A

Acidez do solo: fenômeno causado pelo excesso de hidrogênio e alumínio no solo. Agroquímicos, agrotóxicos: produtos químicos destinados ao uso em setores de produção, no armazenamento e beneficiamento de produtos agrícolas, nas pastagens, na proteção de florestas nativas ou implantadas e de outros ecossistemas, e também de ambientes urbanos, hídricos e industriais, cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, com o propósito de preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos, bem como as substâncias e produtos empregados como desfolhantes, dessecantes, estimuladores e inibidores do crescimento. Amostra: porção representativa de água, ar, qualquer tipo de efluentes ou emissão atmosférica ou qualquer substância ou produto, tomada para fins de análise de seus componentes e suas propriedades. Amostra do solo: é a quantidade de solo coletada na área destinada ao plantio, que será utilizada na análise do solo. Análise do solo: exame laboratorial do solo com a finalidade de determinar o teor dos nutrientes (análise química) fundamentais ao desenvolvimento das plantas, sendo a base para a definição da recomendação dos tipos e quantidades de adubos a serem aplicados. É um procedimento de avaliação da fertilidade do solo, considerado um dos melhores parâmetros disponíveis para diagnóstico dos níveis de nutrientes antes do plantio, por possibilitar a correção da limitação nutricional naquela safra. Apotécio: órgão de frutificação em forma de taça, no qual se abrigam os esporos. Aração: prática agrícola que consiste em revolver a camada superficial do solo com um implemento chamado arado. Arado: implemento agrícola que corta, eleva e inverte o solo para melhorar a aeração e a infiltração de água. Pode ser do tipo aiveca, fixo ou reversível e composto de disco ou grades. Ascósporos: esporos que se formam no interior de ascos. Aspersão: aplicação de água ou outro líquido, em forma de pequenas gotas aplicadas simultaneamente em várias direções.

B

Bactérias: organismos microscópicos unicelulares que podem parasitar vegetais. Biótico: relativo ou pertencente à vida ou aos seres vivos. Criado, provocado ou induzido pela ação de organismos vivos.

C

Calagem: método que consiste em adicionar substâncias cálcicas (cal, calcário) à terra para corrigir a acidez. Calda: solução composta por água e agrotóxico. Capacidade de troca de cátions (CTC): (1) capacidade que tem um solo de reter ou liberar nutrientes para serem absorvidos e aproveitados pelas plantas. (2) quantidade de cátions (alumínio, hidrogênio, cálcio, magnésio e potássio) que o solo é capaz de reter. Citoplasma: fluido de aparência gelatinosa, rico em moléculas orgânicas e organelas, presente no interior das células e que circunda o núcleo. Clamidósporo: (1) esporo de resistência, de parede celular espessa e contendo substâncias de reserva, produzido por alguns fungos basidiomicetos. (2) célula hifal, fechada por uma grossa parede celular, que finalmente se separa da hifa mãe e comporta-se como esporo de resistência. Coeficientes técnicos: quantidades de fatores de produção - entre outros, insumos, mão-de-obra, horas máquina - necessários e produtos a serem obtidos pelo sistema de produção. Conídio: esporo de origem assexual. Conservação: o conceito de conservação aplica-se à utilização racional de um recurso qualquer, de modo a se obter um rendimento considerado bom, garantindo-se, entretanto, sua renovação ou sua auto-sustentação. Assim, a

dentro dos limites capazes de manter sua qualidade e seu equilíbrio. fertilizar. sua evolução e a colocação dos meios necessários a sua prevenção. Cotilédones: (1) folha seminal ou embrionária. de duas ou mais culturas na mesma área. de aparência e estrutura semelhantes e que podem se reproduzir ilimitadamente entre si. em níveis aceitáveis. Consórcio: exploração. Epidemiologia: estudo dos diferentes fatores que intervêm na difusão e propagação de doenças. arar. (2) folha ou cada uma das folhas que se forma no embrião das angiospermas e gimnospermas e que. das plantas e dos animais. de criar carquilhas ou rugas. Termo usado. mas que se diferencia dessa porque não tem embrião pré-formado. e cuja função é nutrir a jovem planta nas primeiras fases de seu crescimento. envolvendo os métodos de preparo convencional do solo como limpar. etc. Erosão: desgaste progressivo do solo decorrente do arraste de partículas de tamanho variável que o compõe. sementes modificadas ou melhoradas e produtos químicos. como sinônimo de poluição. seu modo de distribuição. a conservação ambiental quer dizer o uso apropriado do meio ambiente. Época de semeadura: o período do ano recomendado para se instalar determinada espécie vegetal econômica. gradear. Contaminação: (1) introdução. Convencional (plantio): tecnologia de plantio que é realizada após um período de pausa ou de uma safra. Escleródio. a primeira que surge quando da germinação da semente. porém quase sempre empregado. Analogamente. (2) conjunto de indivíduos originários de um mesmo tronco. especialmente de folhas. corrigir.conservação do solo é compreendida como a sua exploração agrícola. normalmente provocado pela ação da água. Corretivo do solo: qualquer substância ou material usado para corrigir uma ou mais característica do solo que seja desfavorável ao seu cultivo. muitas vezes. simultânea ou não. D Déficit hídrico: resultado (negativo) do balanço hídrico em que o total de água que entra no sistema via precipitação é menor que a quantidade total de água perdida pela evaporação e pela transpiração pelas plantas. resistente às condições desfavoráveis. (3) conjunto de indivíduos que guardam grande semelhança entre si e com seus ancestrais. esclerócio: (1) estrutura formada por hifas fortemente entrelaçadas e rica em substâncias de reserva. do homem ou dos animais. capaz de desprender-se do corpo do fungo e originar um novo indivíduo em condições ambientais favoráveis. geralmente para o plantio do mesmo tipo de cultura. em um determinado meio ou local. pode ser um órgão de reserva para o desenvolvimento da plântula. em algumas espécies. semear. E Encarquilhamento: ato ou efeito de encarquilhar. de elementos nocivos à saúde humana. equipamentos e implementos. e estão aptos a produzir descendência fértil. (2) a ação ou efeito de corromper ou infectar por contato. Para tanto. Espécie: (1) unidade básica de classificação dos seres vivos. sua freqüência. são utilizados máquinas. que pode permanecer latente por longo período de tempo e germinar quando se apresentam condições favoráveis. Estômatos: estrutura microscópica existente na epiderme de órgãos aéreos. Várias espécies constituem um gênero. em português. substâncias tóxicas ou radioativas. em relação direta a efeitos sobre a saúde do homem. tais como organismos patógenos. (2) corpo perdurante duro. do vento. adotando-se técnicas de proteção contra erosão e redução de fertilidade. Esporo: pequena unidade de propagação que funciona como semente. constituída basicamente de duas células com reforço .

são ou parasíticos. Fosfina: hidreto de fósforo. patogênicos ou não. Hipocótilo: parte da plântula situada abaixo dos cotilédones e que se estende até a inserção da raiz. geralmente. destituído de clorofila. Fertilizante: substância natural ou artificial que contém elementos químicos e propriedades físicas que aumentam o crescimento e a produtividade das plantas. em relação a outros organismos. (2) grupo de organismos que se caracterizam por serem eucarióticos e aclorofilados. H Herbicida: substância química ou biológica utilizada para destruir ou controlar o crescimento de plantas indesejáveis (plantas daninhas ou infestantes). caule verdadeiro ou raízes. sendo a fosfina (fosfato de alumínio) o mais utilizado atualmente. agrotóxico. serve de substrato e/ou de fonte de energia para outro denominado de parasita. Fungo: (1) qualquer organismo pertencente ao reino Fungi. tornando-se o local onde o outro organismo (parasita) vive. que se reproduzem por esporos e que pode existir como célula única ou formar um corpo multicelular dito micélio. a palavra fertilidade é confundida com produtividade do solo. ou saprofíticos. podendo ser ou não dividida por septos transversais. devido à ausência de clorofila. que possui aparência filamentosa. Hifa: (1) unidade estrutural vegetativa da maioria dos fungos. (2) técnica de limpeza de uma área efetuada após a aração com um implemento agrícola chamado grade que consiste em cortar e enterrar a vegetação e promover ligeira mobilização do solo. consiste numa série de processos que culminam na emissão da raiz. I . para o crescimento da planta. são considerados vegetais inferiores. G Germinação: (1) nas sementes. de formas diferentes e feito de madeira ou metal. entre as quais fica uma abertura pela qual se efetuam trocas gasosas entre a planta e o meio. cuja fórmula é PH3. Expurgo: operação que visa a eliminação dos insetos que se encontram nos produtos armazenados em suas diversas fases de desenvolvimento. nivelamento e limpeza do solo já lavrado. melhorando a natural fertilidade do solo ou devolvendo os elementos retirados do solo pela erosão ou por culturas anteriores.especial da parede. que consiste em filamentos denominados hifas. em condições terrestres úmidas e. em quantidade e proporção adequadas. Para o expurgo utilizam-se defensivos conhecidos como fumigantes. constituído de uma armação com dentes rígidos ou flexíveis. Muitas vezes. Gradagem: (1) método que consiste em aplainar o solo por meio de grades puxadas por trator. momento em que há a ruptura do envoltório da semente e começam a aparecer pequenas raízes e folhas. folhas. com exceção dos oriundos de areias ou com elevada porcentagem de afloramentos rochosos. Estresse hídrico: condição de limitação ao desenvolvimento da planta pela ausência ou fornecimento inadequado de água. gasoso. (2) organismo vivo que hospeda. também pode ser utilizada no combate às plantas daninhas. São encontrados. Grade: implemento agrícola usado para o destorroamento. F Fertilidade (do solo): capacidade do solo em fornecer os nutrientes essenciais. (2) início do desenvolvimento do embrião de um vegetal. mas produtividade é a capacidade do solo de produzir sob determinadas condições de manejo. Obtém-se bons resultados em quase todos os tipos de solos. Fungicida: produto destinado à prevenção ou ao combate de fungos. Hospedeiro: (1) vegetal que hospeda insetos e microorganismos. incolor e inflamável.

tal como a semente. Instar: o crescimento do corpo do inseto é mais ou menos cíclico. É o princípio ou origem de uma doença. até atingir uma camada que a retém. normalmente de maior valor agregado. ou em um meio de cultura. restos industriais. através dos espaços vazios do solo. Para atividade agropecuária. Micélio: (1) corpo vegetativo da maioria das espécies de fungos. As principais fontes de matéria orgânica utilizadas para a nutrição dos vegetais são os adubos verdes. (2) produto intermediário ou bem que deve sofrer transformação antes de ser consumido e que é indispensável à produção de outros. (2) penetração em um organismo de parasitas não-microbianos. os resíduos vegetais. ao penetrar em uma planta. visando a sua disseminação. estercos e restos de aves e peixes. vírus e micoplasmas. (2) massa de hifas. que constitui o corpo do fungo. composto de hifas agrupadas ou emaranhadas. cascas de madeira. o granito e os sais. serragens. Infestação: (1) ataque violento por um organismo de forma ampla e mais ou menos uniforme sobre uma área ou indivíduo. M Macronutrientes: os nutrientes essenciais para o desenvolvimento da planta e os consumidos por elas em maior quantidade. movendo-se para baixo. tais como: fertilizantes. (2) penetração em um organismo vivo de micróbios que perturbam seu equilíbrio. fósforo e potássio. o inseto cresce em sucessivas mudas. Micotoxina: qualquer substância tóxica produzida por um fungo. são capazes de induzir doença. sementes. embalagens. em uma série espaçotemporal. naturais ou artificiais. Assim. recebem atenção especial os que habitam os solos e convivem com as plantas e animais. palhas. magnésio e enxofre. em um organismo vivo. nitrogênio. vinhaça. mas são de suma importância para o seu desenvolvimento. os lençóis d'água. (2) porções não-minerais sólidas do solo originadas dos resíduos dos animais e das plantas. Micronutrientes: elementos de grande importância não só pelo papel que representam na nutrição. molibdênio. avaliação e controle das condições ou de fenômenos. zinco. Inoculação: introdução artificial de microorganismos específicos. tais como os fungos. com o objetivo de obter dados quantitativos e qualitativos que possibilitem maior conhecimento sobre eles. As fontes de micronutrientes mais importantes são as algas. Matéria orgânica: (1) matéria de origem vegetal. turfa natural. o basalto. cálcio. então. em qualquer estado de conservação. Os principais micronutrientes são: boro. de medições ou observações sistemáticas e intercomparáveis. formando. ferro e cobre. viva ou morta. geralmente um patógeno. bactérias. mas também no aumento das defesas e resistência das plantas. por ação da gravidade. e secundários. N . animal ou microbiana. restos de culturas. mudas. passível de decomposição. assim. para um propósito predeterminado.Infecção: (1) ataque agressivo por agente patogênico a um ser vivo. Infiltração: é o fenômeno de penetração de água em camadas de solo próximo à superfície. Insumos: (1) conjunto de material utilizado na produção. e o intervalo entre uma muda e outra é chamado de instar. Dividem-se em: primários. de aspecto cotonoso. possíveis riscos ou oportunidades que possam ser controlados ou aproveitados e minimizar eventos indesejáveis. que forneça uma visão sinóptica ou uma amostra representativa do meio ambiente. identificando. combustível etc. unidades bacterianas e partículas de vírus que. Monitoramento: (1) acompanhamento. (2) coleta. com alternância de períodos de descanso e de atividade. Microorganismo: forma de vida de dimensões microscópicas. nutrientes que as plantas consomem em menor quantidade. de modo benéfico ou prejudicial para serem combatidos. de qualquer variável ou atributo ambiental. Inóculo: estruturas reprodutivas de um fungo.

tendo uma extremidade fixada em uma estrutura. São. Pragas: qualquer forma de vida vegetal ou animal. até a formação das primeiras folhas. Plantas daninhas: o mesmo que ervas invasoras. controlar a erosão e descompactar o solo. É dado matematicamente como o logaritmo negativo da concentração de H+. mantendo entre si certa independência. fumo. O pH abaixo de 7 é ácido. ou qualquer agente patogênico daninho ou potencialmente daninho para os vegetais e produtos vegetais. luz e nutrientes com a cultura principal. por exemplo. Pecíolo: haste que sustenta a folha e que a une à bainha ou diretamente ao ramo. desenvolvimento e produção das plantas. Nutriente: qualquer substância do meio ambiente. especialmente as folhosas. Ninfa: forma intermediária entre a larva e o inseto adulto. através da medida de concentração do íon hidrogênio em solução. melhor. Plantio direto: tecnologia de plantio que consiste em plantar as espécies sem fazer o revolvimento ou preparo do solo com utilização de máquinas pesadas. emergência das plântulas. PRNT (Poder Relativo de Neutralização Total): elemento de suma importância na escolha de um calcário. é expresso em porcentagem. Plântula: estádio inicial do desenvolvimento do embrião. outras sementes . alcalino. e quanto maior. como.Necrose: degeneração e morte de células associadas com a descoloração ou desidratação dos tecidos de um ser vivo resultante da ação de agentes bióticos ou abióticos. Precipitação pluvial: fenômeno pelo qual a nebulosidade atmosférica se transforma em água formando a chuva. e também eliminar as plantas daninhas. como sementes puras. geralmente. Os sistemas de plantio direto e cultivo mínimo constituem hoje uma tendência geral para todas as áreas agrícolas. Nematóide: organismo parasita de forma cilíndrica que ataca as raízes das plantas. População: conjunto de indivíduos da mesma espécie que vive em uma mesma área geográfica no mesmo espaço de tempo. seja ela orgânica ou inorgânica. que cresce em local e momento inadequados. germinação das sementes. sementes silvestres. Preparo do solo: ato de escarificar a superfície do solo. e que compete por água. animal ou de qualquer outra espécie de organismo vivo. efetuando rotação de culturas e mantendo cobertura morta ou palha para proteção do solo contra erosão e perda de nutrientes. com o objetivo de propiciar condições satisfatórias para o plantio. fragmentos de talo ou ramo ou estruturas especiais. Os particulados incluem poeira. Pivô central: sistema de irrigação por aspersão que consiste em uma linha de aspersores montada sobre uma armação metálica com rodas. aspersão e cerração. nativa ou introduzida. em decorrência da germinação da semente. fungos ou vírus. bactérias. indispensável ao desenvolvimento de uma planta. nevoeiro. qualquer espécie vegetal. Pureza física: caracterizada pela proporção de componentes físicos presentes no lote de sementes. e 7 é considerado neutro. agropecuárias e florestais. que é uma escala usada para medir a acidez ou a alcalinidade de soluções evitando o uso de expoentes. o pivô. uma vez que representam uma substancial redução de custos e uma alternativa benéfica no que se refere à preservação e recuperação de ambientes. Patógeno: organismo capaz de atacar outros organismos vivos (plantas e animais) e causar doenças. (2) partículas sólidas ou líquidas finamente divididas no ar ou em uma fonte de emissão. P Partículas: (1) pequenos pedaços ou fragmentos de qualquer material que se aglutinam para formar um corpo. Propágulo: qualquer parte de um vegetal capaz de multiplicá-lo ou propagá-lo vegetativamente. e a outra movendo-se continuamente em torno dele durante a aplicação da água. pH: abreviação de "potencial hidrogeniônico". acima de 7.

Resíduo: substância ou mistura de substâncias remanescentes ou existentes em alimentos ou no meio ambiente. pelo vigor e pela longevidade. e que são capazes de causar enfermidades e reduções na qualidade e produtividade das culturas.cultivadas e substâncias inertes. tamanho. tais como produtos de conversão e de degradação. A condição física é distinguida pelo teor de umidade. através de hastes retas curvas. fixando nitrogênio atmosférico. Sulcos (irrigação por): (1) sistema de irrigação em que a distribuição da água é feita através de pequenos canais ou sulcos paralelos às fileiras das plantas. que são K+. (2) .que se nutrem de matéria orgânica morta ou em decomposição. Sistêmico: (1) o que diz respeito a um sistema biológico. Qualidade sanitária: a condição da semente quanto à presença e grau de ocorrência de fungos. genética e física. ou parabólicas. bactérias. (2) alteração da espécie a ser cultivada no ciclo seguinte ao da lavoura atual. desprovido de clorofila. Rizóbio: bactéria heterotrófica com capacidade de formar nódulos simbióticos nas raízes de plantas. que é utilizado pela planta. rompendo camadas compactadas que dificultam a penetração das raízes e a infiltração de água. observado um período mínimo sem o cultivo desta espécie na mesma área. de forma natural ou artificial. saprófito: (1) vegetal. nematóides e insetos que causam doenças ou danificações à semente. considerados toxicológica e ambientalmente importantes. físico ou social que atinge vários componentes de uma determinada estrutura. cor. Simbiose: associação entre seres vivos na qual ambos são beneficiados. Rotação de culturas: (1) técnica que utiliza o mesmo espaço físico para cultivar espécies diferentes de plantas em período de tempo alternado. metabólitos. injúrias mecânicas e causadas por insetos. Mg2+ e Na+. Q Qualidade fisiológica: todos os atributos que indicam a capacidade da semente de desempenhar funções vitais. produtos de reação e impurezas. Subsolador: implemento agrícola que mobiliza o solo em profundidade. (2) microorganismo que obtém os elementos nutritivos de tecidos orgânicos mortos ou de matérias inorgânicas. (2) diz-se do produto que é absorvido pela planta e que se transloca a outros órgãos. pois prevê a eliminação de todas as plantas contamináveis (atípicas). Roguing: a prática de examinar cuidadosa e sistematicamente o campo de produção de sementes com o objetivo de remover as plantas indesejáveis. Ca2+. sendo caracterizada pelo poder germinativo. Sistema de produção: conjunto de práticas e procedimentos inerentes à implantação e condução de uma lavoura. decorrentes do uso ou não de agrotóxicos ou afins. R Regiões tropicais: regiões onde não ocorre inverno e as temperaturas médias são sempre superiores a 20°C. ou que são transmitidos pela semente. densidade. S Saprófita. inferior ou superior. e uniformidade quanto a essas características. evitando o fenômeno da fermentação. Saturação por bases: índice de acidez do solo definido como a proporção da capacidade de troca de cátions (CTC) ocupada por bases trocáveis. principalmente das da família leguminosa. É uma operação de fundamental importância para a obtenção de sementes de elevado grau de pureza varietal. inclusive qualquer derivado específico. vírus. Secagem: operação de grande importância para a conservação e manuseio de produtos que consiste na retirada da umidade. Sistema radicular: parte da planta responsável pela sua sustentação e nutrição.

nitrogenado. em conseqüência da elevação do lençol freático. de 10 nm a 250 nm de diâmetro. (2) camada ou conjunto de camadas externas de tecido que envolve a semente. Suscetibilidade: tendência ou predisposição de um organismo em sofrer os efeitos de um patógeno ou condições adversas. Constituem áreas geralmente planas de baixadas às margens de córregos e rios. (2) meio biótico ou abiótico que serve de condução de um agente danoso ou não de um sistema para outro. em relação ao máximo de vapor que aquele ambiente pode conter (saturação). Tratamento de sementes: aplicação de produtos com o propósito de proteger a semente do ataque de pragas e patógenos ou melhorar a sua capacidade de produzir uma planta normal. sujeitas ou não a inundações periódicas. com objetivo de manejo e normas específicas. medido em porcentagem. que constitui o principal componente sólido da urina do homem e de outros mamíferos. no qual se faz passar água nos sulcos entre as linhas de culturas. condicionadas a um regime de excesso de umidade e a processos químicos de redução. Vigor: característica genética que pode ser modificada fenotipicamente e que revela a capacidade de um organismo gerar produtos mais rapidamente e suportar significativas interferências do meio ambiente. Uréia: composto químico orgânico. Vetor: (1) ser vivo capaz de transmitir de forma ativa ou passiva um agente infeccioso. produto final da decomposição da proteína no corpo. (2) quantidade de vapor de água contido no ar. entre o conteúdo do vapor de água no ar e a pressão máxima do vapor de água à mesma temperatura.método de irrigação superficial. reveste e protege um órgão vegetal ou parte dele. cristalino. expressa em porcentagem. caracterizados pela falta de metabolismo independente e pela habilidade de se replicarem somente no interior de células vivas hospedeiras. Z Zoneamento: definição de setores ou de zonas em uma unidade de conservação. V Várzeas: áreas constituídas de solos originários de decomposição de materiais transportados por cursos d'agua ou trazidos das encostas pelo efeito erosivo das chuvas. T Tegumento: (1) invólucro ou estrutura que envolve. U Umidade relativa do ar: (1) a razão. Vírus: cada um de um grupo de agentes infecciosos diminutos. A .

Subir . Argilito: rocha sedimentar clástica composta predominantemente por grãos do tamanho das argilas.0 ). e esses solos retêm mais ânions (sulfato. e matéria orgânica e posterior deposição formando o perfil de solo no dique marginal dos rios e riachos. entre outros. De acordo com LANDELL do Centro de Cana do IAC. Também é a denominação de uma classe de minerais silicatos. silte. Calcula-se dessa maneira T: CTC (cmol kg -1 de solo) x 100/% de argila. que é das mais antigas do Brasil. Difere do álico por apresentar maior teor de alumínio no horizonte B. mas à medida que se comprime a massa do solo molhado sente-se que é argiloso ou muito argiloso. Aluviação: processo de transporte pelos rios e riachos de argila. Na textura de campo apresentam grande evidência da "sensação areia". Alteração: processo de degradação das rochas por processos físicos tais como. mas por outro lado não apresentam alta saturação por alumínio (m< 50%). sem descontar a contribuição da matéria orgânica. Aluvial: depósito ligado à dinâmica fluvial. Tem-se verificado que quando o solo possui CTC da argila menor que 27 cmol kg -1 de solo no horizonte B a gessagem tem sucesso. Aluvião: sedimentos clásticos depositados pelos rios na planície fluvial. Argila de atividade baixa (Tb): CTC menor que 27 cmol kg-1 de argila no horizonte B.0 cmol kg-1). onde existe uma alta concentração de alumínio tóxico que limita o crescimento das raízes em direção ao horizonte B. sem descontar a contribuição da matéria orgânica. nitrato) do que cátions (cálcio. Plantas de ciclo mais curto do que a cana-de-açúcar (anuais como milho.Ácrico: condição química de um solo extremamente intemperizado. por exemplo. potássio e sódio). magnésio e potássio (soma de bases) são muito baixos. Como conseqüência da alta saturação por alumínio os valores de cálcio. a produtividade média de cinco cortes de cana-de-açúcar varia de 76-80 t ha-1 quando os Latossolos ácricos ocorrem na região de Ribeirão Preto. magnésio. do gelo e das raízes nas fraturas. descompressão causada pela retirada das camadas superiores das rochas. Mato Grosso do Sul e nordeste do Estado de São Paulo na superfície Sul Americana. no início desse teste parece que a textura é média.3 a 4. No manejo os solos álicos possuem muito baixo potencial nutricional abaixo da camada arável e necessitam de gessagem para melhorar o ambiente químico abaixo da camada arável.0 cmol kg-1). abrasão por partículas carregadas pelo vento. Argila: no sentido granulométrico (tamanho) refere-se a partículas com diâmetro menor que 0. e abaixo de 68t/ha quando ocorre numa região bem mais seca como é o caso de Goianésia (GO). Arenito: rocha sedimentar clástica composta por elementos granulares da fração areia. Minas Gerais (Triângulo Mineiro).002 a 2 mm de diâmetro constituída predominantemente pelo quartzo. Calcula-se dessa maneira T: CTC (cmol kg -1 de solo) x 100/% de argila. Na nova nomenclatura da EMBRAPA enquadra-se como Neossolo Flúvico. cascalho. ou RC menor ou igual a 1.Ocorrem em todos estados do Brasil. e que possui no horizonte B baixos valores de retenção de cátions RC (menor ou igual a 1. potássio). caulinita. No Brasil esses solos ocorrem predominantemente nas regiões de Goiás. magnésio. ou no horizonte A dos Neossolos Litólicos) devido a alta saturação por alumínio (m) (maior ou igual a 50% e ao mesmo tempo com teor de alumínio variando de 0. Álico: condição química de um solo com muito baixo potencial nutricional abaixo da camada arável (horizonte no B. ou no horizonte C se não existir horizonte B. ilita e montmorilonita. pois a grande maioria das cargas elétricas da CTC estão ocupadas pelo alumínio e não pelas citadas bases.5 e delta pH positivo ou nulo. ação de sais. Alumínico: condição química de um solo com muito baixo potencial nutricional abaixo da camada arável (geralmente horizonte B) devido a alta saturação por alumínio (m) (maior ou igual a 50% e ao mesmo tempo com teor de alumínio maior que 4. cloreto.5 e pH KCl maior que 5.002 mm. Abaixo da camada arável possuem baixo potencial nutricional. Argila de atividade alta (Ta): CTC maior ou igual a 27 cmol kg-1 de argila no horizonte B. Areia: fração granulométrica de 0. desde que seja aplicado médio a alto nível de manejo. Quando o delta pH é positivo abaixo da camada arável são quase desprovidos de cálcio. areia. soja. magnésio. potássio e sódio. pois são baixos os valores da capacidade de troca de cátions e soma de bases (cálcio. etc) podem apresentar altas produtividades nesses solos. No manejo os solos ácricos são muito ressecados devido a forte microagregação da argila que é responsável pelo movimento de água muito rápido no perfil de solo.

magnésio. potássio. CTC : é a capacidade da argila adsorver elementos químicos e trocá-los por outros elementos na solução do solo. Desertização: processo natural de formação de desertos. Subir D Desertificação: processo artificial de degradação da capacidade produtiva pelo mau uso do solo pela ação do homem. e nela estão ligados eletricamente os elementos de cargas positivas. . cálcio. relevo. Cascalho: fragmentos de rocha com diâmetro de 0.0 cm. sendo um local de maior altitude da paisagem. potássio. magnésio. e croma (proporções de vermelho. No sistema americano (Soil Taxonomy) correlaciona-se com a ordem dos Mollisols. tais como o cálcio. não hidromórfico. Matematicamente refere-se a soma dos elementos de cargas positivas. O conjunto SB + Al + H reflete a CTC do solo a pH 7. variando de 0 a 8. valor (proporções das cores preta e branca). Colo: depressão numa linha de cumeada. B textural da ordem dos Luvissolos na nova nomenclatura da EMBRAPA (1999). magnésio. Calcita: mineral de composição química CaCO3. Croma: componente da cor do solo que indica a pureza da cor e considera as diferentes proporções das cores preta e branca para determinado matiz. A tabela de cores Münsell é a mais utilizada nas comparações das cores dos solos. Brunizém: classe de solo mineral. Capacidade de troca de cátions. potássio e sódio para o solo. Clástico: fragmento desagregado de rocha. Camada: material do solo de constituição mineral e orgânica que tiveram na sua origem pouca ou nenhuma influência dos fatores de formação do solo (clima. Bauxita: minério constituído essencialmente de hidróxido de alumínio (gibbsita. A soma dessas cargas elétricas negativas é representada pela capacidade de troca de cátions (CTC). material de origem. Dique marginal: forma sobre a qual ocorre a acumulação de sedimentos aluviais nas margens dos rios. Biotita: mineral de argila de cor preta/esverdeada. ou pureza da cor). Cor: é uma propriedade do solo que considera o matiz (proporções das cores vermelha e amarela). Essas cargas positivas. Subir C Calcificação: processo de formaçãoo do solo pela concentraçãoo de carbonato de cálcio. No sistema americano (Soil Taxonomy) correlaciona-se com a ordem dos Alfisols. preto e branco. B textural ou B nítico. e na anotação da cor refere-se ao denominador. Existem ainda outras cargas elétricas negativas ligadas a elementos desfavoráveis tais como o alumínio (Al) e o hidrogênio (H). (ou seja. que compõem os principais nutrientes do solo. com horizonte A chernozêmico e com horizonte B eutrófico e com CTC > 27 cmol kg-1 de argila (Ta) sem desconto para matéria orgânica no horizonte B textural ou no B incipiente na nomenclatura de Camargo et al (1987). Crista: linha estreita ao longo da qual duas vertentes opostas intersectam-se. Conglomerado: depósito consolidado composto por seixos cimentados. geralmente com horizonte A fraco e com horizonte B avermelhado eutrófico e com CTC > 27 cmol kg-1 de argila (Ta) sem desconto para matéria orgânica no horizonte B textural na nomenclatura de Camargo et al (1987).2 a 2. sódio. por sua vez são adsorvidas pelas cargas negativas da argila. Na tabela de cor Munsell no é indicada no sentido horizontal. o croma corresponde ao número 3. ou B incipiente da ordem dos Chernossolos na nova nomenclatura da EMBRAPA (1999). ou boehmita ou diásporo). No exemplo: 5 YR 4/3. Colúvio: depósito de material transportando ao longo das vertentes sob efeito da gravidade. alumínio e hidrogênio). sódio. Basalto: rocha ígnea extrusiva relativamente pobre em sílica e rica em compostos de ferro e magnésio. principal constituinte do calcário. Face ao intemperismo químico aparecem minerais de argila que fornecem apreciáveis quantidades de cálcio. Bruno não cálcico: classe de solo mineral. não hidromórfico. tais como a soma de bases (SB) + Al + H.B Bacia hidrográfica: área que contribui com água e sedimentos para um rio. Banhado: terras inundáveis pelos rios. organismos e tempo) e dos processos pedogenéticos. do grupo da mica que contem potássio entre suas unidades estruturais. amarelo. representados pela soma de bases (SB). portanto a CTC refere-se a quantidade de cargas elétricas negativas.

Subir F Família: categoria do sistema de classificação de solo que inclui dados necessários para o manejo agrícola e não agrícola (textura. Subir E Edafologia: ciência que estuda a relação do homem no desenvolvimento das plantas nos diferentes solos. hidromórfico ou não. Drenagem interna: movimento de água pelo fluxo interno nos poros dos horizontes ou camadas do perfil de solo. Encosta: espaço entre as partes mais altas e mais baixas da paisagem. subangular. mas ao mesmo tempo aos valores de bases SB são menores que 1. mineralogia. principal constituinte do calcário dolomítico. refere-se. boa. na nomenclatura de Camargo et al (1987). . Filossilicato: filo (folha) + silicato (mineral com 1 átomo de silício e 4 átomos de oxigênio num arranjamento de um tetraedro). Fatores de formação do solo: agentes de formação dos solos (clima.2 cmol kg -1 de solo. desde que não sejam simultaneamente salinos como pode ocorrer em alguns casos no nordeste do Brasil. a um arranjamento do tipo de estrutura dos minerais de argila.5 cmol kg-1 de solo e os de saturação por bases (V) maiores ou iguais a 50% Esses solos possuem elevadas produtividades. ou no horizonte C se não existir horizonte B. organismos. Dunas: elevações de formas variadas de areia trazidas pelos ventos. o solo pode ter drenagem excessiva. forte. Espodossolo: classe de solo mineral. moderada. quanto ao grau de metamorfismo constitui uma fase intermediária entre xisto e filito. angular. a saturação por alumínio (m) deve ser menor que 50% (para eliminar a possibilidade de ser álico) e o valor RC deve ser maior que 1. Para PRADO os valores de V oscilam de 30-50% . ou no horizonte A dos Neossolos Litólicos). portanto. Se o valor V for menor que 30%. grau de acidez. Dreno: conduto enterrado no solo para eliminar o excesso de água. Feldspato: mineral alumino-silicato que apresenta potássio. Eutrófico: condição química de um solo com elevado potencial nutricional abaixo da camada arável (horizonte no B. ou no horizonte C se não existir horizonte B. com horizonte A fraco ou moderado e com horizonte B podzol. São comuns em rochas ígneas e metamórficas. má e muito má. Ocorrem em todos estados do Brasil.Conforme essa velocidade. Filito: rocha metamórfica de granulação fina. sódio e cálcio entre seus constituintes.Distrófico: condição química do solo abaixo da camada arável (horizonte no B. Drenagem externa: habilidade do solo permitir a remoção de água na sua superfície (enxurrada).Sua dureza é tão destacada que não se desfaz em água ou ácido clorídrico. Dolina: depressão circular de áreas onde existe calcário.5 cmol kg -1 (para eliminar a possibilidade de ser ácrico). primática). Eluvial: perda de material ao longo do perfil do solo. relevo e tempo). Floculação da argila: precipitação da argila formando agregados. No sistema americano correlaciona-se com a ordem dos Spodosols. Estrutura: arranjamento das partículas do solo consideradas em termos do tipo (granular. material de origem. Firme: condição relativamente consistente do solo úmido que esboroa-se (desfaz-se) com pressão moderada entre o polegar e o indicador. Argilas resultam de sua alteração química.Os valores de soma de bases (SB) são maiores ou iguais a 1.profundidade). Duripã: horizonte mineral cimentado pela sílica que pode ocorrer na camada subsuperficial do solo. B espódico da ordem dos Espodossolos na nova nomenclatura da EMBRAPA (1999). Estereocópio: instrumento ótico que permite visualizar em 3 dimensões as imagens das fotografias aéreas. ou no horizonte A dos Neossolos Litólicos) com baixos valores de soma de bases (SB) e saturação por bases (V). classe (tamanho) e grau de desenvolvimento (ângulos dos encaixes dos agregados depois de partidos na mão). Dolomita: mineral de composição química CaMg(CO3)2. No manejo possuem baixo potencial nutricional abaixo da camada arável. mas a saturação por alumínio não tão alta porque é inferior a 50% . Escarpa: face de maior inclinação nas bordas dos planaltos.

ou seja. Anteriormente designado de horizonte B1. normalmente. e é o horizonte de máxima expressão de cor. Anteriormente designado de horizonte A3. e com grande atividade biológica.Fotopedologia: interpretação fotográfica das condições pedológicas na paisagem. ou Aquult. mas não necessariamente corresponde ao epipedon da classificação de solo americana (Soli Taxonomy) porque epipedon pode abranger além do horizonte A. Portanto. . Corresponde ao horizonte diagnóstico de sub superfície. Hematita: óxido de ferro (Fe2O3) que compequena quantidade colore o solo de vermelho. ou Aquept. calculado pela relação SiO2/Al 2O3 x 1. ou seja o principal horizonte para se classificar o solo. Glei húmico: classe de solo hidromórfico com horizonte A proeminente ou a chernozêmico na classificação de Camargo et al (1987). Horizonte BA: horizonte transicional entre A e B. Quanto menor o valor significa que o solo é mais intemperizado. hidrólise. Intemperismo: processos de alteração das rochas e minerais por meio de reações químicas como hidratação. Friável: condição fofa de solo úmido que esboroa-se (desfaz-se) com leve pressão entre o polegar e o indicador. Horizonte BC: horizonte transicional entre os horizontes B e C. feldspato e minerais acessórios. No sistema americano (Soil Taxonomy) correlaciona-se com as sub-ordens Aquox. mas com características mais parecidas com A do que B. J Jarosita: mineral constituinte do horizonte sulfúrico. No sistema americano (Soil Taxonomy) correlaciona-se com as sub-ordens Aquox. ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVXZ Subir G Granito: rocha ígnea intrusiva ácida constituída de quartzo. ou Aquept. a partir do horizonte A para o horizonte B. sub ordem Gleisso Háplico na nova nomenclatura da EMBRAPA (1999). Subir I Iluvial: acúmulo de minerais de argila. Está associada a feições destacadas na paisagem como serras ou áreas de maior declividade. estrutura e cerosidade (se existir). textura. carbonatação e oxidação. Subir H Horizonte: camadas diferenciadas pela cor.7. Anteriormente designado de horizonte B3. textura. é uma rocha muito resistente ao intemperismo químico e como conseqüência apresenta. Por exemplo. mas com características mais parecidas com B do que A. Nessa condições forma-se um horizonte glei típico dos Gleissolos. Glei pouco húmico: classe de solo hidromórfico com horizonte A moderado na classificação de Camargo et al (1987). a parte superior escura do horizonte B. ou Aqualf. óxidos de ferro e alumínio e material orgânico em profundidade. Horizonte AB: horizonte transicional entre A e B. Horizonte B: é o horizonte iluvial por acumular as partículas removidas do horizonte A. Horizonte A: horizonte superfícial (desde que não erodido) de cor mais escura pela grande influência da decomposição das raízes das plantas. ou Aqualf. com características bem mais próximas de C do que B. Considerado o horizonte diagnóstico de superfície. Esse horizonte é considerado eluvial porque dele partículas muito finas e substâncias em solução podem se mover em profundidade acumulando-se no horizonte B. na sequência de intemperismo os valores de ki são mais altos para a montmorilonita (argila do tipo 2:1). K Ki: é o índice de intemperismo do solo. mica. estrutura com originadas no processo de intemperização e pedogênese do material de origem (geralmente rocha). Horizonte C: material de origem intemperizado a partir do qual os horizontes A e B se desenvolveram. mais baixos para a caulinita (argila do tipo 1:1). solos pouco desenvolvidos. ou Aquult. sub ordem Gleissolo Melânico na nova nomenclatura da EMBRAPA (1999). e bem mais baixos para gibbsita (óxidos de alumínio). o índice ki mede o grau de decomposição da fração argila presente no solo. Gleização: processo de formação do solo característico das condições de excesso de água (hidromorfismo).

o mesmo que ferrilitização. Lessivagem: migração mecânica de argila do horizonte A para o B textural ou B nítico. ou seja apresentam no seu "esqueleto" duas camadas de tetraedro de silício e uma camada de octaedro de alumínio. Mesoálico: condição química intermediária entre distrófico e álico abaixo da camada arável (horizonte no B. por exemplo. São exemplos: quartzo. Exemplo água em estado líquido. Latossolização: processo de formação do solo que se caracteriza a intensa remoção de sílica no processo de intemperismo. Podese. manganês e titânio com o mesmo número de coordenação. Ocorrem em todos estados do Brasil.5YR a cor vermelha contribui com 37. contrapor morfogênese a pedogênese. pobre em matéria orgânica que endurece irreversivelmente em contato com o ar. Latossolo: classe de solos espessos com baixo gradiente textural entre os horizontes A e B. Mesotrófico: condição química intermediária entre distrófico e eutrófico abaixo da camada arável (horizonte no B. ou no horizonte A dos Neossolos Litólicos). no matiz 5YR a cor vermelha contribui com 50% e a amarela com 50%. Na prática são típicas das áreas onde ocorrem. ou no horizonte C se não existir horizonte B. ou ainda pode ser mesotrófico quando a saturação por bases ultrapassa 50%.Krasnozem: classe de solo do sistema Australiano que corresponde ao Nitossolo Vermelho do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. termo que substitui a designação laterização. feldspato. no matiz 7. pois em locais onde os processos morfogenéticos atuam mais intensamente a gênese dos solos é inibida ou retardada como. mas a soma de bases é menor que 1. a saturação por bases (V) varia de 30-50%. Para PRADO os valores de saturação por alumínio (m) variam de 15 a 50% e ao mesmo tempo o teor de alumínio é maior ou igual a 0. baixo índice ki. No exemplo 5YR 5/3. Subir O Ordem: primeiro nível da hierarquia de classificação do solo.5 cmol kg-1 de solo e. Mineral: material inorgânico com composição química e estrutura cristalina definida. de uma certa maneira.5 cmol kg-1 de solo. nas praias e dunas. Matiz: componente da cor do solo que consta no lado superior direito da tabela Munsell e que considera a contribuição do vermelho (red) e do amarelo (yellow).5%. Mineralóide: material inorgânico com composição química definida. predominantemente. Latossolos e Neossolos Quartzarênicos. Limo: o mesmo que silte.4 cmol kg-1 de solo. mas desprovido de estrutura cristalina. ou no horizonte A dos Neossolos Litólicos). critérios segundo Camargo et al (1987) e EMBRAPA (1999). Mica: mineral de argila do tipo 2:1. Subir P Padrão de drenagem paralelo:as linhas de drenagens (riachos) são quase paralelas. Muito friável: condição muito fofa de solo úmido que esboroa-se (desfaz-se) com muito leve pressão entre o polegar e o indicador. Oxisol: ordem de solos da classificação americana (Soil Taxonomy). no matiz 10Y a cor vermelha contribui com 0% e a amarela com 100%. Mineral félsico: mineral claro geralmente pobre em ferro. ou no horizonte C se não existir horizonte B. baixos ou nulos teores de minerais primários de fácil intemperização. Corresponde a ordem dos Oxisols do sistema americano (Soil Taxonomy). Subir M Matéria orgânica: restos vegetais e animais muito decompostos. Subir L Laterita: material rico em óxidos de ferro. Óxidos: óxidos e hidróxidos de ferro. No matiz 10R a cor vermelha contribui com 100% e a amarela com 0%. ao mesmo tempo. Morfogênese: conjunto de processos que dão origem as formas do relevo e do modelado.2 a 1. Para PRADO os valores de soma de bases (SB) variam de 1. baixa CTC. Mineral máfico: mineral escuro geralmente rico em ferro. Varia de 10R a 10Y. o matiz corresponde a 5 YR. . alumínio.5% e a amarela contribui com 62.

002 a o. Relação sílica/alumina: ver ki Relação silte /argila: serve para discriminar Latossolos e Cambissolos. textura. ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVXZ Subir R Rochas ácidas: rochas ígneas com alto teor de sílica (> 65% de SiO2). Sub ordem dos Planossolos Hidromórficos na nova nomenclatura da EMBRAPA (1999). Pedogênese: denominação do conjunto de conjunto de processos que dão origem aos solos. Na prática são típicas das áreas onde ocorrem. Luvissolos. Nos solos geralmente concentra-se na fração areia. Silte: fração granulométrica maior que da argila.Inclui macropos e microporos que após a drenagem natural da água da chuva ou da irrigação são ocupados. Rochas ultrabásicas: rochas ígneas que apresentam muito baixo teor de sílica (< 45% de SiO2) . correlaciona-se com a ordem dos Mollisols do sistema americano (Soil Taxonomy).0002mm na escala Americana . ou migração química do horizonte A para o horizonte B (B espódico). Cambissolos e Neossolos Litólicos. Subir Q Quartzito: rocha resultante do metamorfismo do arenito. etc) e é básica para um se estabelecer um sistema de classificação. Argissolos. Trata-se de programas de computador que tem por objetivo gerir e analisar informações espaciais ou não-espacias (que estejam ligadas a entidades espaciais).05 a 0. Solo: volume da paisagem que suporta as plantas. característicos de regiões secas. Podzolização: processo de formação do solo com duplo sentido: migração mecânica de argila do horizonte A para o horizonte B (B textural). . estrutura. Porosidade: volume de poros do solo ou da rocha ocupados pelo ar e pela água e não por partículas sólidas. respectivamente. Subir S SIG: sigla para "Sistema de Informações Geográficas". pelo ar e pela água. visando a tomada de decisão. Permeabilidade: facilidade com que sólidos (raízes).Ordem dos Chernossolos na nova nomenclatura da Embrapa (1999). Rochas básicas: rochas ígneas que apresentam baixo teor de sílica (52-45% de SiO2). Pedon: solo em 3 dimensões suficientes para o estudo dos horizontes ou das camadas.0002mm na escala de Internacional ou de Atterberg). mas menor que da areia. Petroplintita:material endurecido irreversivelmente a partir da plintita. líquidos e gases passam no espaço poroso do solo. entre outras características. Planície fluvial: área próxima aos rios e riachos com pequena declividade. (diâmetro de 0. Quartzo: é o mineral mais abundante na Terra. Pedologia: ciência do solo que aborda sua morfologia (cor. Perfil: conjunto de horizontes e/ou camadas até o material de origem. Rochas sedimentares: rochas originadas pelo transporte pela água ou gelo e posteriormente depositadas. O Solonchak foi formado nessas condições. consistência. Planossolo: Classe de solo hidromórfico com mudança textural abrupta na classificação de Camargo et al (1987). predominantemente. No sistema americano (Soil Taxonomy) correlaciona-se com a sub ordem dos Aqualf ou Aqult. Pirita: mineral constituído de sulfeto de ferro (FeS2). Solo Intermediário: solo que possui algumas de suas características (morfológicas ou químicas ou mineralógicas) que se afastam dos dois solos típicos quanto a classificação no primeiro nível categórico (ordem). Rochas intermediárias: rochas ígneas com intermediário teor de sílica (52% a 65% de SiO2). ou 0. Rendzina: classe de solo na classificação de Camargo et al (1987).Padrão de drenagem dendrítico: as linhas de drenagens (riachos) são irregulares. Salinização: processo de formação do solo caracterizado pela alta concentração de sais.

Na anotação da cor refere-se ao numerador. potássio.Na hierarquia do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos pertence ao quarto nível categórico (sub grupo). Vertente: forma em três dimensões da paisagem ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVXZ .O valor considera a intensidade da cor. Soma de bases. e sódio na CTC do solo. SB: soma de cálcio. Latossolo Vermelho-Amarelo argissólico. desde que mantenham-se as características morfológicas de Latossolo. No segundo exemplo o gradiente textural ligeiramente maior do que o permitido para Latossolo permite adjetivar de argissólico. variando de 0 (preto absoluto) a 10 (branco absoluto). Subir T Textura: proporções de argila. silte e areia. Exemplo Nitossolo Vermelho eutrófico latossólico. Trado: equipamento utilizado para coleta de amostras de solo. O Planossolo Sódico na nova nomenclatura da EMBRAPA (anteriormente Solonetz Solodizado) foi formado nessas condições. ou seja a cor preta contribui com 60% e a cor branca contribui com 40%. o menor desenvolvimento de estrutura e a menor friabilidade do B horizonte que ocorre logo abaixo de um horizonte B nítico típico permite adjetivá-lo de latossólico. Exemplo: Nitossolo Vermelho eutrófico típico. o valor corresponde ao número 4. químicas e mineralógicas que atendem tipicamente as exigências dos critérios de classificação no primeiro nível categórico (ordem). No primeiro exemplo a menor nitidez de cerosidade. Solo típico: solo com características morfológicas. Terraço fluvial: planície que margeia os rios e riachos. Na hierarquia do Sistema Brasileiro de classificação de Solos corresponde ao quarto nível categórico (sub grupo). Subir V Valor: componente da cor do solo que considera a contribuição de preto e branco. Sólum: conjunto dos horizontes A e B do solo. Latossolo Vermelho-Amarelo típico. Solonização: lavagem do excesso de sais provocando a dispersão da argila. magnésio. É indicado na tabela de cor Munsell no sentido vertical. No exemplo 5 YR 4/3.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful