Você está na página 1de 24

Ondas

As ondas são perturbações que se propagam pelo espaço sem transporte de matéria,

apenas de energia.

O elemento que provoca uma onda é denominado fonte, por exemplo, uma pedra

lançada nas águas de um rio gerarão ondas circulares.

Ondas circulares na superfície de um líquido

São exemplos de ondas: ondas do mar, ondas de rádio, som, luz, raio-x, micro-ondas

dentre outras.

A parte da Física que estuda as ondas e suas características é chamada de

ondulatória.

Características das Ondas


Para caracterizar as ondas usamos as seguintes grandezas:
•Amplitude: corresponde à altura da onda, marcada pela distância entre o ponto de

equilíbrio (repouso) da onda até a crista. Note que a “crista” indica o ponto máximo

da onda, enquanto o “vale”, representa a ponto mínimo.

•Comprimento de onda: Representado pela letra grega lambda (λ), é a distância

entre dois vales ou duas cristas sucessivas.

•Velocidade: representado pela letra (v), a velocidade de uma onda depende do

meio em que ela está se propagando. Assim, quando uma onda muda seu meio de

propagação, a sua velocidade pode mudar.

•Frequência: representada pela letra (f), no sistema internacional a frequência é

medida em hertz (Hz) e corresponde ao número de oscilações da onda em

determinado intervalo de tempo. A frequência de uma onda não depende do meio

de propagação, apenas da frequência da fonte que produziu a onda.

•Período: representado pela letra (T), o período corresponde ao tempo de um

comprimento de onda. No sistema internacional, a unidade de medida do período é

segundos (s).

Tipos de Ondas
Quanto à natureza, há dois tipos de ondas:

•Ondas Mecânicas: para que haja propagação, as ondas mecânicas necessitam de

um meio material, por exemplo, as ondas sonoras e as ondas em uma corda.

•Ondas Eletromagnéticas: nesse caso, não é necessário que haja um meio material

para que a onda se propague, por exemplo, as ondas de rádio e a luz.


Classificação das Ondas
Segundo a direção de propagação das ondas, elas são classificadas em:

•Ondas Unidimensionais: as ondas que se propagam em uma direção.

Exemplo: ondas em uma corda.

•Ondas Bidimensionais: as ondas que se propagam em duas direções.

Exemplo: ondas se propagando na superfície de um lago.

•Ondas Tridimensionais: as ondas que se propagam em todas as direções possíveis.

Exemplo: ondas sonoras.

As ondas também podem ser classificadas de acordo com a direção de vibração:

•Ondas Longitudinais: a vibração da fonte é paralela ao deslocamento da onda.

Exemplo: ondas sonoras

•Ondas Transversais: a vibração é perpendicular à propagação da onda.

Exemplo: onda em uma corda.


Fórmulas
Relação entre período e frequência
O período é o inverso da frequência.

Assim:

Velocidade de propagação

A velocidade também pode ser calculada em função da frequência, substituindo o

período pelo inverso da frequência.

Temos:

Exemplo

Qual o período e a velocidade de propagação de uma onda que apresenta frequência

de 5Hz e comprimento de onda de 0,2 m?

Como o período é o inverso da frequência, então:

Para calcular a velocidade usamos o comprimento de onda e a frequência, assim:


Fenômenos Ondulatórios
Reflexão
Uma onda se propagando em um determinado meio ao se deparar com um

obstáculo pode sofre reflexão, isto é inverter o sentido da propagação.

Ao sofrer reflexão, o comprimento de onda, a velocidade de propagação e a

frequência da onda não se alteram.

Um exemplo é quando uma pessoa grita em um vale e escuta alguns segundos

depois o eco da sua voz.

Através da reflexão da luz conseguimos ver nossa própria imagem em uma superfície

polida.

Imagem refletida na superfície tranquila de um lago


Refração
A refração é um fenômeno que acontece quando uma onda muda o meio de

propagação. Nesse caso, poderá ocorrer uma mudança no valor da velocidade e na

direção de propagação.

As ondas em uma praia se quebram paralelamente a orla, devido ao fenômeno da

refração. A mudança de profundidade da água (meio de propagação) faz com que a

direção das ondas se modifique, tornando-as paralela a orla da praia.

Difração
As ondas contornam obstáculos. Quando isso ocorre dissemos que a onda sofreu

difração.

A difração nos permite ouvir por exemplo uma pessoa que está do outro lado de um

muro.

Ao passar por um obstáculo, as ondas sofrem um espalhamento.


Interferência
Quando duas ondas se encontram, ocorre uma interação entre suas amplitudes

chamada de interferência.

A interferência pode ser construtiva (aumento da amplitude) ou destrutiva

(diminuição da amplitude).

Ondas Estacionárias
As ondas estacionárias ocorrem da superposição de ondas periódicas iguais e de

sentidos contrários.

Ao ocorrer interferência construtiva e destrutiva, apresentam pontos que vibram e

outros que não vibram.

Podemos produzir ondas estacionárias em uma corda com as extremidades fixas,

como por exemplo, nas cordas de um violão.

O eletrocardiograma, exame utilizado para avaliar o estado do coração de um

paciente, trata-se do registro da atividade elétrica do coração ao longo de um certo

intervalo de tempo. A figura representa o eletrocardiograma de um paciente adulto,

descansado, não fumante, em um ambiente com temperatura agradável. Nessas

condições, é considerado normal um ritmo cardíaco entre 60 e 100 batimentos por

minuto.

Com base no eletrocardiograma apresentado, identifica-se que a frequência cardíaca

do paciente é
a) normal.

b) acima do valor ideal

c) abaixo do valor ideal

d) próxima do limite inferior

e) próxima do limite superior

R - Alternativa c) abaixo do valor ideal

2. (ENEM - 2013)

Em viagens de avião, é solicitado aos passageiros o desligamento de todos os

aparelhos cujo funcionamento envolva a emissão ou a recepção de ondas

eletromagnéticas. O procedimento é utilizado para eliminar fontes de radiação que

possam interferir nas comunicações via rádio dos pilotos com a torre de controle.

A propriedade das ondas emitidas que justifica o procedimento adotado é o fato de

a) terem fases opostas

b) serem ambas audíveis

c) terem intensidades inversas

d) serem de mesma amplitude

e) terem frequências próximas

R - Alternativa e) terem frequências próximas

3. (ENEM - 2013)

Uma manifestação comum das torcidas em estádios de futebol é a ola mexicana. Os

espectadores de uma linha, sem sair do lugar e sem se deslocarem lateralmente,

ficam de pé e se sentam, sincronizados com os da linha adjacente. O efeito coletivo se


propaga pelos espectadores do estádio, formando uma onda progressiva, conforme

ilustração.

Calcula-se que a velocidade de propagação dessa “onda humana” é 45 km/h, e que

cada período de oscilação contém 16 pessoas, que se levantam e sentam

organizadamente e distanciadas entre si por 80 cm.

Nessa ola mexicana, a frequência da onda, em hertz, é um valor mais próximo de

a) 0,3

b) 0,5

c) 1,0

d) 1,9

e) 3,7

R - Alternativa c) 1,0

Ondas Sonoras
Ondas sonoras são vibrações que ao
penetrarem no nosso ouvido
produzem sensações auditivas.
Somos capazes de perceber sons com frequência entre 20 Hz até 20000 Hz.

Sons com frequência abaixo de 20 Hz são chamados de infrassom e acima de 20000

Hz chamados de ultrassom.

Características
•As ondas sonoras são ondas mecânicas, desta forma necessitam de um meio

material para se propagarem.

•São longitudinais, ou seja, a direção da propagação é a mesma da direção da

vibração.

•São tridimensionais, pois se propagam em todas as direções.

Velocidade do som
O som se propaga nos meios sólidos, líquidos e gasosos. O valor da velocidade do

som depende do meio material em que se propaga, sendo maior nos sólidos e menor

nos meios gasosos.

A velocidade do som depende também da temperatura do meio. Quanto maior a

temperatura, maior será sua velocidade.

No ar, à temperatura de 20 °C, a velocidade do som é de aproximadamente 340 m/s.


Fórmulas

Para calcular a velocidade do som, conhecendo a distância percorrida em um

intervalo de tempo, usamos a fórmula do movimento uniforme:

Onde,

vs: velocidade do som

∆s: distância percorrida

t: intervalo de tempo

A velocidade do som pode ainda ser encontrada usando-se a equação fundamental

das ondas:

Onde,

vs: velocidade do som

ƛ: comprimento de onda

f: frequência da onda sonora


Intensidade, Altura e Timbre
Intensidade Sonora
Relacionada com a amplitude da onda sonora, a intensidade representa o volume do

som. Assim sendo, quanto maior for a energia de vibração da fonte que emite a onda,

mais intenso será o som.

O nível sonoro é uma grandeza física relacionada com a sensação auditiva que a onda

sonora provoca.

A unidade de medida do nível sonoro é o bel (em homenagem a Graham Bell,

inventor do telefone). Sendo mais comum o uso do submúltiplo, decibel.

Pessoas expostas a elevado nível sonoro podem apresentar diversos sintomas, tais

como: intolerância a sons intensos, tontura, otalgia, zumbido e perda auditiva.


Altura
A altura do som está relacionada com a sua frequência. O som pode ser grave (baixa

frequência) ou agudo (alta frequência).

A voz dos homens apresenta uma frequência menor que a voz das mulheres. Por

isso, a voz masculina é classificada como grave e a feminina aguda.

As notas musicais são caracterizadas pela frequência.


Timbre
É a característica do som que nos permite distinguir dois sons de mesma altura e

intensidade, mas que foram produzidos por fontes diferentes.

O som produzido por um instrumento musical é uma composição de várias ondas

sonoras, o que dará o timbre característico do instrumento.

Reflexão das ondas sonoras


O som se propaga em todas as direções. Desta forma, o som que ouvimos é o

resultado do som que foi emitido pela fonte sonora e também o que foi refletido

pelas diferentes superfícies que nos cercam.

A diferença do tempo de chegada do som emitido e do refletido aos nossos ouvidos

normalmente é muito pequena. Neste caso, ouvimos apenas um reforço do som.

Nosso ouvido é capaz de distinguir dois sons como distintos quando o tempo entre

eles é maior que 0,1 s. Assim, quando estamos a uma certa distância de um

obstáculo, pode ocorrer o que chamamos de eco.

Efeito Doppler
É um efeito percebido por um observador quando existe um movimento relativo

entre ele e a fonte emissora do som.

Quando o observador se aproxima da fonte, o som recebido é mais agudo (maior

frequência). Ao se afastar, o som parece mais grave (menor frequência).

Um exemplo deste efeito é o som que ouvimos dos carros durante em uma corrida

de fórmula 1.
Ouvimos um som diferente quando uma sirene está se aproximando

Exercícios resolvidos

1. Enem (2016)

As notas musicais podem ser agrupadas de modo a formar um conjunto. Esse

conjunto pode formar uma escala musical. Dentre as diversas escalas existentes, a

mais difundida é a escala diatônica, que utiliza as notas denominadas dó, ré, mi, fá,

sol, lá e si. Essas notas estão organizadas em ordem crescente de alturas, sendo a

nota dó a mais baixa e a nota si a mais alta. Considerando uma mesma oitava, a nota

si é a que tem menor

a) amplitude

b) frequência

c) velocidade

d) intensidade

e) comprimento de onda

R - Alternativa e) comprimento de onda


2. Enem (2013)

Em um piano, o Dó central e a próxima nota Dó (Dó maior) apresentam sons

parecidos, mas não idênticos. É possível utilizar programas computacionais para

expressar o formato dessas ondas sonoras em cada uma das situações como

apresentado nas figuras, em que estão indicados intervalos de tempo idênticos (T).

A razão entre as frequências do Dó central e do Dó maior é de:

a) 1/2

b) 2

c) 1

d) 1/4

e) 4

R- Alternativa a) 1/2
Ondas Eletromagnéticas

Ondas eletromagnéticas são aquelas que resultam da libertação das fontes de

energia elétrica e magnética em conjunto.

Quando se movimenta velozmente, com a velocidade da luz, a energia liberada

apresenta o aspecto de onda. Por esse motivo, recebe o nome de onda

eletromagnética.

As ondas eletromagnéticas são transversais, ou seja, direcionam-se

perpendicularmente à direção da propagação.

Tipos de Ondas Eletromagnéticas


São 7 os tipos de ondas eletromagnéticas: ondas de rádio, micro-

ondas, infravermelho, luz visível, ultravioleta, raios x e raios gama.
O que determina a sua classificação é a frequência e a oscilação com que as ondas

são emitidas e também o seu comprimento. Quanto mais alta a frequência, menor o

comprimento de uma onda.

As ondas são medidas pelo espectro eletromagnético. Através das faixas desse

mecanismo é possível verificar a distribuição da intensidade do eletromagnetismo.

As ondas de rádio ficam na outra extremidade do espectro. São as mais baixas e, portanto,
Ondas de rádio
as mais compridas.

Micro-ondas As frequências desse tipo de onda eletromagnética são bastante baixas.

Localizado ao lado da luz visível, a radiação infravermelha pode ser vista mediante a
Infravermelho
utilização de equipamentos, mas não a olho nu.

Localiza-se no centro do espectro eletromagnético. Tal como o nome indica, essa energia é
Luz Visível
visível a olho nu.

Raios Ultraviolet A energia ultravioleta localiza-se ao lado da luz visível, que é o centro do espectro
a eletromagnético.

Localizam-se logo a seguir aos raios gama na faixa do espectro eletromagnético. A


Raios x
radiação dos raios x são invisíveis a olho nu.

Os raios gama ficam numa das extremidades do espectro. É o tipo de onda que tem a
Raios Gama
frequência mais alta, logo, seu comprimento é minúsculo.

Onde elas estão?

As ondas eletromagnéticas propagam-se no vácuo a todo momento. Isso porque tudo

o que existe tem eletromagnetismo.

A energia elétrica surge da agitação dos átomos que estão na formação de todos os

corpos. O magnetismo surge da movimentação dessa carga elétrica e, como

resultado, surgem as ondas eletromagnéticas.

Inúmeras coisas que utilizamos no dia a dia funcionam através das ondas

eletromagnéticas. São exemplos: o rádio, a televisão, o celular, o micro-ondas, o

controle remoto, a internet sem fios, o bluetooth, etc.

E o que são Ondas Mecânicas?

Enquanto as ondas eletromagnéticas não precisam de um meio material para se

propagar, as ondas mecânicas necessariamente precisam.

É o caso, por exemplo, do telefone com fios. O fio é o meio utilizado para que a onda

mecânica percorra o seu caminho e transporte energia.

Os celulares, por outro lado, não têm fios. Fazem uso das ondas eletromagnéticas.
Ondas eletromagnéticas
Ondas eletromagnéticas são oscilações produzidas por campos elétricos e magnéticos,
que se propagam através do vácuo ou de meios materiais, transportando energia.

"Ondas eletromagnéticas são oscilações formadas por campos elétricos e magnéticos


variáveis, que se propagam tanto no vácuo quanto em meios materiais. Elas são ondas
tridimensionais e transversais que viajam na velocidade da luz, transportando
exclusivamente energia. Ademais, apresentam-se na forma de ondas de rádio, micro-
ondas, infravermelho, luz visível, ultravioleta, raios x e raios gama, em ordem crescente
de frequência e energia.

Antes de continuarmos, sugerimos que você leia o nosso artigo e conheça alguns
conceitos importantes sobre a classificação das ondas."

"O que são ondas eletromagnéticas?


As ondas eletromagnéticas surgem com base na interação entre campos elétricos ou
campos magnéticos variáveis. Essas se propagam no vácuo com a mesma velocidade que
a luz, cerca de 300 mil quilômetros por segundo. Diferentemente das ondas mecânicas,
como o som, as ondas eletromagnéticas podem propagar-se tanto em meios materiais
quanto no vácuo. Por tratarem-se de fenômenos ondulatórios, elas podem sofrer
reflexão, refração, absorção, difração, interferência, espalhamento e polarização.

As ondas eletromagnéticas são formadas com base em campos elétricos e magnéticos


variáveis.
As ondas eletromagnéticas foram previstas e teorizadas pelo físico e matemático escocês
James Clerk Maxwell, que unificou as equações da eletricidade e do magnetismo já
existentes (equações de Faraday, Ampére e Gauss) em equações de onda.

Por meio de suas equações, Maxwell conseguiu calcular o módulo da velocidade de


propagação das ondas eletromagnéticas. A confirmação experimental da existência das
ondas eletromagnéticas só surgiu cerca de uma década mais tarde, após experimentos
realizados pelo físico alemão Heinrich Hertz."

Todas as ondas eletromagnéticas apresentam frequência de oscilação, comprimento de


onda e amplitude. Além disso, o comprimento de onda e a frequência são grandezas
inversamente proporcionais, por isso, ondas de alta frequência, como os raios x ou raios
gama, apresentaram comprimentos muito pequenos. A figura seguinte mostra o espectro
eletromagnético e as diferentes faixas de ondas eletromagnéticas existentes, observe:

Algumas características próprias das ondas eletromagnéticas:


•São transversais, isto é, a perturbação responsável por produzi-las acontece em uma
direção perpendicular à sua direção de propagação. Nas ondas eletromagnéticas, o
campo elétrico, o campo magnético e a direção de propagação são perpendiculares entre
si;
•Propagam-se no vácuo com a mesma velocidade que a luz visível: 2,99792458.108 m/s,
simbolizada pela letra c;
Sua amplitude diz respeito à sua intensidade, quanto maior for a amplitude de uma onda
eletromagnética, maior é a perturbação que ela é capaz de produzir;
•São tridimensionais, isto é, depois de produzidas, propagam-se igualmente em todas as
direções;
•Quando atravessam meios materiais, como o ar ou a água, sua velocidade de
propagação diminui, enquanto o seu comprimento de onda aumenta, de modo que a sua
frequência não se altera. Esse fenômeno é conhecido como refração.
"Ondas eletromagnéticas no dia a dia
Confira alguns exemplos de ondas eletromagnéticas existentes e bastante usados
em nosso cotidiano:

•Ondas de rádio: são largamente utilizadas nas telecomunicações. O sinal de rádio,


televisão e celular encontra-se nessa faixa de frequência;
•Micro-ondas: também são muito utilizadas nas telecomunicações. Os roteadores de
internet sem fio, popularmente conhecidos como Wi-fi, utilizam micro-ondas de
frequências que variam entre 2,4 GHz e 5,8 GHz;
•Infravermelho: é também conhecido como onda de calor. Alguns dispositivos de
segurança equipados com visão noturna são capazes de captá-lo. O infravermelho é a
onda emitida quando usamos um controle remoto;
•Luz visível: é a faixa de ondas eletromagnéticas que se localiza entre as frequências de
480 THz e 750 THz.
•Ultravioleta: após certas frequências, passa a ser considerado uma radiação ionizante,
isto é, uma onda eletromagnética com potencial de arrancar elétrons das moléculas,
ocasionando o surgimento de anomalias celulares que podem evoluir para um câncer, por
exemplo. Essa frequência de onda eletromagnética é bastante utilizada por peritos
criminais para a detecção de materiais biológicos, como sangue e saliva; sua capacidade
de ionização também permite usá-la para a esterilização de utensílios cirúrgicos,
seringas, recipientes etc.;
•Raios x: chegam à Terra em pouca quantidade devido à presença da atmosfera terrestre.
Essas ondas eletromagnéticas têm frequências muito altas e grande poder de penetração,
por isso, são utilizadas para a obtenção de imagens de ossos e articulações e para o
tratamento de tumores, por meio da radioterapia"
•"Raios gama: são produzidos por reações nucleares, nas quais os níveis de energia do
núcleo dos átomos sofrem variações. Essas ondas são extremamente energéticas e
apresentam alto poder de penetração. Os raios gama são usados para estudos
astronômicos e para a indução de reações nucleares."

Ondas eletromagnéticas e matéria

A forma como as ondas eletromagnéticas interagem com a matéria depende diretamente


de sua frequência. Confira como as cargas elétricas e outras partículas respondem a cada
tipo de onda:
•Ondas de rádio: promovem a oscilação coletiva de elétrons livres em metais, como
ocorre nas antenas usadas em rádios e televisores;
•Micro-ondas: apresentam frequências parecidas com a frequência de rotação das
moléculas de água, isso faz com que esse tipo de onda eletromagnética possa entrar em
ressonância com essas moléculas, aquecendo-as por meio da rotação;
•Infravermelho: promove a vibração molecular, é uma das principais formas de
transmissão de calor;
•Luz visível: é capaz de fornecer energia e excitar os elétrons presentes em moléculas;

•Ultravioleta: promove a excitação de elétrons mas também pode causar a ejeção de


elétrons que se encontrem na camada de valência dos átomos;
•Raios x: são capazes de arrancar elétrons dos átomos por meio da colisão elástica entre
fótons e átomos. Esses fótons são absorvidos pelos átomos e reemitidos em frequências
menores;
•Raios gama: podem causar excitações nucleares, levando à sua dissociação, mas
também podem gerar pares de matéria e antimatéria, causando a aniquilação mútua
dessas partículas.

Você também pode gostar