Você está na página 1de 2

Existem várias estratégias úteis para reduzir as ansiedades de

uma criança durante as entrevistas:

1. Deixe a criança brincar simultaneamente com um

brinquedo enquanto fala com você. Isso permite que você

e a criança retornem à descrição da peça sempre que as

coisas ficarem difíceis e então voltem ao tópico difícil

sem ter que mudar os tópicos completamente.

2. Deixe a criança falar com você através de um boneco,

boneca ou telefone de brinquedo.

3. Reconheça explicitamente o desconforto da criança.

"Está tudo bem se você não quiser falar sobre isso ainda."

4. Direcione a criança de volta a um tópico não ameaçador

e, gradualmente, aborde o tópico ameaçador de uma

maneira diferente.

5. Quando uma criança parece ter sido instruída a não falar,

como em alguns casos de abuso, isso precisa ser abordado

diretamente.

6. Dizer à criança "Às vezes as crianças com quem falo

disseram que não me falassem sobre certas coisas.

Disseram a você que não falasse comigo sobre alguma

coisa?" (Esta é uma questão fechada,raramente utilizada

nesse tipo de avaliação, mas neste caso, importante para

fornecer à criança a segurança de um aceno de sim ou

não.)

7. A discussão da situação precisa então acontecer mesmo

com a criança muito pequena. O que vai acontecer, com


quem será falado, seu propósito de ajudar, mas também os

limites realísticos de seu poder, tudo precisa ser

explicado. A criança deve ter apoio e aceitação para

conversar e não falar.

8. Reconheça quaisquer esforços que a criança tenha feito

durante a entrevista.

9. Resuma a criança a sua percepção do que ela


compartilhou.

10. Veja se a criança tem alguma informação adicional para

oferecer ou sugestões para resolver o problema

identificado.

11. Pergunte se a criança tem alguma pergunta para você.

12. Se a criança não tiver revelado, agradeça a ele por tentar

ajudá-lo a descobrir se ela precisava de ajuda com

qualquer coisa. Expresse sua compreensão de como deve

ter sido difícil conversar com um estranho sobre coisas

como ser tocado ou ferido.

13. Reduza qualquer sentimento de culpa e vergonha,

dizendo que às vezes leva mais de uma vez para falar sobre

isso, ou que talvez ele (a) não tenha exatamente a coisa

certa para ajudar naquele dia. Pergunte o que você

poderia ter, fazer ou dizer na próxima vez para ajudar

mais.

Você também pode gostar