Você está na página 1de 304

ÊNIO SILVEIRA

Engenheiro mecânico pela Universidade Federal do Ceará.


Engenheiro eletricista pela Universidade de Fortaleza.
Diretor de escola particular. Autor de obras didáticas de Matemática.

MATEMÁTICA
COMPREENSÃO E PRÁTICA

7
o
ano

Componente curricular: MATEMÁTICA

5a edição

São Paulo, 2018

1
Coordenação editorial: Fabio Martins de Leonardo
Edição de texto: Ana Paula Souza Nani, Daniel Vitor Casartelli Santos, Maria Cecília
da Silva Veridiano, Maria José Guimarães de Souza, Marilu Maranho Tassetto, Renata
Martins Fortes Gonçalves, Romenig da Silva Ribeiro
Assistência editorial: Alexandre da Silva Sanchez, Jeferson Felix da Silva, Larissa
Calazans Nicoletti Mesquita
Preparação de texto: Mariane Genaro
Gerência de design e produção gráfica: Everson de Paula
Coordenação de produção: Patricia Costa
Suporte administrativo editorial: Maria de Lourdes Rodrigues
Coordenação de design e projetos visuais: Marta Cerqueira Leite
Projeto gráfico: Mariza de Souza Porto
Capa: Bruno Tonel, Douglas Rodrigues José, Mariza de Souza Porto
Foto: DKart/Getty Images
Coordenação de arte: Wilson Gazzoni Agostinho
Edição de arte: Elaine Cristina da Silva, Eliazar Alves Cavalcanti Junior, Paula de Sá
Belluomini
Editoração eletrônica: Teclas Editorial
Edição de infografia: Luiz Iria, Priscilla Boffo, Otávio Cohen
Ilustrações de vinhetas: Shutterstock
Coordenação de revisão: Maristela S. Carrasco
Revisão: Beatriz Rocha, Cárita Negromonte, Leila dos Santos, Lilian Vismari, Luísa
Munhoz, Renato da Rocha, Rita de Cássia Sam, Simone Garcia, Viviane Oshima
Coordenação de pesquisa iconográfica: Luciano Baneza Gabarron
Pesquisa iconográfica: Carol Bock, Maria Marques, Mariana Alencar
Coordenação de bureau: Rubens M. Rodrigues
Tratamento de imagens: Fernando Bertolo, Joel Aparecido, Luiz Carlos Costa,
Marina M. Buzzinaro
Pré-impressão: Alexandre Petreca, Everton L. de Oliveira, Marcio H. Kamoto,
Vitória Sousa
Coordenação de produção industrial: Wendell Monteiro
Impressão e acabamento:

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Silveira, Ênio
Matemática : compreensão e prática / Ênio
Silveira. – 5. ed. – São Paulo : Moderna, 2018.

Obra em 4 v. para alunos do 6o ao 9o ano.


Componente curricular: Matemática.
Bibliografia.

1. Matemática (Ensino fundamental) I. Título.

18-16948 CDD-372.7

Índices para catálogo sistemático:


1. Matemática : Ensino fundamental 372.7

Maria Alice Ferreira – Bibliotecária – CRB-8/7964

Reprodução proibida. Art. 184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.
Todos os direitos reservados
EDITORA MODERNA LTDA.
Rua Padre Adelino, 758 – Belenzinho
São Paulo – SP – Brasil – CEP 03303-904
Vendas e Atendimento: Tel. (0_ _11) 2602-5510
Fax (0_ _11) 2790-1501
www.moderna.com.br
2018
Impresso no Brasil

1 3 5 7 9 10 8 6 4 2

2
Apresentação

Caro aluno,
Ideias, por mais brilhantes e elaboradas que sejam, só adquirem sentido
maior quando encontram aplicação no dia a dia.
A Matemática jamais deve ser vista como problema, mas sim como solução.
Ela nos conduz por caminhos aparentemente tortuosos ou inacessíveis,
abrindo atalhos, encurtando distâncias e superando obstáculos cotidianos
ou científicos.
Com as situações apresentadas neste livro, você adquirirá conhecimentos
que ajudarão no desenvolvimento da sua formação escolar, pessoal e
profissional. Em cada página estudada, tarefa resolvida ou atividade
solucionada, você perceberá que a Matemática é uma ferramenta poderosa
que pode ajudá-lo a resolver muitos problemas.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

O autor

Aos meus pais,


Isaías e Maria Amélia (in memoriam)

3
Estrutura das unidades

Cada volume desta coleção está dividido em quatro unidades, que são formadas por capítulos,
organizadas de acordo com esta estrutura:

UNIDADE
Abertura de unidade
Apresenta o título dos
capítulos que integram a
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Nesta unidade você vai estudar


unidade e propõe questões
sobre os assuntos que
Capítulo 1 Números inteiros

Trocando ideias
Capítulo 2 Múltiplos e divisores
Capítulo 3 Retas e ângulos

serão estudados.
Incentiva o diálogo
É hora de começar
1 Como você representaria uma temperatura muito baixa, que fosse
sobre assuntos do
capítulo.
menor que 0 °C?
2 O que são múltiplos? Quais são os múltiplos de 13?
3 Explique com suas palavras o que são retas paralelas.
4 Qual é a medida do ângulo formado entre duas retas perpendiculares?

CAPÍTULO

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


1 Números inteiros Trocando ideias

Reúna-se em grupos com quatro integrantes para realizar o experimento proposto e,


com a ajuda da Estatística, responder às perguntas.
Vocês precisam providenciar os seguintes materiais: um lápis de cor laranja e um azul,
duas folhas de papel sulfite e uma tesoura com pontas arredondadas.
Agora, sigam os passos abaixo.
Passo 1: Em uma folha de papel sulfite, desenhem um retângulo com as seguintes
dimensões: 20 cm e 14 cm.
Passo 2: No retângulo obtido no passo 1, dois integrantes do grupo devem desenhar,
Em 28 de dezembro de 2016, os termômetros marcaram
de 35 a 36 graus Celsius na região portuária do aleatoriamente, bolinhas laranja, sem a preocupação de contá-las. Os outros dois inte-
Rio de Janeiro (RJ). De acordo com os órgãos grantes fazem o mesmo procedimento, mas devem desenhar bolinhas azuis no retângulo.
oficiais de controle do clima, a sensação

Abertura de capítulo
térmica estava acima de Observação Vocês devem tomar cuidado para
Observação:
40 graus Celsius.
que as bolinhas laranja e azuis fiquem es-
palhadas de maneira uniforme, ou seja, não

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


deve haver uma concentração de bolinhas de

Propõe a observação
uma única cor. 14 cm

Passo 3: Em outra folha de sulfite, tracem um


quadrado com 4 cm de lado. Recortem-no,

e a reflexão de uma
deixando a folha com um furo. 20 cm
Passo 4: Coloquem o furo ao acaso sobre o folha de papel sulfite

retângulo com as bolinhas azuis e laranja Exemplo de construção após os passos 1 e 2.


e anotem:

situação relacionada ao total de bolinhas laranja;


total de bolinhas azuis;

conteúdo do capítulo.
total de bolinhas.
Repitam esse passo três vezes, sempre em 4 cm

posições diferentes. 4 cm

Nesse caso, temos


É hora de observar e refletir 10 bolinhas no total, sendo
7 laranja e 3 azuis. folha de papel sulfite
A vasta extensão territorial é um dos fatores que faz com que

MARILIA SUTIL/FUTURA PRESS


Esta atividade foi baseada no livro Pra que serve a Matemática?: Estatística,
o Brasil tenha clima diversificado, apresentando uma grande de Imenes, Jakubo e Lellis. 4. ed. São Paulo: Atual, 2011. p. 27-29.
variação de temperatura.
Observe nos termômetros o registro da temperatura nas cidades
Sem contar as bolinhas uma a uma, responda: qual é, aproximadamente, a
de Urupema (SC) e do Rio de Janeiro (RJ). porcentagem de bolinhas laranja e a porcentagem de bolinhas azuis?
Qual é o significado da temperatura 5°C, registrada em Urupema?
De acordo com a questão anterior, que características pretendemos conhecer?
O que indica o sinal de menos na frente do número 5?
LUIZ SOUZA/NURPHOTO/GETTY IMAGES

Podemos afirmar que a diferença entre as temperaturas registradas Para conhecer e determinar as características de uma população, podemos analisar

Apresentação
nas duas cidades é superior a 35 graus Celsius? uma pequena parte dela, chamada de amostra. Nesse caso, o que estamos consi-

ILUSTRAÇÕES: ADILSON SECCO


derando população e amostra para fazer a análise das cores das bolinhas?

Termômetro registra temperatura Neste capítulo, você vai ampliar os conhecimentos sobre Probabilidade e estatística

do conteúdo mínima de 25 ºC em Urupema (SC), na


manhã do dia 23 de maio de 2018.
e estudar, por exemplo, população e amostra, conceitos importantes em uma
pesquisa estatística.

O conteúdo é
10 269

apresentado
em linguagem
clara e direta. 1 7
Retas
Potenciação em que a base é um
ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.

número inteiro
Uma fita bem esticada lembra parte de uma reta.
1 Calcule as potências.
a) (12)3
6 Com um colega, calcule. Atividades
a) * 2 b) * 3
b) (27)4 (5 1 3)2 (2 2 4)3

Com diferentes níveis


ALEX KOCH/ALAMY/ FOTOARENA

c) (29)3 5 1 32 2 2 43
d) (13)2
e) (217)0 • Agora, responda: sendo a e b números in-
teiros e n um número natural maior que 1,

de dificuldade, algumas
f) (211)2
é possível dizer que (a 1 b)n 5 an 1 bn ou
g) (235)1 que (a 2 b)n 5 an 2 bn?
h) (21)3
i) (11 992)0 7 Lúcio escreveu sua idade na primeira
2 Considerando a potenciação em que a ba-
se é um número inteiro e o expoente é um
número natural, responda às questões.
linha de uma folha de caderno. Na linha
seguinte, ele escreveu uma  subtração
de dois números inteiros cuja diferença
atividades estimulam a
discussão, a reflexão e
era sua idade. Na linha seguinte, substi-
a) Quando a base é um número inteiro tuiu esses dois números, respectivamen-
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

positivo, qual é o sinal da potência? te, por uma multiplicação de outros três
b) Quando a base é um número inteiro números inteiros e por uma divisão do
• prática do slackline.

a resolução em grupo,
Fita usada na quadrado de um número inteiro pe-
negativo, qual é o sinal da potência?
lo triplo de outro. Na linha se-
se
Observe •abaixo a representação de uma reta rr. Ela é formada por infinitos pontos distintos, 3 Calcule: (21) 8 (21) 8 (21) 8 ... 8 (21) guinte, substituiu o primeiro
entre os quais destacamos os pontos A e B. número da linha anterior
30 fatores

o trabalho com cálculo


por uma subtração e o
A B
4 Observe o esquema abaixo. segundo por uma
r
reta r ou AB
adição.
• Avô
Assim, ele
• A e B pertencem à reta r . obteve uma
mental e promovem o uso
GEORGE TUTUMI

Pai
Os pontos
expressão
Bisavós

Avó numérica,
Semirreta e segmento de reta sabendo
Observações antecipadamente
da calculadora e de outras
LUIZ RUBIO

Considere
1 a reta r e os pontos A, B e O indicados: Avô Pessoa
seu valor. Veja o
que ele fez:
Mãe

tecnologias, como planilha


O 15 5

A B r Avó
• 5 24 2 9 5
5 (22) 8 4 8 (23) 2 [92 9 (3 8 3)] 5
2 O divide a reta r em duas semirretas, r e r , de origem em O
O ponto O, que passam pelos


• O
1 2
B, respectivamente. A reta r é chamada de reta suporte das semirretas r1 e r2.
pontos A e B
Quantos bisavós cada pessoa tem? E quantos
trisavós? Dê as respostas na forma de
potência.
5 (11 2 13) 8 (28 1 12) 8 (23) 2 [92 9 (3 8 3)]
a) Calcule mentalmente o valor da ex-
pressão de Lúcio.
eletrônica e softwares de
construção de gráficos e
r1 r2 5 b) Invente duas expressões com cinco
A B Calcule o valor das expressões, sabendo
3 operações diferentes com números
ILUSTRAÇÕES: GUILHERME CASAGRANDI

que devemos obrigatoriamente calcular


as potenciações antes das multiplicações inteiros e troque-as com as de um
O r1: semirreta de origem O que passa pelo ponto A. Também colega, sem que ele saiba o número
e das divisões.

de geometria dinâmica.
r1 • A podemos indicar como: OA (lemos: “semirreta OA”). que você pensou, para que cada um
a) (24) 2 [(28) 9 (12)]2 2 6 calcule o valor das expressões do outro.
b) (120) 9 (21)4 2 22 1 (22)5 9 (12)4 2 50 Depois, destroquem as expressões
O
r2: semirreta de origem O que passa pelo ponto B. Também
c) (2576) 9 (212)2 2 (2125) 9 (25)2 para corrigi-las.
• B r2
podemos indicar como: OB (lemos: “semirreta OB ”).

58 35

Ícones utilizados na obra

Dupla Grupo Cálculo mental Calculadora Tecnologia

4
Lendo e aprendendo Um pouco de história
4 A ideia de operador
Lendo e Um problema famoso: a divisão dos camelos Surgimento dos conceitos de proporção
Um pouco de história

XAVI
Um dos mais famosos desafios do livro O homem que calculava, de Malba Tahan A ideia de proporção é atribuída a Pitágoras (c. 580 a.C.-500 a.C.), embora
(pseudônimo de Júlio César de Mello e Souza), é o problema dos camelos. haja dúvida sobre isso. Na Antiguidade, o estudo das proporções presumi-

aprendendo Nesse problema, uma herança correspondente a 35 camelos foi deixada para três filhos.
A divisão da herança deveria ser feita desta maneira:
1
• dos camelos para o filho mais velho;
velmente fazia parte da Aritmética ou da teoria pitagórica dos números.
Eudoxo de Cnido, discípulo de Platão, matemático e filósofo grego
que viveu entre 408 a.C. e 355 a.C., deu nova definição para os teoremas
Texto que aborda a
2 relacionados a proporções. Essa definição foi exposta no Livro V de

Seção que 1
• dos camelos para o filho do meio;
3

1
dos camelos para o filho mais moço.
Os elementos
elementos, de Euclides (330 a.C.-?), e é a que conhecemos e usamos
hoje em dia.
Boyer. História da Matemática.
Dados obtidos em: Carl Benjamin Boyer Caricatura de
história da Matemática
9

complementa para contextualizar


São Paulo: Edgard Blücher/Edusp, 1974. p. 34, 61, 66. Eudoxo de Cnido.
Nenhuma das divisões de 35 por 2, 3 e 9 era exata, e o problema tornou-se difícil de resolver.
Até que um sábio propôs doar seu camelo aos irmãos para facilitar a divisão. Em troca, ele pediu
que lhe dessem os camelos que sobrassem. Os filhos concordaram e, assim, passou a haver

e enriquece alguns assuntos.


Lendo e aprendendo
36 camelos para dividir. ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


36
• O filho mais velho recebeu: 5 18 18 camelos 2 8 4 Observe as figuras abaixo e responda às
2 1 Por que podemos afirmar que e
7 28 questões.
36

o conteúdo • O filho do meio recebeu: 5 12 12 camelos formam uma proporção? 3 cm


3

ILUSTRAÇÕES: LUIZ RUBIO


36 1 cm
• O filho mais novo recebeu: 54 4 camelos 2 Escreva, no caderno, como se leem as
9

principal.
6 cm
Feita a partilha, os filhos receberam 34 camelos (18 1 12 1 4) e o sábio teve de volta seu proporções, identificando os meios e os
camelo e ainda recebeu mais um que sobrou. Dessa forma, o problema foi solucionado.
extremos de cada uma delas.
3 9 7 14 2 cm
Com o total de 36 camelos, constatamos que os filhos e o sábio ficaram satisfeitos, já que a) 5 b) 5
5 15 8 16
os primeiros conseguiram dividir exatamente a herança e o segundo ficou com dois camelos.
a) Qual é a razão entre as medidas da lar-

EDUARDO FRANCISCO
Mas por que, mesmo com a divisão exata da 3 Observe as razões:
gura dos dois retângulos?
herança, sobraram dois camelos para o sábio? 1,5 2 3 20,1 3 2,5 b) Qual é a razão entre as medidas do
1 1 1 17 3,5 3 5 33,5 7 3,75 comprimento dos dois retângulos?
Isso ocorreu porque 1 1 é igual a ,
2 3 9 18 c) Podemos afirmar que as medidas cor-
18 Indique os pares de razões que formam respondentes das figuras são proporcio-
que é menor que uma unidade, ou seja, , que proporções. nais? Justifique sua resposta.
18
representa a herança a ser dividida.
Propriedade fundamental das proporções
A nau Santa Maria era uma das embarcações da esquadra comandada por Cristóvão Colombo
ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.
(1451—1506) na viagem em que os europeus chegaram ao continente americano, em 1492.
1 Pedro tem 144 figurinhas para colar em 3 Em uma receita de bolo, são necessários Em um museu, há uma miniatura dessa nau com 56 cm de comprimento. Sabendo que 1 cm na
um álbum de futebol. Se
1
delas são 4 ovos. No entanto, na geladeira de José miniatura correspondem a 65 cm na embarcação real, qual era a medida do comprimento real
3 há apenas 3. Por quanto ele deve multipli- da embarcação?
repetidas, quantas são inéditas? car os outros ingredientes da receita para
Para responder a essa questão, vamos indicar por x a medida do comprimento real; portanto,
que consiga fazer um bolo menor?
2 Um pacote de arroz tem 5 kg. Para um x é diferente de 0. Assim, podemos escrever a seguinte proporção:
3 medida da miniatura comprimento da miniatura
churrasco serão preparados desse 2
5 4 Se de 21 vale 6, por quanto deve-se
pacote. Quantos quilogramas de arroz se- 7 1 56
multiplicar 6 para obter 21? 5
rão utilizados? 65 x
medida real comprimento real

103 187

Trabalhando os conhecimentos adquiridos


Atividades diversificadas que abordam o conteúdo apresentado no Resolvendo
capítulo. A seção é composta dos itens: em equipe
• Revisitando: promove a revisão de conteúdos. Atividade em grupo
• Aplicando: traz desafios, questões de concursos e exames. que explora a análise
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

• Elaborando: estimula a criatividade e a elaboração de questões. e o desenvolvimento


de estratégias para
Trabalhando os conhecimentos adquiridos
Faça as atividades no caderno. a resolução de
problemas.
4 7

Revisitando

1 Reescreva as frases a seguir em seu caderno, substituindo cada por uma das expressões do
quadro abaixo.
24
Em se 8
expressão algébrica termo algébrico sequ u cadern
ência o,
termos semelhantes Valor numérico a) a numé relacion
n 5 2n
rica. e as
b) a leis de Resolvendo em equipe Faça as atividades no caderno.
a) Termos algébricos que têm a mesma parte literal são chamados . n 5 3n
forma
ção qu O número é
c) a e dão Lemb
b) Uma expressão matemática formada por números e letras ou somente por letras é chamada n 5 3n re-se maior, menor ou igual
Não
de . d) a 11 orige
m ao escre : Partindo do algoritmo de ordenação ao do topo?
n 5 2n 9 s seis va no
prim livro! visto na seção “Trocando ideias”, orde-
c) é cada uma das parcelas de uma expressão algébrica. 25 i) a eiros
Numa n 5 a termo nem 10 cartas numeradas. Mas há um
d) é o resultado das operações efetuadas em uma expressão algébrica após a substituição das planil ii) a n2 1
3, a s de
ha ele n 5 a uma detalhe: quem for ordenar não poderá
1

GEORGE TUTUMI
variáveis por números. trônic iii) a n2 1 1 5 4
2, a e n.
a, for n 5 2 ver as cartas!
1
1 5 2,
10 am ins iv) a 3a 1
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

2 Explique o que significa reduzir termos semelhantes. A3 erida 5 n2 , a n .


an 1 5 2, 1 Para a confecção das cartas, dividam uma folha de papel
n 1
s as se 2 1 1 3, n.
guint 1

3 Explique o que é uma equação. Em seguida, dê um exemplo de equação, identificando sua 1 A es infor
a1 5
3, n . em 10 retângulos. Em cada carta, escrevam uma fração
B ƒx maçõ
incógnita. 2 1 =(A1–A es: 1 equivalente, com denominador 12, às frações abaixo:
5 Em se 3 1
C
2)*(A1
u cade D –A2)
4 Das equações abaixo, três têm raiz igual a 3. Identifique-as no caderno. 26 rno, lis4 0
E
2 1 1 3 5 3 7 1 3 12
(Enem te os F
passa ) O núme quatr 3 3 2 12 6 4 12 12 6 12
A B C D o próx
34 50 do nas se ro mens imos
termo
x 13 0; gu al
7x 2 8 5 13 25x 2 10 5 5 4 1 8 5 24
4x
24x 155 Quan em março intes co de passa s dess O integrante responsável por ordenar as cartas não poderá ver a carta, mas poderá
CO

2 2 tas pa , nd ge a sequ
ssage 36 000. Es ições: em ns de um mostrá-la para a equipe e fazer a pergunta: “O número desta carta é menor, maior ou
SEC

a) 38 ência
ns for a .
SON

00 se pa
b) 40 0 am ve dr janeiro, determina igual ao número da que está no topo das cartas ordenadas?”. O restante da equipe deve
5 Como são denominadas as equações que têm a mesma raiz em um ndida ão de cre foram
ADIL

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


mesmo conjunto universo?
500 s por scim ve da em responder à pergunta, sem dizer o valor da carta.
es ento ndidas presa aé
Elab
oran c) 41 sa empre se ma 33
ntém 000 passa aumento
rea
6 Explique com suas palavras a diferença entre variável e incógnita. do 000 sa em para
d) 42DESAFIO julho os gens; em u no ano
identificação dos dados
CLÁUDIO CHIYO

1
00 0 do ano pa meses su fev
7 Quantas formas foram apresentadas para descrever uma sequência Elabo bseq ereiro,
Interpretação e

ssado uente
re ?
.

numérica? Quais são elas?


de 1998

de pe em se e) 48 00 s.
u
paga ssoas de caderno 0 • Leia novamente a seção “Trocando ideias” e anote o que considerar relevante para
reiro

8 Qual é a diferença entre as duas formas algébricas que podemos r por verá
Ao rec um ing comp uma ativid ajudá-lo na ordenação das cartas.
feve

utilizar para descrever uma sequência numérica? voco eber a res resso na arecer. O ade sobre
19 de

s, se
exist olução do entrada evento de um even
0 de

2 irem. am . Troqu ve to
9.61

Elabo igo, dê ea ter um em qu


quan re uma um ret atividad custo e uma
l e Lei

Aplicando e pa qu
tid qu or com ra an
igo Pena

do pr ade de estão qu no a
respe um am ser feito tidade de
a ele imeiro grapatas de um e envo ito da igo e sco
respo e resolv as pessoas nhecida
resolução

1 2 • Forme grupo com a quantidade de integrantes orientada pelo professor.


Cód

Escreva uma expressão algébrica para No caderno, indique as sentenças verdadeiras.


Plano de

que res u. Tro lva a


qu a formi qu sta de a a qu
84 do

representar: olva le, ind e ele devem


a) 2 1 14 5 24 c) 2 2 1 % 0 1 3 a qu e sua ati ga (seis paantidade • Embaralhe as cartas e coloque-as na mesa com os números voltados para baixo.
Art.1

a) a soma de sete com o quádruplo de um e você vidad tas de icand propôs


criou e com ). Ela de patas de o os . • Converse com os colegas como organizar os montes de cartas.
ida.

. um co ve equí-
ão proib

número; b) 3 2 2 , 2 1 8 d) 54 2 3 5 50 1 1 6 lega, ser resolvuma ara


21 resolv ida po nha (oi
oduç

b) a sexta parte de um número; a a ati r to pa


vidad meio de
Resolução

3 • Todos os integrantes devem ordenar as cartas pelo menos uma vez, aplicando o algo-
Repr

Teca tem 32 anos. Escreva no caderno uma


c) a décima parte de um número; 18 3 e que um tas) e
expressão algébrica que represente a idade Crie ele cri a equaçã a ritmo de ordenação. Um integrante do grupo deve anotar as frações ordenadas dos
d) o produto de um número pela sua séti- que ela teve há x anos, sendo x um número recur uma ativid ou e
pe
o demais colegas.
siva. ça
ma parte; natural. a) Ela A ati ade envo 22
15 bo vidad lvend
dessa re uma se e deve co o sequên
Verificação

156 sequ qu nt cias


b) Ela ência ência da er duas • Cada integrante do grupo conseguiu a mesma ordem de cartas?
11 parte numérica
O

bo
CHIY

. Peça nd
eres e quan que re uma lei a seu o os cin s. s de
scritas • A ordem que conseguiram está correta? Por quê?
UDIO

Quantas mulh lis amigo co pr


pagou R da 19 ment te os se de form imeir por um
de funcionárias. lham na fábrica?
CLÁ

passagem. Máriodesconto. Qual é o valor traba


e os is qu
termo primeir ação recur e encontr os termo a lei
sagem, já com desconto? tos homens 160 s, ap os siva e a lei s, de fo
ontan termos de for sem mostr
Apresentação

em um e entre rmaç
passagem sem que pensasse do ev da 23 ão
pediu a Fábio da, efetuasse estas entu sequênciague a ati maçã
o na
ar a
lei de • Discuta com os colegas se existem outras formas de ordenar as cartas. Se descobrirem
16 Érica em segui por 3; ais eq vid
núme ro e, multiplique uívo . Verifiq ade a um qual pens formaçã mais alguma, apresentem para a turma.
adicione 8; número pensado; cos. ue se
o am amigo, pe
ou. o
operações:
adicione o o nú- igo en di
subtraia  4;  adicione 2; e subtraia opera- contro ndo a ele
4; s
divida por no dessa u corre
do. Ao térmi alguma ta-
mero pensa que Fábio dissesse obti-
104
ado
CHIYO

ções, e antes “O result


exclamou: u a tal
coisa, Érica que como Érica chego
CLÁUDIO

do é 7”. Expli
de 1998.

conclusão.
de 19 de fevereiro
BARATA

e Lei 9.610
RONALDO


Código Penal

é,
pai e seu filhoera
12
idades de um
A soma das Há 12 anos, a idade do idade
pai 20
É hora de extrapolar Faça as atividades no caderno.
Art.184 do

a
hoje, 72 anos.idade do filho. Qual é Etapa 2: Análise de dados das Paralimpíadas de 2016.
sete vezes a
o proibida.

hoje?
de cada um i bananas. 2. A tabela a seguir mostra o número de atletas das três maiores delegações e o total de atletas
menino e fique , laranjas e
jas a cada cesto, há peras ro de peras que participaram das Paralimpíadas, no Rio de Janeiro, em 2016. Analisem os dados e respondam
Reproduçã

três laran e dado cinco 17 Em um são 96 frutas. O núme


13 Dei jas. Se tivess de às questões.
com Ao todo, e o número
com 20 laran menino, teria ficado de laranjas, peras O QUE VOCÊ SABE SOBRE AS PARALIMPÍADAS? 
laranjas a
cada tos meninos? é o triplo do laranjas e
Havia quan igual ao de há de cada tipo? Distribuição de atletas participantes das Paralimpíadas do Rio de Janeiro em 2016
oito laranjas. - bananas é tas frutas
distri Os Jogos Paralímpicos são o maior evento esportivo do mundo envolvendo atletas com deficiências.
música, foramseguin- reunidas. Quan Atletas
concurso de ios da A primeira edição das Paralimpíadas ocorreu em Londres, em 1960, com cerca de 400 atletas.
14 Em um $ 6 600,00 em prêm Em 2016, os jogos foram realizados no Rio de Janeiro. Mais de 4 mil atletas participaram do evento,
País
buídos R ado recebeu Homens Mulheres Total
ira: o segundo coloc$ 1 200,00; o DESA FIO repre - celebrando o esporte, a superação e a diversidade.
te mane R algébrica quea porta
terceiro mais ro mais a expressão Brasil 184 102 286
o dobro do eu o triplo do tercei Determine da frente da casa (exclu
a
WALTER ATTENNI/AP PHOTO/GLOW IMAGES

AP PHOTO/GLOW IMAGES

KEYSTONE/HULTON ARCHIVE/GETTY IMAGES

iro
primeiro recebQuanto recebeu o prime senta a área China 161 146 307
R$  1 800,00. e a janela). DESAFIO
colocado? Estados Unidos 154 124 278
NDI
E CASAGRA

h Todos 2657 1671 4328


Dados disponíveis em: <https://www.paralympic.org/sdms/hira/web/participantNumbers/rio-2016>.
GUILHERM

x Acesso em: 6 set. 2018.


b
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

x a) É correto afirmar que os atletas brasileiros correspondem a mais de 10% do total de atletas
BARATA

x y
que participaram das Paralimpíadas? Como verificar sem realizar contas armadas ou utilizar
calculadora?
RONALDO

a Atletas carregam a bandeira oficial dos Kathleen Comley, da Grã-Bretanha, Equipe italiana na vila olímpica b) A distribuição entre homens e mulheres na delegação brasileira é mais ou menos equilibrada
Jogos Paralímpicos durante a cerimônia concorre na categoria de tiro com antes do início dos primeiros Jogos que a distribuição geral (de todos os países juntos)? Descrevam o processo realizado para deter-
de abertura, Roma (Itália), 1960. arco e flecha, nos Jogos Paralímpicos, Paralímpicos, em Roma (Itália), 1960. minar esta resposta.
em 1960. Cerca de 400 atletas de
22 nações participaram dos jogos. c) Que país teve o maior equilíbrio na participação de atletas homens e mulheres nas Paralimpíadas
de 2016, dentre os citados na tabela?
Objetivos: Analisar o conceito envolvido nos emblemas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2020,
analisar dados sobre a Paralímpiada de 2016, pesquisar sobre esporte paralímpico e produzir vídeos
158
que serão apresentados para a comunidade escolar. 3. Daniel Dias conquistou sua 24a medalha
A.RICARDO/SHUTTERSTOCK

paralímpica nos Jogos do Rio de Janeiro, no


Etapa 1: Pesquisa e análise sobre os emblemas das Olimpíadas e das Paralimpíadas de 2020. dia 17 de setembro de 2016, tornando-se o

É hora de extrapolar
maior medalhista de natação masculina da
1. Reúnam-se em grupos. Observem os emblemas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2020, que
acontecerão em Tóquio, no Japão. história das Paralimpíadas.
Na prova de 50 metros de nado livre, o atle-
ta levou 32,78 segundos para completá-la
e, na prova de 200 metros de nado livre,

Atividade em grupo proposta como fechamento


WOLFGANG KUMM/PICTURE-ALLIANCE/
DPA/AP PHOTO/GLOW IMAGES

foram necessários 2 minutos e 27,88 segun-


dos, ganhando medalhas pelo desempenho
em ambas as provas.
a) Se o nadador nadasse 200 metros nado

da unidade. Explora a pesquisa, a comunicação livre com a velocidade média que atingiu
na prova de 50 metros nado livre, quan-
to tempo ele levaria para completar os
200 metros?

e a elaboração de um produto final, que Agora, pesquisem na internet qual foi o conceito envolvido na criação dos emblemas e analisem a
estrutura deles, respondendo às questões:
b) O tempo obtido no item a corresponde
ao tempo de prova que o atleta obte-
ve nos 200 metros nado livre nos Jogos

será compartilhado com a turma ou com a a) Que relação existe entre as composições de retângulos nos dois emblemas e que mensagem essa
composição tem intenção de passar?
b) Existe algum tipo de simetria nesses símbolos? Se sim, qual?
Paralímpicos de 2016? Por que vocês
acham que isso ocorreu?
Daniel Dias participou de nove provas nas
c) Vocês concordam com a afirmação “Diversidade torna o mundo um lugar vibrante”, que faz parte

comunidade escolar.
Paralímpiadas do Rio, conquistando quatro
das explicações sobre as concepções dos emblemas? Justifiquem a resposta. medalhas de ouro, três de prata e duas de bronze.

225 226

5
Sumário

UNIDADE

I CAPÍTULO 1 – Números inteiros 10 CAPÍTULO 3 – Retas e ângulos 56


1. Os números inteiros ........................................... 12 1. Retas .................................................................... 58
Representação dos números inteiros Semirreta e segmento de reta ............................ 58
na reta numérica .................................................... 18 Posições relativas entre duas retas ...................... 59
Módulo de um número inteiro ............................ 19
Números opostos ou simétricos ............................ 20 2. O ângulo e seus elementos ............................. 61
2. Comparação de números inteiros ................... 21 3. Medida de ângulo ............................................. 63
3. Adição de números inteiros ............................. 22 Como medir um ângulo utilizando o transferidor .... 64
Propriedades da adição de números inteiros ...... 24 Ângulo reto, ângulo agudo e ângulo obtuso ............. 65
4. Subtração de números inteiros ....................... 26 Construção de um ângulo com o transferidor ......... 65
Expressões numéricas com adições e subtrações ..... 28 Construção de alguns ângulos com um
5. Multiplicação de números inteiros ................. 29 par de esquadros ................................................. 66
Propriedades da multiplicação de Determinando a medida de um ângulo .............. 66

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


números inteiros .................................................. 30 Transformação de unidades ................................... 68
6. Divisão exata de números inteiros ................. 32 4. Operações com medidas de ângulos ............. 69
7. Potenciação em que a base é um Adição .................................................................. 69
número inteiro ................................................... 34 Subtração .............................................................. 70
8. Raiz quadrada exata de números inteiros ....... 36 Multiplicação ........................................................ 71
Expressões numéricas com números Divisão .................................................................. 71
inteiros ..................................................................... 37
5. Ângulos congruentes ........................................ 72
Resolvendo em equipe ............................................ 38 Construção, com régua e compasso, de um
Trabalhando os conhecimentos adquiridos ........ 39 ângulo congruente a outro ângulo dado ............. 73

6. Ângulos adjacentes ........................................... 74


CAPÍTULO 2 – Múltiplos e divisores 43
7. Ângulos complementares ................................ 75
1. Retomando múltiplos e divisores de
números naturais .............................................. 45 8. Ângulos suplementares .................................... 76

2. Múltiplos e divisores de um número 9. Ângulos opostos pelo vértice .......................... 77


inteiro ................................................................... 46 Propriedade dos ângulos opostos pelo vértice .... 78
3. Problemas envolvendo múltiplos 10. Ângulos formados por duas retas cortadas
e divisores .......................................................... 47 por uma transversal .......................................... 79
Máximo divisor comum ......................................... 47 Relações entre os ângulos formados por duas
Mínimo múltiplo comum ..................................... 50 retas paralelas cortadas por uma transversal ...... 81
Resolvendo em equipe ............................................ 53 Trabalhando os conhecimentos adquiridos ........ 85
Trabalhando os conhecimentos adquiridos ........ 54 É hora de extrapolar ................................................ 89

6
UNIDADE

II CAPÍTULO 4 – Frações 92 7. Raiz quadrada de números racionais ........... 124


Expressões numéricas com
1. A ideia de parte de um inteiro ........................ 95 números racionais .............................................. 126
2. A ideia de quociente ......................................... 99 Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 127
3. A ideia de razão ............................................... 100
CAPÍTULO 6 – Linguagem algébrica
4. A ideia de operador ........................................ 102
e regularidades 131
Resolvendo em equipe .......................................... 104
Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 105 1. Expressões algébricas ..................................... 133
Valor numérico de uma expressão algébrica ..... 134
Termos algébricos ................................................. 137
CAPÍTULO 5 – Números racionais 107 Adição e multiplicação de termos algébricos ...... 137
1. Os números racionais ..................................... 109 2. Equações ........................................................... 140
Representação dos números racionais Raiz de uma equação ........................................... 141
na reta numérica .................................................. 111 Resolução de equações do 1° grau com uma
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Módulo de um número racional ........................ 112 incógnita ................................................................ 143


Oposto ou simétrico de um número racional .... 113 3. Resolução de problemas ................................ 146
2. Comparação de números racionais .............. 114 4. Sequências ....................................................... 149
3. Adição e subtração de números racionais ..... 115 Sequências numéricas .......................................... 149
Lei de formação de uma sequência numérica ..... 150
4. Multiplicação de números racionais ............. 117 Sequências numéricas em planilhas eletrônicas ......... 154
5. Divisão de números racionais ....................... 120 Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 156
6. Potenciação de números racionais ............... 122 É hora de extrapolar .............................................. 161

UNIDADE

III CAPÍTULO 7 – Porcentagem e Regra de três simples ........................................... 199


juro simples 164 Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 202

1. Porcentagem .................................................... 166


CAPÍTULO 9 – Transformações
2. Cálculo de acréscimos e descontos .............. 171
Acréscimos ............................................................. 171 geométricas 205
Descontos .............................................................. 172
1. Isometrias ......................................................... 207
3. Juro simples ...................................................... 174 Translação ...........................................................
207
Capital e montante ............................................... 174 Rotação ...............................................................
208
Resolvendo em equipe .......................................... 176 Reflexão .............................................................
209
Construções de figuras simétricas ...................... 212
Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 177
2. Representação de um polígono no plano
cartesiano ......................................................... 214
CAPÍTULO 8 – Proporcionalidade 181
Os quadrantes do plano cartesiano ................... 214
1. Razão ................................................................. 183 O polígono no plano cartesiano ......................... 215
2. Proporção .......................................................... 185 3. Transformações geométricas no plano
Propriedade fundamental das proporções ........ 187 cartesiano ......................................................... 216
Sequências de números diretamente Ampliação .......................................................... 217
proporcionais ...................................................... 190 Simetria em relação à origem do
Sequências de números inversamente plano cartesiano ................................................. 218
proporcionais ...................................................... 193 Simetria em relação aos eixos do
plano cartesiano ................................................. 219
3. Grandezas e proporcionalidade .................... 195
Grandezas diretamente proporcionais ............... 195 Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 223
Grandezas inversamente proporcionais ............. 197 É hora de extrapolar .............................................. 225

7
UNIDADE

IV CAPÍTULO 10 – Grandezas 2. Polígonos ...........................................................255


e medidas 229 Elementos de um polígono .................................255
Soma das medidas dos ângulos internos
1. Situações que envolvem medições .............. 231 de um polígono .................................................. 256
2. Área ................................................................... 235 Polígono regular ................................................. 257
3. Área de polígonos .............................................. 237 3. Triângulo ........................................................... 259
Área de um retângulo ........................................ 237 Principais elementos de um triângulo ............... 259
Área de um paralelogramo ................................ 238 Construção de triângulos .................................... 260
Área de um triângulo ......................................... 238 Desigualdade triangular ....................................... 263
Área de um trapézio .......................................... 239 Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 265
Área de um losango ........................................... 239
4. Volume de um paralelepípedo reto-retângulo ... 242 CAPÍTULO 12 – Probabilidade
Volume de um cubo ........................................... 243 e estatística 268
Resolvendo em equipe ......................................... 245
1. Probabilidade ................................................... 270

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 246 Cálculo de probabilidades ................................... 271

CAPÍTULO 11 – Figuras geométricas 2. Pesquisa estatística ......................................... 273


planas 249 População e amostra ......................................... 275
Gráficos ............................................................... 279
1. Circunferência e círculo .................................. 251 Médias ................................................................ 282
Circunferência ..................................................... 251 Resolvendo em equipe ......................................... 288
Construção de uma circunferência
Trabalhando os conhecimentos adquiridos ...... 289
com compasso ..................................................... 251
É hora de extrapolar .............................................. 292
Circunferência como lugar geométrico .............. 252
Perímetro ou comprimento de uma circunferência ... 253 Respostas ................................................................. 294
Círculo ................................................................. 254 Bibliografia .............................................................. 304

8
• Esta unidade visa ao de-
senvolvimento das habili-
dades relacionadas às unida-
des temáticas Números
(capítulos 1 e 2) e Geometria
(capítulo 3). Provavelmente
os alunos já tiveram contato
em suas experiências diá-
rias, ou nos Anos Iniciais do
Ensino Fundamental, com
alguns dos conteúdos traba-
lhados nesta unidade, então

UNIDADE
leve em consideração aquilo
que eles já sabem a respeito
do assunto.
• O objetivo das questões
do “É hora de começar” é
instigar a curiosidade dos
alunos para os assuntos que
serão estudados nos capítu-
los que integram a unidade.
As questões não preci-
sam ser respondidas neste
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

momento, mas sugerimos


retomá-las no final do estudo
da unidade para que os alu-
nos reflitam sobre o que
aprenderam.

Nesta unidade você vai estudar


Capítulo 1 Números inteiros
Capítulo 2 Múltiplos e divisores
Capítulo 3 Retas e ângulos

É hora de começar
1 Como você representaria uma temperatura muito baixa, que fosse
menor que 0 °C?
2 O que são múltiplos? Quais são os múltiplos de 13?
3 Explique com suas palavras o que são retas paralelas.
4 Qual é a medida do ângulo formado entre duas retas perpendiculares?

Veja plano de desenvolvi-


mento e projeto integrador
no Material do Professor –
Digital.

9
Objetivos
• Ampliar o conceito de núme- CAPÍTULO
ro pela incorporação dos nú-

1
meros inteiros, relacionando-
-os com situações do cotidiano.
• Comparar, ordenar e lo-
calizar números inteiros na Números inteiros
reta numérica.
• Compreender o conceito
de módulo e de números
opostos ou simétricos de nú-
mero inteiro, relacionando-
-os à reta numérica.
• Resolver e elaborar proble-
mas que envolvam operações
com números inteiros.
Em 28 de dezembro de 2016, os termômetros marcaram
Habilidades da BNCC de 35 a 36 graus Celsius na região portuária do
Rio de Janeiro (RJ). De acordo com os órgãos
• Este capítulo foi planeja- oficiais de controle do clima, a sensação
do para favorecer o desen- térmica estava acima de
volvimento das habilidades 40 graus Celsius.
EF07MA03 e EF07MA04 da
BNCC.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


É hora de observar e refletir
• Nas fotos apresentadas
nesta abertura, os alunos
poderão verificar uma situ-
ação que apresenta um nú-
mero negativo para indicar
uma temperatura abaixo de
0 °C (25 °C) em contrapo-
sição com um termômetro
indicando uma temperatura
acima de 0 °C (35 °C).
• Explique aos alunos que
0° C indica a temperatura
em que a água muda seu
estado de líquido para sóli-
do, ou seja, quando a água É hora de observar e refletir
transforma-se em gelo. Para
temperaturas mais baixas A vasta extensão territorial é um dos fatores que faz com que

MARILIA SUTIL/FUTURA PRESS


que essa, utilizamos núme- o Brasil tenha clima diversificado, apresentando uma grande
ros negativos. variação de temperatura.

• Espera-se que os alunos Observe nos termômetros o registro da temperatura nas cidades
de Urupema (SC) e do Rio de Janeiro (RJ).
percebam que os núme-
Qual é o significado da temperatura 5°C, registrada em Urupema?
ros negativos surgiram da O que indica o sinal de menos na frente do número 5?
necessidade de contemplar
LUIZ SOUZA/NURPHOTO/GETTY IMAGES

Podemos afirmar que a diferença entre as temperaturas registradas


situações que não era pos-
nas duas cidades é superior a 35 graus Celsius?
sível com a utilização dos
Exemplo de resposta: É uma temperatura menor que zero; um
números naturais. termômetro marca temperatura abaixo de zero como negativa e
• No exemplo apresentado acima de zero como positiva. O sinal de menos é usado para indicar
que o número é menor que zero. Termômetro registra temperatura
na foto com o termômetro mínima de 25 ºC em Urupema (SC), na
de Urupema (SC), podemos manhã do dia 23 de maio de 2018.
ler a temperatura como “cin- Sim, pois a diferença entre as duas temperaturas é igual a 40 graus Celsius.
co graus negativos” ou “cinco
graus abaixo de zero”. 10

EF07MA03: Comparar e ordenar números inteiros em diferentes contextos, incluindo o histórico, associá-los a pontos da reta
numérica e utilizá-los em situações que envolvam adição e subtração.
EF07MA04: Resolver e elaborar problemas que envolvam operações com números inteiros.

10
Trocando ideias
• Esta seção foi criada para
incentivar uma conversa
entre os alunos sobre as-
suntos do capítulo, mobili-
Trocando ideias zando seus conhecimentos.
Sugerimos explorá-la oral-
No Brasil, a unidade de temperatura que usamos é o grau Celsius (°C). Observe, a seguir, mente; caso necessário, so-
a temperatura registrada em três municípios brasileiros em datas diferentes. licite a eles que respondam
às questões por escrito no
caderno. A seção busca fa-
João Pessoa (PB) 30 C o
Monte Verde (MG) -4 C
o
vorecer o desenvolvimento

DIEGOGRANDI/ISTOCK PHOTOS/GETTY IMAGES

RICARDO COZZO
das competências gerais 8,
9 e 10.
• Questione os alunos sobre
outras situações que envol-
vam números negativos,
tais como: saldos bancários,
painéis de elevadores, indi-
cação de altitudes ou pro-
fundidades etc.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Centro histórico de João Pessoa (PB), em novembro Geada em Monte Verde (MG), em junho de 2016.
de 2015.

Goiânia (GO) 24 C o

JOÃO PRUDENTE/PULSAR IMAGENS

Parque Lago das Rosas em Goiânia (GO), em março de 2015.

Em qual dos três municípios foi registrada a temperatura mais alta?Em João Pessoa: 30 °C,
ou trinta graus Celsius.
Na temperatura registrada em Monte Verde (MG), o que indica que ela estava abaixo
de zero grau Celsius? O sinal negativo, antes do número 4, indica uma temperatura
abaixo de zero (24 °C).
Os números naturais não são suficientes para representar algumas situações. No caso
de temperaturas, altitudes e saldos bancários, por exemplo, muitas vezes precisamos
utilizar números menores que zero, chamados números negativos.
Os números negativos reunidos com os números naturais, que você já conhece, formam
o conjunto dos números inteiros, que estudaremos neste capítulo.

11

Competência geral 8: Conhecer-se, apreciar-se e cuidar de sua saúde física e emocional, compreendendo-se na diversidade hu-
mana e reconhecendo suas emoções e as dos outros, com autocrítica e capacidade para lidar com elas.
Competência geral 9: Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo
o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus
saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.
Competência geral 10: Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação,
tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

11
1 Os números inteiros
Leia o texto a seguir.

ANDERSON DE ANDRADE PIMENTEL


O ÁFR
EAN ICA
OC ÂNTICO
L
A Antártica é o continente mais frio do AT

ICA

O
CE
ÉR
planeta. A temperatura [...] na época mais

AN
AM
ANTÁRTICA
ANT

O ÍNDICO
quente do ano varia de 0 ºC a 240 ºC à POLO SUL

medida que se distancia do litoral. No in-

OC
verno, a média é de 268 ºC no interior,

EA

A
O

NI
N
onde foi registrada a menor temperatura PA E

A
CÍFI
CO OC
do planeta: 289,2 ºC, na Estação Russa 3.310 km

Vostok. Na costa, a média, no inverno,


varia entre 26 ºC e 229 ºC.

SERGIO HANQUET/BIOSPHOTO/GETTY IMAGES

A. BAZHEV/SPUTNIK/AFP
BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. O Brasil
e o meio ambiente antártico. Brasília, 2007.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


A Estação Comandante Ferraz foi ins-
talada na Antártica em 1984, em uma
região que mantém a temperatura, nor-
malmente, abaixo de 5 °C. Já a Estação
Vostok, que funciona desde 1957, está Estação Comandante Estação Vostok, em 1964.
localizada numa região muito mais fria. Ferraz, em 2018.

No texto, verificamos a expressão “abaixo de 5 °C” e as medidas: 0 ºC, 240 ºC, 268 ºC, 289,2 ºC,
26 ºC e 229 ºC.
A expressão “abaixo de 5 °C ” se refere a todas as temperaturas menores que 5 °C. Se conside-
rarmos apenas as temperaturas com valores inteiros, teremos:
4 °C, 3 °C, 2 °C, 1 °C, 0 °C, 21 °C, 22 °C, 23 °C, …
• Além de Zahl significar Os números 21, 22, 23, ... são chamados números negativos. Lemos: “menos um”, “menos
“número” em alemão, al- dois”, “menos três” e assim por diante.
guns textos atribuem o uso
O número zero serve como referência na classificação dos números em positivos ou negativos.
da letra Z para representar o
conjunto dos números intei- ..., 26, 25, 24, 23, 22, 21, 0, 11, 12, 13, 14, 15, 16, ...

GUILHERME CASAGRANDI
ros por ser a primeira letra
do sobrenome do matemá- números negativos números positivos

tico alemão Ernst Zermelo,


que se dedicou ao estudo Observe que o número zero não é positivo nem negativo.
desses números. Agora, veja a representação do conjunto de números abaixo.

b 5 {..., 25, 24, 23, 22, 21, 0, 11, 12, 13, 14, 15, ...}

Esse conjunto é chamado de conjunto dos números inteiros, representado pelo símbolo b,
originário da palavra Zahl
Zahl, que, em alemão, significa “número”.
As reticências são utilizadas para indicar que o conjunto dos números inteiros é infinito nos
dois sentidos: no dos números positivos e no dos números negativos.

12

Sugestão de trabalho interdisciplinar


• Em conjunto com o professor de Geografia, solicite aos alunos uma pesquisa sobre os locais onde podemos
encontrar as mais altas ou as mais baixas temperaturas do planeta, ou mesmo, em âmbito nacional, identi-
ficando as variações térmicas entre as diferentes capitais brasileiras, nas diferentes estações do ano.

12
• O tópico “Transações ban-
cárias” inicia a discussão
sobre operações de adição
e subtração com números
inteiros, favorecendo o de-
Um pouco de história senvolvimento da habilida-
de EF07MA04.
A origem dos números negativos • Proponha aos alunos que
conversem sobre o signifi-
A noção de número negativo levou muito tempo para se estabelecer na história da cado de alguns termos uti-
Matemática. Passaram mais de 1 000 anos entre a aparição dos números negativos e lizados nesses tipos de tran-
sua utilização. sações:
Na Antiguidade, os hindus já discutiam a existência dos números negativos. Eles criaram um ƒ Saque: retirada de uma
tipo de símbolo para representar dívidas, o qual, posteriormente, chamaríamos de negativo. certa importância da conta
O primeiro registro explícito de números negativos foi feito em 628 d.C. pelo matemático bancária.
hindu Brahmagupta (598-670). ƒ Débito: quando se retira
Em 1489, Johann Widman (1460-1498) publicou uma Aritmética comercial, um valor da conta bancária,
Rechnung auf allen Kaufmannschaft
Kaufmannschaft, o mais antigo livro em que os sinais 1 e 2 podendo ser uma transfe-
rência de valores para outra
foram registrados.
conta bancária, pagamento
Em 1544, Michael Stifel (1487-1567) publicou Arithmetica integra integra, de faturas (água, energia
a mais importante obra alemã sobre Álgebra do século XVI, cujo aspec- aspec elétrica etc.), pagamento

GEORGE TUTUMI
to mais relevante é o tratamento dos números negativos, dos radicais e da de tarifas bancárias, entre
potência. Stifel chamava os números negativos de “números absurdos”. outros.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

ƒ Crédito: quando se de-


Fonte: Karl B. Boyer. História da Matemática.. São Paulo: Edgard Blücher, 1974. p. 160 e 206. posita uma importância na
conta bancária, podendo
ser um depósito em espécie
Agora, acompanhe três situações em que os números negativos são utilizados. na agência bancária, uma
transferência entre contas,
Transações bancárias entre outros.
Observe a reprodução de um extrato bancário. ƒ Saldo: diferença entre o
total de créditos e o total
de débitos lançados em uma
ANDERSON DE ANDRADE PIMENTEL

conta bancária.
Comente com os alunos
que o saldo negativo ocor-
re quando o débito é maior
que o crédito. Nesse caso, al-
guns bancos oferecem crédi-
to ao cliente, porém cobram
por esse empréstimo, que
são chamados juros.

Extrato bancário é um relatório que contém


informações sobre a movimentação e o
saldo de uma conta bancária.

Os valores negativos nos extratos bancários correspondem aos débitos e são representa-
dos com o sinal de menos à direita. Nesse exemplo, os débitos no extrato são: transferência de
dinheiro (TRANSF) para outra conta, pagamento (PAGTO) de uma conta, uso do cartão (GASTO
C DÉBITO), cheque (CHQ) compensado e saque.
Esses valores são subtraídos do saldo da conta bancária, fazendo-o diminuir. Observe que, no
dia 15, o saldo era de R$ 1 661,00 e, no dia 25, R$ 115,00.
A expressão “saldo negativo” é utilizada quando debitamos da conta um valor maior que o
saldo existente, ou seja, um valor maior que aquele de que dispomos em conta.

13

EF07MA04: Resolver e elaborar problemas que envolvam operações com números inteiros.

13
• Pergunte aos alunos como
pode ser feito o desempate
caso dois ou mais times es-
tejam com o mesmo número
de pontos na tabela de um Saldo de gols
determinado campeonato
Observe a seguir a classificação de alguns times no Campeonato Brasileiro de Futebol da
de futebol.
série A em 2017.

Campeonato Brasileiro de Futebol da Série A – 2017


Classificação Clube Pontos Gols pró Gols contra Saldo de gols
1o Corinthians 72 50 30 20
2o Palmeiras 63 61 45 16
3 o
Santos 63 42 32 10
4 o
Grêmio 62 55 36 19
17 o
Coritiba 43 42 51 29
18o Avaí 43 29 48 219
19 o
Ponte Preta 39 37 52 215
20 o
Atlético Goianiense 36 38 56

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


218
Dados obtidos em: <https://www.cbf.com.br/futebol-brasileiro/competicoes/campeonato-brasileiro-serie-a/2017#.
WxFGCEgvwdU>. Acesso em: 11 jul. 2018.

O número que representa o saldo de gols é obtido pela diferença entre o número de gols pró
(gols feitos) e o número de gols contra (gols sofridos) de cada time. Observe que o saldo de gols
de alguns times é negativo. Isso ocorre porque o número de gols pró é menor que o número de
gols contra.

Altitudes
Associa-se o nível do mar à altitude zero. Acima do nível do mar, a altitude é positiva;
abaixo do nível do mar, a altitude é negativa.
O Cristo Redentor (RJ) é um monumento situado no topo
do Morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar.
Sua altitude pode ser indicada por 1709 m (lemos: “mais
setecentos e nove metros”).
O poço pioneiro de extração de petróleo da Bacia de Campos
(RJ) foi o de Garoupa, a 100  metros abaixo do nível do mar.
Sua altitude pode ser indicada por 2100 m (lemos: “menos cem
metros”).

GEORGE TUTUMI
1709 m
Converse com os alunos
que a imagem é ilustrativa,
com cores-fantasia e não foi
apresentada em escala de
tamanho.
nível do mar

2100 m

14

Sugestão de atividade extra


• Explore curiosidades referentes a situações envolvendo altitude e profundidade. Peça aos alunos que realizem
uma pesquisa, em livros ou sites especializados, de modo a responder perguntas como: Quais problemas um ser
humano pode enfrentar se estiver a uma altitude superior a 3 000 metros? E a 200 metros de profundidade?
Qual seria um limite seguro para a prática de mergulho?

14
• É conveniente discutir e
sanar eventuais dúvidas so-
bre o significado de pala-
6. Exemplo de resposta: “Carlos olhou o extrato de sua conta e descobriu que estava com saldo negativo de 53 reais. vras como “saldo”, “saque”,
Quanto ele tem de depositar para ficar com saldo zero na conta?” (Resposta: 53 reais) “depósito”, “extrato”, “lucro”,
ATIVIDADES Faça as atividades no caderno. entre outras, estimulando a
compreensão de expressões
1 Observe os números a seguir. 5 Em 20/1, o saldo da conta bancária de usadas em situações diárias.
Roberta era R$  1 560,00. Nos três dias • A atividade 7 envolve lei-
7 3 4 18 76 seguintes, ela efetuou estas operações tura e interpretação de um
financeiras: gráfico de barras verticais.
9 0 25 36
• em 21/1 retirou a metade do saldo; Os gráficos auxiliam no tra-
Agora, responda: tamento de informações e
17, 14, 118, • em 22/1 depositou R$ 180,00; estão presentes no cotidiano
a) Quais deles são positivos? 176, 125
• em 23/1 retirou R$ 300,00. dos alunos. Por esse motivo,
b) Quais são negativos? 23, 29, 236
Copie no caderno o quadro abaixo subs- saber lê-los e interpretá-los
c) O número zero é positivo ou negativo? tituindo cada de acordo com as opera- contribui para a forma-
Não é positivo nem negativo.
ções financeiras efetuadas. ção deles como cidadãos.
2 Represente, com números inteiros, cada Auxilie na identificação do
uma das situações a seguir. Saldo Crédito Débito
Dia anterior Saldo que representam os dados
a) Débito de R$ 3 000,00. 2R$ 3 000,00 R$ 1 560,00 R$ 780,00 R$ 780,00 do eixo horizontal e do eixo
21/1
b) Lucro de R$ 1 200,00. 1R$ 1 200,00 R$ 780,00
vertical e o significado das
22/1
R$ 180,00 R$ 960,00
barras com valores negativos.
c) Elevação de 2 300 m. 12 300 m
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Espera-se que os alunos


d) Depressão de 500 m. 2500 m 23/1
R$ 960,00 R$ 300,00 R$ 660,00 verifiquem que essas bar-
ras representam os meses
3 Letícia pegou o elevador no 3o subsolo e 6 Crie um problema que contenha as pa- em que a empresa obteve
subiu até o 10o andar. Quantos andares lavras “extrato” e “saldo negativo”. Em
prejuízo. Pode também so-
ela percorreu? 13 andares seguida, troque com um colega e resolva
licitar que identifiquem o
o problema que ele criou. Por fim, conver-
mês em que a microempresa
4 Observe a classificação das seleções da sem sobre os resultados obtidos.
teve maior lucro ou maior
América do Sul nas eliminatórias para a 7 O gráfico a seguir representa o desem- prejuízo.
Copa do Mundo da Fifa 2018 e escreva penho de uma microempresa durante • Os alunos podem apre-
no caderno os números inteiros que seis meses. sentar dificuldades durante
representam o saldo de gols de cada a interpretação e a reso-

GUILHERME CASAGRANDI
DESEMPENHO
seleção. (em milhares de reais) lução da atividade 8. Uma
Eliminatórias da Copa do Mundo
Saldo sugestão para sanar even-
50 40
da Fifa 2018 25
35 tuais dúvidas é solicitar que
Seleção Gols pró Gols contra
25
10 façam o esboço de um ter-
fev. abr. mômetro e sua graduação.
0
1 Brasil
o
41 11 30 jan. mar. maio jun. Mês
A visualização das gradua-
225
2 Uruguai
o
32 20 12 225 ções das temperaturas no
250 240 termômetro auxiliará na con-
3o Argentina 19 16 3
Dados obtidos pela microempresa. tagem das unidades entre
4o Colômbia 21 19 2 22 °C e 28 °C.
a) Em que mês o prejuízo foi de 40 mil reais?
5o Peru 27 26 1 fevereiro
b) Qual foi o saldo do mês de março?
6o Chile 26 27 21 35 mil reais
c) Durante esses seis meses, a microem-
7o Paraguai 19 25 26 presa teve lucro ou prejuízo? De quanto?
lucro; 45 mil reais
8 Equador
o
26 29 23
8 Certo dia, Emília viajou de Berlim (Ale-
9o Bolívia 16 38 222 manha) para Berna (Suíça). Quando saiu
10o Venezuela 19 35 216 de Berlim, a temperatura era de 22 °C e,
Dados obtidos em: <https://www.fifa.com/
ao chegar a Berna, a temperatura era de
worldcup/preliminaries/southamerica/index. 28  °C. Em que cidade estava mais frio:
html>. Acesso em: 6 set. 2018. Berlim ou Berna? Berna

15

15
Lendo e aprendendo
• Alguns dados apresenta-
dos no infográfico não são
consensuais nas inúmeras
fontes existentes. Também Lendo e aprendendo: Nas profundezas do mar
podem sofrer alterações em
função de novas pesquisas
ou da quebra de recordes.

Para filmar um documentário em 3-D, o


diretor de cinema James Cameron desceu
ao ponto mais profundo do Oceano Pacífico,
a Fossa das Marianas. Para isso, ele usou o
minissubmarino DeepSea Challenger. Esse
nome foi dado ao veículo em homenagem
ao abismo de Challenger, o ponto mais pro-
fundo da Fossa das Marianas.

16

16
• Comente com os alunos que,
de modo geral, os números
inteiros negativos estão sem-
pre relacionados a certas ex-
pressões, como “abaixo de”,
“à esquerda de”, entre ou-
tras; assim como os números
positivos estão relacionados
às situações opostas, como
“acima de”, “à direita de”,
entre outras.

O monte Everest, situado entre o Nepal


e o Tibete, a 8848 metros acima do nível
do mar, é o ponto mais alto do mundo.
Já o mais profundo do mundo, como
vimos ao lado, é o da Fossa das Marianas,
a 10920 metros abaixo do nível do mar.
Pense em como você poderia represen-
NILSON CARDOSO

tar essas duas medidas. 18 848; 210 920


Material Digital Audiovisual
• Video: O pinguim-imperador

17
Orientações para o
professor acompanham o
Material Digital Audiovisual

• Espera-se que os alunos usem sinais diferentes para representar as duas medidas solicitadas: 18 848 m e
210 920 m.

17
• Pode-se enriquecer o con-
teúdo expondo que um
ponto associado a um nú-
mero inteiro na reta tam-
bém é chamado de imagem
geométrica. Por exemplo,
Representação dos números inteiros na reta numérica
na reta numérica apresen-
Podemos representar os números inteiros em uma reta numérica. Para isso, traçamos uma
tada no texto, o ponto A é
imagem geométrica de 11, O, chamado origem, que corresponde ao número zero.
reta r e sobre ela marcamos o ponto O
assim como H é a imagem Usando a mesma unidade de comprimento, assinalamos pontos consecutivos à direita da
geométrica de 23. Podemos origem e, para cada ponto, fazemos corresponder um número inteiro positivo.
dizer ainda que 11 é a abs- Veja:
cissa do ponto A e que 23 é
a abscissa do ponto H.
O A B C D E

0 +1 +2 +3 +4 +5 r

Repetimos esse procedimento para representar pontos situados à esquerda da origem, aos
quais fazemos corresponder os números inteiros negativos.
ILUSTRAÇÕES: GUILHERME CASAGRANDI

Observe:

J I H G F O

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


–5 –4 –3 –2 –1 0 r

Podemos reunir em uma só reta numérica os números inteiros positivos e os negativos.

J I H G F O A B C D E

–5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 r
sentido negativo sentido positivo

Dessa forma, estabelecemos uma correspondência entre os números inteiros e os pontos


marcados na reta.

Espera-se que os alunos Se traçássemos uma


percebam que, repetindo o reta r na vertical, marcando o ponto O (origem),
procedimento, representaríamos correspondente ao zero, poderíamos, usando a mesma
os pontos situados abaixo da unidade de comprimento, assinalar pontos consecutivos
origem na reta r, aos quais acima da origem e, a cada ponto, associar um número
corresponderiam os números inteiro positivo. Agora, como poderíamos representar os
inteiros negativos. pontos correspondentes aos
números negativos?

Observações

1 A reta numérica não precisa ser representada necessariamente na


posição horizontal.
2 Os números positivos podem ser escritos sem o sinal 1. Por exemplo:
GEORGE TUTUMI
• 15 5 5
• 13 564 5 3 564
3 Cada número inteiro está associado a um único ponto da reta, mas
nem todo ponto da reta está associado a um número inteiro.

18

• Comente com os alunos que os pontos da reta numérica que não estão associados a um número inteiro
estão associados a outros números. Esses números pertencem a conjuntos numéricos que serão estudados
mais adiante.

18
• As atividades 2 e 3 têm
o objetivo de estimular o

CASAGRANDI
GUILHERME
2. C A D B
aluno a fazer a conversão
26 25 24 23 22 21 0 11 12 13 14 15 16 r
do registro em linguagem
ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.
materna para o registro
gráfico. O caminho inverso
1 4 também pode ser estimula-
Observe a reta numérica e responda às Um ponto é deslocado, a partir do zero,
do. Para isso proponha aos
questões. seis unidades sobre uma reta numérica
GUILHERME CASAGRANDI

alunos que desenvolvam al-


no sentido positivo e, em seguida, 10 uni-
A B C D E
dades no sentido negativo. Determine o gum tipo de descrição para
–6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 r número inteiro correspondente ao ponto os números localizados na
após esse percurso. 24 reta numérica. Por exem-
a) Que número corresponde ao ponto B ? plo, represente em uma
21 5 Em um dia de muito frio na cidade de São reta numérica os pontos
b) Qual é o ponto correspondente ao nú-
Joaquim  (RS), a temperatura esteve em correspondentes aos núme-
mero 24? ponto A
21 °C. À  noite, ela chegou a 26 °C. Do ros inteiros 10, 11, 12, 13,
c) Qual é o ponto correspondente ao nú- ..., 19 e 20 e, em seguida,
dia para a noite, a temperatura diminuiu
mero 15? ponto D ponto C proponha que escrevam no
quantos graus Celsius? 5 °C
d) Qual é o ponto que corresponde a 12? caderno uma frase associa-

DIONATA COSTA/JORNAL FOLHA DA CIDADE


e) O ponto E corresponde a que número? da a essa representação.
16
Nesse caso, um exemplo
2 Desenhe uma reta para representar nú- de resposta seria: “Núme-
meros inteiros e, depois, localize nela os ros inteiros maiores que 9
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

pontos: e menores ou iguais a 20”.


a) A, que corresponde a 23;
b) C, que corresponde a 25;
c) B, que corresponde a 15;
d) D, que corresponde a 0.

3 Trace uma reta numérica e represente nela


os números inteiros maiores ou iguais
a 22 e menores que 5. Neve em São Joaquim (RS), 2017.
22 21 0 11 12 13 14 r

Módulo de um número inteiro


A distância de um ponto na reta numérica até a origem O é chamada de módulo ou
valor absoluto do número associado a esse ponto. Representamos o módulo de um número
colocando-o entre duas barras verticais: | |.

Exemplos

• A distância do ponto A à origem O é 4 unidades.


A 4 unidades O

–7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 r

O módulo de 24 é 4. Indicamos: |24| 5 4 (lemos: “módulo de menos quatro é igual a quatro”)


ILUSTRAÇÕES: GUILHERME CASAGRANDI

• A distância do ponto B à origem O é 6 unidades.


O 6 unidades B

–7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 r

O módulo de 16 é 6. Indicamos: |16| 5 6 (lemos: “módulo de mais seis é igual a seis”)

19

19
• O módulo de zero é zero. Assim: |0| 5 0

• |210| 5 10 (lemos: “módulo de menos dez é igual a dez”)

• | 9 | 5 9 (lemos: “módulo de nove é igual a nove”)

• |15| 5 5 (lemos: “módulo de mais cinco é igual a cinco”)

• É importante os alunos Números opostos ou simétricos


compreenderem que os nú-
meros inteiros negativos Observe os pontos A e B localizados na reta numérica, que representam os números 24 e 4,
podem ser conceituados a respectivamente.

GUILHERME CASAGRANDI
partir da ideia de simetria A O B
4 unidades 4 unidades
em relação aos números
inteiros positivos na reta
–4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 r
numérica. Por esse motivo
chamamos os números 24
e 4 de números simétricos Os pontos A e B ocupam posições simétricas em relação à origem, pois estão à mesma distân-
(ou opostos), pois o ponto A cia da origem e se localizam em lados opostos. Assim, podemos dizer que 24 e 4 são números

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


é simétrico ao ponto B e em opostos ou simétricos.
relação à origem da reta.
Exemplos

• 15 é o oposto ou simétrico de 215, pois 15 5 2(215).

• 217 é o oposto ou simétrico de 17, pois 217 5 2(117).

• 10 é o oposto ou simétrico de 210, pois 10 5 2(210).

• 21 000 é o oposto ou simétrico de 11 000, pois 21 000 5 2(11 000).

ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.

1 Determine: 4 Responda às questões.


a) o oposto de 26; 16 a) Qual é o módulo de 213? 13
b) o oposto de 100; 2100 b) Qual é o oposto de 2318? 1318
c) o oposto de 27 ; 17 c) Quais são os números inteiros que têm
d) o oposto de 8. 28 valor absoluto igual a 17? 117 e 217
5 Quantos números inteiros apresentam:
2 Escreva no caderno o valor absoluto de: a) módulo menor que zero? nenhum
a) 113 13 c) 221 21 b) módulo igual a zero? um número, o próprio zero
b) 150 50 d) 2116 116 c) módulo maior que zero? infinitos
6 Complete a frase, tornando-a verdadeira.
3 Determine.
a) |216| 16 e) |0| 0 O oposto de é menor que zero.
b) |220| 20 f) |214| 14
• Que tipo de número pode ser usado
c) |135| 35 g) |1239| 239 para completar essa frase? Converse com
d) |21| 1 h |2524| 524 o professor e os colegas.
Espera-se que os alunos percebam que qualquer
número inteiro positivo pode ser usado para completar
a frase.
20

• Nas atividades de 1 a 6 o uso da reta numérica pode auxiliar os alunos na visualização das unidades de
medidas necessárias para determinar o valor do módulo ou do simétrico de um número inteiro.

20
• Para explorar o tópico
“Comparação de números
inteiros”, é interessante que
o aluno já tenha se apro-
priado da compreensão da
associação dos números
2 Comparação de números inteiros com pontos da reta numé-
rica auxiliando no estudo
Ricardo olhou a temperatura no termômetro em dois dias diferentes e teve uma dúvida: do tema. Normalmente os
alunos não apresentam difi-
Hoje parece culdades na comparação de
mais frio. Mas a números inteiros positivos,
Que frio! temperatura 24 °C porém na comparação de
é maior ou menor números negativos é muito
frequente que digam que,

ILUSTRAÇÕES: ROBERTO ZOELLNER


que 3 °C?
por exemplo, 26 é maior
que 22. Isso ocorre por se
aterem ao valor absoluto
do número. Por esse moti-
vo, devido ao apelo visual,
é importante estimulá-los
a recorrer, sempre que ne-
cessário, à representação da
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

reta numérica ao fazer com-


Para responder à dúvida de Ricardo, precisamos determinar qual dos números é maior: 24 parações entre esses tipos
ou 3. Para compará-los, podemos utilizar a reta numérica, marcando os pontos associados a es- de números. Outro modo
ses números. Veja: de auxiliar os alunos na
compreensão do conteúdo
é utilizar como ferramenta
–7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 r
o termômetro e propor os
seguintes questionamentos:
O número 24 é menor que 3, pois o ponto que o representa está localizado à esquerda do que

ILUSTRAÇÕES: LUIZ RUBIO


Qual temperatura é mais
representa o 3 na reta numérica. fria, 21 °C ou 29 °C? E en-
Indicamos: 24 , 3 (lemos: “menos quatro é menor que três”) tre 0 °C ou 27 °C?
Agora, vamos comparar os números 22 e 25. Veja a representação na reta numérica.

–7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 r

O ponto que representa o 22 está localizado à direita do ponto que representa o 25.
Logo, 22 é maior que 25.
Indicamos: 22 . 25 (lemos: “menos dois é maior que menos cinco”)
Dados dois números inteiros quaisquer, o maior deles será aquele cujo ponto que o repre-
senta estiver à direita do ponto que representa o outro na reta numérica.
Observações

1 De maneira geral:
• qualquer número negativo é menor que zero;
• qualquer número positivo é maior que zero;
• todo número positivo é maior que qualquer número negativo.
2 Dado um número inteiro qualquer representado por um ponto na reta numérica, o ponto
“vizinho” à sua direita representa seu sucessor, e o ponto “vizinho” à sua esquerda representa
seu antecessor.

21

21
• Na atividade 5, os alunos
terão que trabalhar com da-
tas referentes a fatos ocorri-

LUIZ RUBIO
dos antes do nascimento de 1.
Cristo (a.C.). Em diversas situ- 26 24 22 21 0 2 3 7

ações do cotidiano, especial- ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.


mente, nas aulas de História,
por exemplo, eles precisarão 1 Represente os números abaixo em uma c) os três primeiros números inteiros
lidar com datas expressas reta numérica: menores que 11; 0, 21 e 22
dessa forma e estabelecer 21, 3, 24, 7, 0, 22, 26, 2 d) o número inteiro sucessor de 213. 212
comparações entre elas.
Agora, responda às questões. 5
Comente que atualmente o Imaginando que Pitágoras tenha nascido
calendário utilizado por nós a) Qual é o maior desses números? 7 no ano 580 a.C. e Tales de Mileto, no ano
é chamado de gregoriano e b) Qual é o menor desses números? 26 624 a.C., pergunta-se:
que adota o ano de nasci- c) Qual é o número inteiro situado entre a) Quem nasceu primeiro? Tales de Mileto
mento de Cristo como ano 1. 24 e 22? 23 b) Qual era a diferença de idade entre
Os anos antes de Cristo esses dois homens? 44 anos
são indicados por a.C., e os 2 Escreva no caderno os números inteiros
depois de Cristo por d.C. abaixo, em ordem decrescente, usando o
A representação gráfica sinal .. 7 . 6 . 3 . 0 . 21 . 24 . 28
pode auxiliar na compreen- 24, 7, 28, 3, 21, 0, 6

ILUSTRAÇÕES: XAVI
são desse tipo de atividade. 3 Usando os sinais . ou ,, faça a compa-
ração entre os seguintes pares de núme-

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


ros inteiros:
a) 13 12 13 . 12 e) 12 0 12 . 0
b) 25 26 25 . 26 f) 22 21 22 , 21 Ilustração de Pitágoras, Ilustração de Tales,
que foi um filósofo e que foi um sábio da
c) 24 1424 , 14 g) 23 24 23 . 24 matemático grego. Grécia antiga.
d) 0 21 0 . 21 h) 0 210 0 . 210
6 Responda às questões.
4 Determine: a) Qual é o maior número inteiro menor
a) o número inteiro antecessor de 29; 210 que 250? 251
b) o número inteiro sucessor de 214; 213 b) Qual é o menor inteiro de três algarismos?
999
2999

• É recomendável, ao traba-
lhar adições com números
inteiros, explorar a ideia
de que, quando juntamos 3 Adição de números inteiros
dois prejuízos, obtemos um
prejuízo; quando juntamos Observe as situações a seguir.
dois lucros, obtemos um
lucro; e, quando juntamos Situação 1
um prejuízo com um lucro,
o resultado dependerá do Ana estava com alguns problemas financeiros. Mesmo com o saldo da conta bancária em
valor absoluto de cada um. R$ 200,00 negativos, ela fez uma retirada de R$ 400,00. Qual o saldo da conta de Ana após
Incentive os alunos a esti- a retirada?
mar resultados antecipan- Pelos dados do enunciado, temos:
do se o sinal da operação
• saldo inicial: 2200 • retirada: 2400
será positivo ou negativo.
Trata-se de uma maneira de Para responder à pergunta, podemos fazer: (2200) 1 (2400) 5 2600
associar estimativas a téc- Observe a representação dessa operação na reta numérica:
nicas de cálculo. Aproveite
– 400
a oportunidade e converse
LUIZ RUBIO

sobre as vantagens de fazer


– 600 – 500 – 400 – 300 – 200 – 100 0 +100 +200 +300 +400
previsões de resultados e o
quanto isso é usado em si-
Portanto, Ana ficou com R$ 600,00 de saldo negativo em sua conta.
tuações do cotidiano.
22

22
• Sugira aos alunos que
resolvam as operações mos-
tradas nos exemplos com o
auxílio da reta numérica.

Em adições cujas parcelas têm o mesmo sinal, adicionamos os valores absolutos dessas
parcelas e mantemos o sinal.

Exemplos

• (210) 1 (217) 5 227 • (285) 1 (215) 5 2100


• (110) 1 (113) 5 123 • (270) 1 (290) 5 2160

Situação 2
O saldo da conta bancária de Ronaldo era R$ 300,00. Sabendo que Ronaldo fez uma retirada
de R$ 200,00, com quantos reais ficou o saldo da conta?
Pelos dados do enunciado, temos:
• saldo inicial: 1300
• retirada: 2200
Para responder à pergunta, podemos fazer:
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

(1300) 1 (2200) 5 1100


Observe a representação dessa adição na reta numérica:
– 200

– 600 – 500 – 400 – 300 – 200 – 100 0 +100 +200 +300 +400

Portanto, Ronaldo ficou com R$ 100,00 de saldo positivo na conta.

Situação 3
O saldo bancário da conta de Liana em 4 de outubro era R$ 350,00 negativos. No dia
seguinte, ela fez um depósito de R$ 600,00 em sua conta bancária. Após esse depósito, com
que saldo ficou a conta de Liana?
Pelos dados do enunciado, temos:
• saldo inicial: 2350
• depósito: 1600
Para responder à pergunta, podemos fazer:
(2350) 1 (1600) 5 1250
Observe a representação dessa adição na reta numérica:
ILUSTRAÇÕES: LUIZ RUBIO

+ 600

– 600 – 500 – 400 – 300 – 200 – 100 0 +100 +200 +300 +400
– 330 + 250
GEORGE TUTUMI

Portanto, a conta de Liana ficou Quando junto dois


com saldo de R$ 250,00. prejuízos, obtenho um prejuízo.
Quando junto dois lucros,
obtenho um lucro. Quando
junto um prejuízo com um
lucro... aí depende do valor
absoluto de cada um.

23

23
Em adições cujas parcelas têm sinais contrários, subtraímos os valores absolutos dessas
parcelas e mantemos o sinal do número de maior valor absoluto.

Exemplos

• (25) 1 (17) 5 12 • (235) 1 (120) 5 215


• (110) 1 (213) 5 23 • (150) 1 (290) 5 240

• Explique aos alunos que


essas propriedades podem
Propriedades da adição de números inteiros
ser demonstradas matema-
As propriedades que veremos a seguir podem simplificar os cálculos com números inteiros.
ticamente, mas que não se-
rão feitas neste momento,
e que neste livro apresen- Propriedade comutativa
tamos apenas exemplos de Em uma adição com números inteiros, a ordem das parcelas não altera a soma.
verificação.
Exemplos

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


• (26) 1 (15) 5 21 e (15) 1 (26) 5 21 • (219) 1 (28) 5 227 e (28) 1 (219) 5 227

Propriedade associativa
Em uma adição de números inteiros com mais de duas parcelas, podemos associar essas
parcelas de diferentes maneiras sem alterar a soma.
Exemplos

• [(23) 1 (15)] 1 (14) 5 (12) 1 (14) 5 16

(23) 1 [(15) 1 (14)] 5 (23) 1 (19) 5 16

• [(131) 1 (29)] 1 (223) 5 (122) 1 (223) 5 21

(131) 1 [(29) 1 (223)] 5 (131) 1 (232) 5 21

Elemento neutro
Em uma adição com duas parcelas em que uma delas é zero, o resultado é igual à outra
parcela. O zero é o elemento neutro da adição.
Exemplos

• (16) 1 0 5 0 1 (16) 5 16 • (25) 1 0 5 0 1 (25) 5 25

Elemento oposto
Em uma adição em que as duas parcelas são números opostos, a soma é zero.
Exemplos

• (27) 1 (17) 5 0 • (126) 1 (226) 5 0

24

24
ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.

1 Calcule.
a) (15) 1 (13) 18 c) 0 1 (28) 28 e) (240) 1 (113) 227
b) (27) 1 (210) 217 d) (15) 1 (220) 215 f) (28) 1 (217) 225

2 Uma pessoa tinha saldo positivo de R$ 600,00 em sua conta bancária. Sabendo que ela retirou
R$ 1 000,00, o saldo passou a ser positivo ou negativo? Qual é o novo saldo da conta?
negativo; 2R$
R$ 400,00
3 Um avião está a uma altitude de 8 000  m. Se ele subir 3 000  m e, em seguida, descer
4 500 m, qual será sua altitude após a descida? 6 500 m
4 Nas quatro primeiras semanas de fevereiro, a empresa Gama apresentou o seguinte
demonstrativo.
1a semana lucro R$ 5 680,00
2 semana
a
prejuízo R$ 1 329,00
3a semana lucro R$ 2 400,00
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

4 semana
a
prejuízo R$ 4 260,00

a) Qual foi o saldo final da empresa no período considerado? R$ 2 491,00


b) Devemos representar o saldo por um número positivo ou negativo? positivo
5 Elabore um problema cujo resultado seja 225. Junte-se a um colega e verifiquem se os pro-
blemas estão corretos. Exemplo de resposta: “No último campeonato, meu time marcou 3 gols e
sofreu 28. Qual foi o saldo de gols do meu time?”
6 Escreva no caderno as propriedades utilizadas em cada caso.
a) (135) 1 0 5 0 1 (135) 5 135 elemento neutro e comutativa
b) (18) 1 (29) 5 (29) 1 (18) comutativa
c) (16) 1 (26) 5 0 elemento oposto
d) [(23) 1 (28)] 1 (12) 5 (23) 1 [(28) 1 (12)] associativa
7 Observe como Rita, Maísa e Ilda calcularam o valor da expressão: • Na atividade 7, proponha
(214) 1 (28) 1 (243) 1 0 1 22 1 8 1 43 1 14 aos alunos que identifiquem,
nos procedimentos apresen-
Cálculo de Rita tados por Rita, Maísa e Ilda,
(14)
14)  ((8)
8)  ((43)
43)  0  22  8  43  14  qual foi a propriedade uti-
 ((22)
22)  ((43)
43)  0  22  8  43  14  lizada em cada resolução.
Em seguida, chame a aten-
 ((65)
65)  0  22  8  43  14 
ção deles para o fato de que
 ((65)
65)  22  8  43  14  conhecer as propriedades
 ((43)
43)  8  43  14  das operações pode facilitar
 ((35)
35)  43  14  e agilizar a realização dos
 8  14  22 cálculos de um problema.
ILUSTRAÇÕES: ADILSON SECCO

Cálculo de Maísa
(14)  (8)  (43)  0  22  8  43  14 

 (65)  0  87 
 (65)  87  22

25

25
Lembre-se:
Não escreva no livro!

Cálculo de Ilda
(14)  (8)  (43)  0  22 8  43  14 

 0  0  0  0  22  22

a) Alguma delas errou o cálculo? não

ADILSON SECCO
b) Qual delas fez um procedimento mais prático? Por quê? Espera-se que os alunos respondam
que foi Ilda, porque ela aplicou a
c) Use um dos procedimentos anteriores para calcular: propriedade do elemento oposto.
(218) 1 101 1 9 1 (2101) 1 (238) 1 22 1 18 1 38 31

• Ao trabalhar a subtra-
ção de números inteiros,
é fundamental diferen- 4 Subtração de números inteiros

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


ciar o sinal do número e o
sinal da operação, indica- Observe na tabela a seguir a classificação de algumas seleções mundiais nas eliminató-
dos pelo símbolo “2”. Essa rias para a Copa do Mundo da Fifa de 2018.
diferenciação é o primeiro
passo para que os alunos Eliminatórias da Copa do Mundo da Fifa 2018
compreendam como essas
subtrações são efetuadas e Classificação Seleção Gols pró Gols contra Saldo de gols
em que situações podem ser 2o
Uruguai 32 20 12
utilizadas.
4o Colômbia 21 19 2
• No trabalho com núme-
ros negativos, é importan- 6o
Chile 26 27 21
te que o aluno entenda 7o Paraguai 19 25 26
que toda subtração pode Dados obtidos em: <https://www.fifa.com/worldcup/preliminaries/southamerica/index.html>.
ser transformada em uma Acesso em: 11 jul. 2018.
soma adicionando-se o pri-
meiro número ao oposto Qual foi a diferença entre o saldo de gols do Uruguai e o do Chile?
do segundo. Segundo a tabela, temos:
• Se achar necessário, apro-
funde a discussão sobre os • saldo de gols do Uruguai: 112
sinais, comparando as seguin- • saldo de gols do Chile: 21
tes sentenças: Localizando os pontos correspondentes aos números 112 e 21 na reta numérica, temos:
(21) 2 (13) 5 24
(21) 1 (23) 5 24

LUIZ RUBIO
Em seguida, chame a aten- –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 +8 +9 +10 +11 +12 +13 r
ção dos alunos para o fato
de que, apesar de as duas A diferença entre o saldo de gols do Uruguai e o do Chile pode ser assim calculada:
sentenças apresentarem o
(112) 2 (21)
mesmo resultado, na segun-
da, o sinal que aparece an- Observe que 2(21) é o simétrico do número 21, ou seja, é igual a 11. Assim:
tes do 3 não é o operador de 2(21) 5 11
subtração, mas sim o indica-
(112) 2 (21) 5 (112) 1 1 5 113
dor de que o 3 é um número
negativo. Portanto, a diferença entre o saldo de gols do Uruguai e o do Chile foi de 13 gols.

26

26
Quantos gols faltavam para o Paraguai alcançar o saldo de gols da Colômbia?
Segundo a tabela, temos:
• saldo de gols do Paraguai: 26
• saldo de gols da Colômbia: 12
Localizando os pontos correspondentes aos números 26 e 12 na reta numérica, temos:

– 10 –9 –8 –7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 r

A diferença entre o saldo de gols do Paraguai e o da Colômbia pode ser assim calculada:
(26) 2 (12)
Observe que 2(12) é o simétrico do número 12, ou seja, é igual a 22 . Assim:
2(12) 5 22

(26) 2 (12) 5 (26) 2 2 5 28


Portanto, a diferença entre o saldo de gols do Paraguai e o da Colômbia foi de 28, ou seja,
faltavam 8 gols para o Paraguai alcançar o saldo de gols da Colômbia.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Qual foi a diferença entre o saldo de gols do Chile e o do Paraguai?


Segundo a tabela, temos:
• saldo de gols do Chile: 21
• saldo de gols do Paraguai: 26
Localizando os pontos correspondentes aos números 21 e 26 na reta numérica, temos:

– 10 –9 –8 –7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 r

A diferença entre o saldo de gols do Chile e o do Paraguai pode ser assim calculada:
(21) 2 (26)
Observe que 2(26) é o simétrico do número 26, ou seja, é igual a 16. Assim:
2(26) 5 16

(21) 2 (26) 5 (21) 1 6 5 15


Portanto, a diferença entre o saldo de gols do Chile e o do Paraguai foi de 5 gols.

Observações

1 Podemos eliminar os parênteses no registro e no cálculo de adições e de subtrações com nú-


meros inteiros. Veja como:
• Quando, antes dos parênteses, o sinal for “1” (que pode não estar explícito, ou seja, pode
não aparecer), mantemos os sinais dos números que estão no interior dos parênteses.
Observe os exemplos:
ILUSTRAÇÕES: LUIZ RUBIO

1(16) 5 16 5 6 1(215) 5 215 (228) 5 228 (110) 5 110 5 10


• Quando o sinal que antecede os parênteses for “2”, trocamos os sinais dos números que
estão no interior dos parênteses. Observe os exemplos:
2(17) 5 27 2(25) 5 15 5 5 2(6) 5 26 2(28) 5 18 5 8

27

Sugestão de leitura para o aluno


A invenção dos números, Oscar Guelli. São Paulo: Ática, 1998.
Nessa obra, o autor apresenta a interessante história do aparecimento dos números, desde os primeiros
registros, com o uso dos dedos, passando pelos nós em cordões, até chegar ao surgimento dos algarismos.
O livro também aborda os diferentes conjuntos de números.

27
2 O registro e o cálculo das adições e das subtrações com números inteiros podem ser simplifica-
dos quando eliminamos os parênteses. Veja os exemplos:
• (13) 1 (14) 5 17, ou 3 1 4 5 7 • (18) 2 (14) 5 (18) 24 5 14, ou 8 2 4 5 4
• (15) 1 (22) 5 13, ou 5 2 2 5 3 • (29) 2 (25) 5 (29) 15 5 24, ou 29 1 5 5 24
• (27) 1 (14) 5 23, ou 27 1 4 5 23 • (15) 2 (23) 5 (15) 13 5 8, ou 5 1 3 5 8
• (23) 1 (210) 5 213, ou 23 2 10 5 213 • (26) 2 (14) 5 (26) 2 4 5 210, ou 26 2 4 5 210

Expressões numéricas com adições e subtrações


Observe formas diferentes de calcular o valor da expressão (28) 1 (110) 2 (23) 1 (24):

Escrevemos as subtrações na forma de (28) 1 (110) 2 (23) 1 (24) 5


adição e calculamos as adições na ordem
5 (28) 1 (110) 1 3 1 (24) 5
em que aparecem.
5 (12) 1 (13) 1 (24) 5

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


5 (15) 1 (24) 5
5 (11) 5 1

Eliminamos todos os parênteses antes de iniciar os cálculos. Veja dois modos de resolver:

(28) 1 (110) 2 (23) 1 (24) 5 ou (28) 1 (110) 2 (23) 1 (24) 5


5 28 1 10 1 3 2 4 5 5 28 1 10 1 3 2 4 5
5 12 1 3 2 4 5 5 28 2 4 1 10 1 3 5
5 15 2 4 5 5 212 1 13 5
5 11 5 1 5 11 5 1
Nesse cálculo, as operações foram Nesse caso, agrupamos os números
feitas na ordem em que apareceram. positivos e os números negativos
antes de efetuar as operações.
• Comente com os alunos Agora, veja exemplos das expressões com os sinais de associação, que devem ser eliminados
que o procedimento para nesta ordem: parênteses, colchetes e chaves.
eliminar colchetes ou chaves
é o mesmo que adotamos Exemplos
para os parênteses.
• 26 2 [16 2 (25 2 7)] 5 • 20 1 {25 2 [4 2 (2 2 7)] 2 10} 5

5 26 2 [16 2 (212)] 5 5 20 1 {25 2 [4 2 (25)] 2 10} 5

5 26 2 [16 1 12] 5 5 20 1 {25 2 [4 1 5] 2 10} 5

5 26 2 28 5 5 20 1 {25 2 9 2 10} 5

5 22 5 20 2 24 5

5 24

28

28
• Antes de solicitar a reso-
lução das atividades, chame
a atenção dos alunos para
os dois principais pontos
que devem ser compreendi-
ATIVIDADES Faça as atividades no caderno. dos para resolver expressões
numéricas: a ordem em que
1 Efetue. 6 Determine o valor de cada . operações aparecem e a or-
a) (28) 2 (17) 215 d) (23) 2 (17) 210 a) 1 (28) 2 (23) 5 17 112 dem de eliminação dos pa-
rênteses, colchetes e chaves.

GUILHERME CASAGRANDI
b) (230) 2 (170) e) (110) 2 (130) 220 b) (18) 2 (2 ) 1 (23) 5 25 210
100
2100 • A atividade 3 exige uma
c) (272) 2 (130)
30) f) (180) 2 (215) 195 c) (148) 2 (236) 1 (240) 2 (1 ) 5 275 calculadora que possua a te-
102
2102 1119
2 Calcule. 7 cla 12 . Explique que essa
A temperatura em uma cidade pela manhã
a) (2650) 2 (1300) 2950 era 18 °C. À noite, ela caiu para 25  °C. tecla muda o sinal do núme-
Qual é a diferença, em grau Celsius, entre ro que foi digitado antes,
b) (2850) 2 (2850) 0
as temperaturas registradas nesses dois ou seja, modifica o número
c) (11 300) 2 (21 100) 12 400 momentos? 23 ºC para o oposto do número
3 Carlos aprendeu que, na calculadora, ao que está no visor. Portanto,
digitar a tecla  após um número, ela é conveniente pedir aos alu-
atribui um valor negativo a esse número. nos que digitem e analisem
GUILHERME CASAGRANDI

alguns valores antes de rea-

GEORGE TUTUMI
Observe as teclas que ele digitou:
1 0   1 5   lizar a atividade.
• Situações como a apre-
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

a) Usando uma calculadora, responda: sentada na atividade 8, que


qual foi o resultado que Carlos obteve trata da noção de balança
na calculadora? 5 comercial, devem ser fre-
b) No caderno, escreva a expressão e 8 Podemos obter o saldo da balança quentemente exploradas,
resolva-a, verificando o resultado ob-
comercial de um país, em determina- porque contribuem para a
tido no item a. 210 1 15 5 5 do ano, calculando a diferença entre a formação do aluno como
4 Calcule. quantia recebida com as exportações cidadão, capacitando-o a
e a quantia  gasta com as importações. interpretar e analisar infor-
a) (18) 1 (27) 1 (23) 22 mações amplamente vei-
Suponha que o Brasil, em determina-
b) (12) 2 (15) 2 (13) 26 do ano, tenha recebido 160 bilhões de culadas pelos meios de co-
c) (110) 2 (220) 2 (130) 0 dólares com as exportações e tenha municação. Por essa mesma
gastado 120  bilhões de dólares com as razão, problemas envolven-
5 Calcule o valor das expressões. importações. De quanto foi o saldo da do interpretação de gráficos
a) 276 2 (7 2 18) 1 [70 2 (49 2 81)] 137 balança comercial do Brasil nesse deter- e de tabelas também devem
b) {[(73 2 64) 1 20] 2 (40 2 31)} 1 (23)
3) minado ano? ser propostos sempre que
17
117 40 bilhões de dólares (saldo positivo) possível.

5 Multiplicação de números inteiros


Já vimos que 4 8 3 5 3 1 3 1 3 1 3 5 12.
Observe alguns exemplos de multiplicação com números inteiros em que o primeiro número
é positivo.
(14) 8 (13) 5 4 8 (13) 5 (13) 1 (13) 1 (13) 1 (13) 5 112
(13) 8 (22) 5 3 8 (22) 5 (22) 1 (22) 1 (22) 5 26

Agora, observe alguns exemplos em que o primeiro número é negativo.


(24) 8 (13) 5 2(14) 8 (13) 5 2[4 8 (13)] 5 2[(13) 1 (13) 1 (13) 1 (13)] 5 2[112] 5 212
(23) 8 (22) 5 2(13) 8 (22) 5 2[3 8 (22)] 5 2[(22) 1 (22) 1 (22)] 5 2[26] 5 16

29

29
• Ao trabalhar multiplica-
ções com números inteiros,
é importante usar exemplos Lembre-se:
que permitam aos alunos Não escreva no livro!
compreender o fundamento De forma geral, podemos descrever a multiplicação com números inteiros em dois casos:
das regras de sinais para evi-
tar que sejam memorizadas
sem qualquer significado. Em multiplicações de dois números inteiros de mesmo sinal, o resultado é um número positivo.
A compreensão efetiva des-
sas regras é fundamental
para que assimilem também Exemplos
o comportamento dos sinais
em uma divisão de núme- • (14) 8 (15) 5 120
E se um dos
ros inteiros, uma vez que é • (26) 8 (27) 5 142 fatores for
a operação inversa da mul- • (211) 8 (211) 5 121
zero?
tiplicação. Portanto, não
fará sentido indicar, logo
de início, que as regras de

GEORGE TUTUMI
sinais para multiplicação e Em multiplicações de dois números inteiros de sinais
divisão são as mesmas. Essa diferentes, o resultado é um número negativo.
deverá ser a conclusão final
dos alunos.
Exemplos

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


• (19) 8 (25) 5 245
• (26) 8 (17) 5 242 Caso os alunos não percebam, diga
a eles que qualquer número inteiro
• (24) 8 (16) 5 24 8 6 5 224 multiplicado por zero resulta em zero.

Observe outros exemplos:


(13) 8 (25) 8 (26) 5 [3 8 (25)] 8 (26) 5 (215) 8 (26) 5 190
(15) 8 (18) 8 (211) 5 [5 8 8] 8 (211) 5 40 8 (211) 5 2440

Propriedades da multiplicação de números inteiros


As propriedades que veremos a seguir podem simplificar os cálculos com números inteiros.
Propriedade comutativa
Em uma multiplicação de dois ou mais números inteiros, a ordem dos fatores não altera o
produto.

Exemplos

• (14) 8 (25) 5 220


(25) 8 (14) 5 220
• (211) 8 (23) 5 133
(23) 8 (211) 5 133
• (29) 8 (12) 8 (25) 5 190
(25) 8 (29) 8 (12) 5 190
(12) 8 (25) 8 (29) 5 190
(29) 8 (25) 8 (12) 5 190

30

30
Propriedade associativa
Em uma multiplicação de três ou mais números inteiros, podemos associar esses números
de maneiras diferentes sem alterar o produto.
Exemplos

• [(24) 8 (13)] 8 (25) 5 (212) 8 (25) 5 160

(24) 8 [(13) 8 (25)] 5 (24) 8 (215) 5 160

• [(17) 8 (27)] 8 (13) 5 (249) 8 (13) 5 2147

(17) 8 [(27) 8 (13)] 5 (17) 8 (221) 5 2147

Elemento neutro
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Em uma multiplicação de dois números inteiros em que um deles é igual a 1, o resultado é


igual ao outro número inteiro.
O número 11 é o elemento neutro da multiplicação.
Exemplos

• (18) 8 (11) 5 (11) 8 (18) 5 18 • (11) 8 (262) 5 (262) 8 (11) 5 262

Propriedade distributiva • Mostre aos alunos as mul-


tiplicações propostas nos
O produto da multiplicação de um número inteiro pela soma (ou pela diferença) de outros exemplos da propriedade
números pode ser obtido multiplicando o primeiro número por cada uma das parcelas e adicio- distributiva, de forma que
nando (ou subtraindo) os resultados obtidos. eles possam comparar os
cálculos. A princípio, faça
Exemplos sem aplicar a propriedade
distributiva, respeitando
as operações entre os col-
• (14) 8 [(23) 1 (12)] 5 (14) 8 (23) 1 (14) 8 (12) 5 (212) 1 (18) 5 24 chetes e depois as multi-
plicações. Em seguida, rea-
lize os cálculos aplicando a
• (25) 8 [(22) 2 (14)] 5 (25) 8 (22) 2 (25) 8 (14) 5 (110) 2 (220) 5 1 10 1 20 5 30 propriedade. Comente com
os alunos que aplicar a pro-
priedade distributiva pode
Observação ser um facilitador em várias
situações, incluindo a reali-
A propriedade distributiva pode ser empregada para o cálculo mental de um produto. Exemplo: zação de cálculos mentais.

(24) 8 (1312) 5 (24) 8 (300 1 10 1 2) 5


5 (24) 8 (1300) 1 (24) 8 (110) 1 (24) 8 (12) 5
5 (21 200) 1 (240) 1 (28) 5 21 248

31

31
• Na atividade 2, é impor-
tante explicar aos alunos
que, dependendo da manei-
ra como associamos os fato- 4. Não, porque, ao multiplicar um número por (21) por qualquer número inteiro não nulo, o
res, os cálculos com núme- produto será o oposto desse número.
ros inteiros tornam-se mais ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.
simples, portanto o uso
das propriedades da mul- 1 Calcule os produtos. 5 Calcule o produto da soma dos núme-
tiplicação como estratégia a) (111) 8 (13) 133 ros 29, 16, 22, 18 e 215 pelo simétrico
nos cálculos mentais pode da diferença entre 26 e 23. 236
desenvolver esquemas que b) (21) 8 (25) 15
6 Escreva no caderno a propriedade aplica-
ampliem o repertório para a c) (19) 8 (27) 263
da em cada caso.
realização dos cálculos. d) (27) 8 (27) 49
a) 2 8 [(119) 8 (24)] 5 [2 8 (119)] 8 (24)
• Na atividade 3, é conve- e) 0 8 (210) 0 associativa
niente usar da reta numé- b) (22) 8 (13) 5 (13) 8 (22) comutativa
f) (211) 8 (17) 277
rica para ilustrar quais são c) (27) 8 (11) 5 (11) 8 (27) 5 27 elemento
neutro
os quatro maiores números g) (212) 8 (123) 2276
d) 25 8 (4 1 2) 5 25 8 4 1 (25) 8 2 distributiva
negativos. É uma boa opor- h) (216) 8 (26) 196
tunidade para a retoma- i) (212) 8 (12) 2144 7 Aplique a propriedade distributiva para
da de assuntos abordados j) (220) 8 (115) 2300 calcular o resultado de cada item.
anteriormente, tal como a a) (23) 8 (220 1 7) 39 c) 2 8 (27 1 5) 24
comparação entre números 2 Para cada item, obtenha mentalmente o b) (25 2 18) 8 (25) 235 d) (8 2 3) 8 (24) 220
inteiros. sinal do resultado e escreva-o no caderno.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


• O cálculo mental auxilia na Em seguida, calcule os produtos. 8 Existem 12  multiplicações de números
compreensão do sistema de
a) (27) 8 (28) 8 (13) 1168 inteiros que têm como produto 12. Uma
numeração e as propriedades delas é 3 8 4; outra é 4 8 3. Quais são
das operações, portanto, na b) (24) 8 (12) 8 (211) 188
as demais?
atividade 9, caso os alunos c) (17) 8 (12) 8 (13) 8 (21) 242
apresentem dificuldades, d) (14) 8 (27) 8 (19) 8 (211) 12 772 9 Aplique a propriedade distributiva para
recomende a eles que reali- calcular mentalmente o produto de
e) (18) 8 (26) 8 (25) 8 (13) 8 (12) 11 440
zem os cálculos em etapas.
f) (25) 8 (26) 8 (23) 8 (22) 8 (21) 2180 (27) 8 421. 2 947
A princípio, eles podem de-
compor mentalmente o nú- 10 Calcule o valor de cada expressão numérica,
3 Calcule o produto dos quatro maiores
mero 421 (400 1 20 1 1), sabendo que as multiplicações devem ser
para somente então aplicar números inteiros negativos. 124
feitas antes das adições e subtrações.
a propriedade distributiva. a) 230 2 5 8 [(21) 8 (15 2 3 8 6) 1 9 2 3 8 4] 230
4 Podemos afirmar que o elemento neutro da
multiplicação dos números inteiros é o 21? b) 25 1 [(220) 8 (215 1 30) 8 (21)] 1295
Justifique sua resposta. c) 18 1 4 8 [26 2 4 8 (25 1 6)] 222

8. 1 8 12; 12 8 1; 2 8 6; 6 8 2; 21 8 (212); 212 8 (21); 22 8 (26); 26 8 (22); 23 8 (24); 24 8 (23)

6 Divisão exata de números inteiros


A divisão exata é a operação inversa da multiplicação. Em uma divisão exata, o quociente é o
número que, multiplicado pelo divisor, tem como resultado o dividendo. Observe os exemplos:
20 9 5 5 4, porque 4 8 5 5 20
7,2 9 2,4 5 3, porque 3 8 2,4 5 7,2
Essa mesma ideia pode ser aplicada a divisões com números inteiros. Veja:
(130) 9 (16) 5 15, porque (15) 8 (16) 5 130
(130) 9 (26) 5 25, porque (25) 8 (26) 5 130
(230) 9 (26) 5 15, porque (15) 8 (26) 5 230
(230) 9 (16) 5 25, porque (25) 8 (16) 5 230
32

32
De forma geral, podemos observar a divisão com números Lembre-se de
que nunca
inteiros em dois casos:
podemos dividir
por zero.

Em uma divisão, se o dividendo e o divisor tiverem os


mesmos sinais, o quociente será um número positivo.

Exemplos

GEORGE TUTUMI
• (260) 9 (210) 5 16 • (132) 9 (18) 5 14

Em uma divisão, se o dividendo e o divisor tiverem os


sinais contrários, o quociente será um número negativo.

Exemplos
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

• (2100) 9 (120) 5 25 • (120) 9 (210) 5 22

ATIVIDADES Faça as atividades no caderno. • A atividade 3 apresenta


uma boa oportunidade para
1 Calcule o resultado das operações. 4 Calcule o valor de cada expressão. reforçar a relação existente
entre a língua materna e a lin-
a) (16) 9 (13) 12 Lembre-se de que se deve calcular o resul-
guagem matemática. Se achar
tado das operações dos parênteses antes
b) (110) 9 (25) 22 conveniente, retome o signifi-
de dividir.
c) (232) 9 (24) 18 cado de “dobro”, “triplo”,
a) (16 2 30 1 48) 9 (22) 217 “quádruplo”, “terço”, “quar-
d) (21) 9 (11) 21 b) (215 1 20 1 40) 9 (15) 19 to”, entre outros termos,
e) 0 9 (21) 0 c) (25 1 7 2 35) 9 (211) 13 antes de iniciar a atividade.
f) (263) 9 (221) 13
5 Escreva, no caderno, valor de cada .
g) (11 296) 9 (248) 227
a) 9 (25) 5 8 240
2 Qual é o sinal do quociente quando o di- b) (230) 9 5 26 5
videndo e o divisor: c) 9 (27) 5 0 0
a) são positivos? positivo d) (220) 9 5 21 20
b) são negativos? positivo 6 Calcule o valor das expressões.
c) têm sinais contrários? negativo a) 22 1 {21 1 [5 2 3 8 (10 1 1) 9 3] 2 5 8 7} 244
44
b) 25 2 [3 8 (7 2 5 2 3) 2 22 9 11] 0
3 Calcule mentalmente:
c) 2 2 (5 8 10 1 6) 2 5 8 20 9 (217 1 13) 229 29
a) o dobro de 12; 24
d) 3 2 {30 9 5 2 [27 8 (5 2 2) 1 3] 9 6} 26
b) a metade de 238; 219
7 Determine o quociente entre dois nú-
c) o oposto do dobro de 15; 230
meros inteiros não nulos quando esses
d) a metade do oposto de 260; 30 números são:
e) a terça parte de 236. 212 a) iguais; 1 b) opostos. 21

33

Sugestão de atividade extra


• Para consolidar a aprendizagem das quatro operações com números inteiros, proponha o jogo O bingo
dos números inteiros, do portal Dia a Dia Educação.
Disponível em: <http://www.matematica.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=223>.
Acesso em: 2 out. 2018.

33
• As regras para a poten-
ciação em que a base é um
número inteiro, bem como
as propriedades dessa ope-
ração, devem ser justificadas
a partir da própria definição
de potenciação (multiplica- 7 Potenciação em que a base é um
ção de fatores iguais).
número inteiro
Já vimos que, do estudo da potenciação com números naturais, a potência é um produto de
fatores iguais à base. Observe o exemplo:
expoente

2 5 2 8 2 8 2 8 2 8 2 5 32
5

base 5 fatores potência


iguais a 2

No estudo da potenciação em que a base é um número inteiro e o expoente é um número


natural, vale a mesma ideia, ressaltando os cuidados que devemos ter com os sinais, como
veremos a seguir.

Se o expoente for um número par, a potência será um número inteiro positivo.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


Exemplos

• (15)2 5 (15) 8 (15) 5 125


• (22)4 5 (22) 8 (22) 8 (22) 8 (22) 5 116

Se o expoente for um número ímpar, a potência terá o mesmo sinal da base.


Exemplos

• (15)3 5 (15) 8 (15) 8 (15) 5 1125


• (23)3 5 (23) 8 (23) 8 (23) 5 227

Espera-se que os alunos cheguem


à conclusão de que 01 é igual a 0 e
Observações que 00 é impossível de calcular, já
que toda potência de expoente zero
1 Toda potência de expoente 1 que tem um número inteiro tem que ter base não nula, ou seja,
como base é igual à própria base. Veja os exemplos: diferente de zero.

• (15)1 5 15 Será que eu


• (23)1 5 23 consigo calcular essas
duas potências?
2 Toda potência de expoente zero que tem um número inteiro O que você acha?
não nulo como base é igual a 1. Veja os exemplos:
• (15)0 5 11
• (23)0 5 11

3 Ao escrever uma potência com base negativa, sempre utili-


zamos os parênteses. Veja o exemplo:
• (23)2 5 (23) 8 (23) 5 19 GEORGE TUTUMI

Se não colocarmos os parênteses, o expoente é aplicado


somente à base. Observe:
• 232 5 2(3)2 5 2(3 8 3) 5 29

Veja sequência didática 1 do 34


1o bimestre do Material do
Professor – Digital.

34
ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.

1 Calcule as potências. 6 Com um colega, calcule.


a) (12)3 18
a) * 2 b) * 3
b) (27)4 12 401 (5 1 3)2 64 (2 2 4)3 28
c) (29)3 2729 5 1 32 34 2 2 43 256
d) (13)2 19
e) (217)0 11 • Agora, responda: sendo a e b números in-
teiros e n um número natural maior que 1,
f) (211)2 1121
é possível dizer que (a 1 b)n 5 an 1 bn ou
g) (235)1 235 que (a 2 b)n 5 an 2 bn? não
h) (21)3 21
i) (11 992)0 1 7 Lúcio escreveu sua idade na primeira
2
linha de uma folha de caderno. Na linha
Considerando a potenciação em que a ba- seguinte, ele escreveu uma  subtração
se é um número inteiro e o expoente é um de dois números inteiros cuja diferença
número natural, responda às questões. era sua idade. Na linha seguinte, substi-
a) Quando a base é um número inteiro tuiu esses dois números, respectivamen-
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

positivo, qual é o sinal da potência? te, por uma multiplicação de outros três
b) Quando a base é um número inteiro números inteiros e por uma divisão do
negativo, qual é o sinal da potência? quadrado de um número inteiro pe-
lo triplo de outro. Na linha se-
se
3 Calcule: (21) 8 (21) 8 (21) 8 ... 8 (21) 11 guinte, substituiu o primeiro
30 fatores
número da linha anterior
por uma subtração e o
4 Observe o esquema abaixo. segundo por uma
adição.
Avô
Assim, ele
obteve uma

GEORGE TUTUMI
Pai
expressão
Bisavós

Avó numérica,
sabendo
antecipadamente
LUIZ RUBIO

Avô Pessoa
seu valor. Veja o
que ele fez:
Mãe
15 5
Avó
5 24 2 9 5
5 (22) 8 4 8 (23) 2 [92 9 (3 8 3)] 5
Quantos bisavós cada pessoa tem? E quantos 5 (11 2 13) 8 (28 1 12) 8 (23) 2 [92 9 (3 8 3)]
trisavós? Dê as respostas na forma de a) Calcule mentalmente o valor da ex-
potência. bisavós: 23 5 8; trisavós: 24 5 16 pressão de Lúcio. 15
5 b) Invente duas expressões com cinco
Calcule o valor das expressões, sabendo
que devemos obrigatoriamente calcular operações diferentes com números
as potenciações antes das multiplicações inteiros e troque-as com as de um
e das divisões. colega, sem que ele saiba o número
que você pensou, para que cada um
a) (24) 2 [(28) 9 (12)]2 2 6 226 calcule o valor das expressões do outro.
b) (120) 9 (21)4 2 22 1 (22)5 9 (12)4 2 50 13 Depois, destroquem as expressões
c) (2576) 9 (212)2 2 (2125) 9 (25)2 11 para corrigi-las. Resposta pessoal. • Caso considere convenien-
te, organize os alunos em
2. a) Positivo, independentemente de o expoente ser par ou ímpar.
duplas ou trios e promova
b) Positivo, se o expoente for par, e negativo, se o expoente for ímpar. 35 uma gincana utilizando o
item b da atividade 7 como
modelo.

35
8 Raiz quadrada exata de números inteiros
Consideremos a seguinte pergunta: Qual é o número cujo quadrado é 25?
Pela potenciação, podemos observar que:
(25)2 5 (25) 3 (25) 5 25
(15)2 5 (15) 3 (15) 5 25
Portanto, temos duas soluções: 25 e 15.
Agora, vamos calcular utilizando a radiciação, representada pelo símbolo .
Essa operação nos permite determinar a raiz quadrada de um número. Observe o cálculo da
raiz quadrada de 25.
radical
índice da raiz 2
25 5 5 Lemos: “raiz quadrada de vinte e cinco é igual a cinco”

radicando

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


raiz

Então, também podemos dizer que 2 25 5 25? Não. Embora Não negativa: que perten-
(25)2 5 25 e (15)2 5 25, é definido que a raiz quadrada é única e não ce ao conjunto dos números
inteiros positivos incluindo o
negativa. Portanto, apenas o 15 é considerado raiz quadrada de 25. zero: {0, 1, 2, 3, 4, 5, ...} (con-
junto dos números naturais).
Assim, 2 25 5 5, pois 52 5 25.
O oposto do número 2 25 é 22 25 . Então: 22 25 5 25
Assim, quando o radical é precedido do sinal negativo, indicamos o oposto da raiz quadrada.
• Comente com os alunos
que, para simplificar a escri-
Exemplos
ta da raiz quadrada, não é
necessário escrever o índice 2 • Como 2 16 5 4 e o oposto do número 2 16 é 22 16 , então: 22 16 5 24
no radical.
• Como 2 100 5 10 e o oposto de 2 100 é 22 100 , então: 22 100 5 210
• Comente com os alunos
que um número quadrado
perfeito pode ser identifi- Observações
cado por dois métodos dife-
rentes: o geométrico e o da 1 Quando o índice da raiz é 2, podemos omiti-lo. Assim: 2 25 5 25 ; 2 16 5 16.
fatoração. No método geo-
2 A raiz quadrada de zero é zero: 0 5 0, pois 02 5 0.
métrico, os alunos devem
perceber que todos os qua- 3 Chamamos de números inteiros quadrados perfeitos aqueles que podem ser escritos
drados perfeitos são resul- como potência de base inteira e expoente 2. Os números 0, 1, 4, 9, 16, 25, 36, 49 e 64 são
tados do cálculo da área de exemplos de números inteiros quadrados perfeitos.
quadrados. Desenhe alguns A raiz quadrada de um número que não é número inteiro quadrado perfeito não é um
quadrados de medidas de número inteiro. Por exemplo, 5 não é número inteiro, pois 5 não é um número inteiro
lados 1, 2, 3, e assim suces-
quadrado perfeito.
sivamente, e proponha aos
alunos calcularem as áreas 4 A raiz quadrada de um número inteiro negativo não é um número inteiro, pois o quadrado de
desses quadrados formando um número inteiro nunca é negativo. Logo, não existe número inteiro cujo quadrado seja, por
a sequência dos números exemplo, o número 225.
1, 4, 9, 16, 25, ... No método Veja que 225 não é um número inteiro, mas 2 25 é um número inteiro: 2 25 5 25
da fatoração, se todos os
fatores apresentarem expo-
ente par, o número que está 36
sendo decomposto será um
quadrado perfeito.
Sugestão de leitura
• O site Clubes de Matemática da OBMEP, no texto Sala de Estudo: Quadrados perfeitos, disponibiliza dois
estudos interessantes sobre outras propriedades dos números quadrados perfeitos.
Disponível em: <http://clubes.obmep.org.br/blog/quadrado-perfeito/>. Acesso em: 2 out. 2018.

36
Expressões numéricas com números inteiros
Nas expressões numéricas envolvendo operações com números inteiros, as operações
devem ser efetuadas na seguinte ordem:
1o) potenciações e radiciações (na ordem em que aparecem);
2o) multiplicações e divisões (na ordem em que aparecem);
3o) adições e subtrações (na ordem em que aparecem).
Para os sinais de associação, também seguimos uma ordem: parênteses (), colchetes [] e,
por último, chaves { }.
Exemplos

• ((22 1 8)2 2 3 8 :` 16 1 4 j 9 3D2 9 (25) 5 • 6 2 (:` 25 2 49 j 8 32 2 6 8 4D 9 22 5


2

5 &(16)2 2 3 8 8(4 1 2) 9 3B0 9 (25) 5 5 6 2 '9(5 2 7)2 8 32 2 6 8 4C 9 21 5


5 $136 2 3 8 [6 9 3]. 9 (25) 5 5 6 2 '9(22)2 8 32 2 6 8 4C 9 21 5
5 #136 2 3 8 2- 9 (25) 5
5 6 2 &84 8 32 2 6 8 4B 9 20 5
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

5 #36 2 6- 9 (25) 5
5 30 9 (25) 5 5 6 2 %74 8 9 2 6 8 4A 9 2/ 5
5 26 5 6 2 %736 2 24A 9 2/ 5
5 6 2 $12 9 2. 5 6 2 6 5 0

ATIVIDADES Faça as atividades no caderno. • Atividades como a 7 não


são incomuns para os alu-
1 Determine. 6 Com um colega, calculem e observem nos, uma vez que muitos
a) 36 6 a diferença entre os resultados das ex- deles já tiveram conta-
pressões em cada item. to com esse tipo de jogo
b) 0 0 que estimula o raciocínio
a) * b) *
c) 2 196 214 16 1 9 5 100 2 36 8 lógico, parecido com um
d) 2 100 210 16 1 9 7 100 2 36 4 quebra-cabeça de números.
Alerte os alunos para fica-
2 Calcule o valor das expressões. • Agora, respondam: a raiz quadrada da rem atentos aos sinais dos
a) 81 2 100 1 64 7 soma de dois números é igual à soma números necessários para
das raízes quadradas de cada um des- obter o produto igual ao
b) 2 36 2 121 1 64 29
ses números? não número positivo 8 000.
c) 1 1 4 1 9 1 16 1 49 1 64 25
7 Junte-se a um colega, copiem no caderno
3 Qual é o valor d expressão? o quadro abaixo e completem-no, saben-
a) &8 49 1 (24 2 1)B 8 64 0 1 1 024
do que o produto dos números de cada
208
linha vertical, de cada linha horizontal e
das duas diagonais é igual a 8 000.
4 A área de um terreno com forma quadrada
28
é 400 m2. Qual é a medida, em metro, do 210 100
lado desse terreno? 20 m
2200 22
20
5 Determine o valor da raiz quadrada. 4 250 240
(22) 8 (14)2 8 (28) 16

37

Sugestão de atividade extra


• Os quadrados mágicos constituem uma ferramenta de aprendizagem para o desenvolvimento do racio-
cínio lógico dos alunos, contribuindo para a formação do senso de organização e estratégia de cálculo
na busca de resultados predeterminados. Essa ferramenta de trabalho pode ser facilmente encontra-
da na internet, assim como diferentes jogos com essa temática. Um exemplo de jogo é o Quadrado
mágico aditivo do portal M3 Matemática Multimídia, que, apesar de ser uma atividade proposta para o
Ensino Médio, pode ser adaptado para a faixa etária em questão.
Disponível em: <http://m3.ime.unicamp.br/recursos/1028>. Acesso em: 2 out. 2018.
37
Resolvendo em equipe
• Essa seção destaca as eta-
pas selecionadas para en-
caminhar a resolução de
problemas. Elas devem ser Resolvendo em equipe Faça a atividade no caderno.
analisadas e discutidas com
os alunos. Além de favore-
cer o desenvolvimento das (Enem) Um executivo sempre viaja entre as cidades A e B, que estão localizadas em
competências gerais 2, 4, fusos horários distintos. O tempo de duração da viagem de avião entre as duas cidades é
9 e 10 e das competências de 6  horas. Ele sempre pega um voo que sai de A às 15 h e chega à cidade B às 18 h
específicas 2, 3 e 5, a seção (respectivos horários locais).
permite a transferência de Certo dia, ao chegar à cidade B, soube que precisava estar de volta à cidade A, no máximo,
estratégias de resolução até as 13 h do dia seguinte (horário local de A).
para outros contextos e si- Para que o executivo chegue à cidade A no horário correto e admitindo que não haja atrasos,
tuações, servindo de base ele deve pegar um voo saindo da cidade B, em horário local de B, no máximo à(s) alternativa d
para a resolução das ativi-
dades do item “Aplicando” a) 16 h b) 10 h c) 7 h d) 4 h e) 1 h
da seção “Trabalhando os
conhecimentos adquiridos”
identificação dos dados

deste ou de outros capítu- • Leia o enunciado da questão e verifique se o horário da cidade B está adiantado ou
los, por exemplo.
Interpretação e

atrasado em relação ao da cidade A. O horário da cidade B está com 3 horas de atraso em


• O esquema de resolução • Responda:
relação ao da cidade A.
apresentado pode ser ex-
I. Em uma viagem rotineira, quando o avião chega a B, que horas são na cidade A? 21 h

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


plorado constantemente du-
rante as aulas, e não apenas II. Se o avião chegou às 18 horas a B, qual é a diferença de horário entre as cida-
nesta situação. É importante des A e B? 3 horas
que o aluno, individual ou
coletivamente, tenha clareza
a respeito de como proceder
resolução
Plano de

para interpretar, resolver e • Considerando as informações fornecidas pelo enunciado, elabore um esquema que
verificar a validade da solu- represente um possível processo de resolução do problema. Resposta pessoal.
ção de um problema mate-
mático.
• Auxilie os alunos soli-
citando que, a princípio, • Junte-se a dois colegas.
descubram qual a diferen- • Você deverá apresentar seu plano de resolução para os colegas, e eles farão o mesmo
ça de horários  entre as ci- com você. Escolham uma das resoluções para apresentar à classe.
Resolução

dades  A e B.  O problema


• Discutam as diferenças e as semelhanças entre os planos escolhidos e, com base na
nos informa que um exe-
análise das estratégias, partam para a execução do processo de resolução.
cutivo sai de  A  às 15 h e,
6 horas depois, chega à Observação
cidade B às 18 h (horário Resolvam o problema de forma coletiva, mas façam o registro individual no caderno.
local de B). Ou seja, após Resposta pessoal. Espera-se que o aluno determine que, se o executivo precisa estar às 13 horas
na cidade A, os relógios em B estarão marcando 10 horas (3 horas a menos). Como o voo dura
6 horas, são 21 h (15 1 6) 6 horas, é preciso, então, sair às 4 horas.
em A e 18 h em B, como já in-
Verificação

formado. Logo, temos uma


• Releiam o problema e verifiquem se todas as condições do enunciado foram satisfeitas.
diferença de 3 horas. Agora,
precisamos determinar a
que horas ele deve sair de B
para chegar em A às 13 h.
Ora, quando for 13 h em A,
Apresentação

serão 10 h em B; logo, deve-


• Façam uma pesquisa sobre os fusos horários. Em seguida, confeccionem um cartaz
-se sair 6 horas  antes (tem-
explicando o tema estudado e propondo desafios para os colegas.
po de viagem) das 10 h; por- O estudo dos fusos horários pode ser feito em parceria com o professor de Geografia.
tanto, 4 h (10 2 6).

Ver descrição das competências 38


gerais 9 e 10 na página 11.
Competência geral 1: Valorizar e
utilizar os conhecimentos his- Competência geral 2: Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a
toricamente construídos sobre reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver
o mundo físico, social, cultural problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.
e digital para entender e ex-
Competência geral 4: Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora
plicar a realidade, continuar
e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações,
aprendendo e colaborar para
experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.
a construção de uma sociedade
justa, democrática e inclusiva.

38
• A seção “Trabalhando os
conhecimentos adquiridos”
tem como objetivo reto-
Trabalhando os conhecimentos adquiridos mar os conceitos e procedi-
Faça as atividades no caderno.
mentos vistos no capítulo,
incentivando a revisão, a
autoavaliação e a criativida-
5. b) No conjunto dos números inteiros, não se define o elemento neutro da divisão.
de por meio da resolução e
Revisitando c) No conjunto dos números inteiros, não se define o elemento neutro da subtração.
elaboração de problemas. É
composta de atividades de
1 Neste capítulo, são abordados os números b) Em uma potenciação de base negati- diversos níveis de dificulda-
inteiros. Cite algumas situações cotidianas va e expoente ímpar, o resultado será de, incluindo questões de
nas quais é possível encontrar esses (positivo/negativo). negativo exames, cuidadosamente es-
números. Resposta pessoal. Alguns exemplos: c) No conjunto dos números inteiros colhidas para que os alunos
temperatura, saldo de gols, fuso horário, entre outros.
2 Escreva no caderno como comparar: (existe/não existe) raiz qua-
qua as resolvam com base nos
drada de número negativo. não existe conhecimentos adquiridos
• um número negativo e zero; até o momento.
Zero é maior que qualquer número negativo. 4 Em uma expressão numérica, qual deve ser
• um número positivo e zero; Revisitando
Zero é menor que qualquer número positivo. a ordem de resolução das operações?
• dois números positivos; • Esta seção foi criada para
Será maior o número positivo de maior módulo. 5 Reescreva as afirmações incorretas,
• dois números negativos. corrigindo-as. que os alunos tenham a
Será maior o número negativo de menor módulo.
oportunidade de verificar
3 No caderno, reescreva as frases abaixo, a) No conjunto dos números inteiros, existe
os conhecimentos consolida-
completando cada com a palavra o elemento neutro da multiplicação e
dos. Se eles tiverem alguma
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

ou expressão adequada, escolhida entre ele é 11.


dúvida em relação aos con-
as possibilidades dadas. b) No conjunto dos números inteiros, existe teúdos avaliados na seção,
a) Na multiplicação de números inteiros de o elemento neutro da divisão e ele é 11. sugira que retomem as pági-
mesmo sinal, o produto será c) No conjunto dos números inteiros, existe nas do capítulo. Incentive-os
(positivo/negativo). positivo o elemento neutro da subtração e ele é 21. a buscar a troca de conhe-
cimento em grupo e, caso
4. Devem-se efetuar, inicialmente, as potenciações e as radiciações na ordem em que aparecem;
depois, as multiplicações e as divisões na ordem em que aparecem; em seguida, as adições e as a dúvida persista, ajude-os a
Aplicando subtrações, também na ordem em que aparecem. encontrar um caminho para
a compreensão.
1 A Terra é dividida pelos meridianos em 24  fusos horários. Sabendo que em Buenos Aires os • Na atividade 4, caso apare-
relógios marcam 3 horas a menos que em Greenwich (Meridiano Zero) e em Nova Délhi, 5 horas çam os sinais de parênteses,
e 30 minutos a mais, pergunta-se: colchetes e chaves nas expres-
Quando é meio-dia em Buenos Aires, qual é a hora local em Nova Délhi? 20 h 30 min sões numéricas, eles devem
150º 120º 90º 60º 30º 0º 30º 60º 90º 120º 150º ser eliminados na seguinte
OCEANO GLACIAL ÁRTICO
80º ordem: primeiro os parênte-
CÍRCULO POLAR ÁRTICO ses, depois os colchetes e por
Lin último as chaves.
ta ha
AMÉRICA EUROPA
da
DO NORTE ÁSIA Aplicando
in
e

40º
te
ld

rn

• A atividade 1 pode ser


na

ac
io

Nova Délhi
ion

ANDERSON DE ANDRADE PIMENTEL


ac

OCEANO TRÓPICO DE CÂNCER


uma boa oportunidade para
ern

al d

AMÉRICA OCEANO
int

CENTRAL ATLÂNTICO
e

ÁFRICA um trabalho interdisciplinar


dat
Linha

PACÍFICO
a

OCEANO EQUADOR

entre Matemática e Geogra-
fia, favorecendo o desenvol-
MERIDIANO DE GREENWICH

PACÍFICO AMÉRICA
DO SUL OCEANO OCEANIA
ÍNDICO TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO
vimento das competências
Buenos
Aires
gerais 1 e 6 ao valorizar as
40º diversidades de saberes para
explicar a realidade.
N
– 2 –1
–1 – 1 –1
– 0 –9 –8 –7 –6 –5 –4 –3 –2 –1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 +8 +9 +10 +11 +12 NO NE
CÍRCULO POLAR ANTÁRTICO
O L
SO SE
S
2.800 km
Países com hora oficial fracionada

Elaborado a partir de: Graça Maria Lemos Ferreira. Moderno atlas geográfico. 6. ed. São Paulo: Moderna, 2016. p. 19.

39

Competência geral 6: Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que Competência especíÿca 5: Uti-
lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu lizar processos e ferramentas
projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade. matemáticas, inclusive tecno-
Competência especíÿca 2: Desenvolver o raciocínio lógico, o espírito de investigação e a capacidade de produzir argumentos logias digitais disponíveis, para
convincentes, recorrendo aos conhecimentos matemáticos para compreender e atuar no mundo. modelar e resolver problemas
Competência especíÿca 3: Compreender as relações entre conceitos e procedimentos dos diferentes campos da Matemática (Arit- cotidianos, sociais e de outras
mética, Álgebra, Geometria, Estatística e Probabilidade) e de outras áreas do conhecimento, sentindo segurança quanto à própria áreas de conhecimento, validan-
capacidade de construir e aplicar conhecimentos matemáticos, desenvolvendo a autoestima e a perseverança na busca de soluções. do estratégias e resultados.

39
• Explorar com cuidado a
atividade 8, porque inicia-
4. Data Saldo (em R$) Operação (em R$) Saldo (em R$)
-se o desenvolvimento da Lembre-se:
10/1 540,00
1540,00
atribuição de valores para 11/1 340,00
1340,00 880,00
1880,00 Não escreva no livro!
determinada variável, ideia 12/1 1880,00 2640,00 1240,00
13/1 240,00
1240,00 120,00
2120,00 120,00
1120,00
que será fundamental para 2 6
Observe a altitude dos pontos A, B, C e D Responda às questões no caderno.
pensamento algébrico e que em relação ao nível do mar e escreva essas
será retomada e aprofunda- a) A temperatura de um termômetro que
altitudes utilizando números inteiros. está marcando 25 °C deve subir quantos
da no capítulo 6. Deve ficar
claro para os alunos que o va- 5 895 m D graus Celsius para atingir 122 °C? 27 °C
lor numérico das expressões b) Qual é o número inteiro sucessor
x 1 y 2 z, x 2 z e x 2 z 1 y de 29? 28
depende dos valores atribuí- c) Qual é o número inteiro antecessor
2 340 m C
dos às variáveis x, y e z. de 215? 216
0m Nível do mar d) Qual é o maior número inteiro não
825 m
positivo? zero
B
e) Quais são os três primeiros números
A 5 23 195 m inteiros maiores que 27? 26, 25, 24
A 3 195 m B 5 2825 m 21
C 5 12 340 m f) Qual é o maior número inteiro negativo?
D 5 15 895 m g) Qual é o menor número inteiro positivo?
11
7 Uma equipe de Fórmula 1 avisa seu piloto,
3 No quadro de comando de um elevador, há
que está em segundo lugar na prova, que

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


botões correspondentes aos seis andares
P1, P2, P3, P4, P5 e P6), ao térreo (T ), à
(P ele está 8 segundos à frente do  terceiro
colocado e 12 segundos atrás do primeiro co-
cobertura (Co ) e ao subsolo (SS ). Trace uma locado. Quantos segundos à frente do terceiro
reta numérica para representar de maneira colocado está o líder da prova? 20 segundos
ordenada esse quadro de comando.

LUIZ RUBIO
SS T P1 P2 P3 P4 P5 P6 Co
4 No dia 10/1, o saldo da conta bancária de
Karine era R$ 540,00. Nos três dias seguin--
tes, ela efetuou estas operações:
• 11/1 depositou R$ 340,00;
• 12/1 sacou R$ 640,00;
• 13/1 retirou a metade do saldo.
Qual era o saldo de Karine no dia 13/1 após
a última operação? Faça um quadro que
mostre a sequência de operações ocorridas
nesses três dias. R$ 120,00

5 Observe a figura abaixo e determine, no


caderno, a diferença entre as altitudes do 8 No caderno, copie o quadro substituindo
avião e do submarino. 1 200 m corretamente cada .

x 7 213 221 210


altitude: 11 000 m
y 29 29 44 20

z 24 48 233 47
ILUSTRAÇÕES: GEORGE TUTUMI

56 237
nível do mar: 0 m x1y2z
2 232
altitude: 2200 m x2z
11 261 12 257
x2z1y
2 232 56 237
Se achar necessário, diga aos alunos que a ilustração
não foi representada em escala de tamanho.
40

40
• Complementando a ativida-
de 9, solicite aos alunos que
Lembre-se: se organizem em pequenos
Não escreva no livro! grupos (3 ou 4 integrantes) e
realizem uma pesquisa sobre
9 13 No caderno, copie e complete o quadrado a vida e os principais feitos
Alexandre Magno, um dos principais con-
quistadores da história, nasceu em 356 a.C. mágico abaixo substituindo cada , de de Alexandre Magno, favore-
e morreu em 323 a.C. Quantos anos ele modo que todas as linhas, colunas e diago- cendo a interdisciplinaridade
tinha quando morreu? 33 anos nais tenham a mesma soma. com História e o desenvol-
vimento das competências
10 Em Marselha, na França, no laboratório gerais 6 e 10.
24 10 0
da Companhia Marítima de Especialistas,
três mergulhadores franceses bateram 6 2 22
o recorde mundial de profundidade em
mergulho simulado. 4
26 8
Zona diurna Zona noturna
14 O Monte Branco tem altura de 4 807 m;  o
Everest, de 8 848 m; o Aconcágua, de
GUILHERME CASAGRANDI

6 962 m; e a Torre Eiffel, de 324 m. A depres-


são de Tuscarora, no Oceano Pacífico, está a
8 513 m de profundidade, e o Oceano Índico,
Laboratório Zona sanitária em seu ponto mais profundo, atinge a marca
de mergulho
de 7 725 m. Represente sobre uma reta verti-
cal essas diferentes informações.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Piscina (Sugestão: para cada 1 000 m, utilize 1 cm.)


Partindo da pressão de 26 atmosferas (uni-

FOTO: GALYNA ANDRUSHKO/SHUTTERSTOCK


dade de medida de pressão), foi efetuado o

MAPA: ANDERSON DE ANDRADE PIMENTEL


seguinte procedimento:
1a etapa: elevou-se a pressão inicial de
20  atmosferas e, depois, retirou-se a me-
tade desse acréscimo;
2a etapa: elevou-se a pressão atingida na
primeira etapa mais 30 atmosferas e, depois,
retirou-se a metade desse acréscimo;
3a etapa: elevou-se a pressão atingida na
segunda etapa mais 40 atmosferas e, depois,
retirou-se a metade desse acréscimo.
Escreva no caderno, na forma de adição e de
subtração de números inteiros, todo o proce-
Monte Everest, na cordilheira do
dimento e forneça a pressão final atingida. Himalaia o ponto mais alto do
(26 1 20 2 10 1 30 2 15 1 40 2 20); 71 atmosferas planeta, 2010.
11 Em seu caderno, reescreva as igualdades
abaixo substituindo cada por um número 15 O quadro abaixo mostra a temperatura
inteiro. 14. média, em dois meses do ano, de quatro
LUIZ RUBIO

Everest 8 848 m cidades. Copie o quadro no caderno


a) 8 (14) 5 (28) 8 (29) 118 8 000 m substituindo cada pelo módulo da
b) 8 [(18) 2 (17)] 5 25 25 Aconcágua 6 962 m diferença entre as temperaturas registradas
c) 5 8 ( 2 7) 5 240 21 Monte nos dois meses.
Branco 4 807 m
4 000 m
Paris Montreal Sidney Moscou
12 Calcule os quocientes. (França) (Canadá) (Austrália) (Rússia)
a) (1160) 9 (21) 2160 Torre Eiffel 324 m
0 Janeiro 3 °C 27 °C 18 °C 25 °C
b) (21 100) 9 (250) 122
Julho 19 °C 18 °C 4 °C 14 °C
c) (2144) 9 (112) 212 –4 000 m
116 °C 125 °C 114 °C 119 °C
d) (2625) 9 (225) 125 Ponto mais Diferença
profundo do –7 725 m
Oceano Índico –8
8 000 m
Depressão de –8 513 m
Tuscarora 41

Competência geral 6: Valorizar a diversidade de saberes e vivências culturais e apropriar-se de conhecimentos e experiências que
lhe possibilitem entender as relações próprias do mundo do trabalho e fazer escolhas alinhadas ao exercício da cidadania e ao seu
projeto de vida, com liberdade, autonomia, consciência crítica e responsabilidade.
Competência geral 10: Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação,
tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

41
Elaborando
• Essa seção incentiva a ela-
Lembre-se:
boração de questões pelos
Não escreva no livro!
alunos, favorecendo o de-
senvolvimento das compe-
tências gerais 2, 4 e 10 e da 16 Calcule o valor das expressões.
competência específica 5. a) 2{115 2 [(24 1 20) 2 20] 2 17} 22
• Exemplos de resposta: –30 50
b) 3 8 (24) 1 (25) 8 (26) 8 (22) 1
ƒ “Um submarino de 50 me- 1 (24) 8 (27) 244
tros de comprimento esta- –20 40
va parado no nível do mar. c) 2 1 {5 8 [(6 2 4 9 2)2 2 15]4 2 3}3 10
Então, desceu o dobro do d) (7 2 6)3 2 [4 2 (52 2 22) 8 7] 144 –10 30
seu comprimento e, em
seguida, subiu 60 metros. 17 Toni pensou em um número inteiro, multi-
0 20
Em qual profundidade se plicou-o por 4 e somou-o ao seu triplo, ob-

ADILSON SECCO
encontra o submarino?” tendo 284. Qual é o sucessor do número
(Resposta: 40 metros abaixo pensado? 211 10 10
do nível do mar ou 240 m);
ƒ “Paulo tinha saldo zero 18 Sofia e Virgínia estão jogando com dois dados: 20 0
em sua conta corrente, um vermelho e outro amarelo. Cada uma
mas teve que fazer duas delas iniciou o jogo com 20 pontos e, a cada 30 –10
transferências de 50 reais jogada, adiciona os pontos obtidos no dado
e, em seguida, recebeu uma amarelo e subtrai os pontos obtidos no
transferência no valor de dado vermelho. A imagem abaixo represen- 40 –20

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


60 reais. Qual é o saldo ta o primeiro lance de Sofia.
atual da conta de Paulo?” 50 –30
(Resposta: Saldo negativo
PHOTODISC/GETTY IMAGES

de 40 reais). Por isso ele tem duas colunas. Na da esquer-


da, os números estão em ordem crescente,
de cima para baixo, de 230 °C até 50 °C.
Na coluna da direita, os números estão
ordenados de forma crescente, de baixo para
a) Com quantos pontos ficou Sofia após
cima, de 230 °C até 50 °C.
esse lance? 18
A leitura é feita da seguinte maneira:
b) Virgínia, após seu primeiro lance, acumu-
lou 24 pontos. Indique duas formas • a temperatura mínima é indicada pelo
pelas quais ela pode ter obtido essa nível inferior do filete preto na coluna da
pontuação.dados amarelo e vermelho com 6 e esquerda;
2 ou 5 e 1 pontos, respectivamente
c) Partindo de 20 pontos, após três lances, • a temperatura máxima é indicada pelo
qual é o máximo de pontos que Sofia ou nível inferior do filete preto na coluna da
Virgínia podem obter? 35 direita;
• a temperatura atual é indicada pelo nível
19 (Enem) Neste modelo de termômetro [veja superior dos filetes cinza nas duas colunas.
a seguir], os filetes na cor preta registram Qual é a temperatura máxima mais aproxi-
as temperaturas mínima e máxima do dia mada registrada nesse termômetro?alternativa e
anterior e os filetes na cor cinza registram
a) 5 °C c) 13 °C e) 19 °C
a temperatura ambiente atual, ou seja, no
momento da leitura do termômetro. b) 7 °C d) 15 °C

Elaborando

No caderno, elabore um problema que possa ser resolvido com a sequência de operações:
2 3 (250) 1 60
Depois, troque de caderno com um colega e resolva o problema criado por ele.
O colega resolveu corretamente o seu problema? Qual é a solução do problema?
Respostas pessoais.

42

Competência especíÿca 5: Uti- Competência geral 2: Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a
lizar processos e ferramentas reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver pro-
matemáticas, inclusive tecno- blemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.
logias digitais disponíveis, para Competência geral 4: Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora
modelar e resolver problemas e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações,
cotidianos, sociais e de outras experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.
áreas de conhecimento, validan- Competência geral 10: Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação,
do estratégias e resultados. tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.
42
Objetivos
CAPÍTULO • Relembrar a ideia de múl-
tiplos e divisores de núme-

2
ros naturais.
• Compreender a ideia de
Múltiplos e divisores múltiplos e divisores de nú-
meros inteiros.
• Determinar o mmc e o mdc
de números inteiros.
• Resolver problemas que en-
volvam múltiplos e divisores.

Habilidade da BNCC
• Este capítulo foi planejado
para favorecer o desenvol-
vimento da seguinte habi-
lidade da BNCC: EF07MA01.

É hora de observar e refletir


• Aproveite o tema da aber-
tura para discutir o que os
alunos entendem por mobi-
lidade urbana e o que pen-
sam sobre o uso de bicicletas
como meio de locomoção.
• Pergunte se já utilizaram
uma ciclovia e, em caso afir-
mativo, como foi a expe-
riência que tiveram. Comen-
te sobre a importância de
ciclistas, motoristas e pe-
destres manterem um com-
portamento de respeito às
leis de trânsito visando à se-
gurança de todos. Peça aos
alunos que elenquem quais
atitudes devem ser tomadas
É hora de observar e refletir para evitar acidentes.

A criação de ciclovias nas cidades tem o objetivo de


Sugestão de leitura
aumentar a segurança dos ciclistas. Com a sinalização • Os textos “15 recomendações
correta, e sendo respeitada por todos, as ciclovias per- simples para pedalar com mais
mitem que ciclistas, pedestres e motoristas circulem segurança”, de Willian Cruz,
juntos nas áreas urbanas, evitando acidentes. e a “Cartilha do ciclista”, da
Um dos desafios dos engenheiros de tráfico é Prefeitura de São Paulo, aju-
organizar a sinalização dos semáforos, garantindo
melhor mobilidade a todos independentemente do
darão na discussão a respeito
meio de locomoção escolhido. de comportamento seguro do
ANDRE LUIZ MOREIRA/SHUTTERSTOCK

Para você, quais são as vantagens e as desvanta- ciclista urbano. Disponíveis em:
gens de uma ciclovia ser criada em uma avenida <http://vadebike.org/2004/09/
movimentada? Resposta pessoal. dicas-para-o-ciclista-urbano/>
Que outras medidas podem ser adotadas para e <http://www.cetsp.com.br/
contribuir para a mobilidade e a segurança da media/426143/CartilhaDoCiclista.
Ciclovia da Avenida Paulista, população nas cidades? Resposta pessoal. pdf>. Acessos em: 5 set. 2018.
São Paulo (SP), 2015.

43

EF07MA01: Resolver e elaborar problemas com números naturais, envolvendo as noções de divisor e de múltiplo, podendo
incluir máximo divisor comum ou mínimo múltiplo comum, por meio de estratégias diversas, sem a aplicação de algoritmos.

43
Trocando ideias
• Esta seção foi criada para
incentivar uma conversa en-
tre os alunos sobre um dos
assuntos que serão desen-
volvidos no capítulo, mobi- Trocando ideias
lizando seus conhecimentos.
Sugerimos explorá-la oral- A professora de Ciências de Camila comentou com a turma que um novo cometa
mente; se achar necessário, havia sido descoberto pela Agência Espacial Europeia e que havia passado próximo à
solicite que respondam à Terra no mês de maio.
questão por escrito no ca-
derno. A seção busca favo-
recer o desenvolvimento das Se esse novo cometa
competências gerais 9 e 10. mantiver a mesma órbita,
• Peça aos alunos que pes- é possível que seja visto a
quisem o significado da olho nu a cada 6 anos.
palavra “órbita”. Segundo o
dicionário eletrônico Houaiss,
órbita é a “trajetória descri-
ta por um astro em torno de
outro”.
• Indague que idade os
alunos terão nas próximas

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


três vezes em que o come-
ta passar próximo da Terra,
perguntando a eles quais
serão os próximos três anos
em que o cometa poderá ser
visto se a previsão de passar
próximo da Terra mudar de
6 para 8 anos.

Se o cometa mantiver a previsão de passar próximo da Terra a cada 6 anos, quais serão
os próximos três anos em que ele poderá ser visto? 2024, 2030 e 2036
Neste capítulo, vamos retomar os conceitos de múltiplos e divisores e aplicá-los em
ENÁGIO COELHO

situações-problema.

44

Competência geral 9: Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo
o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus
saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza.
Competência geral 10: Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação,
tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.

44
1 Retomando múltiplos e divisores
de números naturais
Um ano é o tempo que a Terra leva para dar uma volta completa em torno do Sol. Esse tempo
tem duração de 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 47 segundos. Para acertar o calendário, foi
criado o ano bissexto, que tem 366 dias e ocorre a cada 4 anos. No ano bissexto, um dia é
acrescentado ao mês de fevereiro, que fica com 29 dias.
Veja a seguir alguns anos bissextos.

2020 2024 2028 2032 2036 2040

Observe que os números que representam esses anos são múltiplos de 4:

2 020 5 505 3 4 2 024 5 506 3 4 2 028 5 507 3 4 2 032 5 508 3 4 2 036 5 509 3 4 2 040 5 510 3 4
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Múltiplo de um número natural a é o produto de a por um número natural qualquer.

Podemos dizer também que os números que representam esses anos são divisíveis por 4, ou
seja, ao dividi-los por 4, o resto da divisão é zero. Veja:

2 020 4 4 5 505 2 024 4 4 5 506 2 028 4 4 5 507 2 032 4 4 5 508 2 036 4 4 5 509 2 040 4 4 5 510

Divisor de um número natural a é todo número diferente de zero que, ao dividir a, resulta
em uma divisão exata.
Sugestão de atividade extra
• Depois de explorar este
Para que um ano seja bissexto, não basta que o número que o representa seja múltiplo de 4 tópico organize os alunos
(ou divisível por 4), ele também não pode ser múltiplo de 100, pois, caso ele seja divisível por em duplas e proponha o
4 e por 100, é preciso que também seja divisível por 400. Observe os exemplos abaixo. seguinte desafio: elaborem
um esquema pelo qual seja
1 996 1 986 possível verificar se um ano
• É divisível por 4. • Não é divisível por 4. é bissexto. Em seguida, eles
devem testá-lo com, pelo
• Não é divisível por 100, então não preci- Portanto, 1986 não é um ano bissexto. menos, 2 números.
samos verificar se é divisível por 400. Exemplo de esquema para
Portanto, 1996 é um ano bissexto. verificar se um ano é bissexto:

2 100 2 000
• É divisível por 4. • É divisível por 4. Início

• É divisível por 100, então precisamos • É divisível por 100, então precisamos É divisível não
por 4?
verificar se é divisível por 400. verificar se é divisível por 400.
ADILSON SECCO
sim Não é
bissexto.
• Não é divisível por 400. • É divisível por 400. não É divisível
por 100?
Portanto, 2100 não é um ano bissexto. Portanto, 2000 é um ano bissexto. É bissexto. sim
É divisível
45 sim por 400? não

Pronto!

45
• Caso os alunos encontrem
dificuldades para enten-
der o quadro apresentado,
explique que os números
foram obtidos pela multipli-
cação dos valores da coluna
da esquerda pelos da pri- 2 Múltiplos e divisores de um número inteiro
meira linha.

Como vimos no capítulo anterior, os números inteiros são expressos pelo conjunto:

b 5 {..., 25, 24, 23, 22, 21, 0, 11, 12, 13, 14, 15, ...}

Vamos ampliar a ideia de múltiplos e divisores de um número natural incluindo os números


inteiros. Observe o quadro abaixo:

# 24 23 22 21 0 11 12 13 14
3 212 29 26 23 0 13 16 19 112
12 248 236 224 212 0 112 124 136 148
225 100 75 50 25 0 225 250 275 2100

Observe que:

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


23 é múltiplo de 3, pois: 3 3 (21) 5 23
236 é múltiplo de 12, pois: 12 3 (23) 5 236
2100 é múltiplo de 225, pois: 225 3 (14) 5 2100
23 é divisor de 75, pois: 225 8 (23) = 75
24 é divisor de 48, pois: 12 8 (24) = 248

Veja a sequência dos múltiplos e a sequência dos divisores de alguns números inteiros:
Múltiplos de 2: ..., 28, 26, 24,22, 0, 2, 4, 6, 8, ...
Múltiplos de 21: ..., 284, 263, 242, 221, 0, 21, 42, 63, 84, ... As reticências indicam
Múltiplos de 213: ..., 252, 239, 226, 213, 0, 13, 26, 39, 52, ... que a sequência não tem
começo nem fim.
Divisores de 12: 212, 26, 23, 22, 21, 1, 2, 3, 6 e 12
Divisores de 224: 224, 212, 28, 26, 24, 23, 22, 21,
1, 1, 2, 3, 4, 6, 8, 12 e 24
Divisores de 18: 218, 29, 26, 23, 22, 21, 1, 2, 3, 6, 9 e 18

Para saber se um número é múltiplo ou divisor de outro, basta


verificar
ficar se a divisão é exata, ou seja, se o resto da divisão é zero.
Observe os exemplos abaixo.
2330 é múltiplo de 11?
Sim, pois 2330 dividido por 11 resulta em quociente 230 e resto 0.
24 é divisor de 270?
Não, pois 270 dividido por 24 resulta em quociente 267 e resto 2.
ENÁGIO COELHO

15 é divisor de 2435?
Sim, pois 2435 dividido por 15 resulta em quociente 229 e resto 0.
101 é múltiplo de 210?
Não, pois 2101 dividido por 210 resulta em quociente 10 e resto 1.

46

Sugestão de atividade extra


• Peça aos alunos que expliquem por escrito, com suas palavras, o que é um múltiplo e, em seguida, deem um
exemplo e um contraexemplo de múltiplo, diferentes dos citados no livro.

46
Observações

1. Todos os números inteiros são múltiplos de 1.


2. O número zero é múltiplo de todos os números inteiros e não é divisor de nenhum.
3. O número 1 é um divisor universal, ou seja, ele divide todos os números inteiros.

• Solicite aos alunos que


ATIVIDADES Faça as atividades no caderno.
justifiquem a resposta da
atividade 2, assim:
1 Escreva cinco múltiplos inteiros do número 3 que sejam:
Exemplo de resposta: 23, 26, 29, 212, 215 Exemplo de resposta: ƒ 1822 não é bissexto, pois
a) negativos. b) maiores que 230 e menores que 20. 224, 218, 6, 12, 15, 18 1 822 não é divisível por 4
2 Verifique qual dos anos a seguir é bissexto. alternativa c (item a).
ƒ 1900 não é bissexto, pois
a) 1822 b) 1900 c) 2000 d) 2118 1 900 é divisível por 4 e por
3 Analise as afirmações e corrija as falsas no caderno. 100, mas não é divisível por
400 (item b).
a) 26 tem 8 divisores inteiros. verdadeira ƒ 2000 é bissexto, pois 2000 é
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

b) O zero não é divisor de nenhum número. verdadeira divisível por 4, por 100 e por
c) Todos os números inteiros são múltiplos de 21. Possível correção: “Todos os números
inteiros negativos são múltiplos de 21”.
400 (item c).
ƒ 2118 não é bissexto, pois
d) 1 é o menor divisor natural de 23. verdadeira 2118 não é divisível por 4
e) 21 é o menor divisor inteiro de 23. Possível correção: “23 é o menor divisor inteiro de 23”. (item d).
• No item a da atividade 3,
solicite aos alunos que in-
diquem quais são os 8 divi-
sores inteiros de 26: 26,
3 Problemas envolvendo múltiplos e divisores 23, 22, 21, 1, 2, 3 e 6.

Máximo divisor comum


Os alunos das turmas A, B e C do 1o ano vão participar de uma gincana. Para essa competição,
cada equipe será formada por um ou mais alunos de uma mesma turma com a mesma quanti-
dade de participantes. Qual é o maior número de alunos por equipe? Quantas equipes haverá
em cada turma?
GEORGE TUTUMI

47

47
• Solicite aos alunos que
calculem o máximo divisor
comum dos números 9 e
10, ou seja, mdc (9, 10) 5
5 1. Então, explique que Veja no quadro a seguir a quantidade de alunos de cada uma das turmas do 1o ano.
o mdc de números primos
entre si será sempre 1. Caso
Turma A B C
seja necessário, relembre
com eles o conceito de núme- Quantidade de alunos 18 24 36
ros primos entre si e peça que
determinem o mdc de dois Observe que os 18 alunos do 1o A podem ser divididos em equipes de 1, 2, 3, 6, 9 ou
números primos quaisquer.
18 participantes.
Os números 1, 2, 3, 6, 9 e 18 são os divisores de 18.
Os 24 alunos do 1o B podem ser divididos em equipes de 1, 2, 3, 4, 6, 8, 12 ou
24 participantes.
Os números 1, 2, 3, 4, 6, 8, 12 e 24 são os divisores de 24.
Os 36 alunos do 1o C podem ser divididos em equipes de 1, 2, 3, 4, 6, 9, 12, 18 ou
36 participantes.
Os números 1, 2, 3, 4, 6, 9, 12, 18 e 36 são os divisores de 36.
Percebemos que as equipes com a mesma quantidade de alunos, nas três turmas, são as

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


que têm 1, 2, 3 ou 6 participantes.
Os números 1, 2, 3 e 6 são os divisores comuns de 18, 24 e 36.
Como queremos que os grupos tenham o maior número possível de alunos, concluímos que
cada equipe deverá ter 6 participantes.
Esse número é o máximo divisor comum (mdc) de 18, 24 e 36, que indicamos por:

mdc (18, 24, 36) 5 6

Assim, cada equipe terá 6 participantes: o 1o A terá 3 equipes; o 1o B, 4 equipes; o 1o C,


6 equipes.
Podemos obter o mdc de dois ou mais números naturais conhecendo seus divisores, como na
situação anterior.
Veja agora como calcular o mdc por meio da decomposição em fatores primos, por exemplo,
dos números 120 e 200.

120 2 200 2
60 2 100 2
30 2 50 2
15 3 25 5
5 5 5 5
1 2 8385
3
1 23 8 52

A seguir, destacamos os fatores primos comuns a 120 e 200:

120 5 2 8 2 8 2 8 3 8 5
200 5 2 8 2 8 2 8 5 8 5

O mdc será o produto desses fatores comuns: mdc (120, 200) 5 2 8 2 8 2 8 5 5 40

48

48
No caso de os números serem escritos na forma fatorada, usando potências, o mdc será o pro-
duto dos fatores comuns, cada um deles elevado ao menor expoente, porque o menor expoente
indica a quantidade de fatores comuns. Veja:

120 5 23 8 31 8 51
200 5 23 8 52

Os menores expoentes dos fatores comuns 2 e 5 são 3 e 1, respectivamente.


Logo:
mdc (120, 200) 5 23 8 51 5 40

Observação • Se necessário, conduza a


verificação do exemplo cita-
Seja mdc (18, 12) 5 6. Multiplicando 18 e 12 por 2, temos: Peça aos alunos que façam a verificação do na observação, em que
desse resultado.
mdc (36, 24) 5 12 (o mdc também ficou duplicado) duplicando os números natu-
rais o mdc também duplica.
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

Amplie a situação e peça aos


alunos que verifiquem se
divindo os números o mdc
ATIVIDADES Faça
Façaas
asatividades
atividadesno
nocaderno.
caderno
também será dividido.

1 Dados os números 24 e 40, determine: 5 Calcule, pela decomposição em fatores 18, 12, 2
a) os divisores de 24; 1, 2, 3, 4, 6, 8, 12 e 24 primos, o mdc dos números abaixo. 9, 6, 2
b) os divisores de 40; 1, 2, 4, 5, 8, 10, 20 e 40 a) 40 e 64 8 c) 40, 70 e 90 10 9, 3, 3
c) os divisores comuns de 24 e 40; 1, 2, 4 e 8 b) 80, 100 e 120 20 d) 576 e 96 96 3, 1, 3
1, 1,
d) o maior divisor comum de 24 e 40. 8 6 Quando o máximo divisor comum de dois mdc (18, 12) 5 6
2 Escreva alguns pares de números natu- ou mais números for igual a 1, esses nú-
rais diferentes de zero de modo que um meros são primos entre si. Agora, verifi- 36, 24, 2
seja divisor do outro. Troque os números que se os números a seguir são primos 18, 12, 2
que você escreveu pelos escolhidos por entre si.a) Sim, porque mdc (4, 5) 5 1. 9, 6, 2
b) Sim, pois mdc (16, 25) 5 1.
um colega. Cada um deve calcular o mdc a) 4 e 5 c) 15 e 21 9, 3, 3
dos números dos pares escritos pelo b) 16 e 25 d) 18 e 42 3, 1, 3
c) Não, porque mdc (15 e 21) 5 3.
colega. Depois comparem cada mdc d) Não, porque mdc (18 e 42) 5 6. 1, 1
obtido com os números do respectivo 7 Junte-se a um colega e respondam às
par. Que conclusão vocês podem obter seguintes questões: mdc (36, 24) 5 12
dessa comparação? Espera-se que os a) Qual é o mdc de dois números conse-
alunos concluam que o mdc dos números é 9, 6, 2
igual àquele que é o divisor do outro. cutivos diferentes de zero? 1 9, 3, 3
3 Calcule mentalmente o mdc dos números
b) Qual é o mdc de dois números quadra- 3, 1, 3
abaixo.
dos perfeitos consecutivos não nulos? 1 1, 1
a) 50 e 100 50
b) 16 e 80 16 8 Dois números primos entre si são mul- mdc (9, 6) 5 3
c) 72 e 216 72 tiplicados por 28. Qual é o mdc dos dois
produtos obtidos? 28
d) 20 e 100 20
4 Dados os números na forma fatorada 9 O mdc de dois números é 18. Se dividir-
23 8 3 8 52, 2 8 32 8 7 e 24 8 33 8 5, calcule o mos cada um deles por 3, qual será o mdc
mdc deles. 6 dos novos números? 6

49

49
Mínimo múltiplo comum
Em um trecho de 72 quilômetros de uma rodovia, a partir do quilômetro zero, foram
colocados, a cada intervalo de 3 quilômetros, um telefone de emergência e, a cada intervalo
de 8 quilômetros, uma torre com câmera de monitoração. Em quais quilômetros dessa rodovia
foram colocados, simultaneamente, telefone e câmera?

GEORGE TUTUMI

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


Os telefones foram colocados nos quilômetros 0, 3, 6, 9, 12, 15, 18, 21, 24, 27, 30, 33, 36,
39, 42, 45, 48, 51, 54, 57, 60, 63, 66, 69 e 72.
Os números 0, 3, 6, 9, 12, 15, 18, 21, 24, 27, 30, 33, 36, 39, 42, 45, 48, 51, 54, 57, 60, 63,
66, 69 e 72 são múltiplos de 3.
As câmeras serão colocadas nos quilômetros 0, 8, 16, 24, 32, 40, 48, 56, 64 e 72.
Os números 0, 8, 16, 24, 32, 40, 48, 56, 64 e 72 são múltiplos de 8.
Observe que há telefone e também câmera nos quilômetros 0, 24, 48 e 72.
Os números 0, 24, 48 e 72 são os múltiplos comuns de 3 e de 8 menores ou iguais a 72.
Logo, 24 é o menor número diferente de zero que é múltiplo comum de 3 e de 8.
Esse número é o mínimo múltiplo comum (mmc) de 3 e de 8, que indicamos por:

mmc (3, 8) 5 24

Assim, nesse trecho da rodovia, a cada intervalo de 24 quilômetros foram instalados,


simultaneamente, um telefone de emergência e uma câmera de monitoração.
Podemos obter o mmc de dois ou mais números naturais conhecendo seus múltiplos, como
na situação acima.
Veja agora como calcular o mmc por meio da decomposição em fatores primos dos números
180 e 350.

180 2 350 2
90 2 175 5
45 3 35 5
15 3 7 7
5 5 1 2 8 52 8 7
1 2 83 85
2 2

Veja sequência didática 2 do 50


1o bimestre no Material do
Professor – Digital.

50
• Comente com os alunos
que o emprego do mmc é
útil na adição ou na subtra-
ção de frações com deno-
A seguir, destacamos os fatores primos comuns a 180 e 350: minadores diferentes para
determinar frações equiva-
180 5 2 8 2 8 3 8 3 8 5 lentes que tenham o mesmo
350 5 2 8 5 8 5 8 7 denominador.
O mmc é dado pelo produto dos fatores primos comuns pelos fatores primos não comuns.
Logo, mmc (180, 350) 5 2 8 5 8 2 8 3 8 3 8 5 8 7 5 22 8 32 8 52 8 7 5 6 300.

fatores primos comuns fatores primos não comuns

Podemos também calcular o mmc de dois ou mais números naturais decompondo-os simul-
taneamente em fatores primos.

Vamos calcular o mmc de 180 e 350 pela decomposição simultânea em fatores primos.
180, 350 2 Dividimos ambos os números.

90, 175 2 Dividimos apenas o número 90.

45, 175 3 Dividimos apenas o número 45.

15, 175 3 Dividimos apenas o número 15.


Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

5, 175 5 Dividimos ambos os números.

1, 35 5 Dividimos apenas o número 35.

1, 7 7 Dividimos apenas o número 7.

1, 1 2 8 3 8 52 8 7
2 2

O mmc de 180 e 350 será o produto dos fatores primos encontrados.


Logo, mmc (180, 350) 5 22 8 32 8 52 8 71 5 6 300.

O cálculo do mmc de três números é feito de maneira semelhante ao do mmc de dois


números: pela decomposição em separado ou pela decomposição simultânea.
Observe o exemplo para mmc (12, 18, 30) com a decomposição em separado:

12 2 18 2 30 2
6 2 9 3 15 3
3 3 3 3 5 5
1 2 832
1 283 2
1 28385

mmc (12, 18, 30) 5 22 8 32 8 5 5 180

E, agora, com a decomposição simultânea:

12, 18, 30 2 Dividimos todos os números.


6, 9, 15 2 Dividimos apenas o 6.
3, 9, 15 3 Dividimos todos os números.
1, 3, 5 3 Dividimos apenas o 3.
1, 1, 5 5 Dividimos apenas o 5.

1, 1, 1 282838385

mmc (12, 18, 30) 5 22 8 32 8 5 5 180

51

51
8. Espera-se que os alunos concluam que o produto dos números e o produto do mdc com o mmc
desses números são iguais.
Explique aos alunos que os matemáticos demonstraram essa relação para qualquer par de números
naturais. Diga ainda que devem levar em consideração esse fato para resolver a atividade 10.
ATIVIDADES Faça
Façaas
asatividades
atividadesno
nocaderno.
caderno

1 Determine: Destroquem para conferir os cálculos.


a) os múltiplos de 15; 0, 15, 30, 45, 60, ... Para cada par de números escritos, com-
parem o primeiro com o último dos
b) os múltiplos de 20; 0, 20, 40, 60, 80, ... números calculados. Discutam entre si
c) os múltiplos comuns de 15 e 20; e respondam: qual é a relação entre o
0, 60, 120, 180, 240, ...
d) o menor múltiplo comum de 15 e 20, produto dos números e o produto do
excluído o zero. 60 mdc com o mmc desses números?
9 Para cada par de números dados abaixo,
2 Escreva alguns pares de números naturais calcule o produto dos números, o mdc e
diferentes de zero de modo que um seja o mmc deles e o produto do mdc com o
divisor do outro. Troque os números que mmc obtidos.
você escreveu pelos escolhidos por um
a) 12 e 15 c) 11 e 121
colega. Cada um deve calcular o mmc dos 180, 3, 60 e 180 1 331, 11, 121 e 1 331
números dos pares escritos pelo colega. b) 48 e 16 d) 36 e 49
Depois comparem cada mmc obtido 768, 16, 48 e 768 1 764, 1, 1 764 e 1 764
com os números do respectivo par. 10 O mdc de dois números é 24, o mmc
Que conclusão vocês podem obter dessa entre eles é 504, e um dos números é 168.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


comparação? Espera-se que os alunos concluam Calcule o outro número. 72
que o mmc dos números é igual
àquele que é o múltiplo do outro. 11 O cometa 41P/TGK passa próximo à ór-
3 Calcule mentalmente o mmc de: bita da Terra a cada 5 anos e meio. A
a) 2 e 6; 6 c) 15 e 45; 45 última vez em que ele passou pelo nosso
b) 10 e 20; 20 d) 50 e 100. 100 planeta foi em abril de 2017.

CHIS SCHUR
4 Calcule o mmc dos números: 840
23 8 3 8 5 23 8 5 8 7 2838587
cometa 41P/TGK
5 Determine, pela decomposição em fatores
primos, o mmc de:
a) 18, 27 e 45; 270 c) 120, 132 e 20; 1 320
b) 18, 30 e 48; 720 d) 150, 300 e 375. 1 500 Em 14 de março de 2017, duas semanas antes
da aproximação mais próxima da Terra, o cometa
6 Junte-se a um colega, escolham alguns 41P/TGK desliza sobre a galáxia NGC 3198.
pares de números primos entre si e • O cometa passará próximo à órbita da
determinem o mmc de cada par. Depois, Terra em outubro de 2034? E em abril
respondam: qual é o mmc de dois núme- de 2057? sim; não
ros primos entre si? o produto desses números
12 Em uma grande metrópole, foi feito um
7 Usando o processo da decomposição simul- estudo sobre o intervalo de tempo entre
tânea em fatores primos, determine o míni- as luzes vermelha, amarela e verde dos
mo múltiplo comum dos números abaixo. semáforos para melhorar o tráfego da
a) 90 e 120 360 c) 120, 300 e 450 1 800 cidade. A companhia de engenharia de
b) 45, 54 e 72 1 080 d) 20, 40, 50 e 200 200 tráfego propôs alterações nos intervalos
de tempo de três semáforos consecutivos,
8 Escreva alguns pares de números naturais A, B e C. O semáforo A ficaria verde
diferentes de zero. a cada 40 segundos; o semáforo B, a
Troque-os com um colega para que cada 50 segundos, e o semáforo C, a cada
cada um de vocês calcule o produto dos 60 segundos. Às 18 horas, os três semá-
números do par, o mdc e o mmc deles e foros ficaram verdes ao mesmo tempo.
o produto do mdc com o mmc obtidos. A que horas isso ocorrerá novamente?
18h10

52

52
Resolvendo em equipe
• A seção destaca as etapas
selecionadas para encami-
nhar a resolução de proble-
Resolvendo em equipe Faça a atividade no caderno. mas. Elas devem ser anali-
sadas e discutidas com os
alunos. Além de favorecer o
(Enem) O gerente de um cinema fornece anualmente ingressos  gratuitos para escolas. desenvolvimento das com-
Este ano serão distribuídos 400  ingressos para uma sessão vespertina e 320 ingressos petências gerais 2, 4, 9 e 10
para  uma sessão noturna de um mesmo filme. Várias escolas  podem ser escolhidas para e das competências especí-
receberem ingressos. Há alguns critérios para a distribuição dos ingressos: ficas de Matemática 2 e 5,
1) cada escola deverá receber ingressos para uma única sessão; a seção permite a trans-
2) todas as escolas contempladas deverão o receber o mesmo número de ingressos; ferência de estratégias de
3) não haverá sobra de ingressos (ou seja, todos os ingressos serão
ser distribuídos). resolução para outros con-
O número mínimo
nimo de escolas que podem ser escolhidas para obter ingressos, segundo os
textos e situações, servindo
de base para a resolução das
critérios estabelecidos, é
atividades do item “Aplican-
a) 2 b) 4 c) 9 d) 40 e) 80 do” da seção “Trabalhando
os conhecimentos adquiri-
dos” desse ou de outros ca-
identificação dos dados

pítulos, por exemplo.


Interpretação e

• Observe que cada escola deve receber a mesma quantidade de ingressos, ou seja, o
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

número de ingressos de cada escola deve dividir, ao mesmo tempo, o número 400 e o
número 320, e esse número deve ser o maior valor possível.
resolução
Plano de

• Considerando as informações do enunciado, elabore etapas para resolver o problema.

• Com um colega, apresente seu plano de resolução.


Resolução

• Discutam as diferenças e semelhanças entre os planos e verifiquem as melhores


estratégias. Competência geral 2: Exercitar a
curiosidade intelectual e recorrer
• Em conjunto, resolvam o problema, fazendo as anotações individuais no caderno. à abordagem própria das ciên-
Espera-se que o aluno determine que cada escola receberá 80 ingressos de apenas uma sessão. cias, incluindo a investigação, a
Assim, 5 escolas receberão 80 ingressos para assistir à sessão vespertina e 4 escolas receberão reflexão, a análise crítica, a imagi-
80 ingressos para assistir à sessão noturna, totalizando 9 escolas. nação e a criatividade, para in-
vestigar causas, elaborar e testar
Verificação

hipóteses, formular e resolver pro-


• Considerando a resposta encontrada, verifique se ela satisfaz as condições determi- blemas e criar soluções (inclusive
nadas no enunciado. tecnológicas) com base nos conhe-
cimentos das diferentes áreas.
Competência geral 4: Utilizar
diferentes linguagens – verbal
(oral ou visual-motora, como Li-
Apresentação

bras, e escrita), corporal, visual,


sonora e digital –, bem como
• Proponha um novo problema alterando a quantidade de ingressos oferecidos. conhecimentos das linguagens
artística, matemática e científica,
para se expressar e partilhar infor-
mações, experiências, ideias e sen-
timentos em diferentes contextos
e produzir sentidos que levem ao
53 entendimento mútuo.
Competência geral 9: Exercitar a
empatia, o diálogo, a resolução
de conflitos e a cooperação, fa-
Competência geral 10: Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação, zendo-se respeitar e promovendo
tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários. o respeito ao outro e aos direitos
Competência especíÿca 2: Desenvolver o raciocínio lógico, o espírito de investigação e a capacidade de produzir argumentos humanos, com acolhimento e
convincentes, recorrendo aos conhecimentos matemáticos para compreender e atuar no mundo. valorização da diversidade de in-
divíduos e de grupos sociais, seus
Competência especíÿca 5: Utilizar processos e ferramentas matemáticas, inclusive tecnologias digitais disponíveis, para modelar e saberes, identidades, culturas e
resolver problemas cotidianos, sociais e de outras áreas de conhecimento, validando estratégias e resultados. potencialidades, sem preconceitos
de qualquer natureza.

53
• A seção “Trabalhando os
conhecimentos adquiridos”
tem como objetivo retomar
os conceitos e procedimen- Trabalhando os conhecimentos adquiridos
Faça as atividades no caderno.
tos vistos no capítulo, esti-
mulando a revisão, a auto-
avaliação e a criatividade
por meio da resolução e
Revisitando
elaboração de problemas.
É possível encontrar ativi-
1 Reescreva as frases no caderno escolhendo, entre as palavras sugeridas, a adequada.
dades de diversos níveis de
dificuldade, incluindo desa- a) (Múltiplo/Divisor) de um número inteiro é o produto desse número por um número inteiro
fios e questões de exames, qualquer. Múltiplo.
as quais foram cuidadosa- b) (Múltiplo/Divisor) de um número inteiro é todo número diferente de zero que, ao dividir outro,
mente escolhidas para que resulta em uma divisão exata. Divisor.
os alunos consigam resolvê- c) O (mdc/mmc) dos números 10, 12 e 15 é 60. mmc
-las com base nos conhe- d) O (mdc/mmc) dos números 9, 12 e 18 é 3. mdc
cimentos adquiridos até
o momento. 2 O ano em que você nasceu foi bissexto? Explique sua resposta. Resposta pessoal.
Revisitando
• A seção representa uma 2. a) É possível que 3 pessoas joguem, pois 21 e 18 são divisíveis por
oportunidade para os alu- Aplicando 3, mas 6 pessoas não, pois 21 não é divisível por 6.

Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.


nos verificarem os conhe-
cimentos consolidados. Se 1 Para uma sessão de teatro, os espectadores a) Quando ocorrerão os

RVLSOFT/SHUTTERSTOCK
tiverem alguma dúvida se organizaram em filas. Se contarmos de próximos três jogos
em relação aos conteúdos 3 em 3, sobram 2 pessoas; se contarmos de olímpicos? 2020, 2024
avaliados, sugira que reto- e 2028
5 em 5 sobram 3 pessoas. Sabendo que b) O que esses núme-
mem as páginas do capí- eram mais que 25 e menos que 50 pessoas, ros têm em comum?
tulo e procurem esclarecer quantas pessoas há na fila? 38 pessoas Responda com base
as dúvidas. Incentive que no que você apren-
busquem esclarecimentos 2 Um jogo é composto de 21 cartas e 18 fichas.
Todas as cartas e fichas devem ser distribuí- deu neste capítulo.
em grupo e, caso a dúvida Esses números (2016, 2020, 2024 e 2028)
persista, ajude-os a encon-
das sem que haja sobras, de modo que cada são divisíveis por 4.
jogador receba a mesma quantidade de car- 6 Flávio está guardando moedas num cofri-
trar um bom caminho para
tas e a mesma quantidade de fichas. nho para comprar um presente de aniversá-
a compreensão.
a) É possível que 3 pessoas participem rio para seu pai. O cofre tem menos de 170
desse jogo? E 6? Justifique sua resposta. e mais de 150 moedas. Organizando essas
b) Para que 5 pessoas possam jogar, qual é moedas em grupos de 2, sobra 1 moeda;
o número mínimo de cartas e de fichas organizando-as em grupos de 3, não sobram
a mais que o jogo deve ter, sabendo moedas; e, organizando as moedas em
que sempre deve ser possível haver três grupos de 11, também não sobram moedas.
jogadores? mais 9 cartas; mais 12 fichas Quantas moedas Flávio tem? 165 moedas
3 Júlio e Daniele jogam futebol. No mês de

novembro, ele jogou nos dias ímpares e ela, 7 Dois semáforos consecutivos de uma ave-
nos dias múltiplos de 3. Em quais dias do nida são programados para abrir e fechar
mês eles jogaram juntos? nos dias 3, 9, 15, de forma a melhorar o tráfego em horários
21 e 27 de pico. O primeiro semáforo acende a luz
4 Luciana quer organizar 40 livros infantis vermelha a cada 90 segundos e o segun-
em pilhas contendo a mesma quantidade do semáforo, a cada 120 segundos. Num
de livros em cada uma. De que formas ela determinado momento, os dois acendem
poderá organizar esses livros? as luzes vermelhas simultaneamente.
A próxima vez em que isso acontecerá
5 Os jogos olímpicos acontecem de 4 em será daqui a: alternativa a
4 anos. Sabendo que em 2016 os jogos
aconteceram no Rio de Janeiro, responda às a) 6 minutos c) 9 minutos
questões a seguir. b) 8 minutos d) 12 minutos
4. 1 pilha de 40 livros; 2 pilhas de 20 livros; 4 pilhas de 10 livros; 5 pilhas de 8 livros;
54 8 pilhas de 5 livros; 10 pilhas de 4 livros; 20 pilhas de 2 livros; e 40 pilhas de 1 livro.

54
• Peça aos alunos que, em
Lembre-se: dupla, reescrevam e resol-
vam o problema propos-
Não escreva no livro!
to no Desafio, alterando a
quantidade de alunos de
8 Júlia trabalha em uma empresa que tem de 40 tábuas de 540 cm, 30 de 810 cm e acordo com sua turma.
filiais em três cidades: A, B e C. Ela visi- 10 de 1 080 cm, todas de mesma largura
ta a filial na cidade A a cada 10 dias; na e espessura. Ele pediu a um carpinteiro
cidade B a cada 30 dias e na cidade C a que cortasse as tábuas em pedaços de
cada 50 dias. Em março, ela precisou mesmo comprimento, sem deixar sobras,
visitar as três filiais. Em que mês isso e de modo que as novas peças ficassem
ocorrerá novamente? agosto com o maior tamanho possível, mas de
comprimento menor que 2 m.
9 (UPE) Neto e Rebeca fazem diariamen- Atendendo o pedido do arquiteto, o carpin-
te uma caminhada de duas horas em teiro deverá produzir: alternativa e
uma pista circular. Rebeca gasta 18 mi-
nutos para completar uma volta, e Neto, a) 105 peças. d) 243 peças.
12 minutos para completar a volta. Se eles b) 120 peças. e) 420 peças.
partem do mesmo ponto P da pista e ca- c) 210 peças.
minham em sentidos opostos, pode-se
afirmar que o número de vezes que o casal DESAFIO
se encontra no ponto P é: alternativa c (OBM) Uma professora tem 237 balas para dar
a) 01 c) 03 e) 05 a seus 31 alunos. Qual é o número mínimo de
balas a mais que ela precisa conseguir para que
Reprodução proibida. Art.184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.

b) 02 d) 04
todos os alunos recebam a mesma quantidade
10 0 (Enem) Um arquiteto está reformando de balas, sem sobrar nenhuma para ela?
uma casa. De modo a contribuir com o a) 11 c) 21 e) 31
meio ambiente, decide reaproveitar tábuas b) 20 d) 41
de madeira retiradas da casa. Ele dispõe alternativa a

Elaborando Elaborando
• A seção incentiva a cria-
Junte-se a um colega e leiam a situação a seguir. tividade e a elaboração de
questões pelos alunos, favo-
Ricardo trabalha em uma agên- recendo o desenvolvimento

ENÁGIO COELHO
cia de viagens de turismo. Ele das competências gerais 2, 4
vende pacotes de viagem de e 10 e da competência espe-
navio para uma empresa inter- cífica 5.
nacional que tem três embarca- • Exemplo de resposta: su-
ções. Os clientes que compram pondo que os três navios
os pacotes podem pedir a troca tenham zarpado hoje, quan-
de navio, mas apenas quando do estarão novamente anco-
os três estão ancorados no por- rados ao mesmo tempo no
to no mesmo dia. Os percursos e porto? (Resposta: Após 60
o tempo para as viagens variam. dias (mmc (10, 12, 15) 5 60).)
O navio A faz viagens de 12 dias,
o navio B faz viagens de 15 dias
e o navio C, de 10 dias. Alguns
clientes, depois de comprar o pa-
cote de viagem, pediram a troca
de navio.

• Com base na situação descrita, elaborem uma questão que tenha como resposta o mínimo
múltiplo comum dos números citados. Resposta pessoal.

55

Competência geral 2: Exercitar a curiosidade intelectual e recorrer à abordagem própria das ciências, incluindo a investigação, a
reflexão, a análise crítica, a imaginação e a criatividade, para investigar causas, elaborar e testar hipóteses, formular e resolver
problemas e criar soluções (inclusive tecnológicas) com base nos conhecimentos das diferentes áreas.
Competência geral 4: Utilizar diferentes linguagens – verbal (oral ou visual-motora, como Libras, e escrita), corporal, visual, sonora
e digital –, bem como conhecimentos das linguagens artística, matemática e científica, para se expressar e partilhar informações,
experiências, ideias e sentimentos em diferentes contextos e produzir sentidos que levem ao entendimento mútuo.
Competência geral 10: Agir pessoal e coletivamente com autonomia, responsabilidade, flexibilidade, resiliência e determinação,
tomando decisões com base em princípios éticos, democráticos, inclusivos, sustentáveis e solidários.
Competência especíÿca 5: Utilizar processos e ferramentas matemáticas, inclusive tecnologias digitais disponíveis, para modelar e
resolver problemas cotidianos, sociais e de outras áreas de conhecimento, validando estratégias e resultados.
55
Objetivos
• Construir retas paralelas CAPÍTULO
usando régua e esquadro.

3
• Identificar ângulos nulos,
rasos, de meia-volta e uma
volta.
• Medir e construir ângulos
Retas e ângulos
utilizando um transferidor e
o par de esquadros.
• Efetuar transformações
de unidade de medidas de
ângulos.
• Identificar e construir com
régua e compasso ângulos
congruentes a um ângulo
dado.
• Identificar ângulos adja-
centes, complementares e
suplementares.
• Identificar ângulos opostos W
b
pelo vértice e compreender
suas propriedades. W
a
• Identificar e relacionar
ângulos formados por duas
retas paralelas cortadas por
uma transversal.
Habilidades da BNCC
• Este capítulo foi planeja-
do para favorecer o desen-
volvimento da habilidade
EF07MA23 da BNCC.
• Neste capítulo, vamos re-
ver e aprofundar alguns con-
ceitos relacionados às retas,
ângulo, resolver problemas
envolvendo ângulos comple-
mentares, suplementares e
opostos pelo vértice, além
de verificar algumas relações
A London Eye é uma roda-gigante de observação.
entre os ângulos formados As cabines envidraçadas permitem visão panorâmica
por retas paralelas cortadas da metrópole, Londres (Inglaterra), 2016.
por uma transversal.

É hora de observar e refletir


• Com base na foto de aber-
É hora de observar e refletir
tura, peça aos alunos que in-
À beira do rio Tâmisa, em Londres, foi construída a London Eye, também conhecida como Millennium
TRACEY WHITEFOOT/ALAMY/FOTOARENA

diquem os elementos de um Wheel (Roda do Milênio). Trata-se de uma roda-gigante composta de 32 cabines que faz a volta completa em
ângulo. Os diversos aros que 30 minutos. Essa atração turística recebe uma média de 15 000 visitantes por dia.
compõem a roda-gigante Com base na marcação feita na imagem, responda às questões.
dão a ideia de um conjun- V?8
V cabe quantas vezes no ângulo b
O ângulo a
to de ângulos que, juntos,
formam um ângulo de volta Veb
Com um transferidor, determine a medida dos ângulos a V indicados na figura. Os ângulos aV e b
V juntos
inteira (360º). U V
formam um ângulo reto, agudo ou obtuso? a mede 80º e b mede 10°; ângulo reto
• Na primeira questão, a
ideia é que os alunos não
56
utilizem ainda o transferi-
dor, mas sim que observem
a posição das semirretas dos
ângulos em relação à roda- EF07MA23: Verificar relações entre os ângu