Você está na página 1de 9

PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL

AULA 1

Profª Cleci Elisa Albiero


CONVERSA INICIAL

Nesta aula, vamos nos aproximar dos primeiros passos da pesquisa.


Nosso principal objetivo será a compreensão e o entendimento critico da
pesquisa, que se define como um dos principais elementos para a formação
acadêmica no curso de Serviço Social, aproximando-nos da realidade e do
trabalho profissional do assistente social.
Essa busca nos ajudará na definição do objeto de pesquisa e
principalmente no objeto de trabalho do assistente social. Para início de
conversa, vamos começar definindo o que é conhecimento e a ciência e
apresentando as principais diferenças entre ciência e senso comum. Vamos
definir também o que é conhecimento científico para então chegarmos à
discussão sobre pesquisa.

TEMA 1 – O QUE É CONHECIMENTO?

Podemos começar nossa aula nos perguntando: o que é o conhecimento


e como ele acontece?
Segundo o Dicionário Aurélio, conhecer significa: “ter noção ou
conhecimento de; saber. Ser muito versado em; saber bem. Ter relações ou
convivência com. Ter experimentado (algo). Ter estado em (certo lugar). Ser
consciente de si mesmo, dos seus valores e limitações.” (Ferreira, 2001, p.
176). E, conhecimento, segundo o mesmo dicionário, significa “ato ou efeito de
conhecer; informação ou noção adquiridas pelo estudo ou pela experiência;
consciência de si mesmo” (Ferreira, 2001, p. 176).
O ser humano, na historia da humanidade, sempre procurou desvendar
os mistérios do universo, a natureza, as pessoas ou até mesmo os mistérios do
mundo que os rodeia.
Uma das primeiras fontes de conhecimento é a observação. Por meio
dela e de outros sentidos que a formam, o ser humano adquire grande
quantidade de conhecimento, amplia e interpreta informações relacionadas ao
mundo externo, vê e define conceitos e estratégias e toma decisões.
Podemos adquirir conhecimento por meio dos poemas, romances,
filmes, poesias, viagens, além dos mitos e crenças que vamos construindo no
decorrer de nossa história de vida e principalmente nas crenças religiosas.
Para Gil (2011, p. 1), “as crenças religiosas constituem fontes privilegiadas de

2
conhecimento que se sobrepõe a qualquer outra, pois são crenças e
conhecimentos construídos ao longo dos anos e até séculos.
Outra forma de conhecimento é derivada da educação e de
ensinamentos transmitidos pelos nossos pais, professores, governantes,
lideres políticos e escritores. À medida que essas informações começam a ser
absorvidas e recebem créditos da população, esses conhecimentos passam a
se aceitos como verdades.
Porém todas essas formas de conhecimento não satisfazem o sentido
da criticidade e da comprovação científica. Com base nesse contexto, segundo
Gil (2011, p. 2), desenvolve-se a ciência, “um dos mais importantes
componentes intelectuais do mundo contemporânea”.
Saiba mais
Para saber mais sobre os tipos de conhecimento, acesse o link a seguir
e assista ao vídeo O que é conhecimento? Disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=wekwPIP4oRo>.

TEMA 2 – A CIÊNCIA E A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

A natureza da ciência está em entender seu significado.


Etimologicamente, ciência significa conhecimento. Porém há conhecimentos
que não pertencem à ciência, como já visto no item anterior, como o
conhecimento vulgar, religioso, e, em certa condição, o conhecimento filosófico.
Nesse contexto, os seguintes questionamentos são importantes: o que é
ciência? Qual é o objetivo do conhecimento científico?
Podemos responder a esses questionamentos lembrando que é com
base na ciência, na pesquisa e na curiosidade que se aprendem, se descobrem
e se conhecem novas formas de produzir e sistematizar o conhecimento.
A ciência, tal como ela é conhecida hoje, pode-se dizer que é
relativamente nova. Foi somente na Idade Moderna que ela adquiriu o caráter
científico que tem se configurado na contemporaneidade. Porém, desde os
primórdios da humanidade já se encontravam os primeiros traços rudimentares
de conhecimentos e técnicas que constituiriam a ciência do futuro.
A revolução da ciência passou por várias etapas e chegou ao século
XXI, com avanços em muitos paradigmas e no conhecimento, principalmente
em relação aos genomas, transgênicos e também na área da informática e
tecnologia, mas em outros ainda precisando avançar um pouco mais, por
3
exemplo, em relação às questões ambientais, à vida no planeta Terra e ao
esgotamento dos recursos naturais (Cervo; Bervian; Silva, 2007).
Segundo Ferrari (1974), “ciência é todo um conjunto de atitudes e de
atividades racionais, dirigida ao sistema do conhecimento com objetivo
limitado, capaz de ser submetido à verificação”
Já Lakatos e Marconi (2007, p. 80) acrescentam que, além der ser “uma
sistematização de conhecimentos”, ciência é “um conjunto de proposições
logicamente correlacionadas sobre o comportamento de certos fenômenos que
se deseja estudar.”.
Uma das principais tarefas da ciência é melhorar as condições de vida
das pessoas e a descoberta de novos fatos e fenômenos que muitas vezes
nascem da curiosidade, do senso comum e se transformam pelo conhecimento
científico.
Assim, a ciência pode ser caracterizada como uma forma de
conhecimento racional, objetiva, sistemática, verificável e falível. O
conhecimento científico é considerado objetivo e racional, pois descreve a
realidade, independente dos desejos do pesquisador. Também é verificável,
pois sempre existe a possibilidade de demonstrar a veracidade das
informações e é considerado falível, pois reconhece sua própria capacidade de
erra (Gil, 2011).

TEMA 3 – O CONHECIMENTO CIENTÍFICO

O método científico ou o conhecimento científico é o conjunto de


processos ou operações mentais que devemos empregar na investigação. É a
linha de raciocínio adotada no processo de pesquisa e vai além do empírico, do
imediato do que está posto na realidade.
Hoje, o conhecimento científico pretende aproximar-se cada vez mais da
verdade por meio do método que auxilia no controle, sistematização, revisão e
segurança, afastando outras formas de saber não científicas. É importante
entender que a ciência é um processo em construção e está sempre em
evolução.
Na construção do conhecimento científico, podem-se distinguir três
grandes etapas. Segundo Richardson (2010), estas estão assim
caracterizadas:

4
a. fase dos reflexos primordiais;
b. fase do saber;
c. a fase da ciência.

Em todas essas etapas, segundo o autor, o conhecimento é o mesmo: “a


capacidade que o ser vivo possui para representar o mundo que o rodeia e
reagir a ele” (Richardson, 2010, p. 20).
Das três etapas, a que mais se destaca é a fase três, em que o
conhecimento se caracteriza pelos questionamentos, pelas explicações e pelas
problematizações dos fenômenos em estudo. É o que Vieira Pinto (1985 citado
por Richardson, 2010) define como saber metódico. Pode-se dizer também que
é a etapa da ciência “organizada, da realidade, para descobrir a essência dos
seres e dos fenômenos e as leis que os regem com o fim de aproveitar as
propriedades das coisas e dos processos naturais em beneficio do homem”
(Richardson, 2010, p. 21)
Nesse contexto, é a única etapa que possibilita a transformação da
natureza e amplia o conhecimento humano como ciência.

TEMA 4 – O MÉTODO CIENTÍFICO

Ao estudarmos o conceito de conhecimento e de ciência, amplia-se a


discussão para o conceito de método científico.
Recorremos aos autores Lakatos e Marconi (2007) para definir método
científico. Segundo esses autores, método é um procedimento ou um caminho
para alcançar um determinado fim. Dessa forma, podemos dizer que o método
científico é um conjunto de procedimentos adotados com o propósito de atingir
o conhecimento.
O método também pode ser definido como “o caminho pelo qual se
chega a determinado resultado”. (Hegenberg, 1976, p. 115, citado por
Richardson, 2010, p. 21).
Para Ferrari (1976, p. 24), método pode ser

a forma de proceder ao longo do caminho um caminho. Na ciência os


métodos constituem os instrumentos básicos que ordenam de início o
pensamento em sistemas, traçam de modo ordenado a forma de
proceder do cientista ao longo de um percurso para alcançar um
objetivo. (1974, p. 24)

5
A palavra método, provém do grego méthodos (meta= além de, após de
+ ódos = caminho). Partindo das definições e da origem da palavra, podemos
dizer então que método é o caminho ou a maneira de chegar a determinado fim
ou objetivo, distinguindo-se do conceito de metodologia.
Assim, podemos entender que metodologia são os procedimentos e
regras por determinado método. O método científico é o caminho para se
chegar a um objetivo, já a metodologia são as regras estabelecidas para o
método científico. A metodologia, segundo Demo (1987), pode ser entendida
também como uma preocupação instrumental que cuida dos procedimentos,
das ferramentas, dos caminhos para se chegar aos objetivos da ciência.
A ideia de método é antiga e advém dos antigos gregos Demócrito e
Platão, que empreenderam tentativas para síntese de métodos e
conhecimentos. Aristóteles formulou o método indutivo, que permite conferir as
características de um fenômeno. Porém um dos trabalhos mais importantes
para a ciência moderna foi o de Galileu Galilei (1564-1642), que, insistindo na
necessidade de elaborar hipóteses e submetê-las a provas experimentais, dá
os primeiros passos para o método científico moderno e para a tão discutida
ciência moderna (Richardson, 2010).
Saiba mais
Acesse o link a seguir e aprofunde um pouco mais seus conhecimentos
sobre o método científico. Disponível em:
<https://livrepensamento.com/2016/05/10/o-que-e-metodo-cientifico/>.

TEMA 5 – ELEMENTOS DO MÉTODO CIENTÍFICO

O método científico é o conjunto de procedimentos, específicos de cada


área da ciência que todo pesquisador deve empreender para que o
conhecimento produzido seja passível de verificação por instrumentos
confiáveis e, consequentemente, considerado válido ou refutado.
Os elementos do método científico fazem parte das atividades cotidianas
dos sujeitos. Desde as menores ações ou atividades desenvolvidas,
empregam-se elementos do método científico. Para a formação acadêmica em
serviço social, esses elementos são importantes, pois funcionam como uma
forma de aproximação para a construção do projeto de pesquisa e para a
própria pesquisa em si.

6
Assim, cada momento cria novas expectativas e novos planejamentos, e
o processo não pode parar. O resultado mede-se pela aplicação das melhores
estratégias e modelos que permitam alcançar plenamente os objetivos
traçados.
Dessa forma, ao pensar os elementos da pesquisa, nas diversas áreas
do conhecimento, percebemos existir uma estrutura comum a todas elas, a
qual, segundo Pease e Bull (1996, citados por Richardson, 2010), integra cinco
elementos essenciais para se pensar a pesquisa, que são: metas, modelo,
dados, avaliação e revisão.
Vamos estudar um pouco cada um desses elementos:
Meta: o objetivo do estudo. O ponto de partida de qualquer pesquisa é a
meta ou objetivo ou, como veremos em outro momento, o objeto dessa
pesquisa.
Modelo: qualquer abstração do que está sendo trabalhado ou estudado.
Dados: as observações realizadas para representar a natureza do
fenômeno. Essa informação pode ser materializada pela coleta dos dados ou
dados já disponíveis a serem analisados.
Avaliação: processo de decisão sobre a validade do modelo. Nesse
ponto, comparam-se os dados e o modelo e analisa-se se tem sentido o que foi
proposto.
Revisão: mudança necessária no modelo. Se o modelo não dá conta
dos dados, procede-se a uma revisão, modificação ou substituição.
(Richardson, 2010, p. 23)
É importante entender que o método científico é um processo dinâmico
de avaliação e revisão do processo da pesquisa.

NA PRÁTICA

A pesquisa faz parte da nossa vida diariamente! Todos os dias estamos


pesquisando, desde as coisas mais simples do nosso dia a dia, como horários
de atividades, preço de algo que desejamos comprar, como vai estar o tempo
no dia, se vai fazer frio ou calor na semana, porém também temos pesquisas
mais complexas relacionadas ao nosso trabalho, algum estudo que estamos
pensando em realizar ou aprofundar para ampliar o leque de conhecimentos já
existente ou produzir novos conhecimentos.

7
Na vida profissional, como assistentes sociais, a primeira pesquisa a ser
realizada quando iniciamos um novo trabalho ou um novo projeto é procurar
conhecer a instituição na qual iremos atuar ou os dados para construir uma
nova proposta de trabalho. Nessa hora, a pesquisa é fundamental. Precisamos
pesquisar também quem são os sujeitos que se utilizarão do nosso trabalho?
As correlações de força institucional? Quais são as expressões da questão
social que se apresentam naquele espaço no qual iremos atuar? Todas essas
questões ou tantas outras que você deve estar se fazendo aí no seu momento
de estudo demandam pesquisa: tanto pesquisa teórica quanto pesquisa da
realidade na qual você ira intervir como profissional.
Assim, pode-se entender que a pesquisa faz parte da nossa vida diária,
bem como da nossa vida profissional cotidianamente.

FINALIZANDO

Nesta aula estudamos as primeiras aproximações dos elementos da


pesquisa científica, conhecimento, como se constrói o conhecimento e
conhecimento científico, a diferença entre senso comum e conhecimento
científico e também nos aproximamos do que é método e método científico. É
muito importante entender os elementos essenciais e primários para se pensar
a pesquisa científica e a produção do conhecimento.

8
REFERÊNCIAS

ALVES, R. Filosofia da ciência: introdução ao jogo e suas regras. 10. ed. São
Paulo: Edições Loyola, 2005.

BOURGUIGNON, J. A. A particularidade histórica da pesquisa no serviço


social. São Paulo: Veras, 2008.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A.; SILVA, R. Metodologia científica. 6. ed. São


Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

DEMO, P. Introdução à metodologia da ciência. 2. ed. São Paulo: Atlas,


1987.

FERRARI, A. T. Metodologia da ciência. 2. ed. Rio de Janeiro: Kennedy,


1974.

FERREIRA, A. B. H. Novo Aurélio século XXI. Curitiba: Nova Fronteira, 2001.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed., 4. reimpr. São


Paulo: Atlas, 2011.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho científico. 7. ed.


São Paulo: Atlas, 2007.

MÉTODO científico. Ufscar, [s.d.]. Disponível em:


<http://www.ufscar.br/jcfogo/Estat_1/arquivos/Metodologia_Cientifica.pdf>.
Acesso em: 15 jun. 2018.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22.


ed. Petrópolis/RJ: Vozes, 2003.

O QUE é método científico? Livre Pensamento, 10 maio 2016. Disponível em:


<https://livrepensamento.com/2016/05/10/o-que-e-metodo-cientifico/>. Acesso
em: 15 jun. 2018.

RICHARDSON, R. J. (Org). Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed., 11.


reimpr. São Paulo: Atlas, 2010.

TRIVINOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: pesquisa


qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2008.

Você também pode gostar