Você está na página 1de 2

INTRODUÇÃO A CORRENTE CONTÍNUA E

CORRENTE ALTERNADA

Docente: Paulo Vinicius

Discente: Anna Hellen Freire Oliveira

Juazeiro do Norte, 25 de Setembro


RESUMO

Introdução a corrente alternada e corrente contínua

A diferença entre a corrente alternada e a corrente contínua está apresentada


da forma em como os elétrons fluem. Como o próprio nome já diz a corrente
contínua acontece de uma forma em que os elétrons se deslocam de uma
forma contínua do polo negativo ao polo positivo, porém nesse deslocamento
os elétrons encontram dificuldade e acabam perdendo energia durante o
processo segundo os estudos de Thomas Edson. Durante os processos de
estudos surge uma forma mais eficiente apresentada por Tesla, a então
conhecida de corrente alternada, ocorrendo como uma alternância de corrente
do polo positivo ao polo negativo, podendo ocorrer em caminhos e com
eficiência bem maiores do que a corrente contínua, o funcionamento da
corrente alternada ocorre por meio da condução de elétrons que oscilam em
volta de um ponto fixo, a uma frequência de 60 Hz. Isso quer dizer que os
elétrons fazem um movimento de vai e vem por 60 vezes durante um segundo.
Em termos de distribuição de eletricidade, a corrente alternada é mais prática,
visto que é consideravelmente mais fácil alterar a tensão elétrica na corrente
alternada do que na corrente direta. A corrente alternada passa por estudos,
transformações e evoluções, tendo a sua frequência aumentada até chegar na
iluminação das nossas casas, até chegar na corrente trifásica, onde em cada
um dos fios circula uma corrente alternada, de modo de que as três correntes
não variam ao mesmo tempo, sendo defasadas. A corrente alternada se
caracteriza com um fluxo alternado no sentido dos elétrons. Onde eles se
encontram em um estado que mudam de direção a todo momento, estima-se
que 120 vezes por segundo. Essa variação permite aos transformadores de
uma linha de transmissão receberem a energia elétrica produzida, permitindo
que esta percorra uma maior distância. Encontra-se então, problemas com o
sistema de corrente contínua pois nele não há a presença de alternância, não
sendo aceito pelos transformadores e assim não consegue ganhar maior
voltagem. Desse modo, a energia elétrica não pode seguir muito longe. Por
esses motivos, a corrente contínua é usada em pilhas e baterias ou para
percorrer circuitos internos de aparelhos elétricos, como o de um computador.
Tal corrente não serve, porém, para transportar energia entre uma usina e uma
cidade. Caso o ser humano tivesse insistido em transmitir energia a longas
distâncias por meio da corrente contínua, seria necessário a construção de
usinas produtoras de energia elétrica a cada dois quilômetros ou três.

Você também pode gostar