Você está na página 1de 11

Revisão Cálculo I

Funções

O valor absoluto de um número real 𝑎, denotado por |𝑎|, é definido por:

|𝑎| = 𝑑𝑖𝑠𝑡â𝑛𝑐𝑖𝑎 𝑑𝑎 𝑜𝑟𝑖𝑔𝑒𝑚 = { 𝑎 𝑠𝑒 𝑎 ≥ 0


−𝑎 𝑠𝑒 𝑎 < 0

Por exemplo, |2,4| = 2,4 e |−5,43| = 5,43. O valor absoluto satisfaz

|𝑎| = |−𝑎|, |𝑎𝑏| = |𝑎||𝑏|

A distância entre dois números reais 𝑎 e 𝑏 é |𝑏 − 𝑎|, que é o comprimento do segmento


de reta que liga 𝑎 a 𝑏

OBSERVAÇÃO: Atente para o fato de que |𝑎 + 𝑏| não é igual a |𝒂| + |𝒃|, a menos que
𝑎 e 𝑏 tenham o mesmo sinal ou pelo memos um dentre 𝑎 e 𝑏 for zero. Se tiverem sinais
opostos, ocorre um cancelamento na soma 𝑎 + 𝑏 e |𝑎 + 𝑏| < |𝑎| + |𝑏|. Por
exemplo,|2 + 5| = |2| + |5| , mas |−2 + 5| = 3 , que é menor do que |−2| + |5| = 7.
Em todo caso, |𝑎 + 𝑏| nunca é maior do que |𝑎| + |𝑏| , e isso nos dá a simples mas
importante desigualdade triangular:

|𝑎 + 𝑏| ≤ |𝑎| + |𝑏|

Intervalos Reais

Utilizamos a notação padrão para intervalos. Dados números reais 𝑎 < 𝑏,


existem quatro intervalos de extremidades 𝑎 e 𝑏 . Cada um desses intervalos tem
comprimento 𝑏 − 𝑎, mas diferem entre si conforme uma ou ambas as extremidades
estiverem incluídas.
• Intervalo aberto de extremos 𝒂 e 𝒃 é o conjunto (𝑎, 𝑏) = ]𝑎, 𝑏[ =
{𝑥 ∈ ℝ/𝑎 < 𝑥 < 𝑏}.
(3, 5) = {𝑥 ∈ ℝ/ 3 < 𝑥 < 5}

• Intervalo aberto de extremos 𝒂 e 𝒃 é o conjunto [𝑎, 𝑏] = {𝑥 ∈ ℝ/𝑎 < 𝑥 < 𝑏}.

[3, 5] = {𝑥 ∈ ℝ/ 3 ≤ 𝑥 ≤ 5}

• Intervalo aberto à direita e fechado à esquerda de extremos 𝒂 e 𝒃 é o conjunto


[𝑎, 𝑏[ = {𝑥 ∈ ℝ/𝑎 ≤ 𝑥 < 𝑏}.
[3, 5[ = {𝑥 ∈ ℝ/ 3 ≤ 𝑥 < 5}

• Intervalo aberto à esquerda e fechado à direita de extremos 𝒂 e 𝒃 é o conjunto


]𝑎, 𝑏] = {𝑥 ∈ ℝ/𝑎 < 𝑥 ≤ 𝑏}.
]3, 5] = {𝑥 ∈ ℝ/ 3 < 𝑥 ≤ 5}

Existem ainda os seguintes intervalos:

• ]−∞, 𝑎] = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 ≤ 𝑎}

]−∞, 3] = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 ≤ 3}

• ]−∞, 𝑎[ = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 < 𝑎}


]−∞, 3[ = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 < 3}

• [𝑎, +∞[ = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 ≥ 𝑎}


[3, +∞[ = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 ≥ 3}
• ]𝑎, +∞[ = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 > 𝑎}
]3, +∞[ = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 > 3}

Exemplo 1: Dados os intervalos:


𝐴 = {𝑥 ∈ ℝ/−2 ≤ 𝑥 < 3}, 𝐵 = {𝑥 ∈ ℝ/𝑥 > 1} e 𝑐 = ]−∞, 2], Vamos representa-
los e determinar 𝐴 ∩ 𝐵, 𝐵 ∩ 𝐶, 𝐴 ∪ 𝐵 e 𝐴 ∪ 𝐵 ∪ 𝐶.

Traçando gráficos

O traçado de gráficos é uma ferramenta básica no Cálculo. Lembre que as


coordenadas retangulares (ou cartesianas) no plano são definidas pela escolha de dois
eixos perpendiculares, o eixo x e o eixo y. A um par (𝑎, 𝑏) de números associamos o
ponto 𝑃 localizado na interseção da reta perpendicular ao eixo 𝑥 em a e a reta
perpendicular ao eixo 𝑦 em 𝑏. Os números 𝑎 e 𝑏 são as coordenadas 𝑥 e 𝑦 de 𝑃. A
coordenada 𝑥 é também denominada “abscissa” e a coordenada 𝑦, “ordenada”. A origem
é o ponto de coordenadas (0, 0).

Fórmula da distância: A distância 𝑑 entre 𝑃1 = (𝑥1 , 𝑦1 ) e 𝑃2 = (𝑥2 , 𝑦2 ) é igual a

𝑑 = √(𝑥2 − 𝑥1 )2 + (𝑦2 − 𝑦1 )2
Uma vez tendo a fórmula da distância, podemos deduzir facilmente a equação de um
círculo de raio r e centro (𝑎, 𝑏). Um ponto (𝑥, 𝑦) está nesse círculo se a distância de (𝑥, 𝑦)
a (𝑎, 𝑏) for 𝑟:

√(𝑥 − 𝑎)2 + (𝑦 − 𝑏)2 = 𝑟

Elevando ambos os lados ao quadrado, obtemos a equação padrão do círculo:

(𝑥 − 𝑎)2 + (𝑦 − 𝑏)2 = 𝑟 2

Vamos rever, agora, algumas definições e anotações relativa a funções.

Definição: Uma função 𝑓 de um conjunto 𝐷 para um conjunto 𝑌 é uma regra que


associa a cada elemento 𝑥 em 𝐷 um único elemento 𝑦 = 𝑓(𝑥) em 𝑌. Escrevemos
𝒇: 𝑫 → 𝒀

O conjunto 𝐷, denominado o domínio de 𝑓, é o conjunto das “entradas


permitidas”. Dado , dizemos que 𝑓(𝑥) é o valor de 𝑓 em 𝑥. A imagem 𝑅 de 𝑓 é o
subconjunto de 𝑌 consistindo em todos os valores 𝑓(𝑥):

𝑅 = {𝑦 ∈ 𝑌: 𝑓(𝑥) = 𝑦 𝑐𝑜𝑚 𝑎𝑙𝑔𝑢𝑚 𝑥 ∈ 𝐷}

Essas funções são denotadas por 𝑓 e seu valor em 𝑥 por 𝑓(𝑥). A letra 𝑥 costuma
ser usada como a variável independente, que pode tomar qualquer valor do domínio 𝐷.
Escrevemos 𝑦 = 𝑓(𝑥) e dizemos que 𝑦 é a variável dependente (pois seu valor depende
da escolha de 𝑥).
Quando 𝑓 for definida por uma fórmula, seu domínio natural é o conjunto dos
números reais 𝑥 com os quais a fórmula fizer sentido. Por exemplo, a função 𝑓(𝑥) =
√9 − 𝑥 tem domínio 𝐷 = {𝑥/𝑥 ≤ 9}, porque √9 − 𝑥 está definido se 9 − 𝑥 ≥ 0. Aqui
temos mais alguns exemplos de domínios e imagens.

Exemplo 2:

𝑓(𝑥) Domínio 𝑫 Imagem 𝑹


𝑥2 ℝ {𝑦/𝑦 ≥ 0}
sin 𝑥 ℝ {𝑦/−1 ≤ 𝑦 ≤ 1}
1 {𝑥 ≠ −1} {𝑦/𝑦 ≠ 0}
𝑥+1

Um zero ou uma raiz de uma função 𝑓 é um número 𝑐 tal que 𝑓(𝑐) = 0. Os zeros
são os valores de 𝑥 nos quais o gráfico intersecta o eixo 𝑥.

Exemplo 3: Encontre as raízes e esboce o gráfico de 𝑓(𝑥) = 𝑥 3 − 2𝑥

Muitas vezes estamos interessados em saber se uma função é crescente ou


decrescente. Informalmente, uma função f é crescente se seu gráfico subir quando
avançarmos para a direita e é decrescente se seu gráfico descer. Mais precisamente,
definimos os conceitos de crescente/decrescente num intervalo aberto.

Uma função 𝑓 é:
• Crescente em (𝑎, 𝑏) se 𝑓(𝑥1 ) < 𝑓(𝑥2 ) com quaisquer 𝑥1 , 𝑥2 ∈ (𝑎, 𝑏)
tais que 𝑥1 < 𝑥2 .
• Decrescente em (𝒂, 𝒃) se 𝑓(𝑥1 ) > 𝑓(𝑥2 ) com quaisquer 𝑥1 , 𝑥2 ∈ (𝑎, 𝑏)
tais que 𝑥1 < 𝑥2 .

Dizemos que f é monótona se for crescente ou decrescente. uma função não é


monótona, porque não é nem crescente nem decrescente em todos os x.
Outra propriedade importante é a paridade, que se refere a uma função ser par ou
ímpar:

𝑓é par se 𝑓(−𝑥) = 𝑓(𝑥)


𝑓é ímpar se 𝑓(−𝑥) = −𝑓(𝑥)

Exemplo 4: Determine se a função é par, ímpar ou nenhum dos dois

a) 𝑓(𝑥) = 𝑥 4
b) 𝑔(𝑥) = 𝑥 −1
c) ℎ(𝑥) = 𝑥 2 + 𝑥

Duas maneiras importantes de modificar um gráfico são a translação e a mudança


de escala. A translação consiste em mover o gráfico horizontal ou verticalmente.

Definição: Translação
• Translação vertical 𝑦 = 𝑓 (𝑥) + 𝑐: move o gráfico verticalmente por
|𝑐| unidades, para cima se 𝑐 > 0 e para baixo se 𝑐 < 0.
• Translação horizontal 𝑦 = 𝑓 (𝑥 + 𝑐): move o gráfico horizontalmente
por |𝑐| unidades, para a direita se 𝑐 < 0 e 𝑐 unidades para a esquerda se
𝑐 > 0.

Exemplo 6: A figura (A) é gráfico de 𝑓(𝑥) = 𝑥 2 e (B) é uma translação


horizontal e vertical de (A). Qual é a equação do gráfico (B)?

As mudanças de escala, também denominadas dilatações, consistem em


compressões ou expansões do gráfico nas direções horizontal ou vertical.

DEFINIÇÃO: Mudança de escala

• Mudança de escala vertical 𝒚 = 𝑘𝑓 (𝑥): 𝑠𝑒 𝑘 > 1, o gráfico é


expandido verticalmente pelo fator 𝑘. Se 0 < 𝑘 < 1, o gráfico é
comprimido verticalmente. Se o fator de escala 𝑘 for negativo (𝑘 < 0), o
gráfico também é refletido pelo eixo x
• Mudança de escala horizontal 𝑦 = 𝑓 (𝑘𝑥): 𝑠𝑒 𝑘 > 1, o gráfico é
comprimido na direção horizontal. Se 0 < 𝑘 < 1, o gráfico é expandido.
Se 𝑘 < 0, então o gráfico também é refletido pelo eixo 𝑦.

Exemplo 7: Trace os gráficos de 𝑓(𝑥) = 𝑠𝑒𝑛(𝜋𝑥) e suas dilatações 𝑓(3𝑥) e


3𝑓(𝑥).

Exercícios:
1. Dê um exemplo de números 𝑎 e 𝑏 tais que 𝑎 < 𝑏 e |𝑎| > |𝑏|.
2. Quais números satisfazem |𝑎| = 𝑎? Quais satisfazem |𝑎| = −𝑎? 𝐸 | −
𝑎| = 𝑎?
3. Dê um exemplo de números 𝑎 e 𝑏 tais que |𝑎 + 𝑏| < |𝑎| + |𝑏|.
4. Existem números 𝑎 e 𝑏 tais que |𝑎 + 𝑏| > |𝑎| + |𝑏|?
5. Quais são as coordenadas de um ponto que está na interseção das retas x
= 9 e y = –4?
6. Em que quadrante estão os pontos dados a seguir?
(a) (1, 4)
(b) (–3, 2)
(c) (4, –3)
(d) (–4, –1)

7. Qual é o raio do círculo de equação (𝑥 − 7)2 + (𝑦 − 8)2 = 9?


8. A equação 𝑓(𝑥) = 5 tem uma solução se (escolha uma):
(a) 5 estiver no domínio de 𝑓.
(b) 5 estiver na imagem de 𝑓.

9. Que tipo de simetria tem o gráfico se 𝑓(−𝑥) = −𝑓(𝑥)?


10. Existe alguma função que é par e, também, ímpar?

Funções Básicas

As técnicas do Cálculo, mesmo poderosas e gerais como são, aplicam-se somente


a funções que sejam suficientemente “bem comportadas”. Felizmente, tais funções são
adequadas para uma grande variedade de aplicações. A maioria das funções consideradas
aqui é construída a partir das seguintes classes de funções bem comportadas conhecidas:
polinômios, funções racionais, funções exponenciais, funções logarítmicas, funções
trigonométricas inversas, funções trigonométricas, funções algébricas.

• Polinômios: dado qualquer número real 𝑚, dizemos que 𝑓 (𝑥) = 𝑥𝑚 é a função


potência de expoente 𝑚. Essas funções incluem 𝑓 (𝑥) = 𝑥 3 , 𝑓 (𝑥) =
𝑥 −7 𝑒 𝑓 (𝑥) = 𝑥 𝜋 . A base é a variável e o expoente é constante. Por enquanto,
estamos interessados em funções potência cujo expoente seja um inteiro positivo.
Um polinômio é uma soma de múltiplos de funções potência de expoentes inteiros
positivos ou zero (que dá o termo constante).
𝒇(𝒙) = 𝒙𝟓 − 𝟓𝒙𝟑 + 𝟒𝒙, 𝒈(𝒕) = 𝟕𝒕𝟔 + 𝒕𝟑 − 𝟑𝒕 − 𝟏, 𝒉(𝒙) = 𝒙𝟗

Assim, a função 𝑓(𝑥) = 𝑥 + 𝑥 −1 não é um polinômio, pois inclui uma função


potência 𝑥 −1 de expoente negativo. O polinômio geral P na variável x pode ser
escrito:

𝑷(𝒙) = 𝒂𝒏 𝒙𝒏 + 𝒂𝒏−𝟏 𝒙𝒏−𝟏 + ⋯ + 𝒂𝟏 𝒙 + 𝒂𝟎


Os números 𝑎0 , 𝑎1 , ⋯ 𝑎𝑛 são denominados coeficientes
O grau de 𝑃(𝑥) é 𝑛 (supondo que 𝑎𝑛 ≠ 0).
O coeficiente 𝑎𝑛 é denominado coeficiente dominante.
O domínio de 𝑃 é ℝ.

• Uma função racional é um quociente de dois polinômios:


𝒑(𝒙)
𝒇(𝒙) = 𝑸(𝒙) [𝑷(𝒙) 𝒆 𝑸(𝒙) polinômios]

O domínio de 𝑓 é o conjunto dos números 𝑥 tais que 𝑄(𝑥) ≠ 0. Por exemplo,


𝟏
𝒇(𝒙) = 𝒙𝟐 domínio {𝒙/𝒙 ≠ 𝟎}
𝟕𝒕𝟔 +𝒕𝟑 −𝟑𝒕−𝟏
𝒉(𝒕) = domínio {𝒕/𝒕 ≠ ±𝟏}
𝒕𝟐 −𝟏

Cada polinômio é, também, uma função racional [com 𝑄(𝑥) = 1].

• Uma função algébrica é obtida tomando somas, produtos e quocientes de raízes


de polinômio e funções racionais:

−2 𝑧+𝑧 −5/3
𝑓(𝑥) = √1 + 3𝑥 2 − 𝑥 4 , 𝑔(𝑡) = (√𝑡 − 2) , ℎ(𝑧) = 5𝑧 3 −√𝑧

Um número 𝑥 pertence ao domínio de 𝑓 se cada termo da fórmula estiver definido


e o resultado não envolver divisão por zero. Por exemplo, 𝑔(𝑡) está definida se
𝑡
𝑡 ≥ 0 e √𝑡 ≠ 2, portanto o domínio de 𝑔 é 𝐷 = {𝑡 ≥ 0 𝑒 𝑡 ≠ 4}. Mais geralmente,

as funções algébricas são definidas por equações polinomiais entre 𝑥 e 𝑦. Nesse


caso, dizemos que y está definido implicitamente como uma função de 𝑥. Por
exemplo, a equação 𝑦 4 + 2𝑥 2 𝑦 + 𝑥 4 = 1 define 𝑦 implicitamente como uma
função de 𝑥.

• Funções exponenciais: A função 𝑓(𝑥) = 𝑏 𝑥 , em que 𝑏 > 0, é denominada função


exponencial de base 𝑏. Alguns exemplos são:

𝑥 𝑡
1 𝑥 𝑡
𝑓(𝑥) = 2 , 𝑔(𝑡) = 10 , ℎ(𝑥) = ( ) , 𝑝(𝑡) = (√5)
3

• Funções Logaritmica: Dado um número real a (𝟎 < 𝒂 𝒆 𝒂 ≠ 𝟏), chama-se função


logarítmica de base a função 𝒇 de ℝ∗+ em ℝ dada pela lei 𝑓(𝑥) = log 𝑎 𝑥. Alguns
exemplos são:
𝑓(𝑥) = log 2 𝑥,

• As funções trigonométricas são funções construídas a partir de sen x e cos x

Assistam esse vídeo sobre funções:


Revisão de Cálculo I: Este Livro poderá ajudar em uma revisão de Cálculo 1.

Sugestão : resolvam os exercícios ímpares de revisão do capitulo 1 do livro O Cálculo


com Geometria Analítica, página 52-54 (abaixo)

Livros de cálculo 3 que serão úteis:

Você também pode gostar