender.
tif
Há muito material para reflexão e, claramente, nenhum padrão pode ser iden-
fnalado ard
para asas igrejas urbanas fiéis. Harper reúne suas conclusões no capitulo
final N
a pena considerar duas de suas conclusões. A primeira consIste
a a s que os pastores identificaram como elementos que dificultam
revitalização
resistencia ar
da
igreja. Elas incluíam resistência mais inclusiva,
a tornar-se

alta de V O S modelos de adoração, ansiedade em relação à sobrevivncia,


visão,
dagreia ePCgo tradições desgastadas negligência
a estimular vida
e a em a
greja em prol de atividades angelísticas. 58

Identi conclusão detalha os fatores positivos que os lideres pastorais


entificaram como
didos em fatores mais importantes na revitalização da igreja. Eles são
sobre acria
aacriaci es internos e externos. Os questöes
internos lidam com

riação de congre
alores internoe Ongregações e o fortalecimento da vida espiritual. Entre os
TIsà, anternos
orConstr construçução
positiv. estão a centralidade da adoraço, a forte educação
ore liderança de comunidade, a abordagem holística do ministério e a
Pastoral. Os externos tratam de questões da missão da igreja
Cntre os fatores externos positivos estão a identificação da
322 A MISsÃO DA IGREJA HOJE
liderança local, a formação de vårios tipos de parceria, o desenvolvimento de

cultura de comunidade eo
empoderamento das pessoas para oconstanta
ante
uma
d e s e n v o l v i m e n t o da comunidade.5
e novo

cONCLUSÃ0
com uma pergunta retorica de Deus para profeta
o
O livro de Jonas termina sabem nem distinguir
nao
vinte mil
pessoas que
"Ninive tem mais de cento e
muitos rebanhos. Não deveria eu ter pena
além de
a mão direita da esquerda,
Deus deseja recrutar Jonas em sua missão
dessa grande cidade? (Jn 4.11). o amor de Deus, que é um "Deus
ponto de partida compartilhar
mas o
é
cheio de amor e que lprometel
misericordioso e compassivo, muito paciente,
Uma vez que permanece em sua
castigarmas |[se arrepende]. (Jn 4.2).
depois história
de Israel. Toda a
introversäo e indiferença, Jonas simboliza a imagem ele foi
interesse de Israel pelas nações, pelas quais
é uma forte crítica à falta de cidade
seu amor pela grande
escolhido.,0 Deus deseja que Jonas compartilhe
sua época. Em
de hoje, mas grande para
de Ninive - pequena para os padrões que
Deus: "Se você
ama o

essência, o último versículo de Jonas diz ao povo de


Deus ama |...] você amará a cidade"6

LEITURA ADICIONAL
Downers Grove, IL: Intervarsily
Bakke, Ray. A Theology as Big as the City.
Press, 1997. and
Manuel Ortiz. Urban Minisry;
The Kingdom, the City,
Conn, Harvie M. e
2001.
IL: Inter Varsity Press,
the People of God. Downers Grove, New Frontier
e Timothy M.
Monsma. Cities: Mission's
Greenway, Roger S.
GrandRapids: Baker, 1989. Horizonte: Missão,19*
na cidade. Belo
Grigg. Viv.
O grito dos pobres Churches Ihativ
Heidi Rolland Unruh.
Sider, Ronald J., Philip N. Olson e News and
Good
with Good
Difjference; Reaching Your Community
Grand Rapids: Baker, 2002.

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO


será
vencida ouperdida
missão no século21
1. James Scherer acredita que "a
signiic.

essaideia
na batalha pela alma das grandes cidades". Discuta o que ess
concorda ou não com ela.
que aspectos você
o n t e

e em Con
cidade.
fiel n a entos

2. Analise os elementos de uma congregação missionaria element


ilustram es
algumas histórias de própria experiência que
sua

Há algum elemento que você adicionaria à lista? lista,


quals
Keller

3. Sobre os "vencedores" ou objeções da maioria àfé cristaqquc


ue
Isso?

vocè tem encontrado ou observado? Como você respo

Você também pode gostar