Você está na página 1de 4

EXPERIMENTO DO RESISTOR HÔMICO

Autores: Ana Júlia da Silva e Letícia Rocha Tupinamba e Silva


Universidade do Estado de Santa Catarina

Resumo
O presente relatório trata do resistor Ôhmico. O experimento consiste na medição da
resistividade de um circuito elétrico através de diferentes valores de d.d.p. Assim, foi
utilizado dois multímetros um para medir o voltímetro e outro para medir o amperímetro.
Considerando, que este experimento se adequa ao que está descrito em literatura.
Porém, precisamos ressaltar os possíveis erros, principalmente a imprecisão na coleta
dos dados e possíveis erros de arredondamento que alteram a análise dos resultados.

1. Introdução

A proporcionalidade entre a
corrente e a diferença de potencial
observada em alguns tipos de materiais
é hoje conhecida como a primeira lei de
Ohm, e os componentes que
apresentam essa propriedade são
chamados de ôhmicos. A razão V / I
denota o quanto de tensão tem de ser
aplicada para passar certa corrente em
um dispositivo de circuito. Assim, quanto
maior for a dificuldade que o dispositivo
impõe a passagem da corrente, maior
deve ser a tensão aplicada para
estabelece um certo valor de corrente.
Assim, presente relatório, tem
como propósito, descrever os
experimentos assim como, apresentar a
resolução de cálculos das medidas Figura 1: Multímetro
Fonte: Politerm site
experimentais obtidas.

2. Materiais e métodos

Para montagem do esquema e


realização deste experimento foram
utilizados os seguintes equipamentos:

01 fonte de tensão
02 multímetros digitais.
01 cronômetro digital. Figura 2: Conexão dos fios
06 cabos de conexão Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=856w3uPHYGE

01 painel DiasBlanco para leis de Ohm


Na primeira fase do experimento
foi conectado o fio positivo de corrente
contínua na fonte e no resistor do painel,
um fio negativo, conectado no final do Média 95,035
resistor e na saída da fonte. Na ligação Desv. Médio 2,183
dos multímetros, escolhe-se um
multímetro de será o voltímetro e estará Desv.padrão 3,027
em paralelo com a fonte, o fio RESISTOR 2
vermelho(positivo) é conectado no (U)ddp I(A) RESISTÊNCIA
positivo dele com o positivo da fonte, e 1 0,028 35,7
um fio preto conectado na saída dele
2,001 0,057 35,11
com a saída da fonte.
O outro multímetro é o 3,001 0,087 34,49
amperímetro e ele precisa estar em 4,001 0,116 34,491
série com qualquer uma das Média 34,8
resistências do sistema, assim, coloca- Desv. Médio 0,5
se um fio positivo no positivo da fonte
ligado na entrada do multímetro, e o fio Desv.padrão 0,58
negativo no comum do multímetro RESISTOR 3
diretamente na entrada do resistor. E (U)ddp I(A) RESISTÊNCIA
por fim, um fio negativo na saída do 1 0,058 17,24
resistor com o negativo da fonte
2,002 0,118 16,966
2,999 0,177 16,944
4,002 0,237 16,886
média 16,97
Desv. Médio 0,11
Desv.padrão 0,16
RESISTOR 4
(U)ddp I(A) RESISTÊNCIA
1,001 0,037 27,05
Figura 1: Fonte com as conexões 2,002 0,074 27,05
Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=856w3uPHYGE 3,002 0,11 27,291
3. Resultados 4,008 0,147 27,265
média 27,16
Primeiramente calculamos o as Desv. Médio 0,09
resistências (Ω) em cada resistor Desv.padrão 0,11

𝑅 =𝑈∙𝐼 (1)
Com os dados da Tabela,
Onde: geramos os gráficos da tensão (d.d.p)
𝑅: resistência (Ω); versus a corrente (i):
𝑈: d.d.p. aplicada nos terminas do
resistor (V);
𝐼: Intensidade de corrente “i” do resistor Resistor 1
(A). 6
5 y = 90,891x + 0,0945
RESISTOR 1 4
(U)ddp

(U)ddp I(A) RESISTÊNCIA 3


1,001 0,01 100,1 2
1
2,004 0,021 95,428
0
3,006 0,032 93,938 0,01 0,03 0,05
4,004 0,043 93,116 I(A)
5 0,054 92,592
“O primeiro a chegar a esta
Resistor 2 conclusão foi Georg Simon Ohm, que a
6 tornou conhecida como lei de Ohm.”
5
“A intensidade de corrente que
y = 33,965x + 0,0544
circula por um condutor (sob
4
temperatura constante) é, a cada
(U)ddp

3
instante, proporcional à diferença de
2
potencial aplicada às extremidades do
1 mesmo.”
0 “Esta lei é válida somente para
0,02 0,07 0,12 certos resistores, chamados resistores
I(A) ôhmicos (aquele que não a obedecem
são denominados resistores não-
ôhmicos”.
São todas corretas pois pelo gráfico
Resistor 3 conclui-se que é constante o quociente
6
entre a diferença de potencial aplicada
nos extremos do trecho pela intensidade
5 y = 16,738x + 0,0305 de corrente que por ele circula, e que à
4
proporcionalidade entre a d.d.p e a
(U)ddp

3
intensidade, como podemos ver na
2 fórmula (1).
1
0
0,05 0,15 0,25 5. Conclusão
I(A)
Com base nas teorias e analisamos o
que ocorre na prática, podemos assim
considerar que este experimento se
Resistor 4 adequa ao que está descrito em
literatura. Porém precisamos ressaltar
6
os possíveis erros, principalmente a
5 y = 27,232x - 0,0047 imprecisão na coleta dos dados e
4 possíveis erros de arredondamento que
(U)ddp

3 alteram a análise dos resultados.


2 Contudo, apesar de possíveis
1 erros, a veracidade da afirmação: “para
0 o mesmo trecho de um condutor,
0,03 0,08 0,13 0,18 mantendo a temperatura fixa, é
I(A) constante o quociente entre a diferença
de potencial aplicada nos extremos do
trecho pela intensidade de corrente que
por ele circula.” É correta pois segundo
4. Discussão os gráficos analisados a linearização
comprova esse fato.

Pelos resultados e análises 6. Referências Bibliográficas


obtidas, a veracidade das afirmações:
“para o mesmo trecho de um condutor, [1]https://www.moodle.udesc.br/plu
mantendo a temperatura fixa, é ginfile.php/1229947/mod_resource/
constante o quociente entre a diferença content/1/Experimento%20I%20-
de potencial aplicada nos extremos do %20Lei%20de%20Ohm%20-
trecho pela intensidade de corrente que %20Sem%20perguntas.pdf
por ele circula.”
[2]https://www.moodle.udesc.br/plu
ginfile.php/1239943/mod_resource/
content/1/Resultados%20experimen
tais%20-%20Experimento%201.pdf

[3]https://www.youtube.com/watch?
v=856w3uPHYGE

Você também pode gostar