Você está na página 1de 11

A RAÇA E A COROA

Este folheto foi escrito na época das Olimpíadas de


Atenas de 2004, por um ministro presbiteriano que
estudou Clássicos naOxford Universitye Teologia no
Reformed Theological College em Belfast.

“…As Olimpíadas, mais do que qualquer outro evento


esportivo, ainda representam a excelência atlética,
como o lema olímpico anuncia com orgulho: citius ,
altius , fortius – 'mais rápido, mais alto, mais forte .' O
apóstolo Paulo era um grande fã das Olimpíadas. Ele
aparece de novo e de novo enquanto você lê seus
escritos. Descrevendo a disciplina e integridade da vida
cristã, ele escreveu : Se alguém compete como atleta,
não recebe a coroa de vencedor a menos que compita de
acordo com as regras . (Os trapaceiros olímpicos
tomem nota!) Nas últimas semanas antes de sua morte,
ele resumiu sua vida usando uma foto tirada dos jogos:
Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé.
Agora está reservada para mim a coroa da justiça.

Mas talvez a referência mais desafiadora que Paulo faz


aos jogos seja esta: todos os que competem nos jogos
passam por um treinamento rigoroso. Eles fazem isso
para obter uma coroa que não vai durar; mas fazemos
isso para obter uma coroa que durará para sempre .

'Treinamento rigoroso'? Eu direi! Se isso era verdade


nos dias de Paulo, certamente é ainda mais verdade
hoje, com as apostas, a pressão e os programas de
treinamento todos elevados a um nível totalmente
novo.
Um artigo recente no Saturday Telegraph informou
sobre os preparativos que estão sendo feitos pelos
Britanicos aspirantes a medalha olímpica. Ouça o que
Sarah Price (natação) disse: “Acho as manhãs difíceis,
especialmente no inverno – Às sete da manhã, quando
quero voltar a dormir, mas preciso treinar mais. Por
que ficar na cama quando outro competidor em algum
lugar está se levantando e treinando?”

“Paul Green, buscando o ouro em certa modalidade


esportiva, sobre os possíveis efeitos a longo prazo de
sua rotina de treinamento rigoroso: “As pessoas dizem:
'Por que você se submete a isso? Você estará em uma
cadeira de rodas quando tiver 60' – muitos falam
coisas assim. Mas acho que vale muito me sacrificando
por essas coisas para chegar ao meu objetivo .”

“A revista Time informou há algumas semanas sobre o


programa de treinamento para as ginastas de elite
romenas. A partir dos quatorze anos, as quinze
melhores ginastas do país vivem em um campo de
treinamento especializado em toda a retaguarda . Eles
têm onze ou doze sessões de treinamento por semana, e
todos os outros aspectos de suas vidas são
cuidadosamente controlados.

“Eles só podem fazer uma ou duas visitas em casa


durante o ano. Um escritor esportivo romeno diz: '[É]
como um acampamento militar – trabalho titânico,
disciplina militar e dieta especial .”
Por que esses atletas fazem isso? Paulo diz: Por uma
coroa que não é imperecivel. Nos dias de Paulo era uma
coroa de folhas de pinheiro ou salsa. Pareceu bem por
um dia ou dois, mas depois de um tempo murchou e se
desintegrou. Todo aquele trabalho e esforço, mas nada
duradouro para mostrar isso.

“É claro que as medalhas de ouro substituíram as


coroas de pinheiros e duram mais do que seus donos.
Mas mesmo que a medalha dure, uma lembrança de
um dia de glória passado, alguém vai lembrar?

O centro de reuniões olímpicas da Grécia


orgulhosamente afirma: “Uma vez atleta olímpico,
sempre atleta olímpico. Nenhum atleta olímpico é
esquecido, não importa quantos anos se passaram
desde que eles realizaram seu sonho olímpico”.

“Mas o fato brutal é que eles são esquecidos. Quantos


medalhistas de ouro olímpico você consegue citar
dentre os muitos milhares? Esses homens e mulheres
treinaram a extremos fenomenais, quase sobre-
humanos, para se tornarem os melhores dos melhores.
No entanto, quão poucos são realmente lembrados?
Sua 'imortalidade' tem uma vida útil curta. Até os
olímpicos envelhecem – aqueles músculos outrora de
classe mundial ficam frágeis. E no final seus corpos
mortais demais morrerão.

“Se mesmo os olímpicos não podem alcançar a glória


ou a imortalidade duradouras, que esperança há para
aqueles de nós cujos corpos, mentes e vidas são
consideravelmente mais medianos? Temos nossos
próprios objetivos e ambições – talvez não uma
medalha olímpica, mas um casamento feliz, uma casa
maior em uma parte mais agradável do país? Este
novo modelo de carro que você está admirando no
showroom? Exito no seu negocio, comprar um iphone
ou uma casa no campo?
“O que Paulo diria sobre tais ambições? Não que haja
algo de errado com eles em si mesmos – mas são '
coroas que não vão durar’. Se este mundo e esta vida
fossem tudo o que existe, talvez não importasse tanto.
Se a morte realmente é o fim de tudo, suspeito que a
maioria de nós se contentaria com uma coroa que dura
apenas 50 ou 60 anos. Mas a morte não é o fim. A
Bíblia diz isso, e – se você for honesto consigo mesmo –
você sabe que é verdade também.

“A grande boa notícia do cristianismo é que, como diz


Paulo, existe “ uma coroa que dura para sempre ”. Jesus
Cristo, o próprio Deus, veio à terra e viveu e morreu
para dar vida eterna a quem nele confia . Vida em toda
a sua plenitude por toda a eternidade. Há [também*]
um objetivo que vale a pena perseguir ! Se vivermos
como se esta vida fosse nosso destino, estamos
cometendo o maior erro que um ser humano pode
cometer – um erro do qual nos arrependeremos para
sempre.”*

[* Observação. “Vida eterna” e “meta” não são


sinônimos. – Ed.]

“No mundo da consciência da mídia, quando tudo e


todos são examinados, muitas vezes ouvimos a frase
'perda de confiança'. Talvez, referindo-se a um atleta
no mundo do esporte que teve um desempenho
inferior, ou a algum aluno que não correspondeu às
expectativas. Isso se relaciona, é claro, com a confiança
em sua capacidade na arena pública até um certo nível.
Em outras palavras, para sua autoconfiança, o que
implica que eles podem fazer isso quando a pressão
está alta.”

Mas hoje há uma perda de confiança no poder do


Evangelho, porque nós, como portadores das Boas
Novas, estamos sendo informados de que devemos
tornar o Evangelho relevante. Ou seja, ligado ao
assunto em discussão.

Agora, na carta de Paulo à Igreja em Galatia, lemos:-


“Estou espantado que você esteja tão rapidamente
abandonando aquele que os chamou pela graça de
Cristo e estão se voltando para um evangelho diferente
– que na verdade não é nenhum evangelho.
Evidentemente, algumas pessoas estão confundindo
você e tentando perverter o evangelho de Cristo. Mas
ainda que nós ou um anjo do céu preguemos um
evangelho diferente daquele que vos pregamos, que seja
anatema (eternamente condenado !)” (1:6-9).

“O caráter do cristão”, foi dito, “moldado para melhor


ou para pior pelos outros membros do corpo de Cristo,
especialmente por aqueles que pretendem ser mestres,
é moldado para a vida se o ensino for a Palavra de Deus
; é moldado para a morte, se o ensino for os
pensamentos dos homens ”. … “Se, portanto,
declarando todo o conselho de Deus [Atos 20: 24b-27] e
pressionando-o sobre a fraternidade … nestes dias de
confusão, amor ao conforto e profecia de coisas suaves,
para levantar a voz até dos telhados, se ainda não com
um: ' Vire-se, vire-se , ó casa de Israel, por que
morrereis? !' pelo menos com 'Vem, e vamos
raciocinar juntos '” – sobre o 'Dom Gratuito', que é '
vida eterna ', e o 'Prêmio', que é a vida na 'era'
vindoura .

Mas o que exatamente Paulo estava dizendo sobre esse


“evangelho diferente”? Ele estava dizendo que não há
"prêmio" para ganhar ?, nenhuma ressurreição para “
atingir ”? ou nenhuma “herança” a ser perdida ? Foi
todo o seu ministério aos santos de Deus, sempre
focado apenas no que Cristo fez por nós ? NÃO, com
certeza não foi!

O evangelho que Paulo pregou tinha duas verdades


muito importantes embutidas nele. A primeira e mais
importante delas é o que Cristo fez por nós ; e o
segundo, é o que Deus espera que nós - (depois de
encontrar a salvação eterna somente pela fé em Seu
Filho unigênito) - façamos por Ele: não ganhar a “ Vida
Eterna ” por nossas obras, mas ganhar o “ Prêmio ”, da
“ era ” vindoura (Fp. 3: 14; Lc. 20: 35). A falha, por
parte dos cristãos, em manter essas verdades separadas
e distintas umas das outras, corromperá ambas as
facetas do único Evangelho que Paulo pregou fielmente
(Gl 2: 15. cf. 5: 13 – 6: 10).

[* Observação. A palavra grega, traduzida como


“eterno” em Gal. 6: 8, deve ser traduzido como
'perene' ou 'vida na era vindoura'. O contexto exige
essa interpretação. Não podemos colher a vida eterna
pelo que semeamos , pois isso é um 'dom gratuito' pela
graça de Deus através da fé em Cristo Jesus. O que
podemos colher, através do pecado intencional e da
desobediência aos mandamentos de Cristo, é a
corrupção da carne, por mais 1.000 anos, como almas
desencarnadas no Hades – o lugar dos mortos.]

Há duas cercas vivas de cada lado da estrada estreita


que leva à Era do Reino. De um lado está o
ensinamento de que podemos ganhar o “Prêmio”, se
não desanimarmos, nos cansarmos ou perdermos a fé
na 'esperança' do “Evangelho”: e se imaginarmos que
o “Prêmio” é vida eterna, rompemos uma barreira
corrompendo o evangelho da graça de Deus e
destruímos “a fé” que Paulo fielmente “guardava”
(2Tm 2:5-7; 6:7); e, do outro lado da estrada, podemos
romper a barreira oposta – (como os antimilenistas
estão fazendo agora) – interpretando as Profecias
Divinas da glória vindoura do Messias sobre esta terra
de forma figurada ; e, portanto, chegando à conclusão
de que não há “herança” a ser perdida por qualquer
um que seja regenerado!

“A controvérsia na religião”, já foi dito, “é uma coisa


odiosa. Já é bastante difícil lutar contra o diabo, o
mundo e a carne sem diferenças particulares em nossos
próprios campos. Mas há uma coisa ainda pior do que
a controvérsia; e isso é falsa doutrina tolerada,
permitida e permitida sem protesto.

… Há momentos em que a controvérsia não é apenas


um dever, mas um benefício. Dê-me uma poderosa
tempestade em vez da malária pestilenta. Aquele anda
na escuridão e envenena em silêncio , e você nunca está
seguro. O outro assusta e alarma por um tempo. Mas
logo acaba e limpa o ar.”

As verdades que levaram Paulo adiante, depois de sua


conversão e seu encontro com Jesus próximo
aDamasco, foi “ terminar o curso e completar a tarefa ”
que o Senhor Jesus lhe havia dado. O que é que foi
isso? (1) “Testemunhando o evangelho [boas novas] da
graça de Deus” e (2) “pregando o reino ”.

Encorajamentos e advertências são encontrados em


todas as suas cartas às Igrejas de Deus, Atos 9: 3-6; 20:
24 -32. Estamos ouvindo essas duas verdades divinas
sendo expostas em nossas assembléias hoje?
-------

Publicado originalmente em:

www.themillennialkingdom.org.uk
Mais que Vencedores

Há entre os prados eternos


A vida em sublime abundancia
Rios cristalinos dos anos milenares
Onde os salvos redimem a esperança
Pois em Cristo lutaram confiantes

Em dias de orações e testemunhos


Em rosas poentes e sacroso lirios
No jardim do evangelho se desgastaram
Ate enfrentarem com coragem
A espada o chicote e o martirio

Mas, oh! que grande é o amor santo


Com brados alegres a sofrer prantos
Mas o gozo da fé bem aventurada
Trazendo os frutos doces da redenção
Firmes na fé recebem galardões

Pois os cristãos verdadeiros e lutadores


Correm a carreira atendem ao chamado
Com Cristo irão aqui mesmo reinar
E quando enfim a missão terminar
Para sempre estarão; com o Senhor.

C. J. Jacinto

Você também pode gostar