Você está na página 1de 71

Introdução à Sondagens mecânicas

Disciplina: Sondagens mecânicas


MEng Abelardo G. Banze Curso: Licenciatura em Geologia
Ano Lectivo: 2020
1. Introdução
1.1. Definição

Sondagens são perfurações que


se fazem no solo que permitem
recolher amostras de camadas
interiores da Terra e que dão
indicações preciosas sobre a sua
constituição. As máquinas com
que se executam as perfurações
denominam-se de sondas.
1.2. Prospecção Geotécnica

Conjunto de operações com vista a


averiguar a constituição, características
mecânicas e outras propriedades do solo e
do substrato do ou dos locais de interesse
para um dado trabalho de engenharia.
1.2. Prospecção Geotécnica

Realização de
Ensaio de
Realização de estudos sob o
Instrumentação materiais com
estudos ponto de vista
geotécnica equipamentos
geotécnicos da geologia de
de prospecção
engenharia
1.2.1. GEOTECNIA NA CONSTRUÇÃO
Estradas e caminhos de ferro
1.2.2. GEOTECNIA NA CONSTRUÇÃO
Fundações de Pontes

7
1.2.3. GEOTECNIA NA CONSTRUÇÃO
Fundações de Edifícios

8
1.2.4. GEOTECNIA NA CONSTRUÇÃO
Barragens

9
1.2.5. GEOTECNIA NA CONSTRUÇÃO
Tuneis

10
1.2.6. GEOTECNIA NA CONSTRUÇÃO
Aterros

11
OBJECTIVOS DA CARACTERIZAÇÃO

Natureza e estratigrafia dos terrenos (Geologia)

Condições hidráulicas (Hidrogeologia)

Propriedades físicas e mecânicas (Engenharia)

Distribuição de contaminantes (Geoambiental)

12
NA PRÁTICA, GEOTECNIA É…

• IDENTIFICAR (QUEM ÉS TU?)

• CARACTERIZAR (COMO TE COMPORTAS?)

• DIMENSIONAR (COMO EXECUTAR?)

• MONITORIZAR (POSSO MELHORAR?)

13
• IDENTIFICAR (QUEM ÉS TU?)

14
• CARACTERIZAR (COMO TE COMPORTAS?)

15
• DIMENSIONAR (COMO EXECUTAR?)
• MONITORIZAR (POSSO MELHORAR?)
A QUALIDADE DA EXECUÇÃO
A QUALIDADE DA EXECUÇÃO

Dimensionamiento sem Dimensionamento com calculo e


critério dados fidedignos.

Dimensionamento com dados grosseiros,


sem calculo.
A REALIDADE DA EXECUÇÃO

• Número de ensaios insuficiente

• Tipo de ensaios inadequados

• Controlo deficiente
O QUE SE PERDE…

• Potencialidades dos maciços pouco


aproveitadas

• Orçamentações deficientes, com significativa


perda de rentabilidade

• Projecto definido com base em aproximações


grosseiras
Consequências (iceberg)
• 10% SUBDIMENSIONADO
(consequências visíveis)

• 90% SOBREDIMENSIONADO
(nunca se sabe)
Prospecção Geológica e Geotécnica
• Fundações de edifícios urbanos e industriais;
• Barragens;
• Obras portuárias;
• Vias de comunicação;
• Silos;
• Pontes;
• ETAR’s;
• Muros de suporte;
• Injecções;
• Rebaixamento do nível freático;
• Captações de água.
2.1. Objectivos

Identificação Caracterização

Atribuir comportamentos
Interacção
Tipos de físicos e mecânicos às
entre os
materiais diferentes unidades
materiais
identificadas

Resistência Deformabilidade Permeabilidade


2.1. Objectivos

Técnicas utilizadas

Ensaios laboratoriais Ensaios “in situ”

Limitações
Necessidade de conduzem à
Menor
Dificuldade em ultrapassar aplicação de
dificuldade na
Maior tempo de obter amostras limitações correlações
interpretação
execução indeformadas irresolúveis dos para obtenção
primária dos
de qualidade ensaios dos parâmetros
resultados
laboratoriais geotécnicos

Menos adequados Mais adequados


2.1. Objectivos

Ensaios laboratoriais Ensaios “in situ”


Volume envolvido frequentemente
Condições de fronteira bem definidas
representativo
Informação contínua na maior parte dos
Condições de drenagem bem definidas
Vantagens casos
Elimina o problema de amostragem
Trajectórias de tensão pré-
seleccionadas e bem definidas Solos ensaiados no seu ambiente
natural
Amostragem impossível em solos
Condições de fronteira fracamente
arenosos e com perturbação acentuada
definidas
nos solos argilosos
Limitações
Pequeno volume envolvido Condições de drenagem assumidas
Estados de deformação não uniformes e
Informação descontínua
taxas de deformação variáveis
2.2. Planeamento de campanhas

Ter em conta:

• Objectivos do projecto (acções e solicitações das estruturas sobre o terreno)

• Informação prévia disponível

• Condições geológicas regionais e locais

• Acessos e características fisiográficas da zona

• Selecção dos métodos de investigação

• Orçamentos e prazos
2.2. Planeamento de campanhas

Estudos
prévios e Anteprojecto Projecto Construção Exploração
viabilidade
2.2. Planeamento de campanhas

Estudos prévios e viabilidade

Actividades características: Objectivos geológicos-geotécnicos:

• Revisão da informação; • Viabilidade geológica;


• Foto - interpretação; • Identificação de riscos geológicos;
• Visita e reconhecimento prévio do • Condições geológico - geotécnicas
campo. gerais.
2.2. Planeamento de campanhas

Anteprojecto

Actividades características: Objectivos geológicos-geotécnicos:

• Cartografia geológica - geotécnica; • Selecção da localização;


• Dados hidrológicos - hidrogeológicos; • Classificação geotécnica dos
• Investigações geotécnicas básicas. materiais;

• Soluções geotécnicas aproximadas.


2.2. Planeamento de campanhas

Projecto

Actividades características: Objectivos geológicos-geotécnicos:

• Investigações geotécnicas • Caracterização geotécnica detalhada;


detalhadas; • Parâmetros geotécnicos para as
• Cartografia geotécnica detalhada. estruturas, escavações ou
cimentações do projecto.
2.2. Planeamento de campanhas

Construção

Actividades características: Objectivos geológicos-geotécnicos:

• Controlo geotécnico; • Verificação e adaptação do projecto.


• Instrumentação.
2.2. Planeamento de campanhas

Exploração

Actividades características: Objectivos geológicos-geotécnicos:

• Auscultação. • Controlo da resposta


terreno/estrutura.
2.2. Planeamento de campanhas

• Para seleccionar os métodos de investigação:


• Resolução e alcance dos métodos;

• Limitações dos métodos;

• Relação benefício/custo das técnicas de investigação a implementar.


2.2. Planeamento de campanhas

Métodos
directos

Métodos Métodos
semi-directos indirectos
2.2. Planeamento de campanhas

Métodos directos

Observação directa do subsolo


(recolha directa de elementos
das formações a estudar)

Valas ou
Trincheiras Poços Galerias
sanchas
2.2. Planeamento de campanhas

Métodos semi-directos

Ensaios
Sondagens mecânicos

Sondagens a Sondagens à Sondagens à


trado rotação percussão
2.2. Planeamento de campanhas

Métodos indirectos

Conjunto de técnicas que investiga o


interior da terra a partir de variações
detectadas em parâmetros físicos

Geofísica
Sondagens
2. Sondagens

2.1. Identificação
2.2. Poços, valas e
geológica de 2.3. Galerias
trincheiras
maciços

2.5. Registo de
2.4. Sondagens
sondagem
3.1. Identificação geológica de maciços

Através da prospecção
geológica e geotécnica

Conjunto de operações que visam a


determinação da natureza e das
características do terreno, a sua
disposição e acidentes com interesse
3.1. Identificação geológica de maciços

Prospecção

Vertical Horizontal Profundo

Pequena Grande
Superficial Galerias
profundidade profundidade

Poços Sondagens Valas


(profundidade (profundidade
~diâmetro) >>>diâmetro)
Trincheiras
3.1. Identificação geológica de maciços

Poços, valas, trincheiras e galerias Sondagens

O técnico só tem acesso aos materiais na


O técnico tem acesso directo aos materiais,
superfície, após a remoção dos mesmos, o
já que se encontra a profundidades
que obriga a uma grande variedade de
modestas e as respectivas escavações são
técnicas e equipamentos para obtenção
de dimensões razoáveis
desse objectivo.
3.1. Identificação geológica de maciços
Dimensões
Utilização
(referências)
- Pesquisar superfícies de deslizamentos
1.80 m (eixo - Profundidade de um maciço rochoso
Poços maior) por 0.80 m - Colher amostras em quantidade
(eixo menor) apreciável
- Para realizar ensaios “in situ”
Valas e trincheiras - Locais de barragens e canais
1.80 m de altura
- Fundações rochosas de barragens
Galerias por 1.20 m de
- Pontes de grandes dimensões
largura
3.2. Poços, valas e trincheiras

Vantagens Desvantagens
- Impossibilidade de aceder
- Acesso directo a uma determinada a grandes profundidades
formação rochosa (~20 m)
Poços
- Colheita de amostras intactas ou - Muito difícil o avanço
remexidas abaixo do nível freático
em terrenos brandos
- Permitem a observação local (directa) - Em solos ou rochas muito
Valas e das formações rochosas brandas, a sua utilização
trincheiras - São trabalhos expeditos que não não ultrapassa, geralmente,
exigem especialização os 2 m
2.2. Poços, valas e trincheiras
3.3. Galerias

Vantagens Desvantagens

- Permitem o acesso ao interior dos - São métodos de


maciços e a sua observação directa prospecção dispendiosos,
- São estruturas que podem mudar sendo apenas utilizados em
de direcção e ser inclinadas e atingir obras de grande
qualquer profundidade importância
Galerias
- Podem ser utilizadas como obras de - Para realização de ensaios
drenagem dos maciços mecânicos “in situ” é
- Permitem introdução de necessário a escavação e
equipamentos e a realização de remoção de grandes
ensaios no interior do maciço volumes de maciço
3.3. Galerias
3.4. Sondagens
Tipos de
sondagens

A água À percussão Vibro-percussiva Penetrométrica Rotativas Roto-percussiva

Estáticas Com carotagem

Dinâmicas Trado

“Rotary”
3.4. Sondagens
3.4.1. Sondagem a água

Desagregação do Acção da água


material injectada sobre pressão

Características:
- Sondagem artesanal
- Fácil de executar em terrenos não coesivos
- Utilizadas em solos de granulometria fina a média
3.4.1. Sondagem a água

Material: Procedimento
➢ Motor com bomba de 1 a 3 A injecção de água faz-se com uma mangueira no
fundo do furo, e os tubos de revestimento são
polegadas;
rodados à medida que a água desagrega o solo
➢ Mangueira; nesse mesmo fundo. Para que os tubos de
revestimento vençam o atrito dos materiais das
➢ Tubos de revestimento (como
paredes, carrega-se nos tubos e rodam-se para um
suporte das paredes do furo). lado e para outro. O solo é recolhido num peneiro à
saída da água do interior dos tubos de revestimento
ou então pode descer-se no furo um amostrador e
colher as amostras para identificação e
classificação.
3.4.1. Sondagem a água

Se o solo for pouco consistente e facilmente


desagregável estas sondagens podem atingir uma
profundidade de 20 metros. Este tipo de sondagem é
muito utilizado na zona de aluviões lodo-arenosos de
toda a região de Aveiro, para furos de captação de
água para irrigação.
3.4.2. Sondagem à percussão

As sondagens à percussão consistem basicamente na técnica


de desagregação por fadiga. O esforço desagregador é
conseguido por acção de impactos sucessivos de um trépano,
com massa considerável, caindo de grande altura.

A evacuação do material desagregado é realizada com auxílio de


um tubo oco, fechado na base, denominado limpadeira. É um
método utilizado em todos os tipos de solo, permitindo a sua
amostragem, mediante a utilização de amostradores adequados.
3.4.2. Sondagem à percussão
3.4.2. Sondagem à percussão

➢ Sonda manual - geralmente usada ➢ Sondas mecânicas - para furos mais


para abrir furos verticais com profundos, os quais podem atingir
diâmetros máximos de cerca de valores da ordem de grandeza da
20 cm e profundidades até cerca centena de metros (embora para estas
de 20 metros; profundidades os rendimentos de
furação já são relativamente baixos).
3.4.2. Sondagem à percussão
• Sondagem mecânica;
• Utilizadas em solos ou rochas brandas;
• Utilizadas também em solos duros, mas o avanço é mais lento;
• Usada na caracterização dos maciços das fundações de:
• Edifícios;
• Residências;
• Pontes;
• Viadutos;
• Escavações subterrâneas.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento

1. Sistema de suspensão e levantamento das ferramentas


➢ Torre desmontável com três (Tripé) ou quatro pernas como suporte;
➢ Hastes em tubo de aço maciças ou ocas, munidas de um sistema de
roldanas com eixo em aço sobre rolamentos de esferas;
➢ Sarilho ou Cabo de aço com capacidade adequada à elevação para
elevação dos trépanos e limpadeira.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento
2. Ferramentas para perfurar
➢ Conjunto de Trépanos (a,b,c)
➢ Batente e uma Cabeça com rosca especial, confeccionada em aço de 95% a 100% de carbono
por revestimento;
➢ Destravador.
➢ Desencravador
➢ Duas sapatas cortantes, com rosca especial, confeccionada em aço de 95% a 100% de carbono;
➢ Haste guia / Haste massa (do peso batente).
➢ Cabeça batente, com rosca quadrada de uma entrada e três filetes por polegada nas duas
extremidades p/ haste.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento
2. Ferramentas para perfurar
➢ Conjunto de Trépanos (a,b,c)
➢ Batente e uma Cabeça com rosca especial, confeccionada em aço de 95% a 100% de carbono
por revestimento;
➢ Destravador.
➢ Desencravador
➢ Duas sapatas cortantes, com rosca especial, confeccionada em aço de 95% a 100% de carbono;
➢ Haste guia / Haste massa (do peso batente).
➢ Cabeça batente, com rosca quadrada de uma entrada e três filetes por polegada nas duas
extremidades p/ haste.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento
2. Ferramentas para perfurar
O Trépano é uma peça maciça que peneira, tritura, escareia e mistura. As características litológicas
da formação a perfurar determina qual das funções é mais importante.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento
2. Ferramentas para perfurar
O Trépano é uma peça maciça que peneira, tritura, escareia e mistura. As características
litológicas da formação a perfurar determina qual das funções é mais importante.

Ex. Para perfurar formações de quartzo ou granito,


geralmente muito duras e abrasivas, as funções mais
importantes do trépano, são penetrar e escarear.
Neste caso não é necessário prestar atenção ás funções de
triturar e misturar
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento
3. Ferramentas paralimpeza do furo (limpadeiras)
➢ Reservatório d’água com capacidade de armazenar cerca de 200L;
➢ Limpadeiras e respectivas válvulas.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento
3. Ferramentas paralimpeza do furo (limpadeiras)
A limpadeira usa-se para extrair do fundo do furo os detritos misturados com a água. Trata-
se de um tubo com uma pega na parte superior e uma válvula na inferior. Esta válvula abre-
se quando se deixa cair a limpadeira e fecha-se no movimento ascendente, impedindo a
saída de detritos.

✓ Limpadeira de válvula plana.


✓ Limpadeira de válvula esférica.
✓ Limpadeira de válvula de dardo.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento

4. Órgão motor que acciona a perfuração (quando não for manual)

➢ Conjunto moto-bomba constituído por:


o Bomba d’água com entrada e saída de 2”, conjugada com motor à gasolina, diesel ou
eléctrico, montado sobre esquis e/ou rodas;
o Mangote de sucção;
o Mangueira de borracha
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento

5. Sistema de revestimento das paredes do furo de sondagem

➢ Mangueira de borracha,
➢ Tubos de revestimento.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento

5. Sistema de revestimento das paredes do furo de sondagem

Em terrenos pouco consolidados é costume existirem problemas de


manutenção das paredes do furo de sondagem. O problema pode ser
resolvido com o uso de lamas de sondagem que revestem e
estabilizam as paredes do furo ou pela colocação de tubos de
revestimento de aço.
3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento

5. Sistema de revestimento das paredes do furo de sondagem


3.4.2. Sondagem à percussão
Equipamento

5. Sistema de revestimento das paredes do furo de sondagem

➢ Mangueira de borracha Tubos de revestimento, ocos de secção circular sem


costura para pressão, com uma espessura mínima de parede e com rosca especial
em ambas extremidades. Tubos esses que permitam garantir a estabilidade das
paredes do furo em materiais de fraca consistência. Os diâmetros a utilizar são
seleccionados em função do diâmetro previsto de furação.

Você também pode gostar