Você está na página 1de 2

Aluna: Iohani Primo

Turno: Matutino
Prof°: Ana Luiza
Matéria: História da Psicologia

O Funcionalismo em seus primórdios: A psicologia


a serviço da adaptação

A psicologia, como qualquer ciência, evoluiu ao longo dos anos e formou, dividiu e
criou gêneros e subgêneros. No início do século XIX fomos apresentados à psicologia
estruturalista, fundada por Wundt (1832-1920) e consolidada por Titchener (1867-
1927), que por sua vez teve uma série de discípulos norte-americanos que vieram criar o
que chamamos de funcionalismo. Completamente assistemática e inconsistente com os
conceitos criados pela psicologia estruturalista, a psicologia fundamentalista é muito
prática e seu principal objetivo é compreender os hábitos humanos e a adaptação dos
indivíduos em ambientes sociais.
Devido ao dramático aumento da população das grandes cidades, as demandas sociais e
políticas exigem total controle e compreensão das capacidades do indivíduo, incluindo
os processos psicológicos utilizados para se adaptar à sociedade a que pertence. A
psicologia passa a ter um papel ativo na classificação, adequação e seleção de
indivíduos que podem pertencer a um setor social, seja na indústria, no mercado ou nas
escolas, contribuindo para a construção de uma sociedade lógica e concisa.
Amplamente difundida no meio acadêmico, a psicologia é hoje parte essencial da
compreensão da sociedade, avaliando de forma cada vez mais profunda o mundo
moderno em expansão de meados do século XIX e início do século XX, a psicologia
funcional conduzia hábitos muito sociais e suas convenções.
Somos então apresentados a Sir William James (1842-1910), o primeiro Ph.D. da
América em Psicologia em 1878, que nos traz suas definições de "eu" e "eu", a
participação ativa do indivíduo O mundo e usa tais uma lente para medir a distância e as
possibilidades do mundo para avaliar a possibilidade de ação e escolher a ação que
melhor se adapta ao contexto social. James afirmou que o pensamento não se limita a
pequenas partes, não é dividido, é contínuo, é amplo e único, um fluxo perpétuo de
pensamento, interconectado e transformado em um todo. James também estuda os
hábitos e seus principais problemas. Hábitos, para ele, consistem em todas aquelas
ações que se tornam comuns à nossa consciência, e que não requerem pensamento ou
atenção individual, uma qualidade adquirida que permite a qualquer pessoa realizar o
Comum enquanto aplica sua consciência a outras atividades, terreno comum, ou o
caminho que certas correntes tendem a seguir em determinadas circunstâncias.
Por fim vi que o funcionalismo tinha a ideia central de que grande parte do
comportamento, tanto animal como a humana, estava governada pelo instinto. E por
isso foi proposta a teoria da emoção de James-Lange, uma das principais teorias da
emoção, a qual alterava a tradicional afirmação de que a emoção era o resultado da
percepção.

Palavras Chaves: ciência, estruturalista, hábitos humanos, adaptação, pensamento,


atenção individual, instinto

Referncias: Capítulo 7 O funcionalismo em seus primórdios: a psicologia a serviço

da adaptação, Arthur Arruda Leal Ferreira Guilherme Gutman

Funcionalismo - Sociologia - InfoEscola

Você também pode gostar