Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

ESCOLA DE SERVIÇO SOCIAL


DEPARTAMENTO DE FUNDAMENTOS DO SERVIÇO SOCIAL

PARECER DE PROJETO DE PESQUISA

O projeto de pesquisa intitulado “A lógica gerencialista e suas implicações para


o trabalho do assistente social em espaços sócio ocupacionais novos e reestruturados”
apresenta um aprofundamento das pesquisas desenvolvidas pela professora Dra.
Janete Luzia entre os anos de 2018 e 2020, aponta para o intenso processo de
reestruturação produtiva emergente, que com a crise de 1970 tem lançado novos
contornos sobre o trabalho.
Ao observar o acirramento de sua precarização como forma de ampliação da
taxa de lucro num período de dificuldade de retomada da taxa de crescimento,
percebemos que esse processo não está circunscrito apenas à esfera produtiva do
capital, Ele exige, sobretudo, uma profunda reconfiguração do Estado, que se
manifesta, por um lado, num intenso processo de expropriação de direitos. Este
processo incide sobre as condições objetivas de reprodução social dos trabalhadores.
Por outro, ele operacionaliza uma contrarreforma permanente do Estado, tendo como
um dos pilares centrais o gerencialismo, inspirado em Bresser Pereira e
metamorfoseado nos princípios de governança corporativa. Esse processo vem
reconfigurando as políticas socais e a gestão da força de trabalho, além de alterar
objetivamente os espaços ocupacionais na esfera pública. Esses elementos situam a
relevância da pesquisa para o campo da sociologia do trabalho de inspiração marxista
e apresenta uma efetiva contribuição para o aprofundamento do debate em torno da
precarização do trabalho no interior do Estado.

O objeto da pesquisa não está desconectado do panorama até aqui traçado, e


desta forma prefigura como elemento central o impacto das contrarreformas para o
trabalho do assistente social. Este profissional, inserido em espaços reestruturados e
submersos a lógica gerencialista, tem a sua construção realizada na inter-relação entre
os fundamentos da vida social, da formação social brasileira e do trabalho profissional,
estando também necessariamente em sintonia com os núcleos de fundamentação da
formação profissional (ABEPSS, 1996). A hipótese parte da compreensão que essa
conjuntura adversa retroalimenta as práticas mais conservadoras presentes em nossa
profissão, que amparadas pelo pensamento pós-moderno, fomentam a subjetivição e a
passivização do trabalhador.

A relevância da proposta para o Serviço Social reside no fato do Estado ser o


maior empregador de assistentes sociais (Iamamoto...), portanto, essa profissão está
submersa às reconfigurações gerencialistas - amparadas pelo pensamento pós-moderno -
que aviltam a possibilidade de orientação do trabalho a partir dos princípios e valores
presentes no projeto profissional crítico. Os elementos aqui trabalhados permitem
concluir que a presente pesquisa possui relevância para além do Serviço Social,
alinhando-se aos fundamentos desta profissão. Trata-se, portanto, de um trabalho
afinado com a área de “fundamentos da ação profissional”, cujos resultados são de
interesse coletivo. Assim, emito parecer favorável a presente proposta.

Rio de Janeiro, 30 de junho de 2020

_____________________________________________________
Prof. Dr. Gênesis de Oliveira Pereira – SIAPE 1416754

Você também pode gostar