Você está na página 1de 9

Acórdão 804/RFA

Análise de Decisão

Grupo Eni Helena Borges– 15 Jaqueline Nascimento– 33 Marcia Wakao– 51 PaulaMaria de Castilho - 55

DA Doutrina.RTJ 160/433-434 .EXAME DA PROVA PENAL PRODUZIDA PERANTE O ESTADO ESTRANGEIRO .: Governo da Alemanha EXTDO. COMPATIBILIDADE ENUNCIADO CONSTANTE SÚMULA 421/STF COM O TEXTO DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988. NO BRASIL.A existência de filhos brasileiros e/ou a comprovação de vínculo conjugal ou de convivência more uxorio do extraditando com pessoa de nacionalidade .RECEPÇÃO PELA VIGENTE CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA EXISTÊNCIA. fundado em norma legal (Estatuto do Estrangeiro.SITUAÇÃO QUE IMPEDE A IMEDIATA EFETIVAÇÃO DA ORDEM EXTRADICIONAL.INADMISSIBILIDADE.IMPOSSIBILIDADE SÚMULA 421/STF . O modelo extradicional vigente no Brasil que consagra o sistema de contenciosidade limitada. 85. 89 DO ESTATUTO DO ESTRANGEIRO . EXCETO SE EXERCIDA. 804 / RFA – República Federal da Alemanha Extradição Relator (a): Min. no âmbito da ação de extradição passiva promovida perante o Supremo Tribunal Federal. PROCESSO EXTRADICIONAL . nem que se efetive o reexame do quadro probatório ou a discussão sobre o mérito da acusação ou da condenação emanadas de órgão competente DO do Estado estrangeiro.EXTRADIÇÃO DEFERIDA. § 1º) reputada compatível com o texto da Constituição da República (RTJ 105/4-5 .não autoriza que se renove. DE PROCEDIMENTO PENAL INSTAURADO CONTRA O EXTRADITANDO . Celso de Mello Julgamento: 21/08/2002 Publicação DJ 06-09-2002 Partes REQTE. Precedentes. o litígio penal que lhe deu origem. Órgão Julgador: Tribunal Pleno Ementa E M E N T A: EXTRADIÇÃO PASSIVA . .: Klaus Geertmann ou Klaus Geertman ADVDOS. A PRERROGATIVA QUE LHE CONFERE O ART.EXAME DO MÉRITO DA IMPUTAÇÃO PENAL .RTJ 161/409-411) .ACUSAÇÃO POR SUPOSTA PRÁTICA DO CRIME DE FORMAÇÃO DE QUADRILHA E DE DELITO CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA . art.ouExt. PELO PRESIDENTE DA REPÚBLICA.: Pedro Avelino Neto e Outri.

A superveniência da nova ordem constitucional não afetou a validade da formulação contida na Súmula 421/STF. Precedentes. exceto se o Presidente da República. Precedentes. .brasileira constituem fatos destituídos de relevância jurídica para efeitos extradicionais. a efetivação da extradição do súdito estrangeiro. "caput". 89. que subsiste íntegra sob a égide da vigente Constituição republicana. A QUESTÃO DO ADIAMENTO DA ENTREGA EXTRADICIONAL . em princípio. em conseqüência. do Estatuto do Estrangeiro.depende. A entrega do extraditando . "in fine". determinando a imediata efetivação da ordem extradicional. da conclusão do processo ou do cumprimento da pena privativa de liberdade. não impedindo.que esteja sendo processado criminalmente no Brasil ou que haja sofrido condenação penal imposta pela Justiça brasileira . fundado em juízo discricionário. 89 DO ESTATUTO DO ESTRANGEIRO.INTELIGÊNCIA DO ART. exercer a prerrogativa excepcional que lhe confere o art.

eis que o modelo extradicional adotado pelo ordenamento jurídico brasileiro consagra o sistema de contenciosidade limitada1. nem debater questões de fato. Ao tribunal também coube declarar o indeferimento de pedido do extraditando sobre reavaliação das provas que a República Alemã apresentava contra ele. no Brasil. quanto a sua matriz jurídica.. pois como foi justificado. vindo a se refugiar num outro Estado com a intenção de se abster de cumprir a pena imposta. O governo da República Federal da Alemanha pediu também que acompanhassem os oficiais brasileiros na diligência. o litígio penal que lhe deu origem. ao sistema misto ou belga.não autoriza que se renove.se de pedido de Extradição Passiva.. com promessa de reciprocidade. a revisão de aspectos formais concernentes á regularidade dos atos . em sede de extradição passiva. sua participação apresentaria ameaça a soberania do país. Tratava. Foi postulado também (mediante dois mandados de prisão preventiva) a prisão cautelar do extraditando e um mandado de busca e apreensão domiciliar para permitir que autoridades brasileiras pudessem apreender bens que guardassem conexão com os crimes que o extraditando era acusado. Os pedidos para prisão cautelar e para mandado de busca foram deferidos. se faz necessário que os Estados mantenham entre si Acordos de Extradição.. dois agentes policiais alemães..) ou ainda . a extradição tem como finalidade impedir a impunidade daquele indivíduo que cometeu infração. mas o pedido para que os policiais alemães pudessem acompanhar a diligência foi indeferido. Segundo o Min. do cidadão holandês Klaus Geertmann (ou Klaus Geertman) acusado de formação de quadrilha e delito contra ordem tributária. Celso de Mello : “O modelo que rege.Como já é sabido. É por essa razão que o Supremo Tribunal 1 Ainda segundo Min. através de nota verbal apresentada por sua Missão Diplomática ao governo brasileiro. nem que se proceda ao reexame de mérito (. no âmbito do processo extradicional. Celso de Mello: “(. a disciplina normativa da extradição passiva – vinculado.) não cabe discutir matéria probatória. O caso em tela diz respeito ao pedido de extradição formulado pela República Federal da Alemanha. Para que a extradição ocorra. Ocorre que a participação de qualquer outra autoridade judiciária nacional traduz situação que configura ofensa à soberania do Estado brasileiro.

com a revogação do mandado de prisão expedido contra Klaus Geertmann ou Klaus Geertman (fls. neste ponto. levando em conta a inadimissibilidade do pedido do extraditando. independentemente da ocorrência.”2 Portanto. cabendo. de persecução penal praticados no Estado requerente. Rel. cessou a própria causa que deu origem a este pedido de extradição. pois o mandado de prisão do extraditando havia sido revogado. que somente poderia ocorrer caso o extraditando estivesse sendo processado no Brasil ou estivesse cumprindo pena no país.) tem reiteradamente assinalado que a ação de extradição passiva não confere a esta Corte qualquer poder de indagação sobre o mérito da pretensão deduzida pelo Estado requerente.” Com todos os fatos expostos.Federal (. também. do seu trânsito em julgado. “ cabe reconhecer. Em seguida a decisão do Superior Tribunal Federal. Min. a prática do ato de homologação dessa unilateral declaração de vontade. especialmente ante a declaração de vontade consubstanciada na Comunicação que o Senhor Ministro da Justiça ora dirige a esta Suprema Corte. enquanto ainda não julgada. a Corte declarou extinta. 14 (quatorze) dias depois. ao Plenário do Supremo Tribunal Federal ou ao próprio Relator da causa. homologou-se o “ pedido de desistência da execução concernente ao ato decisório eu deferiu o pedido extradicional. por isso mesmo.. bem como afirmando a compatibilidade da Súmula 421 do STF a Constituição de 1988 ( a qual supõe-se ter sido citada como meio de impedir a extradição) e também a questão do adiamento da mesma. em tal hipótese. foi deferido. foi dirigido a Corte comunicação na qual o requerente ( a República Federal /Ada Alemanha) não possuía mais interesse na extradição. 40/43 e 44/47). Em suma: o Estado estrangeiro pode requerer a desistência da ação de extradição passiva. .” O pedido de Extradiçaõ em si. não mais pode ocorrer.” 2 Consubstanciado em : Ext – 691 – Reino dos Países Baixos. a prisão preventiva do outrora extraditando e a devolução dos bens que lhe haviam sido confiscados. Mesmo com trânsito em julgado. Marco Aurélio.. cuja efetivação executória. ou não. nem lhe permite o exame do contexto probatório em que a postulação extradicional se apóia. que.

a imediata expedição de alvará de soltura em favor de Klaus Geertmann. se por motivo diverso não estiver preso. se por motivo diverso não estiver preso.2002. no entanto. o pedido de extradição já houver sido apreciado e deferido. pelas razões expostas.Se. a presente causa extradicional. . com a amplitude referida. determinando. ainda. 05. È o voto. Presidiu o julgamento. independentemente da existência. apreendidos pela Polícia Federal. acham-se relacionados a fls. Ausente. E considerando que a Nota Verbal nº 411/2002 consubstancia verdadeira desistência da execução da ordem extradicional. Nelson Jobim. declarando extinta. ao Estado estrangeiro. Geraldo Brindeiro. Sendo assim. homologou o pedido de desistência da execução da extradição. Presente à sessão os Senhores Ministro Moreira Alves. esse pedido de desistência da execução da extradição. além de ordenar a restituição. a imediata expedição de alvará de soltura. Plenário. ainda. além de ordenar a restituição. já deferida em favor do Estado requerente. ou não. o Senhor Ministro Carlos Velloso. Presidência do Senhor Ministro Marco Aurélio. Decisão: O Tribunal. desistir da execução da ordem de extradicional. resolvo a questão de no sentido de homologar. Ellen Gracie e Gilmar Mendes. resolvendo questão de ordem suscitada pelo Relator. determinando. sem voto. Procurador – Geral da República. ao extraditando. em conseqüência. dos bens apreendidos pela Polícia Federal relacionados às fls 96. Decisão unânime. tornar-se-á lícito. ou Klaus Geertman. em favor de Klaus Geertman ou Klaus Geetmann. ao extraditando. o Senhor Ministro Marco Aurélio.09. 96. que. justificadamente. declarando extinto o processo. do trânsito em julgado da decisão plenária proferida pelo Supremo Tribunal Federal. Sydney Corrêa. dos bens. Dr.

§1 . RTJ-139/470. Ext-720-ED. HC-71402(RTJ177/1250). RTJ-158/403. Fed Lei-6815/80 Art-84. RTJ-152/430. 1969. Fed. Fed. EMC-000001. RTJ-175/833. Art-288 CP-1940 Código Penal Leg. RTJ-115/969. RTJ-164/42. CTN-1966 Código Tributário Nacional Leg. RTJ-132/1083. §1. Fed DEL. RTJ-148/110.RTJ-161/409. RTJ140/436. Legislação Leg. Fed Lei-6368/76 Art-16 LTX-1976 Lei de Tóxicos Leg. CF 1967 Art-153.RTJ-155/34. §15 (Redação dada pela EMC-1/1969) Leg. III. RTJ-105/4.RTJ-170/394. RTJ-134/56.Embasamento da Decisão Acórdãos Ext-183.2848. Ext-510(RTJ-139/470). III e IV. Ext-633(RTJ-177/485). RTJ-166/832. 1940 Art-109. Art-85. RTJ170/746. RTJ-165/472. Leg. RTJ-160/105. Fed Lei-5172/66 Art-370. RTJ160/433.

Fed SUM-421 (STF). I. p. 1989. “Direito Internacional Publico – Curso Elementar” José Francisco Rezek. 1973.. 363. 1983 “ A Extradição no Direito Internacional e no Direito Brasileiro” Gilda Russomano Ed. Forense. p.22. Saraiva. . 2ed.204. Leg. Doutrina “Estatuto do Estrangeiro” Yussef Said Cahali Ed. P. Fed Lei-8137/90 Art-1.Art-89 EE-1980 Estatuto do Estrangeiro Leg.