Você está na página 1de 16

ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

Perícias & Avaliações

Tribunal Regional do Trabalho - 1ª Região - Rio de Janeiro


3ª Vara do Trabalho de Nova Iguaçu
Processo nº: 0100050-60.2021.5.01.0223
RECLAMANTE: WILIAN SILVERIO LOPES GOMES
RECLAMADO: M.O.A. CARVALHARES TESTES E ANALISES TECNICAS EIRELI

Fábio Volotão Peixoto, Engenheiro de Segurança do


Trabalho, honrosamente nomeado perito por este juízo, nos autos da
reclamação trabalhista supramencionado vem, respeitosamente perante
Vossa Excelência, apresentar o laudo pericial e requerer que seja juntado aos
autos para que surta os devidos efeitos legais. Desta feita, coloca-se à
disposição desse nobre Juízo para prestar esclarecimentos adicionais que,
porventura, se façam necessários.

Nestes termos, pede deferimento.

Nova Iguaçu, 21 de dezembro de 2021.

Fábio Volotão Peixoto


Engenheiro de Segurança do Trabalho
CAU-RJ A45801-5

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
LAUDO PERICIAL

DO OBJETO

O presente laudo tem como objetivo a produção de prova


técnica pericial, deferida por este respeitável juízo, para fins de avaliação do
ambiente laboral do Reclamante, no intuito de apurar a existência ou não de
atividades, operações ou locais perigosos que impliquem risco acentuado,
assim como, ao final, responder os quesitos formulados pelas partes.

Convém esclarecer que os dados levantados e as análises


efetuadas para a realização deste laudo referem-se às atividades e situações
dos locais de trabalho onde atuou o reclamante, igualmente, às entrevistas
colhidas na diligência e aos documentos pertinentes que ficaram à disposição
deste expert para serem apreciados.

DAS INFORMAÇÕES PROCESSUAIS (breve relato)

Razões do Reclamante (Petição Inicial)

"O Reclamante durante todo o período laboral, não


recebeu o adicional de periculosidade em face da função exercida, conforme
preceitua o artigo 193, inciso II, da CLT em consonância com o artigo 7º,
inciso XXIII da CRFB/88, tendo em vista que trabalhou para a Reclamada
como auxiliar de manutenção, cuja atividade consistia na manutenção,
pintura, esvaziar e encher cilindros de Gás natural veicular – GNV de forma
permanente.

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
Nesse contexto, não resta dúvidas, que o reclamante faz
jus ao adicional de periculosidade de 30% (trinta por cento), sobre os salários
de todo o período trabalhado, assim como seus reflexos, nos exatos termos
do § 1º do artigo 193 da CLT.

Sendo assim a Reclamada deverá pagar ao Reclamante o


correspondente a R$ 4.861,09 (quatro mil oitocentos e sessenta e um reais e
nove centavos), devidamente corrigidos monetariamente e acrescidos juros
legais.

Em ultima analise, cabe ainda ressaltar que nos termos da


sumula 132 do TST o adicional de periculosidade, pago em caráter
permanente, integra o calculo de indenização e de horas extras."

DA METODOLOGIA

No caso em tela, para apreciação dos fato, foram


analisados os documentos disponíveis nos autos, assim como, utilizadas as
informações extraídas da entrevista realizada com as partes durante a
diligência.

Quanto ao critério legal utilizado no presente laudo, para a


análise técnica dos documentos, os dados obtidos em campo e a conclusão,
foram atendidos os preceitos regidos pela Norma Regulamentadora nº 16 -
Atividades e Operações Perigosas, anexo 2 - Atividades e Operações Perigosas
com Inflamáveis, sob a égide da portaria nº 3.214/78 do Ministério do
Trabalho e Emprego.

DA DILIGÊNCIA

Após as partes serem notificadas, a diligência pericial


ocorreu no dia 13/10/2021 (quarta-feira), com início às 11:00h, na Avenida
Gonçalves Gatto nº185 loja frente 187, Centro – Belford Roxo - RJ.

Participaram da diligência: o Reclamante, Sr. Wilian


Silverio Lopes Gomes; o advogado de Reclamante, Dr. Sidnei de Souza Lima;
e o proprietário da Reclamada, Sr. Vinícius Roberto Moraes Costa.

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
De acordo com as informações obtidas na diligência, o
Reclamante exercias suas tarefas na função de Operador de
Máquinas/Mecânica. As atividades consistiam em receber e esvaziar os
cilindros contendo GNV (Gás Natural Veicular); realizar a limpeza e lavagem
dos cilindros, executar os testes de pressão e a manutenção geral dos
cilindros.

Para realizar as tarefas de esvaziamento, o Autor prendia o


cilindro no suporte, acoplava o bico da mangueira na válvula do cilindro, abria
a válvula e extraia os gases. Conforme verificado, o gás inflamável, já
extraído, passava por uma bombona filtrante contendo água e desinfetante e,
finalmente, era expelido através de um tubo para a parte superior do
ambiente onde o Reclamante realizava as suas atividades.

À vista dos fatos narrados e incontroversos, o Autor


efetuava o esvaziamento de 7 a 10 cilindros por dia e, em média eram
esvaziados a quantidade de 20kg a 25kg de GNV (Gás Natural Veicular) de
cada cilindro.

Registre-se ainda que o Autor exercia as atividades de


desgaseificação dos cilindros contendo inflamáveis gasosos liquefeito todos os
dias de trabalho e as tarefas eram realizadas de forma habitual, fazendo parte
da rotina laboral.

DA PERICULOSIDADE

Consoante os esclarecimentos findados na visita pericial, o


Reclamante no desempenho do seu labor realizava tarefas que necessitava
estar sujeito às condições de risco acentuado frente os afazeres ocupacionais,
visto que executava as operações de desgaseificação de cilindros contendo
inflamáveis gasosos liquefeitos.

Destarte, diante de tais circunstâncias, tendo em vista que


o local onde eram executadas as atividades de esvaziamento dos cilindros faz
parte da operação com área de risco, o Reclamante atrelava-se às condições
de periculosidade, sujeitando-se aos riscos oriundos do manuseio de
vasilhames contendo gases inflamáveis.

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
Registre-se que as tarefas eram executadas com os
cilindros contendo o inflamáveis liquefeitos, e que o Obreiro laborava próximo
aos vasilhames. Existindo, assim, o risco de explosão, já que os acidentes
poderiam ocorrer, ainda que fossem implementados os equipamentos de proteção
coletiva no sistema e o Autor fizesse o uso de equipamentos de proteção
individual, pois estes não se prestam a eliminar a condição de perigo com rico
acentuado.

Nesse sentido, imperioso aclarar que, embora o art. 191


da CLT estabeleça que a insalubridade pode ser eliminada com adoção de
medidas coletivas ou neutralizadas com o uso de EPI, o mesmo não foi
previsto no caso da periculosidade. Sendo assim, ainda que fossem adotadas
todas as medidas de segurança, a periculosidade seria caracterizada, uma vez
que ela é inerente à atividade do trabalhador.

Ademais, frise-se que os afazeres de esvaziamento dos


cilindros, dentro da área de risco eram realizados diariamente, fazendo parte
da rotina de trabalho do Autor. Dessa maneira, o tempo de exposição frente
as atividades em circunstâncias de risco acentuado, caracteriza-se como
habitual e intermitente.

Nesse toar, tendo em vista que o Autor executava as


tarefas, operando a desgaseificação de cilindros, contendo gasoso inflamáveis
liquefeitos, a menos de 7,5 metros de distância da área de risco, há o
enquadramento técnico referente à condição de periculosidade no ambiente
de trabalho do Obreiro.

Destarte, amolda-se nessa conjuntura o Item 1, alínea "g";


Item 2, inciso II, alínea "d"; e Item 3, alínea "o"; todos do Anexo 2 -
Atividades e Operações Perigosas com Inflamáveis, da Norma
Regulamentadora nº 16, sob o amparo da portaria nº 3.214/78 do Ministério
do Trabalho e Emprego, in verbis:

NORMA REGULAMENTADORA nº16

ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS

ANEXO 2

ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM


INFLAMÁVEIS
Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com
Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
1 - São consideradas atividades ou operações
perigosas, conferindo aos trabalhadores que se
dedicam a essas atividades ou operações, bem
como aqueles que operam na área de risco
adicional de 30% (trinta por cento), as
realizadas:

Atividades Adicional De 30%


g) nas operações de
desgaseificação,
Todos os
decantação e reparos de
trabalhadores da
vasilhames não-
área de operação.
desgaseificados ou
decantados.

2. Para os efeitos desta Norma Regulamentadora -


NR entende-se como:

II. Serviços de operação e manutenção de


embarcações, vagões-tanques, caminhões-tanques e
vasilhames de inflamáveis gasosos liquefeitos:

d) atividades de decantação, desgaseificação,


lavagem, reparos, pinturas e areação de tanques,
cilindros e botijões cheios de GLP;

3. São Consideradas Áreas De Risco:

Atividades Área De Risco


o) Desgaseificação,
decantação e reparos de Local da operação,
vasilhames não acrescido de faixa de
desgaseificados ou 7,5 metros de largura
decantados, utilizados em torno dos seus
no transporte de pontos externos.
inflamáveis.

Portanto, constata-se que o ambiente de trabalho onde o


Autor desempenhava as suas atribuições ocupacionais se enquadram no
Anexo 2 da Norma Regulamentadora nº 16. Nessa lógica, depreende-se que o
demandante, no exercício de seu labor, efetuava os afazeres submetido às
Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com
Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
condições de risco acentuado, provenientes das tarefas de desgaseificação de
cilindros, contendo inflamáveis gasoso liquefeitos.

CONCLUSÃO

De todo o exposto, segundo as análises demonstradas no


laudo, restou evidenciado que o Reclamante praticou as suas atividades
laborais, exercendo a função de Operador de Máquinas/Mecânica, em
condições perigosas, ficando exposto a situações de risco acentuado em
período habitual e intermitente, frente as operações de esvaziamento de
vasilhames não desgaseificado, contendo gases inflamáveis liquefeito,
atuando a menos de 7,5 metros de distância da área de risco.

Logo, ensejando a percepção do adicional de


periculosidade, preceituado no Anexo 2 - Atividades e Operações Perigosas
com Inflamáveis, da Norma Regulamentadora nº 16 - Atividades e Operações
Perigosas, sob a égide da Portaria nº 3.214/78 do Ministério do Trabalho e
Emprego.

ENCERRAMENTO

E assim, dando por encerrado o presente laudo, redigido


em 6 páginas, coloca-se este perito à disposição dos interessados para dirimir
possíveis dúvidas suscitadas, juntando ao final fotos registradas durante a
visita técnica.

Nestes termos, pede deferimento.

Nova Iguaçu, 21 de dezembro de 2021

Fábio Volotão Peixoto


Engenheiro de Segurança do Trabalho
CAU-RJ A45801-5

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com
Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com
Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
Local onde eram realizadas as desgaseificações dos cilindros.

Cilindros já desgaseificados.

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
Suportes para prender os cilindros na desgaseificação.

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
RESPOSTA AOS QUESITOS DO RECLAMANTE

1- Informe o Sr. Perito quais as funções (cargo) do Reclamante do o


contrato de trabalho

R: De acordo com as informações obtidas na diligência, o Reclamante


exercias suas tarefas na função de Operador de Máquinas/Mecânica. As
atividades consistiam em receber e esvaziar os cilindros contendo GNV (Gás
Natural Veicular); realizar a limpeza e lavagem dos cilindros, executar os
testes de pressão e a manutenção geral dos cilindros.

Para realizar as tarefas de esvaziamento, o Autor prendia o cilindro no


suporte, acoplava o bico da mangueira na válvula do cilindro, abria a válvula
e extraia os gases. Conforme verificado, o gás inflamável extraído, passava
por uma bombona filtrante contendo água e desinfetante e, finalmente, era
expelido através de um tubo para a parte superior do ambiente onde o
Reclamante realizava as suas atividades.

2- Informe o Sr. Perito se o Reclamante laborava durante toda sua


jornada em recinto fechado ou tinha que se deslocar pelo parque
fabril a fim de verificar os itens a serem comprados e/ou adquiridos
para a obra

R: Quesito impertinente ao objeto da perícia.

3- Informe o Sr. Perito se existem líquidos inflamáveis no local de


trabalho do Reclamante, caso positivo, qual a substância química,
bem como seu ponto de fulgor?

R: Não.

4- Informe o Sr. Perito se existem líquidos inflamáveis do local de


entrada do Reclamante até seu local de trabalho, caso positivo, qual a
substância química, bem como seu ponto de fulgor?

R: Não.

5- Informe o Sr. Perito se os líquidos inflamáveis estão armazenados


ou sendo consumidos durante a jornada de trabalho?

R: Não foram constatados líquidos inflamáveis no local de trabalho do


Autor.
Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com
Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
6- Informe o Sr. Perito se o local de trabalho do Reclamante existe
tanques que contenham inflamáveis líquidos, e se o Reclamante
estava expostos a estes?

R: Não foram constatados líquidos inflamáveis no local de trabalho do


Autor.

7- O local de armazenamento dos líquidos inflamáveis estão de acordo


com a Portaria nº3214/778 e NR 20 item 20.2.14?

R: Não foram constatados líquidos inflamáveis no local de trabalho do


Autor.

8- O local de trabalho do Reclamante era de alvenaria capaz de


suportar o fogo e/ou explosão, caso viesse acontecer?

R: Quesito impertinente ao objeto da perícia.

9- As instalações elétricas são apropriadas a prova de explosão,


conforme recomendações da Norma Regulamentadora (NR/10)?

R: Quesito impertinente ao objeto da perícia.

10- Existe ventilação natural no local de armazenamento dos


produtos inflamáveis?

R: Sim.

11- Existe sistema de combate a incêndios com extintores


apropriados, próximos ao local de armazenamento dos cilindros, bem
como no almoxarifado aonde ficam guardados os inflamáveis?

R: Quesito impertinente ao objeto da perícia.

12- Informe o Sr. Perito se o Reclamante operava em áreas de risco?

R: Sim.

13- Informe o Sr. Perito se o reclamante laborava em CONDIÇÕES DE


PERICULOSIDADE
Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com
Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
R: Sim.

14- Informe o Sr. Perito se existem tubos e mangueiras por onde


circulam inflamáveis?

R: Sim.

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
RESPOSTA AOS QUESITOS DA RECLAMADA

1. Queira o Sr. Perito informar se a empresa reclamada faz


abastecimento de cilindros com Gás Natural Veicular;

R: Não.

2. Queira o Sr. Perito informar se na empresa há poços de produção


de Gás Natural Veicular;

R: Não.

3. Queira o Sr. Perito informar na empresa reclamada há tanques de


armazenagem de inflamáveis;

R: Não.

4. Queira o Sr. Perito informar se o reclamante fazia manutenções de


cilindros desgaseificados;

R: Não. Inicialmente os cilindros são desgaseificados.

5. Queira o Sr. Perito informar há risco de explosão no manuseio do


cilindro vazio desgaseificado;

R: Já atendido.

6. Queira o Sr. Perito informar se o reclamante operava transporte de


inflamáveis; Conforme o caso, informar a quantidade em litros (NR
16.6)

R: Não.

7. Queira o Sr. Perito informar se as embalagens de inflamáveis são


certificadas (Anexo 2 da NR 16, item 4.)

R: Sim.

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130
8. Queira o Sr. Perito informar se houve mudanças de funções durante
o período reclamado; Conforme o caso, apresentar detalhes.

R: Quesito impertinente ao objeto da perícia.

9. Queira o Sr. Perito informar se na empresa existe sistema de


combate a incêndios com extintores;

R: Quesito impertinente ao objeto da perícia.

10. Queira o Sr. Perito informar a metragem da estrutura da empresa;

R: Quesito impertinente ao objeto da perícia.

11. Queira o Sr. Perito informar quantas portas para saída existem na
empresa e quais as suas medidas;

R: Dois vãos de acesso.

12. Queira o Sr. Perito informar se o local de trabalho possui


ventilação.

R: Sim.

Engenheiro de Segurança do Trabalho peritovolotao@gmail.com


Perícia & Assistência Técnica 21 96418-6130

Você também pode gostar