Você está na página 1de 13

Universidade Católica de Moçambique

Instituto de Educação à Distância

Tema: Conceito da didáctica; objecto de estudo da didáctica; Componentes do processo


didáctico; A didáctica e as tarefas do professor; Objectivos e elementos da didáctica; Divisão
da didáctica.

Nome do Estudante: Rogério Inácio Alfandega. Código:708202976

Curso: Licenciatura em Ensino de História.

Disciplina: Didática geral

Ano de frequência: 1º ano.

O Tutor: Hermínio Faria Jange

Tete, Outubro ,2021


Índice
1. Introdução............................................................................................................................3
1.1 Objectivo geral..................................................................................................................3
1.2 Objectivos específicos.......................................................................................................3
1.3 Metodologias.....................................................................................................................3
2. folha de feedback.................................................................................................................4
3. Conceito da Didáctica..........................................................................................................5
3.1. Objecto de estudo da didáctica.........................................................................................5
3.2. Os componentes do processo didático.............................................................................5
3.3. A Didática e as tarefas do professor.................................................................................6
3.4. Objectivos e elementos da didáctica Objetivos;...............................................................7
3.4.1. Objectivos..................................................................................................................7
3.4.2. Planos de acção didática............................................................................................7
3.4.3. Métodos e técnicas de ensino....................................................................................8
3.4.6. Professor/aluno..........................................................................................................9
3.4.7. Avaliação.................................................................................................................10
4. Divisão da didáctica...........................................................................................................11
5. Conclusão..........................................................................................................................12
6. Referencias Bibliográficas.................................................................................................13
1. Introdução
Didáctica investiga os fundamentos, condições e modos de realização da instrução e do
ensino. A ela cabe converter os objectivos sócio políticos e pedagógicos em objectivos de
ensino, seleccionar conteúdos e métodos em função desses objectivos, estabelecer os vínculos
entre o ensino e aprendizagem, tendo em vista o desenvolvimento das capacidades mentais
dos alunos. E se definimos a acção educativa pelo seu carácter intencional, também a acção
docente se caracteriza como direcção consciente e intencional do ensino, tendo em vista a
instrução e educação dos indivíduos, capacitando-os para o domínio de instrumentos
cognitivos e operativos de assimilação da experiência social e culturalmente organizada.

1.1 Objectivo geral

 Conhecer o conceito da didáctica e seus componentes

1.2 Objectivos específicos

 Identificar e descrever objecto de estudo da didáctica;Componentes do processo


didáctico;A didáctica e as tarefas do professor;Objectivos e elementos da didáctica;
Divisão da didáctica.

1.3 Metodologias
Segundo GIL (2008), a pesquisa bibliográfica é desenvolvida com base em material já
elaborado, constituído principalmente de livros e artigos científicos. Com propósito
metodológico, o presente trabalho recorreu-se a pesquisa bibliográfica.

3
Classificação
Categorias Indicadores Padrões
Nota
Pontuação
do Subtotal
máxima tutor
 Capa 0.5
 Índice 0.5
Aspectos
Estrutura organizacionais  Introdução 0.5
 Discussão 0.5
 Conclusão 0.5
 Bibliografia 0.5
 Contextualização
(Indicação clara do 1.0
problema)
Introdução
 Descrição dos objectivos 1.0

 Metodologia adequada ao
2.0
objecto do trabalho
Conteúdo  Articulação e domínio do
discurso académico 2.0
(expressão escrita cuidada,
Análise e coerência / coesão textual)
discussão  Revisão bibliográfica
nacional e internacionais 2.
relevantes na área de
estudo
 Exploração dos dados 2.0
 Contributos teóricos
Conclusão 2.0
práticos
 Paginação, tipo e tamanho
Aspectos
Formatação de letra, paragrafo, 1.0
gerais
espaçamento entre linhas
Normas APA 6ª
 Rigor e coerência das
Referências edição em 4.0
citações/referências
Bibliográficas citações e
bibliográficas
bibliografia

2. Folha de feedback

4
3. Conceito da Didáctica
Para LIBÂNEO, (1994) a Didática é uma disciplina pedagógica que estuda os objetos, as
condições do processo de ensino, os meios e o cenário educacional. Porque os conteúdos da
disciplina de ensino decorrem da ciência que lhes servem de base. A disciplina de ensino
implica numa seleção de conhecimentos pautada por critérios pedagógicos e didáticos; do
mesmo modo, os métodos da ciência e os métodos de ensino são conexos, não idênticos,
porque a atividade de ensino implica uma relação pedagógica que lhe é peculiar, distinguindo-
se daquela que ocorre na atividade científica.

A didáctica é uma ciência dimensionada para o humano, que se propõe a ajudar e educar o
homem, necessitando, por isso, de se fundamentar nos princípios da educação. Por isso, onde
quer que se procure falar e/ou definir a didáctica a sua essência reside na questão de ensino e
formação, no mesmo sentido em que deve estar a conceitualização que acabou de apresentar
em relação à didáctica.

3.1. Objecto de estudo da didáctica


Objecto de estudo da didáctica é o processo de ensino e aprendizagem. Para LIBÂNEO
(1994, p. 57O) processo didático, assim, desenvolve-se mediante a ação recíproca dos
componentes fundamentais do ensino: os objetivos da educação e da instrução, os conteúdos,
o ensino, a aprendizagem, os métodos, as formas e meios de organização das condições da
situação didática e a avaliação.

3.2. Os componentes do processo didático


Para LIBÂNEO (1994) a educação, por mais simples que pareça, envolve uma actividade
complexa, sendo influenciado por condições internas e externas. Conhecer estas condições é
fator fundamental para o trabalho docente. A situação didática em sala de aula esta sujeita
também a determinantes econômico-sociais e sócio–culturais, afetando assim a ação didática
diretamente.

Assim sendo, o processo didático está centrado na relação entre ensino e aprendizagem.

Podemos daí determinar os elementos constitutivos da Didática:

1. Conteúdos da matérias;
2. Ação de ensinar;
3. Ação de aprender.

5
3.3. A Didática e as tarefas do professor

O professor determina a linha e a qualidade do ensino, traça-se aqui, pelo autor, os principais
objetivos da actuação do professor:

 Assegurar ao aluno domínio duradouro e seguro dos conhecimentos.


 Criar condições para o desenvolvimento de capacidades e habilidades visando a
autonomia na aprendizagem e independência de pensamento dos alunos.
 Orientar as tarefas do ensino para a formação da personalidade.

Estes três itens se integram entre si, pois a aprendizagem é um processo. Depois, o professor
levanta os principais pontos de planificação escolar:

 Compressão da relação entre educação escolar e objetivo sócio-políticos.


 Domínio do conteúdo e sua relação com a vida prática.
 Capacidade de dividir a matéria em módulos ou unidades.
 Conhecer as características sócio-culturais e individuais dos alunos.
 Domínio de métodos de ensino.
 Conhecimento dos programas oficias.
 Manter-se bem informado sobre livros e artigos ligados a sua disciplina e fatos
relevantes.

Já a direção do ensino e aprendizagem requer outros procedimentos do professor:

 Conhecimento das funções didáticas


 Compatibilizar princípios gerais com conteúdos e métodos da disciplina
 Domínio dos métodos e de recursos tauxiares
 Habilidade de expressar ideias com clareza
 Tornar os conteúdos reais
 Saber formular perguntas e problemas
 Conhecimento das habilidades reais dos alunos
 Oferecer métodos que valorizem o trabalho intelectual independente
 Ter uma linha de conduta de relacionamento com os alunos
 Estimular o interesse pelo estudo

Estas tarefas são necessárias para o professor poder exercer sua função docente frente aos
alunos e institutos em que trabalha. Por isto, o professor, no ato profissional, deve exercitar o

6
pensamento para descobrir constantemente as relações sociais reais que envolvem sua
disciplina e a sua inserção nesta sociedade globalizada, desconfiando do normal e olhando
sempre por traz das aparências, seja do livro didático ou mesmo de ações pré-estabelecidas.

3.4. Objectivos e elementos da didáctica Objetivos;

 Planos de Ação Didática;


 Métodos e Técnicas de Ensino;
 Conteúdos;
 Professor/Aluno;
 Avalição.

3.4.1. Objectivos

 São proposições, a cerca de um papel de uma instituição, que definem, em grandes linhas,
aquilo que desejamos alcançar diante de uma situação. São também mudanças no
pensamento, nos sentimentos e nas ações dos alunos, respaldadas pelo processo
educacional. As metas definidas com precisão ou resultados previamente determinados,
indicando aquilo que o aluno será capaz de fazer como consequência do empenho no processo
ensino-aprendizagem. Constitui o objetivo da educação a formulação do que se almeja
adquirir sobre conhecimentos, atitudes-(afetiva/atitudinal) relacionados ao
comportamento, sentimentos, interesses expressos em atitudes e gostos; compreendem
princípios e valores; conceitos-(cognitiva/conceitual) estão relacionados ao conhecimento,
compreendem conceitos, ideias, princípios, habilidades e capacidades mentais e
procedimentos-(psicomotora/procedimental) estão relacionados às habilidades motoras,
implicam saber fazer coisas, ter habilidades, ter prática. Os objetivos dividem-se em: Objetivo
geral- expressa os resultados finais esperados de um curso com relação às competências e
habilidades a serem adquiridas durante o processo de ensino; e Objetivo da unidade, matéria
ou aula - expressa os resultados específicos esperados da unidade, matéria ou aula.

 3.4.2. Planos de acção didática

O plano deve apresentar:             

 Ordem sequencial;
 Objetividade (deve estar atrelada a realidade)
7
 Coerência (ideias / prática)
 Flexibilidade

O processo de planificação de constitui-se, portanto, de três fases: a de preparação ou


elaboração, a de desenvolvimento ou execução e a de aperfeiçoamento ou avaliação. Na Fase
de preparação ou elaboração dos planos são previstos todos os passos, visando assegurar a
sistematização, o desenvolvimento e a consecução dos objetivos propostos, selecionando-se
as melhores condições para que a aprendizagem aconteça.

Na Fase de desenvolvimento ou de execução, as atividades previstas com relação ao ensino e


aprendizagem são, efetivamente concretizadas. Nessa etapa, pode-se verificar a necessidade
de adaptação à medida que a interação com os alunos vai ocorrendo e o feedback indica
formas alternativas mais eficientes. “O plano deve ser claro e completo, mas flexível, em
função de feedbacks advindos da sua própria concretização”. A fase de avaliação e
aperfeiçoamento do plano deve prever mecanismos, instrumentos e periodicidade para análise
do processo e dos resultados. Ao seu término, a avaliação apresenta um significado mais
amplo, porque além de avaliar os resultados do ensino-aprendizagem, avalia também a
qualidade do plano, a eficiência dos professores e a eficiência do sistema escolar. Nessa fase,
procura-se fazer os ajustes que se fizerem necessários ao atingimento dos objetivos e ao
replanejamento do plano.

3.4.3. Métodos e técnicas de ensino

Os métodos de ensino (ou estratégias de ensino) são ações, processos ou comportamentos


planejados pelo professor para colocar o aluno em contato direto com fatos ou fenômenos que
lhe proporcionem experiências que possibilitem modificar sua conduta, em função dos
objetivos previstos. Tem a finalidade de despertar interesse no aluno, facilitar a fixação do
assunto, acelerar a aprendizagem, além de destacar informações essenciais. Para a escolha das
estratégias de ensino deve-se ter em vista: os objetivos; o nível de
conhecimento/aprendizagem do aluno (físico e cognitivo); o nível de interesse do aluno; a
disponibilidade dos recursos locais; o domínio dos procedimentos metodológicos pelo
professor; a interdisciplinaridade; a transversalidade; a contextualização.

Técnicas de ensino de que o professor deve fazer uso: resolução de problemas; simulação;
caso; painel de discussão; métodos de ensino. Entre os procedimentos de ensino, temos:

8
pesquisa; estudo dirigido ou discussão dirigida; debate cruzado; grupos de vivências;
discussão em grupos; dramatizações e estratégias ativas.

 3.4.5. Conteúdos

 A seleção e organização dos conteúdos deve ser realizada em função dos objetivos propostos.
Deve-se considerar o progresso evolutivo, os interesses e necessidades dos alunos. Deve ser
uma disposição encadeada e hierarquizada dos conteúdos, visando o estabelecimento de uma
sequência gradual de dificuldades que permita ao aluno passar do estágio de conhecimentos
concretos a outros cada vez mais abstratos.    

 Os critérios para seleção de conteúdos, são:            

 Utilidade — Este critério está presente quando há possibilidade de aplicar o


conhecimento adquirido em situações novas.

 Significação — Um conteúdo será significativo e interessante para o aluno quando


estiver relacionado às experiências por ele vivenciadas (contextualização).

 Validade — Deve haver uma relação clara e nítida entre os objetivos a serem atingidos
com o ensino e os conhecimentos desenvolvidos.

 Flexibilidade — O conteúdo deve possibilitar a flexibilização, para que sejam feitos os


ajustes e adaptações que necessários.

 Adequação ao nível de desenvolvimento do aluno – os conteúdos devem ser coerentes


com o grau de maturação dos alunos.

Os critérios para organização de conteúdos, são:

 Continuidade - Refere-se ao tratamento de um conteúdo repetidas vezes em diversas


fases do trabalho.

 Sequência - Faz com que os tópicos sucessivos de um conteúdo partam sempre dos
anteriores, aprofundando-os.

 Integração - Refere-se ao relacionamento entre as diversas áreas do processo ensino-


aprendizagem, visando garantir a unidade do conhecimento. 
9
3.4.6. Professor/aluno

O professor necessita conhecer como se dá o conhecimento em sala de aula para aumentar sua
competência pedagógica e favorecer o desenvolvimento profissional do aluno e a sua
autonomia intelectual, nesse espaço de interação entre professor/aluno e alunos/alunos.
Espaço em que o professor desenvolve sua prática, seleciona e transmite conteúdos, passa
posições políticas, ideológicas, transmite e recebe afetos e valores.    O processo educativo
intencional e sistemático, baseado no trabalho com o conhecimento e na organização da
coletividade, baseando-se em uma concepção de homem e de conhecimento. Compreendendo
que o conhecimento não é “transferido” nem “depositado” pelo outro, nem é “inventado” pelo
sujeito, mais sim, construído pelo sujeito na sua relação com os outros e o mundo.

O conteúdo apresentado pelo professor precisa ser trabalhado, refletido, re-elaborado pelo
aluno, para uma apropriação do conhecimento, uma aprendizagem significativa. Esse
conhecimento se dá em 3 momentos: Síncrese- mobilização para o conhecimento (prática
social e problematização); Análise- construção do conhecimento (instrumentalização) e
Síntese- elaboração e expressão do conhecimento (catarse e prática social).

3.4.7. Avaliação

Avaliar é um processo contínuo, que envolve não apenas o aspecto quantitativo, mas
principalmente o aspecto qualitativo, que é alicerce para o processo ensino-aprendizagem,
determina o valor de algo, emite juízo de valor a partir do conhecimento.

Usa-se de critérios pré-estabelecidos, e atribui significado e orientando ações a serem


implementadas. Para realizar uma avaliação significativa deve- se: definir bem o que se quer
avaliar e seus reais propósitos; estabelecer critérios para que a avaliação ofereça de forma
abrangente, informações sobre tudo que foi apreendido; as atividades de avaliação devem ser
definidas segundo objetivos, competências e habilidades.

 A Avaliação pode ser dos tipos:

 Diagnóstica- no início das atividade para verificar deficiências nos resultados de


aprendizagens anteriores, domínio de pré-requisitos, nível de conhecimento prévio
sobre o assunto a ser desenvolvido.

10
 Formativa-  durante a ensino- aprendizagem para obter dados e informações para
melhorar o ensino e a aprendizagem e assegurar o alcance dos objetivos previstos.

 Somativa-  ao final da unidade, a fim de classificar e comparar os resultados


alcançados pelo alunos.

A Avaliação tem como função a auto-compreensão do aluno e do professor, motivar o


crescimento; aprofundar a aprendizagem; auxiliar na aprendizagem e refletir sobre a prática
pedagógica. Em sua essência o processo avaliativo tem que ser útil na informação que
oferece, viável na realização de sua trajetória, ética em seus propósitos e precisa na
elaboração de seus critérios.

4. Divisão da didáctica
A didáctica é, pois, uma das disciplinas da Pedagogia que estuda o processo de ensino através
dos seus componentes - os conteúdos escolares, o ensino e a aprendizagem - para, com base
numa teoria da educação, formular directrizes orientadoras da actividade profissional dos
professores. Definindo-se como mediação escolar dos objectivos e conteúdos do ensino, a
Didáctica investiga as condições e formas que vigoram no ensino e, ao mesmo tempo, os
factores reais (sociais, políticos, culturais, psicossociais) condicionantes das relações entre a
docência e a aprendizagem. Ou seja, destacando a instrução e o ensino como elementos
primordiais do processo pedagógico escolar, traduz objectivos sociais e políticos em
objectivos de ensino, selecciona e organiza os conteúdos e métodos e, ao estabelecer as
conexões entre ensino e aprendizagem, indica princípios e directrizes que irão regular a acção
didáctica. Enquanto que a didática Geral tem um objeto de natureza geral: abstrai-se das
particularidades das distintas disciplinas e generaliza as manifestações e leis especiais do
ensino e aprendizagem nas diferentes disciplinas e formas de ensino. Assim, as Didácticas ou
Metodologias especificas são uma base importante para a Didáctica Geral, e esta, por sua vez,
generaliza os resultados de estudo sobre o ensino das disciplinas específicas. Finalmente, no
que diz respeito às outras disciplinas, constatamos que a relação da Didáctica Geral com estas
disciplinas se explica da seguinte maneira:

 A Psicologia indica à Didáctica as oportunidades que melhor favorecem a


expansão/desenvolvimento da personalidade, bem como os processos que melhor
garantem a efectivação da aprendizagem.
 A Biologia orienta sobre o desenvolvimento físico e os índices de fadiga dos alunos.
11
 A Sociologia indica as formas de trabalho que permitem desenvolver a solidariedade,
a liderança, a responsabilidade.
 A Filosofia actua na integração das demais ciências que servem de base à didáctica,
coordenando-as numa visão que tem por fim explicar o educando como um ser
completo que necessita de atendimento adequado, personalizado, de forma que se
possam efectivar os propósitos da educação.

5. Conclusão
Conclui que a didáctica deve ser uma disciplina altamente questionadora da realidade
educacional, da escola, do professor, do ensino, das disciplinas e conteúdos, das
metodologias, da aprendizagem, da realidade cultural, da política educacional. Em todo o
caso, para todos os autores, emerge a ideia de que o “objecto de estudo da didáctica é o
processo de ensino e aprendizagem” em suas relações com finalidades educativas. O que
significa que o ensino é “uma pratica humana que compromete moralmente quem a realiza”,
assim como é uma pratica social, uma vez que “responde a necessidades, funções e
determinações que estão para além das intenções e previsões dos actores directos da mesma.
Além disso, a didáctica implica processos de relação e comunicação intencional, portanto,
intercâmbios de significados que caracterizam a relação entre professor e alunos e destes entre
si.

12
6. Referencias Bibliográficas
LIBANEO, J. Didáctica; Cortez editora; SP, 1994

https://didaticaedfisica.webnode.com.br/products/refer%C3%AAncia%20%231/ 11:20 25 de
Novembr

13

Você também pode gostar