Você está na página 1de 3

Apresentação Português 12º Ano

Se isto é um homem, Primo Levi

Bom dia a todos.

O livro que escolhi foi “Se isto é um Homem” de Primo Levi.

- Levi nasceu a 31 de Julho de 1919, em Turim, Itália.

- A sua família era judia liberal. Após terminar a escola secundária, prosseguiu os estudos na
universidade de Turim especializando-se em química. O governo fascista, nessa época (1938),
aprovou uma série de leis raciais que proibiam cidadãos judeus de frequentar escolas públicas.
Com todas estas dificuldades, Levi formou-se em 1941. Foi um engenheiro químico e escritor
(dos quais escreveu memórias, poemas, contos e novelas).

- No dia 13 de Dezembro de 1943, pertencendo à resistência, foi detido pelas forças alemãs.
Foi deportado para o campo de concentração de Auschwitz em Fevereiro do ano seguinte após
ter confessado a sua ascendência judaica.

- Dos 1000 judeus africanos mandados com Levi para Auschwitz, apenas 20 sobreviveram. Levi
foi um deles, dado fatores como saber um pouco de alemão por causa de publicações de
química que leu e dada a sua experiência profissional. Foi acometido por escarlatina que é uma
infeção, o que o salvou porque os restantes prisioneiros foram evacuados pelas forças da SS.
Este fenómeno mais conhecido como marcha da morte. Levi foi libertado a 27 de Janeiro de
1945 e só em 19 de Outubro regressou a casa (Turim). Durante esses meses esteve num ex-
campo de concentração soviético a recuperar. Após regressar a Itália, tornou-se num químico
industrial. Aí, começou a escrever sobre a sua vida no campo de concentração e a sua jornada.
Surgiu assim o livro que apresento, “Se isto é um homem” e “A Trégua”, sendo estes os mais
conhecidos pelo seu trabalho no holocausto, onde retrata eventos passados. Para além destes,
lançou um que é considerado um dos melhores livros de ciência.

- Após a libertação do campo de concentração, formou família com Lúcia Morpurgo, onde
tiveram uma filha, Lisa Levi, em 1948 e em 1957, Renzo Levi.

- Levi faleceu a 11 de Abril de 1987 em Turim, Itália. A causa da morte é incerta e especula-se
que se tenha suicidado. Encontra-se sepultado no cemitério monumental de Turim.

- Tal como referi o livro que hoje apresento é “Se isto é um Homem”. Este tornou-se
rapidamente um clássico da literatura italiana e é um dos livros mais importantes da produção
literária sobre as perseguições nazis aos judeus.

- Originalmente, este livro foi lançado em 1947. O seu idioma oficial é italiano. Quando Levi o
ia publicar, este foi rejeitado pela Einaudi,tendo sido publicada por outra editora. Mais tarde,
em 1959, foi aceite como clássico. Foi lançada uma edição portuguesa, traduzida por
Simonetta Cabrita Neto, a sua editora é o Público, Planeta DeAgostini, Teorema e Dom
Quixote.
- Fazendo o enquadramento histórico do livro, é retratado o holocausto. Este, como todos já
ouvimos falar foi o assassinato sitemático, cuidadosamente organizado, de 6 milhões de
judeus e de milhões de outras pessoas pelos nazistas e os seus colaboradores durante a 2ª
Guerra Mundial. Os atos de concentração em massa foram iniciados em 1941, quando os
alemães passaram a atirar em soviéticos judeus, tanto adultos como crianças, durante a
invasão da União Soviética. No final de 1941, os alemães começaram a deportar judeus para os
campos de concentração localizados na Polónia por eles ocupada. Daquele período até maio
de 1945, 2 entre cada 3 judeus europeus foram assassinados. Para ajudar na compreensão
deste fenómeno apresento um vídeo. -

- Não podia deixar passar a epígrafe deste livro, transmite uma mensagem de grande valor e
serve de ponto de ligação para o tema que Primo Levi nos apresenta.

"Vós que viveis tranquilos

nas vossas casas aquecidas,

vós encontrais regressando à noite

comida quente e rostos amigos:

considerai se isto é um homem,

que trabalha na lama

que não conhece a paz

que luta por meio pão

que morre por um sim ou por um não.

considerai se isto é uma mulher,

sem cabelos e sem nome

sem mais força para recordar

vazios os olhos e frio o regaço

como uma rã no Inverno.

meditai que isto aconteceu:

recomendo-vos estas palavras.

esculpi-as no vosso coração

estando em casa, andando pela rua,

ao deitar-vos e ao levantar-vos;

repeti-as aos vossos filhos.

ou que desmorone a vossa casa,


que a doença vos entrave,

que os vossos filhos vos virem a cara."

- O tema central que retiro deste livro, retrata a experiência no campo de concentração do
próprio escritor, uma perspetiva mais pormenorizada e vivida é “O fascismo e o poder do
desconhecido”. Muitos são os críticos e analistas que afirmam que Levi nunca cede à tentação
do melodrama e mantém-se sempre dentro dos limites da mais rigorosa objetividade, a vida e
a luta pela sobrevivência num meio em que o homem já nada conta. Para Primo Levi, o
fascismo é uma experiência baseada na ideia que todo o estranho pode ser inimigo. Talvez
esta ideia advenha das vivências e da, quase impossível, saída do campo de concentração com
vida. São traumas que sempre vão perseguir as pessoas que passaram por tais
acontecimentos. Momentos de luta, de fome, de dificuldade, de injustiça. Ter a capacidade de
retratar aquilo que viveu e mostrar uma outra realidade ao mundo é algo significante e que
merece o devido reconhecimento. Para terminar trouxe uma pequena animação que ajuda a
sintetizar os conteúdos desta apresentação. -

Espero que tenham gostado e que tenha contribuído para o vosso conhecimento sobre o tema
abordado.

Apresentação em Powerpoint: https://prezi.com/view/enqSEYTDWhsQ7ZCWBZx0/

Nome: Ana Catarina da Silva

Turma: 12ºE

Número: 2