Você está na página 1de 23

LIÇÕES DA TENTAÇÃO DE CRISTO

Clavio J. Jacinto

PUBLICAÇÕES BIBLICAS BEREIANAS

1
Cristo foi tentado, a Palavra de Deus afirma que Ele foi
conduzido pelo Espírito Santo ao deserto da Judéia para
ser tentado pelo diabo. O deserto é uma região
desabitada, o ermo da região da Judéia era um dos
lugares mais inóspitos de Israel, havia penhascos
íngremes e ravinas profundas com muitas pedras
desmoronando, nesse ermo, Cristo futuramente vai
atribuir características sobrenaturais, ele ensinou que os
espíritos imundos andam pelos lugares áridos, isso se dá
pela experiência da tentação. Há um local geográfico,
não atribuir um acontecimento literal é recorrer em
erro, porem devemos também ver a questão sob o
prisma psicológico ou mental. O que farei neste artigo.
Que o Espírito Santo conduziu Cristo ao deserto para ser
tentado é um fato histórico, que logo em seguida no
terror das tentações, o diabo conduziu o Senhor para o
pináculo do templo é uma verdade indiscutível. Que o
Senhor foi conduzido a um monte e o diabo mostrou
todos os reinos do mundo e a gloria deles é uma
verdade muita clara
Antes devo apresentar o perfil das três tentações
decorrentes dos acontecimentos narrados nos
evangelhos, envolve em primeiro lugar a fome e o
desejo de satisfação do estomago, em segundo lugar

2
envolve o amor pela própria vida e o instinto de auto-
preservação como modelo de vida e o terceiro e ultimo
a satisfação da vida egocêntrica que deseja receber o
poder e a gloria das coisas do mundo caído, do terceiro
envolve-se questões morais que gravitam em torno do
poder e gloria das coisas terrenas, entre elas, como
vimos num contexto mais distante previsto na atuação e
morte de João Batista, que as riquezas e o poder
oriundos dos reinos do mundo envolvem injustiças,
homicídios e imoralidade sexual. Temos que ver essas
coisas na tentação no deserto em que Cristo foi
submetido.
As pedras que o diabo apontou e a dedução maligna de
que o problema da fome poderia ser resolvido de modo
simples, pois que o mesmo Senhor que transformou
água em vinho, teria o poder de transformar as pedras
do deserto da Judéia, em pães. É lógico que Cristo teve e
tem esse poder, aliás da Rocha verteu água refrescante
quando na peregrinação após o drama do êxodo, o povo
hebreu teve sede. Transformar pedras em pães,
resolveria o problema da fome, mas não conta só a
vontade de Cristo, que estava com fome, também está
inserido a vontade do diabo, em transformar as pedras
em pães e ver Cristo humilhado sendo induzido a provar
que era o Logos Divino, “se tu és o Filho de Deus”
vaticinou o tentador, então o problema da fome será
resolvido, transforma as pedras em pães em mata a tua

3
fome. Para Cristo tal milagre seria fácil, Ele mais adiante
multiplicou pães, como não poderia transformar pedras
em pães, se o Batista mesmo afirmou que das pedras,
Deus suscita filhos de Abraão? Mas um jejum
consagrado a Deus sendo quebrado por uma idéia do
diabo é uma contradição espiritual enorme. Ao ter
fome, Elias recebeu o alimento de um corvo enviado por
Deus, Cristo esperava o pão do céu e não um milagre
sob o comando do diabo, a lição é clara, Cristo não é
submisso ao tentador. Alem disso, Cristo transcende a
idéia materialista reducionista onde enxerga a
necessidade vital somente nas coisas físicas e temporais,
Cristo vai alem, e afirma que nem só de pão vive o
homem, mas de toda a palavra que procede da boca de
Deus. Ali estava as pedras, o diabo e Cristo Jesus,
lembremos de Eva no jardim, o diabo estava lá por trás
da serpente, foi uma cena histórica e literal, assim como
é a narrativa da tentação nos evangelhos. É verdade que
houve uma batalha na mente, a sugestão invadiu os
campos da memória, mas a ocorrência era literal, a
antiga serpente estava ali diante de Cristo, aponta para
as pedras, e apresenta a base da sua filosofia, o Verbo
de Deus tem poder sobre a matéria, tem poder sobre os
átomos, tem poder de mudar a natureza das coisas,
quebrar o jejum e se alimentar de pedras que se
transformariam em pães é uma boa idéia diabólica, não
divina. O diabo abriu um caminho, apelou para uma

4
necessidade física, mas Cristo tinha uma visão espiritual,
aqui está a diferença, a Palavra que procede da boca de
Deus é um princípio antigo, então do consolo divino se
nutre a alma piedosa, e pela vontade de Deus uma alma
subsiste eternamente. Aqui está a essência da verdade,
o diabo não conhece Cristo como a palavra que procede
da boca de Deus, o pão vivo que desce do céu, nenhum
cego espiritual pode enxergar esse fato, os judeus não
conheciam Cristo como o pão de Deus, mas Ele é o pão
verdadeiro, a fome que devora a alma de um pecador só
pode ser satisfeita pelo pão divino, porém há nesse caso
da tentação um emblema típico do tentador, ele não
sabe o que é ter fome espiritual, mas ele sabe que os
homens sentem essa fome, e Cristo é o pão que satisfaz
a alma faminta.
“Este é o pão que desce do céu, para o que dele comer
não morra” (João 6:50)
“Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer
deste pão viverá para sempre, e o pão que eu der é a
minha carne, que eu darei pela vida do mundo” (João
6:51)
“Quem de mim se alimenta, também viverá por mim”
(João 6:57)

5
O diabo toma Cristo, é uma permissão do Senhor, o
destino é literalmente o pináculo do templo, assim como
o Espírito leva uma pessoa para a prova, o diabo induz
para o pecado, o Espírito Santo nunca induz um cristão
ao pecado, mas pode induzir ao conflito. O tentador
tenta travar um conflito na mente de Cristo e cita as
Escrituras como um complemento que justifique a
tentação. Ora, hoje em dia, citar as Escrituras é um meio
pelo qual falsos profetas tentam ganhar a confiança dos
ignorantes, mas citar por citar, de nada vale, e assim a
batalha entra na disputa de citações das Escrituras, e o
diabo apenas tentou iludir a Cristo, apresentando um
conhecimento dos salmos. Posso imaginar a cena, é
épica pois querer induzir Cristo ao suicídio seria algo
quase impossível de se deduzir, então o diabo quer ver o
espetáculo, Jesus se joga e os anjos recebem a ordem de
recebê-lo de braços abertos antes que o Senhor se
espatife no chão. Os anjos vão aparecer depois da
tentação, e não durante a tentação, e o confronto é um
jogo sujo do diabo, um meio de manipular a ordem das
coisas divinas, fazendo uma péssima exegese das
Escrituras.
Lembre-Se que Paulo fala que os judeus pedem um sinal
e os gregos buscam sabedoria? Aqui está a origem do
espírito maligno que induz homens a blasfêmia, pois os
judeus que pediam um sinal acusavam Cristo da fazer
um sinal sobrenatural pela influencia do diabo. O

6
tentador porem disse: “Se tu és filho de Deus” a
condição para o diabo crer era a demonstração de um
sinal de poder, mas para o homem pecador, o sinal de
que o Filho de unigênito de Deus veio ao mundo é a
encarnação do Verbo, a Sua morte redentora e sua
Ressurreição literal e a Sua vinda triunfante. E no final
das contas, os santos julgarão o mundo e a cabeça do
tentador estará debaixo dos pés dos redimidos, haverá
um sinal dado ao diabo, não porque ele quer, mas é uma
verdade necessária de que ele também se dobre e
confesse que Cristo é o Senhor, algo oposto ao que ele
tentou Cristo no deserto, pois que ali ele ofereceu os
reinos do mundo para que Cristo se prostrasse diante
dele, reconhecendo a soberania e o senhorio do diabo
sobre os reinos do mundo, “Porque a mim me foi
entregue, e dou a quem quero” (Lucas 4:6). Ora, a queda
foi também uma possessão cósmica, o mundo jaz no
maligno, a possessão do controle pertence parcialmente
ao diabo, no reino da impiedade e o sistema babilônico
como descrito em Apocalipse 17 e 18 não pertencem ao
reino de Deus e nem mesmo pertencem a Cristo. Da
elevação pela força do diabo o homem é tentado a
exaltação e a gloria do mundo, mas a queda dos que não
se humilham perante o senhor e não resistem ao
tentador para que ele fuja e a destruição e ruína eterna.
Em Cristo porem, temos um grande socorro “porque

7
naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode
socorrer aos que são sentados” (Hebreus 2:18)
Não era a missão de Cristo provar ao diabo que Ele era
Filho de Deus, nem é a função dos anjos fazer qualquer
tipo de encenação ou espetáculo sobrenatural a fim de
satisfazer a curiosidade e os caprichos do diabo. Porém é
a necessidade suprema de que cada homem reconheça
que Cristo é o Senhor e Salvador. É a Ele que devemos
chegar com verdadeiro coração e inteira certeza de fé
(Hebreus 10:22) A redenção dos homens e não dos anjos
caídos é um mistério insondável que se esconde no
coração de Deus Pai. Toda a honra louvor e gloria
devem ser dados a Deus pelo fato de que Cristo efetuou
uma eterna salvação para nós pobres mortais pecadores
vivendo debaixo da maldição da queda, o resgate e a
elevação é um dom divino, a grada de Deus é capaz de
por meio de Cristo, tirar o homem do lamaçal do abismo
do pecado e fazê-lo assentar nos lugares celestiais.
É tendência natural do homem, viver dentro da
experiência da religião do espetáculo, que o povo
hebreu fale sobre isso quando saíram do Egito, quando
Moisés demorava no monte, eles fizeram para si um
ídolo para adorar e cultuar, tudo feito na maior pompa e
espetáculo reluzente de um artefato de ouro conduzido
em procissão ao som de louvores. Olhe para o
comportamento dos fariseus na época de Jesus, a
religião egocêntrica, destituída de ídolos pagãos porem

8
cheia de glorias de homens que apresentavam a religião
sob o manto do orgulho humano, esses espetáculos
eram um contraste com a vida de grande profetas como
João Batista que se vestia de modo rude e pregava no
deserto, não havia pompa em suas vestimentas e nem
mesmo apresentava sinais e maravilhas de modo ao
povo correr para vê-los, a vida do Batista era um grito
direto contra o espetáculo provocado pela religião
organizada, popular, cheia de paramentos e tradições
mas que estava destituída de vida e poder, eis porque
muitos percebiam que Cristo ensinava com autoridade e
não como os escribas.
Naquele confronto maligno, do cimo do templo, a
ordem do tentador era que Jesus se jogasse para que os
anjos lhe dessem todo o auxilio antes que seu corpo
imaculado se arrebentasse no chão, convocar os anjos
era já uma sugestão que refletia a mais pura
incredulidade por parte do tentador. Pois Cristo mais
tarde vai andar por cima das águas, vai ter poder e
controle sobre toda a criação, interagindo com os
átomos e as leis que regem o universo, de modo que
tinha pleno controle de todas as coisas dentro da criação
pois nos é dito que Ele sustenta todas as coisas pela
palavra do Seu poder (Hebreus 1:3) No grego, a palavra
“phero” é aplicado a alguém que controla uma grande
embarcação, assim Cristo é aquele que controla as
vibrações das partículas, as constelações e as galáxias,

9
os ciclos das estações e o espaço a matéria e o tempo, o
grande navio da criação não navega ao acaso no mar da
existência, Cristo está no controle do tempo, do espaço
e da historia, o destino da criação que agora geme
debaixo das coisas condenadas é ser guiada para uma
renovação absoluta que culminará na manifestação dos
filhos de Deus e no transbordar de uma plenitude
espiritual chamado de “novos céus e nova terra onde
habita a justiça.”

A superação de uma tentação só ocorre quando o


Espírito do Senhor nos socorre, a vinda do Espírito em
auxilio aos mortais pecadores é uma benção celeste
concedida aos homens, é suportando a tentação que
teremos a experiência de uma vida de bem aventurança
(Tiago 1:12). Cristo nos ensina a orarmos para não
cairmos em tentação (Mateus 6:3) A queda é um
caminho de ruína espiritual, assim como houve
historicamente uma queda universal colocando todos os
homens debaixo da desobediência, há também aquelas
quedas pessoais, que ocorre no espaço da nossa
existência terrestre, Davi caiu, eis um exemplo, a sua
queda pessoal no pecado foi um caminho de destruição,
ele teve que suportar a colheita amarga da sua queda,
pois não resistiu a tentação, o meio pelo qual tentou
cobrir o pecado foi cometer outro pecado, e então as
coisas ainda tornaram-se pior, sua segurança intima é

10
que poucas pessoas sabiam sobre sua queda pessoal
para a tentação, mas essa segurança era falsa, o profeta
Natã recebeu revelação da condição de Davi, e teve que
tratar do assunto a maneira divina, então o pecado de
Davi foi descoberto. Moisés matou um egípcio, ele olhou
para um lado e outro e não viu ninguém, parecia que
estava num momento de anonimato, ele golpeou o
egípcio e o enterrou nas areias do deserto, mas então
seu homicídio foi descoberto, ele cedeu a tentação da
vingança e raiva, então teve que fugir para o deserto, o
Senhor usou de misericórdia para com Ele,
As Escrituras admoestam a firmeza e fidelidade, pois
chegará o tempo em que uma grande tentação cairá
sobre o mundo, só um remanescente será guardado
dessa tentação (Apocalipse 3:10).
Na tentação de Cristo, o processo de conduzir o Salvador
a ceder perante as paixões mundanas encontra o auge
quando de um alto monte, satanás mostra todos os
reinos do mundo e a gloria desses reinos e então os
oferece á Cristo em troca de um culto ao diabo, lembre-
se que na bíblia a adoração está associada ao culto,
então satanás queria ser cultuado por Cristo, a criatura
ensoberbecido ao extremo, embriagada pelo cego
orgulho vil, pensa que é alguém pelo fato de ter o
controle temporário dos reinos do mundo, eis porque o
mundo jaz no maligno, mas, todavia encontramos em

11
Apocalipse 11:15 que os reinos deste mundo vieram a
ser de nosso Senhor e do seu Cristo.
Todo o sistema político, filosófico e religioso que parte
do mundo está corrompido e comprometido, nele
encontramos as glorias das riquezas temporais, o
consumo e o materialismo que tanto contamina as
religiões, a pompa, o espetáculo, as riquezas, a
monetização da religião como fonte de lucro, um clero
profissional, a simonia em todos os graus e decadências,
a religião show, as plataformas do culto ao ego humano
em torno do culto a personalidade tão comum nas
religiões modernas e antigas são sinais de que são parte
do sistema dos reinos deste mundo que jaz no maligno.
Paulo não advertiu os Corintos acerca de não se apartar
da simplicidade espiritual? No entanto, em pouco
tempo, vimos nascer uma religião de pompas e
espetáculo, cheio de tradições e novidades, levando o
nome de “cristianismo”, em poucos anos a doutrina do
sacerdócio universal de todos os santos foi enterrada
debaixo da estratificação pagã de uma divisão entre
clero e leigo que ganhou status seguido de tantas outras
novidades, aparatos e paramentos e um flerte teológico
com filosofias gregas que germinaram a partir das
sementes dos mistérios egípcios. Assim, as doutrinas
puras do Novo Testamento foram esquecidas. Até hoje
vimos o quanto a influencia do trafico de influencia
política e pagã e da monetização da religião poluíram o

12
cristianismo, o que Paulo chama de idolatria, o amor ao
dinheiro, é hoje em dia entre a maioria dos cristãos
classificado como uma “benção”. Da religião da aflição
por amor a Cristo e das dificuldades conseqüentes por
não amar o presente século, vimos hoje a religião do
conformismo e do amor a presente era, como se tudo o
que temos a receber nada mais são do as coisas
concernetes aos reinos desse mundo, a fama, o aplauso,
o sucesso, a segurança pessoal,a prosperidade, o
conforto, a vida abastada e agradável, tudo isso reflete a
festa de Herodias e Felipe, enquanto que dentro do
espetáculo João Batista não cedeu a tentação de
aprovar o pecado, para receber um trocadilho
conveniente de ser estimado, aplaudido, venerado,
respeitado. João não fez trocas pessoais, por
conveniências, favores políticos para normalizar a
impiedade mesmo sabendo que ai colocar em risco a
própria vida, pelo contrario, quando observou de bom
senso que o pecado reinava numa festa atribuída a um
falso casamento, fez um ato publico de repudio, mesmo
sabendo que sua vida estaria em risco, e o fez sem
medo, numa coragem piedosa e num posicionamento
serio quanto o desvio moral estava presente.

Estamos vivendo em uma sociedade enferma, a


civilização ocidental caiu na armadilha do brilho da
ilusão consumista materialista, o modo como

13
valorizamos o ser é por suas posses materiais, todos os
projetos da vida são puramente egoístas e temporais, o
mundo egocêntrico é centrifugo, ele age de forma se
afastar dos ensinos de Cristo e da Sua pessoa, teria que
ações centrípetas, pois em Efésios 1:10 está escrito que
todas as coisas são atraídas para um centro: Cristo, mas
a sociedade moderna se afasta, ela segue as tendências
influenciadas por uma força anticristã, esse é o espírito
do anticristo, que age para fora de Deus, a meta, a luta a
ação do espírito do erro é afastar as almas e o mundo
para longe de Deus e do Evangelho, por isso vimos o
quanto Paulo aborda a questão da vida cristocentrica,
pois adverte que o deus deste século cegou o
entendimento dos incrédulos, e essa cegueira consiste
em não ver Cristo tal como Ele é revelado nas paginas do
Novo Testamento.
Olhamos bem a sugestão do diabo: “Se tu és Filho de
Deus” ele precisava de uma prova, não viu na
encarnação do Verbo a lógica do Logos Eterno, isso não
ocorre com homens, a confissão de Natanael foi: “Tu és
o Filho de Deus” (João 2:49) é um reconhecimento
humano, embora os demônios creiam em Deus, a fé
deles não alcança a redenção pelo sangue do Verbo
encarnado, talvez, posso supor, que, não haja redenção
para os espíritos rebeldes, justamente por não
participarem da carne e do sangue que Cristo participou,
a redenção alcança as criaturas que possuem elementos

14
biológicos na composição do ser, daí o fato das
Escrituras tratarem da redenção completa na sua
plenitude de uma ressurreição e renovação cósmica,
embora no caso afete também os perdidos que também
serão ressuscitados para a condenação, mas não há
ressurreição para as criaturas espirituais, que não
participam da carne e do sangue, que não desceram ao
nível biológico. Eu creio na restauração completa do
universo, incluindo o reino animal e vegetal, e isso é
possível através da obra consumada e perfeita de Cristo
na cruz.
Voltemos ao assunto da tentação, satanás foi o
semeador um comportamento psicológico perturbador
na humanidade, a megalomania. Sua sugestão a Eva é
que ela seria central na existência, a natureza divina
seria implícita nela se comesse da arvore do
conhecimento do bem e do mal. Veja bem, o criador
formou em Eva um perfil excêntrico, um arremesso para
fora da vontade de Deus, um desvio, o diabo fez Eva
errar o propósito pelo qual o homem foi criado: ser
teocêntrico, essa é uma verdade intrínseca na teologia
pura, o homem foi criado para ter comunhão com Deus
e viver para a glória dEle. Toda a vida de Cristo na terra
do começo ao fim, foi um modelo de um homem
perfeito, teocêntrico, viveu para a glória de Deus, foi
submisso ao Deus Pai do começo ao fim da Sua vida,
desde cedo, parte da vida de Cristo ficou envolvida em

15
um mistério: onde passou a sua infância? eu responho,
orando e crescendo na graça sob o comando de seus
pais, pois Ele também teria que apresentar o modelo de
uma criança perfeita, um adolescente perfeito e então
um jovem perfeito, o perfil de Cristo se encaixa, mesmo
em sua maturidade com qualquer grau de humanidade
em um ser vivente criado a imagem de Deus, e ele traz
essa imagem para o mundo físico, em um espaço
geográfico e no tempo, Deus se fez homem e habitou
entre os homens, sorriu e chorou com os homens e
morreu ao lado de dois criminosos, nas alturas da cruz
dois homens que desceram ao abismo do pecado
estavam ali, e Cristo no centro, no centro do mundo
pecador, no centro da humanidade perdida, e tal como
aqueles dois malfeitores, não há justo nenhum sequer, e
Deus colocou a todos os homens debaixo da
desobediência para usar de misericórdia para com todos
eles.

Agora vimos que a promoção do diabo é dar as glórias


do mundo a todos os que o adorem. Essa é seu produto
mais distribuído entre os homens, a fama, o sucesso e a
glória do mundo e dos homens. É algo muito cativante,
todos correm atrás disso, a loucura do mundo é a sua
busca por ganhar todas as coisas que não consegue levar
para a eternidade em prejuízo de rejeitar e renunciar
todas as coisas supérfluas e passageiras para ser

16
herdeiro de todas as coisas eternas com Cristo. A
plataforma que o diabo ergue é enorme, lá os produtos
são caros, embora os homens se iludam e pensam que
são gratuitos, ganhar o mundo inteiro e perder a alma, é
vende-la pelo preço de algo que se evanesce com o
tempo, olhe para a descrição da queda da Babilônia de
Apocalipse 18, é lá que vimos tanto luxo, fama, sucesso,
prosperidade tudo centrado no egocentrismo e no
humanismo, serem transformados em fumaça e cinzas.
Então Cristo rejeita a oferta do diabo, mas temo que
essa mesma oferta, esses produtos humanistas do diabo
sejam considerados por muitos falsos cristãos como
“bênçãos” vindo de Deus. Possuir coisas novas e uma
boa casa e um bom emprego e ainda um bom carro não
sã coisas erradas, mas é necessário que se diga que se
essas coisas não nos levam para mais perto de Cristo e
não glorificam o nome dEle e não nos tornam mais
santos e mais gratos e mais humildes, então caímos na
cilada demoníaca e a oferta satânica nos cativou. Olhe
para a as coisas a nossa volta, você não percebe que há
algo de errado coma cristandade? Que a igreja moderna
parece um perfil de Laodicéia de Apocalipse? O que
vimos senão pessoas que labutam por status, que
correm atrás de riquezas e conforto, buscam sermões de
auto-estima e poucos estão dispostos a buscar sermões
bíblicos e pregadores sérios. Nada pode ser tão
perigoso quanto uma vida religiosa que nos faz deitar no

17
descanso do conformismo quando deveria nos
possibilitar um coração vigilante e alerta com respeito a
tudo o que presenciamos no atual estagio de decadência
em que o mundo se encontra.
As lições da tentação de Cristo abordam toda a temática
da busca do homem terreno, os instintos animalescos, a
corrupção adâmica, é o que o diabo tem a oferecer.
Tentar a Deus com comportamentos extrovertidos que
germinam de um coração corrupto e um sentimento de
altivez e orgulho, atropelar todas as virtudes e colocar as
coias deste mundo em primeiro lugar, vivendo um
cristianismo vulgar, estabelecendo como meta a busca
pelas riquezas e bem estar terreno e usando da religião
apenas como um meio de conveniência para tentar
aplacar a consciência e cegar o coração com relação ao
destino que o mundo prossegue. Que coisa terrível
esperar somente as coisas deste mundo, é uma
verdadeira miséria espiritual, condicionar a nossa
existência aos poucos anos que a vida terrena nos
oferece, e no entanto, eu conheci muita gente que
partiu cedo, sufocado pelas glorias do presente século,
eram ricas abastadas e no entanto partiram nuas para a
sepultura e morreram sem levar consigo aquele que tem
todos os tesouros eternos: Cristo Jesus.

18
"Entrego a minha alma a Deus de todo o coração,
devolvendo-a como uma gota de água à sua fonte,
e confio-me a Ele com absoluta confiança, rogando
a Deus, minha origem e meu destino, que me
receba em Si e receba-me- eternamente no infinito
do Seu Ser”

C. J. Jacinto. Adaptado de uma declaração de Jean


de Labadie

19
Pão do Céu

Teve fome
Mas é o pão da vida
Teve sede
Mas é água viva
Odiado por muitos
Porém morreu amando
Pobres pecadores como eu

Solitário orava
Pelas multidões
Não tinha um lugar
Para a cabeça reclinar
Mas é abrigo eterno
De todos os redimidos
Ainda muito mais por mim
Mais pobre entre pecadores

Na noite mais escura


Estrela da manhã
Das trevas do horror imundo
Brilhante luz do.mundo
Nas Chagas mortais da dor
A cura para a segunda morte
Pois Seu sangue limpa a lepra
De mim tão pobre pecador

Se jaz a porta da vida o medo


És tu o bom pastor
Socorro presente a cada instante
Nos conduz a pastos verdejantes
Oh Senhor meu e Deus meu
Vem a mim e retira da alma, as dores
Pois sou eu o pior dos pecadores
---
Clavio J. Jacinto

20
Nota do Autor: Este livreto foi escrito e publicado sem
quaisquer fins lucrativos, nem mesmo um centavo de lucro com
as publicações do autor, tudo é oferecido de forma
absolutamente gratuita, a sua gratidão é o único pagamento
justo por ter encontrado e lido este livreto. Se você foi
abençoado pela leitura, manifeste sua gratidão e escreva ao
autor por ter sido enriquecido espiritualmente com essa
pequena obra, essa atitude sempre será uma motivação para
que outros livretos sejam escritos e distribuídos gratuitamente.

claviojj@gmail.com

21

Você também pode gostar