Você está na página 1de 4

A TOMADA DE NOTAS

Na vida estudantil e profissional, somos convocados, muitas vezes a fazer o registo do que
ouvimos (em conferências, seminários, aulas, reuniões) ou lemos (nos mais diversos tipos de
textos). Contudo, numa simples audição ou leitura, há maior risco de se não poder fazer a
retenção de toda a informação, para o reaproveitamento futuro. Daí temos que recorrer
à tomada de notas.

Como se pode notar, ao fazermos a tomada de notas produzimos um texto novo e pessoal, a
partir de uma escuta selectiva ou de uma leitura de um texto. Produzimos um texto novo
(embora, muitas vezes, desconexo, vago, sem esclarecimento,...), no qual reflectimos sobre (e
sintetizamos) a informação apreendida. A tomada de notas é forma de retenção das
informações para seu reaproveitamento posterior. O objectivo da tomada de notas é
a memorização.

É importante ter a noção de que não é possível fazer o registo de tudo o que se fala. É preciso
ter estratégias para efectuar o registo!

Que passos a seguir para a tomada de nota eficiente?


A resposta a esta pergunta não se afigura como fácil. Pode variar de indivíduo para indivíduo.
Mas podemos nos reter nos seguintes aspectos:
Ø anotar o maior número possível de informação com o mínimo de palavras e tempo;
Ø interessar-se menos pela forma, mas sim com o conteúdo;
Ø eliminar todos os elementos supérfluos e redundantes;
Ø assinalar todas as palavras-chave;
Ø suprimir o pormenor;
Ø assentar as conclusões e as propostas de acção.
Ø estabelecer ligações (nexos) entre as informações;

Que técnicas a adoptar para a tomada de notas?


É preciso:
Ø desenvolver uma capacidade de antecipação e adquirir o hábito da concisão , isto é, uma
escrita acelerada (estilo telegráfico, frases curtas e sem verbos; utilização de abreviaturas,
sinais convencionais, siglas, símbolos e esquemas); reflectir sobre a essência do tema tratado;
Ø utilizar códigos: sublinhar, destacar a cor, enquadrar a informação de modo a destacar ou
reflectir a hierarquia ou a prioridade;
Ø suprimir as palavras de ligação sem prejudicar o sentido e a compreensão;
Ø ortografar de modo legível (de modo a poder facilitar a reutilização da informação);
Ø adoptar uma paginação clara; Não pode usar o verso das folhas;
Ø deixar muitos espaços em branco e abrir parágrafo sempre que se apresente uma nova ideia.

Que fazer das notas tomadas?


A tomada de notas não é um fim em si, mas sim um meio. Isso significa que as
notas tomadas devem ser exploradas o mais cedo possível (com as ideias ainda frescas). Para
tal convém:
Ø reler as notas por nós tomadas. Pode ser necessário reconstituir alguma informação;
Ø completar o que não se registou a tempo (preenchimento dos espaços vazios);
Ø sublinhar, titular e “colorir” de modo a evidenciar as ideias essenciais.
Ø reclassificar as partes;
Ø anotar(na margem) as nossas observações e comentários;
Ø (re)construir o nosso texto.

Modos de tomadas de notas

Durante a tomada de notas, são seleccionadas as informações do texto de base ou do


discurso. Conforme as necessidades as notas podem apresentar-se de modos diversos:
a) Pequenos resumos – as notas apresentam características idênticas às do resumo. Embora as
diversas notas estejam articuladas entre si, nesta técnica produzem-se frases completas com
sujeito, verbo e complementos com conjunções e preposições.
b) Palavras-chave – as notas não formam um texto de frases completas, mas são constituídas
por palavras significativas, seleccionadas cuidadosamente – as palavras-chavedo discurso.
Segue-se a organização destas de modo a abrangerem conceitos mais complexos.
Mencionam-se factos e ideias de modo esquemático, contudo, a compreensão destes
esquemas está ligada à memória de quem os fez. (As palavras-chave não são geralmente
utilizáveis por pessoas que não o autor. Neste modo de tomada de notas, as ligações de
dependência entre as palavras chave são evidenciadas com o recurso a setas e outros sinais.
c) Citações ou frases-chave – São registadas as citações ou frases-chave, aparecendo algumas
delas a resumir uma ideia-matriz, uma característica essencial de uma personagem ou de uma
tese. Aqui as citações podem ser anotadas sem alteração, entre aspas, o que é mais
significativo do pensamento do autor.
d) Tomar notas do próprio texto – neste caso, antes de as registar em folhas ou fichas, as notas
são tomadas no próprio texto, possibilitando a realização de um primeira triagem directamente
na matéria prima. São evidenciadas as ideias-chave sublinhando-as, colorindo-as, etc. À
margem do texto podem ser colocadas as anotações que sejam formulações abreviadas de
cada parágrafo. Ao mesmo tempo, com recurso a setas, são estabelecidas relações de
aproximação entre certos elementos dispersos ao longo do texto.
e) Mapas – As notas são organizadas num mapa que ocupa(aproximadamente) metade da
folha. Nos mapas ocorrem frase esquemáticas e palavras-chave, mostrando graficamente as
correspondências e as hierarquias entre as palavras e/ou ideias.
Regras de tomada de nota são:
2. Notas
São apontamentos escritos que se tomam sobre determinados assuntos ou acontecimento, para
usar quando houver necessidade. sempre que encontramo-nos num debate ou numa sessão,
surge a necessidade de tomar notas
Propósito de tomada de notas

Tomamos notas para:

-Nos apropriar de um saber

-Fixar melhor a nossa atenção e memorização,

-Dispor de umarquivo de informações sobre um suporte escrito, de forma duradoura permitindo a realização de análises

ulteriores ou de eventuais apanhados (a fim de retransmitir a informação)

O que anotar

-apontar o maior numero de coisas indispensáveis no mínimo do tempo, utilizando a técnica de escrita acelerada

-eliminar os elementos supérfluos: fora de assunto, repetições „„gratuitas „„ ou opiniõespessoais de conferencistas;

-Suprimir os pormenores;

-assimilar as palavras-chave;

-assentar sistematicamente as conclusões parciais e gerais e as proposta de acção.

2.3. Quando notar

Se escutamos uma conferência, uma aula, reunião ou mesmo conversa, se lemos um documento, um artigo ou um impresso,

pode se ter o interesse de reter certas informações a fim de reencontrá-las ou nelas reflectir denovo.

Tomar notas consiste na redução do texto, seleccionando de forma sintáctica, determinadas informações de um texto básico,

mantendo o sentido inicial do mesmo.

2.4. De que modo tomamos notas

Tudo depende do objectivo visado, da exploração prevista.

As técnicas de velocidade usadas comummente são;

-Estilo telégrafo, frases curtas e sem verbos;

-Uso de abreviaturas sem abusar delas;-Esquematização (quadros, círculos e gráficos que podem substituir frase compridas)

3. Resumo

É a actividade de reformação do texto, seleccionando de forma sintáctica, algumas informações básicas de um texto

mantendo o sentido deste, isto é, condensar as ideias principais, respeitando o sentido, a estrutura e o tipo de enunciado.

3.1. Objectivo do resumo

-É um dos meios mais eficazes de desenvolvimentointelectual que leva adistinguir o insencial acessório;
-Serve para avaliar as capacidades de compressão da leitura como o talento para exprimir, um discurso;

Você também pode gostar