Você está na página 1de 8

1

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
Argamassas de
cimento
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
ARGAMASSA
Pedra artificial obtida por mistura de ligante com areia e água
A reacção do ligante com a água produz a sua hidratação formando-se uma
pasta que aglomera os grãos de areia e endurece obtendo-se uma massa
homogénea →argamassa
APLICAÇÕES
Argamassas para alvenarias
Argamassas de assentamento (pedras ou tijolos)
Argamassa de revestimento (rebocos, regularização)
Argamassas de impermeabilização (reservatório)
Pré-fabricação não-pesada: tubos, vigotas
Blocos de argamassa
argamassas
2
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
PROPRIEDADES QUE SE EXIGEM A UMA ARGAMASSA:
Resistência mecânica (R. compressão, R. desgaste)
Impermeabilidade
Aderência
Constância de volume (durante a presa e endurecimento)
Resistência química (aos meios agressivos)
(Estas propriedades são as gerais. Em função da aplicação há que realçar algumas delas
>R desgaste
>R choque
>impermeabilidade
>R química (pois > compacidade)
Mas menor aderência
Q
t
o

m
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
m
p
r
e
s
s
ã
o
argamassas
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
V
s
V
v
Baridade
massa
volume do
recipiente
=
M
V
a
=
Massa
volúmica
massa
volume sólido
=
M
V
s
=
Valores usuais:
mv
cimento
= 3100kg/m
3
mv
agregado
= 2650kg/m
3
Baridade
cimento
~ 1150kg/m
3
Baridade
brita
~ 1300kg/m
3
baridade
areia
~ 1500kg/m
3
M kg
argamassas
3
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
Argamassas
Proporções antes de misturar
cimento: areia: água
Traço em peso 1 : 3,91 : 0,43
Traço em volume 1 : 3 : 0,5
Por ex:
1 kg cimento
3,91 kg areia
0,43 lt água
Por ex:
1 balde de cimento
3 baldes de areia
meio balde de água
M = 3,91 C
A = 0,43 C
Volume aparente
argamassas
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
1150
1150
1150
500
1150
1500 3×
Converter traço em volume para traço em peso
Traço em volume 1 : 3 : 0,5
1 m
3
aparente de
cimento pesa
1150 kg
Valores usuais:
mv
cimento
= 3100kg/m
3
mv
agregado
= 2650kg/m
3
Baridade
cimento
~ 1150kg/m
3
Baridade
brita
~ 1300kg/m
3
baridade
areia
~ 1500kg/m
3
3m
3
aparente de
areia pesam
3×1500 kg
0,5m
3
de água
pesa 500 kg
1 : 3,91 : 0,43
argamassas
1150 : 3× 1500 : 500
4
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
Equação fundamental
m’ > m
c’ > c
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
Equação fundamental
m m
3
c m
3
a m
3
Vv
Em volume, depois de
produzida a argamassa
c + m + a + Vv = 1
Letras maiúsculas C, M, A→massas
Letras minúsculas c, m, a→volumes
E com massa?
C= c × 3100 kg/m
3
→ c=C/3100 m
3
M=m × 2650 kg/m
3
→ m=M/2650 m
3
A= a × 1000 kg/m
3
→ a=A/1000 m
3
5
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
cimento
Vv
água
areia
Equação fundamental
Em volume, depois de produzida a
argamassa
c + m + a + Vv = 1
3
1
1000 2650 3100
m Vv
A M C
= + + +
com m.v.
cimento
=3100kg/m
3
m.v.
agregado
=2650kg/m
3
Letras maiúsculas C, M, A→massas
Letras minúsculas c, m, a→volumes
Mkg m m
3
Ckg c m
3
Vv
A a m
3
argamassas
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
COMPOSIÇÃO (sempre relativo a 1 m
3
)
C kg de cimento
M kg de areia
A lt de água
Se por ex. traço em peso 1 : 3,91 : 0,43
Então:
M = 3,91 C
A = 0,43 C
3
1 030 , 0
1000
43 , 0
2650
91 , 3
3100
m
C C C
= + + +
Estimando o volume de vazios (por.ex 30 lt/m
3
) e usando a
equação fundamental, determina-se a composição
então
COMPOSIÇÃO
(sempre relativo a 1 m
3
)
C = 435 kg de cimento
M = 1702 kg de areia
A = 187 lt de água
Vv= 30lt/m
3
argamassas
6
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
R K
c
m
volumes
t t
=

|
\

|
¹
|
1
2
( )
Resistência mecânica
1. FERET
c →volume unitário de cimento
m →volume unitário de areia
1 →volume unitário de argamassa
R
t
→resistência ao fim de tempo t
Quanto < A/C ⇒> R
t
K
t
→factor de proporcionalidade que depende de:
•tempo de ensaio
•tipos de ligante e areia
•forma e dimensões do provete
•condições do ensaio
Mkg m m
3
Ckg c m
3
Vv
A lt a m
3
argamassas
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
C
A
m kg
C
m kg
A
c
a
c
a c
c
m
m
c
1 , 3 1
1
/ 3100
/ 1000
1
1
1
1 1
1
1
1
3
3
+
=
+
=
+
=
+
=

=

Vv a c m Vv a m c + + = − ⇒ = + + + 1 1
Se Vv~0 então a c m + = − 1

C
Vv
C
A
m kg
C
Vv
m kg
C
m kg
A
c
Vv
c
a
c
Vv a c
c
m
m
c
3100 1 , 3 1
1
/ 3100 / 3100
/ 1000
1
1
1
1 1
1
1
1
3 3
3
+ +
=
+ +
=
+ +
=
+ +
=

=

1. FERET R K
c
m
volumes
t t
=

|
\

|
¹
|
1
2
( )
Portanto: R
t
da argamassa para cada tipo de cimento, será
tanto maior quanto menores forem A/C e Vv/C
argamassas
7
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
Resistência mecânica
2. BOLOMEY
K
t
A
C
mv
K R
′ ′

×
|
|
¹
|

\
|
′ =
2
arg
35 , 2
→massa volúmica da argamassa (t/m
3
)
K’ →constante que depende do tempo de ensaio, forma e dimensões dos
provetes, condições de ensaio etc.
K’’→ (1,2 a 2,0) depende do ligante; K’’~1,5 (cimento Portland)
arg
mv
•CASO USUAL
(cimento Portland) e então:
3
arg
/ 35 , 2 m t = γ R K
C
A
t
= ′
|
\

|
¹
|
1,5
Grande vantagem das expressões empíricas de FERET e BOLOMEY:
Com dados materiais (cimento; areia) e para cada idade, basta
determinar R
t
uma única vez em laboratório para se poder
prever a resistência para traços diferentes (determinando a constante)
argamassas
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
Água de Amassadura FÓRMULA RIGOROSA DE BOLOMEY (argamassa e betão)
pi →percentagem de agregado com diâmetro d
i
< d < d
i+1
d
i
; d
i+1
→ peneiros
N →constante que depende da forma do agregado (rolado
ou britado) e da consistência da argamassa ou betão
mm
i
i i
i
p M a
d d
p
NM C A
2 , 0
3
1
35 , 0
23 , 0
23 , 0
<
+ |
|
|
¹
|

\
|
+
×
+ =

Água para
hidratar o
cimento
Água para molhar os
agregados >0,2mm
Água para molhar
os agregados
muito finos
M p a
p p
NM C A
F
G M
⋅ ⋅
|
|
|
¹
|

\
|
+
|
|
¹
|

\
|
×
+
×
+ =
35 , 0
23 , 0
4 2 2 5 , 0
23 , 0
3 3
Se a areia se encontra definida em F, M e G:
Conhecendo a curva granulométrica da areia:
M
G F
p
M
p
G
p
F
argamassas
8
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2
Joana de Sousa Coutinho
Rendimento de uma argamassa
Volume da argamassa obtida
Volume aparente da areia usada
+ +
+ +
+ +
rendimento > 1
rendimento = 1
rendimento < 1
argamassas

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas PROPRIEDADES QUE SE EXIGEM A UMA ARGAMASSA: Resistência mecânica (R. compressão. R. Em função da aplicação há que realçar algumas delas Qto maior resistência à compressão >R desgaste >R choque >impermeabilidade >R química (pois > compacidade) Mas menor aderência MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas Vv Vs M kg Massa = massa = volume sólido volúmica M Vs M Va Valores usuais: mvcimento = 3100kg/m3 mvagregado= 2650kg/m3 Baridadecimento~ 1150kg/m3 Baridadebrita ~ 1300kg/m3 baridadeareia ~ 1500kg/m3 Baridade = massa volume do recipiente = 2 . desgaste) Impermeabilidade Aderência Constância de volume (durante a presa e endurecimento) Resistência química (aos meios agressivos) (Estas propriedades são as gerais.

43 3.5 Volume aparente meio balde de água MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas Converter traço em volume para traço em peso Traço em volume 1 : 3 : 0.91 3 .MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas Argamassas Proporções antes de misturar cimento: areia: água Traço em peso 1 : 3.91 kg areia 0.5m3 de água pesa 500 kg mvagregado= 2650kg/m3 Baridadecimento~ 1150kg/m3 Baridadebrita ~ 1300kg/m3 baridadeareia ~ 1500kg/m3 1150 : 3× 1500 : 500 1150 1150 1 : 3× 1500 1150 500 1150 : 0.91 : 0.43 M = 3.91 C Por ex: A = 0.5 Valores usuais: mvcimento = 3100kg/m3 1 m3 aparente de cimento pesa 1150 kg 3m3 aparente de areia pesam 3×1500 kg 0.43 lt água Por ex: 1 balde de cimento 3 baldes de areia Traço em volume 1 : 3 : 0.43 C 1 kg cimento 3.

M. depois de produzida a argamassa c + m + a + Vv = 1 Letras maiúsculas C.MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho Equação fundamental m’ > m c’ > c MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho Equação fundamental Vv a m3 c m3 m m3 Em volume. a→volumes E com massa? C= c × 3100 kg/m3 → c=C/3100 m3 M=m × 2650 kg/m3 → m=M/2650 m3 A= a × 1000 kg/m3 → a=A/1000 m3 4 . A→massas Letras minúsculas c. m.

A→massas Letras minúsculas c.030 = 1m3 3100 2650 1000 então (sempre relativo a 1 m3) C = 435 kg de cimento M = 1702 kg de areia A = 187 lt de água Vv= 30lt/m3 5 .43C + + + 0.91 C A = 0. determina-se a composição COMPOSIÇÃO C 3. M.43 Então: M = 3.43 C Estimando o volume de vazios (por.v. m.ex 30 lt/m3) e usando a equação fundamental. depois de produzida a argamassa a m3 c m3 m m3 c + m + a + Vv = 1 C M A + + + Vv = 1m 3 3100 2650 1000 cimento Vv água areia com m. a→volumes Equação fundamental Vv A Ckg Mkg Em volume.agregado=2650kg/m3 MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas COMPOSIÇÃO (sempre relativo a 1 m3) C kg de cimento M kg de areia A lt de água Se por ex.91 : 0.cimento=3100kg/m3 m.91C 0.v. traço em peso 1 : 3.MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas Letras maiúsculas C.

FERET  c  R t = Kt    1 − m 2 ( volumes) c → volume unitário de cimento m → volume unitário de areia 1 → volume unitário de argamassa Rt→ resistência ao fim de tempo t Quanto < A/C ⇒ > Rt Kt→ factor de proporcionalidade que depende de: •tempo de ensaio •tipos de ligante e areia •forma e dimensões do provete •condições do ensaio MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas 1.MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas Vv A lt a m3 Ckg c m3 Mkg m m3 Resistência mecânica 1.1 A C 6 .1 + 3100 Vv 1000kg / m 3 C C 1+ + C C 3100kg / m 3 3100kg / m 3 Portanto: Rt da argamassa para cada tipo de cimento. FERET  c  Rt = Kt    1 − m 2 ( volumes) c + m + a + Vv = 1 ⇒ 1 − m = c + a + Vv c 1 1 1 = = = = 1 − m c + a + Vv a Vv 1− m 1+ + c c c c 1 1 = A Vv A 1 + 3. será tanto maior quanto menores forem A/C e Vv/C Se Vv~0 então 1 − m = c + a c 1 1 1 = = = = 1− m 1− m c + a 1+ a c c c 1 A 1000kg / m 3 1+ C 3100kg / m 3 = 1 1 + 3.

35  Água para molhar os agregados muito finos Água para molhar os agregados >0.0) depende do ligante.MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas Resistência mecânica 2.23C + NM  + 3 G  +  a  ⋅ pF ⋅ M  3 0.35    F pG 7 . 23    pi +  a  M p < 0 . K’’→ (1. condições de ensaio etc. K’’~1. M e G: pF pM G  0. 2 mm d i × d i +1    0 . areia) e para cada idade.35t / m3 (cimento Portland) e então:  C R t = K ′   A 1. basta determinar Rt uma única vez em laboratório para se poder prever a resistência para traços diferentes (determinando a constante) MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas Água de Amassadura FÓRMULA RIGOROSA DE BOLOMEY (argamassa e betão) Conhecendo a curva granulométrica da areia: A = 0.5 K’ → constante que depende do tempo de ensaio.35  A    K ′′ •CASO USUAL γ arg = 2. BOLOMEY  mvarg  2 C   ×  Rt = K ′    2.2mm pi → percentagem de agregado com diâmetro di < d < di+1 di . di+1→ peneiros N constante que depende da forma do agregado (rolado ou britado) e da consistência da argamassa ou betão M → Se a areia se encontra definida em F.23    pM p   A = 0. forma e dimensões dos provetes. 23 C + NM Água para hidratar o cimento ∑ i 3  0 .5 (cimento Portland) Grande vantagem das expressões empíricas de FERET e BOLOMEY: mvarg→ massa volúmica da argamassa (t/m3) Com dados materiais (cimento.2 a 2.5 × 2 2× 4     0.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO 2 Joana de Sousa Coutinho argamassas Rendimento de uma argamassa Volume da argamassa obtida Volume aparente da areia usada + + rendimento > 1 + + rendimento = 1 + + rendimento < 1 8 .