Você está na página 1de 169

DIREITOS AUTORAIS E DECLARAÇÃO

Direitos Autorais © URIT Medical Electronic Co., Ltd.

Parabéns, você se tornou um cliente VIP para a Guilin URIT Medical Electronic
Co., Ltd., e seja bem-vindo ao usar o URIT-5380/ URIT 5200 PLUS Analisador
Hematológico Automático, isso lhe proporcionará a nova experiência e conveniência.

Declaração. Todos os conteúdos deste manual estão de acordo com as


respectivas leis e regulamentos da República Popular da China, bem como as
condições específicas do Analisador Bioquímico Automático URIT. Toda informação
atualizada foi incluída neste manual antes da impressão. A URIT é totalmente
responsável pela revisão e explicação do presente manual, e reserva-se o direito de
renovar o respectivo conteúdo sem aviso prévio. Algumas das fotos ilustrativas deste
manual são para referência, se houver alguma diferença, por favor, verificar o objeto
real.

Toda informação deste manual está protegida pela lei de direitos autorais.
Nenhuma parte deste manual pode ser reproduzida, armazenada ou transmitida em
qualquer forma ou por quaisquer meios, sem a permissão expressa por escrito da
URIT Medical Electronic Co., Ltd.

Todas as instruções devem ser rigorosamente seguidas durante a operação. Em


nenhum caso a URIT Medical Electronic Co., Ltd. deve ser responsável por falhas,
erros e outras obrigações decorrentes do não cumprimento do usuário com os
procedimentos e precauções descritas neste manual.

Responsabilidade Limitada por Garantia de Qualidade. Daqui em diante, o


que diz respeito a equipamentos URIT é equivalente à URIT Medical Electronic Co.,
Ltd.. O manual para URIT-5380 Auto Hematology Analyzer, define os direitos e
obrigações entre a URIT e os clientes sobre a responsabilidade pela garantia de
qualidade e serviço pós-venda, também os acordos relacionados ao início e término.

A URIT garante o equipamento URIT-5380/URIT 5200 PLUS vendida pela URIT


e seus agentes autorizados para serem livres de defeitos de fabricação e materiais
durante o uso normal pelo comprador original. Esta garantia deve continuar por um
período de um ano desde a data da instalação. A vida do analisador é de dez anos.
Deve atender aos seguintes requisitos:

1. Operar o analisador de acordo com este manual;

2. O software e o hardware instalado devem cumprir o disposto neste manual;

3. Somente os engenheiros autorizados pela URIT podem fazer a manutenção


reparo, e apenas as peças sobressalentes que aprovam pela URIT podem ser
utilizadas;

4. Fonte de energia do laboratório deve estar conformidade com as leis e


regulamentos nacionais ou internacionais;

5. As amostras devem ser coletadas e armazenadas em condições normais de


laboratório clínico l;

6. Os reagentes devem cumprir as disposições deste Manual de Operações.

7. Use as ferramentas certas para fazer a manutenção ou solução de problemas


do equipamento.

CUIDADO

O ANALISADOR É PARA USO PROFISSIONAL

O serviço técnico e a solução de problemas são fornecidos pelo Centro de


Atendimento ao Cliente da URIT. Técnico profissional e representante de vendas
serão enviados para lhe oferecer um serviço oportuno, quando necessário.

URIT Medical Electronic Co., Ltd.


No.D-07 Information Industry District, High-Tech Zone, Guilin, Guangxi 541004, P. R.
China; Tel: +86(773)2260203; Fax: +86(773)2260204
Web: www.urit.com

Serviço exclusivo de distribuição e pós-venda


NO.3 Fuhe Alley, Zhonghua Road, Guilin Guangxi, 541001, PR China
Tel: +86 (773) 2288555, 2288558; Fax: +86 (773) 2288559, 2824559
Hot line: 400-727-2288
Email: sales@uritest.com
Fornecido por: URIT Medical Electronic Co., Ltd.
Versão: 06/2014-C1
SUMÁRIO
Capítulo 1- Introdução ................................................................................1
1.1 Visão Geral................................................................................................ 1
1.2 Como utilizar este manual ........................................................................ 2
1.3 Sinal de alerta ............................................................................................ 2
1.4 Guia ........................................................................................................... 3
1.5 Parâmetros................................................................................................. 4
CAPÍTULO 2 - Informações de segurança ................................................7
2.1 Visão Geral................................................................................................ 7
2.2 Requisitos Especiais.................................................................................. 7
2.3 Requisitos Gerais ...................................................................................... 7
2.4 Segurança Eletromagnética ....................................................................... 8
2.5 Instalação .................................................................................................. 8
2.6 Prevenir Contaminação ............................................................................. 9
2.7 Reagente .................................................................................................... 9
2.8 Manutenção ............................................................................................. 10
2.9 Laser ........................................................................................................ 11
2.10 Consumíveis............................................................................................ 11
2.11 Sinal de Segurança .................................................................................. 11
2.12 Operadores ................................................................................................ 12
2.13 Vírus Computador................................................................................... 13
CAPÍTULO 3 – Sistema e Função ...........................................................14
3.1 Visão Geral.............................................................................................. 14
3.2 Parâmetro ................................................................................................ 14
3.3 Estrutura .................................................................................................. 15
3.4 Tela de Teste ............................................................................................ 24
3.5 Reagentes, Controles e Calibradores ...................................................... 27
3.5.1 Diluente ............................................................................................ 27
3.5.2 Sheath ............................................................................................... 28
3.5.3 Lisante .............................................................................................. 28
3.5.4 Detergente ........................................................................................ 29
3.5.5 Sonda - Detergente ........................................................................... 29
3.5.6 Controle e Calibradores ................................................................... 30
Capítulo 4 – Instalação .............................................................................32
4.1 Visão Geral.............................................................................................. 32
4.2 Retirando a embalagem e Inspeção ......................................................... 33
4.3 Requisitos do Espaço .............................................................................. 33
4.4 Requisito de Fonte de Alimentação ........................................................ 33
4.5 Requisitos do Ambiente .......................................................................... 34
4.6 Requisitos de Descarte de Resíduos ....................................................... 35
4.7 Instalação do Sistema .............................................................................. 35
4.7.1 Instalação – Computador .................................................................... 35
4.7.2 Instalação – Tubulações ...................................................................... 36
4.7.3 Instalação – Impressora....................................................................... 37
4.8 Requisitos de Transporte e Armazenamento ........................................... 38
Capítulo 5 – Príncipios de Operação ........................................................39
5.1 Visão Geral.............................................................................................. 39
5.2 Aspiração da Amostra ............................................................................. 39
5.3 Diluição da Amostra ............................................................................... 40
5.3.1 Modo Amostragem – Sangue Total Automático (Bateria) ............... 40
5.3.2 Modo Amostragem – Sangue Total Individual (Emergência).......... 41
5.3.3 Modo Diluição ................................................................................. 41
5.4 Príncipio do teste WBC .......................................................................... 43
5.4.1 Tecnologia de Dispersão de Luz a Laser de Quatro Ângulos .......... 43
5.4.2 Classificação WBC .......................................................................... 47
5.5 Príncipio do Teste da Concentração de Hemoglobina ............................ 47
5.5.1 Príncipio Colorimetria ..................................................................... 47
5.5.2 Parâmetro de Hemoglobina.............................................................. 48
5.6 Príncipio do teste RBC/PLT .................................................................... 48
5.6.1 Medição Volumétrica ....................................................................... 49
5.6.2 Parâmetros RBC............................................................................... 50
5.6.3 Parâmetros Plaquetas (PLT) ............................................................. 51
5.7 Príncipios da Análise de Reticulócitos ........................................................ 52
Capítulo 6 – Configurações ......................................................................54
6.1 Visão Geral.............................................................................................. 54
6.2 Manutenção ............................................................................................. 54
6.3 Alarme..................................................................................................... 55
6.4 Display .................................................................................................... 55
6.5 Impressão ................................................................................................ 56
6.6 Transmitir ................................................................................................ 56
6.7 Limite ...................................................................................................... 58
6.8 Tempo de Contagem ............................................................................... 59
6.9 Usuário .................................................................................................... 60
6.10 Manutenção Dicionário ........................................................................... 62
6.11 Data e Hora ............................................................................................. 63
Capítulo 7 – Operação Diária ...................................................................65
7.1 Visão Geral.............................................................................................. 65
7.2 Preparações ............................................................................................. 66
7.3 Inicialização ............................................................................................ 66
7.4 Controle de Qualidade (CQ) ................................................................... 68
7.5 Amostra de Sangue ................................................................................. 68
7.5.1 Sangue Total - Coleta ....................................................................... 69
7.5.2 Preparação Diluição da Amostra ...................................................... 70
7.5.3 Preparação de Amostra de Reticulócitos.......................................... 72
7.5.4 Estabilidade da amostra ................................................................... 72
7.6 Inserção de Informações ......................................................................... 73
7.7 Teste Amostra.......................................................................................... 75
7.7.1 Mode ................................................................................................ 75
7.7.2 Contagem e Análises ........................................................................ 76
7.8 Pesquisa de Resultados e Impressão ....................................................... 76
7.8.1 Pesquisa de Resultados .................................................................... 76
7.8.2 Seleção de Resultados ...................................................................... 78
7.8.3 Apagar Resultados ........................................................................... 80
7.8.4 Precisão ............................................................................................ 80
7.8.5 Comparação de Resultados .............................................................. 81
7.9 Análises de Reticulócitos ........................................................................ 82
7.10 Estatística ................................................................................................ 84
7.11 Finalização .............................................................................................. 85
Capítulo 8 – Controle de Qualidade .........................................................86
8.1 Visão Geral.............................................................................................. 86
8.2 Opções de Controle de Qualidade........................................................... 87
8.3 Modo de seleção CQ ............................................................................... 88
8.4 CQ L-J ..................................................................................................... 89
8.4.1 Configuração CQ L-J ....................................................................... 89
8.4.2 Teste CQ L-J .................................................................................... 91
8.4.3 Teste CQ AB .................................................................................... 91
8.4.4 Análises do Gráfico CQ L-J ............................................................. 92
8.4.5 Consulta de Resultados CQ L-J ....................................................... 92
8.5 CQ X-B ................................................................................................... 93
8.5.1 Configuração do CQ X-B ................................................................ 93
8.5.2 Teste CQ X-B ................................................................................... 94
8.5.3 X-B QC Graph Analysis .................................................................. 94
8.6 X-R QC ................................................................................................... 95
8.6.1 Configuração CQ X-R ..................................................................... 95
8.6.2 Teste CQ X-R ................................................................................... 97
8.6.3 Análises do Gráfico CQ X-R ........................................................... 97
8.6.4 Pesquisa de Resultados CQ X-R ...................................................... 99
8.7 CQ X ..................................................................................................... 100
8.7.1 Configuração CQ X ....................................................................... 100
8.7.2 Teste CQ X ..................................................................................... 101
8.7.3 Análises do Gráfico CQ X ............................................................. 102
Capítulo 9 – Calibração ..........................................................................105
9.1 Visão Geral............................................................................................ 105
9.2 Frequência de Calibração ...................................................................... 106
9.3 Preparação ............................................................................................. 106
9.4 Modos de Calibração ............................................................................ 108
9.4.1 Calibração - Padrão ........................................................................ 108
9.4.2 Calibração - Sangue ....................................................................... 112
9.4.3 Calibração Manual ......................................................................... 114
Capítulo 10 – Manutenção e Cuidado .................................................... 117
10.1 Visão Geral............................................................................................ 117
10.2 Manutenção de Rotina .......................................................................... 117
10.2.1 Manutenção Diária .................................................................. 117
10.2.2 Manutenção Semanal .............................................................. 118
10.2.3 Manutenção Mensal ................................................................ 119
10.3 Programas de Manutenção ...................................................................... 120
10.3.1 Aspirar Fluídos (Prime Fluidics) ............................................ 121
10.3.2 Aspirar Lisante (Prime Lyse) .................................................. 123
10.3.3 Aspirar Diluente (Prime Diluent)............................................ 123
10.3.4 Aspirar Detergente (Prime Detergent) .................................... 123
10.3.5 Aspirar Sheath (Prime Sheath)................................................ 124
10.3.6 Cauterizar Abertura ................................................................. 124
10.3.7 Limpeza da Abertura ............................................................... 125
10.3.8 Limpeza dos Transdutores ...................................................... 125
10.3.9 Preparar para Transporte ......................................................... 126
10.3.10 Outras Manutenções................................................................ 127
Capítulo 11 – Soluções de Problemas.....................................................130
11.1 Visão Geral............................................................................................ 130
11.2 Guia ....................................................................................................... 130
11.3 Asssitência Técnica ............................................................................... 131
11.4 Solução de Problemas ........................................................................... 132
11.4.1 Falhas relacionadas aos Reagentes ......................................... 132
11.4.2 Falhas Relacionadas ao Resultado do Teste ............................ 133
11.4.3 Falha Relacionada ao Hardware ............................................. 134
Apêncide A- Especificações ...................................................................136
A.1 Especificações Técnicas ........................................................................ 136
A.1.1 Parâmetros ........................................................................................ 136
A.1.2 Velocidade do Teste .......................................................................... 137
A.1.3 Modos de CQ ................................................................................... 137
A.1.4 Reagentes ......................................................................................... 137
A.1.5 Modos de Calibração ....................................................................... 137
A.1.6 Medição de Parâmetros e Cálculos .................................................. 137
A.1.7 Dispositivos de Entrada e Saída ....................................................... 138
A.2 Especificações Físicas ........................................................................... 138
A.2.1 Requisitos de Energia .................................................................... 138
A.2.2 Requisitos do Ambiente ................................................................. 138
A.2.3 Armazenamento e Transporte ........................................................ 138
A.2.4 Tamanho e Peso ............................................................................. 139
A.2.5 Descarte de Solução de Resíduos .................................................. 139
A.2.6 Volume Mínimo de Amostra .......................................................... 139
A.2.7 Fator de Diluição............................................................................ 139
A.2.8 Diâmetro ........................................................................................ 139
A.2.9 Medição HGB ................................................................................ 139
A.3 Performance .......................................................................................... 140
A.3.1 Precisão .......................................................................................... 140
A.3.2 Linearidade .................................................................................... 140
A.3.3 Exatidão da Classificação WBC .................................................... 140
A.3.4 Carryover ....................................................................................... 140
A.3.5 Contagem do Branco...................................................................... 141
A.3.6 Comparabilidade ............................................................................ 141
A.3.7 Intervalo de Exibição dos Príncipais Parâmetros........................... 141
A.4 Especificação dos Reagentes ................................................................ 141
A.5 Consumo Reagente ............................................................................... 142
A.6 Informação do Alarme .......................................................................... 142
Apêndice B – Protocolo de Comunicação Externa ................................145
Apêndice C - Licença para Fabricação de Analisadores de Medição ....157
Apêndice D Substâncias Tóxicas e Perigosas Substância Perigosas ou
Elementos ................................................................................................158
Apêndice E – Procedimentos de Operação Diária..................................159
Apêndice F - Componentes Chaves ........................................................161
Capítulo 1- Introdução

1.1 Visão Geral

Bem-vindo, ao manual do analisador de hematologia automático 5-Part-Diff


URIT-5380, este manual inclui operação do analisador, instruções de manutenção e
informações que precisam de atenção. Para manter o equipamento em bom
desempenho, o usuário deve seguir as orientações deste manual.
O analisador de hematologia é um dispositivo médico de diagnóstico in vitro.
Pode analisar e produzir 34 parâmetros da amostra (incluindo 6 gráficos). A seção de
detecção óptica utiliza citometria de fluxo de dispersão a laser de quatro ângulos para
analisar o diferencial de cinco partes de glóbulos brancos. Utiliza a teoria de Coulter
para analisar glóbulos vermelhos, plaquetas e também utiliza colorimetria sem
cianeto para a concentração de hemoglobina.

NOTA

 Leia atentamente esta instrução antes de operar, especialmente as


informações de segurança. Mantenha este manual corretamente para futuras
referências.
 Se o usuário não operar o equipamento de acordo com este manual, o
maus-tratos levará a medições imprecisas e causará diagnósticos errados,
atrasando o tratamento do paciente ou prejudicando o próprio operador, e
danificando o analisador.
 Qualquer tentativa de resumir, otimizar, melhorar ou ampliar as atividades
esperadas que constam no manual de operação provavelmente causará
algum impacto negativo na precisão do equipamento.
 O usuário deve seguir rigorosamente as instruções ao operar o equipamento
URIT.

1
Capítulo 1 Introdução

1.2 Como utilizar este manual

Este manual contém informações gerais, sendo a melhor orientação para


novos operadores. Por favor, leia minuciosamente no primeiro uso. O
usuário pode usar o conteúdo para encontrar rapidamente as informações
necessárias no uso diário. Todo o pessoal relacionado deve ler este manual.

1.3 Sinal de alerta

Este manual disponibiliza as seguintes informações de aviso.

Símbolo Significa
do
Indica que o operador deve seguir as instruções
ATENÇÃO abaixo deste símbolo, ou caso contrário pode ter
uma lesão pessoal.
Indica riscos potenciais que podem resultar em
ferimentos leves, também utilizados para condições
CUIDADO ou atividades que possam interferir com o
funcionamento adequado do analisador.
Solicita operar de acordo com os símbolos, enfatiza
a informação importante nos procedimentos de
NOTA
operação e os conteúdos necessários de atenção.

Indica potencial risco biológico.


ATENÇÃO

Indica um risco de laser, se houver o não

ATENÇÃO cumprimento de procedimentos ou controles de


engenharia, pode resultar em danos aos olhos.

2
Capítulo 1 Introdução

O período de uso conforme ao meio ambiente é de


20 anos, dentro do qual pode ser assegurado de
usar. Deve ser levado para um sistema de
recuperação se for ocorrer mais do que o período
de uso da proteção ambiental.

Declaração

 O URIT-5380 cumpre os requisitos de Emissão e Imunidade de GB/T


18268.26-2010.
 Faça uma avaliação ambiental eletromagnética antes de usá-la.

1.4 Guia

O operador pode encontrar informações de ajuda de acordo com os


capítulos exibidos no quadro abaixo:

Informação Referência
Parâmetros Capítulo 1 Introdução
Capítulo 2 Informação Segura para
Informações para Operação
operação
Estrutura e Utilização Capítulo 3 Sistema e Função
Instalação Capítulo 4 Instalação
Princípios de Medição e Procedimento Capítulo 5 Princípios de Operação
Configurações do Parâmetro do Capítulo 6 Configurações
Sistema
Operações Diárias Capítulo 7 Operação Diária
Requisito e Método de Controle de Capítulo 8 Controle de Qualidade
Qualidade (CQ)
Requisito e Método de Calibração Capítulo 9 Calibração
Manutenção Capítulo 10 Manutenção e Cuidado
Soluções de Problemas Capítulo11 Solução de Problema

3
Capítulo 1 Introdução

Especificações Apêndice A
Protocolo de Comunicação Apêndice B
Informação Métrica Apêndice C
Nome e conteúdo de substâncias ou Apêndice D
elementos venenosos e nocivos
Procedimento Operacional Diário Apêndice E
Componentes Chaves Apêndice F

1.5 Parâmetros

Item Conteúdo Explicação


Diagrama de dispersão
Parâmetro do (scattergram), histograma,
34 parâmetros (com gráficos)
Teste estereograma
tridimensional
Amostragem de punção
fechada, amostragem
contínua, processamento de Não é necessário que os
Operação amostragem de 50 por lote, operadores entrem em
teste de amostra de contato com amostras
emergência a qualquer
momento
O software suporta a
Idioma Inglês e Chinês atualização online e de
disco.
Configuração da Equipado com computadores O gerenciamento de dados
tela de marca e monitores LCD. e a rede são convenientes.
Armazenamento
≥ 200,000 resultados (com gráficos)
de Dados
Amostragem de sangue total (emergência) ≥60 / h;
Velocidade
Amostragem automática de sangue total (bateria) ≥60 / h.
O intervalo de referência
Impressora externa, seleção
pode ser impresso em
Impressão de impressão do histograma e
formato de relatório em
resultados.
inglês e chinês.

4
Capítulo 1 Introdução

Modo amostragem automática


de sangue total (bateria) - 20
µL
Volume Modo amostragem de sangue Anticoagulantes com
Sanguíneo total (emergência) - 20 µL EDTA-K2/EDTA-K3.

Modo amostragem diluída - 20


µL
Diluente, Detergente, Lisante (reagentes não tóxicos ao meio
Reagente
ambiente), Sheath
Use o dispositivo de lavagem Evita contaminação cruzada
Enxágue da
automática para liberar a entre as amostras e
sonda de
superfície interna e externa da também aos operadores a
aspiração da
sonda de aspiração da entrarem em contato com
amostra
amostra. as amostras.
Disponibiliza duas unidades de Disponibiliza unidades de
Seleção das
seleção para WBC, RBC, parâmetros para diferentes
unidades
HGB, PLT e outros itens. países e lugares.
Os reagentes ambientais
podem evitar efeitos
danosos à saúde dos
Sal de amônio quaternário livre operadores e ser bons para
de cianeto. Fonte de luz por a proteção ambiental. Se
Teste HGB
meio de LED, colorimetria de usar os reagentes tóxicos, o
(hemoglobina)
comprimento de onda em usuário necessita comprar
540nm. equipamentos de
processamento
especializado, o que
aumentará os custos.
Calibração e Com padrão, sangue e calibração manual;
Controle Com regras de controle L-J, X, X-R, X-B.
Adote separadamente os Melhore a precisão e realize
Estrutura custos estruturais removíveis a manutenção
da seringa. periodicamente.
Com função de monitoração Melhore a vida útil dos
Manutenção automática para solicitar ao equipamentos e mantenha as
operador que execute melhores condições de

5
Capítulo 1 Introdução

procedimentos de trabalho.
manutenção ou solução de
problemas automáticos.
Pode ser ajustado de acordo
Com 9 diferentes grupos,
com diferentes grupos, e o
Intervalo de disponibiliza a função de
analisador irá identificar e
referência ajuste do intervalo de
combinar automaticamente a
normalidade dos parâmetros.
melhor referência.
Cauterismo de alta tensão. A placa de abertura de rubi
Limpeza removível é fácil de limpar. Recuo de pressão positiva e
negativa e limpeza automática inteligente.
Possui uma boa segurança elétrica com o sistema de
Segurança
isolação elétrica de fluxo.
Dimensão (C) 580mm× (A) 550mm× (L) P705mm
Energia 300VA
Fusível 250V/3.15A
Peso 73kg

6
Capítulo 2 – Informações de segurança para operação

CAPÍTULO 2 - Informações de segurança


para operação

2.1 Visão Geral

Além das informações de uso de segurança, os assuntos gerais de operação em


termos de segurança também são mostrados neste capítulo. Leia este capítulo
cuidadosamente antes da operação.

2.2 Requisitos Especiais

 O analisador de hematologia automático URIT-5380 de 5 partes se refere a


contagem de células sanguíneas, ao diferencial de cinco partes de WBC e a
medição da concentração de hemoglobina em laboratório clínico.
 Permita apenas utilizar reagentes e detergentes mencionados neste manual.
Os requisitos de operação também incluem limpeza e manutenção regulares.

2.3 Requisitos Gerais

 Leia o manual de operação antes de utilizar o equipamento. Compreenda


todos os sinais importantes. Mantenha o manual para futuras referências.
 Siga as instruções do manual para iniciar o analisador, caso contrário, pode
ocorrer perda de função, proporcionando danos mecânicos acidentais e
ambientais indesejáveis.
 O analisador deve ser operado de acordo com os métodos mencionados
neste manual.
 Mantenha os cabelos longos, os dedos e a roupa longe das peças rotativas.
 Desligue a alimentação e desconecte o cabo de alimentação imediatamente
se o analisador emitir odor de queimado, caso contrário, poderá provocar
incêndio, choque elétrico ou ferimentos. Se isso acontecer, entre em contato
com o departamento de serviço pós-venda.
 Não espalhe as amostras ou o reagente no analisador, caso contrário, isso
causará curto-circuito. Se isso acontecer, desligue a alimentação, desconecte

7
Capítulo 2 – Informações de segurança para operação

o cabo de alimentação e entre em contato com o departamento de serviço


pós-venda imediatamente.
 Não toque no circuito, especialmente com a mão molhada, pois causará
choque elétrico.
 Certifique-se de conectar o analisador com tensão e aterramento conformes.
 Evite danificar o cabo de alimentação. Não coloque nenhum dispositivo no
cabo de alimentação e não o puxe.
 Desligue a alimentação antes de conectar outros dispositivos (computador
host, impressora).
 O analisador está conectado com alimentação CA. Existe um símbolo de
tensão perigoso na interface. O uso de adaptadores de energia de outras
marcas pode causar resultados de teste incorretos devido a qualidade inferior.

2.4 Segurança Eletromagnética

 O motor, que está no interior do analisador, produz campo elétrico alternativo


e campo magnético.
 O analisador não consegue executar normalmente quando existe uma forte
interferência eletromagnética.
 Os erros de conversão de dados e os resultados incorretos são causados
devido a fortes interferências eletromagnéticas e ao fraco aterramento.

2.5 Instalação

 O analisador deve ser instalado em local seco e sem poeira. Não o coloque
em um local úmido, sujo, com pouca ventilação ou com sal e enxofre. O
material Shell é ABS + PC, está corrompido se estiver sendo colocado em um
ambiente de alto pH.
 Evite espirrar água no analisador.
 Não o exponha em local com grande diferença de temperatura e luz solar
direta.
 Evite a vibração. Coloque-o em uma caixa com espuma para evitar danos
durante o armazenamento e o transporte. A embalagem inadequado pode
levar ao funcionamento anormal do analisador.
 O local de instalação deve estar bem ventilado.
 Embora o analisador não produza radiação ionizante, devemos levar em

8
Capítulo 2 – Informações de segurança para operação

consideração outros equipamentos que geram radiação ionizante forte, como


raio-X e raio-γ. Isso pode causar erros nos resultados do teste.
 Não instalar em local com produtos químicos e geram gás.
 A frequência e a tensão necessária devem ser consistentes com as descritas
no manual e ter a capacidade de permitir a atualidade. O analisador deve ser
equipado com fonte de energia de precisão ou UPS.
 O equipamento tem cerca de 73 kg. Manuseie cuidadosamente para evitar
ferimentos.
 O uso de reagente errado ou operação incorreta pode causar resultados
incorretos.

2.6 Prevenir Contaminação

 A superfície e os componentes do analisador possuem infectividade potencial,


portanto, mantenha uma distância apropriada entre a sonda de amostra e os
objetos circundantes para facilitar a execução.
 Usar vestuário de proteção e luvas durante a operação, manutenção e
reparação. Lave as mãos após o trabalho.
 Não entre em contato com os resíduos e seus componentes com as mãos
sem a proteção da luvas.
 Se exposto acidentalmente a material infeccioso ou a superfície, limpe bem a
pele com água imediatamente e após opere de acordo com os procedimentos
de desinfecção laboratoriais.
 O analisador utiliza o sangue como amostras. O sangue pode conter
patógenos microbianos que podem causar infecção facilmente. Portanto, a
operação deve ser feita com cuidado, qual deve-se usar luvas de proteção
para evitar que o próprio operador e as pessoas sejam infectados por
microrganismos patogênicos. Mesmo o controle e o calibrador podem ser
infectantes, qual deve-se usar vestuário de proteção e luvas de borracha
durante a calibração.

2.7 Reagente

 Verifique a integridade da embalagem/produto.


 Evite contato direto com reagentes, pois podem irritar os olhos, a pele e as
mucosas.

9
Capítulo 2 – Informações de segurança para operação

 Se a pele entrar em contato com os reagentes, lave com água imediatamente.


 Se os olhos entrarem em contato com os reagentes, lave com água e procure
o médico imediatamente. Leia as instruções de segurança do reagente.
 Estabelecer um conjunto de medidas de emergência em laboratório é muito
necessário.
 Proteja os reagentes de poeira, sujeira e germes.
 Os reagentes devem ser usados dentro do período de validade.
 Manuseie adequadamente os reagentes para evitar bolhas. Não mexa! O
reagente não pode ser usado imediatamente após o transporte.
 Não derrame os reagentes. Se acontecer, limpe com um pano.
 Se engolir reagentes acidentalmente, procure o conselho médico
imediatamente.
 Diluente é um tipo de bom condutor, se derramado ao lado do fio ou
dispositivo, pode causar choque elétrico. Desligue a alimentação, desconecte
o plugue e limpe o diluente.
 A solução de limpeza da sonda ou o detergente é um limpador fortemente
alcalino. Não deixe em contato com a pele ou roupas. Se isso acontecer,
enxágue a pele e as roupas com bastante água imediatamente.
 A solução de limpeza da sonda contém hipoclorito de sódio. Se entrar em
contato com a superfície do analisador, limpe com um pano imediatamente,
caso contrário ele irá corroer a superfície.
 Certifique-se de que os reagentes mantenham o mesmo nível com o
analisador ou abaixo. Não coloque reagentes na parte superior do analisador.

2.8 Manutenção

 Como um analisador eletro-óptico de precisão, a manutenção é necessária


para o funcionamento normal. Os dados do teste podem ter pequenos desvios
sem a limpeza regular. Em casos raros, o analisador pode estar infectado por
falta de limpeza.
 Para evitar infecções, choques elétricos e queimaduras, o operador deve usar
luvas em trabalhos de manutenção. Lave as mãos com após o trabalho.
 Use ferramentas especiais para manutenção.
 Todos os procedimentos de limpeza e manutenção devem estar de acordo
com a operação do manual.
 Faça a manutenção diária, semanal e mensal de acordo com a operação do

10
Capítulo 2 – Informações de segurança para operação

manual.
 Se o analisador não for usado por um longo tempo, esvazie o fluxo de
enxaguamento de acordo com o procedimento antes do desuso. Certifique-se
de que o analisador esteja em boa condição de funcionamento antes de
reutilizar.
 A reinstalação só pode ser realizada ao substituir as peças necessárias.

2.9 Laser

O analisador utiliza laser semicondutor que é protegido por um escudo.


Se você remover o escudo, o laser pode queimar os olhos e causar radiação
prejudicial. Somente o técnico de serviço designado pela URIT pode abrir a tampa.

2.10 Consumíveis

A eliminação de reagentes residuais, agentes de limpeza e todos os resíduos


devem obedecer às leis e regulamentos locais. As amostras e reagentes devem ser
separados dos resíduos comuns ou podem causar poluição ambiental. Os poluentes
também podem tornar o equipamento incapaz de funcionar.

2.11 Sinal de Segurança

Cuide-se de choque elétrico

Proteger do calor e fontes radioativas

Equipotencialidade

Corrente alternada

11
Capítulo 2 – Informações de segurança para operação

Dispositivo médico de diagnóstico in


vitro

Lote

Número Serial

Validade

Licença de medição

Data de fabricação

Fabricante

Consultar instruções de uso

Não reciclável

Atenção com seus dedos e mãos

2.12 Operadores

 Este analisador médico deve ser operado exclusivamente por profissional


bem treinado. Se estiver sendo operado incorretamente por pessoal não
qualificado, o mau uso levará a medições imprecisas e causará diagnósticos
errados, atrasando o tratamento do paciente ou prejudicando o próprio
operador, a até mesmo danificar o analisador.
 Falhar em operar de acordo com a instrução levaria a operação incorreta,
como erro de configuração de parâmetro de teste, pode danificar o analisador

12
Capítulo 2 – Informações de segurança para operação

e resultar em resultados de diagnóstico incorretos.


 A manutenção deve ser realizada por técnicos autorizados. Caso contrário
causará erros de teste resultantes de técnicos não autorizados e manutenção
não padronizada.
 O hardware/software inválido afetaria a precisão dos resultados do teste. O
operador precisa entrar em contato com o pessoal do serviço pós-venda o
mais rápido possível.

2.13 Vírus Computador

CUIDADO

Embora o nosso software tenha sido validado para garantir que não haja vírus de
computador, algumas medidas devem ser consideradas na operação diária. Aqui
estão alguns procedimentos de verificação, mas não completos. Depende das
condições de trabalho do laboratório para escolher as medidas apropriadas:
1. Use um programa de verificador de vírus para verificar regularmente;
2. Não instale outros programas de aplicativos, exceto o programa de verificador
de vírus;
3. Não abra anexos de e-mail desconhecidos;
4. Não faça o download de nenhum arquivo que não tenha nada a ver com o
programa de software;
5. Verifique os arquivos na pasta para antivírus;
6. Não use o disco “U” ou outra mídia de armazenamento no computador para
evitar que eles tragam vírus para o computador.

13
Capítulo 3 – Sistema e Função

CAPÍTULO 3 – Sistema e Função

3.1 Visão Geral

O analisador de hematologia URIT-5380, que é um dispositivo médico de


diagnóstico in vitro, é usado para a contagem de células sanguíneas, medição da
concentração do diferencial de cinco partes e medição da concentração de
hemoglobina em testes clínicos. O analisador fornece dados de teste precisos do
sangue venoso humano, que fornece referência necessária para o diagnóstico
clínico.
O analisador fornece uma contagem rápida e todas as operações (incluindo
amostragem, medição e saída de resultados) são totalmente automáticas. O
analisador inicia automaticamente a contagem ao colocar a rack de amostra na
plataforma de amostragem. Os dados gráficos e resultados tridimensionais podem
ser exibidos na tela LCD após 60 segundos. Os resultados podem ser impressos ou
transmitidos para o sistema LIS.
O mecanismo de amostragem se baseia na homogeneização, aspiração e
limpeza automática de sangue na sonda de amostra. Não é necessário que os
operadores entrem em contato com a amostra de sangue.

3.2 Parâmetro

O analisador pode analisar e organizar os dados da amostra automaticamente e


fornecer uma contagem diferencial de cinco partes de células sanguíneas e glóbulos
brancos, respectivamente. Ele também gera diagrama tridimensional e diagrama de
dispersão de glóbulos brancos e histograma de glóbulos vermelhos e plaquetas.
O URIT-5380 gera os seguintes parâmetros de teste na Tabela 3-1 (incluindo
dois histogramas, dois gráficos tridimensionais e dois diagramas de dispersão).

Tabela 3-1 Parâmetros


Abreviação Descrição Unidade
WBC Contagem de Células Brancas 10^9/L
LYM% Porcentagem de Linfócitos %
MON% Porcentagem de Monócitos %

14
Capítulo 3 – Sistema e Função

NEU% Porcentagem de Neutrófilos %


EOS% Porcentagem de Eosinófilos %
BASO% Porcentagem de Basófilos %
LYM# Contagem de Linfócitos 10^9/L
MON# Contagem de Monócitos 10^9/L
NEU# Contagem de Neutrófilos (granulócitos) 10^9/L
EOS# Contagem de Eosinófilos (granulócitos) 10^9/L
BASO# Contagem de Basófilos (granulócitos) 10^9/L
RBC Contagem de Células Vermelhas 10^12/L
HGB Hemoglobina g/L
RETIC_ABS Número Absoluto de Reticulócitos 10^9/L
RETIC Reticulócitos %
IRF Fração de Reticulócitos Imatura %
HCT Hematócrito (volume relativo de eritrócitos) %
MCV Volume médio Corpuscular fL
MCH Hemoglobina Corpuscular Média pg
Concentração de Hemoglobina Corpuscular
MCHC g/L
Média
Precisão de repetição do tamanho de
RDW_CV %
distribuição das células vermelhas
Desvio padrão do tamanho de distribuição
RDW_SD fL
das células vermelhas
PLT Contagem de Plaquetas 10^9/L
MPV Volume Médio de Plaquetas fL
PDW Distribuição do tamanho das plaquetas fL
PCT Plaquetócrito %
P_LCC Contagem da macroplaqueta 10^9/L
P_LCR Porcentagem da macroplaqueta %

Observação: PCT e PDW são os parâmetros inferidos, que são fornecidos


apenas para uso em laboratório.

3.3 Estrutura

15
Capítulo 3 – Sistema e Função

CUIDADO

 O analisador precisa que várias pessoas trabalhem juntas para movê-lo, uma
vez que é relativamente grande. Utilize ferramentas adequadas e siga o
código de segurança relevante quando estiver em movimento.
 Retire o analisador e verifique se a aparência está intacta. Certifique-se de
que não há danos durante o transporte.
O analisador é composto por host, computador, software, consumíveis,
acessórios e uma impressora externa (opcional).
O host é composto principalmente de peças a laser, amostrador automático,
mecanismo de seringa, A/D e o painel de controle central, a unidade de medição
WBC, a unidade de medição RBC / PLT, o sistema de fluxo e outras peças, os
acessórios incluem o cabo de alimentação, fio de terra, entre outros. (Ver Apêndice
G)

Figura 3-1 Visão Frontal

16
Capítulo 3 – Sistema e Função

1--- INDICADOR DO “ESTADO” DE FUNCIONAMENTO


2--- FLUSH (ENXÁGUAR)
3--- COUNT (CONTAGEM)

17
Capítulo 3 – Sistema e Função

2 1

Figura 3-1B Visão Frontal Interna (Remova a tampa da frente)

1--- UNIDADE DE AMOSTRAGEM


2--- AMOSTRAGEM ÚNICA
3--- MECANISMO DA SERINGA
4--- INTERFACE LÍQUIDO ÓPTICO

18
Capítulo 3 – Sistema e Função

Figura 3-2A Visão Lateral Esquerda

1--- SENSOR
2--- LISANTE
3--- DESCARTE DE RESÍDUOS
4--- DETERGENTE
5--- SHEATH (UTILIZADO PARA CONTAGEM DO DIFERENCIAL)
6--- DILUENTE

19
Capítulo 3 – Sistema e Função

3 4 5
2 6

Figura 3-2B Visão Lateral Esquerda Interna

(Remova a porta lateral esquerda)

1--- TANQUE DE PRESSÃO POSITIVA


2--- RESERVATÓRIO
3--- PLACA DE CONTAGEM LMS
4--- CÂMARA DE CONTAGEM DO TRANSDUTOR
5--- CÂMARA DE RESÍDUOS
6--- TANQUE DE HOMOGENEIZAÇÃO

20
Capítulo 3 – Sistema e Função

Figura 3-3A Visão Lateral Direita

1--- PORTA COM


2--- TERMINAL TERRA
3--- CONEXÃO CABO DE FORÇA
4--- INTERRUPTOR DE ENERGIA

21
Capítulo 3 – Sistema e Função

Figura 3-3B Visão Lateral Direita Interna

(Remova a porta lateral direita e tampa dianteira)

Figura 3-4 A Visão Traseira

1--- VENTOINHA DA REFRIGERAÇÃO

22
Capítulo 3 – Sistema e Função

2 3 4

Figura 3-4B Visão Traseira

(Remova a cobertura traseira)

1--- P-T
2--- TROCANDO A FONTE ENERGÉTICA
3--- TANQUE DE PRESSÃO NEGATIVA
4--- SERINGA

23
Capítulo 3 – Sistema e Função

Figura 3-5 Visão Vertical (Banco óptico)

O laser semicondutor está acima do analisador. Não abra a tampa


superior para sua segurança, esse procedimento é permitido somente pelo pessoal
autorizado.

3.4 Tela de Teste

Após a inicialização, o analisador entrará automaticamente na tela "Teste".

24
Capítulo 3 – Sistema e Função

Figura 3-6 Tela de Teste

Esta tela pode ser dividida nas seguintes áreas por funções.

1. Menu Principal

Clique no botão para entrar na tela correspondente. Consulte a tabela a seguir


para selecionar o botão apropriado.

Tabela 3-2 Botões Menu Principal

Botão Função
Teste (Test) Operação de contagem
Dados (Data) Verificação de resultados
Manutenção (Maint) Abastecimento de reagentes, manutenção do analisador
CQ (QC) Operação de controle de qualidade
Calibração (Cal) Calibração dos parâmetros
Teste (Test) Iniciar o teste, contagem

25
Capítulo 3 – Sistema e Função

Interromper (Stop) Suspender contagem de amostras mútiplas


Resetar (Reset) Interromper contagem das amostras
Escorrer (Drain) Escorrer o diluente no modo pré-diluição
Estatísticas Análise das estatísticas da carga de trabalho
(Statistics)
Serviço (Service) Manutenção e teste
Configuração (Setup) Configuração do sistema
Estado (Log) Verifica a operação do analisador e as informações de falha
Sobre (About) Exibe a versão e informação do analisador
Acesso (Logout) Alterar o usuário

2. Edição dos dados

Nome, idade, sexo, tipo de sangue e outros detalhes da amostra são exibidos
nesta área. O operador pode alterar os métodos de entrada por "Ctrl + Shift".

3. Tecla de atalho

Tabela 3-3 Tecla de Atalho


Tecla de atalho Função
Próximo número de série Inseri o próximo número ID.
(Next Serial Number)
Modo Exame de rotina, reticulócito, sangue total e
(Mode) pré-diluído.
Transmita dados do teste para outros sistemas
Transferir
informáticos manualmente, como o sistema
(Transfer)
LIS.
Imprimir Imprimir resultados do teste.
(Print)
Visualizar Impressão Verificar impressão do resultado do teste.
(Print Preview)

26
Capítulo 3 – Sistema e Função

4. Tempo do Sistema

Exibe data e hora.

5. Exibição do Resultado da Contagem

Exibe resultados do teste, unidades dos parâmetros, intervalo de referência,


alarmes, gráfico de dispersão, mapa 3D e outras informações de resultados.

3.5 Reagentes, Controles e Calibradores

Para um bom desempenho do teste, a URIT fornece reagente especial testado


de acordo com o padrão do produto, o qual este é qualificado. O índice de medida
nominal é alcançado utilizando o reagente validado. Os reagentes Não-URIT podem
afetar o desempenho do analisador e produzir erros de medida, mesmo que não
ocorra falha. Os reagentes mencionados neste manual referem-se a reagentes
correspondentes do analisador.

NOTA

 Os reagentes devem ser armazenados à temperatura ambiente para garantir


o melhor desempenho. Todos os reagentes devem ser protegidos da luz solar
direta, do sub-resfriamento e do superaquecimento durante o
armazenamento.
 O teste de fundo deve ser feito após a substituição do diluente, detergente,
sheath e detergente para garantir que esteja dentro da faixa normal.
 As tubulações de entrada do reagente possuem uma tampa que minimiza a
evaporação e a contaminação durante o transporte. As tubulações só podem
inserir reagentes nas conexões corretas. Por favor, feche a tampa com força.
 Certifique-se de que todos os reagentes sejam utilizados no período de
validade.

3.5.1 Diluente

27
Capítulo 3 – Sistema e Função

Diluente é um fluido isotônico transparente qual é utilizado para a contagem e


classificação das células do sangue. Possui as seguintes funções:
(1) Diluir amostras de sangue total;
(2) Manter a forma das células durante o processo de teste;
(3) Limpar a micro abertura e copos WBC e RBC;
(4) Fornecer um ambiente condutor para a contagem.
Para o armazenamento e vida útil após a abertura, mantenha o diluente abaixo
de 5ºC ~ 35ºC. Pode ser usado para o período de validade mostrado no rótulo. Uma
vez aberto (conectado ao analisador), a vida útil do produto é de apenas 60 dias.

3.5.2 Sheath

O Sheath é utilizado para manter a estrutura original das células do sangue e do


branqueador de RBC para eliminar a dispersão do laser.
O WBC mantém a estrutura celular mais próxima do seu estado original. O
grânulo basófilo é solúvel em água, portanto a estrutura do basófilo tem pequenas
alterações. A pressão osmótica do RBC é maior do que o sheath, então o RBC é
alterado. A hemoglobina de RBC difunde-se das células, e o teor de umidade do
sheath difunde-se nas células. Embora a membrana celular permaneça em boa
forma, o RBC e o sheath têm o mesmo índice de refração, o que torna o RBC
invisível sob o laser.
Para o armazenamento e vida útil após a abertura, mantenha o diluente abaixo
de 5ºC ~ 35ºC. Pode ser usado para o período de validade mostrado no rótulo. Uma
vez aberto (conectado ao analisador), a vida útil do produto é de apenas 60 dias.

3.5.3 Lisante

Lisante não contém azida e cianeto podendo considerar seguintes funções:


(1) Dissolve rapidamente o RBC e gera menos complexo de substância ao

terra.

(2) Altera a membrana celular WBC e torna o seu citoplasma difundido

gradualmente, entretanto, a membrana celular envolve o núcleo celular,

tornando o WBC granular.

28
Capítulo 3 – Sistema e Função

(3) Converte o HGB aos compostos de hemoglobina que é adequado para

testar em 540nm de comprimento de onda.

(4) Livre de cianeto. Evita danos ao seu corpo e ao ambiente causado pelo

cianeto.
Para o armazenamento e vida útil após a abertura, mantenha o diluente abaixo
de 5ºC ~ 35ºC. Pode ser usado para o período de validade mostrado no rótulo. Uma
vez aberto (conectado ao analisador), a vida útil do produto é de apenas 60 dias.

3.5.4 Detergente

O detergente contém a enzima ativa que pode ser usada para limpar a proteína
aglomerada nos copos e sistema de fluxo de WBC e RBC. Previne a obstrução dos
orifícios.
Para o armazenamento e vida útil após a abertura, mantenha o diluente abaixo
de 5ºC ~ 35ºC. Pode ser usado para o período de validade mostrado no rótulo. Uma
vez aberto (conectado ao analisador), a vida útil do produto é de apenas 60 dias.

3.5.5 Sonda - Detergente

O detergente para sonda contém a enzima ativa que pode ser usada para limpar
a proteína aglomerada. Isso evita a conexão da sonda.

CUIDADO

Detergente para sonda é um agente de limpeza alcalino, por isso, por favor,
seguir as recomendações abaixo:

(1) Evite que a pele e os olhos entrem em contato com o reagente;

(2) Enxágue com água se entrar em contato com a pele;

(3) Enxágue com água e procure tratamento médico imediatamente se entrar


em contato com os olhos;

(4) Induza o vômito e procure tratamento médico imediatamente se ingerido.

29
Capítulo 3 – Sistema e Função

3.5.6 Controle e Calibradores

Controle e calibrador são para validação dos testes qual proporciona a qualidade
do analisador.
O material de controle é uma produção industrial de sangue total e é usado para
verificar os resultados do teste. É dividido em três tipos, baixo, normal e alto valor.
Três níveis de controles devem ser executados todos os dias para verificação do
estado operacional e garantir a confiabilidade dos resultados. Calibrador que também
é uma produção industrial de sangue total é usado para calibração dos parâmetros.
Consulte as instruções de controle e calibrador para uso e métodos de
armazenamento.

O "material de controle" e o "calibrador" mencionados neste Manual referem-se


ao material de controle especial e ao calibrador atribuído pela URIT. Os usuários
podem comprar da URIT ou agentes designados pela URIT.

30
Capítulo 3 – Sistema e Função

31
Capítulo 4 – Instalação

Capítulo 4 – Instalação

4.1 Visão Geral

CUIDADO

Requisitos de meio ambiente


Temperatura: 15ºC ~ 35ºC, umidade relativa ≤ 85%;

Local a ser instalado


- Instale o analisador em uma plataforma lisa e grande o suficiente para fácil
operação;
- Longe da luz solar direta;
- Sempre que possível, utilize uma entrada de força separada. Instale a
fonte de tensão estabilizada ou UPS (Fonte de alimentação ininterrupta).
Não compartilhe a entrada de força com centrífuga, chuveiro de temperatura
ambiente (termostato), refrigerador, ar condicionado, equipamento de
limpeza ultrassônico ou outros equipamentos, o que pode interferir com as
análises do analisador.

CUIDADO

A instalação do analisador por uma pessoa não autorizada ou não treinada


pode resultar em ferimentos pessoais, e consequentemente perda da garantia.
Nunca tente instalar e operar o analisador sem um representante autorizado da
URIT.
Este analisador foi testado de forma estrita antes da entrega. É
cuidadosamente embalado antes do transporte para evitar ser danificado. Verifique
com cuidado a embalagem no ato do recebimento. Se encontrar quaisquer danos,
entre em contato imediatamente com o departamento de serviço pós-venda da
URIT ou agente local.

32
Capítulo 4 – Instalação

4.2 Retirando a embalagem e Inspeção

Retire o analisador e os acessórios da embalagem de transporte, mantenha o


material de embalagem para transporte e armazenamento futuros. Por favor,
verifique os seguintes abaixo:
(1) se os acessórios estão de acordo com a lista de embalagem;

(2) se há vazamento;

(3) se há danos mecânicos;

(4) se os cabos, tubulações e acessórios conformes.


Entre em contato com o Centro de atendimento ao cliente da URIT, se houver
algum problema.

4.3 Requisitos do Espaço

Considerando a dissipação de calor, operação, manutenção e mudanças de


reagentes, instale o analisador em um local conforme as orientações abaixo:
(1) Próxima fonte de alimentação;

(2) Mantenha oito polegadas de espaço atrás do analisador;

(3) Mantenha 100 cm de espaço acima de cada lado do analisador para acesso

ao serviço;

(4) Espaço suficiente para colocar reagentes e contentores de resíduos.

4.4 Requisito de Fonte de Alimentação

Verifique se a fonte de alimentação do local da instalação atende aos seguintes


requisitos antes da instalação. Consulte a Tabela 4-1 para obter detalhes.

Tabela 4-1 Requisito Fornecimento de Energia

Voltagem Intervalo Voltagem Frequência


AC 220V AC 100V~240V 50/60 Hz

33
Capítulo 4 – Instalação

ATENÇÃO

 O analisador deve ser usado na condição de conexão de aterramento, o


que garante a precisão do analisador e a segurança do operador.
 A oscilação de tensão frequente que leva a um baixo desempenho e
confiabilidade deve ser tratada antes do uso;
 A falha de energia frequente diminui seriamente o desempenho e a
confiabilidade do analisador. A ação adequada, como a instalação da
Fonte de Alimentação Ininterrupta (doravante denominada UPS) (não
fornecida pela URIT) deve ser tomada antes da operação.

4.5 Requisitos do Ambiente

(1) Temperatura: 15ºC ~ 35ºC (a temperatura ideal é de 25 ℃);

(2) Umidade relativa ≤ 85%;

(3) Recomenda-se a instalação de ar condicionado de aquecimento e

arrefecimento;

(4) Evite usar o analisador a temperaturas extremamente altas ou baixas;

(5) Afastado da luz solar direta;

(6) Escolha um local bem ventilado;

(7) Longe dos equipamentos de comunicação que possam interferir no

analisador produzindo onda elétrica de alta frequência.

ATENÇÃO
Tendo plenamente em conta os problemas de compatibilidade eletromagnética,
a interferência eletromagnética gerada pelo analisador não perturbará outros
dispositivos próximos. Porém, o analisador pode sofrer interferências de outros
dispositivos o qual poderá ocasionar resultado com um grande desvio. Sendo assim
o analisador deve ser instalado longe de qualquer campo eletromagnético ou fonte

34
Capítulo 4 – Instalação

radioativa de onda curta (radar, raio X, centrífuga, scanner, telefone celular, etc.).

4.6 Requisitos de Descarte de Resíduos

Quanto aos resíduos de 20L, recomenda-se que adicione os seguintes


produtos químicos aos recipientes de resíduos:
1) 50 ml de solução de hidróxido de sódio (200 g / L) para evitar a formação de
gás.
2) 250 ml de solução de hipoclorito de sódio (12% de cloro) para lidar com o risco
biológico de resíduos.

ATENÇÃO
É proibido despejar diretamente a solução de resíduos no esgoto de rede local.
Os resíduos devem ser processados por métodos biológicos ou químicos antes de
despejar na rede local. Hospitais e laboratórios têm a obrigação de cumprir as
disposições relevantes do departamento de proteção ambiental do governo local.

4.7 Instalação do Sistema

4.7.1 Instalação – Computador


Configuração mínima do computador;
CPU mínimo 1GHZ Pentium Pro ou maior;
Memória mínima de 2GB ou maior;
Disco rígido Mínimo 80 GB;
Tela de exibição não inferior a 17 polegadas.

CUIDADO
Certifique-se de que o computador equipado seja utilizado apenas para o
analisador. O computador pode ser infectado por danos a vírus e sistema ou outros
erros podem ser causados. Evitar instalar outro software, usando dispositivos de
armazenamento removíveis, como U disco, jogos ou navegação na Internet no
computador.

35
Capítulo 4 – Instalação

4.7.2 Instalação – Tubulações

Existem cinco conectores de tubulação no painel esquerdo, que são


DETERGENTE, DILUENTE, LISANTE, SHEATH e DESCARTE SOLUÇÃO DE
RESÍDUOS. Cada um deles está envolvido com uma tampa para evitar a
contaminação durante o transporte. Retire a tampa para na primeira instalação e
por favor, guarde-a com cuidado.

NOTA
 Após a instalação, todos as tubulações devem estar livres, respeitando o
caminho do fluxo. Não gire ou gire forçosamente.
 O uso de ferramentas para a instalação da tubulação é proibido. Somente é
permitida a instalação à mão.
 O reservatório de reagente não pode ser utilizado se apresentar dano,
vazamento ou com a vida útil expirada. Entre em contato com fornecedores
locais ou departamento de serviço pós-venda da URIT diretamente.
 Em consideração à segurança pessoal e ao ótimo desempenho do
sistema, o fabricante aconselha a colocar todos os reagentes na mesma
base e/ou inferior à posição do analisador.

Tubulação Lisante

Retire a tubulação do lisante da embalagem (conector vermelho) e insira-a no


conector LYSE no painel esquerdo. Coloque a outra extremidade da tubulação no
reservatório do lisante e gire a tampa com força.

Tubulação Diluente

Retire a tubulação do diluente da embalagem (conector azul) e insira-a no


conector DILUENT no painel esquerdo. Coloque a outra extremidade da tubulação
no reservatório do diluente e gire a tampa com força.

Tubulação Detergente
Retire a tubulação de detergente da embalagem (conector verde) e insira-a no
conector DETERGENT no painel esquerdo. Coloque a outra extremidade da

36
Capítulo 4 – Instalação

tubulação no reservatório do detergente e gire a tampa com força.


Tubulação Sheath

Retire a tubulação do sheath da embalagem (conector amarelo) e insira-a no


conector SHEATH no painel esquerdo. Coloque a outra extremidade da tubulação
no reservatório do sheath e gire a tampa com força.

Tubulação Descarte de Resíduos

Retire a tubulação de descarte de resíduos da embalagem (conector preto) e


insira-a no conector no painel esquerdo. Insira a conexão BNC (sensor) no conector
SENSOR no painel esquerdo. Gire firmemente a tampa do tubo no sentido horário
no reservatório de descarte e coloque-o no nível de pelo menos 50 cm abaixo do
analisador.

4.7.3 Instalação – Impressora

Siga estas etapas para instalar a impressora:


(1) Coloque a impressora em um local apropriado adjacente ao analisador para

facilitar a operação;

(2) Retire a impressora da embalagem;

(3) Entre em contato com o fornecedor se a impressora estiver danificada;

(4) Verifique a fonte de alimentação da impressora;

(5) Instale a impressora de acordo com as instruções da impressora;

(6) Conecte o cabo de alimentação à impressora e conecte-o à tomada de

aterramento;

(7) Confirme se a impressora e o computador estão devidamente conectados;

(8) Instale os cartuchos de tinta e o papel de acordo com as instruções,

assegure-se de que a impressora esteja ajustada para o tamanho adequado

do papel a ser utilizado;

(9) Ligue-a.

37
Capítulo 4 – Instalação

4.8 Requisitos de Transporte e Armazenamento

Quando o analisador não for mais utilizado ou quando for transportado, execute
o procedimento "Preparar transporte". Consulte o Capítulo 10 Manutenção para
obter detalhes. Os passos da operação são os seguintes:
(1) Selecione Preparar Transporte (Prepare Shipping) na tela de "Maint".
(2) Siga as instruções para inserir as tubulações de diluentes, detergente,
sheath e lisante na água deionizada.
(3) O analisador inicia a operação de esvaziamento. A barra de progresso
está na parte inferior da tela.
(4) Desligue o analisador após o esvaziamento.

NOTA
 Temperatura de armazenamento: -20ºC ~ 55ºC
 Humidade relativa ≤95%
 Pressão atmosférica: 50kPa-106kPa
 Antes da instalação, é recomenda-se a limpeza externa.

38
Capítulo 5 – Princípios de Operação

5.1 Visão Geral

O analisador URIT-5380, detecta a quantidade e distribuição de volume de


glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas pela análise de impedância
elétrica (também conhecido como princípio de Coulter), testa o conteúdo de
hemoglobina por meio de análise colorimétrica. Ele também é utilizado para a
leitura do diferencial de cinco partes de glóbulos brancos pelo método de dispersão
a laser de 4 ângulos. Três canais separados são utilizados para obter os resultados
das contagens de células sanguíneas, respectivamente:
(1) O WBC e os dados diferenciais de cinco partes do regulador de fluxo da
bainha são detectados por laser.
(2) HGB e a quantidade total de WBC é detectada por análise de impedância
elétrica e análise colorimétrica na câmara de contagem de WBC.
(3) Os dados de RBC e PLT são detectados por análise de impedância elétrica
na câmara de contagem de RBC.
O analisador aspira, dilui e mistura as amostras e depois detecta os parâmetros
em cada processo de contagem.

5.2 Aspiração da Amostra

O URIT-5380 suporta três modos de análise de contagem de células, os modos


de sangue total são amostras fechadas e o modo diluente é com amostra aberta.
(1) Modo de amostragem automática – sangue total (em bateria)
(2) Modo de amostragem individual – sangue total (emergência)
(3) Modo Diluente
Os volumes de aspiração para cada modo são de 20μL.
A amostra é aspirada para o analisador pela agulha (mecânica seringa) e depois
distribuída em diferentes canais de medição.
Capítulo 5 – Princípios de Operação

5.3 Diluição da Amostra

A amostra é dividida em três partes após a aspiração. Estas três partes


compõem as câmaras de contagem de WBC, de RBC e copo WOC,
respectivamente, e com efeitos em diferentes reagentes. Então, finalmente,
obtendo os resultados da contagem de WBC/teste de HGB, contagem de RBC/ PLT
e diferencial de cinco partes do WBC.
De acordo com as diferentes necessidades dos operadores, o analisador
fornece três modos de operação que são o modo de amostragem automática
(bateria) sangue total, o modo de amostragem individual (emergência) e o modo
diluente.

5.3.1 Modo Amostragem – Sangue Total Automático (Bateria)

1. WBC / HGB - Processo de Diluição

Amostra sangue total 10μL

Adiciona-se aproximadamente 2090μL de diluente

Adiciona-se aproximadamente 400μL de lisante

Fator de diluição é aproximadamente 1:250

2. RBC / PLT - Processo de Diluição

Amostra sangue total 10μL

Adiciona-se aproximadamente 2090μL de diluente

Fator de diluição (pré-homogeneização) é aproximadamente 1:250


1:210

21μL de amostra pré-homogeneizada para o teste de RBC/PLT

Adiciona-se aproximadamente 2480μL de diluente

Fator de diluição é aproximadamente 1:25000

40
Capítulo 5 – Princípios de Operação

3. Diferencial WBC - Processo de Diluição

Amostra sangue total 10μL

Adiciona-se aproximadamente 1690μL de Sheath

Fator de diluição é aproximadamente 1:170

5.3.2 Modo Amostragem – Sangue Total Individual (Emergência)

O procedimento de contagem que é o mesmo que o modo de amostragem


automática de sangue total (bateria), o qual interrompe o teste em bateria e faz
teste de emergência no processo de teste em modo bateria automático.

5.3.3 Modo Diluição

1. WBC / HGB - Processo de Diluição

Amostra de sangue periférico 20μL

Adiciona-se aproximadamente 800μL


Diluent
Fator de diluição é aproximadamente 1:41

170μL de amostra para o teste WBC/HGB


test

Adiciona-se aproximadamente 2130μL de diluente

Adiciona-se aproximadamente 300μL de lisante

Fator de diluição é aproximadamente 1:571

41
Capítulo 5 – Princípios de Operação

2. RBC / PLT - Processo de Diluição

Amostra de sangue periférico 20μL

Adiciona-se aproximadamente 800μL de diluente

Fator de diluição é aproximadamente 1:41

170μL amostra pré-homogeneizadas no copo WBC

Adiciona-se aproximadamente 2130μL de diluente

32μL amostra pré-homogeneizada para o teste RBC/PLT test

Adiciona-se aproximadamente 2600μL de diluente

Fator de diluição é aproximadamente 1:45600

3. Diferencial WBC - Processo de Diluição

Amostra de sangue periférico 20μL

Adiciona-se aproximadamente 800μL de diluente

Fator de diluição é aproximadamente 1:41

70μL amostra para o diferencial WBC


differential test
Adiciona-se aproximadamente 2500μL de Sheath

Fator de diluição é aproximadamente 1:1500

42
Capítulo 5 – Princípios de Operação

5.4 Princípio do teste WBC

5.4.1 Tecnologia de Dispersão de Luz a Laser de Quatro Ângulos

Figura 5-1 Fluxo Regulador do Sheath

As amostras de sangue total são diluídas com uma proporção adequada de


sheath. O WBC continua sendo seu estado original. Faz as células em um único
fluxo de arranjo por FCM (citometria de fluxo). A densidade de espalhamento pode
ser medida a partir de quatro ângulos diferentes através da zona de detecção do
raio laser:

(1) 0º: Dispersão de luz de ângulo dianteiro (1º ~ 3º), que mede o tamanho
aproximado das células;

(2) 10º: dispersão de luz de ângulo estreito (7º ~ 11º), que mede a estrutura
celular e a característica relativa da complexidade.

(3) 90º D: Dispersão de luz despolarizada de noventa graus (70º ~ 110º), que
separa as células oxifílicas de células de neutrófilos e outras células, em
certo tipo de granularidade celular.

(4) 900: Dispersão de luz de noventa graus (70º ~ 110º), que mede
principalmente o componente celular e a partícula interna.

43
Capítulo 5 – Princípios de Operação

Figura 5-2 Banco Óptico Dispersão a Laser Multi-Ângulo

A fonte de luz mostrada na figura acima é um laser semicondutor de direção


vertical com um comprimento de onda de 638nm, e a potência é 6-8mw. O raio do
laser atravessa uma lente cilíndrica que pode mudar a forma do ponto do feixe de
círculo para oval. É moldado em um ponto de uma célula quartzo através de uma
lente de imagem com foco no WBC do fluxo da bainha.

O raio do laser é pequeno na direção horizontal, de modo que as células não


dispersam muito. Se a luz horizontal restante chegar ao detector 0 °, o bloqueador
pode bloqueá-lo para evitar a saturação eletrônica. A luz de ângulo dianteiro
horizontal se dispersa diretamente para o orifício de perfuração através da lente
convergente. A luz de 0 ° passa através do orifício para a unidade de detecção de
fotodiodo de silício de 0 °. A luz de dispersão 0 ° atinge a unidade de detecção de
fotodíodo de silício a 10 ° por um refletor.

A luz dispersa vertical é coletada pelo grupo da lente do condensador. Após a


luz dispersa que contém informações de células que passam pelo grupo de lente do
condensador, a luz dispersa vertical será dividida em duas partes por um espelho
divisor de feixe. Uma parte da luz se dispersa diretamente para o tubo
fotomultiplicador de 90 °. A luz dispersa restante passará pelo polarizador de linha,
e somente a luz dispersa despolarizante pode atingir o tubo fotomultiplicador
despolarizante de 90 ° D.

44
Capítulo 5 – Princípios de Operação

Figura 5-3 Sistema de Detecção Óptico

1- Plataforma do sistema de operação


2- Refletor
3- Espelho Cilíndrico
4- Grupo de lentes de imagem e suporte
5- Regulador de fluxo do Sheath
6- Grupo de Condensador Avançado e Suporte
7- Foto/Amp PLACA PCBA
8- Componentes microscópios
9- Fenda e Suporte de 700 Microns700 Microns
10- Espectroscópio e Suporte Polarizador
11- 90° PMT
12- 90° D PMT
13- Semicondutor laser 638nm
14- Painel de alta voltagem

45
Capítulo 5 – Princípios de Operação

Figura 5-4 Princípio do gráfico de dispersão

A área cinza na figura do lado esquerdo é as células fantasmas. É o reflexo que


a RBC se dissolve em pedaços. A área verde é o grupo dos linfócitos, a área rosa é
o grupo dos monócitos, a área azul é o neutrófilo, a área branca é o grupo basófilo e
a área vermelha é o grupo dos eosinófilos. A parte azul no gráfico de dispersão
direito é o grupo de neutrófilos, e a parte vermelha é o grupo dos eosinófilos.

Figure 5-6 Gráfico Tridimensional

A Figura 5-5 é um gráfico tridimensional (3D) do WBC, que pode ser


ampliado para visualização do diferencial WBC e qual também é possível
alterar as posições relativas S0, S10, S90 de acordo com a experiência
clínica.

46
Capítulo 5 – Princípios de Operação

5.4.2 Classificação WBC

O analisador divide o WBC em basófilos, eosinófilos, monócitos, neutrófilos e


linfócitos através de análise de dispersão de quatro ângulos, a medida em que o
WBC atravessa o regulador de fluxo da bainha. A unidade padrão de quantidades
de células é 10 ^ 9 / L. Seguem as classificações abaixo:

 Número WBC: o WOC e o WIC são obtidos por impedância elétrica e laser,

e finalmente obtém o número total de WBC.

 Número de linfócitos (Lym #)

 Porcentagem de linfócitos: Lym% = Lym # / WBC

 Número de monócitos (Mon #)

 Porcentagem de monócitos: Mon% = Mon # / WBC

 Número Neutrófilo (Neu #)

 Porcentagem de neutrófilos: Neu% = Neu # / WBC

 Número Eosinófilo (Eos #)

 Porcentagem de Eosinófilos: Eos% = Eos # / WBC

 Número Basófilo (Baso #)

 Porcentagem de Basófilos: Baso% = Baso # / WBC quantidades totais

5.5 Princípio do Teste da Concentração de Hemoglobina

5.5.1 Princípio Colorimetria

Depois de adicionar o lisante na amostra diluída na câmara de contagem de


WBC, o RBC se dissolve e a hemoglobina é liberada. A hemoglobina combina com
detergente para formar uma mistura de hemoglobina que é iluminada pelo diodo
emissor de luz LED com uma luz monocromática de 540nm de comprimento de
onda em uma extremidade da câmara de contagem de WBC. Através do tubo óptico
para recebe-se a luz transmitida na outra extremidade, qual amplifica o sinal de
intensidade da luz e convertendo-o para o sinal de tensão. Compara-o com a
tensão gerada pela intensidade da luz de transmissão antes da adição da amostra

47
Capítulo 5 – Princípios de Operação

na câmara de colorimetria (somente com diluente), e a concentração de


hemoglobina é alcançada. A concentração de hemoglobina é proporcional à
absorbância da amostra em 540nm de comprimento de onda. O processo de
medição e cálculo é feito automaticamente pelo analisador, os resultados relevantes
são exibidos na área de resultados da análise.

5.5.2 Parâmetro de Hemoglobina


A concentração da hemoglobina (HGB) é calculada pela seguinte fórmula:

E 
HGB  K  Ln B  ;
 ES 
Ln é um logaritmo natural.
K é uma constante.
EB é a intensidade luminosa da passagem de luz através do fundo.
ES é a intensidade luminosa da passagem de luz através das amostras.

5.6 Princípio do teste RBC/PLT

5.6.1 Análise de impedância elétrica

A impedância elétrica é aplicada ao teste e a contagem de células sanguíneas.


Fornece uma fonte de corrente constante ao eletrodo no líquido condutor
(principalmente diluente), o que faz com que o circuito forme um loop de impedância
estável (ver Figura 5-6). Quando as células passam através dos poros, o líquido
condutor é substituído por células, gerando a resistência de mudanças de loop e
pulsos elétricos. A amplitude dos pulsos elétricos é diferente do volume de células
que passam pelo poro, os operadores determinam a quantidade e volume de
células de acordo com a quantidade e amplitude de pulsos elétricos.

À medida que a quantidade de pulsos corresponde à quantidade de células que


passam através dos poros, e a amplitude do pulso correspondente ao volume das
células, o analisador mede cada célula e classifica-a de acordo com seu volume. O
analisador divide automaticamente as células em RBC, WBC, PLT e outros grupos
de acordo com o procedimento de classificação de volume pré-definido.

48
Capítulo 5 – Princípios de Operação

Figura 5-6 Impedância Elétrica

5.6.1 Medição Volumétrica

A unidade de medição volumétrica controla o tamanho da amostra passando


pelo poro durante a contagem para obter os resultados exatos de contagem em
amostras quantitativas. A unidade de medição volumétrica inclui tubo de medição e
dois sensores fotoelétricos.

Conforme mostrado na Figura 5-7, esvazie o tubo de medição antes de testar.


O nível de líquido do tubo de medição diminui lentamente à medida que a amostra
passa pelo poro. Quando o nível do líquido passa através do detector de partida, um
sinal elétrico gera e o analisador começa a contar. Quando o nível de líquido atinge
o detector de parada, ele também gera um sinal elétrico, então a finalização da
contagem. Se houver bolhas ou outro fluxo anormal no sistema de fluxo, será
exibido um alarme "bolha" ou "obstrução". Consulte o Capítulo 11 Solução de
problemas.

Figura 5-7 Medição Volumétrica

49
Capítulo 5 – Princípios de Operação

5.6.2 Parâmetros RBC

 Contagem RBC: o analisador mede diretamente o valor de pulso elétrico


correspondente de RBC para obter o valor de RBC. A unidade é 10 ^ 12 / L.

RBC = n ×10^12 / L

 Volume Corpuscular Médio: o volume corpuscular médio (MCV) é o volume


médio de cada RBC. O MCV é derivado dos dados de distribuição de
tamanho RBC. A unidade é fL.

 Hematócrito: o hematócrito (HCT), é a proporção de RBC e plasma, é


expresso como uma porcentagem do volume total do sangue. HCT é
calculado a partir de contagem de RBC e MCV.

 Média de Hemoglobina Corpuscular: a média de hemoglobina corpuscular


(MCH) é a quantidade média de hemoglobina no RBC. A unidade é um
pictograma (pg). O MCH é calculado a partir de RBC e HGB.

 Concentração Média de Hemoglobina Corpuscular: a concentração média


de hemoglobina corpuscular (MCHC) é a proporção do peso da
hemoglobina e do volume médio de RBC. É expresso em porcentagem e
calculado a partir de HGB e HCT.

 Coeficiente de Variação do Largura de Distribuição RBC: o coeficiente de


variação da largura de distribuição RBC (RDW-CV) é obtido do histograma

50
Capítulo 5 – Princípios de Operação

RBC e está expresso em porcentagem.


 Desvio Padrão da Largura de Distribuição RBC: a largura de distribuição
RBC do desvio padrão (RDW-SD) é a largura do valor máximo de 20% do
histograma de distribuição RBC. A unidade é fL.

 Largura Distribuição RBC: a largura de distribuição RBC (RDW) obtida do


histograma RBC é o desvio padrão geométrico da distribuição de volume
RBC (10 GSD).

5.6.3 Parâmetros Plaquetas (PLT)


 Contagem PLT: o analisador mede diretamente os pulsos elétricos
correspondentes de plaquetas (PLT) para obter a quantidade.
A unidade é 10 ^ 9 / L.

PLT = n ×10^9/ L

 Volume Médio de Plaquetas: o volume médio de plaquetas (MPV) é


calculado pelo histograma PLT. A unidade é fL.
 Largura de Distribuição de Plaquetas: a largura de distribuição de plaquetas
(PDW) obtida do histograma PLT é o desvio padrão geométrico da
distribuição de volume PLT (10 GSD).
 Plaquetócrito: o plaquetócrito é calculado pela seguinte fórmula:

Observação. A unidade de PLT é 10 ^ 9 / L. A unidade de MPV é fL

51
Capítulo 5 – Princípios de Operação

5.7 Princípios da Análise de Reticulócitos

Os reticulócitos são definidos pelo Comitê Nacional de Padrões de Laboratório


Clínico (NCCLS) como células vermelhas de transição, entre os glóbulos vermelhos
nucleados e os chamados eritrócitos maduros. Em contraste com os glóbulos
vermelhos maduros, os reticulócitos contêm RNA ribossômico. Este RNA pode ser
visto com determinados corantes catiônicos supra vitais que simultaneamente
mancham e precipitam o poliânion para formar uma rede ou um retículo. O método
de reticulócitos do sistema URIT-5380 utiliza a tinta de tiazina Novo azul de metileno
N. O teste de reticulócitos é realizado no canal WOC do analisador. A preparação da
amostra é realizada manualmente, diluindo 20 μl de sangue em um tubo de
Reticulócitos URIT. À temperatura ambiente, a coloração do retículo estará
completa em aproximadamente 15 minutos. A amostra preparada é aspirada no
modo aberto. Após a amostra ser aspirada, é diluída aproximadamente 50 vezes
com o Sheath. Uma vez diluída com o Sheath, a esfera dos glóbulos vermelhos
sofre à influência do detergente não iónico incorporado na solução de coloração.
Após é necessário eliminar o ruído de orientação óptica que de outra forma seria
introduzido nas medidas de dispersão. A ação lítica usual da bainha é evitada por
eletrólitos contidos na solução de coloração e a falta do período de incubação usual
utilizado neste canal durante a análise de WBC. Além disso, a alta concentração de
Novo Azul de Metileno no reagente de coloração exerce um efeito estabilizador
sobre os glóbulos vermelhos.
Durante a aquisição de dados, a dispersão de 10 graus e 90 graus é coletada
para até 300.000 sinais. O limiar de 0 graus é ajustado alto o suficiente para excluir
a maioria das plaquetas. Os dados de histograma são usados para diferenciar
reticulócitos, glóbulos vermelhos maduros, grupos de plaquetas e células
nucleadas. Os reticulócitos têm dispersão de 10 graus que são semelhantes à
dispersão de glóbulos vermelhos maduros, mas diferem deles ao exibir maior
dispersão de 90 graus. Os reticulócitos são relatados em porcentagem. O
analisador calculará automaticamente o valor absoluto dos reticulócitos se uma
contagem de RBC for inserida. O valor de RBC pode ser obtido no Registro de
Dados de Hematologia Padrão, ou pode ser inserido pelo operador diretamente na
tela.
Os reticulócitos imaturos contêm mais RNA e absorvem mais a coloração do
que os reticulócitos maduros, portanto, apresentam maior dispersão de 90 graus.
Na URIT-5380, reticulócitos imaturos são classificados como a população de

52
Capítulo 5 – Princípios de Operação

reticulócitos que excedem um limiar de dispersão predeterminado.


Consequentemente, é possível determinar a Fração de Reticulócitos Imaturos (IRF)
das medições de dispersão.
O IRF foi inicialmente designado como o Índice de Maturação de Reticulócitos
(RMI), e definido por NCCLS H44-A como uma expressão quantitativa da
maturação relativa dos reticulócitos no retículo observado em preparações Novo
azul de metileno N. No entanto, essas medidas visuais quantitativas da maturação
dos reticulócitos têm sido pouco utilizadas devido à subjetividade e à imprecisão da
análise manual. Uma vez que os métodos de reticulócitos automáticos permitem a
enumeração de reticulócitos imaturos como subtração da população total de
reticulócitos, a nomenclatura preferida é a fração de reticulócitos imaturos (IRF). Os
reticulócitos imaturos são então relatados como uma fração (ou por cento) dos
reticulócitos.
A utilidade clínica do IRF é amplamente reconhecida da seguinte forma:

 Monitorar a regeneração hemopoiética após transplante de medula


óssea, transplante de células-tronco hematopoiéticas ou quimioterapia
intensiva;
 Monitorar insultos tóxicos de medula óssea de drogas (por exemplo,
AZT);
 Monitorizar a terapia com eritropoietina em insuficiência renal, AIDS,
lactentes, síndromes mielodisplásicas e doações de sangue;
 Classificar a anemia;
 Monitorar a eficácia da terapia de anemia (Fe, B12, Folato).

53
Capítulo 6 – Configurações

Capítulo 6 – Configurações

6.1 Visão Geral

A configuração de inicialização do URIT-5380 foi feita antes da entrega. A


configuração da tela na primeira inicialização é padrão. Para atender às diferentes
necessidades, alguns parâmetros podem ser redefinidos.

6.2 Manutenção

Auto Branco

Clique em Manutenção (Manutenção) na tela de configuração, marque Auto


branco (Auto Blank) para realizar o teste em branco quando entrar na tela de
contagem após cada inicialização. Observe a Figura 6-1.

Auto Limpeza

Clique em Manutenção (Manutenção) na tela de configuração, marque


Limpeza Automática (Auto Clean) e selecione os Tempos (Times). É recomendável
limpar o sistema de fluxo em cada 60 contagens. Observa a figura .6-1

Figura 6-1 Manutenção


Capítulo 6 - Configurações

6.3 Alarme

Clique em Alarme (Alarme) e após em Geral (General) para selecionar modo


Alarme e/ou Alarme de Descarte de Resíduos (Waste alarm). Ao final, salve ou
cancela a operação. Observe a Figura 6-2.

Figura 6-2 Alarme

6.4 Display

Geral
Clique em "Display" para a configuração da tela conforme mostra a figura 6-3.

Figura 6-3 Geral

55
Capítulo 6 - Configurações

Modificar Display

Selecione diferentes parâmetros de unidades, linguagem de parâmetros,


ordem de valor de referência e mudanças de impressão de acordo com sua
seleção.

Salvar e Cancelar

Clique em Salvar (Save) para confirmar as configurações ou clique em


Cancelar (Cancel) para sair da caixa de diálogo atual. Observe a figura 6-11.

6.5 Impressão

O operador pode escolher o tipo de impressora, formato de impressão,


impressão automática, e inserir o nome do hospital/laboratório correspondente em
Título da impressora (Printer Title). Observe a figura 6-4.

Figura 6-4 Impressão

6.6 Transmitir

Configuração da porta serial, taxa de transmissão, bit de dados, bit de parada e

56
Capítulo 6 - Configurações

paridade, quais são utilizados para a comunicação externa.

Sistema de Conexão e Lis

Clique em Transmitir (Transmit) para configuração da tela conforme mostra a


figura 6-5.

Figura 6-5 Transmitir

Modificar Protocolo: o operador define a porta serial, taxa de transmissão, bit


de dados, bit de parada e paridade. Quando transmissão automática está
aberta, os resultados dos testes são transmitidos automaticamente a partir da
porta de comunicação após contagem do teste.

NOTA: a configuração de transferência já está definida antes da entrega. Como


regra geral, não há necessidade de redefinir, ou a transmissão de dados será
afetada. A modificação necessária deve ser feita sob a orientação do
engenheiro da URIT.

Lembre-se de salvar suas configurações após a modificação, caso contrário,


suas configurações não serão salvas e não serão alteradas para a tela
correspondente.

57
Capítulo 6 - Configurações

6.7 Limite

Para monitorar os parâmetros de teste anormais de amostras de sangue, é


essencial que o operador estabeleça intervalos normais dos parâmetros de acordo
com as necessidades laboratoriais ou clínicas. O alerta será exibido quando o
resultado do teste exceder o limite. O analisador fornece o limite superior e inferior
de 28 parâmetros, os resultados de teste que excedem os limites dos parâmetros
serão marcados como H “High” (Alto) ou L “Low” (Baixo). “H” significa que os
resultados são superiores ao limite superior, enquanto “L” significa que os
resultados são inferiores ao limite inferior.

CUIDADO: alteração do limite pode causar alterações na indicação


anormal do índice de hematologia. Confirme a necessidade de alteração.

Limite
O operador pode configurar o limite de parâmetros ou utilizar o padrão.
Os valores padrões são diferentes de acordo com o grupo de pacientes. O
limite de parâmetros do grupo "Geral" é mostrado na Figura 6-6, o limite de
parâmetros do grupo Personalizado 1 (Custom1) é mostrado na Figura 6-7.

Figura 6-6 Limite dos Parâmetros

58
Capítulo 6 - Configurações

Figura 6-7 Limite dos Parâmetros Personalizado 1

Modificar Limite dos Parâmetros: por favor altere os parâmetros conforme


orientações abaixo:
(1) Clique “▼” para selecionar o próximo Grupo (Group) a ser modificado;
(2) Selecione o limite inferior e superior dos parâmetros, mova o cursor
para a caixa de edição, pressione "Backspace-Espaço" no teclado para
excluir dados brutos e insira o novo limite inferior e superior.
(3) Clique em Salvar “Save” para confirmar a modificação.

6.8 Tempo de Contagem

Clique em Tempo de Contagem (Counting Time) na tela de configuração para


definir o limite superior e inferior, conforme mostrado na figura 6-8. O limite superior
de RBC é de 15,5 segundos. Se o tempo de contagem for maior do que ele, será
exibido o alarme "Clog". O limite inferior de é 13,5 segundos. Se o tempo de
contagem for inferior a ele, os alarmes "Bubble". O limite superior e inferior são
definidos antes da entrega. Não o modifique para evitar falsos alarmes. Entre em
contato com o serviço pós-venda URIT se você precisa mudá-lo.

59
Capítulo 6 - Configurações

Figura 6-8 Tempo de Contagem

6.9 Usuário

Médicos ou operadores devem entrar no sistema com identidade para operar a


verificação de rotina, portanto, é necessário configurar a informação dos médicos.
Somente o administrador pode fazer a configuração do usuário.

Geral

Configuração: clique em Usuário (User) conforme mostra a figura 6-9:

Figura 6-9 Usuário

Adicionar Novo Usuário: clique em Adicionar (Add) para inserir novo usuário.

60
Capítulo 6 - Configurações

Selecione a permissão adequada e senha (a senha padrão é nula). Observe a


figura 6-10.

Figura 6-10 Adicionar Novo Usuário

Apagar Usuário: selecione e clique em Apagar (Delete). Clique em OK ou


Cancelar (Cancel) para confirmar se deseja excluir o usuário ou não.

Grupo: para garantir o uso adequado, é necessário que o administrador


apenas dê permissões parciais a outros operadores, como dados de consulta e
contagem. Não dê acesso para excluir dados.
Clique em Grupo (Group) – Adicionar (Add) e verifique as permissões do
grupo. Veja a Figura 6-11A/B.

Figura 6-11A Grupo 1

61
Capítulo 6 - Configurações

Figura 6-11B Grupo 2

6.10 Manutenção Dicionário

Se precisar redigitar o departamento e o nome do médico como edição das


informações dos pacientes na tela de "Teste" e "Consulta", os operadores podem
configurar um código simples e pressionar o botão OK (Enter), assim o
departamento correspondente ou o nome do médico será exibido.

Dicionário Manutenção: clique em Dicionário Manutenção (Dictionary


Maintenance) para acessar a configuração da tela. A tela padrão é exibida
conforme figura 6-12.

62
Capítulo 6 - Configurações

Figura 6-12 Departamento

Departamento: clique em Adicionar (Add) e insira o departamento na caixa do


nome, como "médico interno". Insira "1" em "SN".
Clique em Excluir (Delete) para excluir o departamento adicionado.
Clique em Modificar (Modify) para modificar o departamento adicionado.

Responsável
Clique em Responsável (Sender) para estabelecer uma relação com o SN.
Clique em Adicionar (Add) para digitar o nome do médico, como "LiSi", e insira
um número, como "2" em "SN".
Clique em Excluir (Delete) para excluir o responsável adicionado.
Clique em Modificar (Modify) para modificar o responsável adicionado.

6.11 Data e Hora

Configuração: clique em Data e Hora (Date and Time), conforme figura 6-13.

63
Capítulo 6 - Configurações

Figura 6-13 Configuração de Data

Formato da data: existem nove formatos de data, clique em "▼" para


selecionar os formatos desejados.
Utilizar formato 24h: clique em “ ” se optar por utilizar o formato 24h.
Salvar e Cancelar: clique em Salvar (Save) após modificação, clique em
Cancelar (Cancel) para sair.

64
Capítulo 7 – Operação Diária

Capítulo 7 – Operação Diária

7.1 Visão Geral

Este capítulo apresenta todos os procedimentos de operação diária, explica


detalhadamente o processo de diferentes modos de análise de amostras.

Procedimento de Operação Diária

Preparações

Inicialização

Controle Qualidade

Preparação da Amostra

Inserção de dados

Contagem de Amostra

Pesquisa de Resultados e Impressão

Análises Estatísticas

Finalização

65
Capítulo 7 – Operação Diária

CUIDADO: o analisador deve ser operado por profissionais treinados e técnicos


autorizados.

7.2 Preparações

Opere o analisador conforme as seguintes etapas antes da inicialização:

Verifique o Descarte de Resíduos: os resíduos devem ser processados


corretamente e limpos antes do descarte todos os dias.

Verifique os reagentes, tubulação e energia: a) certifique-se de que o


diluente, o detergente, o lisante e o sheath estão dentro do prazo de validade e
estão conformes os requisitos do teste; b) certifique-se de que as tubulações
dos reagentes e resíduos estão bem conectados e sem flexão; c) certifique-se
de que há segurança na conexão da fonte de alimentação.

Verifique a impressora: a) permita que o papel de impressão seja suficiente e


a instalação seja adequada; b) certifique-se de que a alimentação está ligada e
o cabo foi conectado com o analisador e o computador corretamente.

Verifique o mouse e teclado: certifique-se de que o mouse e o teclado foram


conectados corretamente ao computador.

CUIDADO: todos as amostra, controles, calibradores e resíduos têm risco


potencialmente infeccioso. O operador deve cumprir as disposições de operação
segura em laboratório e usar equipamento de proteção pessoal (avental, luvas, etc.)
ao manusear estes materiais.

7.3 Inicialização

Ligue o interruptor de alimentação no lado direito. O indicador de estado no


painel frontal aparece em laranja no início e após alterna-se para o verde depois de
alguns segundos. O analisador verifica automaticamente a operação de todos os
componentes e se inicializa após o carregamento. Em seguida, realiza o enxágue

66
Capítulo 7 – Operação Diária

do sistema de fluxo. Cerca de 8 minutos para terminar este processo. A tela de


contagem de células sanguíneas é mostrada na figura 7-1-1 e na figura 7-1-2.

Figura 7-1-1 Inicialização Auto Checagem

Figura 7-1-2 Tela de Teste

67
Capítulo 7 – Operação Diária

Após a inicialização, o teste em branco deve ser feito antes do teste da amostra.
O operador pode configurar para executá-lo automaticamente após a inicialização,
consulte o Capítulo 6 Configurações para maiores detalhes. O intervalo aceitável do
teste em branco está listado na tabela 7-1.

Tabela 7-1 Intervalo do teste em branco

Parâmetros Intervalo Aceitável


WBC ≤0.20x10^9/L
RBC ≤0.02x10^12/L
HGB ≤1g/L
PLT ≤10.0x10^9/L

Se o resultado do teste em branco estiver fora desse intervalo, repita os


procedimentos acima até que seja aceitável. Se o resultado não puder atingir os
requisitos de alcance acima após cinco repetições do teste, consulte a Seção 11.4.2
do Capítulo 11- Solução de problemas.

7.4 Controle de Qualidade (CQ)

O controle de qualidade deve ser realizado antes do teste diário para obter
resultados precisos. Consulte o Capítulo 8 - Controle de qualidade.

7.5 Amostra de Sangue

ATENÇÃO: considerando que todas as amostras, materiais de controle e


calibradores podem conter sangue humano ou soro apresentam riscos
potencialmente infecciosos, o operador deve cumprir as disposições de
segurança em laboratório e usar equipamento de proteção pessoal (aventais,
óculos, luvas, etc.) ao manusear esses materiais. Não entre em contato
direto com amostras de sangue, materiais de controle e calibradores. Siga
os procedimentos necessários para operação.

68
Capítulo 7 – Operação Diária

CUIDADO

 A coleta e eliminação de sangue devem ser realizadas de acordo com os


regulamentos ambientais locais ou nacionais ou com os requisitos do
laboratório.
 Certifique-se de que todo o procedimento de coleta de sangue esteja limpo
e livre de contaminação. Todos as amostras devem ser devidamente
coletadas em tubos contendo o anticoagulante EDTA (EDTA-K2 · 2H2O).
 Não agite violentamente o tubo de amostra.
 O sangue venoso só pode ser armazenado durante 4 horas à temperatura
ambiente. Se não estiver esgotado em um curto período, a URIT
recomenda manter a amostra de sangue à temperatura entre 2 ℃ ~ 8 ℃.

O indicador em diferentes cores significa o estado de operação do analisador.


Consulte a Tabela 7-2 para obter maiores detalhes. Se o indicador ficar vermelho,
solucione o problema de acordo com as instruções.

Tabela 7-2 Indicador


SN Cor Estado de Operação
1 Azul Modo amostra sangue total
2 Verde Modo amostra diluídas
3 Laranja Operando
4 Vermelho Erro, alarme

7.5.1 Sangue Total - Coleta

Coletar a amostra de sangue total por punção de veia e armazená-la em


um tubo de amostra limpo que é preenchido com EDTA-K2 · 2H2O (1,5 ~ 2,2
mg / mL). O EDTA-K2 · 2H2O que mantém a conservação de WBC e RBC inibe
a agregação PLT. Agite suavemente o tubo 5 ~ 10 vezes e assegure-se de
homogeneizá-lo bem.
Os seguintes anticoagulantes são comumente usados na coleta de sangue
total:
Heparina - Conduza à agregação celular e altere a cor do citoplasma da
coloração Romanowsky. A concentração de heparina alta> 7.5UL / capilar
leva a aumentar em HCT e MCV.

69
Capítulo 7 – Operação Diária

Citrato de Sódio - O citrato de sódio que é um tipo de líquido é preenchido


no tubo e diluído até 10/11 do original. Este anticoagulante é usado para
aglutinação, também pode ser usado quando se suspeita de
trombocitopenia de EDTA.

ACD e CPDA – O ACD e CPDA são anticoagulantes amplamente


utilizados na concentração celular, especialmente nos concentrados de
plaquetas. Geralmente, não é usado para a contagem de células.

EDTA - No sal de EDTA, utiliza-se EDTA K2 (Estados Unidos e Japão) e


EDTA K3 (Estados Unidos e Europa), às vezes NA2EDTA. e EDTA K2,
EDTA K3 que são mais amplamente utilizados no exame de sangue do
mundo. Mas outros sais de EDTA também podem ser utilizados. EDTA
pode levar à Pseudo-trombocitopenia através da agregação plaquetária.
(Incidência é de cerca de 1/800)

Fluoreto – Utiliza-se antes de EDTA. Ainda não houve efeitos colaterais,


de acordo com a investigação.

7.5.2 Preparação Diluição da Amostra

Métodos sobre preparação de amostra diluente:

Método 1

1. Aspirar 800 μL de diluente através de pipetas.


2. Injete-o em um tubo de plástico descartável.
3. Injete 20μL de sangue periférico no tubo e homogeneíze bem.

Método 2

1. Defina o modo de teste atual para "Modo Diluente" na tela "Teste" e mova o
suporte de amostra da Amostragem de Emergência para a posição do tubo de
plástico descartável.
2. Coloque um tubo de plástico descartável limpo na Amostragem de
Emergência.

70
Capítulo 7 – Operação Diária

3. Pressione "Drenar" ou clique em "Individual". Clique em "Drenar", o analisador


injeta automaticamente o diluente de 800 μL no tubo de plástico.
4. Injete 20μL de sangue periférico no tubo de ensaio e misture bem.

Método 3

1. Defina o modo de teste atual como "Modo Diluente" na tela de "Teste".


2. Coloque o tubo de plástico descartável na plataforma do tubo de ensaio que
está alojado no lado direito do carregador de amostras.
3. Clique em "Drenar" e clique em "Multiplicar" na caixa de diálogo. Insira os
tempos necessários e clique em "Drenar", como mostrado na figura 7-2. O
analisador automaticamente injetará 800 μL de diluente em cada tubo.
4. Retire os tubos e injete 20μL de sangue periférico em tubos cheios de
diluente e misture bem.

NOTA

Os tubos devem ser organizados consecutivamente. O limite superior de


"Multiplicar" é 50.

Figura 7-2 Diluir

71
Capítulo 7 – Operação Diária

CUIDADO

 Evite a queda de pó no diluente preparado, caso contrário, podem ocorrer


erros.
 O sangue periférico e o diluente após a reação total devem ser colocados
por 3 minutos e, então, deve-se misturar novamente para poder realizar a
análise.
 Certifique-se de que a amostra tenha sido analisada dentro de 30 minutos
após a diluição, caso contrário os resultados da análise não serão
confiáveis.
 A amostra colocada após um período de tempo deve ser misturada
novamente para análise.
 Cada laboratório deve, de acordo com o respectivo número de amostra,
método de amostragem e o nível técnico avaliar a estabilidade dos
resultados sob o modo diluente.

7.5.3 Preparação de Amostra de Reticulócitos


1. Adicione 20 μL de amostra no tubo com RESEARCH-II (4 mL), misture e
coloque à temperatura ambiente (15 ° C ~ 30 ° C) por 15 a 30 minutos.
2. A precisão deve ser afetada se exposta a temperatura ambiente durante
2 horas

CUIDADO: evite o contato com a pele e roupas. O ingrediente azul de


metileno mancha a pele, vestuário e outros objetos.

7.5.4 Estabilidade da amostra

Recomenda-se realizar os testes com amostra de sangue total fresca. O ICSH


(Comité Internacional para a Normalização da Hematologia) definiu o sangue fresco
como amostra processada no prazo de 4 horas após a coleta. A amostra é
armazenada em tubo EDTA e pode ser testada dentro de 8 horas, proporcionando
maior precisão nos resultados. Testando as amostras dentro de 5 a 20 minutos e
mais de 8 horas, a distribuição do volume do WBC pode ser obtida.

72
Capítulo 7 – Operação Diária

7.6 Inserção de Informações

Insira informações de amostra detalhadas na tela "Teste". O operador pode


inserir antes da análise de amostra ou inseri-la na consulta de dados após a
contagem. Veja a figura 7-3-1 e a figura 7-3-2.

Figura 7-3-1 Inserção de dados 1

Figura 7-3-2 Inserção de dados 2

73
Capítulo 7 – Operação Diária

Pressione "Ctrl + Shift" no teclado para escolher o método de entrada.

Nome: insira caracteres, letras e números.

Gênero: insira o número de série (SN) correspondente do gênero pré-definido


na Manutenção do Dicionário, o padrão está em branco.

Idade: insira o número de série (SN) correspondente da idade predefinida na


Manutenção do Dicionário, o padrão está em branco.

Tipo de Sangue: insira o número de série (SN) correspondente do tipo de


sangue pré-definido na Manutenção do Dicionário, o padrão está em branco.

Grupo: dividido em geral, homem, mulher, criança e recém-nascido de acordo


com a idade e gênero de entrada, selecionado Geral, Personalizado 1,
Personalizado 2, Personalizado 3, se necessário.

Se Auto for selecionado, os valores de referência são oferecidos conforme


listado na Tabela 7-3.

Tabela 7-3 Grupo

Valor de Referência Idade Gênero


Geral Sem entrada Branco, Masculino, Feminino

Geral ≥16 anos Branco


Homem ≥16 anos Masculino
Mulher ≥16 anos Feminino
Criança >1 mês e <16 Branco, Masculino, Feminino
anos
Recém-Nascido <1 mês Branco, Masculino, Feminino

Número de série (SN): o número de série está no intervalo de 1 a 99999999.


Se não houver entrada SN, o analisador automaticamente soma 1 com base no
último número serial, criando novo SN.

Identificação do caso: insira o número do caso.

Identificação do leito: insira identificação do leito de entrada.

Departamento: insira nome do departamento de entrada ou SN.

Operador: insira nome ou código do operador de entrada.

Médico: insira o nome ou o código do médico/responsável pela solicitação do


exame.

74
Capítulo 7 – Operação Diária

Auditor: insira o nome ou o código do auditor.

NOTA: o SN 0 é especial do teste em branco. Por favor, não insira 0 na amostra


de teste.

CUIDADO: cada amostra possui um número de identificação correspondente.

7.7 Teste Amostra

7.7.1 Mode
Clique em "▽" para selecionar o modo Sangue Total (Whole Blood) na tela de
Teste (Test).

Figura 7-4 Modo

NOTA:

 O item CBC pode ser escolhido tanto em "Sangue total" quanto "Diluente". O
modo CBC só está disponível para contar, mas não classificar o WBC. O
resultado de contagem inclui 18 parâmetros e os diagramas de RBC e PLT.

 O item "CBC + 5Diff" conta e classifica o WBC.

 O item "CBC + 5Diff + RRBC" é usado principalmente para dissolver e contar


o RBC insolúvel. Sugere-se que alterar o modo para o CBC + 5Diff + RRBC
e executar a contagem novamente quando os Alarmes RRBC estiverem
para fora, assim também eliminaria a interferência de WBC. Se o número
total do WBC é muito inferior ao da primeira contagem, mostra que esta
amostra contém RBC insolúvel.

75
Capítulo 7 – Operação Diária

7.7.2 Contagem e Análises

ATENÇÃO
A agulha é afiada e pode haver sangue, materiais de controle ou calibradores
em sua extremidade, que provavelmente possuem potencial infectividade. Não
contate diretamente a agulha de amostra.

NOTA:
 Não reutilize mercadorias descartáveis.
 Certifique-se de que o SN inserido corresponda com a amostra.

CUIDADO: não abra a tampa frontal depois de iniciar a contagem.

7.8 Pesquisa de Resultados e Impressão

Após cada contagem, o analisador salva automaticamente os resultados de


contagem em uma base de dados que armazena pelo menos 200.000 resultados,
incluindo 34 parâmetros (2 diagramas de dispersão, 2 histogramas e 2 gráficos
tridimensionais). O operador pode rever todos os resultados, diagramas de dispersão
e histogramas que são armazenados no banco de dados por meio da consulta e
estatísticas.

7.8.1 Pesquisa de Resultados

Clique em Resultados/Dados (Data) para acessar a tela de busca. Observe a


Figura 7-5-1.

76
Capítulo 7 – Operação Diária

Figura 7-5-1 Pesquisa de Dados

O operador pode consultar rapidamente os resultados de acordo com a condição


da consulta, como data, SN, nome, gênero, idade e tipo de sangue. Combinar a
pesquisa entre as condições está disponível. Observe a Figura 7-5-2.

Figura 7-5-2 Condição de Pesquisa

77
Capítulo 7 – Operação Diária

7.8.2 Seleção de Resultados

Clique no resultado selecionado destacado. A amostra destacada SN 1001 é


mostrada na Figura 7-6.

Figura 7-6 Seleção Individual de Resultado

Selecione um resultado de amostra (como SN 1001), clique em "Detalhe" ou


clique duas vezes diretamente, as informações detalhadas dela aparecerão como
mostrado na Figura 7-7.

78
Capítulo 7 – Operação Diária

Figura 7-7 Detalhes

Pressione e mantenha pressionado o botão "Ctrl" ou "Shift" e clique em


resultados das amostras desejadas conforme mostrado na Figura 7-8.

Figura 7-8 Seleção Múltipla de Resultados

79
Capítulo 7 – Operação Diária

7.8.3 Apagar Resultados

Depois de processar muitas amostras, é necessário limpar ou apagar os dados


de massa armazenados no analisador de acordo com a exigência do operador.
Ambos botões apagar tudo e apagar “individual” estão disponíveis.

NOTA: esteja ciente de que, uma vez que os dados são apagados, NÃO podem
ser recuperados. Operar com cautela.

7.8.4 Precisão

Verifique a precisão de cada parâmetro do resultado da amostra selecionado,


__
incluindo Média ( X ), Desvio Padrão (SD) e Coeficiente Variável (CV). As fórmulas de
cálculo estão listadas abaixo:

__ X i
X  i 1
n
1 n  __
2
SD=   Xi  X 
n  1 i 1  

SD
CV  __
100%
X

N é o número de amostras selecionadas, Xi é o resultado de i vezes para


os parâmetros especificados.

Selecione os resultados que precisam ser calculados CV, clique com o


botão direito e selecione Precisão (Precision). Observe a Figura 7-9.

80
Capítulo 7 – Operação Diária

Figura 7-9 Precisão

NOTA

 Apenas um índice de precisão de 30 pode ser calculado.

 "***" significa inválido. Se o parâmetro da amostra selecionada for inválido, a


precisão também é inválida.

7.8.5 Comparação de Resultados

O operador pode comparar esses dados de amostra selecionados através do


diagrama de contraste mostrado na Figura 7-10. Depois de selecionar os resultados
da amostra, clique em Comparar (Compare) para acessar a tela de comparação de
dados e visualizar a comparação dos resultados.

81
Capítulo 7 – Operação Diária

Figura 7-10 Comparação de Resultados

7.9 Análises de Reticulócitos

Clique na tela de Teste (Test), selecione o modo RETC e após coloque a


amostra de reticulócitos preparada na posição de amostragem de emergência. Veja a
Figura 7-11. Insira o número de série e o valor de RBC e clique no botão testar (>),
veja a Figura 7-12.

82
Capítulo 7 – Operação Diária

Figura 7-11 Análise Reticulócitos

Figura 7-12 Análise Reticulócitos

83
Capítulo 7 – Operação Diária

7.10 Estatística

Clique em Estatística (Statistics) para o acesso. Observe a Figura 7-13. Siga


os procedimentos abaixo:

Figura 7-13 Tela de Estatística

(1) Clique em Data de Início (Start Date) para selecionar a data de


entrada e após insira a Data Final (End Date). Observe a Figura 7-14.

Figura 7-14 Seleção de Data

84
Capítulo 7 – Operação Diária

(2) Selecione Condição de consulta (Query Condition), como Departamento e


Remetente.

(3) Clique em Estatísticas (Statistics), os itens selecionados e seus resultados


estatísticos serão listados na lista.

(4) Clique em Imprimir (Print) para imprimir os resultados.

7.11 Finalização

Depois de terminar de testar todas as amostras, faça o procedimento de


desligamento para limpar as câmaras de contagem e os canais relacionados. Se
estiver usando continuamente, o procedimento de desligamento deve ser realizado
pelo menos uma vez a cada 24 horas.

Procedimentos de desligamento:

1 Clique em ;

2 Será exibido uma caixa de para confirmar a saída;

3 Verifique se o procedimento de desligamento está concluído, a caixa de


diálogo exibida será fechada;

4 Desligue a energia do analisador e do computador.

CUIDADO: a perda de dados e a inicialização anormal podem ser causadas


se os procedimentos de finalização não forem realizados.

85
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Capítulo 8 – Controle de Qualidade

8.1 Visão Geral

A probabilidade de resultados não confiáveis pode ocorrer ao longo do tempo


de uso. Para manter uma contagem e análise precisas e eliminar erros do sistema,
é necessário realizar o controle de qualidade (CQ).
É recomendável diariamente utilizar controles de níveis baixos, normal e alto
para execução do CQ. Pelo menos execute o controle normal no uso diário. Ao usar
materiais de controle de qualidade de lote novo, aplique-o duas vezes por dia, e os
resultados devem estar dentro do intervalo dos parâmetros conforme as instruções
de controle.
Sugere-se utilizar materiais de controle de qualidade URIT e executar o CQ nas
seguintes condições:
 Após os procedimentos de inicialização diários;
 Quando substituir novo reagente, ou seja, o número do novo lote for
diferente;
 Após a calibração;
 Após a manutenção, ou substituição de componentes;
 De acordo com o laboratório ou protocolo clínico de CQ;
 Em suspeita de valor de parâmetro anormal;

CUIDADO
Considerando todos as amostras, materiais de controle e calibradores que
contenham sangue ou soro humanos como potencialmente infecciosos, utilizar
aventais de laboratório, luvas e óculos de segurança e siga os procedimentos
laboratoriais ou clínicos necessários ao manusear estes materiais.

NOTA
Controle URIT - Certifique-se de executar o procedimento a seguir antes de
usar os materiais de controle que são removidos da geladeira.
1. Deixe-o por 15 minutos para atingir a temperatura ambiente (15ºC -35ºC).
2. Esfregue o frasco por 10 vezes.

86
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

3. E homogeneíze suavemente o frasco para baixo por seis vezes.


4. Repita os passos 2 e 3 por duas vezes ou 3 vezes ou por 2 minutos.

8.2 Opções de Controle de Qualidade

Este analisador fornece quatro métodos de CQ: modo L-J, modo X-B, modo
X-R e o modo X.

1. CQ L -J

L-J QC (gráfico de Levey-Jennings) é um método de CQ simples e visual com o


qual o operador pode inserir o valor CQ diretamente no gráfico depois de obter a
__
Média, SD (desvio padrão) e CV (coeficiente de variação). X , SD e CV são
derivados das seguintes fórmulas.

__ X i
X  i 1
n
1 n  __
2
SD=   Xi  X 
n  1 i 1  

SD
CV  __
100%
X

2. CQ X-R

No método CQ X-R, X indica o valor médio, R indica uma gama de valores. O


gráfico X é usado principalmente para julgar se o valor médio está no nível
requerido. O gráfico R é utilizado principalmente para julgar se a faixa de valor está
no nível requerido.

87
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

3. CQ X

CQ X é a variação do CQ X-R, eles têm o mesmo princípio básico. A diferença


é que o ponto de controle no gráfico X indica o valor médio de dois valores
diferentes de um valor. Nesta base, calcula a Média, SD e CV.

4. CQ X-B

CQ X-B é um método de média móvel que foi promovido pela primeira vez em
1970. Baseia-se no princípio de que a contagem de RBC é variada devido à
concentração de diluição, patologia do sangue humano e fator técnico, mas o
conteúdo de hemoglobina na unidade específica dificilmente é interferido pelos
fatores precedentes. De acordo com essa característica, o controle de qualidade
das amostras é realizado através da observação do valor de MCV, MCH e MCHC.

8.3 Modo de seleção CQ

Clique em "CQ" para acessar a tela como mostrado na Figura 8-1.

Figura 8-1 Modo de Seleção CQ

88
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Existem quatro opções de CQ: L-J, X-B, X-R e X. Selecione o modo desejado e
clique no botão relevante para acessar a tela correspondente.

8.4 CQ L-J

No CQ L-J, o operador pode executar o CQ com os 28 parâmetros de teste.


Considerando as diferentes necessidades, a seleção de parâmetros parciais para
CQ está disponível. Três níveis de CQ são fornecidos: alto, normal e baixo.

8.4.1 Configuração CQ L-J

Clique em "CQ L-J" para acessar a tela de edição correspondente. Clique em


Novo (New) para acessar a tela e insira o número do controle de entrada, lote, nível,
validade, valor de referência e SD. Ver Figura 8-2.
Observe que o SD não deve ser superior a 40% da referência, ou o novo SD
não será salvo no banco de dados.

Figura 8-2 Configuração 1 Regra CQ L-J

89
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Figura 8-2 Configuração 2 Regra CQ L-J

Clique em "Concluído" após a edição. A tela mostrada na Figura 8-3 será


exibida.

Figura 8-3 Tela CQ

90
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

8.4.2 Teste CQ L-J

Clique no botão Testar (>) na tela L-J QC conforme a Figura 8-4.

Figura 8-4 Teste CQ L-J

8.4.3 Teste CQ AB

Clique em "AB QC" na tela CQ L-J para executar o teste CQ AB. Clique em
"Concluído" para retornar à tela CQ.

Figure 8-5 Teste CQ AB

91
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

8.4.4 Análises do Gráfico CQ L-J

Verifique se o analisador está dentro do controle na tela CQ L-J, conforme


mostrado na Figura 8-6.

Figura 8-6 Análises do Gráfico CQ L-J

8.4.5 Consulta de Resultados CQ L-J

Na tela CQ L-J, clique em Resultados/Dados (Dados) para acessar a tela de


consulta de resultados como mostrado na Figura 8-7.

Figura 8-7 Consulta CQ L-J

92
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

8.5 CQ X-B

CQ X-B é diferente dos outros, apenas três parâmetros são editados, que são
MCV, MCH e MCHC. É um CQ sem materiais de controle, considera-se um meio de
monitorar o analisador com controles, mas eles não podem se substituir.

Execute CQ X-B quando a quantidade de amostras for superior a 100. Esse


modo é para uso de amostra aleatória, não para amostras de classificação.
Observa-se a tendência do resultado de CQ no intervalo de referência, que é
constituído pela média, limite superior e inferior.

8.5.1 Configuração do CQ X-B

Conclua a edição de CQ antes da análise. Siga as orientações abaixo:


1. Na tela principal, clique em "CQ" - "CQ X-B";
2. Clique em Configuração (Setup) e entre Referência (Reference) e "SD".
3. Insira o número de amostras necessárias do ponto de controle X-B. O
intervalo de seleção é de 20 a 200, URIT recomenda que o número seja
20.
4. Marque Abrir X-B (Open X-B) para usar o modo X-B.

Figura 8-8 Configuração CQ X-B

93
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

8.5.2 Teste CQ X-B

Quando terminar a edição do CQ, clique em Testar (>) para operar o controle
de qualidade. O sistema opera automaticamente o cálculo de CQ após analisar 20 a
200 amostras (de acordo com sua configuração) e obtém um ponto CQ qual
corresponde a cada referência do CQ X-B, salvando-o no gráfico e lista CQ X-B.

8.5.3 X-B QC Graph Analysis

O operador pode avaliar os resultados de CQ de três parâmetros através de


gráficos. Após a contagem de amostras de grupo concluídas, os resultados de MCV,
MCH e MCHC representam um ponto no gráfico. Por exemplo, o Abrir X-B (Open
X-B) é escolhido e Recordes/Grupo (Records / Group) é 20. Após as 20 contagens
subsequentes, o sistema calcula um valor X-B e um ponto de controle
correspondente qual será exibido no gráfico.
Existem três gráficos de MCV, MCH e MCHC. Os gráficos são atualizados
imediatamente após cada contagem de CQ. Os resultados são organizados em
gráficos de acordo com o tempo de armazenamento. O mais recente estará no lado
esquerdo e seu número de série será 1.

Instrução do Gráfico CQ

(1) É um gráfico com tempos de CQ no eixo horizontal e resultados da


contagem de CQ no eixo vertical.
(2) Cada gráfico de parâmetros exibe diversos pontos.
(3) A linha acima de cada gráfico de parâmetro significa Referência mais SD.
(4) A linha abaixo de cada gráfico de parâmetro significa valor de referência
subtraído o valor SD.
Se o ponto CQ for entre o limite superior e o limite inferior do gráfico
correspondente, significa que está sob o alcance do controle, se não, o ponto CQ
não está conforme. Observe a Figura 8-8.

94
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Figura 8-9 Gráfico CQ X-B

8.6 X-R QC

CQ X-R que tem o material de controle é um dos métodos de CQ. Se estiver


executando uma contagem em branco, o sistema avisa que o resultado da
contagem de CQ é inválido.

8.6.1 Configuração CQ X-R

Antes da análise de CQ, o operador deve concluir a edição do mesmo,


conforme as seguintes orientações:

1. Clique em "CQ" na tela principal e, em seguida, clique em "X-R " – Novo


(New) para acessar a tela correspondente. Observe a Figura 8-10.

95
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Figura 8-10 Configuração/Teste 1 CQ

Figure 8-10 Configuração/Teste 2 CQ

2. Selecione os níveis correspondentes (Baixo, Normal e Alto).

3. Insira o “Número do lote” e selecione a “Data de validade”;

96
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

8.6.2 Teste CQ X-R

Ao concluir a edição, clique em "Testar" (>) para iniciar a análise CQ.

Na tela CQ, o sistema exibe os resultados de controle duas vezes e calcula


automaticamente duas vezes a média e o intervalo depois de terminar a segunda
contagem de CQ.

8.6.3 Análises do Gráfico CQ X-R

CQ X-R é semelhante ao CQ X. O operador pode avaliar os resultados de CQ


de 28 parâmetros através dos gráficos. Clique em "CQ X-R" para acessar a tela de
análise do gráfico. Veja a Figura 8-11.

Figura 8-11 Gráfico CQ X-R

A diferença entre CQ X-R e CQ X é que cada ponto do X-R no gráfico indica


valor médio ou intervalo de dois resultados CQ. O sistema não pode exibir gráficos
de controle baixos, normais e altos simultaneamente em uma única tela, selecione
“Nível” para alterar.

97
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Na interface CQ X-R, há gráfico X e gráfico R. O gráfico X exibe o ponto do


valor médio enquanto o gráfico R exibe o ponto de intervalo.

Se o operador selecionar "Baixo" e fazer o teste CQ duas vezes, o ponto estará


dentro do gráfico X correspondente como baixo nível. Também se adapta aos
pontos de outros grupos - o ponto corresponde ao intervalo estará dentro do gráfico
R correspondente.

Os resultados de CQ são organizados no gráfico de acordo com o tempo de


armazenamento, o último estará no lado esquerdo e seu número de série será 1.

Instrução do Gráfico X

(1) A abscissa gráfica indica tempos de execução de CQ, a ordenada indica o


resultado de CQ.
(2) Cada gráfico de parâmetros pode exibir diversos pontos.
(3) A linha central do gráfico de todos os parâmetros: X (valor médio geral dos
resultados de QC).
(4) Acima da linha de cada gráfico de parâmetros: limite superior X = X + A × R.
(5) Abaixo da linha de cada gráfico de parâmetros: limite inferior X = X-A × R.
(6) Os 3 valores no lado esquerdo do gráfico de parâmetros:
a) limite superior: limite superior X = X + A × R
b) linha média: X
c) limite inferior: limite inferior X = X-A × R

Instrução do Gráfico R

(1) É um gráfico com tempos de CQ no eixo horizontal e resultados de CQ no


eixo vertical.
(2) Cada gráfico de parâmetros exibe diversos pontos.
(3) A linha central do gráfico de todos os parâmetros: R (valor médio da faixa de
resultados de CQ).
(4) Acima da linha de cada gráfico de parâmetros: limite superior R = B × R.
(5) Abaixo da linha de cada gráfico de parâmetro: limite inferior R = C × R.
(6) Os 3 valores no lado esquerdo do gráfico de parâmetros:
a) limite superior: limite superior R = B × R
b) linha média: R
c) limite inferior: limite inferior R = C × R

98
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Se o ponto de controle estiver na área entre as linhas acima e abaixo, significa


que o ponto está no alcance de controle. Caso contrário, o ponto não está
conforme.

8.6.4 Pesquisa de Resultados CQ X-R

Quando terminar a contagem de CQ, o operador pode avaliar o resultado dos


28 parâmetros através de gráficos CQ. Observe a Figura 8-12.

Figura 8-12 Tela de Consulta CQ X-R

A diferença entre X QC e L-J QC é que os resultados de CQ X incluem valor


médio e alcance, e a média total e o intervalo médio são mostrados na tabela de
cálculo do CQ.

Os dados de controle de qualidade atualizam após execução de dois novos


controles.

99
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

8.7 CQ X

X QC que possui o material de controle é um dos métodos de CQ. O analisador


aspira o material de controle para operar QC. O operador pode executar o CQ para
os 28 parâmetros. Considerando as diferentes necessidades, está disponível para
fazer o CQ para algum parâmetro. Três níveis de CQ são fornecidos: alto, normal e
baixo.

8.7.1 Configuração CQ X

Antes da análise de CQ, o operador deve concluir a edição do mesmo


conforme as seguintes orientações:

1. Clique em Novo (New) em CQ X, observe a Figura 8-13.

Figura 8-13 Configuração 1 CQ X

100
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Figura 8-13 Configuração 2 CQ X

2. Selecione o nível correspondente (Baixo, Normal e Alto).

3. Insira o "Número do lote" e selecione a "Data de validade";

4. Digite a "Referência" e "SD" de acordo com a instrução de uso.

Após edição do CQ, clique em "Concluído" (Done) para salvar sua edição,
clique em "Cancelar" (Cancel) para cancelar sua edição.

8.7.2 Teste CQ X

O sistema acessa automaticamente a tela CQ X após a edição. Veja a Figura


8-14.

101
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

Figura 8-14 CQ X

Na tela CQ, o sistema exibe dois resultados de controle e calcula o valor médio
automaticamente após terminar a segunda contagem de CQ. A coluna do valor
médio mostra a média dos resultados, a coluna do intervalo de referência mostra o
intervalo de referência de acordo com a entrada do usuário na tela de configuração.

Na tela de teste do CQ, coloque o controle preparado na posição de


emergência, o analisador aspirará automaticamente os materiais de controle para
iniciar a análise. Se o valor de referência do grupo atual estiver vazio, o sistema
informará e não executará a contagem de CQ. Sendo assim retorne para a tela de
configuração de CQ, insira o valor de referência e SD para executar a contagem.

Se estiver executando um CQ em branco, o alarme do sistema do resultado do


CQ será inválido.

8.7.3 Análises do Gráfico CQ X

Após testar o CQ, o operador pode avaliar os resultados dos 28 parâmetros

102
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

através do gráfico. Observe a Figura 8-15.

Figura 8-15 Análises Gráfico CQ X

O ponto no gráfico de CQ X indica o valor médio de dois resultados de CQ.


Existem níveis de gráficos baixo, normal e alto. Se selecionar "Baixo" executa uma
amostra de controle nível baixo, e o ponto de controle será exibido no gráfico.

Os resultados de CQ são organizados em gráficos de acordo com o tempo de


armazenamento. O mais recente estará no lado esquerdo e seu número de série
será 1.

Instrução Análise do Gráfico

(1) É um gráfico com tempos de CQ no eixo horizontal e resultados de CQ no


eixo vertical.
(2) Cada gráfico de parâmetros exibe no máximo 31 pontos.
(3) Acima da linha de cada gráfico de parâmetro: Referência (média) + SD.
(4) Abaixo da linha de cada gráfico de parâmetro: Referência (média) - SD.
(5) Os 3 valores no lado esquerdo do gráfico de parâmetros:

103
Capítulo 8 – Controle de Qualidade

a) limite superior: Referência + SD


b) linha média: Referência
c) limite inferior: Referência – SD

Se o ponto de controle estiver na área entre as linhas acima e abaixo, significa


que o ponto está no alcance de controle. Caso contrário, o ponto não está
conforme.

104
Capítulo 9 – Calibração

Capítulo 9 – Calibração

9.1 Visão Geral

O analisador é detectado e calibrado antes da entrega. Por algum motivo, o


resultado pode estar um pouco fora do alcance. A calibração é para garantir a
precisão dos resultados. A calibração é um processo para padronizar o analisador
pelo seu desvio de valor e parâmetro, fator de calibração.

O analisador fornece três modos de calibração, que são Cal-Padrão (Standard


Cal), Cal-Sangue (Blood Cal) e Cal Manual (Manual Cal).

CUIDADO

 Apenas os calibradores recomendados pela URIT podem ser usados para


realizar a calibração.
 Siga as instruções de uso para armazenar e usar o calibrador.
 Verifique se o frasco está quebrado antes de usar o calibrador.
 Certifique-se de que os calibradores são colocados na temperatura
ambiente e bem homogeneizados lentamente antes da utilização.
 Certifique-se de que os calibradores estão dentro do prazo de validade.
 Certifique-se de que não haja dicas de falhas e a precisão atenda aos
requisitos.
 Nunca inicie a rotina do laboratório, a menos que todos os parâmetros sejam
calibrados com precisão.

NOTA

 Remova lentamente o frasco de calibrador de sangue da geladeira e aqueça


a temperatura ambiente, esfregando-o.
 Certifique-se de que o conteúdo do frasco é completamente suspenso,
misturando-o de cabeça para baixo por pelo menos 30 vezes.

105
Capítulo 10 - Manutenção

9.2 Frequência de Calibração

Para garantir a precisão e obter resultados de testes confiáveis, os parâmetros


(WBC, RBC, PLT, HGB e MCV) devem ser calibrados nas seguintes situações.

(1) Quando o ambiente de trabalho ocorrer mudanças;

(2) Os resultados dos testes de um ou vários parâmetros estão oscilando;

(3) Substituição de componente principal que afete a medida;

(4) Quando muito tempo sem utilizar o equipamento;

(5) Requisito do laboratório ou da clínica;

(6) Substituição de reagente;

(7) Controle de qualidade não conforme.

MCV e HCT são parâmetros relativos uns aos outros, portanto, um pode ser
obtido a partir do valor dado do outro. Apenas o MCV pode ser calibrado pelo
analisador. Normalmente, o fabricante dá o valor para MCV e HCT ao mesmo tempo.

ATENÇÃO
Considerando todos as amostras, materiais de controle e calibradores que
contenham sangue ou soro humano como potencialmente infecciosos, utilize
aventais de laboratório, luvas e óculos de segurança e siga procedimentos
laboratoriais ou clínicos ao manusear estes materiais.

9.3 Preparação

Antes da calibração, inspecione o analisador conforme os seguintes requisitos:


(1) Certifique-se de que os reagentes estejam na vida útil, adequados e não
contaminados.
(2) Execute um teste em branco e verifique se os resultados estão de acordo
com os seguintes intervalos:

106
Capítulo 10 - Manutenção

Tabela 9-1 Intervalo de aceitação do Branco

Parâmetro Intervalo
WBC ≤0.20x10^9/L
RBC ≤0.02x10^12/L
HGB ≤1g/L
PLT ≤10.0x10^9/L

(3) Certifique-se de que não há erros.


(4) Verifique a exatidão da precisão. Execute a contagem contínua com material
de controle de valor médio ou sangue humano por 11 vezes, leve os resultados do
segundo ao décimo primeiro, verifique a precisão em Resultados (Data).
Certifique-se de que os CV estão de acordo com a Tabela 9-2 CV.

Tabela 9-2 CV

Parâmetro CV Intervalo
WBC ≤2.0% 4.0×10^9/L ~ 15.0×10^9/L
RBC ≤1.5% 3.00×10^12/L ~ 6.00×10^12/L
HGB ≤1.5% 100 g/L ~ 180g/L
HCT ≤2.0% 35% ~ 50%
MCV ≤1.0% 70fL ~ 120fL
≤5.0% 100×10^9/L ~ 149×10^9/L
PLT
≤4.0% 150×10^9/L ~ 500×10^9/L

(5) Executar controle nível alto em "Teste" por três vezes e depois executar
controle nível baixo três vezes imediatamente. O carryover é calculado pela
seguinte fórmula e o resultado é confirmado na Tabela 9-3.

107
Capítulo 10 - Manutenção

Tabela 9-3 Carryover

Parâmetro Resultado
WBC ≤0.5%
RBC ≤0.5%
HGB ≤0.5%
PLT ≤1.0%

9.4 Modos de Calibração

9.4.1 Calibração - Padrão

Selecione o modo "Cal padrão" na tela "Cal" conforme as Figuras 9-1.


Por favor, calibre de acordo com os procedimentos a seguir:
(1) Digite "Número do lote" e selecione "Data de validade";
(2) Selecione o parâmetro necessário;
(3) Insira a "Referência", os valores de referência de parâmetros que não
precisam ser calibrados podem permanecerem em branco;
(4) Pressione "Testar" (>) para iniciar a calibração. O analisador pode calcular
automaticamente o valor médio de 11 testes no máximo. A URIT recomenda
testar 3 a 5 vezes pelo menos.
(5) O novo coeficiente de calibração é calculado de acordo com o valor de
referência dos calibradores e média.
(6) Clique em "Imprimir" (Print) para imprimir o novo coeficiente de calibração.

108
Capítulo 10 - Manutenção

Figura 9-1 Cal. Padrão 1

Figura 9-1 Cal. Padrão 2

109
Capítulo 10 - Manutenção

Figura 9-1 Cal. Padrão 3

Figura 9-1 Cal. Padrão 4

110
Capítulo 10 - Manutenção

NOTA

 WIC refere-se a obter resultados WBC por análise de impedância elétrica, e o


WOC refere-se a obter resultados WBC por técnica fotoelétrica.
 O analisador pode calibrar todos os parâmetros de WIC, WOC, RBC, HGB,
MCV, MPV, RDW_CV, RDW_SD, PLT e PDW.

Verificação do Coeficiente de Calibração

Após a calibração, a URIT recomenda seguir as seguintes etapas para verificar


os coeficientes de calibração:

(1) Teste os calibradores pelo menos três vezes e verifique se os resultados


estão dentro do intervalo permitido;

(2) Níveis de teste "Alto", "Normal" e "Baixo", devem ser testados por três vezes
pelo menos. Verifique se os resultados estão dentro do alcance permitido;

(3) Analisar pelo menos três amostras normais de sangue total, cada uma delas
deve ser testada por três vezes pelo menos. Verifique se os resultados estão
dentro do alcance permitido.

Princípio do cálculo do valor da nova calibração

 Valor médio = (valor1 + valor2 + valor3 + valor4) / vezes.


 Novo valor de calibração = (valor de referência / valor médio) × valor de
calibração anterior.
 Se o novo valor de calibração <70%, considere igual a 70%, se o novo valor
de calibração > 130%, considere igual a 130%.
 Por exemplo, o valor de referência PLT (plaquetas) do calibrador é 220, o
valor de calibração atual é de 103% e o valor médio é 230, portanto, o novo
valor de calibração = 103% x 220/230 = 98,52%.

NOTA

O coeficiente de calibração é permitido na faixa de 70% ~ 130%, se os valores de


teste excederem o limite, o valor crítico na faixa limite deve ser selecionado como o
novo coeficiente de calibração. E nesse caso, o operador deve analisar os motivos
e calibrar novamente.

111
Capítulo 10 - Manutenção

9.4.2 Calibração - Sangue


Clique em Cal Sangue (Blood Cal) na tela “Cal”. Observe as Figuras 9-2.

Figura 9-2 Cal Sangue 1

Por favor, calibre da seguinte maneira:

(1) Selecione os parâmetros desejados e a amostra atual SN;

(2) Prepare 3 a 5 amostras de sangue total de acordo com a Operação Diária do


Capítulo 7;

(3) Teste cada uma das amostras preparadas pelo menos três vezes para obter a
média e pegue o valor médio como valor de referência, ou teste e calcule de
acordo com o método de referência, considere os resultados como o valor de
referência;

(4) Pressione "Teste" (>) para iniciar a calibração, o analisador pode calcular
automaticamente o valor médio de 11 testes no máximo. A URIT recomenda
testar 3 a 5 vezes pelo menos;

112
Capítulo 10 - Manutenção

(5) Repita o passo 4 até obter mais de três coeficientes de calibração. O sistema
calcula automaticamente o valor médio de cada coeficiente de calibração;

(6) Clique em "Salvar" (Save) para confirmar o novo coeficiente de calibração;

(7) Clique em "Imprimir" (Print) para imprimir o novo coeficiente de calibração;

NOTA

 WIC refere-se a obter resultados de WBC por análise de impedância elétrica,


e o WOC refere-se a obter resultados de WBC por método óptico.

Figura 9-2 Cal Sangue 2

113
Capítulo 10 - Manutenção

Figure 9-2 Cal Sangue 3

Verificação do coeficiente de calibração

Após a calibração, a URIT recomenda seguir as seguintes etapas para validar os


coeficientes de calibração:
a) Teste os calibradores três vezes pelo menos, e verifique se os resultados
estão dentro do intervalo permitido.
b) Teste nível "Alto", "Normal" e "Baixo", e cada controle deve ser testado pelo
menos três vezes. Verifique se os resultados estão dentro do alcance
permitido.
c) Analise três amostras de sangue fresco, três vezes cada uma pelo menos. E
verifique se os resultados estão dentro do alcance permitido.

9.4.3 Calibração Manual

Por favor, calibre de acordo com os procedimentos a seguir:

1. Configure o modo de contagem como amostra única de sangue total e faça


mais de três vezes o teste do calibrador para obter média.

2. Clique em "Cal" na tela principal e clique em "Cal Manual" na tela "Cal".

114
Capítulo 10 - Manutenção

Observe a Figura 9-3.

Figura 9-3 Cal Manual 1

NOTA

 O WIC refere-se a obter resultados de WBC por análise de impedância


elétrica, e o WOC refere-se a obter resultados de WBC por método óptico.
 O analisador pode calibrar todos os parâmetros de WIC, WOC, RBC, HGB,
MCV, MPV, RDW_CV, RDW_SD, PLT e PDW.

3. Insira o valor de referência e o valor médio dos parâmetros desejados do


calibrador e clique em "Cal", o sistema calcula automaticamente o novo
coeficiente de calibração (veja a Figura 9-4).

115
Capítulo 10 - Manutenção

Figura 9-4 Calculando o Novo Coeficiente de Calibração

4. Clique em "Salvar" (Save) para confirmar a nova configuração.

Verificação do coeficiente de calibração

Após a calibração, a URIT recomenda seguir as seguintes etapas para validar os


coeficientes de calibração:
1. Teste os calibradores três vezes pelo menos, e verifique se os resultados
estão dentro do intervalo permitido.
2. Teste nível "Alto", "Normal" e "Baixo", e cada controle deve ser testado pelo
menos três vezes. Verifique se os resultados estão dentro do alcance permitido.
3. Analise três amostras de sangue fresco, três vezes cada uma pelo menos. E
verifique se os resultados estão dentro do alcance permitido.

116
Capítulo 10 - Manutenção

Capítulo 10 – Manutenção e Cuidado

10.1 Visão Geral

Cuidados de rotina e manutenção regular são essenciais para manter o melhor


desempenho e precisão, e para minimizar os problemas do sistema e prolongar sua
vida. Procedimentos e instruções para manutenção preventiva são discutidos neste
capítulo. Mais informações estão disponíveis no Centro de Suporte ao Cliente URIT.

A manutenção preventiva deve ser realizada diariamente, semanalmente e


mensalmente. A manutenção de rotina também está incluída neste capítulo de
acordo com o requisito atual.

ATENÇÃO
Considerando que a superfície de todos os componentes pode ser
potencialmente infecciosa, devem ser tomadas medidas de proteção de segurança
para evitar infecções, choques elétricos ou queimaduras. Use luvas quando algum
trabalho de limpeza ou manutenção. Limpe as mãos após o trabalho. Manutenção
de rotina

10.2 Manutenção de Rotina

10.2.1 Manutenção Diária

1. Auto Limpeza

O analisador foi projetado com o programa de limpeza automática. Execute a


limpeza automática depois de trabalhar continuamente em mais de 60 testes de
amostra. E o teste em branco é realizado automaticamente após a inicialização.
Observe a Figura 10-1.

117
Capítulo 10 - Manutenção

Figura 10-1 Configuração

2. Finalização

Para obter resultados corretos, é necessário limpar as câmaras de contagem e


enxaguar o sistema de fluxo para evitar erros de medição causados por resíduos. O
programa de desligamento deve ser executado quando o analisador testar mais de
500 amostras ou terminar um dia de trabalho. Se estiver utilizando continuamente o
analisador, o programa de desligamento deve ser executado uma vez, pelo menos, a
cada 24 horas. Consulte o capítulo 7.11 Operação diária para obter detalhes.

10.2.2 Manutenção Semanal

1. Manutenção de Superfície

Limpe a mancha na superfície, especialmente o sangue na agulha de aspiração,


o que evita a deposição de proteínas e outras sujidades. Limpe a área da agulha com
panos de limpeza umedecidos com detergente neutro.

CUIDADO

Nunca use ácidos corrosivos, alcalinos ou solventes orgânicos voláteis (como


acetona, éter e clorofórmios) para limpar a parte externa do analisador, use apenas
detergente neutro.

118
Capítulo 10 - Manutenção

2. Limpeza da Agulha de Aspiração

Figura 10-2 Limpeza da Agulha de Aspiração

Clique em "Maint" para entrar na tela de manutenção. Clique em "Limpar Agulha


de Aspiração" (Clean Probe Aspiration) para limpar a agulha. A limpeza regular
garante a exatidão e precisão do desempenho e evita a obstrução causada pelo
reagente e os resíduos de sangue. Se a agulha for obstruída, remova-a e limpe-a.
Consulte o Manual de manutenção para obter detalhes ou entre em contato com o
Centro de suporte ao cliente da URIT para obter ajuda.

10.2.3 Manutenção Mensal

1. Verificar e Limpar a Seringas dos Reagentes

As seringas de reagentes precisam ser limpas regularmente, o que evita a


deposição de reagentes, vazamento e operação imprópria. As seringas devem ser
limpas uma a uma e garantir a colocação na posição correta.

119
Capítulo 10 - Manutenção

Materiais necessários:
(1) Um reservatório grande preenchido com aproximadamente 500 ml de água
deionizada;
(2) Pano limpo e macio;
(3) Pequenos reservatórios são utilizados para preencher a seringas limpas;
(4) Acessórios de proteção pessoal.

Procedimentos de Limpeza

(1) Esvaziar o sistema de fluxo;


(2) Abrir a porta lateral esquerda para acessar a seringa;
(3) Puxe a seringa para fora do suporte conectável;
(4) Aspire água deionizada até completar a seringa. Puxe o pistão até ser
retirado da seringa;
(5) Enxágue o pistão da seringa e o tubo cuidadosamente com água
deionizada. Substitua o anel de vedação se apresentar desgaste;
(6) Cuidadosamente insira o pistão no tubo de seringa úmido;
(7) Quando a seringa for reinstalada, observe e execute diversas vezes a
contagem em branco. O pistão deve mover-se suavemente para cima e para
baixo e a seringa não deve escorrer.

CUIDADO

Não empurre ou puxe o pistão quando a seringa estiver seca, pode estar
danificada. Evite tocar o pistão porque o óleo dos dedos pode fazê-lo se mover
erraticamente.

2. Manutenção de Partes Mecânicas

Destina-se principalmente à manutenção do mecanismo, incluindo o eixo de


lubrificação da eletricidade, trilho X, Y de amostragem, etc.

10.3 Programas de Manutenção

Clique em “Maint” na tela principal, conforme a Figura 10-3.

120
Capítulo 10 - Manutenção

Figura 10-3 Tela de Manutenção

O analisador oferece os seguintes três tipos de operações de manutenção no


sistema de fluxo:

 Aspirar todos reagentes (Prime Fluidics) ou prime individual de cada


reagente (Prime Lyse, Prime Detergent, Prime Diluent e Prime Sheath).
Função utilizada para preencher a tubulação dos reagentes quando são
substituídos.

 Limpeza da câmara de contagem (Flush Aperture), da agulha de aspiração


(Clean Aspiration Probe), regulador de fluxo do Sheath (Soak Sheath
Flow Regulator), etc.

 Esvaziar câmara de contagem (Empty Transducer), câmara de resíduos


(Empty Wast Chamber), acumulador de vácuo (Empty Vacuum
Accumulator) ou toda a tubulação (Prepare Shipping).

10.3.1 Aspirar Fluídos (Prime Fluidics)

121
Capítulo 10 - Manutenção

Coloque todos os reagentes na tubulação para a limpeza. Realize a operação


nas seguintes condições:
 Em uso pela primeira vez.
 Substitua todos os reagentes.
 Falha do analisador.

Procedimentos de Operação
1. Clique em “Aspirar Fluídos” (Prime Fluidics) em "Maint";
2. Aspirar Lisante (Prime Lyse), Aspirar Detergente (Prime Detergent),
Aspirar Diluente (Prime Diluent) e Aspirar Sheath (Prime Sheath). A
barra de progresso está na parte inferior da tela. Observe a Figura 10-4.

Figura 10-4 Aspirar Fluídos

ATENÇÃO

Amostras, materiais de controle, calibradores e resíduos podem conter sangue


ou soro humano. Considerando a existência de serem potencialmente infecciosos,
utilize aventais de laboratório, luvas e óculos de segurança e siga os procedimentos
laboratoriais ou clínicos necessários ao manusear estes materiais.

NOTA

122
Capítulo 10 - Manutenção

 Mantenha o reagente imóvel durante certo tempo para garantir a sua


estabilidade.
 Depois de substituir o diluente, detergente ou sheath, execute a contagem
em branco para garantir que os valores em branco estejam no intervalo
aceitável.

10.3.2 Aspirar Lisante (Prime Lyse)

Operá-lo nas seguintes condições:


 Há bolhas na tubulação do lisante e aviso de que não há lisante.
 Lisante na tubulação está contaminado.
 Substituir o frasco de lisante.

Procedimentos de Operação
(1) Clique em “Aspira Lisante” (Prime Lyse) na tela "Maint".
(2) O analisador começa a executá-lo. A barra de progresso está na parte
inferior da tela.

10.3.3 Aspirar Diluente (Prime Diluent)

Operá-lo nas seguintes condições:


 Há bolhas na tubulação.
 Diluente na tubulação está contaminado.
 Substituir o diluente.

Procedimentos de Operação
(1) Clique em “Aspira Diluente” (Prime Diluent) na tela "Maint".
(2) O analisador começa a executá-lo. A barra de progresso está na parte
inferior da tela.

10.3.4 Aspirar Detergente (Prime Detergent)

Operá-lo nas seguintes condições:


 Há bolhas na tubulação.

123
Capítulo 10 - Manutenção

 Detergente na tubulação está contaminado.


 Substituir o detergente.

Procedimentos de Operação
(1) Clique em “Aspira Detergente” (Prime Detergent) na tela "Maint".
(2) O analisador começa a executá-lo. A barra de progresso está na parte
inferior da tela.

10.3.5 Aspirar Sheath (Prime Sheath)

Operá-lo nas seguintes condições:


 Há bolhas no regulador do fluxo do sheath.
 Sheath na tubulação está contaminado.
 Substituir o Sheath.

Procedimentos de Operação
(1) Clique em “Aspirar Sheath” (Prime Sheath) na tela "Maint".
(2) O analisador começa a executá-lo. A barra de progresso está na parte
inferior da tela.

10.3.6 Cauterizar Abertura

Cauteriza os dois lados da abertura com uma alta tensão para limpar as
proteínas, poeiras e outras impurezas, o que impede o bloqueio da abertura. Os
passos são os seguintes:

(1) Clique em "Cauterizar abertura” (Cauterize Aperture) na tela "Maint".

(2) O analisador começa a cauterizar a abertura. A barra de progresso está na


parte inferior da tela. Observe a Figura 10-5.

124
Capítulo 10 - Manutenção

Figura 10-5 Cauterizar Abertura

10.3.7 Limpeza da Abertura

Juntamente com “Cauterizar Abertura”, o botão “Limpar Abertura” (Flush


Aperture) previne e elimina a obstrução. Os procedimentos são os seguintes:

1. Selecione “Limpar Abertura” (Flush Aperture) na tela "Maint".


2. O analisador começa a executar a função e exibe a barra de processo na
parte inferior da tela.

10.3.8 Limpeza dos Transdutores

ATENÇÃO

Amostras, materiais de controle, calibradores e resíduos podem conter sangue

125
Capítulo 10 - Manutenção

ou soro humano. Considerando a existência de serem potencialmente infecciosos,


utilize aventais de laboratório, luvas e óculos de segurança e siga os procedimentos
laboratoriais ou clínicos necessários ao manusear estes materiais.

A função "Limpeza dos Transdutores” (Clean Transducers) é enxaguar o copo


de amostra com diluente e limpá-lo. Os procedimentos são os seguintes:

(1) Clique em "Limpeza dos Transdutores” (Clean Transducers) na tela


"Maint".

(2) O analisador começa a executar a função. A barra de progresso está na


parte inferior da tela.

Se a obstrução for severa, selecione "Imergir Transdutor WBC" (Soak WBC


Transducer) ou " Imergir Transdutor RBC" (Soak RBC Transducer), as etapas
estão abaixo:

(1) Prepare um tubo completo com detergente (4 ml);

(2) Coloque este tubo na posição de Emergência e empurre-o na posição de


amostragem.

(3) Clique em "Imergir Transdutor WBC" (Soak WBC Transducer) ou "Soak


RBC Transducer" (Soak RBC Transducer) na tela "Maint".

(4) O analisador começa a executar a função.

CUIDADO
Considere que o detergente é corrosivo, o operador deve usar aventais de
laboratório, luvas e seguir procedimentos laboratoriais ou clínicos necessários.

10.3.9 Preparar para Transporte

Execute esta função antes de enviar ou quando não utilizar o equipamento por
um longo período de tempo. Os procedimentos são os seguintes:
(1) Retire a tubulação de entrada do diluente e insira em água deionizada;

(2) Retire a tubulação de entrada do lisante e insira em água deionizada;

(3) Retire a tubulação de entrada de detergente insira em água deionizada;

126
Capítulo 10 - Manutenção

(4) Retire a tubulação de entrada do sheath e insira em água deionizada;

(5) Mantenha os reagentes remanescentes em seus recipientes e guarde-os de

acordo com as instruções. O operador deve estabelecer e confirmar as medidas

de armazenamento efetivas para evitar que o reagente seja deteriorado e

contaminado. O reagente deve estar longe de temperaturas extremas.

(6) Clique em "Preparar envio" (Prepare Shipping) na tela "Maint";

(7) O analisador começa a executar a função e exibe a barra de processo na

parte inferior da tela. Observe a Figura 10-6.

Figura 10-6 Preparar para Transporte

10.3.10 Outras Manutenções

Limpeza da Agulha de aspiração:

Limpe a parede interna da agulha de aspiração com diluente.

127
Capítulo 10 - Manutenção

Limpeza do canal Sheath:

Limpe o regulador de fluxo do Sheath;

Limpeza do Transdutor WBC:

Limpe o copo de amostra WBC no canal de impedância.

Limpeza do Transdutor RBC:

Limpe o copo de amostra RBC no canal de impedância.

Limpeza do Transdutor WOC:

Limpe o copo WOC no canal óptico.

Imergir o regulador de fluxo do Sheath:

Limpe a parede interna do mesmo.

Módulo de controle de pressão aberto:

Insira pressão positiva e negativa para a câmara de pressão positiva e a

câmara de pressão negativa, respectivamente.

Fechamento da Pressão do Modo Controle:

Pressão de liberação na câmara de pressão e câmara de pressão negativa.

Esvaziar Câmara de Descarte de Solução de Resíduos:

Descarregar os resíduos que armazenam temporariamente na câmara de

resíduos.

Esvaziar Reservatórios:

Descarregar o diluente que armazena temporariamente na câmara de resíduos.

128
Capítulo 10 - Manutenção

Esvaziar Transdutor WBC:

Esvaziar o diluente que permaneceu no copo WBC.

Esvaziar Transdutor WOC:

Esvaziar o sheath que permaneceu no copo WOC.

Esvaziar Transdutor RBC:

Esvaziar o diluente que permaneceu no copo RBC.

Esvaziar o Acumulador de vácuo:

Esvaziar a solução de resíduos temporariamente armazenada na câmara de

pressão negativa.

129
Capítulo 11 – Soluções de Problemas

Capítulo 11 – Soluções de Problemas

11.1 Visão Geral

Este capítulo fornece instruções para identificação e solução de problemas. Se o


mau funcionamento não for resolvido por esta orientação, ou se mais informações
detalhadas forem necessárias, entre em contato com o Centro de Suporte ao Cliente
da URIT.

NOTA
Este manual, fornece apenas orientações, pois há um alarme de mau
funcionamento.

ATENÇÃO

Considerando que o analisador que manipula os materiais que contêm sangue


ou soro humano como potencialmente infecciosos, siga o procedimento de
segurança biológica estabelecido ao manter ou solucionar o problema no analisador.

11.2 Guia

O guia de solução de problemas é utilizado para auxiliar o operador na


identificação e resolução de problemas do analisador. Também é fornecida
instrução para obter assistência técnica imediatamente do Centro de Apoio ao
Cliente da URIT. O primeiro passo no processo é compreender o funcionamento
normal do analisador e a manutenção preventiva. A boa experiência do analisador é
essencial para identificar e resolver problemas operacionais.
Siga estes três passos para solucionar os problemas:
(1) Confirmação do problema;
(2) Classificação do problema;
(3) Solução de problemas.

130
Capítulo 11 – Soluções de Problemas

Etapa 1 Confirmação do Problema

Confirme o que está errado e saiba o que deve ser em circunstâncias normais.
Apenas com a confirmação certa faz a solução de problemas.

Etapa 2 Classificação do Problema

Geralmente os problemas são divididos em três categorias:


(1) Falhas direcionadas ao Hardware;
(2) Falhas direcionadas ao Software;
(3) Falhas da análise da amostra.
Problemas de Hardware e software podem ser corrigidos somente pela equipe
técnica autorizada da URIT. O operador pode corrigir problemas relacionados a
medição de amostras com a assessoria fornecida pela URIT ou representante
autorizado.

Etapa 3 Solução do Problema

Os engenheiros tomam as medidas adequadas para lidar com o problema. Se


o operador pode lidar com ele sozinho ou com a assistência do engenheiro URIT,
isso aumenta a eficiência da solução de problemas.

11.3 Assistência Técnica

Entre em contato com o Centro de Atendimento ao Cliente da URIT para


assistência técnica. Antes disso, forneça as seguintes informações aos
Especialistas em atendimento ao cliente:

(1) O modelo do analisador;


(2) Número de série e número da versão;
(3) Descrição do problema, incluindo estado e operação;
(4) O número do lote dos reagentes (lisante, diluente, detergente etc.);
(5) Dados relacionados e relatório do problema.

Falhas e eliminações comuns são dadas neste Capítulo. O operador pode


identificar a causa de acordo com as informações de aviso e operar de acordo com

131
Capítulo 11 – Soluções de Problemas

a Guia de Solução de Problemas.

11.4 Solução de Problemas

Falhas comuns e ações corretivas estão listadas da seguinte forma. Se os


problemas não puderem ser tratados, e se for necessária assistência técnica, entre
em contato com o Centro de Suporte ao Cliente da URIT.

11.4.1 Falhas relacionadas aos Reagentes

Falha Causa do Problema Ação Corretiva


 Verifique se o lisante está esgotado.
Lisante está esgotado ou o  Execute "Maint" → “Aspirar Lisante” (Prime
Lisante vazio tubulação de entrada está Lyse).
obstruída.  Se a falha persistir, entre em contato com a
equipe URIT.

 Verifique se o diluente está esgotado.


Diluente está esgotado ou  Execute "Maint" → “Aspirar Diluente” (Prime
Diluente vazio o tubulação de entrada Diluent).
está obstruída.  Se a falha persistir, entre em contato com a
equipe URIT.

 Verifique se o detergente está esgotado.


Detergente está esgotado  Execute "Maint" → “Aspirar Detergente”
Detergente vazio ou o tubulação de entrada (Prime Detergent).
está obstruída.  Se a falha persistir, entre em contato com a
equipe URIT.

 Verifique se o lisante está esgotado.


Sheath está esgotado ou  Execute "Maint" → “Aspirar Sheath” (Prime
Sheath vazio o tubulação de entrada Sheath).
está obstruída.  Se a falha persistir, entre em contato com a
equipe URIT.

132
Capítulo 11 – Soluções de Problemas

 Verifique se o Descarte da Solução de


Resíduos está cheio.
Descarte de Solução de Resíduos Cheio
 Verifique se o sensor está molhado ou em
Solução de ou Sensor apresentando
curto.
Resíduos Cheio falha
 Se a falha persistir, entre em contato com a
equipe URIT.

11.4.2 Falhas Relacionadas ao Resultado do Teste


Falha Causa do Problema Ação Corretiva

 Verificar se os reagente estão


contaminados ou vencidos;
 Executar “Maint”→ “Aspirar Todos os
Fluídos” (Prime Fluidics) para lavar o
Reagentes estão sistema de fluxo;
Valor elevado Contaminados ou vencidos;  Se o problema persistir, execute
do Branco Tubulação do reagente está “Maint”→ “Limpeza dos Transdutores”
contaminada. (Clean Transducers). Após realize o
teste em branco para verificar se
problema resolvido.
 Se a falha persistir, entre em contato
com a equipe URIT.

 Pressione “Ctrl+F2” para acessar ao


Debug para checar resultados do item
Inexatidão da Voltagem do branco não HGB_AMP_SET
HGB conforme para HGB  Se o item HGB_AMP_SET estiver fora
do intervalo, contate a equipe URIT
para corrigir o valor.

133
Capítulo 11 – Soluções de Problemas

 Executar na tela “Maint” “Cauterizar


Abertura” (Cauterize Aperture) ou
“Limpeza da Abertura” (Flush
Aperture). Após realize o teste em
Obstrução branco para checar o tempo de
Abertura WBC/RBC
WBC (WBC contagem.
obstruída; tempo de
clog) ou  Se o problema persistir, insira
contagem incorreto; problema
Obstrução RBC detergente com utilizando uma
na válvula solenoide.
(RBC clog) seringa no copo WBC ou RBC e
mantenha imergido por alguns
minutos.
 Se a falha persistir, entre em contato
com a equipe URIT.

 Verifique se o diluente ou detergente


estão esgotados.
Bolhas WBC Diluente or detergente estão  Verifique a tubulação do reagente se
(WBC bubble) esgotados ou divergentes; há vazamento.
ou Bolhas RBC Tubulação do reagente solta  Execute em “Maint” “Aspirar Fluídos”
(RBC bubble) proporcionando vazamentos. (Prime Fluidics).
 Se a falha persistir, entre em contato
com a equipe URIT.

11.4.3 Falha Relacionada ao Hardware

Falha Causa do Problema Ação Corretiva

 O cabo de força não está  Verifique o cabo de alimentação;


bem conectado a tomada  Verifique se o fusível está queimado;
Não responde
de energia.  Se a falha persistir, entre em contato
quando inicializa
 O fusível pode estar com a equipe URIT.
queimado.

134
Capítulo 11 – Soluções de Problemas

 Cabo de conexão do
motor solto;
 Falha no Opto-isolador;
Anormalidade no Desligue o equipamento, e conte a
 Problema no
motor/mecânico equipe URIT.
motor/mecânico
 Falha na transmissão do
circuito motor/mecânico.
 Verifique o cabo de alimentação da
impressora. Se o problema persistir,
plugue novamente os cabos da
 Cabo de alimentação da
impressora, ligue-a novamente e
impressora com
reinicie o computador.
Impressora não problema;
 Se a falha persistir, conecte a
responde
impressora em outro computador
 Impressora com
separadamente, instale o drive para
problema.
testar seu desempenho.
 Se a falha persistir, entre em contato
com a equipe URIT.

135
Apêndice A- Especificações

Apêndice A- Especificações

A.1 Especificações Técnicas


A.1.1 Parâmetros
Abreviação Descrição Unid.
WBC Contagem de Células Brancas 10^9/L
LYM% Porcentagem de Linfócitos %
MON% Porcentagem de Monócitos %
NEU% Porcentagem de Neutrófilos %
EOS% Porcentagem de Eosinófilos %
BASO% Porcentagem de Basófilos %
LYM# Contagem de Linfócitos 10^9/L
MON# Contagem de Monócitos 10^9/L
NEU# Contagem de Neutrófilos (granulócitos) 10^9/L
EOS# Contagem de Eosinófilos (granulócitos) 10^9/L
BASO# Contagem de Basófilos (granulócitos) 10^9/L
RBC Contagem de Células Vermelhas 10^12/L
HGB Hemoglobina g/L
HCT Hematócrito (volume relativo de eritrócitos) %
MCV Volume médio Corpuscular fL
MCH Hemoglobina Corpuscular Média pg
Concentração de Hemoglobina Corpuscular
MCHC g/L
Média
Precisão de repetição do tamanho de
RDW_CV %
distribuição das células vermelhas
Desvio padrão do tamanho de distribuição
RDW_SD fL
das células vermelhas
PLT Contagem de Plaquetas 10^9/L
MPV Volume Médio de Plaquetas fL
PDW Distribuição do tamanho das plaquetas fL
PCT Plaquetócrito %
P_LCC Contagem da macroplaqueta 10^9/L
P_LCR Porcentagem da macroplaqueta %

136
Apêndice A- Especificações

RETIC_ABS Número Absoluto de Reticulócitos 10^9/L


RETIC Reticulócitos %
IRF Fração de Reticulócitos Imatura %

A.1.2 Velocidade do Teste

Amostragem de sangue total (emergência) ≥60 / h;


Amostragem automática de sangue total (bateria) ≥60 / h.

A.1.3 Modos de CQ
L-J QC, X-B QC, X-R QC e X QC.

A.1.4 Reagentes
Diluente, lisante, detergente and sheath. Favor consultar A.4 Especificação dos
Reagentes para maiores detalhes.

A.1.5 Modos de Calibração


Cal Padrão (Standard Cal)
Cal Sangue (Blood Cal)
Cal Manual (Manual Cal)

A.1.6 Medição de Parâmetros e Cálculos

(1) Classificação WBC utilizando citometria de fluxo de dispersão a laser de quatro


ângulos.
(2) Método colorimétrico para determinação de HGB sem cianeto.
(3) Método de impedância elétrica para determinar a quantidade de WBC, RBC e
PLT.
(4) MCV, HCT, RDW, MPV, PDW, MCH, MCHC e PCT são obtidos diretamente pelo
cálculo dos dados armazenados.

137
Apêndice A- Especificações

A.1.7 Dispositivos de Entrada e Saída

(1) Computador externo


(2) Impressora externa (opcional)
(3) Scanner de código de barras portátil (opcional)
(4) Dispositivo de leitura automática de código de barras de amostra (opcional)

CUIDADO

Computador, impressora e outros dispositivos externos devem ser aprovados


pela Certificação obrigatória CCC (C & E). Isso pode fazer com que o sistema
funcione incorretamente e danos pessoais usando dispositivos externos de
qualidade inferior.

A.2 Especificações Físicas

A.2.1 Requisitos de Energia


Voltagem ideal Intervalo Ideal de Voltagem Frequência
AC 220V AC 100V~240V 50/60 Hz

A.2.2 Requisitos do Ambiente


(1) Temperatura 15°C~35°C
(2) Umidade Relativa ≤85%
(3) Pressão Barométrica 60kPa~106kPa

A.2.3 Armazenamento e Transporte


(1) Temperatura -20°C~55°C
(2) Umidade Relativa ≤95%
(3) Pressão Barométrica 50kPa~106kPa

138
Apêndice A- Especificações

A.2.4 Tamanho e Peso


(1) Comprimento aproximadamente 580mm
(2) Altura aproximadamente 550mm
(3) Largura aproximadamente 705mm
(4) Peso aproximadamente 73kg

A.2.5 Descarte de Solução de Resíduos


Descarte os resíduos de acordo com os regulamentos nacionais ou locais.

A.2.6 Volume Mínimo de Amostra


Modo Sangue Total 20µL
Modo Pré-Diluído 20µL

A.2.7 Fator de Diluição


(1) WBC aproximadamente 1:250
(2) RBC/PLT aproximadamente 1:25000

A.2.8 Diâmetro
(1) WBC 100μm
(2) RBC/PLT 68μm

A.2.9 Medição HGB


(1) Medição da HGB através do copo WBC/HGB.
(3) Leitura realizada por luz led no comprimento de onda 540 nm.

139
Apêndice A- Especificações

A.3 Performance

A.3.1 Precisão
Parâmetros Intervalo da Precisão Limites Aceitáveis(CV)
WBC 4.0 x10^9 /L ~15.0x10^9 /L ≤2.0%
RBC 3.00 x10^12 /L ~6.00x10^12 /L ≤1.5%
HGB 100 g/L ~180 g/L ≤1.5%
100 x10^9 /L ~149x10^9 /L ≤5.0%
PLT
150x10^9 /L ~500x10^9 /L ≤4.0%
HCT / 35%~50% ≤2.0%
MCV 70 fL ~120 fL ≤1.0%

A.3.2 Linearidade
Parâmetros Intervalo de Linearidade Limites Aceitáveis
0 x10^9 /L ~10.0x10^9/L ≤±0.3 x10^9 /L
WBC
10.1 x10^9 /L ~99.9x10^9 /L ≤±5%
0.10 x 10^12/L ~1.00x10^12 /L ≤±0.05 x10^12 /L
RBC
1.01 x10^12/L ~7.00x10^12 /L ≤±5%
0 g/L ~70 g/L ≤±2 g/L
HGB
71 g/L ~300 g/L ≤±2%
0x10^9 /L ~100x10^9 /L ≤±10 x10^9/L
PLT
101 x10^9 /L ~999x10^9/L ≤±10%

A.3.3 Exatidão da Classificação WBC


A precisão da classificação WBC deve atender aos requisitos da
Seção 5.5.2 do YY / T 0653-2008.

A.3.4 Carryover
Parâmetros Resultados
WBC ≤0.5%
RBC ≤0.5%
HGB ≤0.5%
PLT ≤1.0%

140
Apêndice A- Especificações

A.3.5 Contagem do Branco


Parâmetros Intervalor do Valor Medido
WBC ≤0.20x10^9 /L
RBC ≤0.02x10^12 /L
HGB ≤1g /L
PLT ≤10.0x10^9 /L

A.3.6 Comparabilidade
Parâmetros Limite Aceitável (%)
WBC ≤±5.0%
RBC ≤±2.0%
HGB ≤±2.0%
HCT /MCV ≤±3.0%
PLT ≤±7.0%

A.3.7 Intervalo de Exibição dos Principais Parâmetros


Parâmetros Intervalo
WBC 0~200.0 x 10^9/L
RBC 0~18.00 x 10^12/L
HGB 0~300g/L
HCT 0%~80%
PLT 0~2000 x 10^9/L

A.4 Especificação dos Reagentes

Nome Especificação
Diluente 20L
Detergente 20L
Sheath 10L/20L
Lisante 500mL/1L

CUIDADO

Não despeje o reagente restante no novo reagente, podendo levar à


contaminação cruzada dos reagentes.

141
Apêndice A- Especificações

A.5 Consumo Reagente


Operação Diluente Detergente Sheath Lisante
Inicialização
162mL 65mL 29mL 11.5mL
(Startup)
Teste 32mL 27mL 10mL 0.5mL
Limpeza
162mL 65mL 27mL 11.5mL
(Prime)
Finalização
52mL 19mL 25mL 0mL
(Shutdown)

A.6 Informação do Alarme

Alarme Interpretação Medidas

WBC? Indica um
Se o NRBC e (ou) RRBC forem exibidos
resultados duvidosos
junto com o WBC, retorne novamente a
de WBC
amostra no modo CBC + 5DIff + RRBC
1.WBC está acima do para remover substâncias interferentes
intervalor linear; causadas pelo RBC. Se a marca ainda
WBC? estiver lá, verifique se há NRBC nos
2. Há diferença clínica
esfregaços corados, isso pode afetar a
entre o valor WIC e
contagem de WIC. Verifique o valor LYM
WOC. Além disso, o
e verifique o valor WBC através do
algoritmo não pode
método de conversão de acordo com
determinar o valor
Alerta seus procedimentos laboratoriais.
exato do WBC.
WBC
Verifique se há NRBC nos esfregaços
NRBC. Glóbulos
corados e opera de acordo com seus
vermelhos nucleados
procedimentos laboratoriais. Se o NRBC
As seguintes existir, por favor, quantifique de acordo
condições podem com seus procedimentos laboratoriais.
causar alarme NRBC. Não há necessidade de corrigir a
NRBC
Contagem de WIC> contagem de WBC. Se o WBC?
contagem de WOC, Aparece junto com o NRBC, retorne
não há NRBC ou não. novamente a amostra no modo CBC +
5DIff + RRBC para remoção de
substâncias interferentes causadas pelo
RBC.

142
Apêndice A- Especificações

Retome a amostra no modo CBC + 5DIff


+ RRBC para remoção de substâncias
RRBC: glóbulos interferentes causadas pelo RBC. (O
vermelhos refratários. modo CBC + 5DIff + RRBC reduz os
As seguintes números de marcas geradas, mas a
condições podem marca de fita falsa positiva será
causar alarme RRBC: significativamente aumentada.) Por
RRBC Contagem WOC > favor, opere de acordo com a
Contagem WIC, há caixa/mensagem de descrição do WBC.
RRBC ou não. Se o WBC? aparece, verifique os
esfregaços corados para garantir a
causa de interferência. Verifique o valor
do WBC através do método de
conversão de acordo com seus
procedimentos de laboratório.
DFLT: categorias
leucocitárias anormais
(NLMEB: N = NEU, L =
LYM, M = MON, E =
EOS, B = BASO)
As seguintes
condições podem
causar alarme DFLT:
Não há detecção baixa
usada para distinguir
entre as duas áreas Verifique os esfregaços corados e teste
das populações os valores da classificação do subgrupo
celulares. através da caixa/mensagem de
DFLT
2. O número de descrição.
(NLMEB) células em um
subgrupo específico é
anormalmente baixo.
Como o aumento e
diminuição do CMB,
aumento e diminuição
dos neutrófilos,
aumento e diminuição
dos linfócitos, aumento
e diminuição dos
eosinófilos, aumento e
diminuição dos
basófilos.

143
Apêndice A- Especificações

As seguintes
condições podem
causar o alarme RBC:
Bolha, divergências na
conexão, dicas de Verifique os esfregaços corados, se
tempo de teste, existe um valor RBC anormal ou uma
Anisocitose, eritrócitos morfologia PLT. Por favor, opere de
Alerta RBC de células pequenas, acordo com seus procedimentos
eritrócitos de células laboratoriais.
grandes, aumento de
RBC e baixa
coloração.

As seguintes
condições podem Por favor, opere de acordo com seus
causar o alarme PLT. procedimentos laboratoriais. Verifique
Alerta PLT PLT aumenta e os esfregaços corados, se há morfologia
diminui. PLT anormal ou agregação das
plaquetas e verifique a contagem PLT.

144
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

Apêndice B – Protocolo de Comunicação Externa


A. Protocolo de Comunicação

As informações são transferidas pelos seguintes métodos:


<SB>information<EB><CR>
<SB> is Start Block Character needs 1byte corresponds to ASCII <VT>
hexadecimal 0x0B
<EB> is End Block Character needs 1byte corresponds to ASCII <FS>
Hexadecimal 0x1C
<CR> is Carriage Return needs 1byte corresponds to ASCII <CR>
hexadecimal 0x0D

A informação é o dado que queremos transferir. Consulte os detalhes abaixo:

B. Gramática de Informação
1. Delimiter
| --- Fields Delimiter
^ --- Component Delimiter
& ---Subcomponent Delimiter
~ ---Repeat Delimiter
\ --- Escape Character

2. Tipo de Dados
CX extended composite id which check digit
CE code element
CM composite
CQ composite quantity with units
DR date time range
DT data
DLN driver’s license number
EI entity identifier
HD hierarchic designator
FN family name
FT formatter text
IS coded value for user-defined tables
ID coded values for HL7 tables
JCC job code
NM numeric
PT processing type
PL person location

145
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

ST string
SI sequence ID
TS time stamp
TQ timing quantity
TX text data
XAD extended address
XCN extended composite ID number and name
XON extended composite name and ID number for organizations
XPN extended person name
XTN extended telecommunications number
VID version identifier

3. Significado dos Campos


3.1. Há um cabeçalho de mensagem no início de cada mensagem. É o
campo MSH.
O significado do campo MSH é exibido abaixo:
Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Field mark ST 1 Separator
2 Encoding chars ST 4 Separator listing
3 Sending Application EI 180 Sending end
applications
4 Sending Facility EI 180 Sending end facility
5 Receiving Application EI 180 Receiving end
applications
6 Receiving Facility EI 180 Receiving end facility
7 Date Time Message TS 26 Current message
event, system time
8 Security ST 40 Security
9 Message Type CM 7 Message Type
10 Message Control ID ST 20 Message control ID is
used to distinguish
different messages.
See the table below.
11 Processing ID PT 3 Dispose of ID P
Product
12 Version ID VID 60 HL7 version is 2.3.1
13 Application IS 1 Set null
Acknowledgment
Type
14 Retain
15 Retain

146
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

16 Retain
17 Retain
18 Encoder ST Encoding is UNICODE

MSH-10 Description
0001 Analyzer transmits results automatically.
1001 LIS responses, analyzer transmits results automatically.
Example:
MSH|^~\&|URIT|UT-5380|LIS|PC|20100930100436||ORU^R01|0001|P|2.3.1|1|||||U
NICODE

3.2. PID--- Definição do campo de dados dos pacientes


Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Set ID PID SI 4 Identify
different
fields, fill with
1 generally.
2 Patient ID EI 20 Patient ID.,
hospital No.,
set null
3 Patient Identifier List CX 20 Indicate batch
number when
QC
4 Alternate Patient ID CX 20 Bed No.
5 Patient Name XPN 48 Name
6 Mother’s Maiden Name XPN 48 Mother’s
Maiden
Name, set null
7 Date/Time of Birth TS 26 Birthday;
Indicate
validity when
QC
8 Sex IS 1 Male or
female
9 Patient Alias XPN 48 Retain patient
alias
10 Race CE 80 Retain race
11 Patient Address XAD 106 Retain patient
address
12 County Code IS 4 Retain county
code

147
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

13 Phone Number XTN 40 Retain phone


No.
13 Phone Number Bus XTN 40 Retain office
phone No.
14 Primary Language CE 60 Retain mother
tongue
15 Marital Status CE 80 Retain Marital
Status
16 Religion CE 80 Retain religion
… The rest part is not
needed to be filled.
Example. PID|1|1010051|A1123145|15|Mary||19811011|M

3.3. PV1--- Definição de campo de registro visitante do paciente


Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Set ID PV1 SI 4 Identify different fields,
fill with 1 generally.
2 Patient Class IS 1 Patient category
3 Assigned Patient PL 80 Be used to indicate
Location patient department
Example. PV1|1Clinic| Surgery |

3.4. OBR--- Definição de conselho do médico


Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Set ID OBR SI 4 Identify different
fields, fill with 1
generally.
2 Placer Order Number EI 22 Serial number
3 Assigned Patient EI 22 Sample number
Location
4 Universal Service ID CE 200 Universal service ID
5 Priority ID 2 Priority set null
6 Requested Date Time TS 26 Application time
7 Observation Date Time TS 26 Inspection starting
time, set null
8 Observation Date Time TS 26 Inspection end time
end
9 Collection Volume CQ 20 Specimen collection
capacity, set null

148
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

10 Collector Identifier XCN 60 Sender name


11 SPE Action Code ID 1 Sample handling
code, set null
12 Danger Code CE 60 Danger code alarm
13 Relevant Clinical Info ST 200 "Diagnosis" ^
"Remark", each
length should not
be more than 100
bytes
14 SPE Received Date TS 26 Sample receiving
Time time
15 SPE Source CM 300 Sample
classification,
blood, urine etc.
16 Ordering Provider XCN 120 Inspector name
17 Order Callback Phone XTN 40 Callback phone, set
Number null
18 Placer Field1 ST 60 Sender field 1,
Inspection
department
19 Placer Field2 ST 60 Set null
20 Filler Field1 ST 60 Operator field 1, set
null
… The rest part is not Set null
needed to be filled.
28 Result Copies to XCN 60 Verifier
Example:
OBR|1|1010051|000001|URIT^UT-5380||20101010093000||20101010093500||send
er||| diagnosis^remark||BLD|Inspector||||||||||||verifier|

3.5. OBX
Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Set ID OBX SI 4 Identify different
fields, fill with 1
generally.
2 Value Type ID 3 NM means figure
type, ST means
value type
3 Observation Identifier CE 590 Observe identifier
name
4 Observation Sub ID ST 20 Observe sub-id

149
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

project name
5 Observation value ST 65535 Check result
6 Units CE 90 Unit
7 References Range ST 90 Reference range is
from small to big,
QC means
reference value and
deviation.
8 Abnormal Flags ID 5 H,L and N indicate
high, low and
normal value
respectively.
9 Probability ID 5 Probability, set null
10 Nature of Abnormal ID 2 C indicates WBC
Test and RBC clog, B
indicates bubble,
when normal, set
null
11 Observe Status ID 1 Observe results,
take F for final
result.
12 Date Last Observe TS 26 The time for
observing normal
value, set null
13 User Defined Access ST 20 Original results
Checks
Example. OBX|1|NM|WBC||8.21|10^9/L|4.00-10.00|L|||F||

3.6. MSA
Nº. Campo Tipo de Dado Comprimento Explicação
1 Acknowledgment ID 2 Confirmation
Code code. AA is for
receiving, AE
for error and
AR for
refusing.
2 Message Control ID ST 20

3 Text Message ST 80 Message


4 Expected Sequence NM 15
Number
5 Delayed ID 1

150
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

Acknowledgment
Type
6 Error Condition CE 100 Error
condition

MMSA-6 é usado para indicar diferentes erros, veja a tabela abaixo.


MSA-1 MSA-6 MSA-3 False Description
AA 0 Message accepted Receive successfully
AE 101 Segment sequence error The fields order in message
is not correct, or the
necessary fields are lost.
102 Required field missing Necessary fields of a
paragraph are lost.
103 Data type error Data type of fields is false.
For example, digital is
changed into character.
104 Key not found Key identifier is not found
105 Resend Resend data

AR 201 Unsupported message Unsupported message type


type
202 Unsupported event code Unsupported event code
203 Unsupported processing Unsupported processing ID
id
204 Unsupported version id Unsupported version ID
205 Unknown key identifier Unknown key identifier,For
example, transmit an
inexistent patient information.
206 Duplicate key identifier Duplicate key identifier
207 Application record locked Affairs in application storage
level can't be carried out. For
example, database is locked
208 Application internal error Other errors in unknown
application.
209 Application unready Application is not ready

3.7. ERR
Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Error Code and CM 80 Code and position
Location error

151
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

ERR-1
Assembly Assembly 2 Assembly 3 Explanation
1
001 Record already Test tube No. The test tube record has already
exist existed.
002 Lis Recieved Test tube No. Lis receiving error, resending
Faild data is required.
003 Read REQ error Test tube No. Fail to read request form.
004 Read BarCode Test tube rack Analyzer fails to read test tube
Errer No. number.
3.8. QRD
Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Query Date/Time TS 26 Query time
2 Query Format Code ID 1 D (display format)
3 Query Priority ID 1 I(Immediate)
4 Query ID ST 10 Distinguish different
queries ,accumulate
with query times.
The initial value is
1.
5 Deferred Response ID 1 Set null
Type
6 Deferred Response TS 26 Set null
Date/Time
7 Quantity Limited CQ 10 RD(Records)
Request
8 Who Subject Filter XCN 60 Take as a test tube
code \ sample
number.
9 What Subject Filter CE 60 OTH
10 What Department Data CE 60 Set null
Code
11 What Data Code Value CM 20 Set null
Qual.
12 Query Results Level ID 1

3.9. QRF
Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Where Subject Filter ST 20 Take UT-5380
2 When Data Start TS 26 Application

152
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

Date/Time time
3 When Data End TS 26 Deadline
Date/Time
4 What User Qualifier ST 60 Set null
5 Other QRY Subject ST 60 Set null
Filter
6 Which Date/Time ID 12 RCT(Specime
Qualifier n receipt
date/time,
receipt of
specimen in
filling ancillary
(Lab))
7 Which Date/Time ID 12 ANY(Any
Status Qualifier status)
8 Date/Time Selection ID 12 ALL(All
Qualifier values within
the range)
9 When Quantity/Timing TQ 60 Set null
Qualifier

3.10. QSP
Nº. Campo Tipo de Comprimento Explicação
Dado
1 Set ID - DSP 4 SI
2 Display Level SI 4
3 Data Line TX 300 Content
queried
4 Logical Break Point ST 4
5 Result ID TX 20

Use QSP-1 para distinguir diferentes informações consultadas nos campos QSP.
Set ID – DSP Message
1 Test Tube Number
2 Serial Number
3 Name
4 Sex
5 Birthday
6 Blood Type
7 Group

153
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

8 Patient Number
9 Bed Number
10 Patient Type
11 Department
12 Sender
13 Inspector
14 Verifier
15 BLDV is for venous blood, BLDC is for peripheral blood.
16 Clinical diagnosis
17 Remark
18 Sampling time, sending time
19 inspection time

Exemplo:
DSP|1||Mary||<CR>

4. Processo de Comunicação
4.1. O analisador transmite os resultados do teste para o servidor Lis.

URIT-5380 Lis
ORU^R0 server
1

<SB>
MSH
PID
PV1
OBR
OBX
OBX
……
<EB><CR>

Os campos OBX podem ser repetidos. Os resultados do teste transmitido incluem


informações do paciente, 24 parâmetros, 2 histogramas e 2 parcelas de dispersão.
Os 2 histogramas e 2 gráficos de dispersão são formato de BMP e transmitidos com
código base64.

154
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

Exemplo:
O analisador transmite os resultados do teste para o servidor lis:
<SB>
MSH|^~\&|URIT|UT-5380|LIS|PC|20110627144458||ORU^R01|0001|P|2.3.1||||||UNI
CODE<CR>
PID|1||||||||<CR>
PV1|1|||<CR>
OBR|1||BAR101010101|URIT^UT-5380||||01110621143134|||||^||||||||||||||||<CR>
OBX|1|NM|WBC||110.0|10^9/L|40.0-100.0|H|||F|||||||<CR>
OBX|2|NM|LYM||35.57|%|20.00-40.00||||F|||||||<CR>
OBX|3|NM|MON||5.84|%|3.00-8.00||||F|||||||<CR>
OBX|4|NM|NEU||57.37|%|50.00-70.00||||F|||||||<CR>
OBX|5|NM|EOS||1.14|%|0.50-5.00||||F|||||||<CR>
OBX|6|NM|BASO||0.08|%|0.00-1.00||||F|||||||<CR>
OBX|7|NM|LYM#||284.5|10^9/L|80.0-400.0||||F|||||||<CR>
OBX|8|NM|MON#||46.7|10^9/L|10.0-80.0||||F|||||||<CR>
OBX|9|NM|NEU#||458.9|10^9/L|200.0-700.0||||F|||||||<CR>
OBX|10|NM|EOS#||9.1|10^9/L|0.0-50.0||||F|||||||<CR>
OBX|11|NM|BASO#||0.6|10^9/L|0.0-10.0||||F|||||||<CR>
OBX|12|NM|RBC||4.49|10^12/L|3.50-5.50||||F|||||||<CR>
OBX|13|NM|HGB||0|g/L|0-1079738368|L|||F|||||||<CR>
OBX|14|NM|HCT||26.4|%|37.0-50.0|L|||F|||||||<CR>
OBX|15|NM|MCV||59.0|fL|80.0-100.0|L|||F|||||||<CR>
OBX|16|NM|MCH||24.0|pg|27.0-31.0|L|||F|||||||<CR>
OBX|17|NM|MCHC||0|g/L|0-1081344000|H|||F|||||||<CR>
OBX|18|NM|RDW_CV||16.1|%|11.5-14.5|H|||F||||||<CR>
OBX|19|NM|RDW_SD||45.0|fL|35.0-56.0||||F||||||<CR>
OBX|20|NM|PLT||0|10^9/L|0-1079574528|H|||F|||||||<CR>
OBX|21|NM|MPV||12.3|fL|7.0-11.0|H|||F|||||||<CR>
OBX|22|NM|PDW||14.7|fL|15.0-17.0|L|||F|||||||<CR>
OBX|23|NM|PCT||0.41|%|0.10-0.28|H|||F|||||||<CR>
OBX|24|NM|P_LCR||1.37|%|0.50-1.80||||F|||||||<CR>
OBX|25NM|RBCHistogram^LeftLine||1||||||F||||||<CR>
OBX|26|NM|RBCHistogram^RightLine||118||||||F||||||<CR>
OBX|27|ED|RBCHistogram||UT5380^Histogram^512Byte^HEX^000000000000000
00000000000000000000000000102030406080a0d0101010202030404050607080
90a0b0c0c0d0d0c0c0c0b0a0a090808070706060605050504040404030303030202
02020101010101010f0d0c0a0908070706050505040404030303020202020101010
101000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000

155
Apêndice B – Protocolo de comunicação Externa

000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000
000000000000000000000000000000000||||||F||||||<CR>
OBX|28|NM|PLTHistogram^LeftLine||8||||||F||||||<CR>
OBX|29|NM|PLTHistogram^RightLine||127||||||F||||||<CR>
OBX|30|ED|PLTHistogram||UT5380^Histogram^256Byte^HEX^0000000005050601
010203040505060708090a0b0b0b0b0b0b0a0a0a0b0b0b0b0c0c0b0b0a0a090807
060605050505060606060605050504040303030302020202020202020202020202
020202020202020101010101010102020202020303030302020202010101010101
020202020202020202020202020203030303030303||||||F||||||<CR>
OBX|31|ED|S0_S10DIFFScattergram||UT5380^Image^BMP^Base64^Qk32lgMAAA
……<CR>
OBX|32|ED|S90_S90DDIFFScattergram||UT5380^Image^BMP^Base64^Qk32lgMA
AA……<CR>
<EB><CR>

156
Apêndice C - Licença para Fabricação de

Analisadores de Medição

157
Apêndice D Substâncias Tóxicas e Perigosas

Substância Perigosas ou Elementos


Substâncias Tóxicas e Perigosas ou Elementos
Ésters
Bifeníl
Partes Mercúrio Cádmio Cromo VI Difenílicos
Chumbo(Pb) Polibromad
(Hg) (Cd) (Cr(VI)) Polibromados
os (PBB)
(PBDE)
Shell ○ ○ ○ ○ ○ ○
Montagem
da placa
× ○ ○ ○ ○ ○
circuito
impresso
Partes
○ ○ ○ × ○ ○
metálicas
Host Partes
○ ○ ○ ○ ○ ○
Plásticas
Peças ○ ○ ○ ○ ○ ○
Hardware ○ ○ ○ ○ ○ ○
Partes do
Sistema ○ ○ ○ ○ ○ ○
de Fluxo
Cabo ○ ○ ○ ○ ○ ○
Acessórios ○ ○ ○ ○ ○ ○
Embalagem dos
○ ○ ○ ○ ○ ○
materiais
○:O conteúdo de substâncias tóxicas ou perigosas dos materiais homogêneos das partes acima está no
intervalo aceitável de SJ / T11363-2006.
×:O conteúdo de substância tóxica ou perigosa excede o intervalo aceitável de SJ / T11363-2006 em pelo
menos um tipo de material homogêneo das partes acima.
(A placa de circuito usou solda de chumbo no processo de usinagem e as partes da placa contém chumbo; e
algumas peças de chapa usam o cromo VI para a superfície)
Memo: O conjunto placa de circuito impresso é composto de placa de circuito impresso, capacitância, conector
e outras peças. A célula de lítio é parte removível e reciclável.

158
Apêndice E – Procedimentos de Operação
Diária

1. Inicialização e Rotina

(1) Certifique-se de que o cabo de alimentação está conectado corretamente.


Nenhum tubo de reagente está dobrado ou desmontado. Verifique se o descarte
de solução de resíduos está cheio;

(2) Ligue o computador e analisador;

(3) O analisador começa a executar o programa de auto verificação inicializado


automaticamente e enxágua o sistema de fluxo. Após passa para a tela principal.
Demora cerca de 8 minutos.

(4) Execute uma contagem de fundo (branco) e realize o controle de qualidade para
garantir que o analisador funcione normalmente.

(5) Utilize modo de amostragem automática de sangue total para analisar um grupo
de amostras e o modo amostragem única de sangue total para uma amostra de
emergência.

(6) Consulte e imprima os resultados.

(7) A manutenção necessária deve ser operada de acordo com a situação.

2. Procedimentos de Finalização
(1) Clique em “Sair” (Êxito) na tela principal para desligar;

(2) O analisador enxaguará automaticamente o sistema de fluxo,

(3) Desligue os interruptores de energia do analisador e do computador quando o


visor exibir a mensagem "Obrigado por usar, desligue a tela de energia" (Tanque
ou for usina, pelas turno off lhe Power).

159
3. Manutenção Diária (executar antes da finalização
“shutoff”)
(1) O analisador executa automaticamente a manutenção diária com o tempo
definido de acordo com a quantidade das amostras de teste.

(2) Se a abertura do rubi estiver entupida, execute os procedimentos “Cauterizar”


Abertura” (Cauterize Aperture), “Limpeza da Abertura” (Flush Aperture), “Imergir
WBC” (Soak WBC) e “Imergir WBC” (Soak RBC) na tela “ Maint”.

(3) Quando usar continuamente o analisador, o procedimento de finalização deve


ser realizado pelo menos uma vez a cada 24 horas.

4. Manutenção Semanal
(1) A superfície do analisador.
(2) Limpe a agulha de aspiração.
(3) Limpe todo o compartimento da amostragem automática/individual.

5. Manutenção Mensal
(1) Verifique e limpe a seringa dos reagentes.
(2) Manutenção das partes mecânicas.

6. Outra Manutenções
Se a abertura do rubi estiver obstruída severamente, coloque um tubo cheio com
detergente na posição de emergência e selecione “Imergir WBC” (Soak WBC) ou
“Imergir RBC” (Soak RBC). Selecione “Esvaziar o copo WBC/ RBC” (Empty
WBC/RBC Transducer), o analisador irá automaticamente esvaziar o líquido em
ambas aberturas. Após remova a abertura do rubi, escove-a com detergente, e em
seguida, lave-a com água deionizada. O detergente é injetado automaticamente no
orifício de contagem através da imersão do copo. Faça a contagem em branco após
manutenção para verificar se ainda ocorre a obstrução.

160
Apêndice F - Componentes Chaves
SN Componentes Chaves Especificações
ENTRADA:AC 100V-240V
1 Fonte de Alimentação
SAÍDA:DC +5V/+12V/+24V
2 Cabo/Fio 10A 250V
3 Filtro de Saída 120/250VAC 3A 50/60Hz
4 Fusível T3.15AL 250V

161

Você também pode gostar