Você está na página 1de 4

Excelentíssimo(a) Senhor(a) Doutor(a) Juiz(a) da _ Vara de Família e

Sucessões – Foro de ****

Convênio Defensoria Pública / OABSP

****, brasileiro, casado, motorista, portador do RG nº *** e do CPF nº ***-43, e-mail:


***********@gmail.com, e *********, brasileira, casada, operadora de caixa,
portadora do RG nº ********** e do CPF nº **********, e-mail:
**********@gmail.com, ambos residentes e domiciliados na Rua
**********************/SP, CEP 1******-000, vêm, mui respeitosamente, à
presença de Vossa Excelência, pelo advogado indicado pela defensoria pública abaixo
assinado (procurações anexas), proporem
DIVÓRCIO CONSENSUAL

com base no art. 226, §6º da Constituição Federal e art. 731 e seguintes do Código de
Processo Civil, com base nos fatos e fundamentos a seguir aduzidos:

I – DA ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA

Inicialmente, necessário destacar que os requerentes declaram não possuir, no


momento, condições financeiras para arcar com as despesas processuais e os
honorários advocatícios sem prejuízo do seu próprio sustento ou da sua família.
Desta feita, requer o consentimento dos benefícios da Justiça Gratuita, nos termos do
artigo 98 do Código de Processo Civil, garantindo-lhe, deste modo, o efetivo acesso à
justiça, juntando as cópias das carteiras de trabalho como forma de comprovação.

II – DOS FATOS

Os autores são casados civilmente sob o regime de comunhão parcial de bens, desde
21 de julho de 2007, conforme certidão de casamento (Doc. 01)

Desta união foram concebidos dois filhos:

1) Filho 1, menor impúbere, incapaz, nascido em 07 de outubro de 2010 (Doc. 02).

2) Filho 2, menor impúbere, incapaz, nascida em 07 de maio de 2013 (Doc. 03).

Durante a constância do matrimônio não foram constituídos bens materiais.


Os requerentes manifestam a vontade livre e consciente pela dissolução da sociedade
conjugal, sendo inviável a reconciliação, o que enseja a presente ação.

III. DOS FUNDAMENTOS JURÍDICOS

Os cônjuges pretendem, por mútuo consentimento, dissolver a sociedade conjugal,


através do DIVÓRCIO CONSENSUAL previsto tanto na Lei nº 6.515/77, quanto no
art. 226, § 6º, da Carta Magna, este último dispondo sobre a dissolução do casamento
civil pelo divórcio, sem a necessidade de comprovação do lapso temporal da
separação.

Quanto aos ALIMENTOS, esse direito decorre do poder familiar e do grau de


parentesco, conforme disposto no art. 1.694, Código Civil, in verbis:

"Art. 1.694. Podem os parentes, os cônjuges ou companheiros, pedir uns aos outros
os alimentos de que necessitem para viver de modo compatível com a sua condição
social, inclusive para atender às necessidades de sua educação".

Pugnam, assim, os requerentes pela homologação do presente acordo no que tange


aos alimentos aos filhos menores, na forma abaixo descrita, especificamente no item
III.2, e pela desnecessidade de alimentos de um cônjuge ao outro.

III.1. DA GUARDA DOS FILHOS

O cônjuge virago (Sra. XX) exercerá a guarda unilateral de ambos os filhos, tendo o
cônjuge varão (Sr. XX) o direito/dever de visitação em finais de semana alternados,
buscando-os na residência da genitora no sábado as 10:00hs, devolvendo-os no
domingo as 15:00hs, e todas as quartas feiras, das 17:00hs às 20:00hs.

Referente às datas comemorativas, quais sejam, Natais, Páscoas, dias das crianças,
aniversários das crianças e Réveillons, serão alternadas anualmente.

Quanto aos aniversários dos pais e nos dias dos pais/mães, os menores ficarão com
cada qual, independente da ordem cronológica de visitação.

Os cônjuges anuem em flexibilizar os dias e os horários de visitas, desde que sejam


previamente estabelecidos e acordados, e que tal ato não imponha prejuízo ao
rendimento escolar dos filhos.

III.2. DOS ALIMENTOS


O cônjuge varão (Sr. XX) consente em custear, a título de pensão alimentícia aos dois
filhos, 60% do Salário Mínimo vigente, equivalente hoje a R$660,00, que deverão ser
depositados na conta corrente de titularidade da genitora, Banco Caixa Econômica
Federal, Agência **, Conta Poupança nº ** (operação 013), com vencimento todo dia
05, com primeiro vencimento em 05 de março de 2021.

III.3. DOS BENS

Não há bens materiais que sejam objeto de divisão entre os cônjuges.

III.4. DO NOME

O cônjuge virago permanecerá com o nome de casada, qual seja,


*******************.

IV. DO PEDIDO E DOS REQUERIMENTOS

Diante de todo exposto, os peticionários requerem de Vossa Excelência que digne-se


a:

a) julgar procedente o presente pedido, para extinguir definitivamente o vínculo


conjugal mediante sentença que decrete divórcio, de logo renunciando ao prazo
recursal, em razão do caráter consensual;

b) Conceder os benefícios da gratuidade judiciária com base no art. 98 do CPC, em


razão da hipossuficiência dos requerentes, não tendo meios de custear as despesas
processuais sem prejuízo do sustento próprio ou de sua família;

c) intimar o D. Representante do Ministério Público, a fim de que acompanhe o


referido processo;

d) expedir o competente Mandado de Averbação ao Cartório de Registro Civil de


Pessoas Naturais da Comarca de I******/SP, situado à ****, **1, Centro, para que se
proceda com a devida averbação de divórcio na certidão de casamento matrícula
nº*************************.

e) Homologar o referido acordo no que tange a guarda, visitação e alimentos dos


menores Daniel e Giovana, da seguinte forma: A guarda será unilateral para a genitora
e o direito de visitação ao genitor será exercido em finais de semana alternados, das
10:00hs do sábado até as 17:00hs do domingo, e às quartas feiras, das 17:00hs às
20:00hs. Outras datas comemorativas serão alternadas anualmente e/ou flexibilizadas
mediante prévio acordo entre os requerentes; e referente a pensão alimentícia aos
dois filhos pagará o genitor a quantia de 60% do salário mínimo, hoje equivalente a
R$660,00, sempre depositados na conta da genitora, Banco Caixa Econômica Federal,
Agência 0**0, Conta Poupança nº 00****13-3 (operação 013), com vencimento todo
dia 05, com primeiro vencimento em 05 de março de 2021.

Protestam provar o alegado, por todos os meios de prova admitidos no direito.

Valor da causa de R$ 1.000,00 (hum mil reais).


Nesses termos,
Pede deferimento.
*****, 25 de fevereiro de 2021.
*****************
OAB/SP *******

_________________________
Requerente 1

_________________________
Requerente 2

Convênio Defensoria Pública / OABSP

Você também pode gostar