Você está na página 1de 134

Traduzido do Inglês para o Português - www.onlinedoctranslator.

com
Conteúdo
Prefácio
Introdução
Capítulo 1O Propósito do Ministério
Profético Capítulo 2Profetas e profecias
Capítulo 3Aprendendo a ouvir a voz de
Deus Capítulo 4A Linguagem de Deus
capítulo 5 Julgando e recebendo palavras proféticas
Capítulo 6Recebendo e Ministrando no Dom de
Profecia Capítulo 7Etiqueta Profética Capítulo 8Falsos
Profetas
Capítulo 9 Praticando Profecia
Epílogo
Apêndice - Diário de Experiência Pessoal
Prefácio
Uma nova geração de águias proféticas voadoras está agora aqui
entre nós. Esses crentes que assumem riscos no Senhor Jesus Cristo
não estão em algum lugar "lá fora" em um futuro distante - eles estão
conosco agora.
Kris Vallotton e sua equipe na Escola do Sobrenatural da Bethel
Church em Redding, Califórnia, parecem estar liderando o caminho!
Eles têm o mais alto nível de transmissão de qualquer escola do
sobrenatural que eu conheço em qualquer lugar hoje. Sim está
certo!
Esta geração de guerreiros radicais é cortada de um tecido
diferente da minha geração. Viemos da religião e aprendemos o
sobrenatural. Mas esta geração nasceu no sobrenatural e está
voando alto nas coisas de Deus desde tenra idade.
Uau – então onde isso deixa aqueles da minha geração? Somos
deixados como espectadores apenas aplaudindo as façanhas dos
novos Josué e Calebe? Absolutamente não! Há novas vistas para
cada um de nós. Na verdade, digo a alguns de meus alunos: "Vocês
vão ter que correr rápido para me pegar porque estou prestes a
pegar meu segundo (ou terceiro) fôlego e vou correr mais que todos
vocês!" Eu acho que você entendeu a minha deriva.
Deixe-me esclarecer meu ponto, contando-lhe um dos muitos sonhos
significativos de minha esposa. Havia uma fila de homens e mulheres, todos
alinhados ordenadamente – minha esposa, Michal Ann, estava posicionada
ali entre eles. Um convite foi feito pelo Espírito Santo para que pais e mães
no profético dessem um passo à frente. No sonho, todos os outros deram
um passo para trás, de modo que parecia que Michal Ann havia acabado de
se oferecer. Então uma forte rajada de vento a atingiu por trás e a jogou
ainda mais para frente.
Ela foi despertada do sonho sabendo de alguma forma que ela
tinha acabado de ser escolhida, ou se ofereceu com ajuda, para ser a
mãe dos proféticos em sua geração. Tem sido incrível ver o que o
Senhor tem feito com esta querida senhora, uma vez retraída, que foi
empurrada para a frente do exército de compaixão profética de Deus.
Se isso pode acontecer com Michal Ann e James W. Goll, pode
acontecer com qualquer um! Lembre-se – Ele não faz acepção de
pessoas. Ele está à procura de novos voluntários em todos os
momentos. Há espaço em Seu exército para você!
É disso que trata o manual que você tem em mãos – Treinamento
Básico para o Ministério Profético. É uma das ferramentas de Deus para
este tempo e dia, escrita das trincheiras da grande experiência. Meu
amigo, Kris Vallotton, é um dos pais em formação. Sim, há muitos pais e
mães que se voluntariam para levantar a voz do Senhor.
Quer se juntar a eles? Então rasgue este livro. Incline-se e
aprenda tudo o que puder. Então tire as mãos dos bolsos, coloque
os pés fora das quatro paredes de sua igreja e casa, abra bem a
boca e deixe o Espírito Santo preenchê-la. Faça algo pelo amor de
Jesus!
Este manual é um chamado para que surjam guerreiros
apaixonados e consagrados. Portanto, é com profunda admiração e
alegria que tenho o privilégio de recomendar a você este guia de
treinamento. Junte-se a Kris e eu e a uma nova geração que está
aprendendo a voar alto nas coisas do Espírito Santo e levar outros
com eles. Ofereça-se livremente no dia do Seu poder e junte-se ao
Seu chamado para a guerra!
—Dr. James W. Goll
Cofundador da Encounters Network Autor de The Seer, Dream
Language, The Coming Prophetic Revolution e muitos outros.
www.jamesgoll.com
Prefácio
Este livro não foi escrito para ser a palavra final sobre o ministério
profético. O objetivo era ajudar a desenvolver e facilitar comunidades
proféticas. Além de ensinar como ministrar profeticamente, também
compartilho uma perspectiva que promove uma comunidade saudável
de crentes. Portanto, enfatizei intencionalmente a instrução, que
ajudará os líderes a pastorear o povo profético de suas comunidades.
Com isso em mente, há perguntas instigantes e uma seção de
aplicação para a vida no final de cada capítulo. As respostas às
Perguntas para Ponderar encontram-se nos capítulos. As Perguntas
para Discussões em Grupo não são respondidas diretamente nos
capítulos, mas devem provocar reflexão e estimular a discussão.
Muitas vezes aprendemos mais por meio de nossa própria descoberta
do que com o ensino de outra pessoa. Essas perguntas devem ajudar
a facilitar o processo de descoberta.
O propósito da seção de Aplicação para a Vida é ajudá-lo a superar
os obstáculos que o impedem de avançar no ministério profético. Há
também ideias sobre como aplicar na prática o que você está
aprendendo.
Minha sincera oração é que todo cristão que lê este livro se aproxime
de Deus e se junte a nós na destruição das obras do diabo.
Deixe a jornada começar!
“Vocês são os filhos dos
profetas...” (Atos 3:25)
"... as obras que eu faço, ele também
as fará; e as fará maiores do que estas;
porque eu vou para o Pai" (João 14:12)
Introdução
Nos dias do profeta Elias, surgiu um grupo de homens que foram
chamados de "filhos dos profetas". Esses homens viajaram por todo o
mundo devastando os poderes das trevas, causando estragos em
reinos malignos. Eles não toleraram o comportamento destrutivo dos
reis ímpios, mas transformaram muitos em retidão. Eles ressuscitaram
os mortos, curaram os enfermos, dividiram rios, destruíram os falsos
profetas e viram o avivamento se espalhar por toda a sua terra. Eles
eram temidos por muitos e respeitados por todos. Eles andaram em
grande pureza; e Deus era seu amigo.
Hoje, ao nosso redor, a maldade continua a crescer, criando
raízes na vida daqueles que amamos e corroendo a própria
fundação de nosso país. O satanismo está se espalhando como
fogo. Videntes riem na cara da igreja enquanto demonstram o poder
do lado negro. O divórcio está destruindo nossas famílias e a
violência está corrompendo nossos filhos. Doenças e doenças tiram
a vida de muitos. No entanto, as palavras de nosso Senhor Jesus
ecoam pelos corredores da história: "...quem crê em mim, também
fará as obras que eu faço; e as fará maiores do que estas; porque
eu vou para o Pai " (João 14:12).
Em Atos 3:25, Pedro diz: "Vocês são os filhos dos profetas..." É
hora do Corpo de Cristo se levantar e receber nossa herança!
Devemos nos livrar da complacência e restaurar os antigos limites
de santidade e demonstrações de grande poder. Não podemos ficar
satisfeitos com sermões ilustrativos, boa música e serviços
amigáveis. Fomos chamados para ver os poderes das trevas
destruídos e nossas cidades arruinadas restauradas.
Nos dias de Moisés, Deus demonstrou Seu poder a Faraó, mas
Faraó contra-atacou fazendo com que seus feiticeiros duplicassem os
milagres de Deus. Então o Deus do Céu, que tem todo o poder,
realizou milagres extraordinários, de modo que até os feiticeiros
disseram: "Este deve ser Deus. Não podemos realizar esses
milagres". Finalmente Faraó foi vencido pelo poder de Deus e deixou
Seu povo ir. (Veja Êxodo 7-12.)
Eu acredito que o faraó desta era está prestes a deixar nossas cidades
enquanto Deus demonstra Seu poder bruto através de Sua Igreja. Estamos
no meio
do maior avivamento da história humana. No entanto, permanece
uma distância entre o que deveria ser e o que será.
Essa distância é você! O que você será?
Vocêsão a ponte entre a história e a Sua história.
Os doentes, os demonizados, os pobres, os cegos, os coxos e
os perdidos estão esperando para ver o que você aprendeu.
Não os decepcione!
Capítulo 1
O Propósito do Ministério Profético
Este capítulo explora o impacto que a profecia tem sobre as pessoas e os valores
centrais que devem motivar o ministério profético.
Ministério Profético — Procurando um Tesouro
O preço que Jesus pagou na Cruz determinou o valor das pessoas que
Ele comprou. Deus viu algo bom em nós mesmo quando éramos
pecadores. Não é preciso um dom profético para ver o pecado nos
pecadores ou o lixo na vida dos cristãos. No entanto, requer os olhos de
Deus para ver pessoas quebradas como Simão (Simão significa "cana
quebrada") e, no meio de seu quebrantamento, chamá-las de Pedro (Pedro
significa "rocha"). O verdadeiro ministério profético está procurando ouro no
meio da sujeira na vida das pessoas.
Encontrando tesouros na vida dos pecadores
Paulo nos diz em Primeira Coríntios 14:24-25 que a profecia
revela os segredos do coração dos incrédulos.

Mas se todos profetizarem, e um incrédulo ou um homem não


dotado entrar, ele é condenado por todos, ele é chamado a prestar
contas por todos; os segredos de seu coração são revelados; e
assim ele se prostrará e adorará a Deus, declarando que Deus
certamente está entre vocês.
Observe na passagem que a pessoa que recebe a palavra
profética não se arrepende, mas sim “cairá com o rosto em terra e
adorará a Deus”. A maioria das pessoas sabe o que há de errado
com elas, mas não tem consciência da grandeza que Deus colocou
em suas vidas. Lembre-se de que Jesus não apenas morreu por
nossos pecados, mas Ele ofereceu Sua vida porque "nos sentimos
destituídos da glória de Deus" (Rm 3:23). A profecia leva as
pessoas a uma revelação da glória que Deus lhes designou. Essa
exposição traz convicção em suas vidas de que eles estão vivendo
abaixo do padrão glorioso que Deus estabeleceu para eles.
A profecia revela segredos nos corações dos
incrédulos.
O ministério profético pode mudar o coração
das pessoas
No nono capítulo de Primeiro Samuel há uma emocionante
história de ministério profético redirecionando o coração de alguém.
Saul foi enviado por seu pai para encontrar suas jumentas
perdidas. Após uma aventura malsucedida, eles decidem ir até a
cidade mais próxima para pedir orientação a um certo profeta.
Enquanto isso, Deus diz a Samuel que Saul está vindo até ele para
encontrar suas jumentas e, surpreendentemente, ele deve ungi-lo rei
de Israel. Quando Saul finalmente encontra Samuel, o profeta o
informa que seus jumentos já foram encontrados. Então ele atordoa
Saul, pedindo-lhe que fique até o dia seguinte para lhe contar tudo o
que está em sua mente, porque ele é o homem em quem estão todos
os desejos de Israel. Saul fica chocado e diz a Samuel: "Não sou eu
benjamita, da menor das tribos de Israel, e minha família a menor de
todas as famílias da tribo de Benjamim? Por que então você fala
comigo dessa maneira? "
A baixa auto-estima fez com que muitas pessoas perdessem de vista
a grandeza que Deus colocou nelas. Observe que Samuel diz que vai lhe
dizer o que já está em sua mente (literalmente coração). A história
continua descrevendo como Samuel unge Saul rei e lhe diz que ele vai
encontrar um grupo de profetas que descem das colinas. Quando ele se
juntar a eles, ele será transformado em outro homem. Quando Saul se
virou para sair, ele foi transformado em outro homem. Ele foi
transformado de volta no homem que ele foi projetado para ser desde o
início. O homem real que estava escondido sob baixa auto-estima e
pecado foi revelado e restaurado. Este é o coração do verdadeiro
ministério profético!

Samuel respondeu a Saul e disse: "Eu sou o vidente. Suba diante de


mim ao alto, porque você comerá hoje comigo; e pela manhã eu o deixarei
ir e lhe direi tudo o que você pensa. Quanto aos seus jumentos, que se
perderam há três dias, não se preocupe com eles, pois foram achados. E
para quem é tudo o que há de desejável em Israel? Não é para você e para
toda a casa de seu pai? Saul respondeu: "Não sou eu benjamita, da menor
das tribos de Israel, e minha família a menor de todas as famílias de
a tribo de Benjamim? Por que, então, você fala assim comigo?"
Então Samuel tomou Saul e seu servo e os trouxe para o salão e
deu-lhes um lugar à frente dos convidados, que eram cerca de trinta
homens (1 Samuel 9:19 -22).

Depois você chegará ao monte de Deus, onde está a guarnição


filistéia; e será logo que você chegar lá à cidade, que você encontrará um
grupo de profetas que descem do alto com harpa, tamborim, flauta e lira
diante deles, e eles estarão profetizando. Então o Espírito do Senhor virá
sobre ti poderosamente, e profetizarás com eles e serás transformado
em outro homem (1 Samuel 10:5-6).
A grandeza promove o orgulho?
Alguns acreditam que chamar a grandeza das pessoas promove
o orgulho. A verdadeira humildade não é pensar menos de si
mesmo, mas pensar menos em si mesmo. A verdade da graça de
Deus humilha o homem sem degradá-lo e exalta o homem sem
inflar.
Algum tempo atrás eu estava ensinando sobre os propósitos do
ministério profético. Começando com alguns comentários iniciais, eu
disse: "A profecia chama a atenção para a grandeza das pessoas."
Nesse momento, um pastor entrou pela porta dos fundos e disse:
"Tenho uma pergunta."
"O que é isso?"
"Eu acredito que Deus é grande", disse ele.
"Sim. Eu disse algo que fez você sentir que Deus não era grande?"
"Você disse que devemos chamar a atenção para a grandeza das
pessoas. Eu acredito que você
estão criando orgulho nas pessoas fazendo isso", disse ele.
Eu retruquei: "Acredito que por anos a igreja tem castrado e
castrado as pessoas em nome da humildade." Apontei para um belo
quadro na parede e disse: "Vamos fingir que você pintou esse
quadro"
"OK", disse ele, parecendo confuso.
"Essa é uma pintura de aparência estúpida! Olhe para essas cores
feias!" Eu gritei. "Agora", eu perguntei a ele, "rebaixar a pintura
glorificou o artista?"
"Não", disse ele.
"Não é verdade que a beleza da pintura realmente traz honra ao
artista?" "Sim, isso é verdade", disse ele.
"Você não se pintou - Deus pintou você", eu disse a ele. "Não só isso,
mas Jesus é quem se sentou na cadeira e modelou para o retrato.
Somos criados à Sua imagem e à Sua semelhança. Cada vez que nos
rebaixamos estamos falando mal do Artista e do Modelo. A verdade é
que a beleza da criação realmente dá glória ao Criador."
Verdadeira Humildade Expressa
Há uma história interessante em Daniel capítulo 4. Nabucodonosor
tem um sonho sobre uma grande e bela árvore sendo cortada por um
anjo. Daniel interpreta o sonho como significando que "Nebs" está
prestes a perder a cabeça por sete anos por causa de sua arrogância e
orgulho. Ele se tornará como um animal até que reconheça que Deus é o
governante do mundo. Doze meses depois, o rei está no telhado de seu
castelo dizendo a si mesmo o quão incrível ele é por ter construído a
Babilônia com sua própria força e poder.
Só então ele fica louco. Ele se torna como um animal, vivendo nos
campos comendo grama. Depois de sete anos, sua sanidade retorna. Veja
as primeiras palavras que Nabucodonosor disse quando finalmente
conseguiu falar em vez de murmurar:

Naquele momento minha razão voltou para mim e minha


majestade e esplendor foram restaurados para mim para a glória de
meu reino, e meus conselheiros e meus nobres começaram a me
procurar; então fui restabelecido em minha soberania, e grandeza
insuperável foi acrescentada a mim. Agora eu, Nabucodonosor,
louvo, exalto e honro o Rei dos Céus, pois todas as Suas obras são
verdadeiras e Seus caminhos justos, e Ele é capaz de humilhar
aqueles que andam em orgulho (Daniel 4:36-57).
Nabucodonosor está dizendo: "Eu sou humildemente incrível!"
Humildade não é se rebaixar, é exaltar nosso Deus!
Perguntas para ponderar
1. Qual é o propósito principal do ministério profético?
2. O que deixamos a desejar quando éramos pecadores?
3. Quais são os segredos do coração das pessoas?
O Propósito do Ministério Profético
4. O que é a verdadeira humildade?
5. De quem você foi modelado quando foi criado?
Perguntas para discussão em grupo
1. Como posso me envolver com pessoas más e ainda
chamar a atenção para a grandeza delas?
2. Existe um momento em que é errado mostrar às pessoas a
glória que Deus escondeu nelas?
Aplicação de vida
Pense em uma pessoa em sua vida com quem você tem mais
problemas. Passe algum tempo orando por essa pessoa. Peça ao
Espírito Santo que lhe revele um aspecto da glória de Deus que é
atribuído a essa pessoa. Agora, diga a essa pessoa o que você vê e
observe como isso afeta seu relacionamento.
Capítulo 2
Profetas e profecias
Você já se perguntou qual é a diferença entre o Dom de Profecia e o Ofício de
Profeta? Neste capítulo, os muitos mistérios que têm confundido a igreja por gerações
são desvendados.
O Dom da Profecia
O dom de profecia é um dos nove dons do Espírito Santo.

Agora existem variedades de dons, mas o mesmo Espírito. E há


variedades de ministérios, e o mesmo Senhor. Existem variedades de
efeitos, mas o mesmo Deus que opera todas as coisas em todas as
pessoas. Mas a cada um é dada a manifestação do Espírito para o
bem comum. Porque a um é dada a palavra de sabedoria pelo
Espírito, e a outro a palavra de conhecimento segundo o mesmo
Espírito; a outro fé pelo mesmo Espírito, e a outro dons de curar por
um Espírito, e a outro operação de milagres, e a outro profecia, e a
outro discernimento de espíritos, e a outro vários tipos de línguas, e a
outro a interpretação de línguas. Mas um e o mesmo Espírito opera
todas essas coisas, distribuindo a cada um individualmente como quer
(1 Coríntios 12:4-11).
Devemos desejar fervorosamente os dons espirituais. Desejar
sinceramente significa "cobiçar" - Deus quer que busquemos Seus
dons! Ele deseja nos dar Seus dons mais do que jamais poderíamos
desejá-los.
Busque o amor, mas deseje com zelo os dons espirituais, mas
principalmente que você possa profetizar. Pois quem fala em outra língua não
fala a homens, mas a
Deus; pois ninguém entende, mas em seu espírito ele fala mistérios.
Mas aquele que profetiza fala aos homens para edificação,
exortação e consolação (1 Coríntios 4:1-3, ênfase adicionada).
A profecia é um presente — não um prêmio
Nós não ganhamos! Recebemos perguntando. Isso significa que
mesmo pessoas muito talentosas não são necessariamente cristãos
maduros. Eles podem até não ter um bom caráter. Portanto, os dons do
Espírito não validam nossa caminhada com Deus. É o fruto do Espírito
que se desenvolve à medida que a pessoa amadurece em Cristo. A
palavra grega para presente é "carisma", que significa "favor que alguém
recebe sem nenhum mérito próprio". O fruto do Espírito é a evidência de
maturidade em nossas vidas. Esses frutos crescem em nossas vidas à
medida que permitimos que o Espírito Santo trabalhe em nós e não
apenas através de nós.

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, longanimidade,


benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio; contra
tais coisas não há lei (Gálatas 5:22-23).
O dom de profecia tem o propósito de edificação, exortação e
consolação. Edificação significa "edificar". Exortação significa
"chamar para perto". Consolação significa "animar".
Para Incentivar a Igreja
O propósito primário do dom de profecia não é dirigir ou corrigir o
Corpo de Cristo, mas sim encorajar a igreja. Nunca devemos permitir
que as pessoas que estão ministrando no dom de profecia falem
negativamente na vida dos outros. O objetivo do dom de profecia é
trazer o melhor das pessoas! Devemos minerar o ouro que está na
terra e encontrar tesouros escondidos na vida das pessoas. Se vemos
coisas negativas na vida de alguém a quem estamos ministrando,
devemos pedir ao Espírito Santo que nos dê a resposta para o
problema que discernimos. Então profetizamos a resposta — não o
problema. Dessa forma, a pessoa para quem estamos profetizando
receberá graça para resolver seu problema.
Por exemplo, se estamos ministrando a alguém e discernimos que eles
estão lutando contra a pornografia, o Espírito Santo muitas vezes nos dá
uma palavra profética para eles, como: "Deus está chamando você para um
novo nível de pureza e
santidade."Dessa forma, profetizamos a resposta sem falar do
problema e liberamos graça para quebrar a escravidão da
pornografia.
A profecia encoraja a Igreja.
Qualquer um que é salvo e recebe o batismo do Espírito Santo
pode ministrar nos dons do Espírito.

Pois todos vocês podem profetizar um por um, para que todos
aprendam e todos sejam exortados (1 Coríntios 14:31).

"E será nos últimos dias", diz Deus, "que derramarei do meu Espírito
sobre toda a humanidade; e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, e
vossos jovens terão visões, e vossos velhos sonharão. sonhos; até
mesmo sobre os meus escravos, homens e mulheres, naqueles dias
derramarei do meu Espírito, e eles profetizarão" (Atos 2:17-18).
Profetas
Cristo deu os profetas à igreja como um dom. A principal função
de um profeta é equipar os santos para fazer o trabalho de serviço.
O profeta equipa a igreja com olhos para ver e ouvidos para ouvir. A
graça que os profetas carregam pode literalmente fazer com que as
pessoas sejam capazes de ouvir a voz do Espírito. Os profetas têm
autoridade para corrigir e dirigir porque fazem parte do governo de
Deus.
O Chamado de um Profeta ou Profetisa
O ofício do profeta é um chamado para a vida. A maioria dos profetas
são chamados no nascimento ou quando nascem de novo. Eu não acredito
que isso é algo que você pede ou procura se tornar. É a escolha do Senhor.
No entanto, se você for chamado, ainda terá a responsabilidade de
desenvolver seu dom. Lembro-me de ouvir Graham Cooke dizer muitos
anos atrás durante uma conferência: "Demora quatorze anos para uma
pessoa se tornar um profeta depois de ser chamada".
Mas a cada um de nós a graça foi dada segundo a medida do dom de
Cristo. Portanto, diz: "Quando subiu ao alto, levou cativos muitos cativos,
e deu dons aos homens". (Ora, esta expressão, "Ele subiu", o que
significa, exceto que Ele também desceu às partes mais baixas da terra?
Aquele que desceu é também Aquele que subiu muito acima de todos os
céus, para que Ele pudesse preencher todas as coisas .) E deu uns
como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e
outros como pastores e mestres, para o preparo dos santos para a obra
do serviço, para a edificação do corpo de Cristo; até que todos
cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a
homem feito, à medida da estatura da plenitude de Cristo (Efésios 4:7-
13).
Para recebermos a graça que nos permite ver e ouvir (que é a
recompensa do profeta), devemos receber o profeta em nome de
profeta.

Quem recebe um profeta na qualidade de profeta, receberá


galardão de profeta; e quem recebe um justo na qualidade de justo,
receberá a recompensa de justo (Mateus 10:41, ênfase adicionada).
Cada um de nós recebe das pessoas com base no papel que
entendemos que elas desempenham em nossas vidas. Por exemplo,
alguém que busca o conselho de um profeta deve perceber que, ao
contrário de um pastor (cujo melhor conselho vem depois de muito ouvir),
um profeta muitas vezes dará seu melhor insight com pouca ou nenhuma
informação prévia. Uma pessoa que tenta receber esse tipo de conselho
sem entender o dom e o papel do profeta pode pensar consigo mesma:
"Como você pode me aconselhar se nem mesmo entende minha
situação?" Portanto, é importante que compreendamos os vários papéis
que os membros do Corpo de Cristo desempenham em nossas vidas.
O ministério quíntuplo
O que se segue é uma visão geral muito breve dos escritórios
governamentais na igreja. Está incluída uma breve descrição de
seus papéis no Corpo de Cristo, dando compreensão e assistência
para receber seu ministério em nossas vidas.
Os apóstolos governam. Os apóstolos são semelhantes ao
empreiteiro geral que supervisiona o projeto e vê o quadro geral.
Guia dos profetas. Profetas são os arquitetos que auxiliam o
empreiteiro geral a saber como deve ser o projeto.
Evangelistas se reúnem. A preocupação dos evangelistas é com
os perdidos.
Pastores guardam. O coração de um pastor é para os salvos.
Terra dos professores. O papel principal de um professor é
ajudar o rebanho a entender a Palavra de Deus.
Paulo não disse: “Tenho a mente de Cristo”. Ele disse: “Nós
temos a mente de Cristo”. (Ver Primeira Coríntios 2:16.) Ganhamos
o equilíbrio que precisamos e a perspectiva de Deus sobre as
situações quando aprendemos a valorizar os membros do Corpo
que pensam diferente de nós!
A diferença entre profetas e profecias
Ser profeta é um chamado.
Quando uma pessoa ministra com o dom de profecia, o dom é a
habilidade de profetizar. As próprias palavras são o presente.
Quando uma pessoa é um profeta, ela mesma é o dom. O livro de
Efésios diz que Cristo deu dons aos homens. Os dons que Cristo
deu aos homens são outros homens. Um profeta é um dom para a
igreja.
Na verdade, existem três componentes em qualquer ministério
maduro. Esses componentes incluem chamado, dons e unção –
todos elementos importantes de um ministério frutífero.
Ligandodá identidade. "Paulo, chamado apóstolo de Jesus Cristo
pela vontade de Deus" (1 Coríntios 1:1).
Presenteardá habilidade. "Como cada um recebeu um dom
especial, empregue-o servindo uns aos outros como bons
despenseiros da multiforme graça de Deus" (1 Pedro 4:10).
Unçãodá propósito. "O Espírito do Senhor Deus está sobre mim,
porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos aflitos;
enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar
liberdade aos cativos e liberdade aos presos" (Is 61.61). :1).
Os dons e chamados de Deus são irrevogáveis, mas a unção do
Senhor flui de acordo com o relacionamento que temos com o
Espírito Santo.
Portanto, devemos perceber que o chamado em nossa vida
descreve quem somos. A unção de Deus nos fornece o nosso
propósito na vida. Os dons que Deus nos deu tornam-se as
habilidades com as quais realizamos Seus propósitos.

Os dons e o chamado de Deus são irrevogáveis (Romanos


11:29).
Definição de profecia
Profecia no sentido mais puro é predizer e predizer.
Previsão - sabero futuro.
O seguinte é um exemplo de predição. Ágabo fala
profeticamente sobre uma fome que acontecerá em todo o mundo.
Acontece alguns anos depois.

Um deles chamado Ágabo levantou-se e começou a indicar pelo


Espírito que certamente haveria uma grande fome em todo o
mundo. E isso aconteceu no reinado de Cláudio (Atos 11:28).
Predizer - causaro futuro.
Um grande exemplo de narração está nas seguintes passagens
em Ezequiel. Deus instrui o profeta Ezequiel a profetizar para os
ossos mortos e eles se tornaram um poderoso exército. Ezequiel
simplesmente não disse ao futuro que ele causou o futuro!
A mão do Senhor estava sobre mim, e ele me tirou pelo Espírito do
Senhor e me colocou no meio do vale; e estava cheio de ossos. Ele me fez
passar entre eles ao redor, e eis que havia muitíssimos na superfície do
vale; e eis que estavam muito secos.
Ele me disse: "Filho do homem, esses ossos podem viver?" E eu
respondi: “Ó Senhor Deus, Tu sabes”. Novamente Ele me disse:
"Profetize sobre estes ossos e diga-lhes: 'Ó ossos secos, ouçam a
palavra do Senhor.' Assim diz o Senhor Deus a estes ossos: Eis que
farei entrar em vós o fôlego para que vivais, porei em vós tendões,
farei crescer carne em vós, cobrirei com pele e porei em vós o fôlego
que podeis reviver; e sabereis que eu sou o Senhor.'"
Então eu profetizei como me foi ordenado; e enquanto eu
profetizava, houve um barulho, e eis um chocalho; e os ossos se
juntaram, osso com osso. E olhei, e eis que havia tendões sobre eles,
e carne cresceu e pele os cobriu; mas não havia fôlego neles. Então
ele me disse: "Profetize ao espírito, profetize, filho do homem, e diga
ao espírito: 'Assim diz o Senhor Deus: Venha dos quatro ventos, ó
espírito, e sopre sobre estes mortos, para que venham a vida!'"
Então eu profetizei como ele me ordenou, e o fôlego entrou
neles, e eles reviveram e ficaram de pé, um exército muito grande
(Ezequiel 37:10).
Palavra de Conhecimento
As pessoas muitas vezes confundem a palavra de conhecimento com
o dom de profecia. A palavra de conhecimento descreve algo que
aconteceu no passado, uma circunstância atual ou um fato sobre a vida
de alguém. Às vezes, quando profetizamos, alguém pode erroneamente
pensar que a profecia não era exata porque não é algo que está
acontecendo atualmente, ou que já aconteceu na vida dessa pessoa.
Profecia pura é sobre o futuro. Se a palavra profética carece de um
elemento de algo que já aconteceu, isso significa simplesmente que a
palavra de conhecimento não fazia parte da entrega. Uma palavra de
conhecimento é simplesmente conhecer um fato, revelado pelo Espírito
Santo, do qual não tínhamos conhecimento prévio.
Níveis de profecia
Geralmente há quatro níveis de profecia.
Nível 1 - Cultura Profética
Uma cultura profética ocorre quando um profeta ou unção profética
de alto nível está presente em uma localização geográfica – nessa
atmosfera, até mesmo pessoas não proféticas podem profetizar, embora
nunca possam profetizar novamente. Isso é demonstrado na vida do rei
Saul. Quando ele estava perseguindo Davi no deserto, ele encontrou um
grupo de profetas que estavam profetizando no deserto. De repente, o
Espírito de profecia caiu sobre Saul e ele profetizou junto com os
profetas, embora fosse ímpio! O povo perguntou: "Está Saul entre os
profetas?" As pessoas que ministram neste nível estão realmente
operando com a unção de outra pessoa. Você pode dizer que eles estão
emprestando de outra pessoa. Em uma atmosfera profética, até um
jumento pode falar por Deus!
Nível 2—O Dom da Profecia
Este segundo nível de profecia foi discutido anteriormente neste
capítulo. São simplesmente os dons do Espírito Santo trabalhando em e
através de uma pessoa. A maioria das informações neste livro é
dedicada a este nível de profecia.
Nível 3 - Pessoas Proféticas
Essas pessoas não são profetas porque esse não é o chamado
para suas vidas; mas eles operam no dom do Espírito Santo em alto
nível. Eles também têm um ministério profético comprovado e têm um
forte relacionamento com a liderança da igreja. Portanto, eles
geralmente têm permissão para dirigir e talvez até corrigir pessoas
dentro de sua congregação local. Esse tipo de relacionamento
confiável pode levar anos para se desenvolver.
Nível 4—Profetas e Profetisas
Este é o nível mais alto do ministério profético, que foi
mencionado anteriormente.
As três partes da profecia
Revelação:A pessoa que dá a palavra profética é responsável
pela revelação da palavra. Pode vir como um sonho, uma visão ou
qualquer uma das formas explicadas no próximo capítulo.
Interpretação:O que significa a revelação? As pessoas proféticas
precisam perceber que só porque eles tiveram a revelação não
significa que eles têm a interpretação. Muitas vezes temos
problemas quando tentamos interpretar uma visão ou alguma outra
forma da voz de Deus.
Inscrição:O que devemos fazer com a palavra uma vez que
sabemos o que ela significa? Nosso pastor ou superintendente deve
sempre estar envolvido quando o
palavra profética inclui direção. Eles devem ajudar o destinatário da
palavra a elaborar um plano para realmente aplicá-la à sua vida e
executá-la.
A maneira mais fácil de resumir as três partes da profecia: Quando
Deus para de falar, nós também devemos! As pessoas que estão
profetizando muitas vezes sentem a pressão de dar uma interpretação,
principalmente quando a palavra profética parece ambígua ou mesmo
tola. É surpreendente o que algumas pessoas pensam que suas palavras
proféticas significam! O seguinte é um exemplo profundo de uma
poderosa palavra profética que foi mal interpretada pela pessoa que a
proferiu. Lembre-se, não precisamos ser profundos para ser poderosos.
Algum tempo atrás, vários de nós viajamos para uma conferência
da MorningStar onde eles estavam treinando pessoas como profetizar.
Com cerca de 70 pessoas na sala, estávamos todos profetizando para
uma mulher na frente da sala. Quando completamos as dez profecias
permitidas a cada pessoa e começamos a julgar as palavras dadas,
um homem no fundo da sala se levantou e disse: "Você está de
camisa amarela!"
Imediatamente a mulher caiu no chão, chorando histericamente. O
homem continuou a profetizar, dizendo coisas como: "O sol é amarelo... a
lua é amarela", e assim por diante. Quando a mulher finalmente recuperou
a compostura, o líder da classe perguntou o que aquela palavra significava
para ela.
Ela explicou: "Eu tenho um filho que é autista e eu disse ao
Senhor hoje: 'Se você vai curar meu filho, peça a alguém que me
diga que estou vestindo uma camisa amarela ...'"
Perguntas para ponderar
1. Qual é a diferença entre o dom de profecia e o ofício de
profeta?
2. Qual é a diferença entre os dons do Espírito e os frutos do
Espírito?
3. Quem pode profetizar?
4. Quais são as três partes da profecia?
5. O que significa a palavra profecia?
Perguntas para discussão em grupo
1. Como podemos saber quais são nossos dons, chamados e
unções?
2. Quais são as ramificações de obter identidade de
presentear em vez de chamar?
Aplicação de vida
Reserve um tempo agora com o Espírito Santo para descobrir
quais dons o Senhor lhe deu. Agora peça a Ele por presentes que
você nunca recebeu. Vá até alguém que é dotado na área que você
está pedindo a Deus para presenteá-lo, e peça a essa pessoa que
imponha as mãos sobre você e ore para que você receba esse
presente. Saia e experimente!
Deixe a jornada começar!
Capítulo 3
Aprendendo a ouvir a voz de Deus
Este capítulo discute por que a voz de Deus às vezes pode parecer ilusória ou mesmo
inexistente; e investiga as muitas fontes de vozes que nos falam do reino espiritual.

Deus Está Sempre Falando


Jesus morreu na Cruz não apenas para perdoar nossos pecados,
mas para nos trazer um relacionamento com Deus. A comunicação é
provavelmente o maior veículo de qualquer relacionamento. Embora
algumas pessoas tenham dificuldade em acreditar que Deus quer falar
com todos, a maioria dos crentes entende que a verdadeira oração
não é apenas pedir ao Céu uma lista de pedidos, mas comunicar-se
com Ele como um verdadeiro amigo.
Jesus disse: "As minhas ovelhas ouvem a minha voz..." (João 10:27).
Profecia, em sua forma mais simples, é meramente ouvir o Espírito Santo
e repetir o que Ele disse. Paulo disse desta forma: "Pois todos vocês
podem profetizar um por um..." (1 Coríntios 14:31). Moisés disse: "Quem
dera que todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor pusesse
Seu Espírito sobre eles!" (Números 11:29).
Conhecimento é poder. Deus não quer que o orgulhoso seja o
poderoso, portanto, Deus esconde Sua Palavra para que somente os
famintos e humildes tenham acesso à Sua voz. A Palavra de Deus está
escondida dos arrogantes e orgulhosos.

Naquele mesmo tempo, Ele se alegrou muito no Espírito Santo e disse:


"Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas
coisas aos sábios e inteligentes e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai ,
pois este caminho era agradável aos teus olhos (Lucas 10:21).
O Exemplo das Parábolas
As parábolas de Jesus são alguns dos melhores exemplos nas Escrituras
de como o Senhor esconde Seus tesouros dos arrogantes e orgulhosos.
Muitos aprenderam que Jesus contou parábolas para demonstrar princípios
espirituais com ilustrações naturais. No entanto, Jesus deixou claro que Ele
contou parábolas tão
que as pessoas não entenderiam a verdade e se tornariam
poderosas. Deus não quer que o orgulhoso seja o poderoso. As
parábolas foram contadas não para revelar a verdade, mas para
escondê-la.

E os discípulos aproximaram-se e perguntaram-lhe: "Por que lhes


falas por parábolas?" Respondeu-lhes Jesus: A vós foi concedido
conhecer os mistérios do reino dos céus, mas a eles não foi
concedido; porque a quem tem, se lhe dará mais, e terá em
abundância; mas a quem não tem, até o que tem lhe será tirado. Por
isso lhes falo por parábolas, porque vendo não vêem, e ouvindo não
ouvem nem entendem" (Mateus 13:10- 13).

Mas bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem; e os


vossos ouvidos, porque ouvem (Mateus 13:16).
Os famintos vão buscar os tesouros que Deus escondeu para
eles. A palavra grega para "escondido" é langanw, que significa "ser
ignorante ou inconsciente".
Quando estudamos os profetas do Antigo Testamento, podemos
facilmente ficar com inveja de quão claramente eles ouviram a voz de Deus.
No entanto, Jesus deixa claro que aqueles que são nascidos de novo têm
uma tremenda vantagem sobre qualquer um que viveu sob a antiga aliança
porque o Espírito de Deus agora reside em nós e está em constante
comunicação com nosso espírito.

É a glória de Deus esconder um assunto. Mas a glória dos reis é


investigar um assunto (Provérbios 25:2).
Pois em verdade vos digo que muitos profetas e justos
desejaram ver o que vedes, e não viram, e ouvir o que ouvis, e não
ouviram (Mateus 13:17).
O objetivo de Deus é o relacionamento
Deus não quer simplesmente transmitir informações por meio do
dom de profecia, mas o objetivo de todo ministério profético é nos
levar a um relacionamento mais profundo com Jesus e Seu Corpo.
Malaquias disse que nos últimos dias Deus enviaria o profeta Elias e
ele restauraria os corações dos pais aos filhos e os corações dos
filhos aos do Pai (ver Malaquias 4:5-6).
Aqui novamente vemos o objetivo de Deus para o ministério
profético profundamente enraizado na restauração de
relacionamentos. Portanto, se começarmos a usar o dom de
profecia como uma ferramenta para expandir nosso ministério, em
vez de aceitá-lo como um convite para um relacionamento mais
profundo com Jesus e Sua Igreja, Ele "mudará Sua linguagem" para
que possa nos ensinar!
Ao nos ensinar Sua nova linguagem, Ele cria uma oportunidade
para nos aproximarmos Dele e de Seu povo.
A primeira língua de Deus não é o inglês.
O Senhor Está Sempre Falando
O Senhor está mais determinado e animado para falar conosco do
que nós para ouvi-lo. Devemos perceber que Deus está sempre
falando, mas Ele não é humano e Sua primeira língua não é o inglês!
Se pudermos compreender essa revelação e perceber que a maioria
de nós não sabe realmente o quão bem vemos e ouvimos a Deus,
podemos começar a "sintonizar nossos receptores à Sua estação".
Por exemplo, na sala em que você está agora, há música tocando
ao seu redor. Mesmo se você fechar os olhos e ouvir com muita
atenção, você não ouvirá. No entanto, simplesmente ligando um rádio,
você perceberia o que estava lá o tempo todo. A razão, claro, é que
nossos corpos humanos nunca foram projetados para perceber ondas
de rádio.
Da mesma forma, Deus está sempre falando conosco! O dom de
profecia é o equipamento que precisamos para entrar no reino espiritual que
existe ao nosso redor, mesmo
embora não possamos ouvi-lo com nosso ouvido nu. O dom de
profecia é como um receptor de rádio do céu. Dá-nos a capacidade
de ouvir o que Deus tem falado conosco o tempo todo, mas não
podíamos perceber antes de recebermos esse presente
maravilhoso.
Unção para perceber o sobrenatural

O rei de Israel enviou ao lugar que o homem de Deus lhe havia


falado; assim o advertiu, de modo que se guardou ali, mais de uma
ou duas vezes. Agora o coração do rei de Aram estava furioso com
isso; e ele chamou seus servos e disse-lhes: "Você vai me dizer
qual de nós é para o rei de Israel?" Um de seus servos disse: "Não,
meu senhor, ó rei, mas Eliseu, o profeta que está em Israel, diz ao
rei de Israel as palavras que você fala em seu quarto". Então ele
disse: "Vá e veja onde ele está, para que eu o envie e o leve" E foi-
lhe dito, dizendo: "Eis que ele está em Dotã."
Ele enviou cavalos e carros e um grande exército para lá, e eles
vieram de noite e cercaram a cidade. Ora, tendo o ajudante do homem
de Deus se levantado de madrugada e saído, eis que um exército com
cavalos e carros circundava a cidade. E seu servo lhe disse: "Ai, meu
senhor! O que devemos fazer?" Então ele respondeu: "Não temas,
porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles".
Então Eliseu orou e disse: "Ó Senhor, eu oro, abra os olhos dele para
que ele veja". E o Senhor abriu os olhos do servo e ele viu; e eis que o
monte estava cheio de cavalos e carros de fogo ao redor de Eliseu (2
Reis 6:10-17).
No capítulo 6 de Segundo Reis, vemos que o chamado de Eliseu
como profeta deu-lhe a capacidade de ouvir o que o rei Aram diria em
segredo às suas tropas. Eliseu se tornou uma arma secreta para o rei de
Israel ao revelar os planos desse inimigo. Então o rei Aram decide
capturar Eliseu. No dia do ataque, o servo de Eliseu sai da tenda e vê
que esse exército inimigo os cercou. Em pânico, seu servo corre para a
tenda e diz a Eliseu que eles estão com problemas. Eliseu ora
calmamente por seu servo. Imediatamente, os olhos de seu atendente se
abrem e ele percebe que as montanhas estão cheias de cavalos e carros
de Deus.
Este é o tipo de dom profético que cada um de nós pode receber
de Deus. Faz com que sejamos ungidos para perceber o que já está
acontecendo no mundo espiritual. Sem este dom profético, somos
como cegos no Reino de Deus!
A guerra para nos manter surdos
Às vezes lutamos para ouvir a voz de Deus porque há uma
guerra para nos manter espiritualmente surdos.
Na parábola do semeador, Jesus explica por que muitas vezes quando
Deus fala conosco, o inimigo vem e tenta nos convencer de que não
ouvimos Deus claramente ou que não era a voz de Deus! O objetivo de
Satanás é impedir que levemos o consolo e encorajamento de Deus uns
aos outros por meio da palavra profética. Se ele pode nos convencer a não
falar a palavra do Senhor fazendo-nos sentir tolos, ou nos convencer de que
foi apenas nossa imaginação e não uma palavra profética, então ele
conseguiu roubar o fruto da palavra de Deus na vida de alguém!

O semeador semeia a Palavra. Estes são os que estão à beira do


caminho onde a Palavra é semeada; e quando eles ouvem, imediatamente
Satanás vem e tira a Palavra que foi semeada neles (Marcos 4:14-15).
Este princípio também é verdadeiro quando se trata de receber
uma palavra profética. Se o inimigo pode nos persuadir de que a
palavra falada a nós não era realmente Deus, então somos
roubados do benefício! O valor que damos à palavra determinará o
poder que receberemos dela.
O valor determina a potência.
Valorizando a Palavra Profética
A Bíblia diz: "Aquele que recebe um profeta na qualidade de
profeta, recebe a recompensa de profeta" (Mt 10:41). Qual é a
recompensa de um profeta? A capacidade de ver e ouvir. Jesus
pôs-se diante de uma multidão e gritou: "QUEM TEM OLHOS,
VEJA, E QUEM TEM OUVIDOS, OUÇA!" Ele estava agindo como
um profeta.
Quem recebe um profeta na qualidade de profeta, receberá galardão
de profeta; e quem recebe um justo na qualidade de justo, receberá a
recompensa de justo (Mateus 10:41).
Todos os que valorizavam Jesus como profeta e recebiam as
palavras que Ele gritava, receberam a capacidade de ver e ouvir.
Uma graça foi liberada com Suas palavras que abriram seus olhos e
ouvidos!
Gene e Lisa nos levaram para almoçar depois que falei na igreja
deles um domingo. Eles tinham acabado de adotar dois meninos depois
de vários anos tentando ter filhos. Durante nossa refeição juntos, o
Senhor falou comigo e disse: "Diga a Lisa que no próximo ano ela vai ter
um bebê". que ela e Gene haviam recebido muitas orações ao longo dos
anos sobre esse assunto. Ele me disse: "Se você não contar a ela, ela
não vai engravidar!"
Eu me inclinei obedientemente em direção a Lisa e contei a ela em
voz baixa o que o Senhor havia falado comigo. Embora tivessem
orado inúmeras vezes ao longo dos anos para conceber filhos, eles
receberam a palavra do Senhor e Lisa anunciou em voz alta: "VOU
TER UM BEBÊ!"
Alguns meses depois, chegamos em casa com uma mensagem em
nossa secretária eletrônica de Lisa proclamando orgulhosamente:
"ESTOU GRÁVIDA!"
No ano seguinte, ela teve um filho, exatamente como o Senhor
havia prometido.
Valorizar a palavra do Senhor significa que temos tempo para
ouvi-lo. Moisés passou pela sarça ardente no deserto e não ouviu
nada até que parou e se virou; precisamos reservar tempo para
buscarmos diligentemente a Deus de todo o nosso coração.

O anjo do Senhor apareceu a ele em um fogo ardente do meio de uma


sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, mas a sarça não se consumia.
Então Moisés disse: "Eu devo me virar agora e ver esta visão maravilhosa, por
que a sarça não se queimou". Quando o Senhor viu que
virou-se para olhar, Deus o chamou do meio da sarça e disse:
"Moisés, Moisés!" E ele disse: "Aqui estou" (Êxodo 3:2-4).

Mas dali você buscará o Senhor, seu Deus, e você o encontrará


se o buscar de todo o seu coração e de toda a sua alma
(Deuteronômio 4:29).

Pois os olhos do Senhor se movem por toda a terra para que Ele
possa apoiar fortemente aqueles cujo coração é completamente
Seu. Você agiu tolamente nisso. De fato, de agora em diante você
certamente terá guerras (2 Crônicas 16:9).
Mesmo que Deus falasse audivelmente do céu, algumas pessoas só
ouviriam como o som do trovão. A diferença entre os surdos e os ouvintes
não é quão alto Deus fala, mas quão abertos estamos para ouvi-Lo falar.

"Pai, glorifica o Teu nome." Então uma voz saiu do céu: "Eu tanto
o glorifiquei, como o glorificarei novamente." Assim, a multidão de
pessoas que estavam ao lado e ouviam, diziam que havia trovejado;
outros diziam: "Um anjo lhe falou" (João 12:28-29).
Testando os Espíritos
À medida que aprendemos a ouvir a voz do Espírito Santo, devemos
perceber que nem toda voz que nos fala do reino espiritual é de Deus.
Amados, não creiam em todo espírito, mas provam se os
espíritos são de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo
mundo (1 João 4:1).
Em 1 João 4, somos instruídos como "os amados" a "não crer em
todo espírito, mas provar se os espíritos são de Deus, porque muitos
falsos profetas têm saído pelo mundo". fica claro que nós - os amados
- somos capazes de ouvir outros espíritos que não o Espírito Santo e
somos advertidos a não nos tornarmos falsos profetas ouvindo o
espírito errado! Portanto, se é possível se tornar um falso profeta
ouvindo o espírito errado, torna-se vital saber quais vozes podem falar
conosco.
Quem está falando conosco?
As vozes que nos falam do reino espiritual vêm de quatro fontes:
1. Nosso espírito.
2. O espírito Santo.
3. Espíritos malignos.
4. Anjos.
As quatro fontes
Nosso espírito:Somos um espírito que tem uma alma e um corpo.
Quando nascemos novamente, nosso espírito ganha vida tornando
possível ouvir do reino espiritual, mas não necessariamente ouvir do
Espírito Santo. Ouvir o nosso próprio espírito ainda é uma experiência
espiritual e estar ciente disso nos ajudará a discernir qual voz está
falando conosco.
O espírito Santo:Este é o Espírito de Deus, aquele que estamos
construindo um relacionamento e aprender a ouvir claramente.
Espíritos malignos:Os espíritos do reino do mal podem falar com os
cristãos assim como eles falou com Jesus quando Ele encontrou
satanás no deserto.
Anjos:De acordo com o capítulo de Hebreus1,estes são espíritos
enviados para render serviço aos santos. Os anjos também nos falam sobre
as coisas de Deus.
A prática leva à perfeição
Nos capítulos seguintes, há uma discussão mais completa sobre
como reconhecer qual espírito você está ouvindo. Leva tempo para
aprender a discernir que espírito está falando com você e não há
substituto para a experiência.
Um banqueiro que atingira a idade da aposentadoria estava
prestes a ser substituído por um jovem. Ao chegar para assumir o
comando de seu antecessor, ele perguntou ao homem mais velho
como ele se tornou bem-sucedido. O homem respondeu: "Boas
decisões".
"Como você toma boas decisões?" perguntou o jovem.
"Experiência,"respondeu o banqueiro.
O jovem pensou por um momento e então perguntou: "Como
você ganha experiência?" Com um sorriso caloroso envelhecido
pela sabedoria, ele respondeu: "Decisões ruins!"
Você não pode crescer nos dons do Espírito sem cometer erros!
Ganhamos experiência à medida que damos um passo de fé tentando
ouvir o Espírito Santo.
Muitos anos atrás, fui pescar com um homem que era vários
anos mais velho do que eu. Estávamos na mesma margem, usando
a mesma isca, e observei enquanto ele pegava vários peixes
enquanto eu não conseguia. Certo de que o problema era a vara
que eu estava usando, perguntei se podíamos trocar de
equipamento e ele gentilmente trocou as varas comigo. Ainda não
peguei nada, pois ele continuou a puxar mais peixes!
Finalmente decidi que o único peixe que ia pescar naquele dia era
aquele que ia cometer suicídio. Ele sabia qual era o problema, mas
demorei um pouco para perceber que não sabia como era dar uma
mordida.
Veja, o velho tinha experiência.
Perguntas para ponderar
1. Liste quatro razões pelas quais às vezes não ouvimos a voz de
Deus.
2. Por que Deus às vezes muda Sua linguagem?
3. Qual é o principal fator para ouvir de Deus?
4. Como Satanás afeta nossa capacidade de ouvir a Deus?
Perguntas para discussão em grupo
1. Como o risco e a fé estão relacionados?
2. Como isso afeta nossa capacidade profética?
Aplicação de vida
Ter um coração puro é de vital importância na comunicação com Deus.
Os puros de coração vêem a Deus. Tire algum tempo agora para pedir ao
Senhor para procurar
seu coração. Deixe a humildade e a fome serem seu guia.
Capítulo 4
A Linguagem de Deus
Este capítulo é dedicado a entender as diferentes maneiras pelas quais Deus se
comunica com Seu povo. A primeira língua de Deus não é o inglês. Como então Deus
fala conosco? Você pode se surpreender!
Visões e sonhos
Uma das maneiras mais comuns de o Senhor se comunicar
conosco é por meio de visões e sonhos.

"E será nos últimos dias", diz Deus, "que derramarei do meu Espírito
sobre toda a humanidade; e sobre vossos filhos e vossas filhas
profetizarão, e vossos jovens terão visões, e vossos velhos sonharão.
sonhos; até mesmo sobre os meus escravos, homens e mulheres,
naqueles dias derramarei do meu Espírito, e eles profetizarão" (Atos
1:17-18).
Visões
Existem dois tipos de visões. A primeira é uma Visão da Mente,
na qual o Senhor "projeta" imagens e imagens na "tela" de nossas
mentes. Isso pode ser chamado de "imaginação santificada" ou uma
imaginação que está sob a influência do Espírito Santo. Na maioria
das vezes, é assim que o Espírito Santo fala conosco.
Por exemplo, se lhe pedissem para imaginar um elefante cor-de-rosa,
você o veria em sua mente. O Espírito Santo usa sua mente como um
quadro negro no qual Ele desenha ou projeta imagens no olho da sua
mente.
O segundo tipo de visão é uma Visão Aberta. Esta é uma imagem que
você vê com seus olhos naturais. O seguinte é um exemplo de uma visão
aberta.
Muitos anos atrás, levei um grupo de cerca de 37 crianças do nosso
grupo de jovens para Santa Cruz, Califórnia, para um dia na praia. Entre
eles estava nossa filha adotiva, Dee. Aconteceu ser o "Muscle Beach
Day" e a área
estava transbordando de gente. Nosso grupo encontrou um lugar
para se acomodar e aproveitar o dia.
Não muito depois de nossa chegada, olhei para cima e vi Dee
correndo pela praia sendo perseguido por um homem vestido com
roupas de couro. Enquanto eles corriam em nossa direção, eu podia
ouvir o homem gritando para Dee: "Eu te amo! Eu te amo! Estou
levando você comigo."
Ela correu para mim para proteção com este homem logo atrás
dela. Quando ela se ajoelhou ao meu lado na areia, ele estendeu a
mão e agarrou-a pela blusa. Ele começou a sacudi-la, dizendo em voz
alta: "Eu te amo! Eu te amo!"
Finalmente, reuni coragem para agarrar o braço do homem. "É o
bastante!" Eu gritei. O homem jogou Dee abruptamente na areia,
então se virou e me agarrou, me levantando dos joelhos! Ele gritou
comigo: "Eu a amo! Vou levá-la comigo!"
Só então eu vi uma visão aberta aparecer acima de sua cabeça.
Acontecimentos de sua vida passaram sobre ele no que pareciam
ser pequenos videoclipes! Eu disse a ele: "Sua mãe está morrendo
no hospital, não está?"
"Sim!" ele exclamou.
"Seu pai morreu no ano passado, não foi?" Eu gritei. "Sim", disse
ele.
Então gritei: "E você se culpa, não é?"
Com um olhar de choque e descrença, ele disse: "Cara, você
está me assustando!" Ele se virou e fugiu.
Eu pulei para os meus pés e fui atrás dele! Todo o evento se
transformou em uma cena e tanto para os outros banhistas quando eu o
alcancei e o agarrei três vezes. Cada vez que eu o atacava, eu gritava
"VOCÊ PRECISA DE JESUS!"
"Eu sei!" ele gritou de volta.
O evento ultrajante terminou quando ele se virou e correu em
direção a sua gangue de motoqueiros. Ele parou a cerca de cem
metros de mim, virou-se e gritou: "Ore por mim!"
"Qual o seu nome?"
Ele gritou de volta: "Phillip."
Sonhos
Os sonhos também são a linguagem do Espírito Santo. Existem dois
tipos de sonhos. O primeiro é o que poderia ser chamado de Sonho de
Realidade Virtual. Isso ocorre enquanto dormimos e permanece em
nossa mente depois de acordar.
O seguinte é um exemplo de um sonho de realidade virtual que
Nabucodonosor teve nos dias de Daniel. Observe que o sonho é
simbólico e precisa de uma interpretação.
Você, ó rei, estava olhando e eis que havia uma única grande
estátua; aquela estátua, que era grande e de esplendor extraordinário,
estava diante de você, e sua aparência era impressionante. A cabeça
dessa estátua era de ouro fino, o peito e os braços de prata, o ventre e
as coxas de bronze, as pernas de ferro, os pés em parte de ferro e em
parte de barro. Você continuou olhando até que uma pedra foi cortada
sem mãos, e atingiu a estátua em seus pés de ferro e barro e os
esmagou. Então o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro foram
esmagados ao mesmo tempo e se tornaram como palha das eiras de
verão; e o vento os levou, de modo que nenhum vestígio deles foi
encontrado. Mas a pedra que atingiu a estátua tornou-se uma grande
montanha e encheu toda a terra (Daniel 2:31-35).
O segundo tipo de sonho pode ser chamado de Sonho Realidade. Esta
é uma experiência real que temos durante o sono e que lembramos depois
de acordar. O mundo espiritual nunca dorme. Portanto, nosso espírito pode
interagir com o mundo espiritual enquanto nossa alma dorme. Um exemplo
desse tipo de sonho é encontrado em Gênesis capítulo 20, onde afirma:
"Deus veio a Abimeleque em um sonho".
Observe que neste sonho de realidade não diz que ele sonhou
com Deus, mas sim que ele teve um encontro real com o Senhor e
que se lembrou disso quando acordou.

Mas Deus veio a Abimeleque em um sonho noturno e lhe disse:


“Eis que você é um homem morto por causa da mulher que você
tomou, pois ela é casada” (Gênesis 20:3).
Outro exemplo de um sonho de realidade está na história familiar
de José em Mateus capítulo 2. Nesse evento, um anjo do Senhor
interage com José enquanto ele dorme.
Tendo eles ido, eis que um anjo do Senhor apareceu em sonho a
José e disse: "Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o
Egito, e fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o
Menino para o destruir" (Mateus 2:13).
Os sonhos são multifacetados e têm muitos propósitos. O Livro
de Jó fala de sonhos que nos afastam do inferno.

Na verdade, Deus fala uma vez, ou duas vezes, mas ninguém


percebe. Em um sonho, uma visão da noite, Quando o sono
profundo cai sobre os homens, Enquanto eles dormem em suas
camas, Então Ele abre os ouvidos dos homens, E sela sua
instrução, Para que Ele possa desviar o homem de sua conduta, E
manter o homem do orgulho; Ele retém sua alma da cova, e sua
vida de passar para o Sheol (Jó 33:14-18)
Um amigo nosso nos contou como o casamento de seu filho foi
restaurado por causa de um sonho! Na noite anterior ao divórcio, sua nora
teve um sonho. Nela ela viu o Senhor abraçando seu marido e sogro em um
campo de flores enquanto ela olhava de longe. Na cena seguinte, ela se viu
parada no campo de flores com Jesus caminhando em sua direção. Quando
Ele estendeu a mão para abraçá-la, ela acordou. Na manhã seguinte, ela
sabia que o Senhor queria que ela restaurasse seu relacionamento com o
marido. Ela reconciliou o casamento naquele mesmo dia!
De acordo com José no livro do Gênesis, um sonho que se repetiu duas
vezes significa que o assunto é determinado por Deus e são necessários
ajustes em sua vida para acomodar o que está prestes a acontecer.
Agora, quanto à repetição do sonho para Faraó duas vezes,
significa que o assunto é determinado por Deus, e Deus o fará
rapidamente (Gênesis 41:32).
Coisas importantes para lembrar sobre os
sonhos.
1. Nem todos os sonhos são de Deus. Como aprendemos
anteriormente, podemos ouvir todas as quatro fontes do reino
espiritual, mesmo em nossos sonhos.
2. Simplesmente porque temos sonhos poderosos e ilustrativos não
significa necessariamente que somos proféticos. Lembre-se de que as
pessoas más no Antigo Testamento tinham sonhos. Interpretar sonhos é o que
nos torna proféticos.
3. Cores, números e outras ocorrências simbólicas nos
sonhos são muito importantes para a interpretação do sonho. Em
última análise, a interpretação dos sonhos pertence ao Senhor.
4. Uma boa maneira de aumentarmos nossa vida onírica
sobrenatural é colocar um caderno ou gravador ao lado da cama
antes de dormir. Ore ao Senhor e diga a Ele: "Seu servo é
ouvindo."Assim que você tiver um sonho, anote ou registre todos
os detalhes que você puder lembrar, incluindo a maneira como você
se sentiu sobre o sonho enquanto o estava tendo.

No entanto, há um Deus no céu que revela mistérios, e Ele deu a


conhecer ao rei Nabucodonosor o que acontecerá nos últimos dias.
Este foi o seu sonho e as visões em sua mente enquanto estava na
cama (Daniel 2:28).
Comunicando-se com Deus
A ainda pequena voz de Deus
Às vezes, o Senhor fala conosco em uma voz mansa e delicada de
dentro de nosso espírito. Isso pode ser ouvido como um pensamento
passageiro, impressão repentina ou "senso" interno de algo que Deus
está dizendo. Essa voz mansa e delicada é ilustrada no Livro de
Primeiros Reis. Neste relato, Deus não está no vento forte ou no
terremoto, mas sim no sopro suave.
Então Ele disse: “Vá e fique no monte diante do Senhor”. E eis que o
Senhor passava! E um grande e forte vento fendia os montes e
despedaçava as rochas diante do Senhor; mas o Senhor não estava no
vento. E depois do vento um terremoto, mas o Senhor não estava no
terremoto. Depois do terremoto um fogo, mas o Senhor não estava no
fogo; e depois do fogo um som de um sopro suave.
Quando Elias ouviu isso, ele envolveu o rosto em seu manto e saiu
e ficou na entrada da caverna. E eis que uma voz veio a ele e disse:
"O que você está fazendo aqui, Elias?" (1 Reis 19:11-13).
Anjos
Os anjos são outra voz do reino celestial. Em todo o Novo
Testamento, anjos visitaram e falaram com as pessoas sobre o que
deveriam fazer.

Mas um anjo do Senhor falou a Filipe dizendo: "Levanta-te e vai


para o sul, pela estrada que desce de Jerusalém a Gaza" (Atos 8:26).

Na mesma noite em que Herodes estava prestes a trazê-lo para


a frente, Pedro estava dormindo entre dois soldados, amarrado com
duas correntes, e guardas na frente da porta vigiavam a prisão. E
eis que de repente apareceu um anjo do Senhor e uma luz brilhou
na cela; e golpeou o lado de Pedro e o despertou, dizendo:
"Levanta-te depressa". E suas correntes caíram de suas mãos (Atos
12:6-7).
Transes
Os transes são outra maneira pela qual Deus fala ao Seu povo.
Os transes são muito parecidos com as visões, exceto que, quando
estamos em transe, estamos completamente inconscientes do que
nos cerca. A palavra grega para transe significa "estar fora de si".
Os transes nos tiram de nossas mentes naturais e nos levam para a
de Deus. Muitos cristãos sentem que porque as pessoas no
ocultismo têm transes, todos os transes são do diabo. A verdade é
que satanás só pode copiar as coisas de Deus.

No dia seguinte, estando eles a caminho e aproximando-se da


cidade, Pedro subiu ao terraço por volta da hora sexta para orar.
Mas ele ficou com fome e desejou comer; mas enquanto eles faziam
os preparativos, ele caiu em transe; e ele viu o céu se abrir e descer
um objeto semelhante a um grande lençol, rebaixado pelas quatro
pontas até o chão (Atos 10:9-11).
Criação
A própria criação é uma voz do Senhor e nos fala de muitas
maneiras. A maneira óbvia é que a criação de Deus nos fala sobre
quem Deus é. As montanhas falam de Sua força, os rios de Sua
provisão e as flores de Sua beleza. Outra maneira pela qual a
criação fala conosco é Deus fazendo com que a natureza faça
coisas que são atos proféticos.

Pois desde a criação do mundo Seus atributos invisíveis, Seu poder


eterno e natureza divina, foram claramente vistos, sendo compreendidos
por meio do que foi feito, de modo que são inescusáveis (Romanos 1:20).
Um ano, toda vez que a igreja de Betel se reunia para orar, um
mensageiro aparecia do lado de fora da porta de vidro com um lagarto na
boca! Isso continuou por meses até que finalmente percebemos que o
Senhor estava nos chamando para sair pelas estradas, estradas e
atalhos e obrigar os perdidos a entrar! Ele estava literalmente nos
chamando para o evangelismo!
Um dia, o roadrunner conseguiu entrar na igreja. Em uma
tentativa desesperada de sair do prédio, ele bateu em uma janela e
morreu. Eu acredito que o Senhor nos mostrou através deste evento
que se não alcançarmos os perdidos, nossa igreja morreria.
Escrituras
O Senhor pode falar conosco em nossa leitura diária da Bíblia. Ele
também pode destacar um versículo ou história que nos fala sobre nossa
circunstância. Às vezes, Deus até usa uma Escritura fora de contexto!
Devemos ter cuidado, no entanto, que embora um versículo possa estar
fora de contexto, mas ainda fale conosco, ele nunca deve violar as
diretrizes gerais das Escrituras.

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a


repreensão, para a correção, para a educação na justiça; para que o
homem de Deus seja adequado e perfeitamente habilitado para toda boa
obra (2 Timóteo 3:16-17).
Línguas
As línguas e a interpretação de línguas são um dom de Deus e uma
voz do céu. Observe que o Senhor chama isso de interpretação de
línguas – não tradução de línguas. Em outras palavras, a língua pode ser
bastante longa enquanto a interpretação dela é breve ou vice-versa. Se
você gosta de fazer as coisas do seu jeito, sugiro que não ore em
línguas! Por exemplo, se orarmos em inglês, pedindo ao Senhor um
Corvette, e começarmos a orar em línguas, o Espírito Santo poderia
estar orando: "Senhor, não dê um Corvette a eles! Eles vão se machucar
naquele carro! "

Porque a um é dada a palavra de sabedoria pelo Espírito, e a outro a


palavra de conhecimento segundo o mesmo Espírito; a outro a fé pelo
mesmo Espírito, e a outro os dons de curar por um Espírito, e a outro a
operação de milagres, e a outro a profecia, e a
outro a distinção de espíritos, a outro vários tipos de línguas, e a outro a
interpretação de línguas (1 Coríntios 12:8-10).
Impressões
Muitas pessoas proféticas experimentam o discernimento por meio de
impressões, mesmo sem perceber. Muitas vezes, podemos sentir um
espírito maligno em alguém apenas por nos sentarmos ao lado dessa
pessoa. O espírito maligno que está incomodando a pessoa que está ao
nosso lado começará a nos incomodar da mesma maneira. Por exemplo, se
um espírito de medo perturba uma pessoa em uma área geográfica
próxima, podemos começar a sentir medo também. Se não percebermos
nossa capacidade profética e discernimento nesta área, podemos começar
a nos sentir muito confusos ou pensar que estamos loucos. Dentro deste
ponto de vista, é possível que aqueles diagnosticados como "bipolares"
possam estar realmente experimentando um poderoso nível de
discernimento, mas, infelizmente, não sabem como usar esse dom
adequadamente.

e a outro a realização de milagres, e a outro profecia, e a outro a


distinção de espíritos, a outro vários tipos de línguas, e a outro a
interpretação de línguas (1 Coríntios 12:10).
Atos Proféticos
Muitas vezes, o Senhor orienta alguém a fazer um ato profético,
como no exemplo bíblico a seguir. Isso era comum na Bíblia.
Jeremias colocou um tijolo no meio da cidade — um símbolo
profético de erguer um muro de cerco contra Israel. Ágabo amarrou
um cinto em torno de si como forma de mostrar a Paulo como ele
iria sofrer.

E vindo até nós, ele tomou o cinto de Paulo e amarrou seus


próprios pés e mãos, e disse: "Assim diz o Espírito Santo: 'Assim os
judeus em Jerusalém amarrarão o homem que possui este cinto e o
entregarão no mãos dos gentios” (Atos 21:11).
Sinais e maravilhas
Muitas vezes Deus realizará sinais e maravilhas como forma de
comunicar Seu amor ou direção.

Então Gideão lhe disse: "Se agora tenho achado graça aos teus
olhos, mostra-me um sinal de que és tu que falas comigo. Por favor, não
saia daqui até que eu volte para ti e traga a minha oferta. e coloque-o
diante de Ti." E Ele disse: “Eu ficarei até que você volte”. Então Gideão
entrou e preparou um cabrito e pães ázimos de um efa de farinha; ele
colocou a carne em uma cesta e o caldo em uma panela, e os trouxe
para debaixo do carvalho e os apresentou. O anjo de Deus lhe disse:
"Tome a carne e os pães sem fermento e coloque-os sobre esta pedra, e
despeje o caldo". E ele assim o fez. Então o anjo do Senhor estendeu a
ponta do cajado que tinha na mão e tocou a carne e os pães ázimos; e o
fogo subiu da rocha e consumiu a carne e os pães ázimos.
Leitura de mente
Jesus demonstrou essa habilidade profética repetidas vezes em
Seu ministério. Ele respondia a perguntas que ninguém fazia porque
sabia o que estava em suas mentes.

Mas Ele conhecia seus pensamentose disse-lhes: "Qualquer


reino dividido contra si mesmo será assolado; e uma casa dividida
contra si mesma cairá" (Lucas 11:17 ênfase adicionada).
Há momentos em que alguém está ministrando a uma pessoa
profeticamente e pode ler os pensamentos dessa pessoa. Não percebendo
o que acabou de acontecer, a pessoa que está ministrando pode começar a
profetizar para a pessoa que está recebendo o ministério seus desejos ao
invés do coração do Senhor. Entendendo que profético
as pessoas às vezes podem ler a mente dos outros ajuda a manter
essa dinâmica fora de nossas profecias.
Circunstâncias
Deus pode falar conosco e nos dirigir através das circunstâncias
de nossas vidas. Essa dinâmica ocorre quando Deus abre e fecha
as portas da oportunidade. É fácil não entender este princípio e
pensar que sempre que nos deparamos com um obstáculo em
nossa vida, Deus não pode estar nele. No entanto, tenha em mente
que sempre que estivermos fazendo algo para Deus, o diabo se
oporá a nós!

Conheço seus feitos. Eis que pus diante de ti uma porta aberta
que ninguém pode fechar, porque tens pouca força, e guardaste a
minha palavra, e não negaste o meu nome (Apocalipse 3:8).
Dança
Muitas igrejas têm dançarinos como parte de sua equipe de adoração.
Muitas vezes, Deus começará a coreografar uma dança sobrenatural e
espontânea, que na verdade é um ato profético que o Senhor está falando
conosco através da dança.

Então a virgem se regozijará na dança, e os jovens e os velhos,


juntos, pois transformarei o seu pranto em alegria, e os consolarei e
lhes darei alegria pela sua tristeza (Jeremias 31:13).
Músicas Proféticas
Muitas vezes, durante o culto, o Senhor dá a alguém uma
canção espontânea que é de Deus para o povo. É comum Deus dar
ao cantor profético a letra e a melodia.
Que a Palavra de Cristo habite ricamente em vocês, com toda a
sabedoria ensinando e admoestando uns aos outros com salmos e hinos
e cânticos espirituais, cantando com gratidão em seus corações a Deus
(Colossenses 3:16).
Verificações do Corpo Profético
Algumas vezes o Senhor comunicará Seu desejo de curar o corpo
de outra pessoa causando dor ou sensação em certa parte do corpo
da pessoa profética; normalmente se correlaciona com a doença na
pessoa que Deus quer curar. Se recebemos esse tipo de informação
do Espírito Santo, é importante que estejamos cientes de qual dor ou
desconforto é comum a nós. Sem esclarecimento, poderíamos
confundir erroneamente nossa dor com uma palavra de conhecimento
para cura.
Acontecimentos Espirituais
Os acontecimentos espirituais são outra maneira pela qual Deus
fala conosco. Estes são incidentes sobrenaturais que se
correlacionam com eventos naturais. Observe que no Livro dos
Números, a vara de Arão ganhou vida depois de morto, e deu flores
e amêndoas maduras como um sinal de Deus de que ele foi ungido
para ser um líder de Israel.

Fala aos filhos de Israel, e tira deles uma vara para cada casa paterna:
doze varas, de todos os seus chefes segundo as casas paternas. E
escreverás cada nome na sua vara, e escreverás o nome de Arão na vara
de Levi; pois há uma vara para o cabeça de cada uma das famílias de seus
pais. Você deve então depositá-los na tenda da reunião em frente ao
testemunho, onde eu me encontro com você. Acontecerá que a vara do
homem que eu escolher brotará. Assim diminuirei de mim as murmurações
dos filhos de Israel, que murmuram contra ti.
Moisés, pois, falou aos filhos de Israel, e todos os seus líderes lhe
deram uma vara cada um, para cada líder de acordo com as casas de
seus pais,
doze varas, com a vara de Arão entre as suas varas. Então Moisés
depositou as varas diante do Senhor na tenda do testemunho. Ora, no
dia seguinte, Moisés entrou na tenda do testemunho; e eis que a vara
de Arão para a casa de Levi havia brotado e brotado e produzido
flores, e deu amêndoas maduras (Números 17:2-8).
Algum tempo atrás, toda vez que eu entrava em um culto, notava
que meu relógio ganhava uma hora. Depois de comprar três relógios
diferentes, todos os quais ganharam uma hora apenas durante o
culto, finalmente perguntei ao Senhor o que isso poderia significar.
Ele disse: "É mais tarde do que você pensa."
Perguntas para ponderar
1. Qual é uma maneira de aumentar nossa vida dos sonhos?
2. Como o discernimento de espíritos é uma voz de Deus?
3. Qual é um dos erros mais comuns que as pessoas cometem
quando permitem que Deus as dirija através das circunstâncias?
4. Cite duas maneiras pelas quais a criação pode falar conosco.
5. Qual é a diferença entre uma visão e um transe?
Perguntas para discussão em grupo
1. Qual é a maneira mais comum pela qual Deus fala com
você pessoalmente?
2. Existe alguma coisa que aconteceu em sua vida que, depois
de ler este capítulo, você percebe agora que era uma voz de Deus?
Aplicação de vida
Vá em uma aventura do Espírito Santo! Você pode fazer isso
simplesmente tomando alguns minutos para orar e pedir ao Espírito
Santo que lhe mostre para onde ir e com quem falar. Ele está ansioso
para acompanhá-lo nesta façanha. Você aprenderá a ouvir a voz Dele –
esteja pronto para algumas surpresas ao longo do caminho!
capítulo 5
Julgando e recebendo palavras
proféticas
É importante desenvolver um ambiente seguro para que os dons do espírito operem
com eficácia. Este capítulo examina as razões pelas quais a profecia precisa ser julgada
e os critérios apropriados pelos quais o ministério profético deve ser avaliado. Também
exploraremos a maneira correta de receber palavras proféticas.
Julgue todas as profecias
Em I Tessalonicenses, Paulo nos instrui a não desprezar as
declarações proféticas. Qualquer um de nós que teve experiência com
ministério profético pode facilmente entender por que Paulo levantaria o
assunto de desprezar o ministério profético. Muitas igrejas, em resposta
ao pobre ministério profético, eliminaram completamente os dons do
Espírito de seus cultos e ensinamentos. Aprendemos também que uma
palavra profética deve ser examinada cuidadosamente e que devemos
nos apegar ao que é considerado bom.

Não apague o Espírito; não despreze as declarações proféticas.


Mas examine tudo cuidadosamente; apegue-se ao que é bom (1
Tessalonicenses 5:19-21).
A exortação de Paulo, no entanto, é que o Reino de Deus não
consiste em palavras, mas em poder (veja 1 Coríntios 4). Ele
também nos lembra: "Para que nossa fé não se baseie na sabedoria
do homem, mas no poder de Deus" (1 Coríntios 2:5).
Os profetas podem cometer erros sem serem
falsos profetas

"Falem dois ou três profetas e os outros julguem" (1 Coríntios


14:29).
Muitas pessoas na igreja têm problemas em acreditar que um
verdadeiro profeta de Deus pode cometer um erro enquanto
profetiza. Eles assumem que apenas falsos profetas cometem erros.
Em Primeira Coríntios, somos exortados a deixar dois ou três
profetas falarem em um culto e deixar que os outros profetas
julguem a palavra.
A verdade é que até mesmo os apóstolos e profetas da Bíblia
deram profecias que não eram totalmente exatas.
Um exemplo está em Atos 21. Ágabo, o profeta, profetizou que os
judeus em Jerusalém amarrariam Paulo e o entregariam aos gentios.
Como estávamos lá por alguns dias; um profeta chamado Ágabo
desceu da Judéia. E vindo até nós, ele tomou o cinto de Paulo e amarrou
seus próprios pés e mãos e disse: "Assim diz o Espírito Santo: 'Assim os
judeus em Jerusalém amarrarão o homem que possui este cinto e o
entregarão nas mãos de os gentios" (Atos 21:10-11).
O que realmente aconteceu: os gentios resgataram Paulo dos
judeus.

Imediatamente ele levou alguns soldados e centuriões e correu


até eles; e quando viram o comandante e os soldados, pararam de
bater em Paulo. Então o comandante se aproximou e o segurou, e
ordenou que fosse amarrado com correntes; e começou a perguntar
quem ele era e o que tinha feito (Atos 21:32-33).
No versículo 30 de Atos capítulo 22, o comandante entregou
Paulo aos judeus. Isso foi o oposto do que Ágabo profetizou.

Mas no dia seguinte, querendo saber com certeza por que havia
sido acusado pelos judeus, ele o soltou e ordenou que os principais
sacerdotes e todo o conselho se reunissem e trouxe Paulo para
baixo e o colocou diante dele (Atos 22:30).
É óbvio que Ágabo estava correto sobre o cerne do que Deus
estava dizendo, mas ele confundiu os detalhes um pouco.
Julgando e recebendo palavras proféticas
Outro exemplo de uma palavra profética que não era inteiramente exata
pode ser encontrado em Atos 27:10. Aqui Paulo diz: "Se continuarmos
navegando, perderemos o navio e todos morreremos". No entanto, mais
tarde nos versículos 22 e 23 daquele capítulo 27 de Atos, Paulo é corrigido
por um anjo que diz: "Não haverá perda de vida,
mas apenas o navio."Isso pode parecer um pequeno erro, a menos
que você seja um dos homens do navio!
Teologicamente, algumas pessoas citam Deuteronômio capítulo
18 como evidência de que um profeta é falso se algumas de suas
profecias forem imprecisas. Precisamos entender a diferença entre
o ministério profético do Antigo Testamento e do Novo Testamento.

P levantará um profeta dentre seus compatriotas como você, e


porei minhas palavras em sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu
mandar (Deuteronômio 18:18).

Mas o profeta que falar com presunção em meu nome alguma


palavra que eu não lhe mandei falar, ou que ele falar em nome de
outros deuses, esse profeta morrerá (Deuteronômio 18:20).
Profecia do Antigo Testamento Versus Novo
Testamento
No Antigo Testamento, os profetas recebiam a palavra do
Senhor.
No Novo Testamento, as pessoas proféticas percebem a palavra do
Senhor. No Antigo Testamento, o Espírito de Deus não vivia dentro do
homem, nem
se o espírito do homem tivesse sido trazido à vida. Isso acontece
durante o processo de novo nascimento quando recebemos a
Cristo. Portanto, quando um profeta no Antigo Testamento ouviu de
Deus, foi uma ocasião porque Cristo não estava vivendo dentro
deles.
Nesta nova dispensação, nosso espírito está vivo e o Espírito
Santo vive dentro de nós. Agora, como cristãos, interagimos
diariamente com o mundo espiritual. É fácil confundir as palavras do
Espírito Santo com as palavras do nosso espírito recém-regenerado.
Lembre-se, agora podemos ter uma experiência espiritual sem a
participação do Espírito Santo, pois somos um espírito tentando ter
uma experiência humana temporária.
A razão pela qual a profecia no Antigo Testamento não foi julgada
(exceto para matar o profeta ou esperar para ver se a profecia se cumpriria)
é porque as pessoas estavam espiritualmente mortas. Eles não tinham
paradigma espiritual para processar informações espirituais. Naqueles dias,
seu julgamento era baseado em gostar ou não da palavra. É fácil ver por
que, no Antigo Testamento, eles mataram os profetas que os enganaram.
Esses homens tiveram uma tremenda influência sobre seu povo, bem como
sobre os países.
Na igreja do Novo Testamento, no entanto, o cristão que recebe
a palavra tem tanta responsabilidade de julgar a palavra quanto
aquele que a deu, porque tanto o doador quanto o receptor têm o
mesmo Espírito Santo vivendo dentro deles.
Desenvolvendo um portão de lixo
Algumas pessoas são excessivamente sensíveis a experiências
espirituais negativas. Eles passam a vida tentando se manter seguros
e limpos. Deus fez Seu povo durável. Na cidade de Jerusalém havia
um portão de lixo – a área onde todo o lixo da cidade era despejado.
Nosso próprio corpo humano tem um sistema de eliminação que
descarta tudo o que não o nutre. Há uma necessidade no Corpo de
Cristo de um sistema de eliminação também. Caso contrário, seremos
envenenados por um ministério pobre ou, pior ainda, morreremos de
fome por aqueles que recusam a obra do Espírito Santo porque têm
medo de que alguém possa "engojá-los".
Ordem na Igreja
A Bíblia nos diz que os dons do Espírito devem ser praticados
corretamente e em ordem. A primeira parte deste mandamento é
que eles devem ser praticados! Não há necessidade de ordem se
você nunca permitir que o Espírito se mova. Se você já testemunhou
o nascimento de uma criança, perceberá que a ideia de Deus de
"decentemente e em ordem" é muito diferente da nossa. A nova vida
pode ser bagunçada!

Mas todas as coisas devem ser feitas corretamente e de maneira


ordenada (1 Coríntios 14:40).
Onde quer que as pessoas estejam ministrando umas às outras,
haverá bagunça. As bagunças são um dos sinais de que a vida está
acontecendo. O lugar mais ordenado
no planeta é o cemitério; mas não há vida lá.

Onde não há bois, a manjedoura é limpa, mas muito da renda


vem pela força do boi (Provérbios 14:4).
Pense no que a manjedoura está cheia quando há muito
aumento!
Isso não significa que permitir a manifestação dos dons do Espírito na
igreja deva ser algo sem diretrizes. Jesus disse que Ele derrama vinho
novo em odres novos. Ele não disse que derrama vinho novo em odres.
Em Primeira Coríntios capítulo 14, Paulo nos instrui a ter ordem na igreja.
Ele nos diz, "o espírito do profeta está sujeito ao profeta". Isso significa
que ninguém pode dizer que o Espírito Santo o fez agir de maneira
disruptiva. O Espírito Santo se sujeita a nós.
É responsabilidade da liderança da igreja estabelecer diretrizes e
limites.
Quando isso for feito, o Espírito se moverá dentro deles quando for
convidado.Isso se torna o novo odre, que obviamente deve ser flexível.
Diretrizes para Julgar Palavras Proféticas
1. A palavra deve ser congruente com as Escrituras, bem como
com o coração de Deus Pai.

Mas ainda que nós ou um anjo do céu vos pregue um evangelho


contrário ao que vos temos pregado, seja amaldiçoado (Gálatas
1:8).
2. Deve dar testemunho com o espírito de quem o recebe.
O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos
de Deus (Romanos 8:16).
3. O fruto da palavra profética deve ser que a pessoa que a
recebe seja aproximada de Deus e de Seu povo.

Mais do que isso, considero todas as coisas perda, em vista do


valor supremo de conhecer a Cristo Jesus, meu Senhor, por quem
sofri a perda de todas as coisas, e as considero como lixo, para
ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria que
procede da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a justiça que vem de
Deus pela fé, para que eu o conheça e o poder da sua ressurreição e
o comunhão dos seus sofrimentos, conformando-se com a sua morte...
(Filipenses 3:8-10).
4. Os profetas e lideranças devem estar de acordo com a palavra
e sua interpretação e aplicação.

Obedeça aos seus líderes e submeta-se a eles, pois eles velam por
suas almas como quem prestará contas. Deixe-os fazer isso com alegria
e não com tristeza, pois isso seria inútil para você (Hebreus 13:17).
5. A interpretação de qualquer revelação profética pertence a
Deus, não ao homem. Portanto, também precisamos da unção do
Espírito Santo para saber o significado da palavra e o que fazer com
ela.
Mas saiba, antes de tudo, que nenhuma profecia da Escritura é
uma questão de interpretação própria, pois nenhuma profecia jamais
foi feita por um ato de
vontade humana, mas homens movidos pelo Espírito Santo falaram
da parte de Deus (2 Pedro 1:20-21).
Às vezes, quando recebemos uma palavra profética, não percebemos o
que ela significa até que ela seja cumprida. Um exemplo disso é encontrado
em Êxodo, capítulo 3, onde Moisés pede a Deus um sinal para que ele
possa ter certeza de que é Deus quem o está enviando. O Senhor falou
com ele e disse: "Depois de tirar o povo do Egito, você vai adorar neste
monte."

Mas Moisés disse a Deus: "Quem sou eu, para ir a Faraó e tirar
os filhos de Israel do Egito?" E Ele disse: “Certamente estarei com
você, e isto será para você o sinal de que sou Eu quem o enviei:
quando você tiver tirado o povo do Egito, você adorará a Deus neste
monte” (Êxodo 3 :11-12).
A profecia de Jesus sobre Sua própria morte e ressurreição não
foi compreendida até que Ele ressuscitou dos mortos.

Jesus respondeu-lhes: "Destruí este templo, e em três dias eu o


levantarei" Os judeus então disseram: "Levou quarenta e seis anos
para construir este templo, e você o levantará em três dias?" Mas
Ele estava falando do templo do Seu corpo. Então, quando Ele
ressuscitou dos mortos, Seus discípulos lembraram que Ele disse
isso; e creram na Escritura e na palavra que Jesus havia falado
(João 2:19-22).
Julgando a interpretação
É fácil julgar mal uma palavra profética acreditando que ela se
relaciona com nossas circunstâncias imediatas ou algo próximo ao
nosso coração que esperamos. Isso pode ser chamado de audição
seletiva!
Eu dei centenas de palavras proféticas para as pessoas ao longo dos anos
e às vezes me surpreendo com o que as pessoas pensam que me ouvem
dizer. Ocasionalmente,
o que as pessoas ouvem da profecia e qual é a palavra real não são
nem perto da mesma coisa!
Um exemplo vívido desse tipo de interpretação errônea está no relato
de Mateus capítulo 16. Os discípulos negligenciaram trazer pão. Quando
Jesus lhes disse: "Acautelai-vos e acautelai-vos do fermento dos fariseus e
saduceus", eles pensaram que Ele os estava repreendendo por se
esquecerem do pão. Como eles tiraram isso da palavra, "Acautelai-vos do
fermento dos fariseus e saduceus?" Eles lêem suas circunstâncias em Sua
palavra!

E Jesus disse-lhes: "Acautelai-vos e acautelai-vos do fermento


dos fariseus e saduceus" Eles começaram a discutir isso entre si,
dizendo: "Ele disse isso porque não trouxemos pão". Mas Jesus,
ciente disso, disse: "Homens de pouca fé, por que vocês discutem
entre si que não têm pão? Vocês ainda não entendem ou se
lembram dos cinco pães dos cinco mil, e quantos cestos cheios
vocês pegaram Ou os sete pães dos quatro mil, e quantos cestos
cheios recolheste?"
"Como é que você não entende que eu não falei com você sobre
o pão? Mas acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus"
Então eles entenderam que Ele não disse para tomar cuidado com o
fermento do pão, mas com o ensino dos fariseus e saduceus
(Mateus 16:6-12).
Olhando para o coração da questão
No Livro do Êxodo, Deus diz a Moisés que Ele vai matar o povo que
Moisés tirou do Egito porque eles são obstinados e maus. Moisés
argumenta com o Senhor que eles são o povo do Senhor que Ele
conduziu para fora do Egito. Após um longo debate, Deus muda de idéia
e conduz o povo à Terra Prometida. Por que Deus profetizaria a Moisés
algo que Ele realmente não queria fazer? Às vezes, quando Deus fala
conosco, Ele está testando nossos corações mais do que determinando
nosso destino. Deus estava determinando se Moisés tinha o coração
necessário para liderar Seu povo.
Então o Senhor mudou de idéia sobre o mal que Ele disse que
faria ao Seu povo (Êxodo 32:14).
Às vezes Deus fala para testar nossos
corações.
Tradicionalmente, a igreja tem uma maneira unidimensional de
julgar a profecia. Mas Deus está nos chamando para um
relacionamento mais profundo com Ele. Isso nos levará a novas
formas de julgar o ministério profético.

O Senhor disse a Moisés: "Eu vi este povo, e eis que é um povo


obstinado. Agora, então, deixe-me em paz, para que a minha ira se
acenda contra eles e eu os destrua; e eu farei de você um grande
nação."
Então Moisés suplicou ao Senhor seu Deus, e disse: "Ó Senhor, por
que se acende a tua ira contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito
com grande poder e com mão poderosa? Por que falariam os egípcios,
dizendo: 'Com más intenções Ele os tirou para matá-los nos montes e
exterminá-los da face da terra'? Afaste-se de sua ira ardente e mude de
idéia sobre fazer mal ao seu povo. Lembre-se de Abraão, Isaque e Israel,
Teus servos, a quem juraste por ti mesmo, e lhes disseste: Multiplicarei a
tua descendência como as estrelas dos céus, e toda esta terra de que
falei darei à tua descendência, e eles a herdarão para sempre..'"
Então o Senhor mudou de idéia sobre o mal que Ele disse que
faria ao Seu povo (Êxodo 32:9-14).
Aqui está outro exemplo de ministério profético que foi recebido
de maneira incomum.
Referindo-se novamente ao profeta Ágabo, ele ministra ao apóstolo
Paulo dizendo-lhe que, se for a Jerusalém, será amarrado e preso. Paulo
não acha que a palavra profética significa que Deus não quer que ele
ir, mas sim que Deus está dizendo a ele para calcular o custo. Isso
enfatiza a necessidade de olhar para o coração de Deus para
realmente entender o que Ele quer em vez do que Ele parece estar
dizendo.

Como estávamos lá por alguns dias, um profeta chamado Ágabo


desceu da Judéia. E chegando até nós, ele tomou o cinto de Paulo e
amarrou seus próprios pés e mãos, e disse: "Assim diz o Espírito
Santo: 'Assim os judeus em Jerusalém amarrarão o homem que
possui este cinto e o entregarão no mãos dos gentios.'"
Quando ouvimos isso, nós, bem como os moradores locais,
começamos a implorar para que ele não subisse a Jerusalém. Então
Paulo respondeu: "O que você está fazendo, chorando e partindo
meu coração? Pois estou pronto não apenas para ser amarrado,
mas até mesmo para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor
Jesus" (Atos 21:10-13).
Como receber palavras proféticas
Quando recebemos uma palavra profética, devemos julgá-la para ter
certeza de que é de Deus. O próximo passo é aprendermos a receber a
palavra. É importante saber quando sair do caminho e quando preparar o
caminho. Este ponto é ilustrado na vida de Abraão e Sara
em Gênesis capítulos 16-21. Deus lhes disse que eles teriam um filho.
Mas os anos se passaram e eles ainda não tiveram filhos. Infelizmente, eles
decidiram ajudar Deus a cumprir Sua promessa fazendo Abraão dormir com
Hagar, a serva de Sara. Isso resultou em Agar dando à luz Ismael. Ismael
perseguiu o filho da promessa pelo resto de seus dias (veja Gl 4:29).
Finalmente Deus veio a Abraão e Sara e profetizou que eles teriam
um filho no ano seguinte. Sara riu e disse: "Depois que eu ficar velha,
terei prazer, pois meu senhor também está velho?" (Gn 18:12). Mas
apesar de sua dúvida, Isaac nasceu no ano seguinte. A coisa
surpreendente a ser lembrada aqui é que Isaque não nasceu por meio de
uma concepção imaculada. Abraão e Sara tiveram que participar da
união matrimonial para ter Isaque. Em um aspecto, eles criaram um
Ismael tentando fazer a palavra profética acontecer, mas ainda assim
eles tiveram que colaborar com Deus para ver Sua promessa se tornar
realidade.
Precisamos perceber que Deus raramente faz as coisas sozinho.
Ele muitas vezes exige que nos envolvamos com Ele para ver
nossos destinos cumpridos. A chave aqui é permitir que o Espírito
Santo nos mostre qual parte Ele quer que desempenhemos e qual
parte Deus reservou para Si mesmo. Caso contrário, criaremos
Ismaels que perseguirão nossos Isaacs!
Também precisamos aprender a receber o ministério profético
multidimensionalmente. Em outras palavras, quando Deus nos fala
sobre fazer algo novo, Ele não quer necessariamente que paremos
nossa atividade atual. Normalmente, Ele quer aumentar nossas
responsabilidades. Isso é ilustrado na parábola dos talentos. Quando
os mordomos eram fiéis com poucos talentos, recebiam mais, pois
haviam cuidado cuidadosamente do que haviam recebido. Precisamos
ser cuidadosos em como aplicamos palavras proféticas em nossas
vidas porque Deus quer nos abençoar abundantemente.

A um deu cinco talentos, a outro, dois, e a outro, um, cada um segundo


a sua capacidade; e ele partiu em sua jornada. Imediatamente o que
recebera os cinco talentos foi negociar com eles e ganhou mais cinco
talentos. Da mesma forma, aquele que recebera os dois talentos ganhou
mais dois. Mas aquele que recebeu um talento foi embora, cavou um
buraco na terra e escondeu o dinheiro de seu senhor.
Agora, depois de muito tempo, o senhor daqueles escravos veio e
acertou contas com eles. Aproximou-se aquele que recebera cinco
talentos e trouxe mais cinco talentos, dizendo: "Mestre, você me
confiou cinco talentos. Veja, ganhei mais cinco talentos". Seu senhor
lhe disse: "Muito bem, escravo bom e fiel. Você foi fiel no pouco, eu o
colocarei no comando de muitas coisas; entre no gozo do seu senhor".
Aproximou-se também aquele que recebera dois talentos e disse:
"Mestre, você me confiou dois talentos. Veja, ganhei mais dois
talentos". Seu senhor lhe disse: "Muito bem, servo bom e fiel. Foste fiel
no pouco, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor"
(Mateus 25:15-23).
Perguntas para ponderar
1. Qual é a diferença entre a profecia do Antigo Testamento e do
Novo Testamento?
2. Como é possível ter uma palavra profética de Deus que pode
ter partes imprecisas?
3. É possível que uma palavra seja bíblica, mas não de Deus?
(Consulte Lucas 4.)
4. Cite as cinco maneiras pelas quais a profecia deve ser julgada.
Questões de discussão
1. Quais são algumas das maneiras pelas quais devemos
trabalhar com pessoas que continuamente dão palavras
imprecisas?
2. O que devemos fazer se dermos uma palavra profética a
alguém em nossa liderança e eles acreditarem que a palavra está
errada, embora acreditemos que ouvimos de Deus?
Aplicação de vida
Junte-se a algumas outras pessoas proféticas. Profetize e dê
palavras de conhecimento uns aos outros. Peça àqueles que
receberam as palavras para julgá-las quanto à precisão. Este não é
o momento de estender misericórdia uns aos outros! A honestidade
é muito importante quando aprendemos a ouvir a voz do Espírito
Santo. Aprendemos tanto por estarmos errados quanto por
estarmos certos. Portanto, se a palavra que recebemos não foi
precisa, é correto e apropriado dizer à pessoa que
profetizou. Devemos também incluir a razão pela qual não
acreditamos que a palavra, ou partes dela, sejam de Deus.
Capítulo 6
Recebendo e Ministrando no Dom de
Profecia
Os capítulos anteriores exploraram o Dom de Profecia e como permitir que o Espírito Santo
flua em sua vida. Este capítulo revela como receber e crescer nos dons do Espírito Santo.

Como receber
A maneira mais comum de receber dons espirituais é fazer com
que alguém que já tenha dons imponha as mãos sobre você e ore
por uma transmissão do dom ou dons do Espírito Santo.

Pois desejo ver-vos para vos comunicar algum dom espiritual,


para que sejais confirmados (Romanos 1:11).

E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e


começaram a falar em línguas e a profetizar (Atos 19:6).

Não negligencie o dom espiritual dentro de você, que foi


concedido a você por meio de pronunciação profética com
imposição de mãos pelo presbitério (1 Timóteo 4:14).
Um dos ensinos elementares de Cristo é a transmissão de dons
espirituais por meio da imposição de mãos. Este princípio é encontrado
nas próprias raízes da cultura judaica. Na verdade, foi a razão pela qual
Jacó foi abençoado
e Esaú foi amaldiçoado. O significado da imposição de mãos é
ainda demonstrado no Livro de Hebreus em que é mencionado no
mesmo contexto como ressurreição e julgamento eterno.

Portanto, deixando o ensino elementar sobre o Cristo,


prossigamos à maturidade, não lançando novamente o fundamento
de arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, instrução
sobre lavagens e imposição de mãos, e ressurreição de mortos e
juízo eterno (Hebreus 6:1-2).
O papel da graça
Pela graça recebemos as habilidades do Espírito Santo. Essas
habilidades nos equipam para trabalhar na colheita. A graça não é
apenas um favor imerecido; é também o poder operacional de Deus.

Mas a cada um de nós a graça foi dada segundo a medida do


dom de Cristo. E deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e
outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, para o
preparo dos santos para a obra do serviço, para a edificação do
corpo de Cristo (Efésios 4:7). ,11-12).
Determinando a força do seu presente
Embora os dons sejam concedidos através da imposição de
mãos, você ainda deve recebê-los daquele que os concede a você
pela fé. Duas coisas determinarão a força e o "sabor" de seus dons:
1. A proporção de sua fé determina quanta graça você recebe
para operar nos dons. Em outras palavras, quanto mais fé você tiver
dentro de você, mais fortes os dons operarão através de você.
2. O tipo e o nível de graça que reside naquele que está lhe
concedendo o dom determinará qual dom será dado a você.
O seguinte é um exemplo de como a graça e a fé funcionam: Se
formos a uma fonte de refrigerante para uma bebida, o sabor da
bebida é determinado pela fonte - como a graça na vida de uma
pessoa que nos dá o presente. A quantidade de bebida que
podemos receber é determinada pelo tamanho do copo que
levamos à fonte – nossa fé.
É importante que permaneçamos dentro dos limites de nossa
própria fé e tentemos não copiar a fé de outra pessoa. Não
precisamos ser profundos para ser poderosos. Às vezes, a palavra
mais simples toca as pessoas tão profundamente quanto algo que
parece pesado ou profundo.
Você não precisa ser profundo para ser
poderoso.

Visto que temos dons que diferem de acordo com a graça que
nos foi dada, cada um de nós deve exercê-los de acordo: se
profecia, de acordo com a proporção de sua fé (Romanos 12:6).
Os dons do Espírito Santo não são prêmios! Não podemos ganhá-los.
Como os dons não são uma marca de maturidade, não precisamos esperar
que nossas vidas estejam em perfeita ordem para recebê-los. No entanto,
somos instruídos a desejar sinceramente o que significa "persegui-los
apaixonadamente".
Como os presentes crescem
Jesus expressou Sua opinião sobre o crescimento de seus dons
através da parábola dos talentos – se usarmos o que recebemos, mais
nos será dado. Se não usarmos o que temos, até o que temos será
tirado de nós. Este princípio se aplica a todos os aspectos do Reino de
Deus. Se quisermos receber um nível mais profundo de revelação
profética, devemos ser fiéis com o nível de percepção que temos
agora. Algumas pessoas que receberam apenas um talento passam
todo o tempo tentando descobrir por que outra pessoa recebeu mais,
em vez de administrar o que recebeu para alcançar mais!
Pois é como um homem prestes a viajar, que chamou seus próprios
escravos e lhes confiou seus bens. A um deu cinco talentos, a outro, dois, e
a outro, um, cada um segundo a sua capacidade; e ele partiu em sua
jornada. Imediatamente o que recebera os cinco talentos foi negociar com
eles e ganhou mais cinco talentos. Da mesma forma, aquele que recebera
os dois talentos ganhou mais dois.
Mas aquele que recebeu um talento foi embora, cavou um
buraco na terra e escondeu o dinheiro de seu senhor. Agora, depois
de muito tempo, o senhor daqueles escravos veio e acertou contas
com eles.
Aproximou-se aquele que recebera cinco talentos e trouxe mais
cinco talentos, dizendo: "Mestre, você me confiou cinco talentos. Veja,
ganhei mais cinco talentos" Seu mestre lhe disse: "Muito bem, bom e
fiel Escravo, foste fiel no pouco, sobre muito te encarregarei; entra no
gozo do teu senhor."
Aproximou-se também aquele que recebera dois talentos e
disse: "Mestre, você me confiou dois talentos. Veja, ganhei mais
dois talentos" Seu mestre lhe disse: "Muito bem, servo bom e fiel.
Você foi fiel no pouco, sobre muito te encarregarei; entra no gozo do
teu senhor"
E chegou também aquele que recebera um talento e disse: "Mestre, eu
sabia que você é um homem duro, que ceifa onde não semeou e ajunta
onde não semeou". escondeu seu talento no chão. Veja, você tem o que é
seu." Mas o seu senhor respondeu e disse-lhe: "Escravo mau e preguiçoso,
você sabia que eu colho onde não semeei e recolho onde não semeei.
Então você deveria ter depositado meu dinheiro no banco, e na minha
chegada eu teria recebido meu dinheiro de volta com juros. Tira, pois, dele
o talento e dá-o ao que tem dez talentos” (Mateus 25:14-28).
Em Primeira Timóteo, Paulo exorta Timóteo a "ser absorvido" e
praticar seu dom espiritual para que ele cresça e seja um exemplo
para os outros através de sua busca.
Não negligencie o dom espiritual dentro de você, que foi
concedido a você por meio de pronunciação profética com a
imposição de mãos pelo presbitério. Tome dores com essas coisas;
absorva-se neles, para que o seu progresso seja evidente a todos (1
Timóteo 4:14-15).
Em Primeira Pedro, somos exortados a "empregar" os dons que
nos foram dados. Se não nos tornarmos bons mordomos dos dons
que Deus nos deu, Ele os dará a alguém que assumirá a
responsabilidade por eles. Deus não tem seguro desemprego!
Como cada um recebeu um dom especial, empregue-o servindo
uns aos outros como bons despenseiros da multiforme graça de Deus
(1 Pedro 4:10).
O Batismo do Espírito Santo e os Dons
Jesus disse aos Seus discípulos que esperassem a promessa do
Pai que, quando recebida, lhes daria poder do alto. A palavra
"poder", em grego, é a palavra dunamis, que é de onde vem a
palavra dinamite. Portanto, o batismo no Espírito Santo é o poder
por trás dos dons. Os dons podem ser comparados ao motor de um
carro, no sentido de que o batismo no Espírito Santo é o
combustível!

...mas vocês receberão poder quando o Espírito Santo descer


sobre vocês; e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como
em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra (Atos 1:8).
Perguntas para ponderar
1. Qual é a maneira mais comum de receber os dons do Espírito?
2. Que papel a graça tem para aqueles que recebem a
transmissão de outra pessoa?
3. Que papel desempenha a fé no recebimento dos dons do Espírito
Santo?
4. Como nos fortalecemos nos dons que já temos?
Perguntas para discussão em grupo
1. Primeira Coríntios 12:11 diz que o Espírito Santo distribui
Seus dons como Ele quer. Como o Espírito Santo determina a quem
Ele dará Seus dons?
2. Quantos dons do Espírito podemos realmente ter?
Aplicação de vida
Pergunte ao Espírito Santo se você tem sido fiel com tudo o que
Ele lhe deu. Se você não tiver, peça a Ele um plano para as áreas
onde você esteve com medo ou apático. Lembre-se que a coragem
é o medo que fez suas orações! Tem sido dito que, "Um covarde
morre milhares de mortes, mas uma pessoa corajosa morre apenas
uma vez."
Capítulo 7
Etiqueta Profética
A maioria de nós já experimentou uma palavra profética certa na época errada ou uma palavra
errada no
época certa! Este capítulo é sobre como falar a palavra certa na época certa. Também é
discutido como deve ser a entrega adequada de uma palavra profética.

Como maçãs de ouro em engastes de prata é uma palavra dita


em circunstâncias corretas (Provérbios 25:11).
Muitos de nós imaginamos algo semelhante ao exemplo a seguir
quando pensamos no ministério profético acontecendo na igreja.
Muitos anos atrás, quando começamos a frequentar uma igreja
carismática, havia uma mulher que se levantava abruptamente no
meio do sermão do pastor. Ela tremia, tremia e gritava uma mensagem
em línguas quase todos os domingos. Isto foi seguido por uma
interpretação de igual volume, falada no dramático inglês King James.
Diretrizes para o Ministério Profético Adequado
As diretrizes a seguir não pretendem ser leis, mas apenas pretendem
dar algumas "margens ao rio". Sem margens, o rio torna-se uma inundação.
Em uma inundação, a água normalmente causa mais danos do que
benefícios.
Cada cultura tem seu próprio sabor e estilo únicos. É essencial, no
entanto, perceber que não é nossa cultura ou estilo que torna uma palavra
profética. O que torna uma palavra profética é Deus falando através de
alguém.

Portanto, meus irmãos, procurem com fervor profetizar e não


proibam falar em línguas. Mas todas as coisas devem ser feitas
corretamente e de maneira ordenada (1 Coríntios 14:39-40, ênfase
adicionada).
Uma chave importante para o ministério profético adequado: O espírito
do profeta está sujeito ao profeta. Isso significa que o Espírito Santo
normalmente se sujeita ao vaso que Ele está usando. As pessoas não estão
agindo de acordo com o padrão estabelecido pelas Escrituras quando
dizem coisas como: "Deus me fez fazer isso" ou "O Espírito veio sobre mim
e eu tive que pular e falar isso".

Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas (1 Coríntios


14:32).
Os exemplos a seguir ilustram momentos em que é inapropriado
dar uma palavra profética:
1. Quando estamos com raiva ou temos sentimentos emocionais
fortes e negativos em relação à pessoa ou pessoas para quem temos
uma palavra profética.
2. Quando usamos a profecia como uma "plataforma" para
validar nossas doutrinas pessoais ou sistema de crenças. Exemplo:
"Eu, o Senhor, digo a você esta noite que você não irá ao cinema!"
3. Quando não temos nenhum relacionamento ou
responsabilidade com a pessoa ou grupo de pessoas que recebe
nossa profecia. É importante que as pessoas proféticas tenham um
senso de propriedade das pessoas a quem estão ministrando. Muitas
vezes as pessoas têm uma atitude de "nós" e "eles" em relação às
pessoas a quem estão ministrando. Isso é insalubre e desonroso.
Autoridade = Responsabilidade + Responsabilidade +
Acessibilidade
Entrega da Palavra Profética
A seguir estão as diretrizes práticas para ministrar e entregar
palavras proféticas:
1. Não é necessário ou recomendado usar o inglês King
James ao profetizar. King James English não validará que o que
estamos dizendo é de Deus. Significa simplesmente que lemos a
versão King James da Bíblia. A propósito, Jesus não falava inglês
do rei James, nem soava como Shakespeare.
2. É importante que nosso comportamento corresponda ao do Espírito
Santo. Em outras palavras, é tão importante para nós apresentarmos
corretamente o tom em que o Espírito Santo nos comunicou a palavra
quanto o que Ele disse. Raramente é necessário gritarmos – aumentando o
volume da nossa voz
não torna a profecia melhor. O tom de voz em que dizemos algo a uma pessoa
comunica tanto quanto as próprias palavras.
3. Amordeve estar no centro de tudo o que fazemos em Cristo.
Quando estamos ministrando nos dons do Espírito, nosso motivo
deve sempre ser trazer o melhor das pessoas.

Qual é o resultado então, irmãos? Quando vocês se reúnem,


cada um tem um salmo, um ensinamento, uma revelação, uma
língua e uma interpretação. Que todas as coisas sejam feitas para
edificação (1 Coríntios 14:26, ênfase adicionada).
4. Em um culto na igreja, a maneira apropriada de entregar uma
palavra profética é submetê-la à pessoa ou pessoas encarregadas do
culto. Em nossa igreja, as profecias são submetidas aos “porteiros”
que estão cientes do que o Espírito Santo está fazendo com a
adoração e qual direção o sermão tomará. Essas pessoas são
capazes de determinar se uma palavra profética será adequada para
um determinado serviço. Lembre-se, o objetivo de toda profecia é
apresentar uma palavra exata nas circunstâncias certas.
5. Frases como "Eu, o Senhor, digo a vocês esta noite", ou "Assim
diz o Senhor", raramente são necessárias. O que faz de uma palavra
profética a voz de Deus? Deus é quem o iniciou — não o homem.
Quando a profecia for julgada, ficará evidente se foi o Senhor falando ou
não.
Palavras negativas e/ou críticas
A Bíblia é clara que a vida e a morte estão em nossas palavras.
Quando damos palavras negativas às pessoas, muitas vezes liberamos a
morte sobre elas. Nosso objetivo é fazer parte de um ministério que
liberta a vida e chama o melhor das pessoas.
A morte e a vida estão no poder da língua e quem a ama comerá
do seu fruto (Provérbios 18:21).
Na maioria das vezes, é melhor evitar dar palavras proféticas
negativas ou de julgamento.
Lembre-se também que só porque a palavra termina
positivamente não significa que seja uma palavra encorajadora.
Uma boa regra a seguir: se você não quiser receber a palavra, não
deve dá-la a outra pessoa.
Um membro de nossa equipe profética deu a um pastor esta
palavra: "Como Jó e sua esposa, você está prestes a passar por um
período de grande perda, mas no final, o Senhor o restaurará em
dobro, assim como fez com Jó.."
Felizmente, esta palavra foi dada a um pastor maduro, caso contrário a
palavra poderia ter sido muito prejudicial. O pastor fez a coisa certa ao
trazer esta palavra para nossa liderança e o membro da equipe foi
redirecionado em amor.
Palavras de advertência ou julgamento
As diretrizes a seguir ajudarão se você receber várias palavras
de advertência ou julgamento.
1. Pergunte a si mesmo se palavras negativas são comuns a
você. Se uma alta porcentagem da revelação profética que você
recebe for negativa, você pode ser o problema.
2. Ocasionalmente, o Senhor avisará sobre situações
perigosas ou negativas que se aproximam. Ele nos informa para que
possamos orar pela nossa segurança ou pela segurança de outra
pessoa. Ore até que o fardo seja aliviado.
3. Peça ao Espírito Santo uma palavra profética que libere vida
na situação. Lembre-se, o ministério profético libera graça para que
as coisas mudem. Profetizar a resposta elevará nossos espíritos e
virá contra as trevas que nos ameaçam.
4. Se a advertência persistir, devemos submeter a palavra à
nossa liderança. Uma vez entregue a eles e nós renunciamos à
propriedade, eles agora são responsáveis. Deus falará com eles
enquanto oramos para que Ele lhes dê sabedoria e orientação sobre
a palavra.
Responsabilidade
Às vezes, podemos sentir que o Senhor falou conosco sobre
nossas próprias vidas. Em outras palavras, profetizamos sobre nós
mesmos. Como acontece com qualquer outra palavra profética, ela
deve ser julgada. É de vital importância que submetamos esta
palavra àqueles que têm autoridade sobre nós; como faríamos se
tivéssemos recebido de outra pessoa. Isto é especialmente
verdadeiro se a palavra envolve direção.
Quando articulamos esse tipo de palavra à liderança, não devemos
dizer: "O Senhor me disse para fazer isso". Essa declaração de abertura
reduz drasticamente sua capacidade de nos dar sua opinião. Afinal, quem
quer discutir com Deus?
Quando as pessoas vão à liderança em busca de conselho e
começam uma conversa com: "O Senhor me disse para fazer isso", na
verdade o que elas costumam dizer é: "Não quero sua opinião; só quero
sua bênção pelo que querer fazer."
Certa vez eu estava conversando com um pastor que contou que havia
se divorciado de sua esposa porque "Deus lhe disse para fazer isso". Ele
disse que seu filho teve um sonho que ele acreditava também validar sua
decisão de deixar sua esposa! Enquanto o questionava sobre seu
casamento, perguntei-lhe se sua esposa havia cometido adultério. "Não",
ele respondeu, nada disso... ela odiava o ministério."
Achei que ele ia cair da cadeira quando lhe disse que Deus não
lhe disse para deixar sua esposa!
Lembre-se, só temos tanta autoridade em Deus quanto estamos
dispostos a nos submeter.
Se fizermos apenas o que aqueles que estão na liderança de
nossas vidas nos dizem para fazer quando concordamos com eles,
isso não é chamado de submissão, mas sim "fazer nossas próprias
coisas". Devemos convidar a liderança em nossas vidas e aprender
a confiar neles mais do que confiamos em nós mesmos. Caso
contrário, se alguma vez formos enganados em uma área, a única
maneira de sair da decepção é confiar em outra pessoa mais do que
em nós mesmos. A própria natureza do engano é que não sabemos
que estamos enganados! Se sabemos que estamos enganados,
isso não se chama engano, mas estupidez!
Isso não significa que devemos seguir um líder cuja vida e
ministério não dão bons frutos. Também não significa que fazemos
algo que a Bíblia claramente nos diz que é errado só porque um líder
nos diz para fazê-lo. Devemos seguir nossos líderes como eles
seguem a Cristo!
Obedeça aos seus líderes e submeta-se a eles, pois eles velam por
suas almas como quem prestará contas. Deixe-os fazer isso com alegria
e não com tristeza, pois isso seria inútil para você (Hebreus 13:17).
Perguntas para ponderar
1. Quais são algumas razões pelas quais seria impróprio profetizar?
2. Quais são algumas coisas a serem observadas ao proferir uma
palavra profética?
3. Qual é o procedimento adequado para entregar uma palavra
profética em um serviço público?
Perguntas para discussão em grupo
1. Por que você acha que as pessoas às vezes gritam ou
usam o inglês King James ao proferir uma palavra profética?
2. Como você determina o humor ou atitude do Espírito Santo
para a entrega adequada de uma palavra profética?
Aplicação de vida
Ore para que o Espírito Santo lhe dê uma palavra profética
durante um culto na igreja. Pratique seu protocolo profético ao
entregar a palavra. Encontre os porteiros e dê a eles a palavra que
você acredita que o Senhor lhe deu. Permita que eles determinem a
autenticidade e o momento da palavra. Se você tiver permissão para
proferir a palavra, esteja consciente não apenas do que dizer, mas
de como dizê-lo.
Capítulo 8
Falsos Profetas
Muito tem sido escrito sobre falsos profetas. Este capítulo discute os fatos e as
falácias que os cercam e explica por que um falso profeta não é alguém que dá uma
palavra profética ruim, mas sim alguém que tem um coração mau.
O que faz um falso profeta?
Existem dois tipos de falsos profetas. O primeiro tipo é composto
por pessoas que convidaram um espírito de adivinhação para suas
vidas. O dom, que os capacita a profetizar, vem de um espírito
maligno e não tem nada a ver com Deus. O presente é do inferno e
essas pessoas deixaram seus corações se voltarem para o mal. O
que é importante notar: embora a palavra venha de um espírito de
adivinhação, ainda pode ser precisa! Atos capítulo 16 ilustra este
princípio através de uma falsa profetisa que tem a palavra certa,
mas o espírito errado.

Aconteceu que, indo para o lugar de oração, nos encontrou uma


escrava com espírito de adivinhação, que trazia muito lucro aos seus
senhores com a adivinhação. Seguindo a Paulo e a nós, ela clamava,
dizendo: “Estes homens são servos do Deus Altíssimo, que vos
anunciam o caminho da salvação”. Ela continuou fazendo isso por
muitos dias. Mas Paulo ficou muito aborrecido, e virou-se e disse ao
espírito: "Eu te ordeno em nome de Jesus Cristo que saias dela!" E
saiu naquele exato momento (Atos 16:16-18).
O segundo tipo de falsos profetas é o grupo de pessoas que recebem
um chamado em suas vidas para serem profetas ou profetisas desde o
nascimento ou depois de receberem a Cristo, mas depois se afastam de
Deus. Curiosamente, em Romanos 11:29, afirma que os dons e chamados
de Deus são irrevogáveis. Mesmo se nos afastarmos de Deus, ainda
poderemos operar nos dons. No entanto, esse dom não estaria sob nosso
controle, mas seria entregue nas mãos do maligno. Nos capítulos 22 a 24
de Números, lemos sobre um falso
profeta chamado Balaão. Está claro nas Escrituras que Balaão está
recebendo sua revelação profética de Deus, mas ele está tentando
usar seu dom para amaldiçoar o povo de Deus para que ele possa
ganhar dinheiro. Balaão tem um dom de Deus, mas um coração do
inferno.
Características dos falsos profetas
De acordo com Mateus, os falsos profetas têm certas
características.

Acautelai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados de


ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores. Você vai conhecê-los
pelos seus frutos. Não se colhem uvas de espinheiros nem figos de
cardos, pois não? Assim, toda árvore boa dá frutos bons, mas a árvore
ruim dá frutos ruins. Uma árvore boa não pode produzir frutos ruins,
nem uma árvore ruim pode produzir frutos bons. Toda árvore que não
dá bom fruto é cortada e lançada ao fogo. Então, você os conhecerá
por seus frutos.
Nem todo aquele que me diz: "Senhor, Senhor", entrará no reino
dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos
céus entrará. Muitos me dirão naquele dia: "Senhor, Senhor, não
profetizamos em teu nome, e em teu nome não expulsamos demônios,
e em teu nome não realizamos muitos milagres?" E então lhes direi:
Nunca vos conheci; afastai-vos de mim, vós que praticais a
iniqüidade."
Portanto, todo aquele que ouve estas minhas palavras e as pratica
pode ser comparado a um homem sábio que construiu sua casa sobre a
rocha. E caiu a chuva, vieram os rios, sopraram os ventos e deram com
ímpeto contra aquela casa; e, no entanto, não caiu, pois foi fundada
sobre a rocha. Todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as
pratica será como um homem insensato que construiu sua casa na areia.
Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e deram com
ímpeto contra aquela casa; e caiu - e grande foi a sua queda (Mateus
7:15-27).
A seguir estão os tópicos comuns que percorrem a vida do tipo
de falso profeta descrito em Mateus capítulo 7:
1. Os falsos profetas parecem ser bons — como ovelhas — mas na
verdade são como lobos. Eles são os inimigos das ovelhas. O fruto ruim
que eles dão não é um dom falso, mas sim um coração mau. Lembre-se,
essas pessoas vão dizer para
Jesus: "Não profetizamos em teu nome e não expulsamos demônios em teu
nome?" Mas Ele lhes dirá: "Nunca vos conheci." Ele os chama de "sem lei".
É interessante como Jesus define "iníquos" em Mateus capítulo 7 na
descrição de dois homens diferentes construindo casas. Ele considerou
aquele que ouviu Suas palavras, mas não agiu de acordo com a lei!
Observe também que o Senhor iguala conhecê-Lo com guardar Sua
Palavra.

Se você me ama, guardará os meus mandamentos (João 14:15).


2. Os falsos profetas têm seu sistema de crenças baseado em
algumas Escrituras de estimação (areia) e não em todo o conselho
de Deus (a rocha). Os falsos profetas tiram certas Escrituras do
contexto que defendem sua própria agenda. Eles encontram as
Escrituras, tiram-nas de uma história ou ideia e criam um novo
significado.
3. Os falsos profetas têm poder. Infelizmente, seu objetivo é
usar seu poder para levar as pessoas a si mesmas, em vez de a
Cristo. Um falso profeta faz de si mesmo a resposta em vez de
Deus! Algumas pessoas desejam tanto ser necessárias que levam
as pessoas a si mesmas por meio de seus ministérios em vez de
conduzi-las a Deus.

Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas e farão grandes sinais e


prodígios, para enganar, se possível, até os eleitos (Mateus 24:24).
Discernindo a diferença
De acordo com João, há uma maneira de discernir a diferença entre um
profeta verdadeiro e um falso profeta. No Livro de Primeiro João, ele nos dá
diretrizes. O primeiro versículo do texto adverte os cristãos a não se
tornarem falsos profetas crendo no espírito errado. Essa cautela é
preocupante. Muitos cristãos não acreditam que os espíritos malignos
possam influenciá-los. Um dos maiores enganos da igreja hoje é a ideia de
que os cristãos não podem ser
enganado pelo diabo. A seguinte passagem bíblica claramente
dissipa esse mito.

Amados, não creiam em todo espírito, mas provam se os


espíritos são de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo
mundo. Nisto conheceis o Espírito de Deus: todo espírito que
confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito
que não confessa Jesus não é de Deus; este é o espírito do
anticristo, do qual vocês ouviram que vem, e agora já está no
mundo (1 João 4:1-3).
Cinco Testes de um Verdadeiro Profeta
1. O profeta acredita na obra redentora do Filho de Deus?Uma coisa a
notar é que os falsos profetas são anticristos por natureza. Eles são
não anti-Jesus.A palavra Cristo significa "o ungido". A unção está
sempre relacionada ao poder de Deus. Cuidado com as pessoas que
tentam lhe dizer que Jesus não faz mais milagres. De acordo com
Paulo em Segunda Coríntios capítulo 11, há outro "Jesus" que não é o
Cristo (o ungido). O Jesus que servimos foi ungido ontem, é ungido
hoje e será ungido para sempre!

Vocês são de Deus, filhinhos, e os venceram; porque maior é


aquele que está em vocês do que aquele que está no mundo. Eles
são do mundo; portanto, eles falam como do mundo, e o mundo os
ouve. Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus nos ouve;
quem não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos o espírito da
verdade e o espírito do erro (1 João 4:4-6).
2. Os falsos profetas não gostam de ouvir ninguém; em suas
próprias mentes, Deus lhes diz tudo.
Os falsos profetas são hiperespirituais em suas conversas e começam a
maioria de suas declarações com: "O Senhor me disse..." ou "Deus me
disse...".
descobri ao longo dos anos que esta é apenas uma maneira bastante
espiritual de dizer: "Eu não quero sua opinião!" Eles não estão sob
nenhuma autoridade, mas a sua própria.

Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de


Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.
Quem não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor. Nisto se
manifestou em nós o amor de Deus: que Deus enviou seu Filho
unigênito ao mundo para que por ele vivamos. Nisto está o amor,
não em que tenhamos amado a Deus, mas em que Ele nos amou e
enviou Seu Filho para propiciação pelos nossos pecados. Amados,
se Deus assim nos amou, nós também devemos amar uns aos
outros. Ninguém jamais viu Deus; se amamos uns aos outros, Deus
permanece em nós, e Seu amor é aperfeiçoado em nós.
Nisto conhecemos que permanecemos Nele e Ele em nós, porque
Ele nos deu do Seu Espírito. Vimos e testificamos que o Pai enviou o
Filho para ser o Salvador do mundo. Quem confessa que Jesus é o Filho
de Deus, Deus permanece nele, e ele em Deus. Conhecemos e cremos
no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e quem permanece no
amor permanece em Deus, e Deus permanece nele. Nisto se aperfeiçoa
o amor em nós, para que tenhamos confiança no dia do juízo; porque
como Ele é, nós também somos neste mundo (1 João 4:7-17).
3. Os falsos profetas não são motivados pelo amor, mas pela
necessidade de serem notados.
O tema central de todos os ministérios deve ser o amor de Deus.
Devemos nos perguntar: Estou no ministério com o propósito de
trazer o melhor das pessoas?
Tenho o tipo de amor que cobre uma multidão de pecados?
Nós amamos, porque ele nos amou primeiro. Se alguém diz: "Eu
amo a Deus" e odeia seu irmão, é um mentiroso; pois quem não
ama a seu irmão a quem vê, não pode amar a Deus a quem não vê.
E este mandamento temos dele, que aquele que ama a Deus ame
também a seu irmão (1 João 4:19-21).
4. Os falsos profetas geralmente usam o medo para motivar as
pessoas.
"Desgraça e tristeza" tendem a ser os principais impulsos da
mensagem dos falsos profetas. Eles também dizem coisas como:
"Deus me mostrou algo sobre você, mas não posso lhe dizer". Esse
tipo de afirmação gera insegurança nas pessoas. Os falsos profetas
se divertem pensando que eles "têm algo em você" que você não
conhece!

Não há medo no amor; mas o perfeito amor lança fora o medo,


porque o medo envolve castigo, e quem teme não é aperfeiçoado no
amor (1 João 4:18).
5. Os falsos profetas não estão em relacionamento de aliança
com o Corpo de Cristo.
Ainda tenho que observar um falso profeta que tenha um
relacionamento saudável com o corpo local que frequenta. Muitos nem
sequer frequentam a igreja. Eles vagam de um lugar para outro
procurando por pessoas que vão ouvi-los. A palavra aliança significa
que não estamos em um relacionamento pelo que podemos obter das
pessoas, mas sim pelo que podemos dar. As relações de aliança são
caras. Jesus, em João 15:13, diz: "Ninguém tem maior amor do que
este, que dá a sua vida pelos seus amigos."
Liderando as pessoas para fora do engano
profético
Confrontar aqueles que acreditam que são verdadeiros profetas, mas
não são, pode ser uma situação bastante difícil. A maioria dos falsos
profetas foi abusada pela autoridade durante grande parte de suas vidas
e, portanto, não confia em ninguém. O medo é a razão número um pela
qual as pessoas se tornam hiperespirituais, e isso resulta em engano
religioso. Para piorar as coisas, muitos falsos profetas têm complexo de
mártir. Quanto mais eles são confrontados sobre sua estranheza, mais
validados eles se sentem. Eles interpretam as tentativas de corrigi-los
como perseguição que prova que eles estão "de pé por Deus" e contra o
sistema religioso injusto! Eles dizem coisas como: "Eu não acredito
em religião organizada", quando o verdadeiro problema é que eles
não gostam de limites. Lembre-se, Jesus os chama de "iníquos".
Pessoas sem lei são aquelas que querem viver fora da autoridade.
Então, como eles podem ser ajudados? Em primeiro lugar, os líderes do
rebanho não devem ter medo de confrontar essas pessoas, mesmo que
pareçam saber mais do que a liderança e possam ser intimidantes. Lembre-
se: “Tudo o que a maldade precisa para prosperar é que os justos não
façam nada”. Também é importante não reagir, mas sim responder a essas
pessoas; caso contrário, a cura pode ser pior que a doença. Pessoas assim
estão acostumadas a críticas e rejeições, e as usarão para validar seu
"ministério".
Eles podem, no entanto, ser conquistados pela verdadeira
disciplina divina (não punição). A diferença entre punição e disciplina:
a punição diz: "Eu vou me vingar de você pelo dano que você causou",
mas a disciplina diz: "Eu te amo demais para deixá-lo quebrado".
A única esperança para essas pessoas é quando elas começam
a se sentir amadas. À medida que experimentam o amor de Deus,
podem começar a confiar na liderança para livrá-los de seu engano.
Se eles se recusarem a se arrepender e se submeterem à correção,
devem ser removidos da comunhão; caso contrário, eles desviarão os
outros. Como mencionado anteriormente, a principal fraqueza dos falsos
profetas é que eles atraem as pessoas para si mesmos em vez de para
Deus. Há uma janela de tempo muito estreita para a liderança lidar com
falsos profetas antes de reunir as pessoas em sua defesa contra a
liderança. Eles têm uma incrível capacidade de se apegar às ovelhas jovens
ou feridas e são capazes de separá-las do rebanho. Finalmente, como
lobos, eles devoram as ovelhas no engano.
Cuidado com os falsos profetas!
Perguntas para ponderar
1. Cite cinco coisas que distinguem um falso profeta de um verdadeiro
profeta.
2. Qual é uma das principais razões pelas quais as pessoas se tornam
falsos profetas?
3. Por que a oposição de falsos profetas de alguma forma
parece validar seu ministério?
4. Uma pessoa que dá profecias imprecisas é sempre um falso profeta?
5. Uma pessoa pode dar profecias precisas e ainda ser um falso
profeta?
Perguntas para discussão em grupo
1. Em 1 João capítulo 4, os amados são advertidos a não se
tornarem falsos profetas. Como alguém que ama a Jesus pode
eventualmente cair na categoria de um falso profeta?
2. Você vê alguma dessas tendências em seu próprio coração?
Aplicação de vida
Independência, medo e orgulho nos afastam dos relacionamentos
profundos que precisamos com Deus e Seu povo. É tão importante que
tenhamos pessoas em nossas vidas em quem confiamos mais do que
confiamos em nós mesmos. Você tem um relacionamento com alguém
em quem confiaria sua vida? Se essa pessoa lhe dissesse que você tem
um problema, um que você não vê, você acreditaria nessa pessoa
mesmo que não pareça verdade? Precisamos construir esse tipo de
relacionamento para nos manter seguros enquanto vivemos no limite. Vá
construir um relacionamento com alguém assim em autoridade.
Capítulo 9
Praticando Profecia
Este capítulo fornece algumas lições práticas sobre várias maneiras de praticar o
Dom de Profecia e Palavras de Conhecimento. É somente praticando que sua confiança
cresce e sua precisão aumenta.
Praticando os Dons do Espírito
Infelizmente, alguns cristãos não entendem a definição de
praticar os dons do Espírito Santo. Não estamos praticando para
que o Espírito Santo possa melhorar Seus dons, mas estamos
praticando para melhorar nossa capacidade de fluir com o que o
Espírito Santo está fazendo.
Nos dias de Samuel, Elias e Eliseu, os filhos dos profetas estudavam
sob a orientação desses profetas no que provavelmente era uma escola
dos profetas. Embora os filhos dos profetas fossem baseados em Naiote
em Ramá, eles vagavam pelo deserto praticando suas profecias
enquanto eram orientados por esses profetas renomados.

Então Saul enviou mensageiros para prender Davi, mas quando


eles viram a companhia dos profetas profetizando, com Samuel de
pé e presidindo sobre eles, o Espírito de Deus veio sobre os
mensageiros de Saul; e eles também profetizaram (1 Samuel
19:20).
A prática dos dons do Espírito deve ocorrer em uma atmosfera de amor
e uma cultura de autoridade espiritual. Sem estar em submissão à
verdadeira autoridade espiritual, somos como um empreiteiro que constrói
um arranha-céu sem alicerce. A primeira vez que o vento soprar, ele cairá
no chão.
Nada se consegue sem trabalho
No livro de Primeira Timóteo, Paulo exorta Timóteo a ministrar em
seu dom espiritual além de sua zona de conforto. Qualquer um que já
tenha feito exercício físico sabe que há pouco lucro em se exercitar até
que seu corpo sinta um grau de dor. Portanto, se acordarmos na
manhã seguinte
exercitando e não estamos doloridos, perceberíamos que o
exercício apenas manteve nossa condição atual!
Vá além da sua zona de conforto.
O mesmo princípio se aplica ao nosso crescimento espiritual. Se
fizermos apenas o que é confortável para nós, não conseguiremos
crescer. Sempre que estamos realmente crescendo, sempre haverá
um elemento de desconforto. Você pode ver da seguinte forma: os
cães da perdição estão às portas do destino. Em outras palavras, as
coisas das quais você tem medo geralmente trazem as maiores
recompensas.

Não negligencie o dom espiritual dentro de você, que foi


concedido a você por meio de pronunciação profética com a
imposição de mãos pelo presbitério. Tome dores com essas coisas;
absorva-se neles, para que o seu progresso seja evidente a todos (1
Timóteo 4:14-15).
Coloque o presente no fogo
Paulo, em Segunda Timóteo 1:6, lembra Timóteo para "reavivar o
dom de Deus". Olhando para a tradução grega, esta frase significa
"colocar a dádiva no fogo ou juntar a dádiva com fogo". O próximo
versículo faz mais sentido agora neste contexto; "Porque Deus não
nos deu espírito de covardia, mas de amor, de fortaleza e de
moderação" (NVI).
Sempre que damos um passo de fé, devemos passar por cima
do medo! O medo é o cão de guarda que está protegendo a
fortaleza da prosperidade espiritual. Quando o cachorro começa a
latir, podemos ter certeza de que o tesouro que ele está guardando
está próximo. A maioria das pessoas não permite que seus dons
sejam forjados no fogo do risco. O resultado: seus dons são fracos e
não temperados.
Por esta razão, eu os lembro de reavivar o dom de Deus que
está em vocês pela imposição de minhas mãos. Porque Deus não
nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de
moderação (2 Timóteo 1:6-7 NKJV).
Sugestões para praticar a profecia
Seguem sugestões práticas para praticar os dons do Espírito.
1. Profetize seu dia.
Ao acordar de manhã, ore e peça ao Senhor informações sobre
algo que acontecerá durante o seu dia. Escreva-o tão claramente
quanto você o entende. No final do dia, verifique e veja se o evento
que você profetizou para si mesmo aconteceu. Veja também quão
bem você entendeu os detalhes específicos do(s) evento(s).
2. Pratique palavras de conhecimento.
Vá a um restaurante ou local público de negócios e ore pela
pessoa que está prestando um serviço para você. Peça ao Senhor
palavras de conhecimento para a pessoa. Geralmente é melhor
fazer isso quando a pessoa não estiver na sua presença. Escreva
as palavras de conhecimento em um pedaço de papel. Mais tarde
você pode "entrevistar" a pessoa sobre as palavras de
conhecimento que você recebeu.
Por exemplo, se você acha que o Senhor lhe mostrou que a
pessoa para quem você está recebendo palavras tem três filhos;
você pode simplesmente perguntar a ele ou ela se eles têm filhos.
Se a resposta for sim, você pode perguntar quantos, etc. Quando
você estiver aprendendo, eu sugiro que você não diga à pessoa que
você tem palavras de conhecimento de Deus. No início, essa prática
é mais sobre você crescer em seu dom do que sobre ministrar. À
medida que sua capacidade de ouvir a voz do Espírito Santo
melhorar, você começará a dar um passo em ousadia e fé.
3. Junte-se a outra pessoa.
Conte com a ajuda de um parceiro de oração. Orem uns pelos outros e
peçam ao Senhor palavras de conhecimento uns para os outros. Revezem-
se compartilhando o que você acredita que Deus lhe mostrou. Deixe o
destinatário julgar a palavra que você está dando a eles. Obviamente, isso
funciona melhor se ambos estiverem tentando crescer em seus dons
espirituais. É importante neste exercício ser extremamente sincero um com
o outro para obter uma avaliação honesta de como você está se saindo.
4. Palavras de conhecimento para a cura.
Você pode praticar palavras de conhecimento para cura em um
ambiente de grupo simplesmente orando e pedindo ao Senhor que lhe
mostre qualquer pessoa que esteja passando por uma doença ou dor.
Isso muitas vezes virá como uma sensação em seu corpo que coincide
diretamente com a parte do corpo de outra pessoa que o Senhor quer
curar. Se for apropriado na reunião, pergunte ao grupo se
qualquer um tem o problema específico em seu corpo. Então, depois, você
deve orar por essa pessoa e experimentar a alegria de ver o Senhor curá-la!
5. Profetizando em grupo.
Outra maneira de praticar em um ambiente de grupo é escolher
um membro do grupo e fazer com que os outros profetizem para
essa pessoa. À medida que as palavras são dadas, peça a um
membro do grupo que as escreva. Depois que um número
adequado de palavras proféticas for dado, peça à pessoa que
recebeu as palavras proféticas para julgar as palavras e dar
feedback ao grupo sobre a precisão da palavra.
6. intercessão profética.
A intercessão profética é praticada enquanto oramos. Muitas vezes, em
oração, o Senhor lhe dará uma visão da vida das pessoas. Profetize a
resposta para cada uma dessas questões que você vê na vida dessas
pessoas e depois peça ao Senhor que deixe seus caminhos se cruzarem
naquele dia. Você ficará surpreso com quantas vezes o Senhor trará
pessoas à sua mente para orar – pessoas que você não vê há meses, ou
mesmo anos. Muito provavelmente, você logo terá notícias deles.
Perguntas para ponderar
1. Cite o maior obstáculo que devemos superar para ver nossos dons
crescer.
2. Como podemos saber quando estamos crescendo em nossos
dons?
3. Cite três maneiras pelas quais podemos praticar nossos dons
espirituais.
Perguntas para discussão em grupo
1. Compartilhe uma experiência que você teve quando passou
do medo para a fé. O que você aprendeu com a experiência?
2. Qual é o seu maior medo quando você pensa em andar na
plenitude de seus dons?
3. O que você vai fazer sobre o seu medo?
Aplicação de vida
Crie um plano para superar seus maiores medos. Em seguida,
torne-se responsável perante alguém para realizar seu plano.
Epílogo
Todos os dias o mundo acorda com as más notícias de um
planeta em decadência. A depressão e a morte invadem nossas
mentes e roubam nossa coragem. Mesmo nossas casas, que antes
eram lugares seguros para as crianças crescerem apaixonadas,
tornaram-se, para muitos, campos de batalha onde os pequenos
precisam correr para se proteger. Paus e pedras estão quebrando
seus ossos e nomes estão tirando seu futuro.
No entanto, em toda essa confusão, ainda existe um Deus que
descansou apenas um dia. Suas proclamações criativas que instilaram
vida e bondade no Livro de Gênesis perpetuam-se através de Seus
vasos até hoje. É Ele quem reina supremamente sobre toda a Sua
criação. Ele não está deprimido, confuso, com medo ou perplexo com a
escuridão deste planeta. Ele fala para aqueles que são sem forma e
vazios, e a vida é o resultado de Suas palavras!
Conheço um homem que há 25 anos teve um colapso nervoso. O
colapso durou mais de três anos e meio. Suas mãos tremiam tão
violentamente que ele não conseguia nem levar um copo de água aos
lábios sem usar as duas mãos. Ele suava tão profusamente à noite de
medo e ansiedade que sua esposa tinha que se levantar no meio da noite e
trocar os lençóis encharcados. Com o passar do tempo, ele começou a
perder a cabeça e muitas vezes ao dia se imaginava assassinando pessoas
– ou pior. Demônios o visitaram e o atormentaram durante toda a noite.
Então, certa tarde, alguns amigos o persuadiram a participar de um
retiro cristão nas montanhas. Naquele dia um profeta estava falando na
reunião. Ele chamou o jovem da multidão e profetizou para ele. Ele disse:
"O Senhor o chamou para ser uma coluna na casa de Deus. Você será
um professor e um pastor para o Seu povo. A força está em você!"
A guerra na vida daquele homem foi vencida naquele dia.
Conheço muito bem esse homem — sou esse homem!
Nunca subestime o poder redentor do ministério profético de Deus.
Há muitas pessoas famintas para saber quem realmente são. Você tem a
capacidade de alterar a história de pessoas que estão perdidas e
quebradas.
Não os decepcione.
Apêndice
Os formulários nas páginas a seguir foram criados para ajudá-lo a
acompanhar seus sonhos, visões e profecias. Registrar suas
experiências o ajudará a desenvolver a responsabilidade que edifica sua
fé. Esses registros podem ser usados como ferramentas de aprendizado
e/ou ensino semelhantes aos filmes que os atletas usam de seus jogos
anteriores para melhorar suas habilidades. Você pode copiar as páginas
e criar um diário profético.
Deixe a jornada começar!
Sonhos e Visões
Encontro:_____
Descrição do sonho ou visão:
Interpretação:

Inscrição:
Data de Cumprimento: _____
Palavras Proféticas
Encontro:_____

Data dada por:_____ Palavra dada para:_____


Boot Camp para Profetas!
VOCÊ FOI CHAMADO POR DEUS PARA
SER PROFETA?
Aprenda como desenvolver seu chamado e aumentar a força de seus
dons com alguém que deu centenas de palavras proféticas em todo o
mundo.
Você terá certeza de seu chamado ao aprender a diferença entre:
• Profetas e Profecia.
• Previsão e Prognóstico.
• Palavra de Conhecimento e Dom de Profecia.
• Um verdadeiro profeta e um falso profeta.
• Profecia do Antigo Testamento e do Novo Testamento.
O autor Kris Vallotton orienta você através dos rigores do
treinamento básico, revelando as questões centrais sobre profecia e
um ministério profético revolucionário.
Completo com histórias verdadeiras inspiradoras, perguntas
instigantes e um Diário de Experiência Pessoal, você pode começar
hoje a cumprir o chamado que Deus projetou para você!
“Timóteo;meu filho, de acordo com o profecias
anteriormente feitas a vosso respeito, para que
por elas combatais o bom combate”(1 Timóteo 1:18).
™v

Kris Vallotton é o fundador e supervisor da Bethel School of Supernatural


Ministry em Redding, Califórnia. Ele é parceiro da equipe apostólica de Bill
Johnson há mais de 28 anos. Kris e sua esposa, Kathy, desenvolvem equipes
proféticas e escolas sobrenaturais em todo o mundo. Eles têm quatro filhos e sete
netos.

Você também pode gostar