Pontes estaiadas: uma união da tecnologia e da beleza

Yves Bournand – VSL International, Suiça Eric Palos – VSL IPSALA, Espanha Manfred Theodor Schmid – Rudloff Sistema de Protensão Ltda

Devido às suas vantagens econômicas e técnicas, muitas estruturas estaiadas foram construídas nos últimos 30 anos. A dimensão possível dos vãos aumentou consideravelmente e conseqüentemente a engenharia moderna está definindo requisitos complexos e rigorosos para a sua construção. Para atender à demanda de longos vãos e elevada durabilidade das estruturas, foi necessário aperfeiçoar a tecnologia e desenvolver novos e modernos sistemas de cabos estaiados. Este artigo expõe alguns aspectos referentes ao desenvolvimento da tecnologia dos cabos estaiados, visando oferecer uma visão geral sobre as diversas possibilidades de aplicação desta tecnologia.

Modernas estruturas estaiadas exigem alta qualidade, tanto tecnológica quanto de materiais, particularmente nos estais, que são os elementos mais críticos nesta tipologia de estruturas. Durante os últimos anos, as características quanto à resistência e durabilidade das cordoalhas existentes foram continuamente aperfeiçoadas, permitindo projetos de estruturas estaiadas muito mais avançados. Além disso, existe uma demanda da engenharia pela facilidade de monitoramento e inspeção de uma estrutura estaiada, assim como de uma performance proeminente quanto à fadiga e aos carregamentos. Novos sistemas de cabos estaiados são projetados para atender estes requisitos. Eles incorporam camadas múltiplas e independentes de proteção de forma a garantir uma performance a longo prazo, além de oferecerem a facilidade de inspeção e de substituição de cabos, quando necessária. Ancoragens são submetidas a testes de fadiga e escorregamento. Testes de envelhecimento são aplicados aos materiais usados nos tubos plásticos, de forma a se ter materiais de elevada
46

performance e durabilidade. Cada parâmetro da durabilidade é avaliado. Os principais requisitos de um sistema moderno de cabos estaiados são: Ancoragens compactas, para facilitar a instalação em locais confinados. Ancoragens leves e econômicas, totalmente pré-fabricadas, para otimizar a instalação dos cabos Independência completa das cordoalhas, em todo o seu comprimento. Facilidade de instalação das cordoalhas individualmente e do seu tensionamento Possibilidade de substituição de cada cordoalha a partir de equipamento leve. Elevada proteção contra a corrosão (100 anos), nos ambientes mais agressivos. Performance elevada quanto ao tensionamento e à fadiga Componentes padronizados Baixos custos de manutenção Possibilidade de instalação de um sistema contra a vibração.

REVISTA CONCRETo

Arábia Saudita Ano da construção: 1997 Vão principal: 405 m Comprimento total: 763 m Largura total: 35 m REVISTA CONCRETO 47 CONCRETO PROTENDIDO . Indonésia Ano da construção: 1997 Vão principal: 350 m Comprimento total: 644 m Largura total: 21.8 m Ponte Kemijoki River Bridge. Estados Unidos.5 m Ponte Batam-Tonton Bridge. Ano da construção: 1986 Vão principal: 366 m Comprimento total: 695 m Largura total: 28. Florida. Finlândia Ano da construção: 1989 Vão principal: 126 m Comprimento total: 210 m Largura total: 25.5 m Ponte Wadi Leban.Pontes estaiadas para a travessia de mares e grandes rios Fotos: VSL Ponte Sunshine Skyway.

5 m Ponte Sucharskiego Bridge. Polônia Ano da construção: 2001 Vão principal: 230 m Comprimento total: 375 m Largura total: 20.1 m Ponte Houston Ship Channel Crossing. Espanha Ano da construção: 1983 Vão principal: 440 m Comprimento total: 637.5 m Largura total: 22. Estados Unidos Ano da construção: 1995 Vão principal: 381m 48 REVISTA CONCRETo .Ponte Barrios de Luna Bridge.0 m Ponte Evripos Bridge. Grécia Ano da construção: 1991 Vão principal: 215 m Comprimento total: 395 m Largura total: 14.

Eficiência comprovada para atender cargas estáticas e dinâmicas.5 m Observação: os 18 cabos estaiados desta estrutura foram instalados no período de uma semana Viaduto Centenario Bridge.4 m Passarela Liebrüti Footbridge.2 m Comprimento total: 140 m Largura total: 20. Chile Ano da construção: 1997 Vão principal: 57 m Comprimento total: 109 m Largura total: 5.Estruturas estaiadas para a travessia de rios pequenos e viadutos Fotos: VSL Ponte Safti-Link Bridge. conforme ensaios laboratoriais de acordo com as normas técnicas internacionais Fotos: VSL Passarela Huerfanos Stay Cable Footbridge. Espanha Ano da construção: 1991 Vão principal: 264 m Comprimento total: 552 m Largura total: 22 m Além disso. tais como: Proteções anti-vandalismo para os estais. Possibilidade de utilização de qualquer tipo de cordoalha existente no mercado.8 m REVISTA CONCRETO 49 CONCRETO PROTENDIDO Estruturas estaiadas para passarelas e coberturas de estádios . um sistema competitivo no mercado pode apresentar algumas qualidades que elevem ainda mais a sua performance. Suíça Ano da construção: 1978 Vão principal: 46 m Comprimento total: 64 m Largura total: 4. Portugal Ano da construção: 2004 Vão principal: 55.5 m Viaduto Liz Bridge. Singapura Ano da construção: 1995 Vão principal: 99 m Comprimento total: 99 m Largura total: 14.

um método de instalação adaptável aos modernos métodos construtivos e o uso de equipamentos modernos de manutenção. facilidade de monitoramento e inspeção e substituição de estais em casos de acidentes. Nos próximos artigos. Versatilidade de aplicação para situações e vãos diversos. conforme ilustram as fotos deste artigo.Cobertura Alamo Dome Stadium. pode-se dizer que um sistema atual de estaiamento de pontes é uma combinação de ancoragens e cabos projetados para um alto nível de performance. em qualquer região do mundo ou condição climática. monitoramento e controle da performance da estrutura. cobriremos os assuntos segurança de estruturas estaiadas. De forma resumida. Estados Unidos Ano da construção: 1993 Múltiplos níveis de proteção anti-corrosiva dos estais. 50 REVISTA CONCRETo .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful