Você está na página 1de 9

Edna Pereira De Oliveira (8043378)

Licenciatura em Pedagogia

A IMPORTÂNCIA DA LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO


INFANTIL

Tutor: Prof. Vera Lucia de Faveri Fernandes e Silva

Claretiano - Centro Universitário

RONDÓNOPOLIS - MT
2022
Sumário
1 INTRODUÇÃO............................................................................................................................4
2. O ENSINO LÚDICO E SUAS VERTENTES............................................................................5
2.1 A EDUCAÇÃO LÚDICA INFANTIL..................................................................................5
2.2. A IMPORTANCIA DO BRINCAR.....................................................................................6
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS......................................................................................................8
A IMPORTÂNCIA DA LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO
INFANTIL

RESUMO

O presente trabalho tem como objetivo destacar a importância da aplicação da


metodologia lúdica na Educação Infantil para aprendizagem dos alunos. Para isso foi realizada
uma investigação sobre a importância do tema em questão como cita Bacelar (200, p. 24) A
ludicidade é de fundamental importância para o desenvolvimento da criança e, possivelmente por
isso, a brincadeira tem sido uma questão bastante discutida por diversos teóricos sobre a
atividade lúdica. Onde a ação expressada por meio de brincadeiras e jogos, o ato de brincar pode
ser conduzido independentemente de tempo, espaço ou de objetos proporciona que a criança
crie, recrie, invente e use sua imaginação, tornando o espaço escolar atrativo. Partindo desta
ideia lançada foi definido o objetivo geral que teve como princípio refletir “sobre a importância
dos jogos e das brincadeiras, numa perspectiva lúdica” no processo de ensino aprendizagem do
aluno da educação infantil. Portanto os objetivos específicos foram delimitados em realizar um
estudo bibliográfico sobre a importância da ensino no anos iniciais numa perspectiva lúdica,
identificando os benefícios das atividades lúdicas na educação infantil e observando qual o papel
do professor em relação aos jogos e brincadeiras no ensino infantil. Para a realização do trabalho
foi realizada uma pesquisa bibliográfica a fim de colher informações de autores que já
abordaram o tema e uma pesquisa de campo com o intuito de observar os jogos e brincadeiras na
educação infantil bem como a mediação do professor através do lúdico que ensinam sem as
exigências comuns o que torna a aprendizagem mais dinâmica e prazerosa.
1 INTRODUÇÃO
É de conhecimento geral “A Importância da ludicidade na Educação Infantil” a mesma é
uma ferramenta pedagógica que através das brincadeiras e jogos torna-se aprendizagem
significativa, possui um grande valor no desenvolvimento das crianças ao brincar elas aprendem,
elabora e compreende princípios morais e modelos sociais. O professor ao utilizar a brincadeira,
aproxima-se do seu aluno conhecendo ele melhor, acompanhando o processo ensino-
aprendizagem. Nota- se que mesmo sendo um tema em grande evidencia há dificuldades em
ensinar a mesma em sala de aula. O presente estudo pretende abordar a importância da
Ludicidade, a etapa em evidencia é a Educação Infantil.
A ludicidade é um substantivo feminino que se refere ao lúdico, tem origem do latim
“Ludus” que tem relação a jogos e brincadeiras com o intuito de facilitar o processo de ensino -
aprendizagem, colaborando na construção de saberes e conhecimento no ambiente escolar.
Para Alguns estudiosos como: Kishimoto (1994), Vera Bacelar (2009) afirmam a real
importância do brincar, frisando o lúdico como materiais facilitadores no processo de
desenvolvimento e aprendizado.
De acordo com Vera Bacelar “A ludicidade, como experiência interna, integra as dimensões
emocional, física e mental. Nesta perspectiva, ela envolve uma conexão entre o externo
(objetivo) e o interno (subjetivo) e portanto é de relevância significativa para a vida em todas as
suas fases e, especialmente, na Educação Infantil”.
Segundo a BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (BNCC) 2017, a Educação
Infantil é a primeira etapa da Educação Básica e há seis direitos de aprendizagem e
desenvolvimento que são, conviver, brincar, participar, explorar, expressar e conhecer-se.
Almeja-se, com o artigo proposto mostrar como os jogos e as brincadeiras são importante e
refletir sobre o brincar e suas contribuições para o ensino aprendizagem.
O presente estudo é uma pesquisa exploratória, de natureza qualitativa, sendo
caracterizado, segundo a natureza como uma pesquisa bibliográfica.
2. O ENSINO LÚDICO E SUAS VERTENTES
2.1 A EDUCAÇÃO LÚDICA INFANTIL

Neste trabalho foi realizado uma pesquisa bibliográfica sobre a importância do lúdico na
educação infantil bem como: o lúdico e a aprendizagem, o que os teóricos recomendam para o
lúdico; os jogos e brincadeiras na séries iniciais; a importância do brincar.

Neste apresenta uma breve discussão teórica e foram ligados a delimitação do tema, dos
objetivos, hipóteses, problemas e justificativas do trabalho em questão.O lúdico nas séries
iniciais é de fundamental importância, porque proporciona uma aprendizagem interativa e
prazerosa pois através do mesmo a criança aprende brincando.

Seguindo a reflexão citada no artigo de Almeida e Souza (2007, p.59) define o lúdico
através da avaliação de diversos pensadores:

Segundo Miranda (2001), o lúdico tem sua origem na palavra latina "ludus" que quer
dizer "jogo”. Observa-se que a origem do termo lúdico se refere apenas ao jogar, ao brincar e ao
movimento espontâneo.

De acordo com Aramão (1996), a evolução da análise da palavra "lúdico", entretanto, não
parou nas suas origens. O lúdico passou a ser reconhecido como um tema essencial para o estudo
do comportamento humano, dessa maneira a definição deixou de ser ligada diretamente aos
jogos. As consequências da necessidade lúdica ultrapassaram as demarcações do brincar
espontâneo.
Segundo Borin (1996), a ideia de unir o lúdico à educação surgiu principalmente a partir
do movimento da Escola Nova e da adoção dos chamados "métodos ativos". No entanto, esta
ideia não é tão nova nem tão recente quanto possa parecer. De acordo com Borin (1996, p.45).

O lúdico promove a aprendizagem e favorece o desenvolvimento físico intelectual e social da


criança, ou seja, possibilita um desenvolvimento real, completo e prazeroso.

Sendo assim, no estado lúdico, o ser humano está inteiro, ou seja, está
vivenciando uma experiência que integra sentimento, pensamento e ação,
de forma plena. Nessa perspectiva, não há separação entre esses
elementos. A vivência se dá nos níveis corporal, emocional, mental e
social, de forma integral e integrada. Esta experiência é própria de cada
indivíduo, se processa interiormente e de forma peculiar em cada história
pessoal. Portanto, só o indivíduo pode expressar se está em estado lúdico.
Uma determinada brincadeira pode ser lúdica para uma pessoa e não ser
para outra Atividade. (BACELAR, 2009, p. 25).

Como cita a autora acima as atividades lúdicas interagem com o indivíduos colocando-os
em estado participante e integrado atividade, pois o brincar as crianças interagem entre si e com
isso aprendem de maneira significativa.
Segundo Kishimoto (1994) Quando a criança brinca, consegue desenvolver habilidades
essenciais a uma boa formação: – a coordenação motora, o conhecimento, o lado afetivo e o
social. E a escola é o espaço que utiliza essa ferramenta de grande importância para o
desenvolvimento infantil.

Pelo exposto acima se entende que as atividades lúdicas divertem e proporcionam


descobertas através de estímulos propostos pelo professor que institui regras e posicionamentos
para desenvolver os jogos e brincadeiras de forma criativa e divertida.

Para que o lúdico facilite o aprendizado da criança inserida a esse processo é necessário
que o professor faça a mediação da atividade planejada, para que esta estabeleça os
objetivos para atividade, para que a brincadeira tenha um caráter pedagógico promovendo dessa
maneira interação social e o desenvolvimento intelectual.

Segundo Kishimoto (1994 p. 83), ao permitir a manifestação do imaginário infantil por


meio de objetos simbólicos dispostos intencionalmente a função pedagógica subsidia o
desenvolvimento integral da criança.

Portanto nota-se que ao trabalhar o imaginário da criança na escola utilizando o lúdico


permite desenvolver a criatividade através dos objetos pré-dispostos de maneira intencional.

2.2. A IMPORTANCIA DO BRINCAR

Para Vygotsky (1984) O que define o brincar é a situação imaginária criada pela criança.
Ao brincar, a criança busca imitar, criar, imaginar, representar e comunicar de uma forma
específica que uma coisa pode ser outra, que uma pessoa pode ser um personagem, que uma
criança pode ser um objeto ou um animal, que um lugar faz de conta que é o outro. O brincar
permite observar a coordenação das experiências prévias das crianças, através da ativação da
memória, e aquilo que os objetos manipulados sugerem ou provocam no momento presente.

É fundamental que o educando crie atividades pedagógicas que insira o aluno em


brincadeiras sócio educativas que permitam além da diversão o aprendizado e absorção de
experiencias.

Portanto seguindo o pensamento de alguns estudiosos como: Kishimoto (1994), Azevedo


(2008) e Vygotsky (1991), que definem a real importância do brincar, frisando o lúdico como
materiais facilitadores no processo de desenvolvimento e aprendizado. Diante disto o autor
Velasco (1996), ressalta que as brincadeiras abordam o desenvolvimento, a socialização e
também a aprendizagem na educação infantil. No momento do brincar e jogar a criança sente
prazer em realizá-las, pois permite um momento de aprender e raciocinar sem esforços
. Este processo é muito importante para o desenvolvimento intelectual da criança pois
facilita a absorção de conhecimento e experiências de vida permitindo que a mesma consiga
atingir níveis de aprendizado em diferentes áreas do saber. Almeida (2014) complementa que as
atividades lúdicas contribuem para o desenvolvimento e aprendizagem da criança,
porque colabora   na sua formação, no seu desenvolvimento    pessoal e    consequentemente   no
desenvolvimento de uma autoestima satisfatória.

A educação lúdica contribui e influencia na formação da criança,


possibilitando um crescimento sadio, um enriquecimento permanente,
integrando-se ao mais alto espírito democrático enquanto investe em uma
produção séria do conhecimento. A sua prática exige a participação
franca, criativa, livre, crítica, promovendo a interação social e tendo em
vista o forte compromisso de transformação e modificação do meio
(ALMEIDA, 2008, p. 41).

A inserção de atividades visuais podem facilitar a imersão do aluno a essa vertente lúdica onde o
ato de entretenimento se bem aplicado pode emergir a criança a esse mundo de aprendizados
facilitado. O uso de vídeos desenhos animados, filmes infantis e etc., podem facilitar o
aprendizado da criança pois o mesmo de forma espontânea e direta permite a inserção do aluno a
outras área do saber de forma rápida e facilitada. Muitas escolas ainda temem utilizar a
tecnologia com as crianças. Porém, a verdade é que mesmo o mais novo dos alunos já tem
contato com as telas.
Utilizar a tecnologia na sala de aula aproxima o aprendizado da realidade do aluno. Por
isso, é fundamental a busca por jogos, aplicativos, sites e vídeos que vão proporcionar mais
momentos lúdicos em sala de aula. Filmes também podem fazer parte do plano de aula. A
ludicidade na Educação Infantil não é apenas uma boa ferramenta: ela é essencial. Porém
depende que o professor tenha dinamismo durante a atividade para que a mesma não se torne
uma recreação e sim uma atividade pedagógica com as outras que este aplica durante o ano
letivo.

Observando essa temática do ato de brinca e aprender ao mesmo tempo é importante


lembrar que o aluno dessa fase da educação infantil não possui o mesmo nível de maturidade
escolar que se comparado com os outros níveis escolares. É neste nível que o mesmo tem o
primeiro contato com a educação, e fica de desafio para o professor que essa iniciação seja de
forma correta, saudável e que proporcionem ao aluno uma formação inicial que será fundamental
para o decorrer da sua trajetória.
3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

De fato é possível afirmar que atualmente as atividades lúdicas fazem parte do processo
educacional e a falta dela pode ser prejudicial para o nível de aprendizados, estudos nos países
desenvolvidos como o Japão que possui um dos melhores aparatos tecnológicos do mundo e um
acesso à tecnologia facilitado que permite o uso indiscriminado em escolas de diversos níveis
para o auxílio do aprendizado mostrando o quanto esses países evoluíram na forma de ensinar as
crianças. Desenvolvendo nesta capacidades que eram vistas apenas em outros níveis
educacionais, promovendo também a inclusão destes alunos. Portanto os docentes devem se
preparar cada vez mais para migração deste processo na educação, porém essa inserção deve ser
realizada de forma gradual e estudada para que não haja aplicação incorreta desta técnica de
aprendizagem, evitando que esta atividade pedagógica tenha o efeito desejado se tornando uma
atividade de recreação o que não é o objetivo.
Percebe-se que o lúdico aliado aos jogos e brincadeiras é de fundamental importância
para aprendizagem das crianças da educação infantil, pois ensinam brincando e colocam regras
às atividades planejadas pelo professor. Pois o lúdico desperta no aluno o desejo do saber, ou
seja, do aprender desenvolvendo sua personalidade, pois cria conceitos e relações lógicas de
socialização o que é de suma importância para seu desenvolvimento pessoal e social.

Segundo Kishimoto(1994) Quando a criança percebe que existe uma sistematização na


proposta de uma atividade dinâmica e lúdica, a brincadeira passa a ser interessante e a
concentração do aluno fica maior, assimilando os conteúdos com mais facilidades e naturalidade.

Desta forma o estudo constatou que ensinar ludicamente através dos jogos e brincadeiras torna a
aprendizagem da educação infantil significativa e prazerosa, porque ambas proporcionam um
aprendizado sem cobranças. Possibilitando ao educando a imersão em diversas áreas do saber.
REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Paulo Nunes.de Educação Lúdica. Técnicas e Jogos Pedagógicos. Ipiranga, SP.
Loyola, 2003.

CIÊNCIAS NO ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS INICIAIS: UNIDADES


TEMÁTICAS, OBJETOS DE CONHECIMENTO E HABILIDADES.
Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular,2017. Disponível em:
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/#fundamental/ciencias-no-ensino-
fundamental-anos-iniciais-unidades-tematicas-objetos-de-conhecimento-e-habilidades.
Acesso em: 29 de mai. 2022.

Bacelar, Vera Lúcia da Encarnação. Ludicidade e educação infantil / Vera Lúcia da


Encarnação Bacelar. - Salvador: EDUFBA, 2009. 144 p.

REFAF – Revista Eletrônica da Faculdade de Direito de Alta Floresta – MT V.6,N.2


(2017). Disponível em:http://refaf.com.br/index.php/refaf/. Acesso em: 29 de mai. 2022.

VIEIRA, M. G. et al. Atividades lúdicas como ferramenta pedagógica na Educação


Infantil: uma análise numa escola do Espírito Santo. Dialogia, São Paulo, n. 19, p. 163-176,
jan./jun. 2014.

KISHIMOTO, T. M. O jogo e a educação infantil. São Paulo: Pioneira, 1994.

O Prazer de Aprender brincando. Juliana Ribeiro de Oliveira

Você também pode gostar